Moto Gp – Marc Marquez é o campeão de 2017

O campeão da MotoGP em 2017 na prova de Valência não teve nenhuma grande surpresa, até poderia ter acontecido algo bastante inusitado em prol de Andrea Dovizioso (#04 – Ducati), mas seria algo muito improvável e teria de contar com uam forte mão do azar para Marc Marquez (#93 – Honda). Então deu mesmo o previsto e esperado, Marc Marquez é o campeão da MotoGP de 2017.

Márquez, que precisava apenas de um 11º lugar para sacramentar a disputa na pontuação contra Dovizioso, fez prova segura na maior parte do tempo. Ele manteve a primeira posição na largada, mas Johann Zarco, da Tech 3, teve início alucinante – primeiro superou Pedrosa, e, poucas voltas depois, deixou a outra Honda para trás para assumir a ponta.

Parabéns ao jovem piloto espanhol de apenas 24 anos e que com esse título, agora soma 4 campeonatos mundiais na categoria principal da MotoGP (foi campeão tambvém nas categorias inferiores), sendo que esse é o seu quinto ano de competição na cateogia (SIC!). Então peoples, ele é mesmo um pica-das-galáxias, quando o assunto é pilotagem de moto esportiva, podes crer.

*Em tempo: respeito e admiro muito a pilotagem, coragem, técnica e arrojo de Marc Marquez, mas ainda não consigo esquecer daquela sua participação no “complô dos pilotos espanhóis” contra Valentino Rossi, no MotoGP de 2015. Então pode até ser um garoto prodígio, íncrível e tal, mas estava lá sim naquela chalaça espanhola em favor do bundão Lorenzo #99 (agora na Ducati), uma mancha em seu currículo.

Parabéns Marquez! Um título merecido.
*Eu torci até o fim por Dovizioso.

 

 

 

 

 

 

 

………………………………………………………………
*Fonte: motorsport

Wander Wildner – Anexo Pub (V.Aires – 28/09/2017)

Venâncio Aires é uma cidade pacata mais ou menos no meio do Rio Grande do Sul, cidade pequena de interior, hospitaleira, tranquila e sonolenta, mas por outro lado também a cidade natal do músico Wander Wildner. E nessa quinta-feira de noite teve show dele aqui no Anexo Pub, que é um pico recente para shows ao vivo de bandas e artistas, um lugar não muito grande e até mesmo por isso bem acolhedor. E nas próprias palavras do Wander ao microfone – “Um lugar do caralho”.

Foi um show bem intimista porque havia somente o Wander Wildner em uma cadeira no palco, com uma reluzente Jazzmaster (Zaganin) em seu colo e um pequeno mas poderoso amp ao seu lado, no chão. Nada de banda ou acompanhamento musical, só voz e guitarra. A função começou cedo, por volta das 22h, aos poucos foi embalando, pequenos ajustes deram o tom do que viria e seria a noite à medida que as primeiras músicas foram tocadas. Depois só foi no embalo, hit atrás de hits em meio a alguns comentários sobre as suas próprias letras e músicas, um pouco de política, frases engraçadas e até perguntas sobre pessoas e locais que conhece de sua infância. Sim, ele é um nativo de Venâncio Aires e também meu primo em primeiro grau. Sabe das coisas.

Tocou vários de seus sucessos e versões de músicas consagradas como “I Believe in Miracles” (Ramones), “Candy” (Iggy Pop), “Navegando em Mares de Cerveja” (Barata Oriental), “Um Lugar do caralho” (Jupiter Maçã), etc. O público também entrou na vibe e aos poucos foi se soltando, tanto que perto do final ficou aquela sensação de clima de intimidade onde o Wander era um amigo seu tocando guitarra sentado na sala da sua casa. Uma noite muito boa de punk-rock-brega ou seja lá o que for que você ache mais adequado rotular ao som dele, só sei que estava incrível.

Claro que ao final tive um bom tempo para trocar uma idea com ele, conversas várias e até assuntos de família. Coisas da vida.

Valeu e até a próxima.

*Confira algumas imgs do show da noite

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MotoGP – Áustria 2017

Hoje foi dia de acordar cedo novamente para assistir ao vivo na TV a Moto GP  do grande prêmio da Áustria. E aqui cabe mencionar – que bela pista!

Uma prov sensacional com muitas ultrapassagens e cheia de emoção até o momento final na bandeirada. Prova vencida pelo piloto italiano Andrea Dovizioso (#04 – Ducati) em um belo duelo com o atual líder do campeonato, o espanhol Marc Márquez (#93 – Honda), que ficou em segundo lugar, tendo seu colega de equipe Dani Pedrosa chegando em terceiro (#26 – Honda).

A situação do campeonato MotoGP ficou a seguinte:
1. Marc Márquez (Honda), 174 pontos
2. Andrea Dovizioso (Ducati)
3. Maverick Viñales (Yamaha), 150
4. Valentino Rossi (Yamaha), 141
5. Dani Pedrosa (Honda), 139

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rolê de manutenção – tiro curto

Ontem, sábado, fez um belo dia de sol com uma temperatura amena de inverno, muito bom para andar de moto. Mesmo assim o rolê foi apenas de manutenção, coisa pouca. Tudo porque eu iria em um evento – “encontro de cervejeiros” da Cervale, que tem um limitado número de convites (sim, conseguiu o meu), e a coisa toda começava cedo, ainda na tarde. Assim eu não teria uma boa margem de tempo para dar um rolê mais extenso. Mas tranquilo, de qualquer forma foi uma tarde muito bem aproveitada, pude trocar uma ideia melhor de mais tempo com o meu amigo Pretto, dar um curto rolê de moto até Passo do sobrado e Vale Verde e voltar a tempo ainda de ir no evento de cervejeiros da região.

Só para manter a ritualística aqui do blog, abaixo algumas imgs do mini-rolê deste final de semana. Um tiro curto é verdade, só para não deixar passar em branco e perder o costume.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mundial de Motocross: James Stewart no GP dos Estados Unidos?

Pode ser apenas boato, mas um grande rumor nos bastidores do motocross norte-americano diz que James Stewart poderá disputar o GP dos EUA do Mundial de Motocross, marcado para o dia 3 de setembro, em Gatorback na Flórida, apenas algumas horas distante da pista particular de Stewart.

Esse rumor ganhou força depois que o também piloto e irmão mais novo de James, Malcom Stewart, foi até a Itália assistir um GP do Mundial de Motocross. O holandês Jeffrey Herlings, que é amigo dos irmãos Stewart, na época disse que não pouparia esforços para ver os dois juntos no GP norte-americano.

Para aumentar o mistério, dias atrás Malcom postou no Instagram uma foto com o seu capacete e o capacete de James lado a lado, com a seguinte legenda: “Not quite done yet (ainda não acabou)”. Se James, seu irmão, ou ambos disputaram o GP dos EUA, já será uma vitória para todos. Especialmente para os fãs.

……………………………………………………..
*Fonte: crossclubebrasil

 

 

 

 

 

 

 

Feliz por estar em Le Mans, Barrichello exalta competitividade e revela: “Me senti como um piloto de F1”

Rubens Barrichello encara um desafio inédito em sua carreira neste fim de semana. Recordista de largadas no Mundial de F1, duas vezes vice-campeão, dono de uma temporada no currículo como piloto da Indy e tantas outras provas no Endurance e no kart, o paulista de 45 anos faz seu debute na mais desafiadora prova de resistência. Por conta de todo seu prestígio no exterior, Barrichello vem sendo um dos pilotos com mais destaque nas transmissões por parte de Le Mans, além de ganhar muita atenção do público e da mídia como um todo. Tudo isso faz Rubens se sentir como se ainda fosse um piloto da F1.

“Le Mans é Le Mans, e eu me senti como um piloto de F1 quando saí do paddock e o monte de pessoas que estavam ao meu redor”, destacou o brasileiro, que em Le Mans corre com o Dallara P217 dotado de motor Gibson da equipe holandesa Racing Team Nederland. Na classe LMP2, Barrichello, que corre ao lado do veteraníssimo Jan Lammers — campeão e dono de 23 largadas em Le Mans — e do gentlemen-driver Frits Van Eerd, vai largar em 17º na categoria e em 23º no geral com o protótipo #29.

“Isso é o que eu amo fazer, amo estar com meus amigos e conseguir fazer alguma coisa. Pode não ser a via mais competitiva, mas ainda sou muito competitivo e vou fazer meu melhor”, destacou o brasileiro durante entrevista coletiva concedida em Le Mans.
[Rubens Barrichello teve a chance de guiar pela primeira vez em Le Mans na última quarta (Foto: Racing Team Nederland/Facebook))]
Rubens Barrichello teve a chance de guiar pela primeira vez em Le Mans na última quarta (Foto: Racing Team Nederland/Facebook)
Barrichello destacou a superioridade do chassi Oreca frente ao Dallara na LMP2, e isso se reflete de forma clara no grid de largada. Todas as nove primeiras posições da classe são de protótipos Oreca, enquanto o melhor Dallara, o #27 da equipe russa SMP, tem o décimo lugar na categoria, 16º no geral. O conjunto de Barrichello marcou 3min29s976, marcado pelo brasileiro durante a noite de quinta-feira. A melhor volta da pole na LMP2, com Alex Lynn, da G-Drive, foi de 3min25s352.

Na visão de Rubens, vai ser difícil que a Dallara consiga encurtar a diferença para os Oreca em condições reais. Mas lembrou que Le Mans é uma corrida única e também, obviamente, extremamente longa e imprevisível.

“Isso só vai acontecer se a confiabilidade se tornar um problema e se eles tiverem alguma coisa com a gestão dos pneus, mas além disso, em termos de velocidade, eles são mais rápidos. A Oreca parece ter feito um super trabalho. Nós fomos a segunda força desta vez, e agora a única coisa que se pode dizer é que a Oreca fez um bom trabalho, com quase todos os carros nas nove primeiras posições”, disse.

“Eles parecem muito rápidos. Não sei como vai ser durante a corrida, mas se eles mantiverem esse ritmo durante a prova, vai ser bem difícil de alcançar. Mas 24 horas são uma história bem diferente, e qualquer coisa pode acontecer”, comentou.

Nesta sexta-feira sem atividades na pista, as equipes já pensam no acerto para a corrida. A Racing Team Nederland ainda não definiu qual rumo vai tomar para a prova propriamente dita. “Nós tivemos um [nível] um pouco mais alto [de downforce], mas não tanto quanto o outro Dallara. Ontem, quando esfriou nos minutos finais, consegui entrar nos 3min29s, o que me deixou bem feliz. Estamos decidindo para qual rumo vamos seguir para a corrida [em termos de downforce]”, finalizou.

A 85ª edição das 24 Horas de Le Mans tem largada prevista para 10h (horário de Brasília), com o chefão da F1 Chase Carey dando a bandeirada inicial. A transmissão fica a cargo da Fox Sports, que exibe as primeiras horas da prova ao vivo — e também as duas horas finais, no domingo. No sábado, a transmissão começa a partir de 9h30.

 

…………………………………………………….
*Fonte: grandepremio

 

 

 

 

 

 

 

 

Dovi emendando duas vitórias seguidas na Ducati (Moto GP)

Domingo também foi dia de celebração no Moto GP da Catalunha, na Espanha, com a segunda vitória consecutiva de Andrea Dovizioso (#4), piloto da marca italiana Ducati. Agora o piloto assume a segunda colocação na tabela atual (jun/2017) do mundial, apenas sete pontos atrás do líder Maverick Vinãles.

É muito bom ver a Ducati começando a fazer frente às poderosas Honda e Yamaha, como não fazia desde os tempos do australiano Stoner.

*Então até a próxima prova em Assen (Holanda), dia 25 de junho.