Engoliu uma peça de LEGO? Descubra quanto ela demora para sair do outro lado

6 pediatras corajosos engoliram pecinhas de propósito. Ligaram o cronômetro. E depois vasculharam o próprio cocô atrás delas. A peripécia rendeu um artigo científico… icônico.

Você já pisou em uma pecinha de LEGO? Se pisou, aposto que não esqueceu: a dor é comparável a de parir um bebê. Ou morrer sufocado nas nuvens de Júpiter. Ou cortar o dedo com papel sulfite. Ou (insira aqui sua forma favorita de tortura).

Acontece que pisar em LEGO é coisa de pai ou mãe – esses corajosos colonizadores que desbravam a bagunça do quarto das crianças sem chinelo no pé. As crianças em si gostam mesmo é de engolir LEGO.

Você sabe como começa: o encaixe está muito rígido. Não dá para soltar as pecinhas com as mãos. Mas não há nada que um dentinho de leite e mandíbulas não resolvam. Aí a pecinha escapa dos lábios, escorrega pela língua e, quando você vai ver, já está trilhando um longo caminho rumo ao estômago do filhote de Homo sapiens.

Há muitos estudos científicos sobre o que acontece quando crianças engolem objetos mais triviais, como moedas (geralmente elas saem nas fezes em no máximo 2 semanas, sem causar danos). Mas o desfecho digestivo dos brinquedos de montar – igualmente suscetíveis a virar comida involuntária – não é tão conhecido.

Por isso, o site Don’t Forget the Bubbles – que fornece conteúdo especializado para pediatras – organizou um experimento científico inusitado para comemorar o ano novo: seis voluntários, que são da equipe do próprio site e têm formação médica, engoliram de propósito uma peça de LEGO. Mais precisamente, a cabeça amarela de uma figurinha, como as do tweet aqui embaixo.

Depois, nossos heróis vasculharam o próprio cocô por dias para descobrir quanto tempo se passava entre o momento da ingestão e a saída da dita cuja pelo outro lado. Os resultados foram publicados no Periódico de Pediatria e Saúde Infantil (a SUPER achou melhor citar o nome completo da revista científica, só para vocês realmente entenderem que o caso é sério).

Conclusão: a média de tempo entre comer e defecar o pedaço de plástico ficou em 1,71 dia – ou 41 horas –, o que é bastante rápido. Mesmo. Sua tubulação dá muitas e muitas voltas antes de alcançar a porta de saída. O intestino delgado, sozinho, alcança uns 7 metros esticado. Muita comida por aí não percorre o trajeto nesse pique, como bem sabem os fãs de feijoada. Além disso, esse tempo também inclui o período que os pesquisadores passaram procurando os itens na “matéria-prima”.

*Por Bruno Vaiano

…………………………………………………………………….
*Fonte: superinteressante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.