Um tiro no pé do canarinho

Aconteceu o crime! Provavelmente no jogo da Seleção Brasileira contra a França (nosso carrasco de carteirinha), veremos a nova camiseta canarinho – uma bela merda! Sim, desgraça anunciada (já teve post por aqui sobre o tema).
Caraca, o que é aquela faixa retangular, dura, toscona no peito? O que é aquilo? Um duto de refrigeração? Só mesmo um texto com umas 450 linhas com aquele tradicional papinho furado de marketing para explicar e convecer alguém dessa atrocidade. E tem mais, de que adianta ter aquela porra de canarinho bordado do lado interno da camisa, no distintivo? Como gostam de inventar baboseiras e detalhes ultra-supérfulos, ou tu vai me dizer que pretende tirar a tua camiseta toda hora só para mostrar pros manos que os teus 200 paus gastos na compra dessa estranha camiseta justifique isso. Ah, faça-me o favor…. “menas”!!!!!
Cadê aquele papo de Brasil, samba, movimento, ziriguidum, tereco-teco e malemolência que os estrangeiros tanto adoram de comprar como referência de estilo da gente? Se somos nascidos para o futebol como a própria frase estampada na gola menciona, cadê então o drible? Justamente faltou isso, jogo de cintura para a equipe “gringa”(suponho) da Nike ao criar esta nova camisa da seleção brasileira de futebol. Sim, meu chapa, tomamos um belo toco, um drible duro no meio das pernas com essa camisa feia, durona e sem graça. Hey! Da próxima vez fica a dica, ao menos procurem seguir aquela máxima do tal esporte bretão – “joguem simples”, a amarelinha lisa clássica sem essa listra estranha interferindo já teria sido uma boa. Se não vai melhorar então ao menos não estraga, tá!

E a camisa reserva? Parece ter um certo tom de verde/azulado, nada mais daquele também já tradicional azul? Vide a clássica final Copa do Mundo da Suécia, golaço do então menino Pelé – patrolaram isso também, a nossa história??? Logo o futebol que é feito de ídolos, mitos e sim, histórias, muitas histórias.

Tá, chega, posso até estar parecendo meio ranzinza em meus comentários, reclamando demais da camisa, mas não é bem o caso, imagino que tenha lá o seu requinte tecnológico em termos de costura e material, suponho também que novamente devem ter mantido aquele esquema de tecido reciclado (beleza!), percebi também pela imagem que a numeração é diferente, moderna e isso me agradou. Na verdade, como fan de futebol e de nossa seleção eu só queria mais coerência, mais brasilidade mesmo no produto, afinal o que é bom para as outras seleções não quer dizer que seja bom também para a nossa. Vivemos em uma época onde a informação cada vez é mais rápida, mais diferenciada e com toques de exclusividade, então se teremos uma material esportivo top “diferenciado” das outras seleções e sem seguir um determinado padrão internacional da marca, porque então não aproveitar para termos uma vibe mais Brasil em termos de design, mesmo que seja já dentro de um esquema do “tradicional” para o nosso escrete canarinho.?
Pronto! Falei.

*Ah! Tem mais. Sei que automaticamente ao publicar aqui no blog algo sobre a nova camisa de qualquer forma estarei “ajudando” a própria Nike a divulgar o produto. Lembre daquela famosa frase de Gene Simmons (baixista linguarudo do KISS) – “Falem bem ou mal de mim, mas falem de mim!”. OK, mas fica aqui o meu comentário a minha opinião de desagravo a esta camiseta “muito” feia. A Nike já tá até parecendo a Puma com o time do Grêmio.