Ouvir canto de pássaros melhora sensação de bem-estar

Muitos estudos já comprovaram que passar um tempo em meio à natureza traz benefícios para a saúde mental e, pouco a pouco, surgem novas pesquisas que indicam as razões para isso ocorrer. Em dezembro de 2020, a Universidade Politécnica Estadual da Califórnia, nos EUA, publicou um estudo em que investiga o quanto os sons naturais que os humanos ouvem durante seu tempo ao ar livre contribuem para a sensação de bem-estar.

“Embora o panorama das propriedades restauradoras da natureza provavelmente envolva vários sentidos, nosso estudo é o primeiro a manipular experimentalmente um único (som) no campo e demonstrar sua importância para as experiências humanas na natureza”, afirma Danielle Ferraro, estudante de pós-graduação em biologia, que conduziu a pesquisa.

Focados no efeito do canto de pássaros, os cientistas instalaram alto-falantes em duas trilhas de um parque no Colorado. Os equipamentos reproduziram canções gravadas de um grupo diversificado de pássaros. Em cada seção da trilha, em blocos semanais, os pesquisadores alternaram entre ligar e desligar o canto. Os participantes foram entrevistados após a experiência.

Quem ouviu o canto dos pássaros relatou maior sensação de bem-estar do que aqueles que não ouviram. Na primeira seção da trilha, os caminhantes que ouviram mais o canto dos pássaros simplesmente relataram que se sentiram melhor, mas não comentaram que achavam que mais pássaros viviam naquela parte da trilha. Os caminhantes que ouviram mais o canto dos pássaros na outra seção disseram que achavam que mais pássaros viviam ao longo daquela seção da trilha, e os pesquisadores descobriram que essa percepção de mais espécies era responsável por fazer os caminhantes se sentirem melhor.

“Somos tão animais visuais que desconsideramos essa modalidade de som que temos”, diz o professor de biologia Clinton Francis, que supervisionou a pesquisa. “Ainda estou meio pasmo de que apenas 7 a 10 minutos de exposição a esses sons melhoraram o bem-estar das pessoas. Isso realmente ressalta o quão importante a audição é para nós e provavelmente para outros animais. ”

A equipe de pesquisa ressalta a necessidade de reduzir a poluição sonora humana dentro e fora das áreas protegidas “para contribuir para mais felicidade”. Assim como o canto dos pássaros, ao andar por uma trilha é possível ouvir outros sons da natureza, também relaxantes, assim como o benefício para o cérebro da exposição ao silêncio.

“Nossos resultados ressaltam a necessidade dos gestores dos parques reduzirem a poluição sonora antropogênica, que não é apenas uma forma econômica de melhorar as experiências dos visitantes, mas também pode beneficiar a vida selvagem”, afirma Ferraro.

Para atrair os pássaros, você pode plantar árvores, confira 22 árvores que atraem pássaros, e até fazer um comedouro em seu quintal.

*Por Marcia Sousa

…………………………………………………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

A odisseia de Jacques-Yves Cousteau – filme

Filme de 2016 exibido no Prime Vídeo retrata uma parte das experiências de vida do cineasta francês Jacques-Yves Cousteau (Lambert Wilson), um explorador da vida aquática. Um aventureiro visionário que deixa a vida tradicional para morar e viajar no seu navio Calypso, em busca de descobertas.

Dado o seu principal foco e dedicação intensiva ás aventuras e pesquisas marítimas colecionou dificuldades em outros aspectos de sua vida: a relação com a esposa e os filhos. Desafios que precisou superar ao longo do tempo e vivências.

A Odisseia

Obviamente deixou um legado e ficou mundialmente conhecido pelo seu trabalho e expedições. inventou escafandro autônomo e revelou ao mundo, através de livros e filmes, o universo oculto do oceano. Sua obra mais famosa foi “O mundo silencioso”, pela qual recebeu prêmios.

As suas preocupações e lutas pela preservação ambiental foram marcadas de conquistas e uma de suas mais importantes bandeiras.

“Quando vamos até o fundo do mar, descobrimos que ali jamais poderíamos viver sozinhos.
Então levamos mais alguém. E esta pessoa, chamada de dupla, companheiro ou simplesmente amigo, passa a ser importante para nós. Porque, além de poder salvar nossa vida, passa a compartilhar tudo que vimos e sentimos. E em duplas, passamos a ter equipes, e estas passam a ser cada vez maiores e mais unidas.

E assim entendemos que somos todos velhos amigos mesmo que não nos conheçamos. E esse elo que nos une é maior que todos os outros que já encontramos. E isso faz com que nós mais do que amigos, sejamos irmãos. Faz de nós, mergulhadores.

Jaques-Yves Cousteau

*Algumas informações adicionais:

Esteve com sua expedição na Amazônia em 1982, percorrendo os 6.800 quilômetros da floresta tropical por terra, água e ar e levantou debates sobre o futuro da biodiversidade e do desmatamento da região. Em 2007 um de seus filhos retornou à região para observar as mudanças ocorridas desde o filme original.

Segue anexado o link de um vídeo desenho que retrata uma entrevista com Jacques Cousteau in 1978, feita por Roy Leonard na Rádio WGN Radio (link youtube). Ele tinha 65 anos e fez uma importante observação acerca da idade quando foi questionado a respeito disto. Um exemplo de que a idade não tem relevância quando a disposição e o propósito são guias mestres.

*Informações de suas invenções no artigo da Revista Super Interessante:
https://super.abril.com.br/historia/o-homem-que-inventou-o-fundo-do-mar/

Se, por qualquer razão,
uma pessoa tem a oportunidade de levar uma vida extraordinária,
ela não tem o direito de guardá-la para si.
Jacques-Yves Cousteau

Afinal, o que é um cientista?
É um homem curioso olhando por um buraco de fechadura,
o buraco de fechadura da natureza, tentando saber o que está acontecendo
Jacques-Yves Cousteau

*Por Darlene Dutra

…………………………………………………………………………………….
*Fonte: darlenedutra