Novo álbum do U2

Dentro daquela ótica de procurar saber como andam alguns grandes artistas já consagrados, descubro que o U2 tem um novo lançamento, o álbum Songs of Innocence, recheado de letras nostálgicas e que dá uma rápida passada por vários momentos musicais das fases da banda. A grande novidade é que ele é de graça no iTunes store.

Em tempo. Gostei muito da capa minimalista da banda para este novo álbum. Show!

http://www.u2.com/

u2-site-album

Rock, rock o quê!?

Essa coisa de gente dizendo daqui e dali que o rock já morreu, outros defendendo de punhos erguidos o contrário e alto e bom som, mas sei lá, o rock anda meio estranho. Gosto muito do tal rock clássico, dos grandes nomes, dos clássicos do passado, do começo de tudo, da dualidade Beatles x Stones, das grandes bandas europeias dos 70’s – Led Zeppelin, Black Sabbath, Deep Purple, etc, do hard do metal dos 80’s, do aspecto grunge dos 90’s, mas convenhamos, depois dessas grandes ondas de artistas realmente bons a coisa agora anda enfadonha. O novo modelo de se fazer e divulgar música mudou bastante velhos conceitos e entramos em uma nova estrada que ainda não foi bem compreendida, uns descobrem, fazem certo, mas isso não significa que o mesmo serve para todo mundo. Assim vamos e com o passar do tempo bandas que ontem mesmo em minha adolescência eram novidade, agora são “velhos”, tiozões do rock.

Assim há muito tempo meio que cansei de algumas bandas confirmadas, a mesma comida todo dia perde um pouco do sabor com o passar do tempo. Descobrir novos sons, novos artista e bandas sempre me agradou, mas de uns tempos prá cá passei a ter um novo hobby, redescobrir minhas velhas bandas. Sim, isso mesmo que você leu. Escutar várias bandas das quais eu já nem tinha mais vontade de ouvir, mas que tem lá o seu valor significativo para mim.

Tem aquela coisa que fica no ar… Que banda clássica de rock não gostaria de estar fazendo novos sons, novos álbuns ao invés de intermináveis tours mundo afora, mas sempre tendo de tocar os seus velhos hits senão o público mimado choraminga. Pô! Esses velhos e sábios rockers fizeram seus hits, tiveram e ainda tem em muitos casos sucesso, ganharam muita grana e agora? O que não gastaram com drogas, bebidas, festas, orgias e jatinhos sobrou com folga no quesito experiência e diga-se, livre das amarras daquele contexto contratual junto a grande gravadoras do passado, podendo assim fazerem e gravarem o que quiserem atualmente. Literalmente. Mas e daí! Será que o público teen atual os quer ver e ouvir ou apenas aqueles velhos fans chorões que imploram pelos eternos hits de sempre – a enfadonha nova velha tour de sempre!

Você sabe me dizer qual é o nome do último álbum de estúdio do Rush? E o do Aerosmith? Quem é o baixista do The Who? Pois é, justamente a isso que me refiro. Talvez você saiba me reponder , é fácil clicar no Google e descobrir, ou ainda saber mesmo de verdade essas respostas (eu sei) como um bom rocker militante, mas meu chapa, convenhamos, faz tempo que não nos ligamos em novos lançamentos de algumas boas bandas do passado e que ainda estão na ativa. Claro, depende em muito de suas exposições na mídia e investimentos assim em publicidade e tal, mas aqui a questão não é essa, a questão é quem quer ouvir coisas novas de velhos artistas que já nos cansaram e de certa forma ainda repetem a exaustão suas velhas fórmulas musicais? Poucos. Os fans de verdade sempre querem (eu em alguns casos), mas e os outros?

Pensemos todos nós rockers um pouco sobre isso…

 

rock_hands1