Peter Jackson planeja outro filme dos Beatles com Paul McCartney e Ringo Starr

Quando pensamos em personagens recorrentes nas franquias de filmes de Peter Jackson, nomes como Frodo, Gandalf, Gollum e Sauron se destacam. Adicione John, Paul, George e Ringo a essa lista. Após cinco indicações ao Emmy por seu documentário de três partes no Disney+, The Beatles: Get Back, Jackson disse ao site Deadline que está preparando outro projeto de filme com os membros sobreviventes dos Beatles, Paul McCartney e Ringo Starr .

“Estou conversando com os Beatles sobre outro projeto, algo muito, muito diferente de Get Back”, disse Jackson ao Deadline. “Estamos vendo quais são as possibilidades, mas é outro projeto com eles. Não é realmente um documentário… e isso é tudo o que posso dizer.”

A revelação vem depois que Jackson emergiu de quatro anos passados ​​selecionando 130 horas de áudio e 57 horas de vídeo filmado por Michael Lindsay-Hogg para o documentário de separação dos Beatles Let It Be.

“Não foi tão intenso quanto fazer três O Senhor dos Anéis consecutivos, mas foram quatro anos com uma pandemia no meio de tudo isso”, disse ele. Já faz quase uma década desde que ele dirigiu a terceira parte de O Hobbit, e Jackson seguiu com o documentário da Primeira Guerra Mundial They Shall Not Grow Old. Assim como Get Back, a produção do documentário envolveu um processo meticuloso para restaurar as imagens e o áudio.

Quanto às indicações ao Emmy, Jackson disse que ficou satisfeito com a indicação de edição que Jabez Olsson recebeu – Jackson recebeu uma de Melhor Diretor e Get Back está concorrendo a Melhor Série Documental – e Jackson ficou especialmente excitado pelas duas indicações para Mixagem de Som. Esta última, disse ele, “é sempre uma categoria que as pessoas não têm na mais alta estima, além das pessoas que trabalham no campo. Get Back tem tudo a ver com o som, restaurar o som e desenvolver as coisas da IA ​​para separar as faixas musicais. Fizemos um trabalho inovador, então é ótimo que os caras que fizeram esse trabalho sejam parte das indicações ao Emmy. Estou muito satisfeito com isso”. Quanto ao seu editor, Jackson disse: “Jabez e eu passamos os quatro anos nas trincheiras juntos, então estou muito feliz por ele”.

O fato dele ser um grande fã dos Beatles pesou na sua decisão de ir contra o plano de entregar um corte de seis horas para o Disney+ e um DVD, e de fazer o filme com 7,5 horas, com um corte de show separado no telhado para Imax. Ser um superfã também despertou sua ideia de possibilitar que McCartney fizesse um dueto com seu falecido parceiro John Lennon durante a recente turnê de McCartney.

“Eu entreguei um corte de sete horas e meia mais cedo, e as pessoas pensaram: “É um pouco longo, você pode reduzir para seis horas?”. Eu fiz o corte final, mas acho que você tem que ter cuidado para não ser um operador desonesto. Mas então tivemos a conversa sobre o DVD, que foi uma vitória. A Disney não tinha feito ou lançado um DVD ou Blu-ray no início, e eu assumi que faria um corte estendido porque havia muitas coisas boas para as quais não tínhamos espaço. Disseram-me: ‘Não, não há mais mercado para cortes prolongados’. Ninguém na Disney estava particularmente entusiasmado com um corte estendido”.

Um dos grandes prazeres para os fãs raivosos de O Senhor dos Anéis foi assistir aos cortes de DVD da Versão Estendida de todos os três filmes, cada um com 30 minutos ou mais de imagens muito dignas que tornaram os lançamentos em cinemas muito longos. Jackson não teve dinheiro para fazer esses DVDs; em vez disso, ele manteve todos os adereços e fantasias, que abriga em Wellington, Nova Zelândia. Esta era uma situação diferente.

Sabotagem do bem – “Eu fui desonesto e, sem contar a ninguém – Apple Corps, Disney ou The Beatles – decidi colocar as cenas que tínhamos retirado”, disse Jackson. “Achei que os ajustes de seis horas e meia para seis eram bons porque eram sobre o ritmo. Mas sem cortes estendidos, essas ótimas coisas voltariam aos arquivos, de volta ao cofre por mais 50 anos. Então, comecei a trabalhar com Jabez, e é por isso que entregamos com atraso. Estávamos empilhando cenas de volta ao corte. O engraçado é que ninguém sabia que seriam 7,5 horas, até entregarmos a eles. Eles estavam esperando um corte de seis horas. E eles nunca disseram uma palavra – nem uma única nota ou palavra de ninguém. Eles podem ter conversado entre si nos bastidores, mas ninguém nunca expressou nenhuma surpresa. De alguma forma 7,5 horas foi o correto. Fiz isso porque, como fã dos Beatles, havia muito material em que eu sentiria que era errado, do ponto de vista da história da música, voltar para o cofre. Eu pensei, ‘Se não houver o DVD estendido, para o qual eu estava colocando as coisas de lado, ele deveria voltar ao filme’. Isso é o que eu fiz”.

Paul McCartney Got Back Tour – O esforço para separar as faixas vocais de Lennon daquele show no terraço em “I’ve Got a Feeling”, para McCartney poder cantar junto com a imagem de Lennon na tela atrás dele para a turnê Got Back, também foi puro fandom dos Beatles, e assombrou Jackson por um tempo. “Eu tive essa ideia quando comecei a trabalhar em Get Back, quatro anos atrás”, disse Jackson. “Tivemos acesso a todas essas filmagens e, para fazer algo assim, você precisa das filmagens. Os takes têm que estar certos. Eu não mencionei isso para Paul. Eu pensei, ‘Sugerir a Paul que ele cante no palco com John, ele vai pensar que eu sou um fanboy geek idiota’”.

Ainda assim, Jackson foi ao show de McCartney no Dodger Stadium três anos e meio atrás, para o caso de ter coragem de perguntar. “Quando ele cantou ‘I’ve Got a Feeling’, eu sentei lá com meu telefone”, disse Jackson. “Eu segurei bem parado e filmei, com a ideia de pegar aquilo na sala de edição e fazer uma maquete, uma simples prova de conceito em CGI. Em vez de eu lançar algo para ele, achei melhor se eu pudesse mostrar a ele como vai ficar. Então a pandemia chegou, e ele não estava mais em turnê e não fazia sentido fazer uma demo para ele.

“Então, nos próximos 18 meses eu trabalhei em Get Back. Paul estava ensaiando para voltar em turnê, e eu pensei: ‘Quantas sugestões malucas como essa Paul recebeu ao longo dos anos? Não quero parecer muito nerd. Por fim, decidi: ‘Vou me arrepender disso pelo resto da vida se nem sugerir isso’. Enviei-lhe um texto. Não mandei a versão maquete, apenas um texto tentando descrevê-la para ele. Em 10 minutos, ele me respondeu: ‘Sim, esta é uma ideia fantástica! Vamos fazer isso!’. Em seguida, foi uma corrida frenética para restaurar os quadros que faltavam naquela tomada longa de John em Let It Be. Mas Paul ficou emocionado com isso”.

Lindsay-Hogg – Jackson também gerou a versão do Rooftop Concert para o Imax. Enquanto o filme de Lindsay-Hogg foi visto como um filme promocional, Jackson tirou o chapéu sobre a quantidade de imagens que ele filmou.

“O melhor do documentário é que não precisamos filmar nada”, disse Jackson. “Eu sempre fui o cara da sala de edição, que sempre achou o processo de filmar um filme altamente estressante. De certa forma, minha ideia de paraíso é fazer filmagens de outra pessoa. E Michael Lindsay-Hogg filmou cenas incríveis. Ele deveria ter mais crédito aqui do que tem. As pessoas parecem reagir a Michael quando o apresentamos, elas zombam dele um pouco. Eu o admiro. Ele estava fazendo um trabalho e foi para isso que o contrataram. Ele estava se esforçando para fazer o melhor filme que pudesse. É um filme perfeitamente OK. Se você vê agora, não é o filme deprimente que as pessoas pensavam. A maneira como ele deve ser pensado é que ele não apenas fez Let It Be: ele filmou todas as filmagens que vemos em Get Back. Isso é tudo dele e Michael merece uma grande homenagem”.

…………………………………………………………………..
*Fonte: portalbeatlesbrasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.