Aquecimento global pode gerar voos mais turbulentos; entenda o motivo

Aumento da temperatura altera o comportamento das chamadas ‘correntes de jato’, exigindo dos aviões manobras mais bruscas

O aquecimento global, fenômeno que compreende o aumento da temperatura média da atmosfera e dos oceanos terrestres, é um tema em alta no mundo todo. Suas consequências sobre o meio ambiente são, de longe, as que levantam mais discussões e preocupações, mas existe uma outra área que também pode ser gravemente afetada pelo aquecimento da Terra: as viagens aéreas.

No ar, as rotas pré-programadas existem não só para que se mantenha uma ordem no tráfego aéreo, mas também para que os aviões possam economizar tempo e combustível. Neste segundo quesito, entram em ação as “correntes de jato” (jet streams), massas de ar em movimento que se distribuem no globo de forma bastante particular. Elas são fruto de diferenças de temperatura entre os pólos e a região do Equador e podem servir como uma ajudinha extra no percurso.

É por causa desses “atalhos” que voar de Nova York para Los Angeles demora uma hora a mais do que cumprir o roteiro Los Angeles-Nova York, por exemplo. A escolha por usar atalhos do tipo, porém, pode significar uma viagem com mais adversidades. E hoje, com o aumento das temperaturas, essa relação não poderia ser mais clara. Isso porque correntes de jato estão mais agitadas atualmente do que eram em 1979 – ano em que os primeiros dados do tipo foram coletados.

Efeito turbulento

Em estudo publicado na revista científica Nature, meteorologistas da Universidade de Reading, na Inglaterra, analisam correntes de jato do Atlântico Norte, região que compreende as águas atlânticas situadas acima da linha do Equador. Ela é um dos principais corredores aéreos do mundo, por onde cruzam pelo menos 3 mil voos todos os dias, segundo a Superinteressante.

De acordo com os pesquisadores, voar pelo Atlântico Norte vem se tornando uma tarefa mais difícil graças à intensificação das mudanças climáticas. Isso porque o aquecimento das temperaturas médias da Terra diminui a amplitude térmica entre a região polar e a do Equador, enfraquecendo, assim, as correntes de jato polares. Para correntes mais fortes, a diferença nas temperaturas deve ser maior.

A pesquisa aponta que, em correntes de jato mais fracas, os aviões ficam 15% mais suscetíveis (entre 1979 e 2017) ao fenômeno de cisalhamento do vento, uma das principais causas de turbulências em aviões. Ele ocorre quando os ventos mudam de velocidade ou direção bruscamente, por conta de mudanças na altitude do voo, explica a Superinteressante. Isso exige do avião um ganho maior de velocidade, ou uma desaceleração mais intensa, ambas ações que causam turbulência no voo.

O futuro não é favorável

Uma pesquisa anterior, assinada pelo mesmo grupo, sugere que voos turbulentos são um fenômeno que deve se tornar cada vez mais frequente. Se nada for feito para frear as mudanças climáticas, podemos esperar altas de 59% no número de turbulências leves, 94% nas turbulências moderadas e 149% nas turbulências severas.

“Uma intensificação da turbulência pode ter consequências importantes para a aviação. A turbulência pode causar danos às aeronaves e é a causa por trás do medo que muitas pessoas têm de viajar de avião”, diz o estudo.

 

…………………………………………………………….
*Fonte: olhardigital

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.