João Pedro Matzenbacher (61 anos ) – R. I. P.

Hoje o blog vai dar um tempo nas postagens habituais em total respeito ao falecimento (por uma parada cardíaca) de meu amigo João Pedro Matzenbacher. Meus seus sentimentos de pesar à sua esposa Stela e aos seus dois filhos.

Fico agora lembrando de quando o conheci há muitos anos atrás, um sujeito incrível, simpático, inteligente, cordial e acima de tudo muito carismático. Realmente uma figura diferenciada e de fácil amizade. Com sua formação de engenheiro, manjava de inúmeros paranauês matemáticos aplicados ao dia a dia, o que era intrigante, também curtia bastante a natação, seu esporte favorito (foi atleta do Grêmio Náutico União quando jovem – POA) e recentemente voltou a nadar com maior dedicação, mas o que eu mais admirava na sua pessoa era a capacidade de contar histórias de um modo cativante e empolgado. Tinha uma perspicácia incrível e um bom humor contagiante. Vou admirá-lo sempre por isso. Aliás, acima de tudo tinha uma característica que julgo primordial nas pessoas ditas cultas de verdade – ele sabia te ouvir. Foram horas e horas de muitas conversas interessantes e outras, é claro, prá lá de engraçadas também. Fui seu aluno de ioga por dois anos e meio, frequentei sua loja de produtos naturais e inclusive alguns amigos meus, trabalharam nessa sua loja, tanto que e em um determinado momento o local virou um habitual ponto de encontro da turma. Assim, nesse desenrolar pude acompanhar de perto o crescimento de seus filhos e compartilhar da amizade com sua esposa Stela. Bons tempos! Depois a gente cresce, fica adulto e cada vez mais cheio de compromissos e assim o tempo, ou a falta e má administração dele, acaba por nos afastar dos amigos. Mas toda vez em que o encontrava pela rua ou aparecia em sua casa, rendia ótimas conversas, que via de regra terminavam com ele contando alguma piada antes de partir. Vai deixar saudades. Putz…

Como toda pessoa naturalmente bem querida, irá fazer uma enorme falta por aqui. Mas por seu profundo envolvimento com a astrologia e o conhecimento da espiritualidade em geral, creio que estivesse bem preparado para esse momento “de partida” (desencarnar), por isso fico assim em dúvida de como me sinto agora, se triste ou enfim conformado, de que agora esteja de todo resolvido em seu pleno descanso eterno. Rezo por ti João Pedro, para que os céus te acolham bem e quem sabe, lá de cima tu olhe sempre por nós todos aqui.

Descanse em paz João Pedro, mermão.
Serei eternamente grato por tê-lo conhecido, ser seu amigo e compartilhado de inúmeros momentos alegres e edificantes nessa sua jornada da vida.

Vá com Deus!

Grato pelos tantos ensinamentos.