Aliança entre Fiat, Jeep e Peugeot já tem data marcada para abandonar os motores a combustão

Este ano, a aliança entre Fiat, Jeep e Peugeot anunciou que abandonará a produção de motores a combustão. Dessa forma, o objetivo é comercializar apenas veículos elétricos e híbridos até 2025.

A aliança, advinda da fusão da Fiat Chrysler (FCA) e da Peugeot-Citroën (PSA) com outras 12 marcas, recebe o nome de Stellantis e teve sua criação em janeiro deste ano.

Motores elétricos e aliança entre Fiat, Jeep e Peugeot

Como os planos são a partir de 2025 abandonar os motores a combustão, a Stellantis vai trocá-los por novos modelos de motores elétricos.

Justamente porque a medida é uma exigência para seguir as normas ambientais, a fim de reduzir a emissão de gases poluentes.

Assim, o diretor-executivo da companhia, Carlos Tavares, anunciou que ela tem pressa em realizar a mudança e que pretende fazê-la rapidamente.

De fato, um alto planejamento é necessário para garantir o sucesso. Por isso, Tavares afirma que algumas estratégias estão sendo adotadas, como:


. Os engenheiros da companhia estão a todo vapor para potencializar as baterias e os motores elétricos;


. Adequação da plataforma para produção: a e-VMP;


. Parcerias importantes com fabricantes de motores elétricos, como a Nide, empresa japonesa e outras;


. Tudo isso a fim de garantir a estruturação do desenvolvimento dos motores elétricos e híbridos até 2025.

A fim de que a quarta maior montadora do mundo não fique para trás no mercado.

Vale ressaltar que aplicará a medida primeiro na Europa, depois na América do Norte. Por último, seguirá para os outros continentes.


Avanços

Como resultado, a aliança entre Fiat, Jeep e Peugeot confirmou que não pretende produzir novos motores a combustão.

Ademais, a plataforma e-VMP está sendo testada.

Nesse sentido, o carro elétrico Peugeot 3008, previsto para 2023, será o primeiro modelo fabricado na plataforma.

Com efeito, no futuro, a Stellantis planeja usar a tecnologia dos motores elétricos em todos os modelos a serem produzidos no catálogo das 14 marcas.

Em síntese, essa aliança segue os mesmos caminhos da Ford e Audi.

*Por Maria Natália Alves Ribeiro
……………………………………………………………………………………………
*Fonte: engenhariahoje

Aposentadoria de Jimmie Johnson

Um de meus pilotos favoritos da NASCAR Cup Series, Jimmie Johnson -(#48 / Hendrick Motorsports), que foi 7 vezes campeão da categoria se aposentou neste último domingo. Um dos maiores pilotos da categoria não estará mais nas pistas no mítico carro de número 48, número este que me inspirou a utilizá-lo também em minha moto. Sim, isso foi justamente uma espécie de homenagem / tributo meu a esse grande piloto, de quem sou fan.

O veterano de 44 anos de idade conquistou sete campeonatos, igualando Richard Petty e Dale Earnhardt como recordista de títulos. Cinco desses campeonatos foram conquistados sequencialmente entre 2006 e 2010, um recorde na NASCAR.

Ao longo da carreira iniciada em 2001, Johnson venceu 83 corridas (mais do que todos os pilotos ativos), de um total de 651 provas disputadas. Ele venceu também a Daytona 500 duas vezes, em 2006 e 2013.

Mas sua carreira não termina por aqui, deve pilotar ainda em algumas provas da Indy no ano que vem.

Keep on rock J.J.

*A Hendrick Motorsports acabou apostando em alguém ‘de casa’ para substituir o heptacampeão da NASCAR Cup Series, Jimmie Johnson. A HMS anunciou que Alex Bowman, que atualmente dirige o Chevrolet nº 88 da equipe, passará para o nº 48 no início da temporada de 2021.

Senna é eleito pela Fórmula 1 como o piloto mais veloz da história da categoria

A Fórmula 1 revelou nesta terça-feira o resultado de um estudo, que demorou mais de um ano para ser concluído, e que responde uma dúvida que paira sobre o esporte desde o primeiro dia de sua existência: quem é o piloto mais rápido de todos?

Em parceria com a Amazon Web Services, a análise revelou que esse posto pertence a Ayrton Senna. O brasileiro tricampeão mundial conquistou 65 pole positions em sua carreira, precocemente encerrada em 1994 com um acidente fatal.

Ele lidera o ranking à frente de lendas do automobilismo como Michael Schumacher (2º, 0s114 mais lento) e Lewis Hamilton (3º, 0s275 mais lento).

Segundo a categoria, a pesquisa foi desenvolvida com base em um complexo algoritmo, que usa dados oficiais coletados desde 1983.

Através dele, foram avaliados os desempenhos dos motoristas nas provas de qualificação ao longo do tempo, comparando-os com os números dos seus companheiros de equipe. Os treinos, segundo os pesquisadores, fornecem tempos mais legítimos para a discussão sobre quem é o mais rápido da história do que as corridas em si.

Dessa forma, segundo a F1, foi possível atingir um ranking mais justo, pois um piloto de um carro inferior tem tantas chances de aparecer bem quanto um piloto que estava lutando por pole position.

Outro brasileiro a figurar no ranking é Rubens Barrichello. Ele ficou na 11ª posição, 0s445 atrás de Senna.

*Por Gazeta Press

………………………………………………………………….
*Fonte: foxsports

Bubba Wallace é ameaçado de morte após protesto racista, e Nascar abre investigação

Em dia de carreata a favor do uso da bandeira associada ao racismo nos Estados Unidos, uma corda de enforcar é encontrada na garagem da equipe do único piloto negro do circuito

Uma ameaça racista contra o piloto Bubba Wallace fez a Nascar abrir uma investigação no fim deste domingo. Após carreata de um grupo de americanos em favor da bandeira associada por muitos ao racismo e à escravidão nos Estados Unidos, uma corda com laço foi encontrada na garagem da equipe do piloto, uma alusão ao enforcamento, forma cruel como milhares de negros foram assassinados durante o período de segregação racial no país.

A manifestação com muitas bandeiras confederadas aconteceu do lado de fora do circuito de Talladega, no Alabama, onde foi realizada a prova GEICO 500. A Nascar adotou a proibição do uso nos circuitos após Bubba se manifestar semanas atrás em meio aos protestos contra o racismo no mundo.

– O desprezível ato de racismo e ódio de hoje me deixa incrivelmente triste e serve como um lembrete doloroso de quanto mais temos que ir como sociedade e quão persistentes devemos ser na luta contra o racismo. Nada é mais importante e não será dissuadido pelas ações repreensíveis daqueles que procuram espalhar o ódio. Como minha mãe me mandou hoje, “eles estão tentando te assustar”. Isso não vai me quebrar. Eu não vou desistir nem vou recuar. Vou continuar orgulhosamente defendendo o que acredito – declarou Bubba em suas redes sociais.

A Nascar manifestou indignação com o ocorrido e abriu investigação imediata para identificar os responsáveis. De acordo com a CNN, a área de garagem onde a corda com laço foi encontrado é restrita ao pessoal essencial, que inclui equipes de corrida.

– No final da tarde, a NASCAR foi informada de que uma corda com laço foi encontrado na garagem da equipe 43. Estamos angustiados e indignados e não podemos afirmar com força suficiente o quão seriamente levamos esse ato hediondo. Iniciamos uma investigação imediata e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para identificar a pessoa responsável e eliminá-la do esporte. Não há lugar para o racismo na Nascar, e esse ato apenas fortalece nossa decisão de tornar o esporte aberto e acolhedor a todos – diz a nota oficial da organização.

Muitas atletas manifestaram repúdio e deixaram mensagens de apoio ao único piloto negro da Nascar. Um deles foi Lebron James, astro do Los Angeles Lakers que tem sido um dos principais ativistas esportivos na luta contra o racismo.

– Doentio! Meu irmão Bubba, saiba que você não está sozinho! Estou aqui com você e com todos os outros atletas. Eu só quero continuar dizendo como estou orgulhoso de você por continuar defendendo a mudança aqui na América e no esporte! Nascar, eu também te saúdo.

 

……………………………………………………………………………
*Fonte: globoesporte

Sábado de Velopark

Hoje foi dia de conferir a prova Império de Endurance Brasil 2019, na pista do Velopark. A ideia inicial era ir de moto até lá e então me encontrar com os primos Zakka e Diguinho Kern, mas o clima meio estranho de frio, céu cinza e nublado de hoje de manhã, convenhamos, não era nenhum pouco convidativo para esse tipo de empreitada. Então resolvi abrir mão e ir junto de carro com a rapaziada.

Viagem tranquila e melhor ainda quando se está acompanhado de um amigo que é simplesmente o locutor oficial das provas de “Arrancada”, na pista do Velopark. Beleza! Sim, tivemos vários privilégios em função disso e também foi interessante de ver várias pessoas pedindo para fazer uma foto junto do amigo Geferson “Zakka” Kern – o cara é ídolo por lá. Assim que chegamos fomos direto para uma visitação junto a área dos boxes das equipes, sendo que o horário oficial previsto para isso já estava quase no final, nos restando tempo apenas para uma rápida olhada em cada um dos boxes. E na real esse foi um dos altos momentos do dia, afinal não é sempre que se pode ver de pertinho um desses protótipos de endurance ou então carros clássicos como Ferraris, Mercedez, Aston Martin, Porsche, entre outros. Incrivelmente fantástico!

Depois desse rolê pelos boxes a direção encerrou o período de visitação e começaram os preparativos para a prova que seria de 3hs de duração. Teve execução dos hinos e demais cerimônias e veio a largada, daí o bicho pegou prá valer. Nessa hora fica difícil descrever aqui a sensação dos diferentes roncos dos motores, da velocidade dos carros, do tremor no chão a cada passada, das ultrapassagens e da emoção disso tudo, mas com certeza é muito bom presenciar um evento assim. Como a prova era longa é claro que também aproveitamos o tempo para fazer um lanche, trocar uma ideias com amigos e conhecidos que apareceram, bem como dar uma voltas pelos tantos recantos do território do Velopark.

Sem dúvida outro dia bem aproveitado entre tantos rpms e adrenalina. Um bom passeio com os amigos e mais um para a contabilidade da vida! Valeu.

>> Confira { AQUI } o resultado da prova de hoje.

*Abaixo algumas imagens da empreitada de hoje no Velopark:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Daytona 2018 – 07 julho

Ontem foi noite de Daytona na NASCAR e como de costume sempre há uma grande chance de ocorrer um “Big One” (como são chamadas as colisões que envolvem vários carros), sendo que às vezes andam a mais de 300km/h em 3 filas, lado a lado, daí já viu né, qualquer deslize de alguém – pimba! E não deu outra, ontem tivemos 3 Big Ones durante a prova.

Torcia pelo Brad Keselowski (#2 – Ford), mas foi abatido numa dessas colisões. Aliás, chegou um determinado momento no final da prova em que eu pensei que nem teríamos mais carros na pista…rsrsrsrs. Tanto que na última relargada havia um pouco mais do que uma dúzia de pilotos ainda ativos para a bandeirada final, que aliás foi bem disputada O vencedor dessa prova clássica do automobilismo americano foi o novato Eric Jones (#20 – Toyota), que ainda não havia vencido na categoria principal da NASCAR.

*E antes mesmo que você pergunte se alguém se feriu – Não!!!!
Os carros da NASCAR são muito bem projetados e equipados com sistemas de segurança, aliás, fazem anos que assisto e não vi até então nenhum acidente fatal ou de alguma grave proporção, apesar de carros muito destruídos. Há muito tempo que a segurança é uma dos requisitos essenciais nas provas da NASCAR (que sim, já teve inúmeros acidentes fatias no passado). Ainda bem que as coisas hoje em dia estão sob controle, porque esses carrões voam mais até do que os famosos carros de F1 – isso que eles atualmente são obrigados a usarem uma “placa restritora” de motor, senão…..

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa batida foi tão insana que só sobraram 4 carros na corrida

Aconteceu no campeonato FIA GT, na tradicional pista de Macau. O piloto espanhol Daniel Juncadella, pilotando sua Mercedes-AMG, bateu no muro e acertou o Porsche 911 de Laurens Vanthoor. O que aconteceu em seguida foi uma sequência insana que interrompeu a corrida por 20 minutos. Veja no vídeo abaixo:

Esse vídeo, de outro ângulo, mostra o incrível engavetamento em uma das partes mais estreitas do circuito.

“Milhões e milhões e milhões de dólares de prejuízo”, disse, sabiamente, o narrador da transmissão oficial. O acidente aconteceu ainda na primeira volta da corrida de classificação e tirou 12 carros da disputa. Apenas quatro veículos completaram a prova.

O carro número 11, aquele que aparece com as rodas de trás no ar na imagem do alto deste texto, pertencia ao brasileiro Lucas di Grassi. Ele descreveu o acidente assim, segundo o site da Autosport: “Eu estava vindo na curva e muito perto do Markus (Pommer) e acertei ele. Então o (Marco) Wittman bateu na minha traseira e era como se eu estivesse sendo espremido. Meu carro começou a subir e subir. Não havia nada que eu pudesse fazer.”

Di Grassi disse também que nunca viu 12 pilotos discutindo uma batida, mas foi o que aconteceu em Macau, tanto porque a pista era muito estreita naquele trecho quanto pelo fato de os carros serem bastante largos.

Se serve de consolo uma notícia boa: ninguém ficou machucado!

………………………………………….
*Fonte: storia

Martin Truex Jr. campeão da NASCAR 2017

Ontem na pista de Homestead-Miami Speedway, o piloto Martin Truex Jr. (Forniture Row/Toyota – #78) sagrou-se campeão da categoria principal da NASCAR em 2017. Muito merecido este título, sendo que foi o piloto que mais venceu provas e liderou o maior número de voltas na temporada. Campeão inconteste. Já dava pinta de que merecia o título muito antes mesmo das provas finais que no sistema atual de playoffs da NASCAR, na última prova 4 pilotos disputam o título, levando que chegar na frente dentre eles.

Parabéns Truex!