Bermuda Triangle – “Rosie” / Nova banda de Brittany Howard (Alabama Shakes)

Anúncios

Inspirado em técnica japonesa, Ibirapuera realiza banho de parque

Quem nunca se sentiu bem menos estressado ao entrar em contato com a natureza? Isso não é da sua cabeça, pois pesquisas comprovam que este contato é extremamente benéfico para a sua saúde física e mental.

Os japoneses sabendo disso criaram a técnica “Banho de Floresta”, onde comprovam os benefícios gerados durante um período de contemplação na natureza.

Diante da importância de difundirmos a necessidade de aumentarmos nossa conexão com a natureza nos centros urbanos, foi criado o Banho de Parque, baseado nessa técnica japonesa e aliado aos conceitos da Ecologia Profunda.

Quais são as melhoras do nosso corpo com a prática, segundo estudo?

Redução de batimentos cardíacos, da pressão arterial, da atividade do nervo simpático e melhoria da atividade do nervo parassimpático, melhora o humor, aumento nos níveis de energia e disposição, aceleração dos processos de recuperação de doenças, clareza mental e melhora na capacidade de focar, aumento da atividade das células de defesa do organismo.

A atividade será realizada em duas partes:

Parte teórica: sobre o benefício das árvores e sobre o Banho de Floresta;

Parte prática: Banho de Parque no Viveiro Manequinho Lopes.

A atividade acontece no dia 14 de setembro (quinta-feira) das 14h às 15h30 e 19 de setembro (terça-feira), das 10h às 11h30, na sede da UMAPAZ – Parque Ibirapuera. Av. Quarto Centenário, 1268. Mas é preciso se inscrever aqui antes.

 

 

 

 

…………………………………………..
*Fonte: ciclovivo

SuperlistasHistória 10 detalhes absolutamente chocantes sobre a morte de Marilyn Monroe

A morte da estrela de Hollywood Marylin Monroe gerou um grande impacto no mundo todo, principalmente pela forma misteriosa em que tudo ocorreu.

Marylin morreu em 5 de agosto de 1962 em sua casa na Califórnia, por conta de uma overdose de drogas. A seguir você irá conferir 10 detalhes absolutamente chocantes sobre sua morte. Alguns deles são definitivamente chocantes:

 

10 – De acordo com os relatórios médicos, Monroe morreu de uma overdose de pentobarbital

Pentobarbital é um medicamento hipnótico, que agora é usado na eutanásia. No entanto, os traços dessa substância na autópsia não foram encontrados. Os médicos explicaram que isso ocorreu pelo fato de que o corpo de um viciado em drogas metaboliza muito mais rapido a substância do que o de um não usuário.

9 – Naquela noite a governanta de Marilyn havia lavado as roupas de cama

Na chegada ao local da morte pelo sargento de polícia, Dzhek Klemmons, ele encontrou a governanta Yunis Myurrey, que havia lavado as roupas de cama. Um policial disse que ela se comportava de maneira estranhamente evasiva e isso levou à suspeita de que a mulher estava escondendo algo.

8 – Na noite de sua morte, Marylin estava no telefone com seus amigos e conhecidos

Entre eles estava Peter Lawford, cunhado de John F. Kennedy. Em suas palavras, era claro que Marilyn estava sob a influência de drogas. Tais inconsistências no depoimento da testemunha e do médico, que alegou que o corpo estava limpo, provoca suspeitas terríveis.

7 – Desde os anos 70, as autoridades têm tentado permanecer em silêncio sobre quaisquer teorias da conspiração envolvendo a morte de alguma celebridade

A primeira pessoa a questionar a aleatoriedade da morte da atriz foi Norman Mailer. O homem sugeriu que foi a relação com o presidente dos Estados Unidos que levou Monroe a um triste fim. Ele afirma que Marylin esteve envolvida no plano de morte do presidente e de seu irmão, que ocorreriam no ano seguinte de sua própria morte. Teorias abundam a esse respeito, mas nada comprobatório.

6 – Antes de sua morte, Marilyn estava de bom humor

Era aproximadamente 19:15 quando Marylin falou com Joe DiMaggio Jr. sobre notícias de sua ruptura com uma garota que Monroe não gostava. De acordo com a governanta, ela estava feliz por isso.

5 – A visita da polícia não foi a primeira

Quando a polícia chegou, a casa já havia sido visitada por um psiquiatra e médico, Greenson Hyman Engelberg.

4 – O misterioso caso novamente revisado em 1982

Sob pressão da opinião pública, bem como por causa da infinidade de teorias da conspiração, o procurador geral da Califórnia foi forçado a reconsiderar o caso da morte de Marilyn. Os materiais possuem 29 folhas de texto e 3,5 meses para serem revisados.
Como resultado, o promotor concluiu que não houve adulteração e realmente foi um suicídio.

3 – O relato da empregada mudou várias vezes

Murray inicialmente disse à polícia que por volta de 03:00 tinha notado a luz acesa no quarto de Monroe decidiu chamar seu psicólogo. Às 4:25, ela chamou a polícia. No entanto, de acordo com impressões de chamadas, o psicólogo foi chamado à meia-noite.
Então ela mudou ligeiramente testemunho sobre a morte da proprietária da casa. Tudo isso mostra mentiras nos relatos criminais.

2 – A estrela estava de casamento marcado

Joe DiMaggio e Marilyn Monroe casaram-se em 1954. O casamento acabou, mas Joe e Marilyn permaneceram bons amigos. Quando a atriz se internou em um hospital psiquiátrico em 1961, ela recorreu a Joe e ele então a tirou de lá.
A relação melhorou e eles decidiram tentar de novo. O casamento foi planejado para 08 de agosto, três dias depois do dia em que Marylin morreu.

1 – Joe DiMaggio proibiu a entrada de celebridades no funeral de sua ex-mulher

Joe DiMaggio fez um funeral fechado, e não convidou estrelas de Hollywood. Ele acreditava que essas pessoas levaram Marilyn ao suicídio. A estrela estava vestida com um vestido verde de Emilio Pucci e seu maquiador pessoal, Uayti Snayder, fez sua arte em seu rosto pela última vez.

 

 

 

 

 

 

………………………………………………….
*Fonte: misteriosdomundo

Quer viver mais? Talvez o segredo seja tomar café

Boas notícias para quem gosta de café: um estudo realizado recentemente e divulgado pelo New York Daily News revelou que o consumo diário de quatro xícaras de café reduz nossos riscos de morte.

O levantamento, que foi feito pelo Hospital de Navarra em Pamplona, na Espanha, revelou que essa diminuição nos riscos de morte chega a 64% em relação às pessoas que não tomam café ou que o consomem em poucas quantidades.

Para chegarem a essa conclusão, os pesquisadores acompanharam os índices de saúde de 20 mil pessoas ao longo de 10 anos. Os dados revelaram que aquelas com mais de 45 anos de idade tiveram uma chance de morte 30% menor se bebessem duas xícaras de café a mais por dia.

Adela Navarro, cardiologista e uma das autoras do estudo, falou que essa pesquisa nos sugere que quatro xícaras de café por dia pode ser parte de uma dieta saudável.

Mais pesquisas complementares precisam ser feitas ainda sobre tema, para se descobrir mais benefícios da bebida e as relações que seu consumo tem com a diminuição de doenças cardíacas, casos de acidente vascular cerebral, diabetes, doença renal e até alguns tipos de câncer. Até lá, o jeito é não sentir culpa na hora de saborear o seu cafezinho de todo dia e, claro, de repetir a dose.

……………………………………………….
*Fonte: megacurioso