Mar Mediterrâneo mais quente e a perda de biodiversidade

Mar Mediterrâneo mais quente significa perda irreversível para a vida marinha

No dia Mundial dos Oceanos de 2021 o WWF mostrou como as alterações climáticas já transformaram – de forma irreversível – alguns dos mais importantes ecossistemas marinhos do Mediterrâneo. Com as temperaturas subindo 20% mais rápido do que a média global, diz o WWF, o aumento do nível do mar deve ultrapassar um metro até 2100. Desse modo, o Mediterrâneo está se tornando o mar de aquecimento mais rápido, além do mais salgado do planeta.

O drama do Mediterrâneo
Antes de mais nada, trata-se de um mar quase completamente fechado. O Estreito de Gibraltar, ligando-o ao Atlântico, tem apenas 14 km de extensão. Em outras palavras, tudo que acontece no Mediterrâneo é naturalmente em escala maior que nos outros oceanos e mares europeus. Por este motivo o Mediterrâneo já é considerado o mais poluído da Europa.

Olivia Gérigny, pesquisadora do Instituto Francês de Exploração do Mar (Ifremer), autora do estudo de 20 anos sobre poluição no Mediterrâneo foi categórica: “Na década de 1990, havia cerca de 100 resíduos por quilômetro quadrado. Em 2012, o número havia subido para cerca de 200. Por último, em 2015 atingiu seu pico com cerca de 300 resíduos por quilômetro quadrado.”

Recorde de 30,7°C no final de julho
Enquanto isso, segundo o http://www.france24.com, ‘A temperatura da superfície do Mar Mediterrâneo atingiu um recorde de 30,7°C no final de julho. As ondas de calor estão se tornando cada vez mais comuns com consequências dramáticas para a biodiversidade’.

“É inédito”, disse o pesquisador Jean-Pierre Gattuso. A temperatura do Mediterrâneo é geralmente entre 21° e 24°C nesta época do ano.

O http://www.france24.com também ouviu igualmente a oceanógrafa Carole Saout-Grit, do instituto de pesquisa CNRS de Paris. ‘Quando falamos de aquecimento global, temos que lembrar que 90% do calor desde a era pré-industrial tem sido absorvido pelo oceano.’

Esta mudança súbita não dá tempo aos ecossistemas, assim como à vida marinha, de se adaptarem. Segundo o Guardian, ‘Os cientistas descobriram que as ondas de calor marinhas no Mediterrâneo entre 2015 e 2019 causaram mortes em massa em espécies marinhas, branqueamento de corais, além de proliferação de algas nocivas’.

Durante um episódio de muito calor os seres humanos sentem desconforto, então buscam se refrescar. Contudo, se as temperaturas forem quentes demais, podem morrer. Do mesmo modo acontece com criaturas que vivem debaixo d’água.

Mediterrâneo um “hotspot” de biodiversidade
Com menos de 1% da superfície dos oceanos, o Mediterrâneo abriga cerca de 10% de todas as espécies marinhas. No entanto, o ecossistema está ameaçado pelo aquecimento das águas, que se soma a pressões humanas pré-existentes, como pesca predatória, poluição ou o excesso do transporte marítimo.

Corais, diminuição entre 80 a 90%
Simultaneamente, o phys.org destacou um estudo liderado por equipes do Instituto de Pesquisa em Biodiversidade (IRBio) da Universidade de Barcelona revelando que as ondas de calor marinhas associadas à crise climática estão aniquilando as populações de coral no Mediterrâneo, cuja biomassa em alguns casos foi reduzida em 80 a 90%.

Populações de corais quase extintas depois da primeira onda de calor marinha
O mesmo estudo destacou que a onda de calor de 2003 na área marinha protegida de Scandola (Corsega) mostrou que, 15 anos após o evento, as populações sobretudo da gorgônia vermelha (Paramuricea clavata) e coral vermelho (Corallium rubrum) estão praticamente extintas do ponto de vista funcional.

Por último, ‘Como esperamos que o número e a intensidade das ondas de calor marinhas aumentem nas próximas décadas devido à crise climática, a viabilidade de muitas populações de corais pode ser seriamente ameaçada’.

*Por João Lara Mesquita
…………………………………………………………………
*Fonte: marsemfim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.