2 Vídeos de apresentação do NBA All-Star Game 2020

Vale a pena conferir esses a esses dois vídeos da apresentação do jogo das estrelas da NBA 2020, em Chicago.

. Primeiro o vídeo incrível das celebridades do basquete entre outros famosos (Obama, Buddy Guy, etc..) fazendo comentários sobre a cidade em frente e uma grande maquete de Chicago.

. Depois confira a atuação sensacional de Common (muito phoda, meu chapa!), apresentando o evento e os jogadores selecionados para o jogo. Mas preste atenção também nas músicas e nas belas imagens do telão.

Ambos os vídeos são de arrepiar para quem gosta de basquete.
Que espetáculos, meus amigos!

 

Valeu Kobe!

Ontem foi o primeiro jogo do time do Lakers na NBA, depois do trágico acidente de helicóptero em que faleceram 9 pessoas na semana passada na Califórina e dentre elas, a lenda do basquete americano Kobe Bryant e sua filha Gianna – que era tida como uma grande promessa e na família (4 garotas), a herdeira de seus talentos no basquete. E é óbvio que foi uma ocasião diferenciada, um momento cerimonial do clube e seus torcedores para aquele que foi um dos seus grandes jogadores e conquistou inúmeros títulos da NBA.

Sobre a cerimônia, algumas imgs abaixo falam por si, nem precisa de muita coisa para sacar de que foi cheia de emoção, vários de seus ex-colegas, amigos, fans e torcedores do mundo todo, mas o Lakers vai continuar sua saga no basquete com o também excepcional jogador LeBron James (amigo de Kobe e que ontem fez uma belo e emocionado discurso), as coisas aos poucos voltam ao seu ritmo. A chama continuará acesa.

Mas a questão aqui é que algumas pessoas que não curtem, vivem ou sequer admiram os esportes e em especial o basquete, não conseguem compreender a dimensão que era o talento de Kobe Bryant. Li algumas postagens de pessoas nas redes sociais detonando ou chamando de bajulação excessiva essa questão de saudação a um jogador de basquete. Sim, realmente a internet deu voz a um bando de imbecis. Faz parte. Tem gente que não consegue sair de seu casulo mental, ver o mundo com outros olhos e novas perspectivas – se acham donos ou então investidos de uma pretensa verdade única e imutável, senhores do saber completo e total. FUCK YOU!!!. Se você não gosta de basquete ou de qualquer outro esporte, problema seu, só não fale merda do que não conhece.

Cara, Kobe foi um desses atletas super empenhado e dedicado ao seu esporte, não era perfeito com certeza, falível como todos nós, começou muito garoto na liga da NBA, foi tido como arrogante e genioso muitas vezes, mas talvez aí nessa transgressão é que reside a fagulha do cara diferenciado. É claro que ele fez merda, disse muita merda e até teve uma acusação de estupro, que depois foi arquivada. Mas no âmbito do esporte por acaso essas pessoas viram o que ele fez pelo basquete?

O Kobe foi basicamente um dos caras que mais influenciou uma geração inteira depois da era Michael Jordan (outro dos grandes e talvez “o melhor de todos os tempos”). Muitos dos jogadores da atual safra da NBA talvez nem tenham jogado ou estado e quadra com ou contra o Kobe em uma partida, mas com certeza cresceram assistindo seus jogos e aprendendo a sua mentalidade mamba! Basta prestar atenção nas manifestações de outros atletas e de seus clubes quando do acidente. Aliás, creio que com todas essas manifestações já se pode ter uma clara ideia de quanto era admirado e querido, assim como de seu valor como pessoa. Basta se prestar atenção no respeito e a reverência que os “outros” demonstraram para com ele nesses últimos dias. E foram muitas, muitas manifestações de atletas, inclusive de outros esportes – o garoto Neymar fazendo o número 24 com os dedos, logo após marcar um gol. Isso não é para qualquer um.

Até o ano passado meu wallpaper no computador era uma seleção de imgs de Kobe, tenho uma jersey do Lakers com o mítico #24 ( … e ainda terei uma com o #8), e mesmo no final da era Jordan quando aqui no Brasil nem transmitiam tantos jogos da NBA como hoje, eu já era um grande fan do então afoito garoto Kobe! O tempo passou, as transmissões aumentaram e melhoraram, assim como o efeito “mamba” se propagou ainda mais.

Grato por isso e por toda arte de seu basquete – Kobe!
O que dizer de um cara que fez 81 pontos em uma única partida de basquete da NBA!!!???
Descanse em paz Black Mamba!

 

 

 

 

 

 

Kobe Bryant (R.I.P.)

Outra vez uma notícia trista aqui no blog hoje foi o acidente de helicóptero na Califórnia, que vitimou o ex-jogador de basquete da NBA, Kobe Bryant (41). Até agora não se tem ainda maiores informações sobre o acidente, sendo que dizem inclusive que sua filha também estaria no helicóptero, junto com mais outros passageiros. Enfim, vamos aguardar para mais detalhes e também as causas desse acidente.
Mas o certo é de que Kobe era um grande ídolo do basquete na NBA e também no mundo. Talvez depois da era Jordan seja o maior jogador até então. Teve 5 títulos da NBA, foi 2 vezes MVP das finais, 2 medalhas de ouro olímpicas e participou 18 vezes do All Star Games. Teve inclusive duas camisas aposentadas pelo seu time, o Laker, a nº8 e a nº24, que utilizou num segundo momento de sua carreira.

Ontem mesmo assistindo ao jogo dos Lakers x Spurs, o LeBron James ultrapassou o recorde de pontos de Kobe Bryant na NBA – que ocupava a 3ª posição na lista de maiores pontuadores de todos os tempos até então, e de forma atenciosa e simpática, o mesmo twitou uma msg de felicitação para o LeBron.
Grande jogador e também uma grande pessoa – aqui não é demagogia, é sério mesmo quando se diz isso. Não é por nada que eu tenho uma jersey sua.

Descanse em paz Kobe! Vai deixar saudades.

 

Uniformes de Space Jam 2 são revelados em novas fotos

O longa Space Jam 2, continuação do clássico de 1996, teve suas primeiras imagens reveladas. Em um vídeo e algumas fotos compartilhadas na internet, é possível ver alguns detalhes dos conjuntos que serão usados pelas equipes Tune Squad, time formado pelos Looney Tunes e reforçado pelo astro da NBA LeBron James, e Monstars, cujos jogadores enfrentarão os tradicionais personagens animados da Warner.

Além de LeBron, o longa contará também com Anthony Davis, Damian Lillard, Klay Thompson e as jogadoras da WNBA Diana Taurasi, Nneka Ogwimike e Chiney Ogwumike. A expectativa é que mais jogadores da NBA e da WNBA sejam confirmados em breve. A atriz Sonequa Martin-Green viverá a esposa de LeBron no longa.

Com direção de Malcolm D Lee e roteiro de Ryan Coogler (Pantera Negra) e Sev Ohanian, Space Jam 2 tem lançamento marcado para julho de 2021. O longa original foi estrelado por Michael Jordan e teve atletas como Patrick Ewing e Charles Barkley.

…………………………………………………………..
*Fonte: omelete

Toronto Raptors Campeão da NBA 2019

Então ontem no jogo 6 das finais do basquete da NBA de 2019 surgiu o campeão – Toronto Raptors! O time de basquete canadense entrou para a história desse esporte a se sagrar campeão da NBA pela primeira vez, ao vencer o todo poderoso time do Golden State Warriors (Oakland / Califórnia), jogando na casa do adversário. Fato que acredito eu, se deve em grande parte aos tantos desfalques por lesão de algumas das estrelas do time californiano. O que de forma alguma desmerece o jogo, a tática, foco e a pegada dos Raptors, e o grande jogo de Kawhi Leonard & Cia., afinal, eles não tem nada a ver com isso e também tiveram de lidar lá com os jogadores lesionados. Cada um com os seus problemas na hora da decisão. Enfim, um das mais empolgantes finais dos últimos tempos, se bem que em se tratando de final de NBA a coisa via de regra é empolgante e bem jogada até o último minuto.

O Raptors foi o time pelo qual torci nessa final (mas aviso – não é o meu time de basquete da NBA). Aquela coisa que talvez a psicologia explique melhor, de torcer para o mais fraco. Agora sendo já proclamado o vencedor, fato que me parecia bem difícil e quase impossível no começo dessa série, fico bem contente, aliás, vibrei bastante a cada jogo e principalmente na decisão. Por outro lado não tem como não se sensibilizar com os derrotados, um time excelente! Kevin Durant lutou bravamente para se recuperar em tempo para essas finais, até tentou mas só agravou a sua situação. Ontem um dos “Splash Brothers”, Klay Thompson, que também já não estava jogando em seus 100%, lesionou o joelho tendo de abandonar a partida no terceiro tempo. Então a coisa não estava mesmo para o lado deles. Sorte a nossa que assistimos a uma bela série de partidas numa elegante final. Digo isso porque foi um basquete bem jogado, sem brigas, grandes tretas ou discussões. Valeu! Venceu o melhor no momento.

Parabéns ao time do Toronto: Leonard, Lowry, Siakam, Ibaka, Gasol, Van Vleet, Green, Powell e ao técnico Nick Nurse. Que façam agora toda a sua festa!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NBA finais (Jogo 5) – Golden State Warriors 2 x 3 Toronto Raptors

E ontem era para ter sido a noite, aquela noite para o Toronto e a sua torcida! Mas não foi. E por pouco. Por um pontinho. O jogo 5 que tinha todos os componentes de um grande jogo, com os Warriors jogando todas as suas cartas na mesa, trazendo antecipadamente Kevin Durant (#35) de sua recuperação de lesão, o mesmo também com outros jogadores que não estão lá 100% em sua forma, que junto com um Curry já cansado de carregar o piano sem a ajuda de seus colegas de luxo. Teremos agora a balada do pistoleiro na busca desenfreada por uma vitória a todo custo, já que a derrota significa ver o outro time erguer o trofeu!

Para minha frustração os Raptors “verdulengaram”, deixaram escapar a chance de ouro de serem os campeões ali mesmo, em casa, com um último e “xôxo” arremesso de Lowry (#7). Faltou calma e estratégia, sem falar de que o arremesso TINHA de ser de Kawhi (#2). Essa derrota para os Warriors por 106 a 105, pode sair caro – não se brinca com time grande acostumado a vencer.

O próximo jogo é na Califórnia, casa dos Golden State Warriors, que precisam novamente vencer para continuarem na expectativa do derradeiro jogo 7, quando aí sim lutam pelo título em definitivo. Já para os Raptors, uma vitória qualquer, que seja no jogo 6 ou 7, define questão, visto que já perderam uma grande chance nesse jogo 5. Bem, o que se pode dizer é que teremos novamente um grande e tenso jogo na quinta-feira! Até lá.

NBA finais – Golden State Warriors 1 x 3 Toronto Raptors (Jogo 4)

No segundo jogo dessa série das finais da NBA em Oakland, casa dos Warriors, o Raptors venceu novamente, e dessa vez por 105 a 92. Tudo bem que o time da casa está lidando com uma série de lesões em alguns de seus jogadores mais importantes, mas eu imaginava que mesmo assim iriam empatar a série nesse jogo 4. Só que não! Mais uma vez Kawhi (#2) jogou demais (MVP das finais?) e seu time foi muito bem. O temível terceiro quarto da partida, quando costumeiramente os Warriors vem com tudo e patrolam os adversários não aconteceu e os Raptors sairam vitoriosos. E que jogo! Fica a expectativa de um virada por parte dos Warriors, mas na história pouquíssimas vezes um time da NBA virou um resultado de 3x 1 em jogos – não esqueçam- a final da NBA é uma “melhor de 7 jogos”.

Domingo (09/06) tem mais, agora novamente com o jogo de volta para a quadra de Toronto, onde a torcida faz uma grande diferença. Drake que o diga.

Força Raptors!

 

 

 

 

 

NBA finais – Golden State Warriors 1 x 2 Toronto Raptors (Jogo 3)

Ontem em Oakland, na Califória, a casa do Golden State Warriors, o jogo teve a vitória dos Raptors por 123 a 109. Mesmo com Curry (#30) jogando muito – anotou 47 pontos e praticamente acabou levando o seu time nas costas com sua atuação de gala, não foi suficiente para evitar a derrota em casa. Mas não podemos esquecer de que o Warriors ontem jogaram desfalcados de duas de suas outras estrelas, Kevin Durant (#35), que ainda se encontra lesionado e permanece como dúvida até para o restante das finais e agora também, Klay Thompson (#11), que ficou de fora da partida de ontem. Os Raptors de Kawhi Leonard  & Cia, que não são bobos nem nada, aproveitaram muito bem essa chance e conquistaram essa importante vitória fora de casa no playoff. Que venha sexta-feira o jogo 4, onde as coisas devem esquentar ainda mais.

 

Raptors 4 x Bucks 2 (NBA – Finais de Conferência da Costa Leste)

Pois é… não deu para o Milwaukee Bucks na final de Conferência da Costa Leste contra o time do Toronto Raptors. Apesar de os Bucks terem começado a série jogando muito bem e o que parecia que seria uma final fácil para o time do grego Giannis Anteotkounmpo (#34), não foi bem assim. Só não contavam com Kawhi Leonard (#2) nos Raptors, jogando muita bola nessas últimas partidas, onde mostrou o porque de ser considerado um dos grandes jogadores da NBA atualmente. Praticamente carregou o piano e mudou os resultados das duas últimas partidas dessa final, quando parecia que já estava tudo perdido, para um resultado vitorioso em grande estilo.

Estava torcendo pelos Bucks, mas tenho de reconhecer de que os Raptors jogaram melhor nessa reta final. E sei lá, mas ainda creio que de alguma forma e apesar de saber que é uma difícil tarefa (vou torcer por eles com todas as forças), que podem vencer ao todo poderoso Golden State Warriors.

Valeu Bucks! Voltarão ano que vem ainda mais fortes, disso tenho certeza. Esse jovem time ainda vai render muita coisa.

 

 

 

 

 

Bucks 2 x 2 Raptors (NBA – Finais de Conferência da Costa Leste)

E agora a coisa esquentou. O que antes parecia que seria até mais fácil do que a fase anterior para os Bucks (time por quem o blog aqui está numa torcida ferrenha, o caldo entornou. A série está agora empatada com os Raptors e no mínimo ainda teremos mais 2 jogos, dessa disputa por uma das vagas da grande final da NBA. Bom para nós que curtimos assistir a um bom jogo de basquete, mas ruim para o vencedor dessa Conferência, que estará mais desgastados e ainda depois irá enfrentar o todo poderoso Golden State Warriors, que já está classificado por antecipação – venceu de lavada a sua final de Conferência contra o Portland (4 x 0), que jogará a final da NBA com 2 jogos a menos na bagagem dessa reta final e descansado. Sem contar de que “mais uma vez” são cotados como os favoritos para o título.

Mas vamos lá Bucks!

Confere só o nível do cara

LeBron abre escola em sua cidade:
“Um dos melhores momentos da minha vida”

Através de sua fundação, astro da NBA criou uma escola em Akron, onde nasceu e viveu durante a infância: “Sei exatamente o que essas crianças passam”

………………………………..

LeBron James deu mais um passo para aumentar seu legado. Nesta segunda-feira, o astro da NBA inaugurou sua escola pública “I Promise School” (Escola Eu Prometo) em Akron, sua cidade natal, no estado de Ohio, para crianças e jovens carentes. Na manhã desta segunda-feira, o colégio recebeu os primeiros 240 alunos e teve grande festa de abertura, com a presença do astro do Los Angeles Lakers e toda a sua família. O instituição é a principal ação nos mais de 10 anos da James’s Family Foundation (Fundação da Família LeBron James), e foi concretizada com apoio de órgãos públicos de Akron e empresas privadas parceiras.

– Como criança em Akron, eu me lembro de andar exatamente por essas ruas aqui perto. Ir para a escola de bicicleta. Quando as pessoas me pergunto o porque de estarmos fazendo isso, minha resposta é: eu sei exatamente o que essas crianças passam. Sei dos problemas, os desafios, os altos e baixos, os sonhos e os pesadelos. Porque eu também passei por isso – disse LeBron durante seu discurso de abertura do colégio.

King James fez questão de falar de improviso no evento. Segundo o astro, não ter um discurso escrito facilita para falar com o coração. O jogador dos Lakers destacou a importância do convívio saudável entre crianças e jovens no ambiente escolar e disse esperar que os efeitos da iniciativa ultrapassem e muito os limites da cidade de Akron.

– Essas crianças precisam saber que alguém se importa com elas, que nós nos importamos com seus sonhos, suas aspirações… Escola é sobre aprender, fortalecer sua mentalidade e também sobre as relações de amizade que você forma dia a dia. Um caráter que vai durar para sempre… Quero que essas crianças tenham as mesmas oportunidades que todas as outras. Nossa responsabilidade, como adultos, é não deixar essas crianças caírem. Sermos professores, mentores, inspiração. Porque elas são o nosso futuro e têm sonhos grandes, que vão além dos limites de Akron, do estado de Ohio e dos Estados Unidos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

……………………………………………………………………….
*Fonte: sportv

Avião fretado a caminho de Chicago destrói OVNI a 9.140 m de altitude

A equipe de basquete Oklahoma City Thunder estava voando entre as cidades americanas de Minneapolis e Chicago na noite da última sexta-feira (27), quando seu avião fretado aparentemente acertou alguma coisa:

Um funcionário da equipe do Thunder disse à ESPN que o voo tinha sido “um pouco conturbado, mas não extremo ou fora do comum”. Apesar disso, o formato oval que ficou na carcaça do avião certamente indica que ele destruiu algum OVNI (objeto voador não identificado).

Em alguns casos, quando pássaros colidem com aeronaves, podem deixar marcas grandes, por conta da alta velocidade. Mas onde estariam as penas e outros reminiscentes dessa tragédia aviária?

Não vamos nos precipitar e gritar “alienígenas!”. O jogador do Thunder, Steven Adams, já recrutou algumas das mentes mais brilhantes do mundo (como os cientistas da NASA, Neil deGrasse Tyson e Bill Nye) para responder a essa pergunta. Só nos resta aguardar.

 

 

……………………………………………………….
*Fonte: hypescience

Fab Five

Assisti a um documentário muito bom sobre um dos mais famosos times do basquete universitário americano. Era sobre o time da Univerisdade de Michigan, que ficou conhecido como o “Fab Five” (Michigan Wolverines de 1991-1992), quando a universidade reuniu 5 ateltas negros novatos do basquete e os caras simplesmente marcaram história nos EUA por causa do modo de jogo agressivo, jogadas incríveis e também por criarem vários elementos em termos de estética do basquete que estão aí até hoje. Era início dos anos 90,  o hip hop era uma das bolas da vez em termos de cultura pop americana e assim esses cinco rapazes além de jogarem muito basquete, também acabaram inovarando e servindo como referência com o modo de se vestirem em quadra, tipo usando calções grandes e largos (me lembrei da nossa Sel. Brasileira de futebol de 1982 com calçãozinho atochado…putz!), usarem meias pretas – o que era um sacrilégio na época e também por rasparem a cabeça, eram muito mais do que um time, eram uma irmandade. Tudo isso numa época em que nehum outro time fazia assim. Se compararmos, os caras seriam a versão basquete do foi o efeito Zephyr boys (Dog Town) para o skate. Saca!? Revolucionaram geral. E a grande ironia foi que o time apesar de ser “muito foda em quadra” e ter chegado a duas finais consecutivas do campeonato nacional universitário de basquete, contrariando as expectativas, não levou um título sequer. O Fab Five de Michigam era formado por Chris Webber, Juwan Howard, Jalen Rose, Jimmy King e Ray Jackson, todos com passagem posteriores na NBA (variando o grau de sucesso nessa empreitada). Mas isso é justamente que torna a história desses jogadores mais interessante, nem sempre os melhores vencem, mas “estes perdedores” serão lembrados para sempre como um grande time de basquete, talvez com maior referência do que os nomes dos atletas que ficaram campões naqueles dois anos. Se você gosta de esportes e de histórias emocionantes, como a vida é, tente assistir a este documentário, que com certeza deverá repetir na ESPN. Fica a dica.