Sabia que tem uma planta ideal para cada signo? Confira os matches

Signos e plantas formam uma dupla querida por muita gente. Há quem ainda duvide dos poderes do zodíaco, muito embora o consumo de astrologia tenha mudado bastante dos tradicionais horóscopos de rodapé de jornais.

O mesmo acontece com o universo das plantas, que ganha espaço entre os mais jovens como uma terapia importante que une contato com a natureza e decoração.

O Hypeness resolveu unir o útil ao agradável e está aqui para lhe ajudar a escolher a planta mais adequada ao seu signo. Vamos seguir a ordem cronológica dos representantes do zodíaco para a formação da lista.


Áries e Espada-de-São-Jorge
Os arianos são admirados pelo excesso de energia e destemor. Um signo que coloca paixão em tudo o que faz, os detentores do signo representado pela cabra podem ter Espada-de-São-Jorge ou Espada-de-Iansã dentro de casa.

Há ainda quem recomende a variedade de suculentas (nós fizemos uma lista supimpa aqui!) aos arianos. Tanto as espadas quando as suculentas exigem cuidados básicos e toleram grandes períodos sem água.


Touro e renda-francesa

A renda-francesa é delicada e ideal para a ‘mão boa’ dos taurinos e taurinas
Com os pés aterrados ao chão, os taurinos costumam ter “uma mão boa” para plantinhas. Por isso, nós indicamos o cultivo da renda-francesa – não confundir com a samambaia renda-portuguesa, que tem folhas menos delicadas.

A renda-francesa prefere ambientes com temperaturas de pelo menos 25ºC e gosta de bastante água. Você, taurino ou taurina, vai precisar regá-la dia sim, dia não.


Gêmeos e imbé

Imbé é uma trepadeira
Gêmeos é um signo mental conhecido pela alta capacidade lógica e de raciocínio. Sempre tecendo novas ideias, este signo do zodíaco não poderia ter combinação melhor do que uma planta trepadeira.

Por isso, nossa lista de plantas que combinam com seu signo indica a imbé aos geminianos e geminianas. Conhecida por abrir espaço para a reconciliação, a espécie também tem poder desintoxicante.

A imbé é uma trepadeira, uma espécie de Floral da Amazônia. Você também pode encontrar ela com o nome de Cipó-imbé. A plantinha gosta de solo rico em nutrientes e prefere meia ou sombra total. Nada de luz direta do Sol.

As regas precisam ser regulares para manter o solo da imbé levemente úmido. Prepare-se para ter uma planta que cresce bastante, deixando o ambiente de sua casa bem verde.


Câncer e rosa-do-deserto
A rosa-do-deserto transmite a beleza dos cancerianos
Câncer é um signo sentimental e que pensa com o coração. Cancerianos e cancerianas são muito calorosos e, portanto, estão mais associados com a rosa-do-deserto.

Além de alegre, a planta é sinônimo de energias positivas e abundância. Tudo que o canceriano gosta, não é mesmo? Assim como os cancerianos são feitos de água, a rosa-do-deserto necessita de solo úmido constante.

Mas atenção, já que é preciso encontrar o equilíbrio para não deixar o solo encharcado. A drenagem é uma questão importante para o desenvolvimento dela.

Para que a rosa-do-deserto floresça, você tem que deixá-la com pelo menos seis horas de exposição direta ao Sol. Na natureza, seu habitat de origem, ela pode atingir até dois metros de altura.

Leão e bromélias
Bromélias são solares como leoninos e leoninas
Leão é Sol. Leão é generosidade. Um dos signos mais admirados do zodíaco, os leoninos e leoninas são conhecidos pela alegria e elegância. Embora transmita uma sensação de força impenetrável por causa da juba, quem é de leão possui um coração grande (até demais algumas vezes).

Por isso, indicamos a bromélia como planta símbolo das pessoas que possuem Sol em leão. Ela é perfeita para leoninos e leoninas por causa das cores vibrantes e suas folhas verdes longas.

Os cuidados para o desenvolvimento tranquilo da bromélia passa por regas com frequência média, sempre procurando manter o solo umedecido. A bromélia prefere um ambiente que receba luz e Sol – sem exposição direta ao astro rei.


Virgem e zamioculca
A planta da moda, tá, virginianos?
Os virginianos não são metódicos, eles apenas gostam de organização. Um signo que costuma ser leal aos amigos e apreciador de tudo que é de bom na vida, inclusive artes e cultura, eles estão sintonizados com a planta da moda.

A zamioculca pode ter folhas tão verdes, mas tão verdes, que parecem de plástico. Mas não é, trata-se apenas e tão somente do brilho contido nessa espécie queridinha de muita gente.

A zamioculca é indicada para o Feng Shui, além de melhorar a energia dos ambientes. Ela dispensa o Sol direto e tolera períodos médios sem água.

Libra e costela-de-adão
Os librianos vão amar ter uma costela-de-adão dentro de casa
Os librianos se encantam com tudo que há de belo no mundo. Por isso, eles estão associados com uma das plantas mais encantadoras que existem. Falamos da costela-de-adão, que arranca suspiros com suas longas folhas recortadas.

A costela transmite equilíbrio e harmonia – algo fundamental para o desenvolvimento de qualquer libriano. Simbolizado pela balança, libra procura a diplomacia como caminho para a tomada de decisões.

A costela-de-adão gosta de luz, mas se adapta aos ambientes com mais sombra. Ela precisa de regas médias para que se desenvolva e impacte todo mundo com suas folhas e raízes grandes. É uma escolha perfeita para quintais e sala de apartamentos.

Escorpião e dracaenas
Dracaenas precisam de bastante água em dias de muito calor
Signo das águas e com a capacidade eterna de recomeçar. Quem é de escorpião ama com intensidade e não gosta muito de perder tempo. Determinados, escorpianos e escorpianas podem se dar bem com a dracaenas.

A dracaena pode ser criada com tranquilidade dentro de casa. Ela é resistente, mas ama umidade. Inclusive borrifadas para os dias de mais calor. Um pano molhado nas folhas também é bem-vindo.


Sagitário e alocasia
Alocasias possuem folhas verdes e fofinhas
Sagitário é Sol e alegria. Mas não confundir com euforia desmedida, por favor. Signo associado com a prosperidade, os sagitarianos podem se dar bem com uma alocasia dentro de casa.

Ela também gosta de ambientes mais úmidos e de que as folhas estejam livres de pó. Ou seja, mantenha um paninho por perto para passar em sua folhagem de vez em quando. As espécies de alocasia são tóxicas, por isso mantenha longe de gatos, outros pets e crianças.


Capricórnio e bonsai
Bonsai é sinônimo da obstinação dos capricornianos
Capricórnio são pessoas obstinadas e trabalhadoras. O signo reflete a necessidade de controle por parte de muitas pessoas. A planta ideal para os representantes desse signo é o bonsai.

O bonsai reflete a disciplina e raízes bem fincadas no chão. Bem capricorniano, não é mesmo? O bonsai pede rega uma vez por dia, duas vezes em dias mais secos.

O excesso pode apodrecer a raiz então, querido capricorniano, busque a linha tênue do equilíbrio na hora de criá-la e será recompensado.

Aquário e samambaia
Samambaia é uma das plantas mais populares do Brasil
Aquarianos são generosos e gostam de idealizar um mundo onde tudo seja bom e justo. Detentores desse signo apreciam a liberdade e não curtem pessoas com visão limitada.

A planta ideal para a luz que abriga esse signo é a samambaia. Ela é símbolo de natureza e representa a prosperidade.

Peixes e flor-da-fortuna
Flor-da-fortuna e a capacidade de perdoar dos piscianos
O signo de peixes é inteligente e mental. Assim como os geminianos, pensam em várias coisas ao mesmo tempo e gostam de saber de tudo um pouco.

Curiosos por natureza, podem se dar muito bem com a chamada flor-da-fortuna. A kalanchoe tem o coração bom, já que não é absolutamente intolerante às pessoas que esquecem de regá-las.

*Por Kauê Vieira
………………………………………………………………………
*Fonte: hypeness

O ser humano é o único animal que gosta de pimenta. O que explica essa atração pelo ‘perigo’?

Enquanto a absoluta maioria dos animais assimila o sabor picante de uma pimenta como ameaça, sinalizando que aquela planta não deve ser consumida, uma única espécie é atraída pela intensidade extrema desse sabor: o ser humano. Sim, somos o único animal que gosta de pimenta (se você não se enquadra, tá tudo bem). Essa história de amor entre nossas papilas gustativas e a picância remonta à América Central de 6 mil anos atrás, quando os primeiros indícios de domesticação de pimenta foram descobertos, mas permanece apaixonada até hoje – e por todo o mundo.

Nenhum outro animal sente prazer ou consumir pimenta – e todos os outros identificam como perigo

Da América Central, o amor pelas pimentas foi exportado para a Europa e o resto do planeta principalmente a partir do século 16, e desde então o consumo de alimentos picantes só aumentou, como também aumentou a intensidade das pimentas produzidas.

Atualmente, existem cinco espécies domesticadas, das quais são produzidas mais de três milhões de toneladas da especiaria por ano: das plantas Capsicum annuum, C. chinense, C. frutescens, C. baccatum e C. pubescens nasce a produção que forma um mercado global de mais de 4 bilhões de dólares.

Diversos tipos de pimenta com intensidades variadas produzidas e consumidas pelo ser humano

O segredo por trás do sabor picante está em um componente químico chamado capsaicina, que estimula receptores da boca chamados TRPV1, responsáveis por detectar o calor e, supostamente, evitar que consumamos alimentos que “queimem”. Essa sensação de quentura sugerida pela capsaicina, porém, é pura ilusão: não há, de fato, nada queimando nossa boca. Vale dizer que pássaros também consomem pimenta, mas não possuem a capacidade fisiológica de sentir o calor do sabor.

Se a intensidade do sabor representa essencialmente perigo, por que, afinal, gostamos tanto de pimentas? Muito se especula em busca dessa resposta, sem que uma conclusão absoluta tenha sido alcançada: alguns especialistas sugerem que a explicação está no fato da capsaicina trazer benefícios à nossa saúde, atacando fungos e parasitas, reduzindo a pressão arterial e com propriedades antimicrobianas.

Para psicólogos, porém, a explicação estaria em certo masoquismo atávico à existência humana. Da mesma forma que gostamos da sensação causada por um passeio em uma montanha-russa, comemos pimentas para desafiar o medo, e provar que somos capazes de controlar os impulsos e temores de nosso próprio corpo.

O masoquismo e a busca por controle podem estar por trás do prazer em consumir pimentas
A busca por controle do ser humano podem explicar o prazer em consumir pimentas

*Por Vitor Paiva
………………………………………………………………..
*Fonte: hypeness