Hipopótamos salvam gnu das mandíbulas de crocodilo

Um vídeo gravado no Parque Nacional Kruger, na África do Sul, mostra um encontro emocionante entre animais: um gnu é abocanhado por um crocodilo, mas acaba sendo salvo por dois hipopótamos que aparecem para afugentar a besta.
Um casal que visitava o parque foi quem realizou a filmagem.

O vídeo

O gnu provavelmente se aproximou da água para matar a sede, e acabou sendo emboscado pelo crocodilo. O herbívoro esforçou-se para libertar-se, mas o predador não conseguiu manter seus poderosos maxilares em sua perna esguia.

Por quase oito minutos, o gnu e o crocodilo ficaram envolvidos em um feroz jogo de cabo de guerra. Eventualmente, a presa se cansou, e esse parecia o fim.
Lentamente, o crocodilo começou a arrastá-lo para a água. Submerso, o réptil com certeza levaria vantagem, mesmo em relação a uma grande presa.
À medida que o gnu se tornava cada vez mais subjugado, dois hipopótamos se aproximaram. De repente, eles avançaram em direção ao crocodilo, fazendo com que o réptil perdesse seu controle sobre o mamífero.

Infelizmente, com uma provável perna quebrada, pode ser que o gnu não sobreviva por muito tempo.

Territoriais

Por que os hipopótamos decidiram “salvar” um gnu em apuros?

Por mais bela que essa explicação pareça, pode não ter sido o caso de um salvamento, conforme explica Douglas McCauley, um explorador da National Geographic e professor da Universidade da Califórnia, nos EUA.

Os hipopótamos podem ser extremamente agressivos, de forma que poderiam estar apenas reagindo a invasão de território do crocodilo.

Os hipopótamos e os crocodilos, animais que frequentam muito a água, geralmente desconfiam um do outro. Os hipopótamos são muito grandes e fortes para serem vítimas de crocodilos, e geralmente se alimentam apenas de vegetação. Mas quando um desses répteis fica a cerca de um metro de um hipopótamo, o mamífero territorial pode se incomodar.

Aliás, eles podem se incomodar a aproximação de qualquer indivíduo. McCauley crê que a movimentação do gnu na água chamou a atenção dos hipopótamos, que decidiram “proteger” seu território.

Mesmo que o vídeo não mostre necessariamente um caso de altruísmo animal, McCauley diz que é um ótimo exemplo de como os animais coabitam e compartilham espaço na natureza. [NatGeo]

 

………………………………………………………..
*Fonte: hypescience

Anúncios

Lobos fazem algo impensável e evitam uma catástrofe

O vídeo que vos trazemos hoje não tem qualquer tipo de influência humana, hoje trata-se da natureza no seu estado mais puro.

O vídeo mostra, essencialmente, como a simples existência de lobos na natureza pode influenciar todo um habitat, pois eles não se limitam a matar animais de certas espécies, acabando mesmo por dar vida a outros tantos. Ao caçar espécies que estão abaixo deles na cadeia alimentar, dão oportunidade a outras espécies, que estão abaixo da espécie das suas presas, de viver e reproduzir.

Pode parecer confuso, mas legendas e as imagens tornam tudo mais fácil de entender. É incrível a forma como funciona a natureza!

……………………………………..
*Fonte: tamesmobrutal

Um gato no caminho

Hoje, domingo de manhã, depois de uma volta “pure fitness” de exercícios e caminhada (sim, aqui não é somente um rostinho bonito…kkkk), aconteceu uma coisa estranha. Um gatinho que é de alguém do meu prédio, sei porque já o vi antes perambulando por aí, do nada aparece na minha frente quando chego em frente a porta, então ele se joga aos meus pés e se vira de barriga prá cima, como quem diz:
– Me faz um carinho aí tio.

Rsrsrsrs…. tudo bem!

Na horame recordei de que uma vez me disseram de que quando um gato do qual você não tem intimidade alguma fizer uma coisa dessas, é sinal de que você é uma pessoa que possui uma “energia boa”. E como se sabe, os gatos são animais muito sensíveis a esse tipo de manifestação e percepção, vide que sempre referência e dotados de características místicas – coisas de pessoas espiritualizadas comentando.
Mas se é o que dizem, então OK.

Claro que fiz um carinho no gatinho e é claro que provavelmente a partir de agora será meu mais novo amigo aqui do prédio.

De qualquer forma, só queria mencionar esse fato porque na boa, isso é uma coisa muito fora do normal no meu dia a dia mas me lembrei desse papo da energia boa. Nunca fui muito chegado em gatos, prefiro cachorro mas quem sabe uma hora dessas bem que poderia ter um.

Flw

 

Gatos entendem (e copiam) as expressões dos donos

Eles gostam tanto e prestam tamanha atenção nos donos que até imitam seus hábitos. E não só isso. É com base nas suas reações e expressões que eles percebem o mundo – e descobrem como devem reagir às novidades.

A conclusão é de um estudo italiano. Pesquisadores convidaram 24 gatos e seus donos para ver se os animais prestavam atenção às reações dos humanos. Cada dupla foi colocada em uma sala com um ventilador cheio de fitas plásticas verdes. A única saída de fuga da sala ficava em um ponto onde estavam uma tela e uma câmera. “A ideia era avaliar se os gatos usam a informação emocional fornecida pelos donos sobre um objeto desconhecido para guiar seu comportamento”, diz a pesquisa.

Para isso, ao entrar na sala, os donos observaram o ventilador de forma neutra. Em seguida, mostraram uma reação negativa (medo, afastamento do objeto) ou positiva (felicidade) – sempre olhando do gato para o ventilador e do ventilador para o gato.

Em 79% das vezes, os animais observavam o objeto e o dono, como se tentassem entender o que estava acontecendo. Quando a expressão era negativa, os bichinhos começavam a olhar mais para a tela, onde ficava a única saída. “Era a única saída possível. Então, olhar para a tela e depois para o ventilador sugere que os gatos estavam preocupados e queriam encontrar uma maneira de fugir”, conclui a pesquisa.

É por isso que você precisa prestar mais atenção às suas reações. Se você sente medo ou raiva, seu gato pode perceber. E copiar os mesmos sentimentos.

 

…………………………………………………………..
*Fonte: superinteressante

Psicóloga de Harvard explica com o que sonham os cachorros e é impossível não se emocionar

Todo dono de cachorro já se pegou babando ao observar seu bichinho dormindo, esse divertiu ao ver e ouvir suas reações durante os sonhos, como aqueles movimentos das pernas como se eles estivessem correndo. Você já se perguntou sobre o que eles estariam sonhando? Uma psicóloga de Harvard pode ter a resposta.

Deirdre Barrett se interessou pelos sonhos desde jovem, e há muitos anos estuda o tema. Além de pesquisar sobre os sonhos humanos, ela aprendeu também sobre os dos animais durante sua carreira. E sua resposta sobre os sonhos dos cães gerou muitas reações no Twitter.

Segundo Barrett, o ciclo de sono dos animais é parecido com o dos humanos. “Nós sonhamos com coisas que nos acontecem durante os dias, mas com mais apelo visual e menos lógica. Não há por que achar que é diferente com os animais”, afirma. Assim, como os cães são muito ligados a seus donos, é provável que eles sonhem com seus rostos, seu cheiro e em situações em que te agradam ou provocam.

 

……………………………………………………
*Fonte: hypeness

O Silêncio dos Lobos

Pense em alguém poderoso.
Essa pessoa briga e grita como uma galinha ou olha em calmo silêncio, como um lobo?

Os lobos não gritam.

Eles têm uma aura de força e poder. Observam em silêncio.
Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio.

Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas.
Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos.

Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis.

Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia e continua a trabalhar mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota.

Olhe… sorria… silencie… vá em frente.

Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar.

Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso.

Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) ideia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques.

Não é verdade. Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir.
Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal.

Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça.
Você pode escolher o silêncio.

Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu Xenócrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar:

“Arrependo-me de coisas que disse, mas jamais de meu silêncio.”

Responda com o silêncio, quando for necessário.

Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais, use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não ter que responder em alguns momentos.

Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas.

E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas.
…………………………………………………………………………………..
*Fonte: osegredo/Aldo Novak

Por que nós não temos predadores?

Não é muito difícil encontrar livros didáticos – geralmente de história – que possuem figuras de nossos ancestrais carregando lanças para caçar e se defender dos predadores. Mas o que parece ter sido uma evolução muito difícil para a espécie humana acaba sendo uma grande fonte de perguntas. Para onde foram os predadores que ameaçavam a evolução da nossa espécie?

Hoje em dia o planeta Terra abriga cerca de 7 bilhões de pessoas, que não estão distribuídas igualmente ao longo do território. A nossa explosão demográfica é algo recente (veja a imagem abaixo), estima-se que em 1804 a população mundial chegou pela primeira vez à marca de 1 bilhão de pessoas. Com uma população não tão abundante e que se distribui de maneira desigual pelo globo, os humanos acabavam não sendo a primeira opção para a caça de outros animais. Lembre-se: uma presa que não possui uma população considerável e que não é fácil de encontrar em uma determinada área não é uma boa presa.

Além disso, caçar humanos não é uma tarefa fácil. Os seres humanos podem ser um problema para os animais até na hora de se defenderem. Nós não possuímos armaduras, garras afiadas ou presas que nos permitem brigar, mas podemos levar nossos inimigos até exaustão, nos juntarmos em grupos para nos defendermos e somos incrivelmente bons em jogar coisas. Desses atributos, sem dúvida o que mais contribui para o nosso sucesso é o fato de sermos habilidosos com projéteis (coisas para lançarmos em nossos inimigos). Nossos ancestrais desenvolveram a habilidade de lançar coisas e ao longo da história aperfeiçoamos isso até nos tornarmos os melhores lançadores dentre os seres vivos. É muito difícil caçar algo que vai lhe causar exaustão, se juntar em grupos pra se defender ou atacar à distância antes que você possa chegar em combate corpo-a-corpo.

Então por que nós não possuímos predadores? Ao contrário do que muitos pensam, não é por causa da nossa inteligência. Nós apenas não somos interessantes para que os possíveis predadores se alimentem exclusivamente de nossa espécie. Graças a nossa pequena população durante quase todo o período evolutivo que não nos tornamos a presa ideal para que animais conseguíssem garantir sua subsistência em nossos indivíduos.

Para finalizar, um vídeo do canal Ciência Todo Dia que trata sobre o assunto! Recomendo para os seus amigos que não tiverem paciência para ler.

 

…………………………………………………..
*Fonte: universoracionalista