Arquivo do dia: 11/06/2017

Adam West / 1928 – 2017


Adam West, conhecido por interpretar Batman na TV, morre aos 88 anos

Adam West, conhecido por interpretar o herói Batman na TV na década de 1960, morreu nesse sábado (10/06/2017) aos 88 anos, em Los Angeles. Segundo informações da BBC, o ator sofria de leucemia.

Um comunicado no Twitter oficial do ator informou que Adam morreu na noite de sexta-feira (09). “Nosso amado Adam West morreu na última noite. Ele era grandioso. Sentiremos uma incrível falta dele. Nós sabemos que vocês sentirão sua falta também.”

Adam West estreou sua carreira artística em 1957, no filme “Voodoo Island”, mas não teve seu nome creditado nesse trabalho. Após isso, o ator e dublador norte-americano participou de inúmeros seriados, mas ganhou reconhecimento ao interpretar Batman na série homônima televisiva, que foi ao ar de 1966 a 1968.

Adam era casado com Marcelle desde 1972. O ator deixa seis filhos, quatro netos e dois bisnetos.

……………………………………………….
*Fonte: G1

|||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||

 

Santa tristeza! Os fãs do #Homem-morcego mais conhecido do universo de super-heróis estão de luto! Faleceu ontem, vitimado por uma leucemia, o ator Adam West, que interpretou Batman no seriado homônimo e muito cultuado nos anos 60.
Os protagonistas

#Adam West foi escolhido para interpretar o famoso herói após aparecer num comercial de chocolate instantâneo, apesar de estar totalmente fora de forma para o papel. Somente após pressão dos produtores é que o ator adquiriu um porte mais atlético. Seu parceiro de aventuras, Robin, o menino-prodígio, foi interpretado pelo ator Burt Ward. O seriado fez um estrondoso sucesso inclusive no Brasil, tendo sido reprisado várias vezes nas últimas décadas pelas emissoras de TV a cabo e abertas.

Vale lembrar que o seriado original estreou nas TVs americanas da década de 40. Em 1943, o Homem-Morcego saía das revistas em quadrinhos criadas por Bob Kane para a televisão, mas a produção era tosca e os atores um pouco desengonçados. A produção da década de 60 era muito mais atraente pelo fato de ser em cores, a criação das onomatopeias (SOC! POW! CRASH!) na hora das lutas e uniformes bem mais coloridos, típicos da época.

Após o sucesso do longa-metragem de 1966 “#Batman – O Homem-Morcego”, a 20th Century Fox produziu o primeiro episódio e o levou ao ar em janeiro do mesmo ano, durando até março de 1968, totalizando 120 episódios e três temporadas. Na terceira temporada, Ivonne Craig estreou como a Batgirl, alter-ego da filha do Comissário de Polícia Gordon, para aumentar a audiência junto ao público feminino, formando então o trio dinâmico.

Um detalhe curioso é que a personagem da tia Harriet foi criada para disseminar suspeitas de uma suposta relação homossexual entre Bruce Wayne e Dick Graison, pelo fato do milionário ter adotado um jovem já em idade adulta.

Outro inesquecível aliado à dupla dinâmica na luta contra o crime na fictícia cidade de Gotham City é o fiel mordomo Alfred, presente nas revistas, nas séries televisivas e em todos os filmes da nova era produzidos para o cinema.

Um dos fatos mais marcantes do seriado é o famoso tema musical, um rock no qual o nome do herói é repetido diversas vezes na letra. Alguns acharam que o autor Neal Hefti compusera “Batman Theme” plagiando “Taxman”, uma música do grupo de rock inglês The Beatles, então no auge da fama.
Os vilões e a produção

No final de cada primeira parte de cada episódio, quando um ou ambos os heróis eram presos em alguma armadilha mortal preparada pelos vilões Pinguim, Mulher-Gato, Charada ou Coringa, o narrador convidava o telespectador para assistir no dia seguinte, “na mesma bat-hora, no mesmo bat-canal” como a dupla dinâmica sairia viva na segunda parte.

Por sinal, os vilões de Batman geralmente roubavam a cena. Cesar Romero, que fez o Coringa, já era um consagrado ator. Frank Gorshin, o Charada, se destacava pelas charadas e sua histérica gargalhada. Julie Newmar, a Mulher-Gato, com altas doses de sensualidade, e o Pinguim, também um experiente ator, era vivido por Burgess Meredith, que na franquia dos filmes do lutador Rocky (Sylvester Stallone) interpretou seu treinador.

Não eram só os vilões que se destacavam. O Besouro Verde, outra cultuada série da década de 60 que teve a participação do lendário lutador Bruce Lee como Kato, aparecera em um dos episódios de Batman, chegando até a travarem um combate.

Um outro inesquecível destaque do seriado são as impagáveis subidas da dupla dinâmica nos prédios de Gotham City, estratégia para pegar de surpresa os criminosos, ao passarem por alguma janela que era aberta por algum cidadão – geralmente conhecido pelo público – Batman e Robin interrompiam sua escalada surreal para bater um rápido papo com Sammy Davis Junior e Jerry Lewis, entre outros.

A tecnologia estava bem à frente do tempo em 1966 para ajudar Batman e Robin na luta contra o crime. O bat-computador era a principal ferramenta tecnológica. O tradicional batmóvel, o batcóptero, a batmotocicleta e a bat-lancha eram os meios de transporte usados pela dupla, com recursos e armas de fazerem inveja a James Bond.

Nos últimos anos, Adam West ainda fazia aparições em convenções e eventos relativos ao herói.

O ator Burt Ward, o Robin, e Julie Newmar, a Mulher-Gato, cujas amizades ultrapassaram os limites da bat-caverna, declararam notas de pesar pela morte do colega de seriado em seus perfis nas redes sociais.

Sua família escreveu para os fãs e amigos no perfil oficial do ator no seu Facebook a seguinte nota:

“É com grande tristeza que estamos compartilhando esta notícia… Adam West faleceu pacificamente na noite passada depois de uma curta, mas corajosa batalha contra a leucemia. Ele era um pai amado, marido, avô e bisavô. Não há palavras para descrever o quanto vamos sentir falta dele. Nós sabemos que você vai sentir falta dele também e nós queremos que você saiba o quanto o seu amor e apoio significava para ele ao longo dos anos. Abraçar seus entes queridos hoje.

– A Família West.”

………………………………………………………………….
*Fonte II: brblastingnews

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Falta


Kevin Johansen – “Modern Love”


6 Truques incríveis com hand spinners


Mundo rock – #02

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Luz ou escurdidão?


10 Coisas que você nunca deve tolerar da vida!

Muitas pessoas permitem que sua felicidade seja prejudicada, trabalhando em um emprego que odeiam, cercando-se com pessoas negativas ou tendo muito medo de sair de sua zona de conforto. É importante lembrar que você é responsável pela sua própria felicidade.

Aqui estão 10 coisas que você nunca deve tolerar da vida:

 

1. Tentar agradar outras pessoas

Quando você constantemente busca a aprovação dos outros, está diminuindo o poder de sua própria opinião. É impossível fazer todos felizes, 100% do tempo. Tentar agradar os outros só o conduzirá a um caminho para a infelicidade. Em vez de se preocupar com as opiniões dos outros, concentre-se no que o faz feliz.

 

2. Negligenciar sua saúde

A verdadeira felicidade interior começa com a maneira como você se trata. Se você não for saudável, não será capaz de desfrutar de todas as coisas maravilhosas na vida. Tenha uma dieta equilibrada, durma o suficiente, beba muita água e permaneça ativo. Sempre trate sua mente, corpo e alma com respeito.

 

3. Deixar as pessoas pisarem em você

Ser bondoso é uma coisa. Mas permitir-se tornar-se um capacho dos outros mostra uma falta de respeito por si mesmo. Se alguém estiver te usando ou tirando proveito de você, fale. Se não resolver, deixe-o ir.

 

4. Permanecer em sua zona de conforto

É fácil ficar preso em sua zona de conforto, porque é onde você se sente seguro. Mas, a fim de aprender, crescer e experimentar coisas novas, você precisa sair da caixa. Tenha coragem suficiente para permitir-se experimentar o mundo.

 

5. Trabalhar em um emprego que você odeia

Todos nós temos contas a pagar, mas se contentar com um trabalho que você odeia, só porque você tem um salário estável prejudica a sua felicidade. Mesmo que você ganhe menos dinheiro seguindo suas paixões, você sempre pode ajustar seu estilo de vida para trabalhar melhor com sua renda. Um trabalho estressante que você odeia pode ter um impacto emocional, físico e espiritual.

 

6. Deixar o dinheiro governar sua vida

Muitas pessoas deixam o dinheiro ditar suas vidas inteiras. Colocar o dinheiro acima de tudo pode afetar a sua qualidade de vida. Na próxima vez que você estiver estressado com o dinheiro, lembre-se que não pode levá-lo com você. Há muitas outras coisas na vida que são muito mais importantes.

 

7. Ter que se explicar constantemente

Independentemente de quanto você tente convencê-las, algumas pessoas nunca vão entender ou apoiar seus objetivos ou aspirações. Lembre-se de que você não precisa da validação de outra pessoa para viver sua vida ou ir atrás do que quer.

 

8. Comunicação interna negativa

Quando essa pequena voz dentro de sua cabeça fala, ela pode te dar confiança ou destruí-la. Seus pensamentos criam sua realidade. Seja gentil consigo mesmo. Aprenda com seus erros, mas não se culpe por eles. Pratique amor próprio e autoaceitação. Pode fazer toda a diferença em termos de sua felicidade.

 

9. Amigos críticos

Verdadeiros amigos irão levantar-se, apoiá-lo e estar lá para você quando mais precisar. Se você tem um círculo de amigos que critica suas ideias, zomba de seus sonhos ou ignora suas realizações, é hora de cortá-lo de sua vida. Saiba que você merece estar em torno de pessoas positivas que se preocupam com você e querem ver você ter sucesso.

 

10.Não estar feliz

Muitas pessoas estão infelizes dia após dia, vivendo uma vida que as coloca para baixo. Lembre-se que você sempre pode mudar suas circunstâncias. Nunca se contente com uma vida que não te faz feliz. Siga seus sonhos, trabalhe duro e viva suas paixões.

 

……………………………………………………….
*Fonte: osegredo / David Wolfe


Momento saudades G.O.T. – 38

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Nada


Gifted – Trailer


Contran regulamenta alterações na iluminação de veículos

A Resolução nº 667 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada semana passada, estabeleceu um série de mudanças, novas normas, características e especificações técnicas para os sistemas de sinalização e iluminação de automóveis, camionetas, utilitários, caminhonetes, caminhões, caminhões tratores, ônibus, micro-ônibus, reboques e semirreboques, novos saídos de fábrica, nacionais ou importados.

Dentre as mudanças promovidas pela nova Resolução, destaca-se que os carros novos produzidos a partir de 2021 terão de vir equipados de série com luz de circulação diurna (DRL), que ficam sempre acesas mesmo quando faróis e lanternas estão desligados. Com essa tecnologia o motorista também não precisará mais ligar o farol baixo nas rodovias, como passou a ser exigido desde o ano passado, uma vez que o dispositivo cumpre a mesma função.

Além disso, a norma proíbe ainda a substituição de lâmpadas dos sistemas de iluminação ou sinalização de veículos por outras de potência ou tecnologia que não seja original do fabricante, ou seja, a substituição de lâmpadas halógenas por lâmpadas de LED não será permitida. A medida também se aplica para a troca por lâmpadas de temperatura diferente, mais brancas ou azuladas.

A nova determinação estabelece também o limite de instalação e funcionamento simultâneo de no máximo 8 (oito) faróis, independentemente de suas finalidades. Fica proibido ainda a colocação de adesivos, pinturas, películas ou qualquer outro material que não seja original do fabricante nos dispositivos dos sistemas de iluminação ou sinalização de veículos, como por exemplo, máscara negra, verniz vitral e insulfilm nas lentes.

A Resolução nº 667 está em vigor desde a data de publicação, porém segundo o Artigo 12 os efeitos da mesma entrarão em vigor somente a partir de 1º de janeiro de 2021.

De acordo com a mesma Resolução, até 2023, as fabricantes terão de encontrar uma solução para os demais modelos feitos anteriormente a 2021 e que não possuem a tecnologia DRL- a regra não contempla as motocicletas.
Confira na íntegra a Resolução nº667/17: CLIQUE AQUI

 

……………………………………………………………………………..
*Fonte: portaldotransito


The Cadillac Three


Motos e mais motos – 296

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Highest Road In The World