Ano novo: 7 dicas para você mudar a sua vida

Mais um ano chega ao fim e, nesta época, é comum analisarmos tudo o que queríamos ter feito – e o que de fato aconteceu. Quando os objetivos traçados estão longe das metas conquistadas, é comum nos sentirmos tristes e angustiados. Contudo, independentemente de não ter sido como você planejou (afinal, a vida é uma caixinha de surpresas!), os sentimentos negativos não devem predominar. É preciso se olhar com carinho, amor e ter a consciência de que sempre é possível mudar a sua vida e dar uma nova guinada em sua história.

A coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, Silvia Donati, preparou sete dicas para mudar a sua vida e fazer com que você acredite mais no seu potencial e consiga transformar, seja no profissional ou no pessoal, aquilo que lhe incomoda.

Valorize a sua trajetória
Quais são as suas qualidades? Olhe para você e reconheça o que tem de bom. Elevar a sua autoestima e deixar a necessidade de aprovação dos outros de lado é essencial. “Com sua experiência e história de vida, é possível conquistar tudo”, explica Silvia.

Tenha um propósito
“Ao tomar consciência de que você é responsável por suas escolhas e de que a vida é a somatória dessas decisões, consegue identificar qual é a direção dos seus propósitos e sonhos – e a partir daí realizá-los”, ressalta a especialista.

Comprometa-se com você
Coloque-se como prioridade. Quando você se enxerga como indivíduo único e se respeita, adquire as ferramentas para vencer o medo, a frustração e a insegurança. Longe desses sentimentos e determinado e disciplinado a conquistar o que se comprometeu, você tem grandes chances de sucesso.

Alinhe as expectativas
É precisa ser realista com seus sonhos para minimizar as frustrações. Para traçar o tempo de conquistar cada objetivo, olhe para sua história. Assim fica mais fácil identificar se suas metas serão alcançadas em prazos curto, médio ou longo.

Foque no resultado
O que você precisa para conquistar o que quer? Depois de estabelecer os prazos, faça uma ação diária para que você se aproxime de conquistar o que almeja. Por exemplo: se a ideia é comprar um novo automóvel, poupe um pouquinho a cada dia.

Busque a felicidade
Nessa jornada, aproveite para se conhecer melhor – assim, você também consegue enxergar quais os seus verdadeiros sonhos. E lembre-se de se cuidar e de se agradar – dê a você prioridade.
Pratique o amor próprio

De acordo com a coach, amor próprio é fundamental para avançar, já que tal sentimento atrai coragem para vencer medos e limitações. Com a autoestima elevada e crenças fortalecidas, qualquer pessoa passa a confiar mais na própria capacidade e sentir-se mais segura. “Acredite que você é especial e merece o melhor. Faça todo dia algo que traga felicidade para você – e pode ser a coisa mais simples do mundo, como cantar no chuveiro, ler, ouvir música ou dormir, por exemplo”, revela Silvia.

*Por Lucas Vasconcellos

………………………………………………………………………….
*Fonte: vidasimples

50 coisas para fazer em 2021

O ano de 2020 foi, sem sombra de dúvidas, o pior de nossas vidas. Uma conjunção de governos perversos (no sentido freudiano), em vários pontos do mundo, com uma praga sanitária global, só comparável ao vírus da influenza, de 100 anos atrás. Perdemos amigos e entes queridos, numa proporção acima de nossa capacidade de absorver a dor. E ainda estamos perdendo, porque a pandemia continua. Apesar de tudo, mantivemos acesa a potência de viver. Agora, nossos olhos brilham e nossos espíritos regozijam ao saber que estamos à beira de uma superação, com as vacinas chegando. Apesar dos problemas políticos. Há 10 anos fazemos essa brincadeira de listar as coisas para o ano seguinte. Continua uma brincadeira, mas nunca foi tão séria quanto agora.

1 — Torcer para que 2020 não estenda sua aura maléfica, por muito tempo, sobre 2021;

2 — Continuar com os procedimentos de prevenção da pandemia, até a sorte mudar;

3 — Tomar a vacina;

4 — Visitar os pais e os avós;

5 — Perder os quilos acumulados na pandemia;

6 — Cuidar você mesmo dos itens de sua intimidade;

7 — Contratar um seguro de vida (mas não deixe um psicopata saber);

8 — Voltar a circular como animal gregário e desejante;

9 — Evitar as pessoas boçais (se você for um boçal, evite-se!);

10 — Ser mais tolerante com a diversidade de ideias, sem deixar que a diversidade o anule;

11 — Não discutir com fanático, dogmático, nem lunático;

12 — Liberar a alegria e o entusiasmo acumulados durante o recolhimento;

13 — Voltar a encontrar os amigos no buteco;

14 — Abraçar os amigos, com prazer de sobrevivente;

15 — Sair de casa e não ter dia pra voltar;

16 — Dar uma festa e dançar até criar folga nos carretéis da coluna;

17 — Cultivar o hábito de leitura, adquirido durante a pandemia;

18 — Continuar lembrando que a cabeça é pra pensar;

19 — Não deixar para amanhã o prazer que pode ter hoje;

20 — Aproveitar a meditação dos dias de recolhimento para levar uma vida mais leve;

21 — Desfazer-se dos excessos de coisas que atravancam a vida;

22 — Gastar menos tempo nas redes sociais;

23 — Olhar mais nos olhos das pessoas, sem a mediação da tela;

24 — Reduzir o rastro ecológico;

25 — Evitar embalagens de plástico e combustível fóssil;

26 — Olhar a natureza como parceira de itinerário, e não como bem a ser apropriado;

27 — Desenvolver projetos com repercussão coletiva e social;

28 — Participar de um grupo de recuperação de nascentes;

29 — Aproveitar o distanciamento e não se reaproximar dos chatos;

30 — Perceber que a vida, mesmo sendo só uma, pode ganhar significados mais poéticos;

31 — Não se irritar com pequenas coisas;

32 — Ativar o senso de suficiência e bem-estar;

33 — Ganhar mais tempo para o exercício do ócio;

34 — Lembrar que a felicidade requer pouco, o que muito pede é a vaidade;

35 — Retomar aqueles check-ups interrompidos;

36 — Reavaliar e retomar os projetos interrompidos;

37 — Afastar-se um pouquinho das pessoas que você quer bem, só para refazer a perspectiva que se embaçou durante a pandemia;

38 — Dirigir a própria vida, com seu próprio roteiro;

39 — Entender que a gente leva a vida, mas a vida, também, às vezes nos leva;

40 — Redimensionar a própria importância na ordem natural das coisas;

41 — Amar a si mesmo e estender esse amor ao próximo;

42 — Amar mais e ostensivamente;

43 — Ganhar dinheiro, mas não deixar que ele o compre;

44 — Falar a verdade (desde que a verdade não seja pior do que a mentira);

45 — Não espalhar fakenews;

46 — Não consumir fakenews;

47 — Acompanhar e cobrar ações de seus representantes eleitos nas instâncias do poder;

48 — Evitar que a esperança não cumprida alimente a frustração;

49 — Ao ver-se no espelho não se achar tão belo nem tão horrível a ponto de perturbar o ânimo;

50 — Viver o dia de hoje como se fosse o último, sem perder a perspectiva do amanhã.

Vamos em frente!

Finalmente estamos no último dia desse cabuloso ano de 2020. Um ano que começou como a maioria dos demais mas que aos poucos, logo de cara se mostrou ser muito diferente, nos servindo (a toda humanidade) de uma grande lição – de quanto “o todo poderoso” ser humano é na real, muito frágil!

Tivemos de aprender a conviver de novas maneiras em sociedade, ora se recolhendo, ora seguindo em frente mas se “cuidando sempre” – mesmo que muitos imbecis lamentavelmente ainda não entenderam isso. Um ano de mudança, um ano em que usaram muito o termo “novo normal” – termos aliás, que eu odeio, até porque ficou apenas na teoria e a grande maioria das pessoas pouco está se lixando. Querem sim é voltar o quanto antes para EXATAMENTE o que era. Nada, néca-de-pitibiribas de mudança para algo diferente, novo ou sequer tentar algo para melhor. Não! Nada!!!. Basta ver por aí que a tal empatia é quase nula, vide atitudes das pessoas no dia a dia que teimam em se aglomerarem, pensarem somente em seu prazer, ganância, ou seja, no seu próprio umbigo. E porque não me surpreende os altos números de novos casos de Covid-19, nesse final de ano?

Também serviu muito bem para nos mostrar quem realmente são as pessoas que nos cercam. Muita coisa veio à tona, atitudes boas e outras nem tanto. Muito pensamento tosco e burraldino tomando proporções políticas em redes sociais, quando na verdade empatia, amor ao próximo e respeito são coisas da VIDA! Quanta ignorância, indiferença e egoísmo! Isso sem falar nos novos “cientistas de redes sociais”, pessoas sem qualificação alguma disseminando “verdades” sobre assuntos dos quais não dominam ou sequer tem algum conhecimento comprovado.

Um ano difícil, mas esclarecedor em muito sentidos. Que a vida siga, com muita SAÚDE e alegrias para todos!
Torcendo para em breve o fim dessa pandemia mundial e que possamos em então comemorar todos os aniversários e demais festividades que tiveram de ser adiadas. Darmos todos aqueles abraços que não foram dados, dizer pessoalmente todas as coisas boas que não foram ditas, fazer vários passeios, viagens e por em prática os tantos planos cancelados, enfim, por tudo em dia e ainda um pouco mais.

Tenham todos um abençoado novo ano, agradecendo por estamos vivos, pelas nossas conquistas e por termos superado as adversidades até então. Claro, não vai ser um simples virar de página, uma troca de dígito no calendário e pimba! Tudo vai estar, como num passe de mágica, diferente! Não! Mas sigamos resilientes e persistentes em favor da vida e da busca por dias melhores “para todos”.

*Ah! E que tal, apenas por via das dúvidas, fazer toda e qualquer daquelas tradicionais simpatias de final de ano dessa vez, de um modo diferente. Assim… só por precaução (já que não deu lá muito certo para o 2020)!?
Não custa tentar, hein!

Um Feliz 2021!

China faz festa de virada do ano com 2 mil drones

Equipamentos substituíram os fogos e fizeram um show de luzes sincronizadas

A China surpreendeu ao mundo na comemoração de Ano Novo. Em vez dos tradicionais fogos de artifício, o país usou dois mil drones para criar diversas imagens no céu de Xangai.

Uma das figuras formadas foi a de um homem correndo, que representou as conquistas do país em 2019. Os drones ainda mostraram uma contagem regressiva e simularam as explosões dos tradicionais fogos. No fim, a mensagem “Zhui Meng” (“persiga seus sonhos”, em tradução livre) foi formada em caracteres chineses.

*Por Guilherme Preta

……………………………………………………………….
*Fonte: olhardigital

Meus destaques da última década

Já que hoje é o último dia do ano de 2019 e como também representa uma mudança de casa decimal com o final de uma decada, resolvi (sem pretensão alguma e de boas) fazer algumas escolhas e comentários numa pequena lista com vários ítens relevantes,
Somente coisas que de alguma formame  são importantes no meu dia a dia, leituras, filmes, pesquisas, motos, buscas e tal. Não se trata disso ou aquilo ser melhor do que tal coisa, é apenas uma listagem de coisas bacanas nesses últimos 10 anos. É um exercício bacana de se fazer, podes crer. A diferença é que vou deixar aqui expressa a minha listagem, mas você bem que também poderia fazer a sua!

 

>>> FILMES:

Então o começando pelo universo da telona, os filmes. Estabeleci selecionar 5 filmes que eu curti bastante. Isso é convenhamos, é difícil de escolher (no caso dos livros também), não me ative aqui a selecionar filmes ‘cabeça’ ou então cheios de premiações, mas sim filmes que GOSTEI. Simples assim. Então deixei minha memória correr solta, me guiar pela emoção mais do que pela razão e estatuetas de Oscar. Escolhi os seguintes:

. “A Vida Secreta de Walter Mitty” (2013)
Para mim, um dos melhores filmes dos últimos tempos! O roteiro começa quase que como uma comédia e aos poucos muda de tom. Chega a dar uma certa liçãozinha de vida… Cenas e locações incríveis, sem falar na ótima trilha sonora. Filmaço!

. “Questão de Tempo” (2013)
Filme que curti logo de cara. Muito bom.

. “Ondine” (2010)
Outro que assisti sem grandes expectativas, mas me pareceu incrível.

. “Relatos Selvagens” (2014)
Sensacional filme argentino que reúne seis incríveis histórias de vingança que fogem do controle. Difícil escolher qual a melhor. A da noiva, talvez a dos completos desconhecidos que discutem na estrada ou então a da cobrança do boleto/multa…?

 

. “O Grande Hotel Budapeste” (2015)
. “Moonrise Kingdom” (2012)
Driblei aqui, escolhi 2 filmes, ma so blog é meu, eu então posso fazer isso!
Não poderia jamais deixar de fora algum dos filmes de Wes Anderson, meu diretor de cinema preferido. Cada filme uma magia, desde os enquadramentos de tela matematicamente elaborados até as incríveis paletas de cores de cada um de seus filmes. Sem falar no elenco e os roteiros diferentões. Excelente sempre!

 

>>> LIVROS:

Também tentei fugir do óbvio, dos best sellers e afins. Novamente me deixei guiar pela emoção, do prazer que me foi tal leitura, da vontade de que o livro não acabe nunca, do inúmeros momentos de parar para pensar no que havia lido e no que isso tinha de relevância para mim. Sou um ávido leitor de biografias, ainda mais depois que as grandes bandas e artista de rock envelheceram e deixaram de fazerem novos bons ou melhores álbuns que os seus das décadas passadas. Assim escolhi  o que julguei serem 3 bons livros.

.”AC/DC – A biografia – 2014 (Mick Wall)
Desde que me conheço por gente, mesmo quando garoto, a primeira de rock de verdade que me causou um furor, me deixou louco, foi o AC/DC. Minha primeira grande paixão no universo do rock. Tempos depois, com seus LPs comprados, vários CDs e DVDs na estante com horas e horas de vôo, era necessário completar os dados, fatos e lacunas na história desses caras. eu tinha de saber melhor como tudo começou e demais fatos. É sabido de que o AC/DC é uma banda meio reclusa, avessa aos holofotes da fama e sem muitas informações. Esse livro ajudou bastante a tomar conhecimento das histórias do grupo, a gravação de cada álbum e muito mais. Hoje já não sou mais tão fan assim dos caras, tenho outras bandas na frente agora, mas foi importante ler esse livro e solucionar alguns dos seus mistérios. Em tempo – já havia lido duas outras bios deles e ambas achei uma bela merda. Muito chapa branca, muio incenso jogado prá mcima deles. Essa não! Essa é true, tanto para o bem como para o mal. Fica a dica!

. “Rita Lee uma Autobiografia” – 2016 (Rita Lee)
Também pelo fato de ter muita curiosidades por essa incrível mulher, sem dúvida a rainha do rock nacional. Uma história de vida prá lá de interessante, precursora já do tempo de “Mutantes”, depois de Tutti Frutti e depois na sua prolífica carreira solo. *(Sim, sou fanzaço de sua fase no Tuti Fruti – uma espécie de Black Crowes brasileiro, pode-se dizer). Livro muito bem escrito e foi um daqueles que me deixou triste depois que terminou a leitura, queria mais… Salve Rita!!!

. “Here,m there, and Everywhere – Minha Vida Gravando os Beatles”
2013 (Geoff Emerick)
Os bastidores do universo das gravações dos Beatles descrito pelo jovem e novato engenheiro de som, contratado pela gravadora da banda. O tempo passa e Geoff se aprofunda ainda mais em relatar as suas experiências diárias de estúdio com a banda. Um relato bem detalhado.

 

 

 

 


>>> MÚSICA:

Aqui ao invés de selecionar apenas músicas, resolvi escolher 10 artistas com os quais  eu de verdade me impressionei nos últimos anos. E oklha que a música anda tão babaca, caidona e sem graça, que foi um alento para mim descobrir essas bandas e estar acompanhando as suas trajetória desde então.

. Gary Clark Jr.

. The Blackbarry Smoke

. Markus King

. Larking Poe

. Jared Nichols

. Rival Sons

. Chris Stapleton

. Tyler Bryant & The Shakedown

. The Record Company

. The Sheepdogs

>>> MOTOS:

Em termos de moto off road, que é uma de minhas paixões declaradas aqui no blog, resolvi escolher a moto que eu mais curti nessa década. Essa foi uma das escolhas mais fáceis, eu que sou um grande fan e defensor das motos de motocross da Yamaha (sim, a cor padrão azul ajuda), na verdade agora tive de dar o braço à torcer. A moto que mais me empolgou realmente foi a Suzuki 450 do piloto Ken Roczen, no título do AMA Motocross de 2016. Uma moto incrível e linda! Ele que já havia ganho um título anteriormente com a poderosa KTM, mudou de equipe e veio rachando tendo de mostrar serviço na época. É um excelente piloto, hoje no time Honda e continua sendo um dos meus top 5 dos pilotos preferidos também.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Outro destaque que merece reconhecimento no off road mundial é o garoto Enzo Lopes, que é daqui da cidade vizinha de Lajeado. O cara já correu dois anos seguidos pela equipe JGR Suzuki no AMA motocross (2017-18) e esse ano, de contrato novo na categoria 250cc, vai de Yamaha. Não é nada fácil de se chegar nesse nível de pilotagam e ainda mais participar e competir em igualdade com esses gringos nos EUA – motocross lá é coisa séria! E o multi-campeão Enzo segue firme e forte na sua carreira de piloto profissional. Boa sorte garoto em 2020!

 

 

 

 

 

 

Quanto ao assunto de moto velocidade e o famoso campeonato da Moto GP, bem daí a coisa fica mais fácil ainda de escolher. Sou fan de carteirinha do grande Valentino Rossi e mais ainda quando pilota uma azulzinha da Yamaha. A moto dele que eu mais curti foi a de quanto os pilotos adversários espanhóis se reuniram e fizeram tipo um complô contra ele no ano de 2015, quando lhe tiraram a chance de conquistar mais um título do mundial na categoria principal. Uma puta sacanagem!

*Ver matéria [ AQUI ]

 

 

 

 

 

 

E continuando o tema motos, agora então a escolha do que seria a minha moto preferida dentre todas (sonho de consumo) dessa década. É uma escolha bem simples, bastante humilde até eu diria, mas ficaria com certeza com uma Triumph Bonneville T100 com toda certeza! Moto ágil, de bom tamanho, fácil pilotagem, motor potente e de boa cilindrada, não é gritona e além do tudo é muito bonita – tudo por causa de seu estilo clássico total. Enfim, uma moto de homem! Vai em qualquer lugar, encara qualquer coisa. E não, eu não curto motos esportivas e muito menos big trails. Não precisa ser uma coisa super high-tech para ser boa.

 

Por que a mudança de ano é importante?

As pessoas carecem de motivações para buscar fazer aquilo que não conseguiram antes. De incentivos para tentar superar barreiras que antes foram intransponíveis. De novas oportunidades para tentar de novo.

A passagem de um ano para outro é um “rito de passagem” marcado pela simbologia do fim de um ciclo e recomeço de outro. Nesse rito, deixa-se simbolicamente muitas coisas indesejáveis para trás ou congela-se no passado as experiências cotidianas não fortuitas. As boas e belas experiências são relembradas como se estivessem no fundo de um baú (que podemos esticar os braços e pegar o que nos interessa), ainda que essas tenham ocorrido a poucas horas: antes da zero hora do dia um.

Já dizia Mario Quintana que “bendito
quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça…”

O poeta usou adequadamente o termo “impressão”. De fato a vida continua; está enquadrada em um contexto estrutural, fruto de uma construção histórica. Pouca coisa depende apenas da boa vontade do indivíduo para mudar, principalmente de um dia para outro. Mas ainda assim precisamos crer que podemos atuar dentro dos limites da limitada liberdade que temos.

Precisamos do “rito do Ano Novo”. Carecemos da falsa ilusão de que será um recomeço. Precisamos de motivação, incentivo e oportunidade para, pelo menos, tentarmos…

*Por Cristiano Bodart

………………………………………………………
*Fonte: cafecomsociologia

10 hábitos que você deveria deixar de lado em 2017

Aproveite a virada do ano e o novo ciclo que se inicia para renovar também as suas atitudes. Deixe o que não foi bom para trás, inove, busque novos sonhos, hábitos e projetos. Para dar uma mãozinha, o CicloVivo preparou uma lista de coisa que não devem se repetir em 2017.

 

    Ser dependente do automóvel

Não seja escravo de um veículo particular. Tenha um carro porque ele é muito útil em diversos momentos e facilita muito a vida, principalmente quando é necessário pegar estrada. Mas, não seja dependente dele. Evite utilizar veículos individuais durante a semana. Teste diferentes modais, use o transporte público ou experimente a bicicleta. Isso pode mudar a forma como você enxerga a cidade e até mesmo as suas prioridades.

    Ficar somente no sofá

Deixe o sedentarismo de lado e comece a praticar uma atividade física. Por mais simples que seja, ela fará diferença na sua saúde. Comece devagar e escolha alguma atividade que lhe dê prazer pessoal. Assim, isso não será uma carga, mas uma válvula de escape para fazer o corpo e a mente funcionarem melhor.

    Encher a cara

Evite o consumo de álcool em excesso. Apesar de não ser ilícito, o álcool também é considerado uma droga. Quando ele é ingerido o corpo acabe sendo sobrecarregado para que ele seja absorvido, decomposto e eliminado. Neste processo, o fígado está em trabalho constante. Dessa forma, quanto maior é a bebedeira, maior é a sobrecarga sobre o organismo.

    Carregar ressentimentos

“Ano novo, vida nova”. Leve essa premissa para 2017 e esqueça desavenças, frustrações, tristezas. Perdoe e comece a trilhar um caminho diferente. Se o ano que passou foi repleto de frustrações, aproveite a mudança no calendário para inovar nas atitudes, levante a cabeça e visualize novos projetos e oportunidades.

    Ser consumista

Se você tem a tendência de ser consumista, já deve ter percebido que os armários estão cheios e, possivelmente, você já tem mais do que necessita. Portanto, treine a mudança neste novo ano. Estabeleça metas com períodos para ficar sem comprar. Faça listas com o que é realmente necessário e seja fiel a ela, para evitar o consumo exacerbado e também o desperdício de dinheiro. Pense e seja consciente sempre que for às compras.

    Ignorar o seu lixo

Os resíduos que você produz são de sua responsabilidade. Portanto, não os descarte de maneira inconsequente. Separe os itens e recicle o que for possível. Não dependa das ações governamentais para fazer a sua parte. Além disso, tente reduzir ao máximo o uso de materiais descartáveis.

    Ficar reclamando

Falar, falar, falar. Na maior parte das vezes isso não ajuda em nada. Deixe o discurso de lado e as reclamações também e parta para a ação. Se você não está contente com algo, mude. Apresente soluções. Modifique o que está ao seu alcance e incentive as pessoas que estão ao seu redor a fazerem o mesmo.

    Ser mal-humorado

Sorrir é sempre a melhor opção. Seja cortês e educado com as pessoas que passam pela sua vida, seja alguém que passou por você na rua ou a sua esposa. Evite palavras de ira e diga coisas boas. Incentive, elogie, abrace. O mundo precisa de mais desse amor simples e cotidiano.

    Ser indiferente

Se você tem algum sonho, corra atrás. Lute por seus objetivos e crenças. Seja importante na vida de alguém. Siga o conselho de Mahatma Gandhi e “Seja a mudança que você deseja ver no mundo”. Comece por você.

    Viver sonhando

Sonhar é muito bom. Mas, é perigoso viver sonhando e esquecer-se de viver de verdade. Não deixe que os seus desejos fiquem apenas no pensamento. Faça o possível para que eles se tornem realidade. Isso o deixará mais satisfeito e orgulhoso de si mesmo, até quando não se concretizarem.

…………………………………..
*Fonte/texto: ciclovivo

mar2017