19 sinais de que você é inteligente, mesmo que não se sinta assim

1. Você fez aulas de música

Pesquisas sugerem que a música ajuda as mentes das crianças a se desenvolver de várias maneiras. Por exemplo, um estudo de 2011 descobriu que as pontuações num teste de inteligência verbal entre crianças de 4 a 6 anos subiram após apenas um mês de aulas de música.
Também, um estudo de 2004 conduzido por Glenn Schellenberg concluiu que crianças de 6 anos de idade que fizeram nove meses de aulas de teclado ou canto tiveram um aumento no QI comparado com os que fizeram aulas de teatro ou nenhuma aula.
Por fim, um estudo de 2013, também liderado por Schellenberg, sugeriu que crianças com alto desempenho eram as mais propensas a fazer lições de música. Em outras palavras, no mundo real, o treinamento musical pode apenas aumentar as diferenças cognitivas que já existem entre as pessoas.
Pessoas extremamente inteligentes costumam ter estas características em comum

 

2. Você é o irmão mais velho

Irmãos mais velhos são geralmente mais inteligentes, e não por causa da genética. Epidemiologistas noruegueses usaram registros militares para examinar a ordem de nascimento, saúde e quocientes de QI de quase 250.000 homens de 18 e 19 anos nascidos entre 1967 e 1976.
Os resultados mostraram que o primeiro nascido tinha um QI médio de 103, em comparação com 100 para segundos filhos e 99 para terceiros. As descobertas, publicadas em junho de 2007, mostram que as crianças mais velhas têm uma pequena, mas significativa vantagem no QI que não vem de fatores biológicos, e sim da interação psicológica entre pais e filhos.

 

3. Você é magro

Em um estudo de 2006, os cientistas conduziram cerca de 2.200 testes de inteligência em adultos ao longo de um período de cinco anos. Os resultados sugeriram que, quanto maior a cintura de uma pessoa, menor sua capacidade cognitiva.
Outro estudo publicado no mesmo ano descobriu que alunos de 11 anos que obtiveram pontuações mais baixas em testes verbais e não verbais eram mais propensos a serem obesos em seus 40 anos. Os pesquisadores dizem que as crianças mais inteligentes podem ter buscado melhores oportunidades educacionais e acabado em uma posição melhor para cuidar de sua saúde do que seus colegas menos inteligentes.
Os pesquisadores de um estudo recente que chegou a mesma conclusão também dizem que fatores ambientais estão em jogo, uma vez que a relação entre o IMC e a inteligência foi mediada pelo status socioeconômico.

 

4. Você tem um gato

Um estudo de 2014 com 600 estudantes universitários descobriu que os indivíduos que preferiam cães eram mais extrovertidos do que os que preferiam gatos em um teste de personalidade.
No entanto, os amantes dos felinos pontuaram mais alto na parte do teste que media habilidade cognitiva.

 

5. Você foi amamentado

Uma pesquisa de 2007 sugere que bebês amamentados ficam mais espertos.
Em dois estudos, os pesquisadores analisaram mais de 3.000 crianças na Grã-Bretanha e Nova Zelândia. As crianças que foram amamentadas marcaram quase sete pontos a mais em um teste de QI, mas somente se possuíam uma versão particular do gene FADS2. Essa versão estava presente em números aproximadamente iguais entre crianças que foram e não foram amamentadas.
Descobrir o mecanismo exato da relação entre o FADS2, o aleitamento materno e o QI exigirá um estudo mais aprofundado.

 

6. Você já usou drogas recreativas

Um estudo de 2012 com mais de 6.000 britânicos nascidos em 1958 encontrou uma ligação entre QI elevado na infância e uso de drogas ilegais na idade adulta.“O QI aos 11 anos estava associado a uma maior probabilidade de usar drogas ilegais 31 anos depois”, escreveram os pesquisadores James W. White, Catharine R. Gale e David Batty. Eles concluíram que um QI alto na infância pode levar à adoção de comportamentos que são potencialmente prejudiciais à saúde na idade adulta.

 

7. Você é canhoto

Pesquisas recentes descobriram que as pessoas canhotas são mais propensas a ter “pensamento divergente”, uma forma de criatividade que permite que elas apresentem ideias novas de uma forma rápida, pelo menos entre os homens.
Durante um estudo, quanto mais marcada era a preferência canhota em um grupo de homens, melhor eram os testes de pensamento divergente. Os canhotos eram melhores, por exemplo, em combinar dois objetos comuns de novas maneiras para formar um terceiro e em agrupar listas de palavrasem mais categorias alternativas.

 

8. Você é alto

Um estudo de 2008 da Universidade Princeton, nos EUA, com milhares de pessoas descobriu que indivíduos mais altos obtiveram maior pontuação em testes de QI quando crianças, bem como ganharam mais dinheiro quando adultos.
Os pesquisadores disseram que o efeito podia ser visto aos 3 anos, antes da escolaridade ter a chance de desempenhar um papel.

 

9. Você bebe álcool regularmente

O psicólogo evolucionista Satoshi Kanazawa e seus colegas descobriram que, entre britânicos e americanos, os adultos que obtiveram pontuações mais altas nos testes de QI quando crianças ou adolescentes bebiam mais álcool mais frequentemente na idade adulta do que os que obtiveram pontuações mais baixas.

 

10. Você aprendeu a ler cedo

Em 2012, os pesquisadores analisaram quase 2.000 pares de gêmeos idênticos no Reino Unido e descobriram que o irmão que tinha aprendido a ler mais cedo tendia a pontuar mais alto em testes de capacidade cognitiva.
Os autores do estudo sugerem que a leitura em uma idade precoce aumenta a capacidade verbal e não verbal (por exemplo, raciocínio).

 

11. Você se preocupa muito

Várias pesquisas já sugeriram que os indivíduos ansiosos podem ser mais espertos de determinadas maneiras.
Em um estudo, por exemplo, os pesquisadores pediram a 126 estudantes para preencher questionários em que eles indicavam quantas vezes se preocuparam nos últimos dias. Eles também indicaram quantas vezes se envolveram em ruminação, o ato de pensar continuamente sobre os aspectos das situações que os incomodam.
Os resultados mostraram que as pessoas que tendiam a se preocupar e ruminar muito tinham maior pontuação em medidas de inteligência verbal, enquanto as pessoas que não se preocupavam tanto obtiveram pontuações mais altas em testes de inteligência não verbal.

 

12. Você é engraçado

Em um estudo, 400 estudantes de psicologia fizeram testes de inteligência que mediram suas habilidades de raciocínio abstrato e inteligência verbal.
Em seguida, foram convidados a criar legendas para desenhos humorísticos de um jornal, e essas legendas foram avaliadas por outras pessoas. Como previsto, os alunos mais inteligentes foram classificados como mais engraçados.

 

13. Você é curioso

O QC (quociente de curiosidade) não é tão famoso quanto o QI (quociente de inteligência), mas algumas evidências sugerem que ele é muito importante quando se trata de gerenciar a complexidade.
Pessoas com alto QC são geralmente mais tolerantes à ambiguidade, um estilo de pensamento sofisticado e sutil define a própria essência da complexidade. Também, um QC grande leva a níveis mais elevados de investimento intelectual e aquisição de conhecimento ao longo do tempo, especialmente em domínios formais de educação, como ciência e arte.

 

14. Você é bagunceiro

Um estudo da Universidade de Minnesota, nos EUA, revelou que trabalhar em um cômodo desarrumado aumenta sua criatividade.
No estudo, 48 participantes foram convidados a propor usos incomuns para uma bola de ping pong. Os 24 indivíduos que trabalharam em salas limpas deram respostas substancialmente menos criativas do que os indivíduos que trabalharam em salas bagunçadas.

 

15. Você não fez sexo até depois do ensino médio

Estudantes de nível médio com maior QI são mais propensos a serem virgens do que aqueles com QI médio ou menor, de acordo com um estudo da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, que analisou 12.000 adolescentes da 7ª à 12ª série.
Não só os adolescentes com o maior QI eram mais propensos a ser virgens, como também eram menos propensos a beijar ou andar de mãos dadas com um parceiro romântico. Uma série de explicações foram apresentadas para explicar o fenômeno, incluindo o fato de que pessoas inteligentes possuem menos desejos sexuais, são avessas ao risco ou são simplesmente menos capazes de encontrar parceiros sexuais.

 

16. Você é uma pessoa noturna

Um estudo descobriu que, quando todas as outras variáveis são levadas em conta, pessoas noturnas tendem a ter maior intelecto do que as que desempenham melhor de manhã.
A evidência etnográfica indica que atividades noturnas eram mais raras no nosso ambiente ancestral. Isso significa que os indivíduos mais inteligentes são mais propensos a ficar acordados até tarde, porque as pessoas mais inteligentes são mais propensas a “adotar valores evolutivamente novos”.

 

17. Você nem sempre precisa se esforçar

A preguiça não é um sinal de ser inteligente. Mas as pessoas inteligentes simplesmente não têm sempre que se esforçar tanto quanto os que têm dificuldade para construir suas habilidades, pelo menos em certos campos.
Um estudo da Universidade Vanderbilt, nos EUA, descobriu que o 1% dos alunos de 12 anos com maior habilidade intelectual eram entre três e cinco vezes mais propensos a fazer doutorado, obter uma patente, publicar um artigo em uma revista científica ou publicar um livro literário.
Isso leva alguns cientistas a crerem que, embora se esforçar para ser mais inteligente seja louvável, certas habilidades inatas nem sempre podem ser aprendidas.

 

18. Você não precisa estar sempre com outras pessoas

Nós tendemos a ser mais felizes quando passamos mais tempo com os amigos. Exceto as pessoas muito inteligentes.
Um estudo da Universidade de Cingapura e da Escola de Economia de Londres descobriu que as pessoas inteligentes diferem do resto de nós quando se trata de níveis de felicidade e socialização. Se você adora seus amigos, mas precisa de um tempo sozinho também, esse pode ser um sinal de que você é superinteligente.

 

19. Você vive em uma cidade “andável”

A geografia de sua cidade pode ser um bom indicador de quão inteligente você é.
Um estudo da Smart Growth America (uma coalizão de organizações que têm interesse em como a expansão metropolitana afeta o meio ambiente) descobriu que as cidades construídas para pedestres tendem a atrair mais pessoas com graduação universitária do que as cidades construídas para carros. [IFLS]

 

………………………………………..
*Fonte: hypescience

Estudo indica que estamos bebendo água com pH impróprio para consumo

A água é essencial à vida. Especialistas indicam que precisamos sempre nos hidratar para evitar uma série de complicações e doenças. A água que consumimos precisa ter necessariamente 3 características. A seguir: ela precisa ser inodora, ou seja, não possuir cheiro; incolor, que significa não possuir cor; e insípida, ou desprovida de gosto.

Outra característica importante da água é o pH. O pH é uma escala que vai do 0 ao 14 utilizada para medir o potencial de hidrogênio e indica a acidez ou a basicidade de uma solução líquida.

Segundo o Ministério da Saúde do Brasil, o pH da água deve estar entre 6,0 e 9,5. Mas, um estudo publicado pela engenheira agrônoma Érika Ferreira, para obtenção do título de especialista em Gestão Ambiental pelo Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará, mostrou que nenhuma das marcas analisadas no Laboratório de Recursos Hídricos do Instituto de Geociências da UFPA estão dentro desses padrões recomendados.

“Água precisa ter um pH acima de 6,5 para ser potável. Abaixo disso, não é água potável, podendo, inclusive, causar problemas de saúde. Se consumida durante dez, vinte anos, pode causar problemas gástricos, como gastrites, úlceras e câncer de estômago”, advertiu o professor Milton Matta, que orientou o estudo.

Para você se informar melhor sobre o pH da água que consumimos, confira a lista das águas mais vendidas no Brasil com seus respectivos pH:

Santa Joana – pH 5,25
Petrópolis – pH 5,38
Bonafont – pH 5,44
São Lourenço – pH 5,45
Perrier – pH 5,5
Lindoya – pH 6,74
Schin – pH 6,79
Puris – pH 6,98
Água Prata – pH 7,01
Crystal – pH 7,28
Pureza Vital (Nestlé) – pH 7,44
Minalba – pH 8,04
Levity – pH 8,84
Sarandi – pH 9,35
Ibirá – pH 10,15

Confira também algumas águas vendidas no Pará, estado onde a pesquisa foi realizada. Os resultados são bastante preocupantes.

Belágua – pH 3
Top Line – pH 3,75
Mar Doce – pH 3,80
Nossa Água – pH 3,89
Terra Alta – pH 4,14
Indaiá – pH 4,52

Esses níveis de pH apresentam um grande risco para o consumidor. O estudo reforça que as empresas que produzem as águas analisadas precisam se adequar aos padrões o quanto antes.

Além disso, o estudo evidencia que existe uma ausência no monitoramento nesse processo de produção, o que poderia evitar que águas com pH impróprio para o consumo fossem produzidas e comercializadas

Sempre que for comprar água, verifique o índice de pH, indicado no rótulo. Isso pode fazer com que você compre apenas águas dentro dos padrões recomendáveis e assim evite doenças a longo prazo.

………………………………
*Fonte: jornalciencia_r7