Tsundoku: Mania de acumular mais livros do que pode ler

Comprar livros, livros e mais livros. Investir na formação educacional e cultural é importante, mas e quando a gente “perde a mão” e acumula leituras que jamais chegará a ler? Para esta prática, os japoneses têm um nome e se chama Tsundoku. Com origem no século 19, “tsunde oku” significa empilhar e deixar de lado por um tempo e “doku” corresponde ao verbo ler.

Tsundoku é nada mais que a intenção de ler livros e eventualmente ir criando uma coleção. Qualquer pessoa que tenha em casa livros (empoeirados e nunca abertos) comprados na melhor das intenções vai entender. Apesar do termo não ter uma conotação negativa, o CicloVivo traz algumas reflexões sobre o tema. A intenção não é que você abandone seus livros, pelo contrário: que você invista mais tempo em leituras e menos em coleções sem propósito.

Cultura ou status?

O hábito de empilhar livros e mais livros em prateleiras é antigo. Parece que quanto maior a livraria, maior o conhecimento -, o que não é necessariamente verdade. Enquantos alguns gostam de se exibir, outros enganam a si próprios ao acreditar que lerá sim aquele novo livro super recomendado (por mais que o tema nem lhe chame tanta atenção).

Há ainda os que acreditam que ter mais livros do que é capaz de ler em uma vida é uma forma de humildade, algo como: “quanto mais leio, mais entendo que não sei de nada”. Em outras palavras, seria uma forma de manter-se ciente de que é impossível deter o conhecimento. Filosofias à parte, a prática de acumular publicações pode ser “cult”, mas é preciso se segurar para não ser vazio de sentido.

Sugestões para os maníacos por livros

O que você pode fazer para mudar isso? Primeiro, se você ainda não acumulou tantos livros quanto gostaria aproveite para refletir sobre a necessidade de cada desejo literário. Será que aquele livro que você tanto quer não está disponível online? Será que não há uma biblioteca em seu bairro onde você poderia pegá-lo emprestado? Aliás, essa dica também vale para o caso de você já ter uma quantidade razoável de livros em casa: empreste. Esqueça a besteira de ter ciúmes de livros. Conhecimento está aí para isso mesmo, ser compartilhado. Aqueles livros que você nunca leu – e nem tem a intenção de ler-, nem pense duas vezes: doe.

Aprenda a viver mais leve. Disponha as publicações organizadas e visíveis (será mais fácil se ela for menor). E por fim, sinta o prazer de ter uma biblioteca pequena, mas que é realmente usada. Afinal, pior que ter centenas de livros entulhados em caixas é deixá-los sem uso pegando pó. Se este for o seu caso, assuma nesta semana mesmo o compromisso de dar um jeito na bagunça e iniciar uma rotina de leitura diária. Não tem tempo? Não seja por isso: limite o tempo de uso de redes sociais ou TV à noite, faça um chazinho e curta seus minutos extras com uma aconchegante leitura.

*Por Marcia Souza

 

 

 

 

…………………………………………………..
*Fonte: ciclovivo

Tom Morello, John 5 e mais confirmam shows gratuitos em Porto Alegre

Segurem essa, meus amigos: vai ter Tom Morello, John 5 e mais de graça em São Paulo e Porto Alegre em Setembro!

Os guitarristas vêm ao Brasil como parte do projeto Samsung Best of Blues, que vai fazer um festival ao ar livre com muita música boa. Na capital gaúcha, no dia 15, o evento rola no Anfiteatro Por do Sol, já na capital paulista, no dia 16, a festa acontece no Auditório Ibirapuera.

Ao lado destes dois ícones da guitarra estão também os brasileiros do Camarones Orquestra Guitarrística. A banda formada por Ana Morena (baixo), Anderson Foca (guitarra), Yves Fernandes (bateria) e Alexandre Capilé (guitarra) é conhecida por seu rock dançante instrumental e já tem seis álbuns na bagagem.

Fechando este baita line-up está Isa Nielsen, guitarrista brasileira que já tocou com o Detonator e agora faz parte do Metalmania, banda de Robertinho do Recife.

Tom Morello, que fez história com o Rage Against The Machine e agora com o Prophets Of Rage, vem ao país divulgar seu novo álbum solo, The Atlas Underground. O trabalho chega no dia 12 de Outubro e já falamos dele por aqui.

Já John 5, também conhecido como John Lowery, fez parte do grupo de Marilyn Manson e tem uma extensa carreira solo. O cara já colaborou com nomes como Slipknot, Steve Vai e Rob Zombie.

 

Tom Morello no Brasil

15/09 (sábado) – Porto Alegre – Anfiteatro Por do Sol
16/09 (domingo) – São Paulo – Auditório Ibiraquera
Horários: a definir
Entrada: os shows serão gratuitos e ao ar livre

 

 

 

 

 

 

 

 

………………………………………………………………..
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos