Dingo Bells – “A Sua Sorte”

Dingo Bells • Todo Mundo Vai Mudar (2018)

A sua sorte é ver o tempo devagar
Com toda calma de quem fica no lugar
Aqui embaixo tá difícil de engolir
Quero subir mas tenho medo de chegar
Olha, onde é mais perto do sol
E o telefone não tem sinal
Onde a cidade não vai
E o horizonte não tem final
Onde relógio não há
Uma montanha subindo ao céu
A sua sorte é ver o tempo devagar
Com toda calma de quem fica no lugar
Aqui embaixo tá difícil de engolir
Quero subir mas tenho medo de chegar
Onde é mais perto do sol
E o horizonte não tem final
Olha, eu vou seguir por aqui
Ainda é cedo pra não tentar
Como se eu fosse um grão
Do mesmo chão que te viu brotar
E estendesse as mãos
Mas não pudesse te alcançar
Eu vou seguir por aqui
Ainda é cedo pra não tentar

Este é o rosto de Deus: estudo

Psicólogos usaram uma nova técnica para construir uma imagem sobreposta a partir de 511 descrições de como estadunidenses imaginam a aparência de Deus.

Nesta técnica, os participantes eram expostos a duas imagens de rostos, e tinham que escolher a opção que parecia mais com o que eles imaginam que seja a aparência de Deus. Ao combinar todos esses rostos selecionados, os pesquisadores conseguiram compor o “rosto de Deus” que reflete como cada pessoa imagina Deus.

Os resultados trouxeram muitas informações sobre diferentes grupos sociais. Apesar de a imagem mais tradicional de Deus ser a de um homem idoso barbudo e de pele branca, muitos cristãos o imaginam jovem, com traços mais femininos e menos caucasianos.

Outro fator interessante é que a percepção de Deus parece depender do posicionamento político do participante. Liberais tendem a ver Deus como mais feminino, jovem e mais amoroso que pessoas conservadores. Já os conservadores dentem a ver Deus como mais caucasiano e mais poderoso que os liberais.

“Essas inclinações podem vir do tipo de sociedade que os liberais e conservadores querem”, explica Joshua Conrad Jackson. Outras pesquisas mostram que conservadores gostariam de viver em uma sociedade muito bem organizada e controlada, uma sociedade que seria melhor regulada por um Deus poderoso. Por outro lado, liberais são mais motivados a viver em uma sociedade tolerante, que seria melhor regulada por um Deus amoroso.

A percepção das pessoas também está relacionada às suas próprias características físicas. Pessoas mais jovens acreditavam em um Deus que parece mais jovem. Pessoas que se veem como bonitas também acreditavam em um Deus mais bonito. Afrodescendentes acreditavam em um Deus que tem traços negros.

“A tendência das pessoas acreditaram em um Deus que parece com elas mesmas é consistente com o ponto de vista egocêntrico. As pessoas frequentemente projetam suas crenças e características nos outros, e nosso estudo mostra que isso também acontece com a aparência de Deus – as pessoas acreditam em um Deus que não apenas pensa como elas, mas também se parece com elas”, diz o professor de psicologia Kurt Gray.

Um ponto muito interessante do estudo é que apesar de projetar suas próprias características físicas na imagem de Deus, praticamente todo mundo o visualizou como homem. Mesmo as mulheres participantes não viam Deus como mulher.

A pesquisa foi publicada na revista Plos One. [Plos One, Futurity.org]

………………………………………………………
*Fonte: hypescience

Imagem de bicicleta encontrada em parede de templo de 2.000 anos intriga o mundo

Parece mentira mas não é, uma escultura de uma pessoa sobre uma bicicleta fora encontrada lapidada em uma parede de um templo com mais de 2.000 anos. Fundadores do Templo Panchavarnaswamy, construído durante o período de Chola na Índia, pode ter previsto a chegada da bicicleta centenas de anos antes.

O Homem que a encontrou, chamado Praveen Mohan, postou a imagem em seu canal no YouTube, e disse: “Em um canto escuro em uma das paredes, podemos ver esta incrível escultura de um homem andando de bicicleta.”

“Os historiadores nos disseram que a bicicleta só foi inventada em 1800, ou seja, há apenas 200 anos, mas como essa imagem fora esculpida neste antigo templo que tem cerca de 2.000 anos de idade?”

Aparentemente ninguém sabe ao certo como e quando essa intrigante imagem foi parar neste templo histórico. Mas há uma explicação bem plausível: O Templo Panchavarnaswamy fora reformado nos anos 1920, quando as bicicletas eram um produto de massa na Índia.

E este fato pode ter inspirado um dos escultores que estavam encarregados da reforma, em fazê-la. Contudo, não há qualquer tipo de registro dessa remodelação.