Qual a diferença entre IMPERADOR, REI, XEIQUE e SULTÃO?

Os títulos carregam uma dúvida que atravessa os séculos, entenda o significado de cada um

Soberanos de diferentes países recebem nomes específicos, isso pode mudar de acordo com especificidades de cada função ou, até mesmo, o lugar geográfico de atuação de cada líder. Os títulos variam, e podem incluir: rei, imperador, sultão e xeique. Na prática, quase não há diferença, mas na teoria existem sólidas razões para o recebimento de cada termo.

Rei é quem governa uma única área já pré-determinada, um único país, como era Luís XV, da França. Enquanto o imperador é responsável pelo grupo de países que constituirá seu Império — que pode estar em constante crescimento —, como foi D. Pedro, do Império do Brasil.

Sultão, termo de origem árabe que significa poder, é de uso governamental e se refere a líderes soberanos que atuam em determinadas nações árabes ou islâmicas. Em vigor desde o fim do século 10, atualmente intitula Qaboos bin Said Al Said, sultão de Omã.

Por fim, xeique (que significa ancião) pode ser usado para se referir a autoridades religiosas ou políticas. Uma pessoa formada nos ensinamentos da religião islâmica pode ser chamada de xeique, assim como o chefe de uma tribo que herdou o título de seu pai. Os membros da família real do Catar também são comumente referidos como xeiques, que neste caso pretende se referir à nobreza contemporânea do país.

*Por Alana Sousa
………………………………………………………………
*Fonte: aventurasnahistoria

Cinema ou streaming? Pesquisa indica qual a preferência dos espectadores

Diferente de antigamente, quando precisávamos esperar meses – ou anos – para um filme recém-lançado no cinema chegar à TV, hoje temos o streaming, que devido as parcerias (e impulso pela situação de pandemia da Covid-19) consegue que um novo filme tenha sua estreia diretamente nas plataformas ou esteja ao menos disponível em 45 dias – como é o caso de “The Batman” na HBO Max. No entanto, fica a pergunta; o que os espectadores preferem? Assistir ao filme no cinema ou no conforto de sua casa?

Uma pesquisa realizada pela Fandango, empresa americana de ingressos de cinema, indicou que os espectadores acreditam que os filmes do cinema possuem maior qualidade de exibição – e melhor experiência – quando comparados aos que são lançados nas plataformas de streamings.

O estudo questionou 6 mil pessoas e apontou que 93% dos entrevistados planejam ver filmes direto no cinema em 2022. Quanto à experiência geral nos cinemas, 85% afirmaram que os formatos IMAX e Dolby tornaram a exibição cinematográfica muito mais agradável.

Isso é uma ótima notícia para a indústria do cinema, que passou por maus bocados durante a pandemia da Covid-19, que viu salas fechadas e rendimento baixo dos filmes devido aos atrasos e distribuição das produções no streaming – uma opção estratégica para manter as estreias. De acordo com o Collider, os resultados da pesquisa podem indicar uma recuperação financeira para o setor, principalmente pelos diversos e esperados lançamentos deste ano – que inclui, por exemplo, “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”, que já alcançou um recorde na pré-venda de ingressos.

Os resultados do estudo também incluem quais outros fatores influenciam os espectadores a irem aos cinemas. Os dados constataram que 95% vão aos cinemas para assistir seus gêneros favoritos; 93% escolhem filmes assistindo a trailers; 91% vão ao cinema com base em recomendações de amigos e familiares; 90% vão assistir suas celebridades favoritas; 90% querem se manter atualizados com suas franquias de filmes favoritas e 88% vão ver um filme com base em quão boas são as críticas.

Além de “Doutor Estranho 2”, outros filmes esperados para este ano são; “Top Gun: Maverick”, para 26 de maio, “Thor: Amor e Trovão”, em 7 de julho, “Jurassic World Dominion”, em 10 de junho, e “Minions 2: A Origem de Gru” e “Lightyear”, ambos também para o mês de junho.

*Por Tamires Ferreira
………………………………………………………….
*Fonte: olhardigital