12 truques usados pelas empresas de fast food para induzir as pessoas a comerem mais porcaria

Todo mundo sabe que muitas são as empresas que apelam para qualquer tipo de coisa para te levar a consumir mais, mas você conhece os truques? Tenta não ser enganado?

1. Eles tornam mais barato comprar “refeições” do que itens avulsos.
Alguns estudos apontam que as pessoas tendem a comer significativamente mais quando suas refeições têm “variedades” do que quando elas consistem em apenas um alimento. Então, as empresas tratam de proporcionar produtos variados e promover isso como algo bom. Desta forma, um cliente acabará consumindo mais calorias se o seu frango frito vier acompanhado de purê de batatas do que se vier apenas com mais frango.

2. Eles usam aromas falsos para fazer você achar que está com fome quando na verdade não está.
Louco e até absurdo, não? Mas aquele aroma de pretzel flutuando pelo shopping não é um acidente.

3. Eles alteram o significado de palavras básicas, como “Grande”.

4. Eles sabem que ver uma comida “pode estimular um consumo não planejado” mesmo quando você não está com fome.

5. Eles não param de acrescentar queijo.
As parcerias entre as indústrias de fast food e de laticínios costumam resultar em mais queijo em tudo. Como Tom Gallagher, chefe executivo da Agência Americana de Gestão de Laticínios, escreveu em uma publicação comercial em 2009: “Se cada pizza incluísse 28g a mais de queijo, nós venderíamos 113 mil toneladas a mais de queijo anualmente”.

6. Eles procuram trazer novidades bobas, como transformar porta-copos em porta-refeições.

7. Suas lanchonetes são projetadas para nos fazer consumir comida rápido demais.
Tudo numa lanchonete de fast food nos encoraja a limpar nossas bandejas mais depressa do que faríamos normalmente. A cor vermelha, a iluminação brilhante, a balbúrdia de sons e os cheiros incessantes nos levam a acreditar que estamos com mais fome e com mais pressa do que realmente estamos. (E como todos já sabemos a essa altura, quando comemos rápido demais, comemos em excesso.)

8. Eles colocam sal, açúcar e gordura em itens que anunciam como saudáveis.
Você ainda acreditava que a sua Salada de Frango com Nozes e Maçã era uma escolha saudável? Com 27g de gordura, 1350mg de sódio e 37g de açúcar, a salada com a menor quantidade de calorias da rede de lanchonetes Wendy’s pode ser qualquer coisa, exceto saudável. Ela tem mais gordura que o Hambúrguer Duplo (25g), mais sódio que 10 Pedaços de Frango Empanado (870mg) e mais açúcar que o Cone de Sorvete de Baunilha (34g).

9. Na experiência alimentar que oferecem, eles eliminam qualquer tipo de caminhada.
Quanto mais fácil é chegar até a comida, mais propensos estamos de consumi-la. Enquanto o drive thru significava que nem precisávamos sair do carro para pegar um hambúrguer, a tele-entrega significa que nem precisamos sair de casa para isso.

10. Eles nos induzem a pensar que comprar um McLanche Feliz é o mesmo que ajudar crianças doentes.
Como já foi detalhado no recente relatório intitulado Clowing Around With Charity [De Palhaçada com a Caridade], o McDonald’s ganha bastante dinheiro convencendo seus clientes de que comprar um hambúrguer significa fazer uma doação. Em 2010, por exemplo, a cadeia afirmou que doaria para a “Ronald McDonald House” os “proventos” de todos os McLanche Feliz comprados. Acontece que tais “proventos” eram de apenas “1 centavo de dólar”.

11. Eles transformaram os refrigerantes num prato de acompanhamento.
Fizeram isso, como estratégia, pois quando as Cocas não eram incluídas nos combos de refeições, a maioria dos clientes de fast food não as comprava. No entanto, no momento em que as redes de fast food começaram a agrupá-las com hambúrgueres e batatas fritas, as vendas de refrigerante dispararam. Segundo Jeffrey Dunn, um executivo de longa data da Coca: “De 1980 a 2000, pelo menos, essa foi a estratégia de marketing predominante de Coca-Cola para elevar o consumo dentro das lanchonetes de fast food”.

12. Eles nos conquistam quando ainda somos bem jovens.

Como nossos hábitos alimentares começam a ser formar antes mesmo de darmos nossos primeiros passos, o que comemos durante a infância pode determinar o que consumimos quando adultos. Pensando nisso, as empresas de fast food atraem as crianças com brinquedos, parques infantis, personagens de desenhos animados e um palhaço muito famoso, elas não estão apenas vendendo McLanches Felizes. Elas estão criando clientes vitalícios.

*Fonte: equilibrioemvida

 

disclosure-campaigns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.