Arquivo do autor:banjomanbold

Com essa chuva toda…


Tipos de picadas


Into The Dust (Full Movie)


Fender anuncia mudança na fabricação de guitarras

No início de 2017 a CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção) limitou o uso de madeira Rosewood (jacarandá). Esse é o tipo de madeira usada na maioria das guitarras.

Devido à dificuldade imposta pela CITES, a Fender resolveu mudar a madeira utilizada nas fabricação das linhas American Elite e Made in Mexico. No lugar da Rosewood, vão ser utilizadas Ébano e Pau Ferro.

A mudança é mais especificamente nos braços das guitarras. As mexicanas vão passar a usar Pau Ferro, a mesma madeira usada na Stevie Ray Vaughan Signature Strat, e as American Elite vão usar Ébano.

A Fender ressalta que as séries American Professional vão continuar sendo construídas com madeira Rosewood.

…………………………………………..
*Fonte: guitarload


Kaleo – No good


De olho nessa dança


Se você bebe para esquecer, está perdendo tempo: O álcool reforça as lembranças ruins

Novo estudo vira de ponta-cabeça a velha ideia: A fuga é possível, mas no médio prazo as experiências negativas são fixadas em nossa memória.

O famoso “beber para esquecer” pode ter se tornado página virada. Embora seja verdade que uma boa bebedeira pode levar a pessoa a não se lembrar de tudo o que fez no dia seguinte, as coisas ruins (exatamente as que queremos apagar da memória) podem se agarrar ao nosso cérebro de modo mais ferrenho do que se não bebêssemos.

É isso que revela um estudo publicado pela revista Translational Psychiatry, elaborado por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, de Baltimore (EUA). Dividiram ratos de laboratório em dois grupos: um bebeu água durante duas horas, e ao outro foi dada grande quantidade de álcool no mesmo intervalo de tempo. Posteriormente, ambos grupos foram submetidos a um som determinado, seguido por uma descarga elétrica. No dia seguinte, os roedores escutaram o mesmo som, mas dessa vez sem que fosse seguido pelo choque. Os resultados mostraram que os ratos que haviam sido embriagados tinham mais medo (lembravam melhor da descarga) que aqueles que tinham bebido água.

A conclusão do trabalho é que o álcool perpetua a sensação de medo: a extinção dessa recordação exige receptores do neurotransmissor glutamato (substância relacionada à memória), e quando os compostos do álcool se unem a esses receptores, interferem nas sinapses (comunicação neuronal), levando a que os animais que beberam álcool “não se acostumem ao estímulo e não esqueçam a experiência prévia ruim”, explica o neurologista Pablo Irima, diretor da Sociedade Espanhola de Neurologia.

Tal neurotransmissor (envolvido na eliminação da recordação) não se dá bem com a bebida. “O glutamato produz rejeição ao álcool. Costuma-se usá-lo no hospital para que os pacientes parem de beber”, diz o psiquiatra e presidente da Sociedade Espanhola de Psiquiatria, Julio Bobes.

 

Distrai, mas não apaga os traumas

Que o álcool nos faz recordar as coisas mais facilmente é algo que tinha sido evidenciado por um estudo da Universidade do Texas (EUA) em 2011. De acordo com essa pesquisa, tomar uma dose ativa certas regiões do cérebro relacionadas exatamente ao aprendizado e à memória.

Mesmo assim, a ideia de que beber é uma boa forma de afastar as más recordações é tão difundida que até esse estudo afirma que a maioria das pessoas afetadas por diversos traumas (entre 60% e 80%) ingere álcool compulsivamente. “Muitos pacientes com estresse pós-traumático se embebedam com a finalidade de fugir da situação, esquecer ou dormir com mais facilidade”, acrescenta Irima. E os pesquisadores concluem: “Se os efeitos do álcool nas lembranças desagradáveis forem semelhantes nos humanos, nosso trabalho pode ajudar a entender melhor como funcionam essas memórias e como focar melhor as terapias em pessoas que apresentam estresse pós-traumático”.

 

………………………………………………..
*Fonte: elpais


Momento saudades G.O.T. – 36

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Eyes Of The World” Holly Bowling – “Eyes Of The World”


Brasileiro de Motocross 2017 terá transmissão ao vivo pela internet

A temporada 2017 do Brasileiro de Motocross está prestes a começar. A 1ª etapa da competição será dias 3 e 4 de junho, em Cornélio Procópio, Paraná.

Nesta sábado, 27, a Confederação Brasileira de Motociclismo anunciou que fará transmissão ao vivo de todas as categorias: MX1, MX2, MX3, Junior, MX5, MX4, MXF, 65c, 50cc, MX2-Junior e Nacional 230cc.

Você poderá assistir as imagens no próprio site do BRMX. A entidade também ressalta que a Sportv seguirá exibindo um programa com os melhores momentos do evento.

 

…………………………………………………..
*Fonte: brmx


Chuva


Biker girls #123

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


This is Supercross 2017


Se penso em Gregg Allman essa é a 1ª coisa que me ocorre

Toda vez que penso em Gregg Allman, a primeira coisa que me vem a cabeça é ele com sua voz rouca tocando ao violão, sem a banda, esse puta som. E meu chapa, apesar de ser uma coisa bem comum qualquer arigó pegar um violão e sair tocando, não é prá qualquer um tocar e cantar assim tão “soulful”.

Thanks por tudo, sua música, sua banda e principalmente a sua louca história nessa trajetória do southern rock. Muita chalaça, mulherada, brigas, confusão, mas sempre em frente até o último momento.

Valeu meu bom amigo Gregg!

 


Gregg Allman – R.I.P. (69 anos)

Gregg Allman, um dos fundadores da banda The Allman Brothers Band, morreu neste sábado (27) aos 69 anos de idade. Segundo comunicado em seu site oficial, o cantor, compositor e tecladista “morreu pacificamente em sua casa em Savannah, [no estado da] Georgia”, nos Estados Unidos.

A nota não esclarece a causa da morte, porém afirma que ele enfrentava “muitos problemas de saúde nos últimos anos”. Allman foi diagnosticado com hepatite C em 1999 e passou por um transplante de fígado em 2010.

Ele fundou a banda, responsável pela canção “Ramblin’ man” e outro sucessos do gênero que ficou conhecido como “southern rock”, com seu irmão Duane em 1969. Com diversas formações, o grupo se separou muitas vezes ao longo dos anos, mas se apresentou até 2014.

“Perdi um amigo querido e o mundo perdeu um pioneiro brilhante na música”, afirmou seu empresário e amigo de longa data, Michael Lehman. “Ele era uma alma gentil e amável com a melhor risada que já ouvi. Seu amor por sua família e seus companheiros de banda era cheio de paixão, assim como o amor que ele tinha por seus fãs extraordinários. Gregg era um parceiro incrível e um amigo ainda melhor. Sentiremos sua falta.”

Gregg deixa sua mulher, Shannon Allman, quatro filhos e três netos.

 

……………………………………………
*Fonte: G1


Crássico


Jane’s Addiction – Just Becaus | Irresistible Force


Banheirices


Coisas a gente compra de novo, pessoas a gente perde para sempre

Como é difícil balancearmos com equilíbrio nossas prioridades, dando a devida atenção tanto ao que precisamos obter quanto ao que precisamos manter junto de nós. Embora a vida nos obrigue a despendermos a maior parte de nosso tempo trabalhando para conquistar qualidade e conforto, essa rotina pesada ao mesmo tempo nos distancia mais e mais dos contatos e interações com as pessoas.

Nessa toada, acabamos muitas vezes nos apegando demasiadamente aos bens que acumulamos, valorizando a materialidade que nos rodeia acima de qualquer coisa. E assim relegamos ao segundo plano nossas necessidades afetivas, nossos desejos sentimentais, tudo aquilo que não possui preço, o que não se compra nem se vende, apenas se vive.

Por mais que sejamos alertados para o perigo que reside nessa busca maçante pelos bens, pela riqueza, pelo status social, acabamos sendo atraídos quase que mecanicamente pelos apelos disso tudo. Vamos nos enchendo de objetos e nos esvaziando de sustância emocional, pois acabamos apenas enxergando o que os olhos veem, esquecendo-nos das carências de nossa essência humana.

Por isso é que muita gente se preocupa com os riscos na calota do carro, sem nunca perguntar como a esposa se sente. Por isso é que muitos pais olham o boletim escolar, mas se esquecem de olhar nos olhos dos filhos. Por isso é que muitos de nós percebemos quando o amigo engordou, porém jamais percebemos o quanto ele está precisando de nossa ajuda. Por isso é que muitas vezes temos tudo o que queremos, mas não temos ninguém de quem precisamos.

É necessário, pois, mantermos o foco nas escolhas que vimos fazendo, nas atitudes que tomamos, na importância que estamos dando àquilo que colocamos como prioridade em nossas vidas. Não podemos nos desconcentrar em relação ao que temos de mais precioso em termos de parceria, amizade, amor verdadeiro, ou acabaremos lotados de tralhas que não preencherão o nosso vazio existencial.

No mais, perca coisas e não pessoas. Coisas a gente compra de novo, pessoas a gente perde para sempre.

 

……………………………………………..
Fonte: resilienciamag


Atenção mulheres!


Stormtrooper Day – 28

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

stormtrooper_439

 

 

 

 

 

 

 

 


Lynyrd Skynyrd – Still Unbroken


Não acabem com a caligrafia: escrever à mão desenvolve o cérebro

Pediatra acredita que é preciso cuidado para que o mundo digital não leve embora experiências significativas que tem impacto no desenvolvimento das crianças

As crianças que vivem no mundo dos teclados precisam aprender a antiquada caligrafia?

Há uma tendência a descartar a escrita à mão como uma habilidade que não é mais essencial, mesmo que os pesquisadores já tenham alertado para o fato de que aprender a escrever pode ser a chave para, bem, aprender a escrever.

E, além da conexão emocional que os adultos podem sentir com a maneira como aprendemos a escrever, existe um crescente número de pesquisas sobre o que o cérebro que se desenvolve normalmente aprende ao formar letras em uma página, sejam de forma ou cursivas.

Em um artigo publicado este ano no “The Journal of Learning Disabilities”, pesquisadores estudaram como a linguagem oral e escrita se relacionava com a atenção e com o que é chamado de habilidades de “função executiva” (como planejamento) em crianças do quarto ao nono ano, com e sem dificuldades de aprendizagem.

Virginia Berninger, professora de Psicologia Educacional da Universidade de Washington e principal autora do estudo, contou que a evidência dessa e de outras pesquisas sugere que “escrever à mão – formando letras – envolve a mente, e isso pode ajudar as crianças a prestar atenção à linguagem escrita”.

No ano passado, em um artigo no “Journal of Early Childhood Literacy”, Laura Dinehart, professora associada de Educação da Primeira Infância na Universidade Internacional da Flórida, discutiu várias possibilidades de associações entre boa caligrafia e desempenho acadêmico: crianças com boa escrita à mão são capazes de conseguir notas melhores porque seu trabalho é mais agradável para os professores lerem; as que têm dificuldades com a escrita podem achar que uma parte muito grande de sua atenção está sendo consumida pela produção de letras, e assim o conteúdo sofre.
Mas podemos realmente estimular o cérebro das crianças ao ajudá-las a formar letras com suas mãos?

Em uma população de crianças pobres, diz Laura, as que possuíam boa coordenação motora fina antes mesmo do jardim da infância se deram melhor mais tarde na escola.

Ela diz que mais pesquisas são necessárias sobre a escrita nos anos pré-escolares e sobre as maneiras para ajudar crianças pequenas a desenvolver as habilidades que precisam para realizar “tarefas complexas” que exigem coordenação de processos cognitivos, motores e neuromusculares.

Esse mito de que a caligrafia é apenas uma habilidade motora simplesmente está errado. Usamos as partes motoras do nosso cérebro, o planejamento motor, o controle motor, mas muito mais importante é a região do órgão onde o visual e a linguagem se unem, os giros fusiformes, onde os estímulos visuais realmente se tornam letras e palavras escritas

As pessoas precisam ver as letras “nos olhos da mente” para produzi-las na página, explica ela. A imagem do cérebro mostra que a ativação dessa região é diferente em crianças que têm problemas com a caligrafia.

Escaneamentos cerebrais funcionais de adultos mostram que uma rede cerebral característica é ativada quando eles leem, incluindo áreas que se relacionam com processos motores. Os cientistas inferiram que o processo cognitivo de ler pode estar conectado com o processo motor de formar letras.

Larin James, professora de Ciências Psicológicas e do Cérebro na Universidade de Indiana, escaneou o cérebro de crianças que ainda não sabiam caligrafia. “Seus cérebros não distinguiam as letras; elas respondiam às letras da mesma forma que respondiam a um triângulo”, conta ela.

Depois que as crianças aprenderam a escrever à mão, os padrões de ativação do cérebro em resposta às letras mostraram mais ativação daquela rede de leitura, incluindo os giros fusiformes, junto com o giro inferior frontal e regiões parietais posteriores do cérebro, que os adultos usam para processar a linguagem escrita – mesmo que as crianças ainda estivessem em um estágio muito inicial na caligrafia.

“As letras que elas produzem são muito bagunçadas e variáveis, e isso na verdade é bom para o modo como as crianças aprendem as coisas. Esse parece ser um dos grandes benefícios da escrita à mão”, conta Larin James.

Especialistas em caligrafia vêm lutando com a questão de se a letra cursiva confere habilidades e benefícios especiais, além dos fornecidos pela letra de forma. Virginia cita um estudo de 2015 que sugere que, começando por volta da quarta série, as habilidades com a letra cursiva ofereciam vantagens tanto na ortografia quanto na composição, talvez porque as linhas que conectam as letras ajudem as crianças a formar palavras.

Para crianças pequenas com desenvolvimento típico, digitar as letras não parece gerar a mesma ativação do cérebro. À medida que as pessoas crescem, claro, a maioria faz a transição para a escrita em teclados. No entanto, como muitos que ensinam na universidade, eu me questiono a respeito do uso de laptops em sala de aula, mais porque me preocupo com o fato de a atenção dos alunos estar vagando do que com promover a caligrafia. Ainda assim, estudos sobre anotações feitas à mão sugerem que “alunos de faculdade que escrevem em teclados estão menos propensos a se lembrar e a saber do conteúdo do que se anotassem à mão”, conta Laura Dinehart.

Virginia diz que a pesquisa sugere que crianças precisam de um treinamento introdutório em letras de forma, depois, mais dois anos de aprendizado e prática de letra cursiva, começando na terceira série, e então a atenção sistemática para a digitação.

Usar um teclado, e especialmente aprender as posições das letras sem olhar para as teclas, diz ela, pode muito bem aproveitar as fibras que se intercomunicam no cérebro, já que, ao contrário da caligrafia, as crianças vão usar as duas mãos para digitar.

O que estamos defendendo é ensinar as crianças a serem escritoras híbridas. Letra de forma primeiro para a leitura – isso se transfere para o melhor reconhecimento das letras –, depois cursiva para a ortografia e a composição. Então, no final da escola primária, digitação

Como pediatra, acho que pode ser mais um caso em que deveríamos tomar cuidado para que a atração do mundo digital não leve embora experiências significativas que podem ter impacto real no desenvolvimento rápido do cérebro das crianças.

Dominar a caligrafia, mesmo com letras bagunçadas e tudo, é uma maneira de se apropriar da escrita de maneira profunda.

“Minha pesquisa global se concentra na maneira como o aprendizado e a interação com as palavras feitas com as próprias mãos têm um efeito realmente significativo em nossa cognição”, explica Larin James. “É sobre como a caligrafia muda o funcionamento do cérebro e pode alterar seu desenvolvimento.”

 

……………………………………………………..
*Fonte: psicologiasdobrasil


Magia dos dias de chuva


Veículo russo que topa todas


Motos e mais motos – 287

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Crushing Florida with Zach Osborne


Fatiando ideias


Aniversário de Lenny Kravitz – 53 anos

Já há algum tempo digo para mim mesmo baseado sei lá em que, de que o Lenny Kravitz legal, bacanudo mesmo era aquele dos primeiros álbuns – até o Circus, quando ele despirocou de vez (morte da mãe) e virou um músico meio perdido e sem sal. Tá, OK. Isso aconteceu mesmo, mas nem por isso o cara perdeu a mão para grandes músicas aqui e ali em seus últimos álbuns. A vida segue e Lenny  aquele seu puta time/banda, sabem muito bem pavimentar o caminho com guitarraços, sopros, soul, blues, rock, groove e sim, algumas baladas muito phoda.

Tá Lenny, tá perdoado e sigo sim seu fan mesmo que deixando de lado algumas  suas músicas. Parabéns meu velho.
E já disse tantas vezes, se aparecesse um gênio da lâmpada e eu pudesse fazer 3 pedidos, um deles seria ser o baixista de algumas dessas bandas: The Cult, Gov’t Mule ou da banda do Lenny Kravitz (mesmo que não faça sentido algum aí para você que está lendo, essa disparidade toda de estilos…). Isso é uma verdade e vários amigos sabem…rsrsrsrs

Feliz aniversário Lenny!

OBS: como uma espécie de teste para mim-self-mesmo, me contive a muito custo e não selecionei nenhum de meus sons TOP PREFERIDOS para postar aqui hoje. E são vários…

 


Caminhos – #63

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Análise de cientistas conclui que temos apenas 10 anos para conseguir salvar o planeta

O que mais escutamos nos últimos anos são os efeitos negativos e desastrosos que as mudanças climáticas estão causando em todo o mundo, assim como o aumento das temperaturas, falta de água, derretimento das calotas polares, enchentes, desertificação, extinção, entre outros.

Agora, infelizmente, depois de mais um estudo realizado por oito pesquisadores do Internacional Institute for Applied Systems Analysis (IIASA), foi descoberto que temos apenas 10 anos para conseguir salvar o planeta Terra.

A pesquisa publicada na revista Nature Communications deixa claro a importância de seguir os acordos firmados entre os 195 países durante a Conferência de Paris, realizada em dezembro de 2015.

O estudo ainda mostra que existem duas formas de reverter o problema e reduzir as emissões de carbono no mundo: cortando as emissões produzidas pelos seres humanos e restaurando os sumidouros de carbono.

Segundo o consultor do Banco Mundial Brian Walsh, para chegar a essa conclusão foram pesquisados as emissões de carbono de combustíveis fósseis, agricultura, produção de alimentos, bioenergia e o uso da terra. Além dos ecossistemas naturais, para entender como eles fazem a absorção do CO2 e, assim, conseguir determinar de onde eles se originam e para onde vão.

As orientações feitas pelos pesquisadores para melhorar esse cenário são:

• Diminuir a utilização dos combustíveis fósseis em 25%;
• Reduzir os desmatamentos das florestas em 42% até o ano de 2100;
• Aumentar o uso das energias renováveis (eólica e solar) e bioenergia em todo o mundo.

Se nenhuma dessas medidas for aderida pelos países e não forem empregadas tecnologias de emissões negativas, haverá um aumento na temperatura global de até 3,5°C, número bastante significativo e impactante para o planeta.

O diretor do programa de energia IIASA e coautor do estudo, Keywan Riahi, disse ao site da Instituição: “O trabalho anterior sobre as estratégias de ações pelo IIASA mostrou a importância de medidas necessárias da demanda de energia, incluindo eficiência, conservação e mudança comportamental. Sucesso nessas áreas pode explicar a diferença entre atingir 1,5°C em vez de 2°C”.

Confira o estudo completo através do  link.

……………………………………………………..
*Fonte: pensamentoverde


Moto anfibia


Hot Girlz – 194

img_7754

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_7974

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_8343

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

girlz_794


Um pouco atrapalhada


The Nightmare: um documentário sobre paralisia do sono, o pior pesadelo que existe


Está comprovado: 20 nomes que pertencem à lista a crianças mais rebeldes

O estudo destinado a explicação dos nomes próprios recebe o nome de onomástica, que é um dos ramos da linguística que se inclui a Antroponímia  (estudo dos nomes das pessoas).

A pesquisa foi realizada na School Stickers USA em 10 mil escolas num sistema de recompensa chamado “School Stickers”.  Os instrutores pediram a 60.000 crianças para arquivarem os seus adesivos que receberam na escola pelo bom comportamento.

E depois de monitorar o comportamento dessas crianças e, com base nos seus próprios registros das etiquetas de bom comportamento na escola, os pesquisadores analisaram e divulgaram os “nomes dos danadinhos”. Ou seja, daquelas crianças com a maior probabilidade de se comportarem rebeldia.

É importante ressaltar que rebeldia não significa um ponto de ênfase negativa. Lembremos que, historicamente, as grandes invenções foram realizadas por pessoas portadoras de um espírito muito inquieto. Se vivêssemos em mundo só com pessoas de espírito manso, não teríamos grandes avanços em termos gerais. Pois o espírito sereno se harmoniza com tudo ao seu redor e convive bem com pouco. Mas o “rebelde” – por assim dizer – é aquele que não se conforma com o panglossianismo do “melhor dos mundos possíveis”. Certamente foi um desses espíritos rebeldes que inventaram a roda.

É certo que pesquisa alguma é uma ciência exata. Trata-se daquela experiência com 60 mil crianças e, é claro, que fora dela existem exceções. Há nomes de crianças que estão na lista de levados que são verdadeiros anjinhos. Bem como há nomes na lista dos bonzinhos que são de crianças bem levadas. Como dizemos, são probabilidades e não regras.

A lista apresenta os nomes das crianças que se mostraram mais rebeldes durante a pesquisa. Isso está provado nesta pesquisa realizada em escolas dos Estados Unidos.

Como o estudo não foi realizado no Brasil e os nomes não correspondem, precisamente, fizemos uma lista com base nos estudos da especialista em onomástica (estudo dos nomes próprios) e antroponímia (o estudo dos nomes de pessoas), Maria Vicentina do Amaral Dick, da Universidade de São Paulo. Vamos lá:

 

Top 10 das meninas danadinhas:

    1. Alice

A origem do nome Alice é Grego e significa verídica, autêntica, a verdadeira

    2. Sofia

A origem do nome Sofia é Grego e significa sabedoria

    3. Beatriz

A origem do nome Beatriz é Latim. Significa bem-aventurada ou aquela que faz os outros felizes.

    4. Laura

A origem do nome Laura é Latim. Significa coroa de folhas de louro.

    5. Júlia

A origem do nome Julia é italiana. Significa cheia de juventude.

    6. Ágata

O nome Ágata significa Bem.

    7. Gabriela

A origem do nome Gabriela é Hebraico e significa enviada de Deus, força de Deus

    8. Rafaela

A origem do nome Rafaela é Hebraico e significa curada por Deus.

    9. Sara

A origem do nome Sara é do Hebraico Sarah e significa princesa.

    10. Ana

A origem do nome Ana é Hebraico. Significa cheia de graça, que tem compaixão, clemência.

 

Top 10 dos meninos danadinhos:

    1. Victor

A origem do nome Victor é Latim e significa vitorioso.
    2. Artur

A origem do nome Artur é Celta. Arth-wr, o nobre, o generoso.

    3. Gabriel

A origem do nome Gabriel é Hebraico. Significa enviado de Deus ou força de Deus.

    4. Bernardo

A origem do nome Bernardo é Teutônico. Significa forte como um urso.

    5. Guilherme

A origem do nome Guilherme é Teutônico. Significa o que protege, o protetor.

    6. Pedro

A origem do nome Pedro é Aramaico. Significa Pedra ou Rocha firme.

    7. Miguel

A origem do nome Miguel é Hebraico. Significa aquele parecido, mas não igual a Deus.

    8. Gustavo

A origem do nome Gustavo é Sueco e significa bastão de combate ou cetro do rei.

    9. Henrique

A origem do nome Henrique é do Teutônico Heinrik, que significa príncipe poderoso ou senhor do lar

    10. Rafael

A origem do nome Rafael é do Hebraico Rephael que significa curado por Deus ou Deus curou.

 

Top 10 das meninas bem-comportadas:

    1. Bruna

A origem do nome Bruna é Teutônico e significa morena, escura.

    2. Isabel

A origem do nome Isabel é do Hebraico Izebel ou uma derivação de Elizabete do Hebraico Elishebba. No Francês Isabelle e no Espanhol Isabel. Significa a casta, a pura ou aquela que cumpre com as promessas.

    3. Mariana

A origem do nome Mariana é a combinação de dois nomes bem comuns: Maria e Ana. Maria é Hebraico e significa senhora soberana, pura e vidente. Ana é Hebraico. Significa cheia de graça, que tem compaixão, clemência.

    4. Juliana

A origem do nome Juliana é Latim. Significa cheia de juventude ou na mitologia grega filha de Júpiter

    5. Diana

A origem do nome Diana é Latim. Significa Brilhante, a divina. Nome da deusa da caça.

    6. Débora

A origem do nome Débora é do Hebraico Debhoráh e significa a abelha laboriosa.

    7. Jessica

O nome Jéssica é feminino e de origem hebraica Yiskah. Significa olhar para frente ou a observadora.

    8. Raquel

A origem do nome Raquel é Hebraico. Significa Calma como uma ovelha.

    9. Joana

A origem do nome Joana é Latim. Significa Deus é cheio de bênçãos.

    10. Érica

O nome Érica significa governante da Lei.

 

Top 10 dos meninos bem-comportados

    1. David

A origem do nome Davi é do  hebraico David e significa Amado, Predileto, Respeitado

    2. Nuno

A origem do nome Nuno é Latim. Do latim pai, avô, peixe.

    3. Daniel

A origem do nome Daniel é Hebraico Daniyyel. Significa Deus é meu juiz.

    4. Eduardo

A origem do nome Eduardo é do Anglo-Saxão Eadward, que significa guardião das riquezas.

    5. Bruno

A origem do nome Bruno é Teutônico. Significa moreno, escuro ou do germânico luminoso, brilhante.

    6. Tiago

A origem do nome Tiago é Hebraico. Variante de Tiago que significa O que suplantou.

    7. João

O nome João significa Javé é gracioso ou agraciado por Deus.

    8. Samuel

A origem do nome Samuel é Hebraico e significa aquele a quem Deus ouve ou ouvido por Deus.

    9. Diogo

A origem do nome Diogo é Latim. Do latim Didacus, que significa instruído, belo. O conselheiro.

    10. Hugo

A origem do nome Hugo é Teutônico. Ajuizado. Do alemão pensamento, espírito, razão.

………………………………………………………….
Fonte: portalraizes/ Clara


Coral presta bela homenagem a Chris Cornell – “Black Hole Sun” (Soundgaden)


Ao sabor do ventos e as ondas


Motos e mais motos – 286

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


2017 Team TLD KTM Intro | Troy Lee Designs RACE TEAM