Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição divulga relatório sobre o glúten

A incidência cada vez mais alta de obesidade e doenças crônicas, juntamente com o crescente interesse por padrões estéticos, são as principais razões de tantas pessoas tornarem-se “especialistas” em nutrição saudável. Embora a busca pelo conhecimento nesta área seja extremamente útil, observa-se, em razão da ampla divulgação da mídia, pontos de venda, comerciantes e fabricantes da indústria alimentícia, um aumento da adesão a novas “dietas da moda”, que são baseadas em intervenções restritivas objetivando a perda de peso e a melhoria da saúde em geral, mas que, geralmente, são fundamentadas em observações empíricas ou em estudos incompletos e inconclusivos.

Seguindo essa tendência, nos últimos anos observou-se a popularização de um padrão alimentar anteriormente indicado como tratamento para a doença celíaca e alergia ao trigo, caracterizado pela exclusão total do glúten da dieta – ou “gluten free”. O assunto é polêmico mesmo entre os nutricionistas. Por isso a Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (Sban) divulgou um posicionamento oficial sobre o assunto: uma equipe de especialistas, liderada pela nutricionista e presidente da entidade Olga Amancio, fez uma análise crítica da literatura médica em relação à indicação de dietas sem glúten e formulou algumas conclusões. Seguem, abaixo, os cinco principais pontos da declaração oficial da entidade:

1 – Não há evidências suficientes para assumir que pessoas saudáveis se beneficiem de uma dieta sem glúten.
2 – Estudos recentes sugerem que a sensibilidade ao glúten (que atinge cerca de 6% da população) pode ser confundida com a sensibilidade à baixa fermentação e má absorção de alguns carboidratos conhecidos como Fodmaps, sigla, em inglês, para oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis. Esses carboidratos de difícil digestão estão presentes no trigo, na cevada, no centeio e também em frutas e legumes como brócolis, maçã, beterraba e abacate. Como eles não são absorvidos com facilidade no intestino delgado, podem formar gases que causam estufamento e flatulência.

3 – Dados epidemiológicos sustentam que pessoas com doença celíaca e excesso de peso não apresentam perda de peso sob uma dieta sem glúten.

4 – Dados experimentais recentes mostraram possíveis efeitos nocivos da dieta sem glúten ao intestino de pessoas saudáveis. Isso foi atribuído principalmente ao aumento do consumo de produtos glúten-free ultraprocessados e nutricionalmente pobres, ou seja, à diminuição do consumo de cereais integrais e fibras importantes para a saúde do intestino. “Os cereais integrais têm efeito prebiótico: alimentam as bactérias do bem do intestino, contribuindo para a redução no risco de câncer de intestino, doenças inflamatórias e doenças cardiovasculares, devido à presença de fibras”, afirma a nutricionista Cynthia Antonaccio. “Daí a importância de fazerem parte da dieta de quem não é celíaco nem tem sensibilidade ao glúten”, completa a especialista.

5 – Dietas sem glúten podem eventualmente ser saudáveis para a população em geral, desde que a retirada dos alimentos com glúten seja compensada pela ingestão de outros grãos integrais e de hortaliças.

A Padeiro de Sevilha, que está presente com suas delícias na edição 2016 da Confraria do Vinho Itapema, reforça a importância de estar atento a essas dicas e cuidados.

*Fonte: clickrbs

gluten

Como adestrar as pessoas

Convencer alguém a fazer tudo que você quer não requer talento nem má-fé – é pura ciência. Há décadas, psicólogos e publicitários estudam o que há por trás de pessoas persuasivas, e o resultado são dicas práticas e simples, que qualquer um pode seguir. Você, que é um leitor curioso e inteligente, não vai perder a chance de conhecer as mais modernas e exclusivas técnicas para domar pessoas, vai? Não, não responda ainda. Vire a página e leia 10 dicas inéditas. O quê? Achou pouco? Então só hoje, e só para você, preparamos inacreditáveis 28 (isso mesmo, 28!) maneiras infalíveis de convencer alguém. Boa leitura!

Como fazer uma venda
Papagueie – Observe as palavras e a linguagem corporal do cliente. Imite-as. Se ele está procurando um “carro bacana”, é exatamente um carro bacana que você vai oferecer – de preferência, acompanhado do mesmo gesto que ele usou. As chances de as duas partes chegarem a um acordo quando há imitação é até 5 vezes maior.

Menos é mais
5 a 10 opções – Esse é o número máximo de possibilidades que devem ser oferecidas aos clientes. Acima disso, o freguês acha a escolha frustrante.

Os outros
Ressalte como o produto é popular e quem já o comprou. Pessoas costumam seguir a maioria. A explicação é evolutiva: quem segue o grupo tem mais chances de ser socialmente aceito.

Não chore mais
33% a menos: é isso que você vai cobrar, se estiver triste. Da mesma maneira, clientes tristes pagam até 30% a mais.

Fofoque
Dê ao freguês uma informação exclusiva que indique escassez, como “esse é o último que tenho no estoque” ou: não perca amanhã o preço vai subir

Certa vez, um importador de carnes americano aumentou a procura por bife australiano em 600% apenas divulgando que o produto iria faltar – e que ninguém além dele sabia disso.

Como ser bem relacionado no trabalho

Sinceridade é (quase)tudo
Nada como admitir uma pequena falha, para então se autopromover. “Sou um pouco ansioso, mas tenho muita experiência.” Frases assim passam a impressão de que você é honesto e confiável. Atenção: Isso só funciona se suas qualidades foram maiores do que seus defeitos.

Apele para a vaidade
Mesmo aquele colega insuportável costuma ter alguma qualidade. Pode ser um corte de cabelo legal ou o jeito carinhoso com que ele trata o filho. Procure algo que você genuinamente admira e diga a ele. Na próxima vez, ele será mais gentil.

Por escrito
Você depende da ajuda de um colega escorregadio para terminar o serviço? Consiga que ele se comprometa com você por escrito. Pode ser um simples e-mail. Desse jeito, a chance de ele cumprir o combinado é até 3x maior.

Seduza o inimigo
Para ser diplomático com aquele colega que não vai com a sua cara, basta pedir um favor a ele. Parece estranho, mas a tática foi comprovada cientificamente: vemos com mais simpatia aquela pessoa a quem já ajudamos.

Pequenas táticas para o dia-a-dia

Use Post-its
Peça um favor a alguém por escrito e cole um Post-it na frente, com um recado simpático. A chance de você ser atendido é até 2 vezes maior do que sem o adesivo.

Telemarketing
Agora os atendentes de telemarketing estão na sua mão. Se você precisa cancelar seu cartão de crédito e não quer esperar horas na linha, faça o seguinte: primeiro, ligue e peça uma informação simples. Quando o atendente responder, agradeça-lhe efusivamente e diga que vai elogiá-lo para o supervisor. Em seguida, diga que precisa cancelar seu cartão. Para não perder seu elogio, o atendente vai se esforçar em dobro.

Viva o Xará
Você se chama Roberto Oliveira? Então tente convencer um Roberto Pereira. “Nos sentimos especialmente atraídos a pequenas coisas que associamos conosco, como nosso nome”, diz Robert Cialdini, professor da Universidade do Arizona. Essa atração até já foi calculada: pessoas com nomes parecidos com o seu têm 2 vezes mais chance de convencer você.

Como seduzir qualquer pessoa

Para os homens*

Pavão
Vista uma roupa chamativa. Se você for baixinho, use um chapéu ou sapatos de sola grossa. Mulheres preferem os altos.

Papinho
Escolha uma mulher numa roda. Puxe papo com frases curiosas: “Vocês viram a briga lá fora?” ou “Tenho um amigo que foi traído. Ele deve perdoá-la?”

Dê um gelo
Psicólogos provaram que pessoas odeiam sentir que estão sendo persuadidas. Por isso, não demonstre interesse no seu alvo. Faça elogios esquisitos: “Suas mãos são lindas, mas um pouco masculinas” ou “Que saia bonita. Acabei de ver uma mulher com uma igual”. Ela não vai entender nada. “Pessoas inacessíveis são diabolicamente sedutoras; queremos ser aquele que vai derrubá-las”, escreve o autor americano Robert Greene no livro A Arte da Sedução.

Vá Passear
Por último, o bote. Quando ela menos esperar, chame-a de lado para conversar. Feliz com a atenção, ela não vai recusar.
Para as mulheres*

Olhar 43
“Quando uma mulher está interessada, bastam 2 olhadas para o mesmo rapaz para ele saber que tem chance”, diz Kevin Hogan, escritor americano, especialista em persuasão. O melhor é frequentar lugares escuros: cientistas provaram que homens se sentem atraídos por pupilas bem grandes.

Chame na chincha
Se a vítima não puxar assunto, faça você o primeiro contato. Use a mesma tática dos homens.

Surpreenda o alvo
Deixe o seu alvo intrigado com sua conversa misteriosa. Se você faz o tipo intelectual, conte uma piada suja. Se fizer o tipo bonequinha, mostre que há um lado cruel em você. Ele não vai resistir.

Como pedir um favor

Bondade interesseira
Alguns dias antes de pedir o favor, faça um agrado para a pessoa que vai ajudá-lo. Pague o almoço ou dê uma carona, por exemplo.

Ele é superior
Na hora de fazer o pedido, posicione-se um pouco abaixo do seu amigo, de maneira que ele o olhe por cima.

Não respire
“Peça o favor sem parar de falar e sem dar oportunidade para a pessoa responder até você completar o pedido”, diz o especialista Kevin Hogan. Algo assim: Vocêpoderiaficarcomomeucachorro enquantoeuestiverviajando,porfavor?

Me dê motivo
Tim Maia tinha razão. Se você emendar um motivo ao seu pedido e explicar por que você precisa daquele favor, as chances de ele ser atendido podem ser 2 ou 3 vezes maior.

Comece pequeno
Se você precisa de um grande favor, peça primeiro algo banal. Aí aumente aos poucos. Por exemplo, primeiro peça uma carona para uma festa. No carro, pergunte se seu amigo também não pode levá-lo embora. E no fim da noite mencione sua namorada – que vai junto. Seu amigo não vai recusar porque tinha se comprometido com você. Atenção: a tática irrita as pessoas.

Como adestrar sua cara-metade
De acordo com a escritora americana Amy Sutherland, namorados(as) podem ser adestrados(as) como animais. A regra é clara: recompense tudo que seu parceiro fez de legal e ignore as partes irritantes. Seu marido costura os outros carros no trânsito e ainda xinga os motoristas? Ignore-o. Não brigue, não fique magoada, não faça joguinhos. De preferência, não mexa um só músculo. Sua namorada aprendeu que não vale a pena começar uma discussão tarde da noite? Então a recompense, diga “muito obrigado” e sorria de leve. Essa tática serve para ensinar um babuíno a andar de skate – e ensinou o marido de Amy a não deixar roupa suada em cima do tapete.

Dicas

– A recompensa tem de ser proporcional à ação. Não se derrame em beijos e elogios se ele só levou o lixo pra fora.

– A recompensa tem de ser imediata. Se chegar atrasada, seu parceiro não vai entender o elogio.

– Se a intenção foi boa, mas o resultado não, ignore a tentativa. Sua namorada diz que vai parar de fumar? Então ela só merece elogios quando nunca mais fumar.

………………
*Fonte: O Jogo, Neil Strauss / superinteressante

cerebro homer