Feliz aniversário Buddy Guy (81 anos)

Anúncios

Aniversário de Lenny Kravitz – 53 anos

Já há algum tempo digo para mim mesmo baseado sei lá em que, de que o Lenny Kravitz legal, bacanudo mesmo era aquele dos primeiros álbuns – até o Circus, quando ele despirocou de vez (morte da mãe) e virou um músico meio perdido e sem sal. Tá, OK. Isso aconteceu mesmo, mas nem por isso o cara perdeu a mão para grandes músicas aqui e ali em seus últimos álbuns. A vida segue e Lenny  aquele seu puta time/banda, sabem muito bem pavimentar o caminho com guitarraços, sopros, soul, blues, rock, groove e sim, algumas baladas muito phoda.

Tá Lenny, tá perdoado e sigo sim seu fan mesmo que deixando de lado algumas  suas músicas. Parabéns meu velho.
E já disse tantas vezes, se aparecesse um gênio da lâmpada e eu pudesse fazer 3 pedidos, um deles seria ser o baixista de algumas dessas bandas: The Cult, Gov’t Mule ou da banda do Lenny Kravitz (mesmo que não faça sentido algum aí para você que está lendo, essa disparidade toda de estilos…). Isso é uma verdade e vários amigos sabem…rsrsrsrs

Feliz aniversário Lenny!

OBS: como uma espécie de teste para mim-self-mesmo, me contive a muito custo e não selecionei nenhum de meus sons TOP PREFERIDOS para postar aqui hoje. E são vários…

 

Aniversariante do dia – Pete Townshend (The Who)

Taí um de meus guitarristas favoritos, que junto com o Keith Richards e o Malcolm Young podem não ser os melhores guitarristas solo do mundo, mas cara, são MUITO phoda! São até mais do que isso, são compositores, tem “atitude”, criam riff e músicas rock até o talo – fazem hits como ninguém. Quer mais do que isso?

Então Pete Townshend, um de meus tantos herois da música, aqui vai um grande abraço pelo seu aniversário de 72 anos.
Meus parabéns!

*Ah! Espero vê-lo em breve aqui em POA esse ano, hein! Se cuide.

 

 

Willie Nelson (83 anos)

Ontem foi aniversário do cantor e compositor americano Willie Nelson. Parabéns!

Discografia:

1962 And Then I Wrote
1963 Here’s Willie Nelson
1965 Country Willie – His Own Songs 14
1966 Country Favorites-Willie Nelson Style 9
1967 Make Way for Willie Nelson 9
1967 “The Party’s Over” And Other Great Willie Nelson Songs 9
1968 Good Ol’ Country Singin’
1968 Texas In My Soul 9
1969 Good Times 29
1969 My Own Peculiar Way 39
1970 Columbus Stockade Blues
1970 Both Sides Now
1970 Laying My Burdens Down
1971 Willie Nelson and Family 43
1971 Yesterday’s Wine
1972 The Words Don’t Fit the Picture
1972 The Willie Way 34
1973 Country Winners
1973 Shotgun Willie 41
1974 Spotlight on Willie Nelson
1974 Phases and Stages 34 187
1975 Country Willie
1975 What Can You Do to Me Now
1975 Red Headed Stranger 1 28 2× Multi-Platinum Gold
1976 The Sound in Your Mind 1 48 Platinum
1976 Troublemaker 1 60 Gold
1977 Willie – Before His Time 3 78
1977 To Lefty From Willie 2 91
1978 There’ll Be No Teardrops Tonight
1978 Stardust 1 30 5× Multi-Platinum 2× Platinum
1978 Face of a Fighter
1979 Sweet Memories 6 154
1979 Sings Kristofferson 5 42 Platinum Gold
1979 Pretty Paper 11 73 Platinum Gold
1980 Electric Horseman 3 52 Gold
1980 Honeysuckle Rose 1 11 2× Multi-Platinum
1981 Minstrel Man 39 148
1982 Always on My Mind 1 2 4× Multi-Platinum 2× Platinum
1983 My Own Way 182
1983 Tougher Than Leather 4 39
1984 Without a Song 13 54 Platinum
1984 City of New Orleans 1 162 Platinum Gold
1984 Don’t You Ever Get Tired (of Hurting Me)
1985 Me and Paul 3 152
1986 Partners 13
1986 The Promised Land 1
1987 Island in the Sea 14
1987 What a Wonderful World 6
1989 Horse Called Music 6
1990 Born for Trouble 31
1992 The IRS Tapes: Who’ll Buy My Memories?
1992 Any Old Arms Won’t Do
1993 Across the Borderline 15 75
1994 Six Hours at Pedernales
1994 Moonlight Becomes You 37
1994 Healing Hands of Time 17 103
1995 Just One Love
1995 Augusta
1996 Standard Time
1996 Spirit 20 123
1996 How Great Thou Art
1999 Night and Day
2000 Milk Cow Blues 83
2000 Me and the Drummer (Tales Out of Luck)
2001 Rainbow Connection 52
2002 The Great Divide 5 43
2002 Willie Nelson & Friends – Stars & Guitars 18 133
2003 Crazy: The Demo Sessions 32
2004 Outlaws and Angels 10 69
2004 It Always Will Be 12 75
2004 Nacogdoches
2005 Songs 13 64
2005 Songs for Tsunami Relief: Austin to South Asia 57
2005 Countryman 6 46
2006 You Don’t Know Me: The Songs of Cindy Walker 24 114
2008 Moment of Forever

Warren Haynes – Feliz Aniversário gordinho!

Hoje um de meus grandes heróis da guitarra (somente talvez abaixo do Jimi Hendrix) e não dá para esquecer que ele também cantas muito – Warreen Haynes, está completando 57 anos de vida. Sua passagem pelo mítica banda americana de southern rock “The Allman Brothers”, sua carreira solo e ainda o “Gov’t Mule”… báh, por si só já são credenciais mais do que suficientes para torná-lo sem dúvida uma dos caras mais feras e pica da galáxia na música em seis cordas.

Nem tenho tempo e também nem conseguiria colocar isso aqui em apenas poucas palavras, o tanto que admiro a sua música e a importancia para o universo banjoman-boldiniano, minha vida e o escambau. Esse gordinho safado canta e toca muito, aliás, sempre com uns timbraços na sua guitarra e ainda também toca versões phodásticas de “tudo” que é estilo de música – basta uma rápida pesquisa no youtube e você vai ver a enorme gama de estilos e diferentes bandas das quais ele canta e toca versões, dando sua “pitada bluesy” na coisa. Ah, e se por acaso você não consegue reconhecer ou perceber isso, sinto muito baby. Aliás, foda-se!!! Azar o seu. Na real nem é tarefa minha aqui tentar fazer ou impor a alguém que curta esse ou aquele artista. Aqui lança-se sementes, dá-se dicas disso e daquilo, não se caga lei e que cada um decida por si o que melhor lhe convém.

Entonces hoje é dia de Warren Haynes aqui no blog e assim, de celebrarmos o seu aniversário, sua música e a sua arte, quer você goste, concorde ou não.

Muita saúde, felicidades, SORTE e também “mais” sucesso ainda por longos anos em sua carreira tio Warren! Um forte banjo abraço. THANKS man!

Aniversário de 50 anos de Kurt Cobain

Se estivesse vivo, hoje Kurt Cobain estaria provavelmente promovendo alguma festa em comemoração de seu aniversário de 50 anos de idade. Mas com seu espírito inquieto, angustiado e revolucionário, somando-se aí também o abuso nas drogas, resolveu por fim a sua vida de marido, pai e sua carreira como músico em 5 de abril de 1994, aos 27 anos.

Coma  sua banda Nirvana, foi um divisor de águas na história do rock e da música, tudo em pouco mais de 3 anos de música de fato, porque se levarmos em conta, sua banda começou em 1987 mas o sucesso perante o público aconteceu mesmo a partir do final de 1991, com o lançamento do álbum “Nevermind” (hoje um clássico do rock) e seu suicídio em 1994.

O seu legado artístico permanece. A ironia, acidez e sagacidade de suas letras somados aos esporros musicais de seus riffs, por vezes tortuosos – de sua guitarra, ainda ressoam até os dias de hoje. Acredite.

Valeu Kurt. Descanse em paz. Sua batalha contra a hipocrisia da indústria fonográfica, gravadoras e o ambiente ‘mainstream” da música foi muito importante. Música de merda sempre existiu e ainda existe (e como), mas você apontou a direção e mostrou o caminho. Thanks. Muita coisa mudou e com certeza ainda irá mudar. Hoje as gravadoras nem são mais tão importantes assim como no seu tempo.

kurtc_04

kurtc_06

kurtc_07

kurtc_09

Eddie Van Halen – 62 anos

Hoje completa 62 anos de idade um dos maiores guitarristas de todos os tempos, Edward Lodewijk Van Halen, mais conhecido como Eddie Van Halen (26/01/1955 – Nimegue / Holanda), da banda Van Halen.

Feliz aniversário mestre!

Taí um cara diferenciado e um dos “poucos” realmente grandes guitarristas da história do rock. Criou e desenvolveu técnicas de guitarra que foram e ainda são copiadas ou tomadas como base, até hoje. Fez sua própria customização de guitarra, que depois também foi copiada em todo o planeta, desenvolveu muitas outras coisas interessantes no universo das seis cordas.

E a banda que leva o nome de família (fundada junto com o irmão baterista), também é muito “phoda”. Quem não viveu aqueles loucos anos 80/90 ou então não sentiu os efeitos da imensa cratera que abriram no universo do rock, da paulada que foram naquela época. O que falar daqueles primeiros álbuns? bem, imagino que jamais vai entender o quanto revolucionário para o rock Edward Van Halen e a banda foram. E na boa, nem vou perder meu tempo em tentar explicar isso aqui.

Se você pensar em banda de hard rock de qualidade e muita competência, pode pensar no Van Halen direto. E mais, se quiser também ter a ideia de como uma banda de rock tocava prá caralho e ao mesmo tempo os caras eram muito loucos. Taí! Basta pesquisarem por suas tantas histórias de bastidores de shows, tours e gravações. Já não fazem mais bandas assim…. sinto pena e vergonha da galera de agora escutando e curtindo tanta banda cagada, sem fibra nem tampouco com o rock na veia.

Mas o que importa é o que o Van Halen e mais precisamente, o que o Eddie V. H. fez. Esse não precisa provar porra nenhuma para ninguém.

Parabéns aqui do Banjoblog, mestre!
Keep on rock.

 

eddie_01

 

 

 

 

 

 

 

 

 

eddie_06

 

 

 

 

 

 

 

 

eddie_05

 

 

 

 

 

 

 

 

eddie_03

 

 

 

 

 

 

 

 

 

eddie_02

 

 

Zakk Wylde – Feliz Aniversário!

O ilustre aniversariante deste sábado foi Zakk Wylde, de quem sou fan desde seu tempo de guitarrista do Ozzy. Acredito que seus álbuns solo “Pride & Glory” e depois o “The Book of Shadows”, devem ter sido os álbuns que mais escutei na vida. Hoje nem tanto mais, mas nunca me esqueci da vibe bacanuda que senti ao escutar esses dois álbuns, cada um a seus tempo, pela primeira vez. Putaquispariu!

Feliz aniversário Zacarias Selvagem!

 

Jimi Hendrix estaria hoje completando 74 anos

James Marshall “Jimi” Hendrix (nascido Johnny Allen Hendrix; Seattle, 27 de novembro de 1942 / Londres, 18 de setembro de 1970) foi um guitarrista, cantor e compositor norte-americano. Em praticamente todas as listas já publicadas de melhores guitarristas da história, ocupa o primeiro lugar, e um dos mais importantes e influentes músicos de sua era, em diversos gêneros musicais.

Depois de obter sucesso inicial na Europa, conquistou fama nos Estados Unidos depois de seu desempenho em 1967 no Festival Pop de Monterey. Hendrix foi a principal atração, dois anos mais tarde, do icônico Festival de Woodstock e do Festival da Ilha de Wight, em 1969 e 1970 respectivamente. Hendrix dava preferência a amplificadores distorcidos e crus, dando ênfase ao ganho e aos agudos, e ajudou a desenvolver a técnica, até então indesejada, da microfonia. Hendrix foi um dos músicos que popularizaram o pedal wah-wah no rock popular, que ele utilizava frequentemente para dar um timbre exagerado a seus solos, particularmente com o uso de bends e legato baseados na escala pentatônica.

Foi influenciado por artistas de blues como T-Bone Walker, B.B. King, Muddy Waters, Howlin’ Wolf, Albert King e Elmore James, guitarristas de rhythm and blues e soul como Curtis Mayfield, Steve Cropper, assim como de alguns artistas do jazz moderno.

Em 1966, Hendrix, que tocou e gravou com a banda de Little Richard de 1964 a 1965, foi citado como tendo dito: “Quero fazer com minha guitarra o que Little Richard faz com sua voz.”

Como produtor musical, Hendrix também inovou ao usar o estúdio de gravação como uma extensão de suas idéias musicais. Foi um dos primeiros a experimentar com a estereofonia e phasing em gravações de rock.

Hendrix conquistou diversos dos mais prestigiosos prêmios concedidos a artistas de rock durante sua vida, e recebeu diversos outros postumamente, incluindo sua confirmação no Hall da Fama do Rock and Roll americano, em 1992, e no Hall da Fama da Música do Reino Unido, em 2005.

Uma blue plaque (placa azul) foi erguida, com seu nome, diante de sua antiga residência, na Brook Street, de Londres, em setembro de 1997. Uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood (Hollywood Boulevard, 6627) foi-lhe dedicada em 1994.

Em 2006 seu álbum de estréia nos Estados Unidos, Are You Experienced, foi inserido no Registro Nacional de Gravações, e a revista Rolling Stone classificou-o como o melhor guitarrista na sua lista de 100 maiores guitarristas de todos os tempos, em 2003.[16] Hendrix também foi a primeira pessoa a fazer parte do Hall da Fama da Música Nativo-Americana.

>> Se interessar a dica, uma bio mais completa d eJimi Hendrix [ AQUI: http://www.jimihendrix.com.br/biografia.asp ]  

………………………
*Fonte: wikipedia

jimih_2016_04

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jimih_2016_03_pp

 

 

 

 

 

 

 

jimih_2016_12_pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jimih_2016_07_pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jimih_2016_01

Glenn Hughes, meu mestre está de aniversário hoje!

Já estava me esquecendo e quase deixando passar de fazer esse post. PUTZ!!!

Hoje é o aniversário de nada mais, nada menos, do que o de Glenn Hughes (64 anos). Ele simplesmente é uma de minhas maiores influências no baixo, curto muito a sua fase no Deep Purple e aquela sua levada de baixo pesada, mas cheia de groove ao mesmo tempo… nossa! Seu timbre de baixo no álbum “Made in Europe”… bãisch.

Tudo bem, ainda dá tempo!

Aqui vai o meu salve todo especial prá ti Glenn Hughes. Meus parabéns meu velho mestre!
Boas energias. Keep on rock.

Buddy Guy – Feliz aniversário

Hoje completa 80 anos de vida um dos maiores bluesman vivos do planeta – Buddy Guy!

Além de ser um excelente guitarrista e cantor, o cara ainda tem um carisma incrível, um dos últimos GRANDES da história do blues. O cara simplesmente é tipo a “história viva” da música, saca!? Keep on the road, man.

Felicitações thunder aqui do blog para Buddy Guy.

 

Feliz aniversário Eric Clapton

Hoje completa 71 anos um dos maiores guitarristas de blues/rock de toda história, Eric Clapton.
Fica aqui a nossa felicitação pelo aniversário do Slowhand.

Parabéns Eric Clapton!

 

Discografia:

1963 Sonny Boy Williamson and The Yardbirds (com Yardbirds)
1964 Five Live Yardbirds (com Yardbirds)
1965 For your love (com Yardbirds – coletânea americana)
1965 Having a Rave Up (com Yardbirds – coletânea americana)
1966 Blues Breakers with Eric Clapton (com John Mayall and The Bluesbreakers)
1966 Fresh Cream (com Cream)
1967 Disraeli Gears (com Cream)
1968 Wheels of Fire (com Cream)
1969 Goodbye Cream (com Cream)
1969 Blind Faith (com Blind Faith)
1969 Best of Cream (com Cream – coletânea)
1970 On Tour with Eric Clapton (com Delaney, Bonnie & Friends)
1970 Live Cream (com Cream – coletânea ao vivo)
1970 Eric Clapton
1970 Layla and Other Assorted Love Songs (com Derek and the Dominos)
1971 The Yardbirds Featuring Performances by: Jeff Beck, Eric Clapton, and Jimmy Page (com Yardbirds – coletânea)
1972 Live Cream Volume II (com Cream – coletânea ao vivo)
1972 Heavy Cream (com Cream – coletânea)
1972 History of Eric Clapton (coletânea)
1972 Eric Clapton at His Best (coletânea)
1973 In Concert (com Derek and the Dominos) (ao vivo em 1970)
1973 Clapton (coletânea)
1973 Eric Clapton’s Rainbow Concert (ao vivo em 1972)
1974 461 Ocean Boulevard
1975 There’s One in Every Crowd
1975 E.C. Was Here (ao vivo)
1976 No Reason to Cry
1977 Slowhand
1978 Backless
1980 Just One Night (duplo; ao vivo em 1979)
1981 Another Ticket
1982 Time Pieces: Best Of Eric Clapton (1970-1978)
1983 Money and Cigarettes
1984 Too Much Monkey Business
1984 Backtrackin’
1985 Behind the Sun
1986 August
1987 The Cream of Eric Clapton
1988 Crossroads (box set)
1989 Homeboy
1989 Journeyman
1990 The Layla Sessions (com Derek and the Dominos) (caixa em comemoração aos 20 anos de lançamento)
1991 24 Nights (ao vivo em 1990)
1992 Rush
1992 Unplugged (ao vivo)
1994 From the Cradle
1994 Live at the Fillmore (com Derek and the Dominos) (ao vivo em 1973)
1995 The Cream of Clapton
1996 Crossroads 2: Live in the Seventies (CD quádruplo, gravações ao vivo de 1974 a 1978)
1997 From the Cradle
1998 Pilgrim
1999 The Blues (álbum duplo)
1999 Clapton Chronicles: The Best of Eric Clapton
2000 Riding With the King (com B.B. King)
2001 Reptile
2002 One More Car, One More Rider (ao vivo em 2001)
2004 Me and Mr. Johnson (versões de músicas de Robert Johnson)
2005 Back Home
2007 Complete Clapton
2009 Eric Clapton and Steve Winwood (Live from Madison Square Garden)
2010 Clapton
2011 Marsalis & Clapton play the Blues (Live from Jazz At Lincoln Center)
2013 Old Sock

 

ericclapton

Beatle George

Se estivesse vivo, o chamado beatle “tímido” George Harisson, estaria hoje completando 73 anos.

george-harrison-sozinho011

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

george-harrison-sozinho10

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

george-harrison-sozinho08

 

 

 

 

 

 

 

 

 

george-harrison-sozinho04

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

george-harrison-sozinho03pp

 

Cliff Burton

Hoje estaria completando 54 anos Cliff Burton, o icônico ex-baixista do Metallica. Estranho dizer parabéns nesse caso, mas não custa lembrar a data e também o legado, bem como a sua história no universo do rock pesado como o excelente baixista que foi.

Thanks, man!

cliffburton_03

 

 

 

 

 

 

 

 

cliffburton_01

James Patrick Page

Hoje quem está de aniversário completando 72 anos é Jimmy Page, o eterno guitarrista do Led Zeppelin. Mesmo à distância e por caminhos tortuosos da web, lhe desejamos muitas felicidades, saúde, SORTE neste seu aniversário. Muito obrigado por todo esse incrível trabalho musical que fizeste!!! PARABÉNS.

jimmypage_img_01pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jimmypage_img_17pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jimmypage_img_09pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jimmypage_img_15pp

John Paul Jones

Hoje está de aniversário uma das grandes lendas do mundo do contrabaixo, John Paul Jones (Led Zeppelin), completa 70 anos. Valeu mestre, muitas alegrias, novos projetos e saúde! Um forte abraço da equipe Banjomanbold. Keep on rock.

JohnPaulJones_01

 

 

 

 

 

 

 

 

Zygmunt Bauman – aniversário de 90 anos

Zygmunt Bauman (Poznań, 19 de novembro de 1925) é um sociólogo polonês. Serviu na Segunda Guerra Mundial pelo exército da União Soviética e conheceu sua esposa, Janine Bauman, nos acampamentos de refugiados poloneses. Nos anos 40 e 50 foi militante entusiasmado do Partido Comunista Polonês, até se desligar da organização devido ao fracasso da experiência socialistas no leste europeu.
Se graduou em sociologia na URSS e, por seu status de combatente, conseguiu ascender socialmente: saiu da condição modesta que seus pais lhe propiciaram durante a juventude e tornou-se professor universitário[2] . Iniciou sua carreira na Universidade de Varsóvia, de onde foi afastado em 1968, após ter vários livros e artigos censurados. Emigrou então da Polônia, por motivo de perseguições antissemitas, e na Grã-Bretanha tornou-se professor titular da Universidade de Leeds (1971 em diante). Recebeu os prêmios Amalfi (1989, por sua obra Modernidade e Holocausto) e Adorno (1998, pelo conjunto de sua obra). É professor emérito de sociologia das universidades de Leeds e Varsóvia.

As obras de Bauman:
1957: Zagadnienia centralizmu demokratycznego w pracach Lenina [Questions of Democratic Centralism in Lenin’s Works]. Warszawa: Książka i Wiedza.
1959: Socjalizm brytyjski: Źródła, filozofia, doktryna polityczna [British Socialism: Sources, Philosophy, Political Doctrine]. Warszawa: Państwowe Wydawnictwo Naukowe.
1960: Klasa, ruch, elita: Studium socjologiczne dziejów angielskiego ruchu robotniczego [Class, Movement, Elite: A Sociological Study on the History of the British Labour Movement]. Warszawa: Państwowe Wydawnictwo Naukowe.
1960: Z dziejów demokratycznego ideału [From the History of the Democratic Ideal]. Warszawa: Iskry.
1960: Kariera: cztery szkice socjologiczne [Career: Four Sociological Sketches]. Warszawa: Iskry.
1961: Z zagadnień współczesnej socjologii amerykańskiej [Questions of Modern American Sociology]. Warszawa: Książka i Wiedza.
1962 (with Szymon Chodak, Juliusz Strojnowski, Jakub Banaszkiewicz): Systemy partyjne współczesnego kapitalizmu [The Party Systems of Modern Capitalism]. Warsaw: Książka i Wiedza.
1962: Spoleczeństwo, w ktorym żyjemy [The Society We Live In]. Warsaw: Książka i Wiedza.
1962: Zarys socjologii. Zagadnienia i pojęcia [Outline of Sociology. Questions and Concepts]. Warszawa: Państwowe Wydawnictwo Naukowe.
1964: Zarys marksistowskiej teorii spoleczeństwa [Outline of the Marxist Theory of Society]. Warszawa: Państwowe Wydawnictwo Naukowe.
1964: Socjologia na co dzień [Sociology for Everyday Life]. Warszawa: Iskry.
1965: Wizje ludzkiego świata. Studia nad społeczną genezą i funkcją socjologii [Visions of a Human World: Studies on the social genesis and the function of sociology]. Warszawa: Książka i Wiedza.
1966: Kultura i społeczeństwo. Preliminaria [Culture and Society, Preliminaries]. Warszawa: Państwowe Wydawnictwo Naukowe.
1972: Between Class and Elite. The Evolution of the British Labour Movement. A Sociological Study. Manchester: Manchester University Press ISBN 978-0-7190-0502-2 (Polish original 1960)
1973: Culture as Praxis. London: Routledge & Kegan Paul. ISBN 978-0-7619-5989-2
1976: Socialism: The Active Utopia. New York: Holmes and Meier Publishers. ISBN 0-8419-0240-2
1976: Towards a Critical Sociology: An Essay on Common-Sense and Emancipation. London: Routledge & Kegan Paul. ISBN 0-7100-8306-8
1978: Hermeneutics and Social Science: Approaches to Understanding. London: Hutchinson. ISBN 0-09-132531-5
1982: Memories of Class: The Pre-history and After-life of Class. London/Boston: Routledge & Kegan Paul. ISBN 0-7100-9196-6
c1985 Stalin and the peasant revolution: a case study in the dialectics of master and slave. Leeds: University of Leeds Department of Sociology. ISBN 0-907427-18-9
1987: Legislators and interpreters – On Modernity, Post-Modernity, Intellectuals. Ithaca, N.Y.: Cornell University Press. ISBN 0-8014-2104-7
1988: A liberdade (Freedom. Philadelphia: Open University Press. ISBN 0-335-15592-8). Estampa ISBN 9723308118
1989: Modernidade e Holocausto (Modernity and The Holocaust. Ithaca, N.Y.: Cornell University Press 1989. ISBN 0-8014-2397-X). Traduzido por Marcus Penchel. Jorge Zahar Editor ISBN 85-7110-483-2
1990: Paradoxes of Assimilation. New Brunswick: Transaction Publishers.
1990: Thinking Sociologically. An introduction for Everyone. Cambridge, Mass.: Basil Blackwell. ISBN 0-631-16361-1
1991: Modernidade e Ambivalência (Modernity and Ambivalence. Ithaca, N.Y.: Cornell University Press. ISBN 0-8014-2603-0). Traduzido por Marcus Penchel. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-494-5
1992: Intimations of Postmodernity. London, New York: Routhledge. ISBN 0-415-06750-2
1992: Mortality, Immortality and Other Life Strategies. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-1016-1
1993: Ética pós-moderna (Postmodern Ethics. Cambridge, MA: Basil Blackwell. ISBN 0-631-18693-X). Paulus Editora ISBN 8534909040
1995: Life in Fragments. Essays in Postmodern Morality. Cambridge, MA: Basil Blackwell. ISBN 0-631-19267-0
1996: Alone Again – Ethics After Certainty. London: Demos. ISBN 1-898309-40-X
1997: O Mal-Estar da Pós-Modernidade (Postmodernity and its discontents. New York: New York University Press. ISBN 0-7456-1791-3). Traduzido por Luís Carlos Fridman. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-464-8
1998: Work, consumerism and the new poor. Philadelphia: Open University Press. ISBN 0-335-20155-5
1998: Globalização: As Conseqüências Humanas (Globalization: The Human Consequences. New York: Columbia University Press. ISBN 0-7456-2012-4). Traduzido por Marcus Penchel. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-495-2
1999: Em Busca da Política (In Search of Politics. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-2172-4). Traduzido por Marcus Penchel. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-553-9
2000: Modernidade Líquida (Liquid Modernity. Cambridge: Polity ISBN 0-7456-2409-X). Traduzido por Plínio Dentzien. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-598-0
(2000 [ed. por Peter Beilharz]: The Bauman Reader. Oxford: Blackwell Publishers. ISBN 0-631-21492-5)
2001: Comunidade: A Busca por Segurança no Mundo Atual (Community. Seeking Safety in an Insecure World. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-2634-3). Traduzido por Plínio Dentzien. Jorge Zahar Editor ISBN 85-7110-699-1
2001: A sociedade individualizada (The Individualized Society. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-2506-1). Traduzido por José Maurício Gradel. Jorge Zahar Editor ISBN 8537801070
2001 (com Keith Tester): Conversations with Zygmunt Bauman. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-2664-5
2001 (com Tim May): Thinking Sociologically, 2nd edition. Oxford: Blackwell Publishers. ISBN 0-631-21929-3
2002: Society Under Siege. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-2984-9
2003: Amor Líquido: Sobre a Fragilidade dos Laços Humanos (Liquid Love: On the Frailty of Human Bonds. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-2489-8). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-795-3
2003: City of fears, city of hopes. London: Goldsmith’s College. ISBN 1-904158-37-4
2004: Vidas Desperdiçadas (Wasted Lives. Modernity and its Outcasts. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-3164-9). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-873-8
2004: Europa: Uma Aventura Inacabada (Europe: An Unfinished Adventure. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-3403-6). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 85-7110-895-1
2004: Identidade: Entrevista a Benedetto Vecchi (Identity: Conversations with Benedetto Vecchi. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-3308-0). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-889-9
2005: Vida Líquida (Liquid Life. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-3514-8). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-969-8
2006: Medo líquido (Liquid Fear. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-3680-2). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-378-0048-5
2006: Tempos líquidos (Liquid Times: Living in an Age of Uncertainty. Cambridge: Polity. ISBN 0-7456-3987-9). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-7110-993-3
2007: Arte, ¿líquido?. Madrid: Ediciones Sequitur. ISBN 978-84-95363-36-7
2008: Vida para consumo. (Consuming Life.Cambridge: Polity. 2007. ISBN 0-7456-4002-8) Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 978-85-378-0066-9
2008: A arte da vida (The art of life. John Wiley). Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537801185
2009: Confiança e medo na cidade. Traduzido por Eliana Aguiar. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537801222
2010: Capitalismo Parasitário e Outros Temas Contemporâneos. Traduzido por Eliana Aguiar. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537802052
2010: Legisladores e intérpretes. Traduzido por Renato Aguiar. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537802724
2010: Vida a crédito. Traduzido por Alexandre Werneck. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537802656
2010: Aprendendo a pensar com a sociologia. Traduzido por Alexandre Werneck. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537801970
2011: Bauman sobre Bauman: diálogos com Keith Tester. Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537800003
2011: Vida em fragmentos. Traduzido por Alexandre Werneck. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537805152
2011: 44 cartas do mundo líquido moderno. Traduzido por Vera Pereira. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537806814
2011: A ética é possível num mundo de consumidores?. Traduzido por Alexandre Werneck. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537807163
2012: Ensaios sobre o conceito de cultura. Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 9788537808009
2015: Desafios do mundo moderno.. Traduzido por Carlos Alberto Medeiros. Jorge Zahar Editor ISBN 9786356421531

* Interessado em suas obras? Confira no link abaixo a promoção de livros do escritor:

http://zahar.com.br/autor/zygmunt-bauman

>> De parte do BanjomanBold fica aqui uma pequena e singela homenagem de saudação de parabéns, com carinho, ao mestre Bauman!
.
bauman_03pp
bauman_02pp

Zygmunt Bauman

 

 

 

 

 

 

bauman_12pp

 

 

 

 

bauman_09pp