Exposição diária à luz azul pode danificar células do cérebro e retinas

Mal pensamos no tempo que gastamos em nossos telefones ou na frente de nossos laptops, mas acontece que o tempo pode estar nos prejudicando. Novas pesquisas na Oregon State University estão revelando que os comprimentos de onda azuis produzidos por eletrônicos comuns danificam as células do cérebro e as retinas, mesmo que não estejam brilhando nos seus olhos.

Experiências realizadas em moscas da fruta

O estudo foi baseado em experimentos conduzidos no drosophila melanogaster, a mosca da fruta comum. O trabalho foi liderado por Jaga Giebultowicz, pesquisadora da Faculdade de Ciências da OSU.

Ela examinou como as moscas reagiam às exposições diárias de 12 horas à luz azul do LED, semelhante ao comprimento de onda azul predominante em dispositivos como telefones e tablets. As moscas expostas à luz azul tiveram vida mais curta em comparação com as moscas mantidas na escuridão total ou aquelas mantidas na luz com os comprimentos de onda azuis filtrados.

As moscas expostas à luz azul exibiram danos às células da retina e neurônios cerebrais e tiveram locomoção prejudicada. O estudo incluiu moscas mutantes que não tinham olhos e até mesmo aquelas que sofreram danos cerebrais e problemas de locomoção. Isso significa que o dano causado pela luz azul ocorre independentemente de a vítima o ver.

“O fato de a luz estar acelerando o envelhecimento nas moscas nos surpreendeu a princípio”, disse Giebultowicz, também professor de biologia integrativa.

“Medimos a expressão de alguns genes em moscas velhas e descobrimos que os genes protetores de resposta ao estresse eram expressos se as moscas fossem mantidas à luz. Nós levantamos a hipótese de que a luz estava regulando esses genes. Então começamos a perguntar: o que é isso? Luz que é prejudicial para eles, e examinamos o espectro da luz. Era muito claro que, embora a luz sem azul tenha diminuído levemente sua vida útil, apenas a luz azul diminuiu drasticamente sua vida útil”.

Embora não possamos desconsiderar o fato de que a luz natural é crucial para o ritmo circadiano do corpo, devemos reconhecer que a luz artificial é um fator de risco para distúrbios do sono e circadianos.

Os perigos da iluminação LED

“E com o uso predominante de iluminação LED e monitores de dispositivos, os seres humanos são submetidos a quantidades crescentes de luz no espectro azul, uma vez que os LEDs comumente usados emitem uma alta fração de luz azul. Mas essa tecnologia, iluminação LED, mesmo nos países mais desenvolvidos, não foi usado por tempo suficiente para conhecer seus efeitos ao longo da vida humana”, acrescentou Giebultowicz.

Para se proteger dessa luz, os pesquisadores sugerem o uso de óculos com lentes âmbar e configuração de telefones, laptops e outros dispositivos para bloquear as emissões azuis.

O estudo está publicado no Aging and Mechanisms of Disease.

*Por Ademilson Ramos

…………………………………………………………………….
*Fonte: engenhariae

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.