Gov’t Mule – Eternity’s Breath~St. Stephen Jam – Wanee Music Festival, 4-22-2017

Anúncios

Eggshibit

Não perca a oportunidade de ver o inusitado o trabalho de arte culinária, no Instagram do artista @the_eggshibit.

Aposto que agora fazer ovos fritos nunca mais será a mesma coisa.
Que comecem os jogos!

*Confira abaixo alguns de seus trabalhos de arte tendo como tela uma frigideira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aplicativo avisa se vai chover no local onde você está

Com a chegada do verão inicia-se também a temporada de chuvas na região Sudeste. A diferença é que este ano o aplicativo SOS Chuva poderá informar à população sobre a possibilidade de chuva ou de tempestade na localização exata onde a pessoa está.

É a chamada previsão imediata que, diferente da previsão do tempo convencional, consegue informar a incidência de chuva, granizo ou tempestade com precisão de 1 quilômetro e antecedência de 30 minutos a 6 horas. Desde outubro, o aplicativo SOS Chuva pode ser baixado gratuitamente em smartphones e já conta com mais de 60 mil usuários.

A ferramenta foi desenvolvida por cientistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em colaboração com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) e o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, os dois últimos da Universidade de São Paulo (USP).

“A previsão de tempo que ouvimos no jornal é uma previsão que está, de certa forma, bem estabelecida. Sua teoria foi desenvolvida nos anos 1950. Já a previsão imediata é um desafio novo, com funções, equipamentos e modelagens matemáticas completamente diferentes. Até porque é diferente dizer que amanhã vai chover ou falar que daqui a duas horas vai chover no ponto exato onde você está”, disse Luiz Augusto Toledo Machado, pesquisador do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/Inpe) e coordenador do projeto.

Com apoio da FAPESP, o Projeto Temático SOS Chuva, iniciado em 2016, vai desenvolver mais dois aplicativos, um voltado para a agricultura e outro para a Defesa Civil. Os pesquisadores pretendem também aumentar a compreensão da dinâmica das nuvens e melhorar modelos matemáticos usados na previsão climática.

“É um projeto que tem o aspecto científico de melhorar modelos de previsão imediata e também outro aspecto associado à extensão, que é o desenvolvimento do aplicativo e de sistemas de alerta mais sofisticados para a Defesa Civil e para a agricultura”, disse Machado.

Em novembro, a equipe do projeto fez um treinamento para técnicos da Defesa Civil da região de Campinas (SP) e para profissionais do CPTEC que atuam nas regiões do Vale do Paraíba e no Litoral Norte do Estado de São Paulo. O objetivo é que os centros regionais de meteorologia possam fazer a previsão imediata. A iniciativa é inédita no país.

“Estamos desenvolvendo também um aplicativo voltado para o técnico, para que ele possa fazer a previsão imediata e divulgar os alertas com base nos nossos modelos matemáticos. Isso porque, dado o grande detalhamento, a previsão imediata deve ser feita regionalmente. Por isso, estamos desenvolvendo a ferramenta e os modelos matemáticos para que, no futuro, a previsão imediata seja feita nos centros regionais de meteorologia”, disse.

Agrometeorologia de precisão

O grupo formado por pesquisadores do CPTEC/Inpe e da Esalq também está desenvolvendo um terceiro aplicativo, dedicado ao produtor rural.

“O aplicativo de cunho agrícola, além de mostrar onde exatamente está chovendo, também armazenará informações pluviométricas por um período, para que o agricultor possa acompanhar e identificar possíveis variações de produtividade”, disse Felipe Pilau, do Departamento de Engenharia de Biossistemas da Esalq, responsável pela parte agrícola do projeto.

Pilau afirma que com essa ferramenta será possível estipular estratégias para a chamada agrometeorologia de precisão. O termo junta a agricultura de precisão – que analisa a variabilidade da produção a partir de fatores como fertilidade do solo e recursos hídricos – com a parte meteorológica.

“Ao incluir a parte meteorológica na agricultura de precisão, é possível enxergar onde chove mais e se essa variabilidade vai afetar a produtividade agrícola. Até então, a parte meteorológica estava esquecida na agricultura de precisão”, disse Pilau.

Para fazer a previsão imediata, seja para o usuário comum, o agricultor ou para a Defesa Civil, o projeto conta com um radar meteorológico de dupla polarização – adquirido com apoio da FAPESP e instalado no Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura da Universidade Estadual de Campinas (Cepagri-Unicamp).

A previsão do tempo convencional necessita de dados obtidos a partir de imagens de satélite, estações meteorológicas e também da interpolação desses dados. Já para obter os dados com precisão de 1 quilômetro de distância, o radar de dupla polarização trabalha com a emissão e reflexão de comprimentos de onda.

Ao emitir um feixe de energia, ele obtém a refletividade, uma medida da reflexão do feixe emitido pelo radar ao se chocar com um obstáculo, como uma gota de nuvem, por exemplo. O sinal então retorna para o radar e, dessa forma, é possível mapear o local exato onde vai chover.

Para fazer a previsão imediata de todo o Estado de São Paulo, o projeto SOS Chuva conta ainda com as informações de outros quatro radares instalados em Bauru, Presidente Prudente, São Paulo e no Rio de Janeiro.

Com a ajuda do radar de dupla polarização, os pesquisadores conseguem ter uma visão tridimensional da nuvem e acompanhar a velocidade com que ela se propaga. Assim é possível analisar outros parâmetros, como acúmulo de cristais de gelo dentro da nuvem ou os chamados intrarraios, raios dentro da nuvem que são indicativos da ocorrência de granizo.

“Com o radar de dupla polarização conseguimos saber, por exemplo, quais os cristais de gelo que têm dentro da nuvem e a partir disso fazer cálculos e previsões”, disse Machado.

O pesquisador explica que ao acompanhar a nuvem é possível saber como esses diferentes cristais aumentam e diminuem, indicando a previsão de severidade ou formação de tornados. “Conseguimos também informações a partir do vento, se ele está formando uma circulação fechada, se há descarga elétrica. Tudo isso somado nos ajuda a fazer previsões”, disse.

Entendendo eventos extremos

A experiência dos pesquisadores do SOS Chuva em desenvolver modelos e cálculos matemáticos para a previsão imediata será usada em um novo projeto de colaboração com colegas argentinos, chilenos e norte-americanos.

“Continuaremos a coletar dados em Campinas e a melhorar nossos modelos até agosto de 2018. Depois disso, vamos levar nossa instrumentação para São Borja, no Rio Grande do Sul, para uma nova campanha de medidas de colaboração internacional”, disse Machado.

O pesquisador explica que a região a ser estudada é onde ocorrem as maiores tempestades do planeta. O fenômeno no Sul do Brasil, conhecido como Complexos Convectivos de Média Escala, ocorre em resposta a uma relação entre a região amazônica e a Cordilheira dos Andes.

“A umidade da Amazônia se propaga, encontra os Andes e se canaliza, trazendo a umidade para o Sul. É esse canal de umidade que começa a formar esses sistemas intensos de nuvens na Argentina. A baixa pressão acelera esse fluxo de umidade que vem da Amazônia e forma tempestades muito grandes.”

O projeto nomeado RELAMPAGO é financiado pela National Science Foundation (NSF) e conta com a cooperação da agência espacial Nasa e da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), nos Estados Unidos, do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (Conicet) da Argentina, da Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica (Conicyt) do Chile, da FAPESP e do Inpe.

“Será um experimento muito grande e o SOS Chuva participará desse esforço que é entender as tempestades severas que entram no Brasil, inclusive com possibilidade de formação de tornados”, disse Machado.

O aplicativo SOS Chuva pode ser baixado na App Store (iOS) e na Google Play Store (Android). Mais informações: http://soschuva.cptec.inpe.br/soschuva.

………………………………………………………………..
*Fonte: revistapegn

4 Sinais de que você já conheceu alguém em uma vida passada

Você pode pensar que seria uma coisa incrivelmente rara para experimentar, mas não, nós provavelmente vivemos centenas de vidas passadas, o que nos deu a oportunidade de experimentarmos e amarmos muitas almas diferentes. Quais são os sinais de que você conheceu alguém em uma vida passada?

1. Você sente uma conexão amorosa imediata com ele/ela
As pessoas que você amou em uma vida passada são fáceis de amar nesta vida, também. Há pessoas que você encontra e se conecta insantaneamente. É um sentimento muito real. Você sabe que quando sente isso.

2. Você sente uma reação negativa imediata com eles
Você provavelmente tinha inimigos e pessoas não tão queridas em sua vida passada exatamente como em sua vida atual. Isso pode ser experimentado com aquela pessoa que você não gosta, sem nenhuma razão em particular. Isso não significa necessariamente que você deva odiá-la! Conheça-a.

3. Vocês têm uma ligação telepática
Você parece saber o que a outra pessoa está sentindo, sabe o que está prestes a dizer; você pensa nela, e não muito tempo depois recebe uma chamada ou uma mensagem de texto dela.

4. Você vê isso em seus olhos
Você olha em seus olhos e vê algo tão … familiar. Eles te atraem quase que imediatamente. Peritos em reencarnação não acham que é um acidente. Preste muita atenção nos olhos das pessoas que você encontra.

………………………………………………………….
*Fonte: osegredo/ Luiza Fletcher

Fast Eddie Clarke (Mortörhead) – falece aos 67 anos (R.I.P.)

Há poucos dias terminei de ler a biografia do Lemmy que obviamente abrange também as histórias de sua clássica banda, o Motörhead. E o guitarristas que marcou a banda, em sua fase inicial e portanto dos GRANDES HITS do grupo – Eddie “Fast” Clarke, faleceu hoje aos 67 anos.

Dos membros do trio original da banda, já haviam falecido: Philthy Animal Taylor, em novembro de 2015 e logo depois, um dos maiores ícones do rock – Lemmy, em dezembro do mesmo ano. Assim então se fecha um ciclo. Torço para estejam juntos agora no céu fazendo uma grande e barulhenta jam! Keep on rock. \m/

Notícia da página oficial da banda:

“Estamos devastados por transmitir as notícias que recebemos. Edward Allan Clarke – ou Fast Eddie Clarke, como todos nós conhecemos e amamos – faleceu pacificamente ontem”, diz o comunicado.

Ele estava internado em um hospital para tratamento de uma pneumonia. Eddie Clarke foi guitarrista da banda de 1976 a 1982.

Phil Campbell, ex-guitarrista do Motörhead, lamentou a perda do músico. “Que choque! Ele sempre será lembrado por seus icônicos riffs. Decanse em paz”.

Mikkey Dee também escreveu sobre Eddie Clark. “Que notícia terrível. Eu o vi há pouco tempo e estava em ótima forma. Então isso é completamente chocante”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

França investiga Apple por obsolescência programada dos iPhone antigos

A promotoria francesa investiga a multinacional norte-americana Apple por fraude e por adiantar a obsolescência programada de seus aparelhos mediante a suposta manipulação das baterias de seus iPhone mais antigos, informa a Reuters. O gigante tecnológico reconheceu em dezembro que tomou medidas diante das queixas e denúncias apresentadas nos Estados Unidos pelo gasto de bateria de seus dispositivos, o que poderia ter um efeito negativo sobre a velocidade dos processadores dos mesmos, com a suposta finalidade de incitar o usuário a comprar um aparelho mais moderno.

A investigação, iniciada pela denúncia da associação francesa de consumidores Parem com a Obsolescência Programada, será realizada pela Direção Geral da Concorrência, do Consumo e da Luta contra as Fraudes, que faz parte do Ministério da Economia, segundo informações da agência Efe.

A lentidão intencional dos modelos mais antigos dos iPhone da Apple gerou controvérsias entre seus milhões de clientes ao ponto da empresa pedir desculpas pelo “mal-entendido” e oferecer descontos para trocar de baterias. Somente nos Estados Unidos foram abertas nove ações coletivas que acusavam a Apple de fraude, propaganda enganosa e enriquecimento ilícito.

Alguns usuários de iPhone há tempos denunciam que a empresa faz com que fiquem lentos artificialmente através da atualização de iOS para incentivar a compra de novos modelos. A empresa emitiu uma carta aos seus clientes em que pede perdão pelo “mal-entendido” gerado pela obsolescência dos iPhone e ofereceu descontos aos usuários que queiram trocar a bateria de seu celular.

Na semana passada, a empresa reconheceu que diminui intencionalmente a velocidade dos celulares mais antigos quando é baixada uma nova atualização do software, mas defendeu que o faz para alongar a vida útil da bateria dos aparelhos e evitar que entrem em colapso.

A partir do final de janeiro e até dezembro de 2018, trocar a bateria de um iPhone 6 e de um modelo posterior custará 50 dólares (162 reais) a menos, já que o preço passará de 79 a 29 dólares (256 a 94 reais).

Alguns usuários de iPhone há tempos denunciam que a Apple diminui artificialmente a velocidade dos iPhone mais antigos através da atualização de iOS para incentivar a compra de novos modelos. Essa suspeita ganhou força na semana passada, quando um programador demonstrou com dados que o iPhone 6 fica mais lento após cada nova atualização de software.

A explicação que a Apple deu nessa ocasião à imprensa foi que a obsolescência dos aparelhos era um mal menor para evitar que os celulares com baterias mais antigas fossem bloqueados após a atualização e, ainda que a utilização do usuário ficasse pior, não era tão ruim quanto o colapso contínuo do iPhone.

……………………………………………………………..
*Fonte: elpais

Eric Clapton afirma que está ficando surdo e tem dificuldade para tocar guitarra

Eric Clapton afirmou em entrevista que está ficando surdo e com dificuldade de dedilhar sua guitarra. O lendário guitarrista revelou que está apreensivo sobre tocar o instrumento e cantar com proficiência devido a doenças que incluem zumbido e um toque vindo do interior da orelha.

As revelações foram feitas durante entrevista para Steve Wright na BBC Radio 2, na terça-feira (9).

“Eu ainda vou trabalhar. Vou fazer o show no Hyde Park em julho”, afirmou o cantor sobre a apresentação no tradicional festival do verão britânico. “A única coisa é que estou preocupado que estou ficando surdo, tenho tido zumbidos, mas minhas mãos ainda trabalham.”

“Espero que as pessoas venham me ver. Ver a mim, mais do que pela curiosidade. Eu sei que isso faz parte, porque é incrível que eu ainda esteja aqui”.

Clapton ainda afirmou que, no último ano, sofreu com muitas dores causadas pela neuropatia periférica (quando alguns nervos não funcionam corretamente). “É difícil trabalhar tocando guitarra e eu tive que aceitar o fato de que isso não vai melhorar”.

A entrevista para a rádio fazia parte da fase de promoção de seu documentário “Eric Clapton: Life in 12 Bars”. Na conversa, ele repetiu o que já havia afirmado em outras entrevistas, sobre a dificuldade de assistir as cenas do filme. “É difícil, porque isso é sobre um longo difícil período da minha vida”.

O documentário acompanha a vida do guitarrista britânico de 72 anos, da infância ao estrelato internacional, através de sua luta contra as drogas e álcool e a morte de seu filho de 4 anos, em 1991.

“É importante que as pessoas vejam que isso tem um final feliz”, destacou.

 

…………………………………………………………………….
*Fonte: g1

Tirar selfies obsessivamente agora é conhecido como transtorno mental

No fim do ano passado, os pesquisadores Janarthanan Balakrishnan, da Thiagarajar School of Management em Madura, na Índia, e Mark D. Griffiths, da Nottingham Trent University em Nottingham, no Reino Unido, publicaram um artigo que aponta a obsessão por selfies como um transtorno mental.

O estudo criou uma Escala de Comportamento de Selfitis (Selfitis Behavior Scale) que visa classificar pessoas auto-obcecadas em graus de manifestação de selfies. Em primeiro lugar, os pesquisadores apresentaram um conjunto de 6 fatores que levam as pessoas a tirarem selfie obsessivamente:

Fator 1: aprimoramento ambiental
Fator 2: competição social
Fator 3: busca de atenção
Fator 4: modificação do humor
Fator 5: autoconfiança
Fator 6: conformidade subjetiva

Eles encontraram 225 alunos de duas escolas nas universidades da Índia e classificaram-nos como limítrofes, agudos e crônicos. 9% dos participantes tiraram mais de 8 selfies todos os dias e 25% compartilhavam pelo menos 3 desses selfies nas mídias sociais.

Dos participantes, 34% eram limítrofes, 40,5% eram agudos e 25,5% eram crônicos. Verificou-se que os homens exibiam selfitis a uma taxa mais elevada do que as mulheres – 57,5% em comparação com 42,5%, respectivamente. As pessoas mais jovens da faixa etária dos 16-20 anos também eram as mais suscetíveis.

“Normalmente, aqueles com a condição sofrem de falta de autoconfiança e buscam se ‘encaixar’ com aqueles que os rodeiam e podem exibir sintomas semelhantes a outros comportamentos potencialmente viciantes”, diz Balakrishnan ao New York Post.

Segundo o pesquisador, a existência da condição parece ter sido confirmada, porém, espera-se que novas pesquisas sejam realizadas para entender mais sobre como e por que as pessoas desenvolvem esse comportamento potencialmente obsessivo e o que pode ser feito para ajudar as mais afetadas.

 

 

 

 

…………………………………………………
*Fonte: photochannel

Gigante na produção de tabaco, Philip Morris diz que vai ‘parar de fumar’

A Philip Morris aproveitou a época de “resoluções de Ano Novo” para fazer um anúncio criativo e surpreendente. Uma das maiores produtoras de tabaco do mundo, ela comunicou que irá parar de produzir cigarros convencionais.

Para isso, a marca publicou um comunicado em diversos jornais para anunciar ao público que está tentando “parar de fumar”.

O mercado do tabagismo tem se tornado cada vez menos próspero com o crescimento das campanhas anti-fumo, com diversas empresas de menos expressão tendo fechado as portas ou mudado de ramo justamente pela falta de perspectiva.

Isso não quer dizer, porém, que a Philip Morris está abandonando o setor, mas sim mudando a abordagem. A marca agora aposta em itens como cigarros eletrônicos e outros dispositivos que fornecem nicotina ao usuário sem a produção de fumaça.

Junto ao anúncio, a empresa também publicou uma lista com diversos compromissos que irá assumir durante esse período de transição, como a criação de um site com orientações para quem quer abandonar o cigarro, investimento em ações governamentais em locais onde o número de fumantes é grande e o apoio a projetos que coloquem nos maços alternativas para que o público possa abrir mão do produto nocivo

…………………………………………………………………
*Fonte: hypeness

7 erros que todo homem comete com a barba

A barba consegue modificar a aparência de um cara transformando-o em um homem ao invés de deixar com cara de menino. E aqui no site da Fatos Desconhecidos, nós já exibimos para você as provas de que a barba realmente é transformadora.

Alinhar, retirar o excesso do pescoço e parte de cima, cuidar dos fios, lavar com o shampoo neutro, exige-se um certo cuidado com ela na mesma intensidade que os seus cabelos precisam.

Só que alguns homens não se importam muito com isso e acabam cometendo alguns erros com os seus pêlos faciais. Confira alguns erros que todo homem comete com a barba.

1 – Acessórios

Uma moda de 2016 que foi lançada para os homens com barba foi o uso de joias para os fios longos. A ideia foi de uma marca de joias que queria que os barbudos adotassem a nova “tendência”. Se você gosta da sua aparência, adereços não ficam legais. Preze pelo bom cuidado e a atenção com o seu estilo.

2 – Não lavar os pêlos

Assim como todo dia é dia de tomar banho e lavar o corpo, também é dia de se lavar a barba. Elas acumulam as impurezas do ar e algumas chegam até a ficar com mau cheiro por conta da falta de higiene.

Não cometa esse erro. Sabão neutro, dedos para esfregar o produto na pele e duas lavagens por dia para seu rosto ficar limpo e bem cuidado.

3 – Passar as mãos na barba

De acordo com a dermatologista Anelise Ghideti, em entrevista ao programa Bem Estar, “passar a mão na barba também não é bom.

Nossas mãos têm glândulas que produzem sebo para lubrifica-las. Se a gente ficar passando a mão toda hora na barba ou no cabelo, essa oleosidade passa. E oleosidade em excesso pode dar caspa.”

4 – Barbear a seco

Mesmo com vários cremes e espumas de barbear existentes no mercado, alguns homens ainda praticam a arte de se barbear no seco. A a dermatologista Anelise afirma que não é bom fazer isso.

Segundo ela, “nada de se barbear a seco. Isso traumatiza mais a pele e o pelo pode encravar. Higienize sempre as lâminas, pois elas podem acumular fungos. O ideal é trocar pelo menos uma vez por mês. Antes de se barbear, use um sabonete antisséptico para diminuir as bactérias.”

5 – Barba sem bigode

Se você quer ter barba, a regra é não tirar o bigode. Use só ele, deixe-o crescer à vontade, mas nunca use a barba sem ele. A impressão que a sua imagem vai gerar é de que tem algo faltando em seu rosto. Antes sobrar bigode no rosto do que faltar, não é mesmo?

6 – Barbear-se do lado contrário à direção em que os pêlos nascem

Alguns homens ainda cometem o erro de se barbear tirando os fios do lado contrário à direção em que eles nascem. E isso pode ser muito agressivo à sua pele, como se a lâmina estivesse retirando os pêlos pela raiz.

O resultado é um rosto bastante irritado, podendo causar inflamações e até mesmo o surgimento de fios encravados.

7 – Pescoço com pêlos

Fios crescendo no pescoço são uma falta de cuidado tremenda. Além disso, outro erro comum é o hábito de não aparar a barba e deixar o rosto com a impressão de que os fios estão rebeldes e desalinhados.

Para ficar com um visual bacaninha, elimine os fios no pescoço e apare bem a parte de cima com maquininha ou até mesmo o auxílio de um pente e uma tesoura específica para corte de cabelo. Não fique preso só ao uso da maquininha, compre uma navalha que é baratinha e modele seu rosto de uma melhor forma.

………………………………………………………………….
*Fonte: fatosdesconhenhecidoscidos