Camboriú – SC – Praia sem sol dos prédios mais altos do Brasil

Disputada por anônimos e celebridades devido ao seu glamour e elegância, com seus edifícios residenciais de altíssimo luxo, que figuram entre os prédios mais altos do mundo.

Balneário Camboriú, no litoral norte de Santa Catarina, sempre foi um local de belezas naturais exuberantes, atraindo muitos turistas, e logo surgiram os primeiros prédios de apartamentos. Mas esses prédios logo começaram a competir em altura, e assim hoje a belíssima praia está coberta com os arranha-céus mais altos do Brasil. Veja a lista:

One Tower – Balneário Camboriú (SC) – 280 metros;
Infinity Coast Tower – Balneário Camboriú (SC) – 237 metros;
Boreal Tower – Balneário Camboriú (SC) – 220 metros;
Sky Tower – Balneário Camboriú (SC) – 210 metros;
Tour Geneve – João Pessoa (PB) – 182 metros;
Palácio W. Zarzur – São Paulo (SP) – 170 metros, (finalizado em 1967);
Alameda Jardins Residence – Balneário Camboriú (SC) – 170 metros;
Edifício Itália – São Paulo (SP) – 165 metros (finalizado em 1965)
Rio Sul Center – Rio de Janeiro (RJ) – 163 metros (finalizado em 1982);
Altino Arantes – São Paulo (SP) – 161 metros (finalizado em 1947).

Você deve estar pensando que essa praia é o paraíso dos milionários, e com seus apartamentos que custam em torno de R$ 3 milhões, isso até é verdade, porém esses dados grandiosos escondem um problema miseravelmente triste…

Como você pode ver nas imagens, a praia fica completamente escondida na sombra dos prédios a partir do meio da tarde, e conseguir um lugar ao Sol é um desafio tão gigantesco quanto os edifícios que cercam a praia.

E esse não é o único problema, afinal os prédios altos também interferem nas correntes de ar marítimas, e as ruas no entorno se transformam em verdadeiros túneis escuros de vento. O sistema de tratamento de água e esgoto também já apresentam sinais de saturação segundo alguns ambientalistas, o que eventualmente ocasiona a poluição das águas e muitos dias de praia imprópria para banho durante o ano. Outra característica que diferencia a “Dubai brasileira” é que todos esses edifícios são residenciais, ao contrário de todos os outros prédios mais altos do mundo que são comerciais.

Muitos ambientalistas e arquitetos alegam que esse tipo de adensamento urbano é lamentável, e traz prejuízos ao ecossistema da região. Animais marinhos são afetados pela poluição das águas, e se confundem com a sombra onipresente, colocando em risco a fauna e a flora locais, além da própria paisagem ficar poluída com todos os prédios mais altos do Brasil lado a lado, separados por poucos metros entre si.

Ainda assim, as construtoras continuam investindo e erguendo outros prédios ainda mais altos, e o negócio imobiliário por lá continua super-aquecido. Como a legislação local não limita a altura de edificações na orla, novos espigões estão projetados e outros já em fase de construção. E assim segue a praia que era um paraíso natural, e agora está ficando cada vez mais apagada, na escuridão de sua própria “grandiosidade”…

………………………….
*Fonte: curtoecurioso

 

 

 

 

 

 

 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: