Esta inacreditável ovelha reconhece rostos por simples fotos

Caso você ainda não tivesse certeza, um novo estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, veio para confirmar o que todos nós já esperávamos: que as ovelhas são muito legais.

Os cientistas já sabiam que elas eram inteligentes e podiam reconhecer os rostos de outras coleguinhas ovelhas, bem como de seus cuidadores humanos.

Agora, a pesquisa mostrou também que as ovelhas podem aprender a identificar humanos desconhecidos que elas nunca encontraram antes, apenas olhando suas fotos.

O estudo

Para o estudo, oito ovelhas foram treinadas para reconhecer os rostos de famosos como Barack Obama, Emma Watson, Jake Gyllenhaal e Fiona Bruce.

Os cientistas usaram comida para recompensar os animais por escolher a foto, em vez de um espaço em branco ou um objeto inanimado.

Mais tarde, quando as fotos de celebridades foram colocadas ao lado de fotos de outros rostos, as ovelhas reconheceram o rosto que já haviam visto 8 vezes em cada 10.

Quando as mesmas fotos de celebridades foram mostradas em outro ângulo, as ovelhas ainda se saíram muito bem, com seu desempenho caindo apenas cerca de 15%, o mesmo esperado em seres humanos.

Ou seja, os animais puderam essencialmente combinar uma imagem 2D com uma pessoa 3D e detectar mudanças em perspectiva. “Nós mostramos que as ovelhas têm habilidades avançadas de reconhecimento facial, comparáveis com as de humanos e macacos”, afirmou a principal pesquisadora do estudo, Jenny Morton, da Universidade de Cambridge.

Sem treinamento

Em alguns testes, uma das fotos mostrada foi de um dos cuidadores das ovelhas. Neste caso, os animais foram para o rosto familiar 7 vezes em 10, sem qualquer treinamento prévio, embora muitas vezes tenham hesitado um pouco antes.

“Nós sabíamos que as ovelhas podiam reconhecer seus cuidadores, mas ainda ficamos impressionados com isso”, disse Morton ao jornal The Guardian. “O reconhecimento facial é um processo sofisticado, mas elas têm grandes cérebros, elas veem outras ovelhas, e usam esse processamento para se reconhecer”.

Aplicações

As ovelhas não são apenas animais com cérebros grandes, mas também com uma natureza social e longas vidas. Assim, são um bom modelo para estudos sobre aprendizado e doenças neurológicas. Por exemplo, os pesquisadores analisam como a doença de Huntington interrompe o processamento normal do cérebro em humanos, a partir de ovelhas com a mesma mutação.

Como o reconhecimento do rosto envolve várias partes diferentes do cérebro, o monitoramento desse talento de detecção – quando ele está no auge ou quando declina – pode nos dar pistas para detectar os primeiros sinais de doenças cerebrais.

No caso da doença de Huntington, para a qual não há cura conhecida, os afetados têm dificuldade em reconhecer emoções faciais, gerenciar o humor e lembrar eventos. Este estudo, publicado na revista Royal Society Open Science, pode ajudar os cientistas a entender como a condição se desenvolve e como preveni-la.

Parte do processo de pesquisa é entender as habilidades cognitivas das ovelhas em geral, também. [ScienceAlert]

……………………………………………………………
*Fonte: hypescience

Por que sentimos que o tempo passa mais rápido conforme envelhecemos?

Já estamos em novembro e você provavelmente já se deu conta que este ano passou mais rápido que os demais, não é verdade? Você inclusive comentou com algum amigo, que concordou com uma frase como: “o tempo está voando!”.

A verdade é que você não está louco, a aceleração da percepção do tempo é um fenômeno que tem explicação científica. De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas, a sensação de que o tempo está acelerando ao longo dos anos é real: enquanto vivemos mais, paradoxalmente, sentimos que vivemos menos.

Em um experimento, foi solicitado a ajuda de pessoas de 16 e 80 anos. Sem temporizadores próximos, os participantes foram convidados a indicar quando um minuto havia passado. O mais jovens fizeram isso com maior precisão, enquanto os mais velhos sentiram que o tempo passou mais rápido.

Não é que as coisas sejam vistas em alta velocidade, mas em perspectiva – isto é, visto que um evento ocorreu há muito tempo – é percebido como um tempo muito curto, ao contrário de como foi percebido anos antes.

Uma teoria é sobre o armazenamento de memória. Por conta da quantidade de memórias que são adicionadas ao cérebro, resultado da experiência, há uma maior velocidade de memórias. Esse fenômeno acontece devido ao fato de que, com a passagem da idade, estamos perdendo o sentido do romance. Nada nos surpreende, tudo nos é apresentado como um desfile de coisas já conhecidas.

Por outro lado, o neurocientista David Eagleman diz que esse fenômeno se deve ao fato de que ao longo do tempo, nosso cérebro gasta menos energia para processar experiências. Quando a experiência é nova, nosso cérebro gasta mais energia e produz a sensação de que demora mais tempo. O cérebro se esforça para colocar toda a atenção possível para aprender novos conhecimentos e é assim que o tempo passa devagar. No entanto, quando você passa pela mesma situação novamente, a memória ignora milhares de detalhes e o tempo passa mais rápido.

Portanto, ao longo dos anos, os dias e os meses parecem passar com mais velocidade. Mas, calma, porque tudo ainda está sob controle!

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte: