Cara, sensacional o dia de hoje! Sei lá o que houve,mas com certeza os deuses conspiraram para ser um dia tão bom para se pegar a estrada de moto nesse sábado. A nossa empreitada dessa vez começou cedo. As 10h30  já estávamos no posto enchendo o tanque para partirmos para mais um rolê de moto, eu, Pretto, Rafa e o Luís Carlos. O roteiro da vez era subirmos até Carlos Barbosa via Montenegro e depois voltarmos pela Rota do Sol.

Como o previsto saímos mesmo no horário combinado, tomamos o rumo da RS 287 em direção a Montenegro/RS. Essa viagem é um tanto sem graça porque andamos por ela muito seguido e vou aproveitar e dizer uma coisa – “que estrada ruim”. Não curto andar por aqui. Mas é caminho. Tudo tranquilo nesse trajeto, até fizemos uma rápida parada para um suco natural em uma tradicional tenda do caminho. Sim, tem de curtir o todo da coisa, não é só andar de moto.

Depois seguimos até o trevo para Montenegro, seguimos em frente até chegarmos na rotatória para Barão/RS. Daí sim a coisa começa a ficar legal de verdade, a paisagem muda, o roteiro vira para um visual muito mais agradável e até o asfalto passa a ter uma qualidade melhor, inclusive o tráfego também dá uma diminuída. Mas aqui cuidado, é um dos trechos da região com a maior quantidade de curvas que conheço e nesse sentido em que estávamos seguindo, é em ritmo de subida. E como é bom andar de moto em um lugar assim…báh!

No caminho ainda paramos para dar uma conferida no túnel de Salvador do Sul/RS (sim, esses tempos mesmo estivemos lá junto com o Vladi, Fabi e o Paulão), desse vez era a hora de mostrarmos então o lugar para os nossos outros amigos. Então ali rola aquela coisa de aventura turística local, a gente se saí do asfalto (numa curva bem perigosa – eu diria – muito cuidado aí, hein!), em frente a um casaão antigo (vermelho e branco). Tem placas na beira da estrada indicando o local como parte da “Rota Colonial de Linha Stein” – em Salvador do Sul. Se liga nisso. O cara sai da estrada, pega essa estradinha de chão lateral, depois anda por um pequeno trecho de estrada pavimentada (tem um descida bem inclinada), mais um pouco de estrada de chão por entre paredes de pedra e daí se chega no tal túnel. Aliás, muito bacana de passar, é uma escuridão total, o que salva é a luz da moto. O túnel é antigo e não tem iluminação alguma. Muito legal. Já do outro lado tem uma cascatinha e algumas placas de informação. Dessa vez não descemos na cascatinha e nem nos embrenhamos caminhando pelo mato ao redor. Mas taí um lugar bem interessante de se conhecer, fica a dica!

Depois disso voltamos para o roteiro original, pegamos novamente o caminho na estrada 470 e seguimos em subindo em frente, passando então pela cidade de Barão, rumo até Carlos Barbosa/RS. Não entramos na cidade, apenas passamos ao largo já em direção ao trevo de Garibaldi/RS, onde pegamos a direção no sentido de volta (descida da serra), na Rota do Sol. O objetivo aqui era descermos até um posto de gasolina que tem uma lancheria incrível e lá travarmos uma batalha contra um delicioso e delicioso gigante sanduíche de pão colonial (de copa ou salame) – coisa de gringo, é muito bom. Hey! Outra dica grátis aqui do blog para esse roteiro……huahuahaua.

Depois desse farto almoço – a essa altura já era tipo 14h30, quando almoçamos. Começamos o trajeto de volta para casa. Mas dessa vez havia um porém, o rafa avisou de que haveria um encontro de “Harleyros” (Harley Davidson) na cervejaria da Salva, em Bom Retiro do Sul/RS. Ok, resolvemos passar por lá então! Tudo tranquilo, bastou continuarmos descendo em nosso caminho normal e quando chegamos em Teutônia/RS, mudamos a direção no trevo do acesso da cidade no sentido de Fazendo Vilanova, pela RS-128, para chegarmos então na 386. Aí era seguir em frente até perto da entrada de Bom Retiro do Sul, onde fica a cervejaria da Salva, local de onde estava acontecendo o encontro de motociclistas. Isso só acrescentou mais pontos bons nessa tarde sensacional de sábado. O que já estava sensacional, ficou melhor ainda.

Chegando lá encontramos vários outros amigos de Venâncio Aires que andam junto com a gente de vez em quando (Professor, Bolinha, etc…). Muito bom. Várias motos legais, pena que chegamos um pouco depois que a banda Mother Sin havia tocado (também são meus amigos os músicos). Nessa hora o sol já estava ardendo na cabeça e ficar ali de bobeira com a galera no calorão bem em frente a uma fábrica de cerveja, tendo que pegar a estrada para casa logo mais, não era uma boa ideia no momento. Putz! Que droga. E a tentação era grande de ficar ali mais um tempo e tomar de boas vários copos de cerva bem gelada. O clima estava perfeito e ainda tem mais essa, é muito boa essa cerveja….

Mas tudo bem, não dava. Vamos respeitar a lei a dirigir são! Ninguém da galera bebeu, voltamos para a estrada e seguimos o caminho de casa. Assim que chegamos em V.Aires, fomos direto para uma choperia. Daí sim. Agora vai…

Claro que teve muito mais coisa nessa tarde incrível, mas o saldo foi imensamente positivo, recheado de belíssimas paisagens por onde passamos, ronco da moto como sinfonia nos ouvidos, a pareceria legal e o melhor – tudo sem nenhum perrengue ou entrevero e todo mundo faceiro, são e salvo, de volta em casa.

Valeu e muito satisfeito por mais um dia de aventura para a vida!

 

*Abaixo, a sei lá quem interessar possa, algumas imagens desse rolê de hoje:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.