O legado emocional que meu cachorro deixou na minha infância

A infância ao lado de um animal de estimação é vivida de forma mais plena e nos dá um legado emocional capaz de nos construir como pessoas.

A FELICIDADE QUE UM ANIMAL NOS OFERECE, SEJA UM CACHORRO OU UM GATO, É TÃO SINCERA E NOBRE QUE TODA CRIANÇA DEVERIA CRESCER COM ESSE PRIVILÉGIO.

De acordo com um estudo publicado no jornal ” The Guardian ” ter um animal de estimação ajuda as crianças a serem mais empáticas. Além disso, de acordo com este mesmo trabalho, eles são menos propensos a sofrer de asma (até 50% se crescerem em uma fazenda).

O meu cão foi o maior companheiro da minha infância, foi o meu cúmplice nas aventuras, o guardião dos meus segredos e aquele que me viu crescer através de um olhar tão puro que ainda hoje continua a dormir no meu coração.

Os animais de estimação são uma fonte de bem-estar para as crianças. Tanto é assim, que temos certeza que hoje você ainda se lembra com carinho daquele animal que deu luz e sorrisos à sua infância. No próximo artigo, convidamos você a refletir sobre isso.

Animais de estimação nos ensinam a socializar

Cães e gatos são mais do que apenas companheiros de brincadeiras. Atualmente, ainda há pais que temem introduzir um animal em casa se houver crianças pequenas, pensando que podem representar um risco. No entanto, não é ruim lembrar que um animal bem cuidado é uma ferramenta terapêutica para nossos filhos.

Dieter Krowatschek, psicólogo infantil e escolar de Marburg (Alemanha), nos oferece um livro interessante intitulado “As crianças precisam de animais de estimação”. Nele, ele nos mostra a capacidade dos cães em favorecer a socialização dos pequenos.

Cachorro é agente terapêutico para crianças

Certos animais, como cães, são agentes terapêuticos em muitos casos para crianças:

Os cães são mais curiosos e menos cautelosos do que os adultos. Eles podem ser os exploradores mais intrépidos e confiantes, ensinando as crianças ao longo do caminho que a melhor atitude em relação à realidade é estar aberto às descobertas.

Por outro lado, são ótimos guardiões e isso os torna companheiros perfeitos para as primeiras escaramuças de nossos pequenos.

Graças aos animais, as nossas crianças desenvolvem uma capacidade empática adequada, compreendendo desde muito cedo o valor de uma carícia, das palavras e da importância dos reforços positivos sobre os negativos.

Algo tão simples como ter um cachorro em casa, contraria o risco de tantas horas de solidão em frente à televisão ou ao computador. Sua forma de se relacionar será mais lúdica, mais aberta.

Animais de estimação são excelentes companheiros para liberação emocional, para canalizar tristeza, medo ou birras. De fato, não podemos esquecer o que muitos estudos nos dizem: os animais têm emoções e, além disso, sabem interpretá-las em nós.

Algo que não podemos ignorar é o grande benefício terapêutico que os cães podem oferecer às crianças com autismo ou transtorno de déficit de atenção.

Permite que eles concentrem sua concentração, desfrutem do contato físico e interajam com o ambiente com mais segurança.

…………………………………………………………….
*Fonte: seuamigoguru

Os cães podem prever como está o seu estado de espírito, diz a ciência

Como pode um cãozinho que não pode dizer o que está sentindo, sentir tanto aquilo que sentimos? Os cães podem prever informações implícitas sobre o estado de espírito dos humanos e a partir daí, elaborar como deve reagir, é o que afirma o artigo intitulado Dogs can infer implicit information from human emotional expressions, desenvolvido pelos pesquisadores Natalia Albuquerque e Briseida Resende, do Instituto de Psicologia da USP, e Daniel Mills, Kun Guo e Anna Wilkinson, da Universidade de Lincoln, publicado na revista científica Animal Cognition. As informações são do Jornal da USP.

Acreditava-se que essa habilidade fosse exclusivamente humana, mas as evidências científicas construídas ao longo das últimas décadas mostraram o contrário. A capacidade de reconhecer emoções já havia sido observada em primatas, como chimpanzés, capazes de reconhecer emoções entre si, mas apenas com um estudo de 2016, também conduzido pela pesquisadora Natalia e colaboradores. Nesta pesquisa comprovou-se que os cães vão além: reconhecem emoções humanas, não apenas da sua própria espécie – sendo os únicos animais a atingir esse feito.

Em 2018, outro trabalho da cientista mostrou ainda que os cães respondem a esse reconhecimento de emoções de outra espécie. “Assim, o próximo passo foi saber se eles entendem que o estado emocional de uma pessoa altera a forma como ela se comporta e, portanto, ele pode se ajustar a isso”, explica Natalia ao Jornal da USP.

Emoção neutra, de alegria e raiva: testes mostraram que os cães levam em consideração as expressões faciais humanas para tomar decisões. Foto cedida pelo jornal da USP
Para o experimento, foram necessários 90 cães, duas atrizes, alguns objetos e uma sala no Laboratório do IP. O recrutamento dos animais aconteceu de forma voluntária, segundo alguns critérios como serem saudáveis, não agressivos, acostumados com novos lugares e pessoas e sem problemas de visão – o que dificultaria o teste.

Depois de habituados na sala, os cães observaram uma interação entre duas atrizes, treinadas para, a cada sessão, demonstrarem expressões faciais neutras, positivas (alegria) ou negativas (raiva). Vestidas da mesma maneira, elas passavam objetos uma para a outra, silenciosamente e, em seguida, sentavam-se com um pote de ração em uma das mãos e uma folha de jornal na outra.

A coleira era solta e, então, o cão podia interagir com as atrizes, agora, ambas com expressões neutras. Para conseguir um pouco de ração, os cães precisavam pedir a uma das mulheres – e essa escolha revelou a capacidade desses animais. A maioria tomava a decisão de interagir com a atriz que, no momento da observação, mostrava-se feliz, e evitava contato com a atriz antes com raiva. Os testes mostram que os cães levam em consideração as expressões faciais humanas para tomar decisões, já que pode ser mais fácil conseguir alguns petiscos de alguém mais amigável.

“A pesquisa evidencia que os cães levam em conta as expressões das emoções dos humanos para fazer escolhas. As pessoas poderão perceber o animal como um ser que presta atenção ao que fazemos e que toma suas decisões com base nisso. Desta forma, acho que podemos desenvolver uma relação mais saudável e respeitosa”, afirma a coautora do trabalho, a professora Briseida. Ela destaca que é importante não tratá-lo como humano, e sim respeitá-lo enquanto cão.

………………………………………………………………………………..
*Fonte: portalraizes

Por que os cachorros ficam malucos depois de tomar banho?

Se o seu cachorro adora tomar um banho, considere-se um verdadeiro sortudo. De maneira generalizada, todo dono de animal de estimação sofre para tentar deixar seu pet limpinho e, por vezes, podem precisar realizar algumas manobras físicas para conseguir manter seu companheiro em contato com a água.

Tomar banho pode ser um ato tão triste para os cachorros, que alguns inclusive adotam uma espécie de marcha fúnebre em direção ao banheiro quando descobrem que a tão odiada hora está para chegar. Mas qual o motivo para isso acontecer? É sobre esse fenômeno que nós falaremos nesse texto.

Se livrando de um pesadelo

É bastante comum vermos cachorros ficarem completamente malucos após o fim de uma boa ducha, quase como se tivessem se livrado de uma maldição interminável. É como se eles fossem do inferno ao céu em apenas dois segundos e estivessem prontos para bagunçar tudo que encontrarem pela frente.

Porém, toda essa confusão tem uma explicação. Em entrevista para o The Dodo, a veterinária Ladan Mohammad-Zadeh disse que o êxtase pós-banho acontece, em parte, por uma resposta à sensação física de estar com o pelo úmido. “Rolar, sacudir e quicar nos móveis depois de um banho revigorante pode ser um instinto canino para manter seu pelo de proteção seco e quente”, explicou.

Na visão de Ladan, é bastante possível que os cachorros achem desagradável a sensação de estar com o corpo mais pesado pelo excesso de água. Então, o instinto faz com que eles procurem qualquer maneira para se livrarem desse incomodo momentâneo e adquiram certa propensão a detestar tomar duchas.

Em busca da sujeira

Outro fator que explica a aversão dos cães pelo ato de tomar banho é a ansiedade. Quando eles são obrigados a permanecer debaixo d’água e receberem doses de shampoo no pelo, esses animais costumam ficar bastante ansiosos. Por isso, quando o “pesadelo” chega ao fim, eles costumam sair correndo feito malucos para liberar esse acumulo de energia.

Além disso, os cachorros são criaturas que se baseiam muito no olfato. Cães querem sempre cheirar como cães, o que não costuma acontecer quando as fragrâncias do shampoo tomam conta de seus pelos. No geral, os cães tendem a ficar selvagens depois do banho porque querem se sentir como um cachorro novamente – livres, secos e apenas um pouco sujos.

*Por Pedro Freitas

……………………………………………………………………………………
*Fonte: megacurioso

Cachorros e gatos podem ser alérgicos a humanos?

Muitas pessoas sofrem alergia de cães e gatos. Cerca de 40% das crianças asmáticas também são alérgicas a animais. Mas podemos nos perguntar: cachorros e gatos podem ser alérgicos a humanos?

Assim que o dono percebe o comportamento estranho de seu animal de estimação, ele corre imediatamente ao veterinário em busca de uma solução. No entanto, os veterinários nem sempre podem diagnosticar o animal.

Infelizmente, hoje, quando o dono percebe que seu gato ou cachorro é alérgico, o veterinário pode apenas sugerir que ele remova gradualmente os possíveis alérgenos e monitore a condição do animal. Portanto, é muito difícil dizer de forma inequívoca se uma pessoa pode causar uma reação alérgica em um animal, mas existem várias teorias sobre o assunto.
Cerca de 40% das crianças asmáticas são alérgicas a animais. Mas podemos nos perguntar: cachorros e gatos podem ser alérgicos a humanos?

Douglas Deboer, dermatologista da Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Wisconsin, observa que, se um animal for alérgico a humanos, isso será extremamente raro. O cientista observa que pode ocorrer uma reação alérgica em um animal devido à caspa humana, por exemplo, assim como começamos a espirrar ao ver um gato ou um cachorro, pois nossa reação alérgica aos animais é, geralmente, causada pela caspa do animal, ou seja, as células mortas da pele.

Elia Tate Voino, imunologista da Universidade de Washington, observa que o teste de alergia em animais é um processo muito complicado. Os veterinários nem mesmo fazem isso para verificar se há alergias alimentares, então não está claro se os animais podem ser alérgicos a humanos. Na maioria das vezes, o médico simplesmente prescreve medicamentos para o animal de estimação para o tratamento de alergias, sem realizar exames sérios. Portanto, em nível populacional, é difícil entender quantos animais são alérgicos.

No entanto, embora a existência de alergias humanas em cães e gatos seja uma questão discutível, há evidências de que os animais de estimação podem ser alérgicos uns aos outros. Embora muito raros, houve casos em que gatos com tendência a desenvolver asma eram alérgicos a cães.

*Por Damares Alves

………………………………………………………………………….
*Fonte: socientifica

3 razões para você conversar mais com seu cachorro

Eu, particularmente, adoro conversar com cachorros. Bater um papo com esses animais melhora o meu humor, diminui o meu estresse e sempre me deixa muito feliz.
Além disso, uma pesquisa recente chegou à conclusão de que conversar com animais é uma forma de exercitar o cérebro e é um sinal de inteligência.

Quer mais motivos para conversar com o seu cachorro, pois nós vamos te dar mais três:

1 – Falar com cachorros ajuda na saúde e nas relações humanas

No caso dos idosos, a conversa com os cães ajuda com que eles se mantenham ativos e com a cabeça focada no presente. No caso das crianças, conversar com um cão pode ajudá-las a ter mais confiança. O cão sempre irá escutar a criança sem repreendê-la e sem fazer julgamentos.

Os cachorros também têm uma habilidade especial para obter a comunicação de algumas crianças que possuem certas condições que as tornam relutantes em interagir com os seres humanos, com aquelas que possuem autismo.

Conversar com um cão também pode ajudar a resolver conflitos internos e dar coragem para se abrir sobre certos assuntos. Incluir um cão na discussão pode adicionar humor e deixar o clima mais leve.

2 – Faz bem para o cachorro

Cachorros conseguem compreender muito do que falamos através do nosso tom de voz e de nossa linguagem corporal. (Foto: Reprodução / 4knines)

Existem muitas maneiras de se relacionar com seu cachorro, porém, é comprovado que pessoas que conversam com seus animais estão mais intimamente ligadas a eles e tendem a ter um vínculo maior com o cão. Conversar com seu animal é uma forma de dar atenção a ele e também pode fazer com que ele sinta ainda mais o seu afeto por ele.

Além disso, os cães fazem grandes esforços para entender a fala humana e nossos gestos, por isso é justo que se tire um tempinho para conversar com seu cachorro. E tente conversar assim como você fala com outros humanos, com atenção e olhando para o animal. Fique atento também ao seu tom de voz na hora que for falar com seu animal, pois é através do seu tom que ele vai entender se você está feliz, animada ou com raiva.

3 – Os cães podem entender muito do que dizemos mesmo sem compreender as palavras

Ao se comunicar, o ser humano usa muito de linguagem corporal, além de ter um tom de voz diferente para certos assuntos. E isso os cães conseguem pegar de forma mais fácil.

Os cães possuem um alto nível de sensibilidade ao conteúdo emocional. Segundo pesquisas, seres humanos e cachorros usam a mesma área do cérebro para processar o significado emocional de certos padrões de fala.

*Por Andrezza Oestreicher

…………………………………………………………………………………
*Fonte: Dogster / portaldodo

Nossos cães possuem uma missão espiritual especial em nossas vidas

Quem tem cães em casa sabe o quanto que um abanar de rabo pode mudar tudo, digo tudo mesmo, internamente. Nosso dia pode ter sido difícil, a raiva, o medo e a dor podem estar nos deixando ansiosos e tristes, mas basta chegarmos em casa, e se torna impossível não abrir um sorriso e sentir a vibração de amor que o nosso cachorrinho nos transmite.

Não é atoa que eles estão sendo usados como companhia para idosos depressivos, em creches para crianças que não conseguem se adaptar facilmente e em hospitais, já que,com seu amor, conseguem melhorar o humor e a sensação de bem-estar dos pacientes e conseqüentemente ajudar no processo de cura.

Conhecida universalmente como Pet Therapy e praticada em muitos hospitais pelo mundo a fora, ela mostra resultados claros e objetivos, principalmente para pacientes com depressão.

A missão dos cachorros é tão especial que me atrevo a dizer que eles tem uma função particular que se assemelha a missão de Jesus na Terra: nos ensinar a amar! Eles nos ensinam a estabelecer um vínculo de amor tão forte que, nenhuma pessoa consegue continuar indiferente a esse sentimento que enobrece a alma, depois que convive por anos com um.

Algumas vertentes espiritualistas acreditam que eles são capazes de absorver energias negativas dos ambientes e das pessoas, e que se purificam através da água, das plantas ou de elementos naturais. E indicam que se percebermos uma tristeza em seu olhar, pode ser que estão carregados dessas energias que retiram de nossa casa ou de nós, e por isso, precisam de muito carinho.

Outros ainda afirmam que a forte sensibilidade tanto olfativa quando auditiva desses animais revelam essas características podem permitir que eles enxerguem outras dimensões e que alcancem diversos níveis de consciência que ainda não conhecemos.

Algumas vertentes espíritas acreditam que eles reencarnam rapidamente após a morte porque estão aqui, como nós, em processo de evolução. Afirmam que, quando morrem, quase instantaneamente, sua alma ou energia vital é atraída, magneticamente, e por afinidade, para mais um processo de encarnação. Dessa forma, de pouquinho em pouquinho, vai progredindo. E mais, quando o vínculo com o dono é muito forte e o amor foi aprendido em sua essência, o nosso animalzinho pode voltar para o nosso lar, em outro animal recém nascido.

É bom acreditar nesse processo evolutivo, diminui a dor da partida saber que poderemos nos ver de novo. É tanto o que nos ensinam de bom, tanta abnegação e bondade… e só pedem duas coisas em troca: Amor e cuidado!

*Por Iara Fonseca

……………………………………………………………………………………
*Fonte: seuamigoguru

Donos de gatos são mais inteligentes que os de cães, diz estudo de universidade norte-americana

Cientistas da Universidade Carroll, em Wisconsin, Estados Unidos, realizaram um estudo para avaliar a personalidade das pessoas de acordo com suas preferências por animais de estimação. Foram entrevistados 600 universitários. Segundo as conclusões dos pesquisadores, os amantes de gatos são mais inteligentes que os donos de cachorros.

Primeiramente, os pesquisadores perguntaram aos voluntários se eles gostariam de ter um gato ou um cachorro. Cerca de 60% das pessoas declararam que preferem cães, enquanto 11% disseram gostar mais de gatos. Os outros 29% não demonstraram preferência. Depois, perguntaram quais as qualidades dos animais de estimação que eles mais gostavam. Por fim, os participantes também responderam um questionário para avaliação de personalidade e inteligência.

No questionário, os amantes de gatos obtiveram maior pontuação. Quanto à personalidade, os cientistas perceberam que os donos de cães são mais animados, sociáveis e costumam obedecer às regras. Já os que gostam mais dos gatos são geralmente introvertidos, insubmissos e sensíveis. Em outras palavras, criar um gato é adequado para pessoas reservadas, que preferem ambientes fechados; enquanto um cachorro é mais compatível com indivíduos extrovertidos.

“Faz sentido que o dono de um cachorro seja mais animado, porque ele deve gostar de passear com seu animalzinho, fazer atividades ao ar livre e conhecer outras pessoas. Enquanto isso, a pessoa que tem um gatinho não precisa passear e, como gosta de ficar em casa, pode gastar seu tempo lendo um livro, por exemplo”, disse a professora de psicologia Denise Guastello, principal autora do estudo.

*Por Mariana Felipe

…………………………………………………………………..
*Fonte: revistabula

Robôs ‘Cachorro-sem-cabeça’ puxam caminhão e surpreendem o mundo com sua enorme força

Assustadores “robôs cachorro sem cabeça” poderiam ser apenas uma criação de mais algum filme fantástico de Hollywood, mas eles são reais, e prometem revolucionar vários aspectos do nosso futuro.

A criação da empresa ‘Boston Dynamics’ já é uma das mais promissoras tecnologias em robôs, principalmente no setor bélico, e a cada dia revelam mais potenciais utilidades.

Claro que alguns desses usos podem ser menos ameaçadores, como é o caso de um vídeo recém lançado que mostra uma “matilha” desses caninos robóticos rebocando um caminhão.

Sim, como podemos ver eles são mesmo muito fortes, e são produzidos em vários tamanhos, podendo chegar a quase 1 metro de altura em sua versão maior, o que evidencia suas possíveis utilidades em inúmeros campos.

Em um outro vídeo os robôs ainda “brincam”, e se passam por renas, puxando um trenó da Mamãe Noel, numa possível tentativa de diminuir o medo que eles inspiram em muita gente. Será que deu certo? Eles parecem mais simpáticos agora?…

 

………………………………………………………
*Fonte: curtoecurioso

Cães veem os donos como se fossem seus pais

Que lindo. E como você é o pai seu cachorro age como se fosse uma criança.

Numa pesquisa liderada pela veterinária Lisa Horn, da Universidade de Viena, na Áustria. Ela os separou em três grupos: um terço ficaria sem o dono, enquanto os outros estariam acompanhados por eles – só que parte dos donos deveria se manter em silêncio, e outra parte deveria encorajar os cães a fazer as atividades. E tudo o que os bichinhos precisavam fazer era interagir com alguns brinquedos. Em troca, ganhariam comida.

Os cães que estavam com os donos passavam muito mais tempo brincando. Enquanto os outros nem a comida servia para motiva-los.

A pesquisadora refez o teste, mas dessa vez os donos foram substituídos por pessoas desconhecidas. Nenhum dos cães mostrou muito interesse pelos brinquedos.

De acordo com Lisa Horn, os testes são suficientes para provar a existência da “área de segurança”. Ou seja, os cães se sentem mais seguros, confiantes e confortáveis na presença dos donos. Sem eles, tudo parece mais perigoso – e sem graça.

E é exatamente o que acontece na relação entre pais e filhos pequenos. “Esta é a primeira evidência da similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz a pesquisa.

Quem tem um bichinho é fácil perceber isso. Muitas vezes ja dissemos por ai que nosso cãozinho age sempre como se fosse uma criança.

…………………………………………………………….
*Fonte: resilienciamag

Cão rouba GoPro e tem uma das melhores filmagens de 2018

Aqui está um vídeo que deve banir qualquer tristeza que você possa ter trazido para essa segunda-feira. O vídeo, mostra um cachorro correndo com uma câmera GoPro, enquanto o dono e vários outros cachorros correm atrás desse verdadeiro ladrão de quatro patas.

O clipe divertido recentemente apareceu online e rapidamente se tornou viral.

A GoPro estava filmando quando o ‘meliante’ a pegou e saiu correndo. O divertido de todo o vídeo, vem não só do fato de se ver alguns humanos desesperados correndo atrás do animal, mas principalmente do ângulo da câmera, onde a lente aponta diretamente para o rosto do cachorro enquanto ele corre com a GoPro na boca.

E ainda pra mais, o cachorro é claramente um comediante natural, ao aprimorar todo o clipe com uma seleção de hilárias de expressões faciais e várias pausas soberbamente programadas.

O vídeo foi postado originalmente há alguns dias no reddit pelo carmenlightning, com o usuário do Twitter, Jon Christian, posteriormente ajudando a trazer mais atenção ao clipe – e já foi visto 8,3 milhões de vezes e recebeu mais de 630.000 curtidas no site de microblogging.

………………………………………………
*Fonte: portaldoanimal

Cachorros não gostam de quem não gosta dos seus donos

Os cães não são apenas o “melhor amigo” do homem, mas também podem ser”inimigos” de nossos rivais.

Pesquisadores da Universidade de Kyoto, no Japão, descobriram que cachorros não gostam de quem não gosta de seus donos e, além disso, recusam alimentos oferecidos por pessoas que desprezam seus proprietários.

O estudo, que será publicado na revista científica Animal Behaviour até o final do mês, revela a habilidade altamente refinada dos bichos em cooperar socialmente – mesmo com outras espécies -, característica rara entre os animais.

Liderados por Kazuo Fujita, professor de psicologia, os pesquisadores testaram 54 cães, divididos em três conjuntos. O primeiro grupo recebeu alimento de uma pessoa que, na frente deles, se negou a ajudar seu dono a abrir a lata de comida.

Mas, ao mesmo tempo, os animais poderiam escolher a refeição servida por alguém “neutro”, desconhecido do cachorro e que não demonstrou qualquer sentimento na cena.

Em um segundo grupo, os animais tinham as seguintes opções: escolher a comida servida por alguém que ajudou o seu dono a abrir o recipiente de alimentos ou pegar a comida oferecida por uma pessoa neutra.

O último grupo também poderia escolher entre duas pessoas, mas nenhuma delas teve contato prévio com os donos dos animais de estimação.

Em cada conjunto, os pesquisadores repetiram os testes quatro vezes. No primeiro grupo, um único animal escolheu a comida da pessoa que desprezou seu dono. Já nos demais grupos, os cães não demonstraram preferência ou rejeição por quem eram servidos.

“Pela primeira vez, medimos como os cães fazem avaliações sociais e emocionais das pessoas, sem depender de seu interesse direto”, disse Fujita. Os pesquisadores sugerem que os cachorros são capazes de julgar um indivíduo com base em seu comportamento, um importante traço que ajuda na cooperação social.

Poucas espécies, como os homens e os primatas, apresentam essa capacidade.

……………………………………………………….
*Fonte: osegredo

10 coisas impressionantes que o seu CÃO sabe sobre você

Qualquer amante do cães irá dizer que seus melhores amigos têm um sexto sentido quando se trata de necessidades emocionais humana. Quando você se sente mal, um cão pode muitas vezes atua como um confidente melhor do que qualquer outro ser humano. Também escutam melhor, respondem adequadamente às suas emoções e realmente parecem se importar com seus sentimentos. Não deveria surpreendê-los que os cães sejam capazes de mostrar sentimentos intensos. Eles são altamente sociais e exibem fortes ligações com outros cães. Eles têm suas próprias estruturas sociais e rituais de vínculo, muitos dos quais refletem as estruturas sociais humanas.

As mesmas conexões emocionais que cães experimentam em grupos podem ser facilmente transferidas para qualquer outro ambiente, incluindo situações entre as espécies. Para o seu cão, você é uma família. É simples assim. Claro, existem muitas outras coisas fascinantes que seu cão entende sobre você que você pode nem saber. Às vezes, suas habilidades podem ser incríveis, mas há explicações científicas contundentes para o comportamento do seu cão. Entender como o seu cão percebe você pode ajudá-lo a se relacionar melhor com seu animal de estimação.

1. Os cães sabem quando você está triste

Quando você se sente triste, o seu cão imediatamente percebe e ajusta seu comportamento em conformidade. Ele pode se tornar mais moderado do que o habitual, perdem o interesse em seus brinquedos e até mesmo rejeitam sua comida. Em um estudo de cognição animal, os pesquisadores descobriram que um cão se aproxima mais de uma pessoa que está chorando que alguém cantarolando ou falando. Além disso, os cães respondem ao choro com o comportamento submisso. Em outras palavras, os cães parecem estar tentando acalmar alguém que está chateado. Além do mais, os cães vão abordar qualquer pessoa que se senta mal, independentemente de ser ou não o seu dono.

2. Eles podem sentir suas intenções

Todos já sentimos a capacidade quase psíquica de um cão em sentir quando algo desagradável está para acontecer. Mesmo antes de você ligar o chuveiro ou pegar sua toalha, seu cão vai saber que você pretende dar-lhe um banho e vão imediatamente se esconder. O mesmo vale para tosa, unhas ou remédios. Por outro lado, o seu cão também vai entender se suas intenções são puras e se você faz as coisas para seu próprio bem. A maioria deles se submetem a experiências desagradáveis, tais como cortes de unha, se seu dono estiver por perto e dizer algo para tranquilizá-lo.

3. Ele pode sentir as doenças que você pode ter

Se seu cão foi está prestando especial atenção a uma determinada área do seu corpo, talvez você deva visitar um médico para se certificar de que esteja tudo bem. Vários estudos têm confirmado que os cães têm a capacidade de detectar certas doenças, como o câncer, através do seu sentido de faro afiado. Alguns podem até mesmo ser treinados para alertar os pacientes epilépticos quando eles estão prestes a terem uma convulsão.

4. Sabem quando você sente medo

Se você sentir medo, o seu cão vai saber em um instante. O nariz sensível dos cães pode captar aromas sutis, como a adrenalina, que é associada ao medo e ao perigo. Se você tiver um Rottweiler ou um Doberman, então seu corpulento protetor provavelmente entrará em ação e virá a seu resgate. Os cães menores ou aqueles com temperamento nervoso, seguirão seu exemplo e começarão a ficar com medo. Seu cão procura obter orientação sobre como reagir em determinadas situações, por isso, se você quiser que o seu cão seja corajoso, você terá que dar um exemplo.

5. Eles sabem quando você está sendo injusto

Um estudo realizado na Áustria testou o que aconteceria se um cão fosse recompensado por um truque, enquanto outro não foi dado qualquer coisa, por fazer a mesma tarefa. Os cães que não recebiam uma recompensa, se agitavam ao ver seus companheiros receberam guloseimas. Eles respondiam se coçando e lambendo-se com impaciência. Em outras palavras, eles reconheceram a injustiça da situação. Se um cão recebe uma salsicha enquanto outro recebeu pão, ambos ficam mais do que felizes com seu prêmio. Lembre-se, os cães são tão inteligentes quanto uma criança de cerca de dois anos de idade.

6. Eles sabem quando você tem outras prioridades

Os cães que passaram a maior parte de suas vidas sendo mimados e adorados por seus proprietários, compreendem, até certo ponto, se a atenção deles, de repente, se volta a uma nova prioridade. Um bebê novo, um namorado, um hobby ou até mesmo um novo animal de estimação pode levar seu amado cão a ter sentimentos de inveja e ressentimento. Alguns cães são ainda conhecidos por se inserir fisicamente entre dois amantes, a fim de trazer de volta a atenção para eles. Depois de assinalar que os cães são capazes de reconhecer e lidar com mudanças nas suas prioridades, lembre-se que eles não querem ser negligenciados. Você é a coisa mais importante na vida de seu animal de estimação.

7. Eles sabem quando você está irritado

Proprietários que estão com seus cães durante vários anos, muitas vezes não precisam dizer uma palavra para mostrar a eles que estão chateados. Quando chegam em casa e descobrem que seu cão fez alguma travessura, colocar as mãos nos quadris e lançar um olhar de desaprovação é suficiente para transmitir a sua ira. Quando o cão percebe qualquer sinal de desconforto, muitas vezes, se agacham, tremem, gemem e podem até perder o controle de sua bexiga. Claramente, você pode sentir raiva, mas eles nem sempre podem entender a razão.

8. Eles sabem se você é uma pessoa generosa

Assim como nós julgamos os outros com base em suas ações, os cães também prestam atenção em como você age em relação aos outros. Um experimento organizado pela Universidade de Milão permitiu ao cães observarem os humanos em diferentes situações sociais. Situações de generosidade, justiça, bem como bondade. Também se tratou do tom de voz, a raiva, e todas as coisas discutidas. A conclusão é que o seu cão sabe quando você está sendo generoso e quando está sendo mesquinho.

9. Ele sabe se você é fácil de convencer

Algumas raças mais enérgicas, como labradores e pitbulls, requerem um disciplinador firme para domar seu comportamento selvagem. Raças maiores, por vezes, não entendem sua própria força e pode ser perigosas se você de repente decidem surpreender uma criança ou uma pessoa idosa com um abraço. No entanto, mesmo sendo bem educado por seu dono, um cão não terá por que agir da mesma maneira com os demais. Os cães gostam de testar os limites regularmente. Se encontram alguém que não os castigue puxando sua coleira, eles vão cavar o jardim ou comer o lixo, eles vão tirar proveito de sua nova liberdade.

10. Eles podem sentir quando uma mulher está grávida

Há centenas de histórias de mulheres que notaram mudanças no comportamento do seu cão durante a gravidez. Muitas proprietárias relatam que seus cães de repente se tornam muito protetores, atenciosos e dedicados. Também começam a acompanhá-las onde quer que forem. Eles também podem farejar sua barriga e repousar a cabeça sobre ela. Eles são capazes de perceber alterações hormonais, como quando uma mulher está menstruada, portanto sua capacidade de farejar uma gravidez não é tão exagerada.

……………………………………………………………………
*Fonte: paracuriosos

Os alimentos que cachorros podem e não podem comer

A maioria dos cachorros come alegremente a comida humana, seja por que você colocou em seu pratinho ou por que ele roubou alguma coisa do balcão da cozinha. Mas alguns alimentos podem ser ruins ou até perigosos para a saúde canina.

Aqui estão alguns alimentos que eles podem comer livremente e aqueles que você deve controlar. Os alimentos seguros não são tão surpreendentes e costumam integrar as rações dos cachorros, como carne, cenoura e arroz. Já aqueles que devem ser servidos com moderação, como queijo e salsicha, devem ser usados como petiscos em ocasiões especiais.

Entre os alimentos proibidos para cães estão o alho e a cebola. Isso significa que os restos daquela comida temperadinha que você preparou no almoço não devem ir parar no prato do seu cachorrinho. Outro alimento perigoso para os cães é a uva, seja fresca ou passa. Qualquer quantidade desta aparentemente inocente frutinha pode causar insuficiência renal no totó.

Claro que cada cão tem diferentes sensibilidades e alergias, e você deve observar suas reações aos alimentos. Qualquer dúvida é melhor consultar um veterinário. [Lifehacker]

Confira:

(1) – Alimentos que os cachorros podem comer tranquilamente

– Arroz
– Alface
– Banana
– Cenoura
– Pera
– Melão
– Carne
– Manteiga de amendoim
– Abóbora
– Peixe
– Espinafre

(2) – Com moderação

– Abacaxi
– Salsicha
– Batata
– Melancia
– Cogumelo
– Brócolis
– Tomate
– Mirtilo
– Morango
– Maçã
– Pão
– Queijo

(3) – Não recomendado

– Pipoca
– Camarão
– Amêndoas
– Salsão
– Cereja
– Pimenta
– Milho
– Marshmallow

(4) – Alimentos que cachorros não podem comer

– Nozes
– Cebola
– Abacate
– Uva
– Chiclete
– Bebidas alcóolicas
– Romã
– Chocolate
– Castanhas
– Alho

 

…………………………………………………………
*Fonte: hypescience

Como saber o que seu cão está sentindo e o que você pode fazer a respeito?

Grande parte das pessoas já deve ter tido um animal de estimação ao longo da vida e, como em qualquer tipo de relacionamento, aprendemos a lidar com os trejeitos e a personalidade de nossos pets conforme o tempo de convívio com eles se torna maior.

Este texto talvez pareça completamente óbvio para quem já está acostumado a ter um cãozinho em casa, mas, caso você seja um marinheiro de primeira viagem ou talvez nunca tenha entendido um comportamento de seu amigo canino, ele pode ajudar bastante.

Vamos ver quais são algumas das principais sensações que os cachorros têm, de que forma podemos identificá-las e o que podemos fazer quanto a cada uma delas, em uma espécie de estudo da linguagem corporal dos cães.

1. Tédio

Quando seu cão começa a seguir você por toda a parte, não dá atenção para os seus brinquedos ou para atividades que costuma fazer, começa a destruir a mobília quando você não está por perto e fica gemendo ou latindo sem motivo, ele provavelmente está entediado.

A solução é tentar fazer com que ele se interesse por coisas novas, como um brinquedo ou uma brincadeira diferente. Não adianta gritar ou punir o animal quando ele está latindo, por exemplo, pois ele pode associar os latidos a ganhar sua atenção, mesmo que seja com gritos e castigos.

2. Excitação

Seu pet está correndo eletricamente para cima e para baixo, latindo em um tom estridente e balançando a cauda sem parar? Ele deve estar muito animado com alguma coisa ou talvez só esteja louco de vontade de brincar para gastar toda a energia acumulada.

Faça o animal se exercitar um pouco atirando alguma coisa para que ele vá buscar, mas, se quiser que ele saia logo desse estado de euforia, mantenha uma atitude calma e relaxada. Se você agir de um jeito escandaloso quando ele está assim, isso só vai deixá-lo mais animado.

Para manter o seu pet calmo quando receber visitas, tente controlá-lo com uma coleira, e o recompense com petiscos quando ele se acalmar. Com o tempo, ele associará uma coisa com a outra e ficará relaxado mais facilmente.

3. Medo

Orelhas abaixadas ou viradas para trás, ganidos longos e agudos, olhos bem abertos e o inconfundível rabo entre as pernas são sinais de que o seu bicho de estimação pode estar assustado com alguma coisa.

Se for algo que você possa controlar, como algum objeto ou barulho dentro de casa, tente mostrar aquilo para o cão em um ambiente controlado, para ele aprender que não precisa ter medo.

Se for algo como o som de trovões, fogos de artifício ou outra coisa nesse sentido que esteja além do seu controle, fique ao lado do cão em um lugar em que ele se sinta seguro, o acaricie e fale com uma voz tranquila, para que perceba que você está lá para protegê-lo. Isso deve pelo menos aliviar um pouco o pânico que ele possa estar sentindo até o “perigo” passar.

4. Ameaça

Rosnar, mostrar os dentes ferozmente, pupilas contraídas, postura de ataque e cauda em riste para cima são sinais muito claros de que o animal está furioso com alguma coisa. No entanto, isso pode indicar que ele está se sentindo ameaçado, e não que queira machucar alguém.

É importante tentar descobrir o que está fazendo com que o animal se sinta acuado e, se possível, remover aquilo de perto dele. No caso de animais territorialistas, que se irritam quando algo “invade” o seu espaço, a castração pode diminuir esse instinto em muitos casos.

Por mais que o cachorro não goste, algumas vezes é necessário colocar focinheiras neles para evitar que acabem machucando outras pessoas, animais ou a si mesmos. Se a situação persistir, é importante consultar um veterinário e ver o que pode ser feito para tornar o pet mais dócil.

5. Felicidade

Essa é a expressão mais fácil de desvendar em um cachorro: boca aberta e língua pendurada para fora, olhos dilatados e cauda relaxada, balançando suavemente são todos indícios de que seu cão está se sentindo ótimo.

As melhores formas de mantê-lo assim são garantir que haja sempre água e comida fresca, brincar e passear com ele frequentemente e fazer consultas periódicas com um veterinário para garantir que sua saúde esteja em ótimo estado.

Se seu bicho costuma ficar triste quando você sai de casa, tente não evidenciar esse momento. Saia sem se despedir dele e, quando retornar, não faça “uma festa”. Trate-o como se você simplesmente tivesse saído por alguns instantes, e logo ele deve perceber que não há motivos para chorar pela sua ausência.

É lógico que há muito mais coisas que os cães podem expressar além do que listamos aqui, mesmo que eles não sejam capazes de nos dizer exatamente como se sentem. Em muitos casos, é possível que tenham até mais de um comportamento desses simultaneamente, mas somente o tempo que você passa junto dele poderá ensiná-lo a interpretar essas nuances.

………………………………………………………..
*Fonte/texto: megacurioso

O Cachorro e a Espiritualidade

Quando se pergunta, quem é o melhor amigo do homem?

Logo se responde: “o cachorro”.

Pois é, analisando energeticamente o cachorro, chegamos à seguinte conclusão:

O cachorro busca sempre em um ambiente os locais de maior concentração de energia positiva. Inclusive, na Radiestesia, dizem que a melhor maneira de descobrir o melhor local para se colocar a cama é deixando que um cão passe a noite no quarto vazio; o lugar escolhido por ele, o seu repouso, sempre é a melhor indicação.

Em toda ocasião é sempre bom estar atento ao cão, em toda sua forma de agir, desde a mais óbvia até a inexplicável. Se ele late para as paredes e lugares vazios, é hora de providenciar uma limpeza energética para o ambiente.

Quando ele se achega a um desconhecido ou se comporta de forma repulsiva também é algo digno de observar e providenciar a limpeza.

Acariciar um cachorro é como se descarregássemos nossa energia em um ímã. O cão é considerado o melhor amigo do homem por ter a alma bela, não guarda rancor de seu dono, afinal ele é fiel até a morte.

Mesmo que aconteça de você brigar com seu cachorro, chutar ou até mesmo prendê-lo como castigo, ao se aproximar dele, a sua fidelidade faz com que ele demonstre o amor incondicional, pois você o conquistou uma vez e será para sempre.

Além do convívio e da alegria, esse animal nos presta o favor da limpeza, nada nesta terra está desprovido de propósito do Divino.

……………………………………………………………….
*Fonte: osegredo / texto:Márcia Fernandes

 

Cães são mais inteligentes que gatos? A ciência tem um veredito

Um dos principais motivos de divergência entre as pessoas que preferem cachorros e os adeptos de gatos pode ter chegado ao fim. Cientistas da Universidade de Kyoto, no Japão, descobriram que na discussão de qual dos dois pets é mais inteligente não há vencedores – ambos são igualmente espertos.

Pode até ser que gatos não busquem bolinhas como os cachorros, que não deitem e rolem sob comandos humanos, mas isso não quer dizer que sejam menos inteligentes. Só que, até então, os felinos estavam em desvantagem nessa disputa, porque era sabido pelos cientistas que cães conseguem lembrar de eventos específicos não recentes, uma habilidade conhecida como memória episódica.

Nós, humanos, também temos esse tipo de memória “introspectiva”. Tentamos conscientemente reconstituir fatos passados, memórias únicas e individuais. Por exemplo, quem estava vivo em 2001 lembra que no dia 11 de setembro aviões atingiram as Torres Gêmeas em Nova York. Mas, pela memória episódica, você lembra que viu a notícia enquanto comia sopa de feijão ou que naquele mesmo dia você levou um pé na bunda. Ou seja, o dia 11 de setembro de 2001 pode não significar nada para o seu cãozinho, mas ele é capaz de lembrar que naquele dia você deu um ossinho especial para ele ou que o levou passear em um parque diferente – sem relacionar os acontecimentos à data, claro.

A novidade é que a memória não é mais um fator para justificar a supremacia canina. Ao realizar testes com 49 gatos domésticos para entender como o cérebro deles funciona, cientistas japoneses comprovaram que os felinos também têm memória episódica. Em um dos testes, os animais conseguiram perceber depois de um intervalo de 15 minutos em quais das tigelas eles já haviam comido e em quais delas eles não haviam tocado.

Os pesquisadores ainda sugerem que os gatos são capazes de manter essas lembranças por muito mais tempo que o intervalo a que foram submetidos no experimento e que isso significa que os felinos têm sim algum tipo de consciência. O mesmo time de cientistas japoneses já havia realizado testes semelhantes com cachorros.

Outra trégua científica nessa rixa animal (que os donos de gatos já sabiam) é que eles respondem a expressões faciais, emoções e gestos humanos tão bem quanto cães. Em entrevista à BBC, a psicóloga Saho Takagi, da Universidade de Kyoto, afirmou que os resultados dessa pesquisa podem ter várias aplicações práticas. “Gatos podem ser tão inteligentes quanto os cachorros e entender mais profundamente os felinos nos ajuda a estabelecer uma melhor relação com eles”.

A pesquisa foi publicada no periódico Behavioural Processes.

 

………………………………………………..
*Fonte: superinteressante

 

10 maneiras de fazer seu cão feliz

Alguma vez você se perguntou como fazer para o seu cão ficar feliz? Como você costuma alimentá-lo? Você deixa que ele cheire tudo que se encontra no seu alcance? E os passeios regulares costumam fazer parte da sua rotina?

 

1. Procure mantê-lo limpo e escovado
Os cães gostam de se sentir limpos e cuidados. Por isso, uma escovação regular não só consegue deixar seu animal mais bonito, como também ajuda a prevenir algumas doenças de pele.
Além disso, esse momento é muito importante, tanto para o animal como para o dono, já que ele ajuda a fortalecer o vínculo entre ambos. Certamente, você vai gostar da interação que pode ser alcançada com seu pequeno amigo.
Mantenha seus ouvidos limpos para evitar ácaros ou infecções. Escove seus dentes com frequência e dê banho nele, pelo menos uma vez por mês.

2. Corte suas unhas
Por outro lado, preste atenção às unhas do seu cão. Se elas ficarem muito compridas, seu cãozinho pode seriamente afetado. Pergunte o seu veterinário quais são as melhores dicas para cortá-las.

3. Escolha uma alimentação adequada
A alimentação também é muito importante. Para isso, escolha alimentos de alta qualidade que promovam a saúde e o bem-estar do seu cão.E não se esqueça de que a alimentação deve se adaptar à idade do seu animal. Não deixe que seu cachorrinho se alimente com comida para adultos.Mantenha seu bebedouro com água fresca. Uma tigela de água é vital para a boa saúde de seu bichinho. Por isso, você sempre deve manter seu prato cheio de água.Evite as pulgas. Esses insetos incômodos podem fazer seu animal se sentir realmente incômodo. Além do mais, elas causam alergias e transmitem doenças.

4. Preste atenção à saúde do seu cão
A esterilização, ou castração, é uma boa opção para preservar a saúde do seu cão. Assim, eles levarão vidas mais longas e saudáveis e, além disso, evitamos a superpopulação de animais.Seu cão deve estar magro. Não dê sobras de comida a ele e mantenha sua rotina regular de exercícios.Procure afastar qualquer elemento tóxico do seu alcance e não medique seu cão com remédios que costumam ser receitados para humanos.

5. Brinque com o seu cão
Brinque com o seu cão todos os dias. Realize uma dinâmica de brincadeiras. Você vai se surpreender como é possível mudar seu estado de ânimo e, claro, também o do seu cão.Além disso, faça passeios diários. Isso é muito importante. Seu cão precisa gastar toda a energia acumulada e a melhor maneira de fazê-lo é com alguma caminhada.Se você também tiver a possibilidade, pode levar seu cão junto com você em uma viagem. O campo, praia ou, possivelmente um bosque afastado da cidade, pode ser uma boa opção para a sua mascote trocar de ar.Dê uma olhada nos brinquedos do seu pequeno amigo. São seguros e duradouros? Preste atenção nas peças pequenas. Elas podem ser ingeridas ou ter bordas afiadas.

6. Deixe-o explorar seu sentido de olfato
Os cães adoram cheirar tudo o que está ao seu redor. Por meio do olfato, eles descobrem seu universo próximo.
Leve seu cão para um parque, um campo aberto ou para a sua trilha favorita e deixe que ele possa farejar todos os cheiros novos.
Você pode combinar essa atividade com alguma brincadeira. Já experimentou ir ao jardim e brincar com uma bola de borracha? E que tal se você tentar com um frisbie?

7. Faça com que mastigue
Quando os cães mastigam, eles reduzem seu estresse. Além do mais, isso ajuda a diminuir seus latidos.
Proporcione brinquedos para o seu cão mastigar, desde que eles sejam seguros e que permitam satisfazer seus instintos.

8. Tente entender sua linguagem
Rabo baixo? Isso pode significar medo ou ansiedade. Mexendo o rabo? Felicidade, claro! Observe a linguagem corporal do seu cão de maneira que você possa perceber melhor suas necessidades.

9. Fazer seu cão feliz, mimar e mimar
Abrace o seu cão. As carícias são muito necessárias para os cães e para os humanos. Melhore a interação com a seu bichinho e procure fazer com que ele sinta que é o membro mais importante da casa.

10. Mantenha-o a salvo
Todos os anos, são perdidos milhões de cães. Então, certifique-se para que seu cão não seja um deles.
Determine a melhor opção de identificação para o seu amigo, seja com uma placa no pescoço, um microchip, etc. E, claro, assegure-se cumprir com as leis locais.

……………………………
*Fonte: meusanimais

cachorro-feliz