Aplicativo do Google que ajuda a liberar espaço no celular é atualizado

O Files Go é um aplicativo que o Google lançou no Android para ajudar no gerenciamento de arquivos armazenados na memória dos smartphones. Ele agora ganhou uma atualização que adiciona novos recursos e torna a pesquisa de arquivos mais parecida com a busca do Google.

Enquanto o usuário digita o que está buscando no celular, o Files Go começa a oferecer resultados mais ou menos como a busca do Google faz na internet. O histórico de pesquisa também é armazenado no dispositivo, e os recursos funcionam mesmo com o smartphone desconectado da internet.

Outras novidades adicionadas pelo Google facilitam na hora de buscar arquivos duplicados: agora ele exibe onde os arquivos estão guardados para o usuário escolher qual dos dois vai ser apagado do aparelho. Como o Files Go também passou a exibir resultados do Google Fotos com a atualização, ele sugere a remoção de imagens que já tenham sido enviadas para a nuvem do Google.

A atualização do Files Go já está disponível, e todos os usuários que já contam com o aplicativo instalado devem receber os novos recursos.

 

 

 

 

……………………………………………….
*Fonte: olhardigital

Dicas e tabus sobre a bateria do celular

A bateria do celular pode viciar se ela ficar conectada muito tempo? Fazer uma carga completa aumenta o rendimento dela? O TechTudo fez uma lista com as principais dicas e tabus sobre a bateria dos celulares e smartphone. Saiba como preservar a bateria do seu telefone e o que não se deve fazer com ela neste especial. Confira!

Cargas completas aumentam a durabilidade da bateria

Esta é uma dica com fundamento, sem nenhum tabu. Se você puder usar o celular até a bateria descarregar e der uma carga completa em seguida, o componente pode durar mais. Sabemos que nem sempre é possível fazer isso, mas no caso dos smartphones com tela touch, que consomem muita bateria, é recomendado dar uma carga completa pelo menos uma vez por mês.

A bateria dura mais porque ela pode ser feita de materiais como Lítio-Polímero, Íon-Lítio, Níquel-Híbrido e Níquel-Cádmio. Pequenas cargas enfraquecem a capacidade do componente. Já as grandes cargas mantêm o nível de funcionamento.

Desligue o telefone se não tiver sinal

Este também não é um tabu, mas sim uma dica preciosa. No Brasil é comum as operadoras não funcionarem direito em determinados pontos da cidade. Quando o smartphone perde o sinal, ele gasta mais bateria tentando procurar a rede

Na prática, o que o telefone faz é aumentar o ganho de sinal internamente, tentando à todo custo obter o mínimo de potência necessária para reestabelecer essa conexão. Com o aumento do ganho, aumenta o consumo da bateria e a temperatura interna do aparelho.

Uma maneira sábia de evitar esse gasto de energia desnecessária é simplesmente desligar o celular. O mesmo procedimento vale se você quer apenas acessar a internet e o 3G não está funcionando, ou não há sinal Wi-Fi disponível. Se o celular estiver procurando uma conexão sem fio e não puder conectar, ele vai gastar mais bateria procurando sinais mais distantes.

No caso do 3G ele poderá até permanecer conectado, mas se o sinal estiver ruim a qualidade da conexão estará comprometida. Não vale a pena o gasto e o desgaste que isso pode causar à bateria. Deixar a conexão Bluetooth ligada também é outro erro. Se não estiver usando, desligue-a.

Cuidado com a temperatura da bateria

Colocar a bateria em locais quentes é um tabu e não é discutido corretamente. Normalmente as pessoas acreditam que o material pode explodir se colocado em uma temperatura mais alta.

Isso não é totalmente mentira, mas muitas baterias de Lítio-Polímero foram construídas para não estourarem de maneira nenhuma. Mas mesmo com esse material peculiar, acidentes podem acontecer.

Outra dica válida no caso de aquecimento de celulares é que nem sempre a bateria aquece quando apenas exposta ao sol. Um local que desgasta o componente é o bolso de sua roupa. Como ele está em contato com seu corpo, a tendência é que o local tenha uma temperatura razoavelmente elevada, suficiente para causar danos ao componente.

Evite utilizar as funções de câmera e vídeo do celular

Esta é outra dica, e não um tabu sem fundamento. Você pode desconfiar dessa verdade olhando as especificações de energia de cada um dos aparelhos. Um meio rápido de aquecer o aparelho e a bateria, desgastando-os, é ativar constantemente a câmera de fotografia ou ver muitos vídeos do YouTube. As imagens em movimento reduzem o rendimento da bateria para cerca de um terço.

Um desgaste de energia nesse nível compromete a vida-útil da sua bateria. Portanto, só veja vídeos se for realmente necessário. Se você ficar, por exemplo, tentando acessar o YouTube com uma conexão ruim, só vai gastar energia.
saiba mais

A culpa disso, obviamente, é o excesso de consumo de energia interno: a tela precisará ter potência para trocar todos os píxels rapidamente; o processador para entregar os dados; o modem para receber o sinal; e o canal de áudio para entregar tudo com qualidade. Ou seja: você estará utilizando quase todos os recursos do telefone ao mesmo tempo.

Vale a pena substituir a bateria?

Este é um tabu que não é tanto discutido. Muitos generalizariam a resposta dizendo que “vale a pena” ou que “não vale de forma alguma”. A real dica nesses casos é verificar o quanto será gasto para fazer a manutenção do smartphone. Aparelhos Android são mais fáceis de serem desmontados e seus componentes podem ser comprados separadamente. Aparelhos da Apple são mais difíceis de serem desmontados e é sempre bom consultar uma revendedora para se informar melhor.

Se o aquecimento da bateria comprometeu outros componentes, como a placa-mãe do aparelho, talvez seja o caso de você trocar de celular. Nesses casos, não se trata apenas de um problema de energia, mas sim da inutilização do gadget. Por outro lado, um baixo desempenho de bateria pode ser facilmente resolvido com a troca dela, sem precisar gastar mais comprando um telefone novo.

………………………………………………………………….
*Fonte: techtudo / Pedro Zambarda

Estar online no WhatsApp pode revelar mais do que você gostaria

A indicação de que você está online no WhatsApp pode dizer muito mais do que você gostaria. Um texto escrito pelo engenheiro de software Rob Heaton e publicado em seu blog explica como é possível extrair informações a partir dessa indicação no WhatsApp.

Ao contrário da função de compartilhar a última vez que um usuário esteve conectado, o status de online não pode ser desligado – trazendo alguns problemas de privacidade.

Em resumo, o engenheiro afirma que é possível extrair dados a partir dessas informações. Desenvolver um simples robô que fique de olho em quando os usuários estão online permitiria obter inteligência sobre os hábitos desses usuários.

Em seu texto, Heaton trabalha com a hipótese de descobrir um caso entre dois usuários do app. Para isso, bastaria cruzar informações de quando as pessoas estão conectadas para tentar extrair uma correlação entre os horários dos usuários.

Talvez você não ache essa hipótese tão grave. Mas vamos dar um passo além. Recentemente foi anunciado o WhatsApp para empresas, que colocará em contato usuários e empresas com perfis verificados.

Vamos imaginar uma farmacêutica que vende remédios para insônia. Seria fácil encontrar o público alvo certo entre usuários do WhatsApp que passam parte da noite online no app. Talvez você consiga criar mais um outro cenário hipotético.

Heaton, na verdade, vai bastante além. Ele sugere que empresas podem criar modelos de negócios sobre a venda de informações de usuários. Com a empresa, “você vende essa informação a planos de saúde ou agências de crédito que suspeitam bastante de pessoas que estão acordadas às 4h da manhã”.

O Messenger, do Facebook (também dono do WhatsApp), poderia servir para a mesma coisa. Mas ele tem um detalhe crucial: só é possível saber se uma pessoa está online se ela for seu contato. Um ajuste similar poderia ser feito no WhatsApp.

No texto, Heaton é direto: “não há forma nenhuma para que usuários de WhatsApp se protejam contra esse monitoramento”.

…………………………………………………………………….
*Fonte: superinteressante
Este conteúdo foi originalmente publicado em Exame.com

Adote algumas medidas para evitar a clonagem de seu celular

Amigos e familiares ligam para seu número e uma pessoa desconhecida atende a ligação? Você está com dificuldades em completar uma chamada e tem sido procurado por números desconhecidos? Ou, ainda, o valor da sua conta está incompatível com o uso do aparelho? Saiba que o seu celular, então, pode estar clonado.

Basicamente, quando um criminoso clona um linha móvel, ele cria uma cópia fiel da legítima, compartilhando o mesmo número de discagem e de identificação da fabricante. Assim, ele pode usar e abusar do celular sem se preocupar com as contas, uma vez que elas só chegam para o dono real da linha.

Você não quer ser uma vítima desse golpe, com certeza. Então, veja, a seguir, quais procedimentos você deve adotar fazer para evitar que seu celular seja clonado:

Troque seu aparelho por um com tecnologia mais moderna

Esta prática acontece, de modo geral, em aparelhos pós-pagos. E é muito mais fácil clonar aparelhos celulares mais antigos, aqueles que ainda possuem tecnologia CDMA. Aqui, o criminoso usa um scanner para capturar e roubar todas as informações de aparelhos ligados nas proximidades.

Por sua vez, os modelos mais modernos que contam com tecnologia GSM são identificados pelo IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel). Isso dificulta a ação dos falsários, uma vez que só é possível clonar o celular por meio de uma cópia do cartão SIM que armazena todas as informações do dispositivo.

Nesse sentido, vale a pena trocar seu celular e comprar um modelo mais moderno, com tecnologia GSM. Quanto ao preço, não se preocupe. Apesar de ser uma tecnologia mais moderna, existem diversos modelos mais acessíveis.

Não responda SMS e ligações suspeitas

Mesmo com a dificuldade em clonar aparelhos GSM, os criminosos digitais desenvolveram um jeito de fazê-lo. Se passando pela operadora, eles enviam mensagens SMS solicitando que o usuário clique em um link para atualizar o dispositivo. Ao realizar esse procedimento, o celular é clonado, uma vez que alguns aparelhos podem ser criptografados por meio de um SMS.

Os criminosos usam uma estratégia parecida também naa ligações. Eles telefonam para a vítima fingindo ser um profissional da operadora de celular. Aí, eles pedem alguns dados e solicitam que a pessoa pressione determinadas teclas. Ao fazer isso, a vítima revela informações suficientes para que a linha seja clonada.

Se receber mensagens ou ligações desse tipo, desconfie. Anote o nome do atendente e diga que você mesmo irá ligar psoteriormente para a operadora e realizar o procedimento, caso seja mesmo necessário.

Conserte seu aparelho em lojas autorizadas

Seu celular tem algum problema que precisa ser reparado? Então, leve para consertá-lo apenas em lojas autorizadas pelos fabricantes ou em locais idôneos que você já conhece. Isso porque, se você levar para qualquer loja de esquina, há chances de que seu celular seja clonado, seja por um scanner (modelos CDMA) ou pela cópia do cartão SIM (modelos GSM).

Cuidado em rodoviárias e aeroportos

Como os celulares normalmente entram em modo “roaming” quando estão em aeroportos e rodoviárias, a comunicação acontece por meio de ondas FM não criptografadas. Isso facilita a ação dos criminosos que andam nesses locais equipados com scanners. A dica, aqui, é manter o seu aparelho CDMA desligado ou em modo avião nas áreas de embarque e desembarque.

O que fazer se o seu celular foi clonado?

Se desconfiar que você está sendo vítima da fraude, ao identificar alguns dos sintomas apresentados no primeiro parágrafo, ligue imediatamente para a sua operadora e solicite o bloqueio da linha.

Não se esqueça de anotar nome completo do atendente, data, horário e protocolo da ligação. Em seguida, registre um Boletim de Ocorrência, você consegue fazer isso online. É muito importante para que as autoridades possam combater esses crimes.

…………………………………………………………………………..
*Fonte: uolseguranca

Ranking do principal teste de câmeras de celular do mundo tem um novo líder

Qual é a melhor câmera de celular no mundo atualmente? Se você olhou recentemente o DxOMark, o principal serviço de avaliação do gênero do planeta na atualidade, provavelmente vai dizer que é o HTC U11. Contudo, a plataforma anunciou uma revisão de seus critérios de avaliação e o ranking acaba de ganhar um novo líder.

Avaliando a capacidade das câmeras de smartphones desde 2012, o serviço nunca havia alterado a sua forma de avaliação. “Muita coisa aconteceu desde então”, afirma a companhia na postagem em seu site oficial. “A fotografia no smartphone praticamente erradicou o segmento de mercado das câmeras compactas, e o setor mobile se tornou o principal motor de inovação em imagens.”

Novos critérios

E é com base nessa perspectiva de evolução do setor de câmeras mobile que o DxOMark anuncia a renovação em seus critérios. “Com o novo protocolo, nós capturamos e analisamos mais de 1.500 imagens e duas horas de vídeo em cada dispositivos”, informa a companhia.

Assim, os novos critérios a serem empregados nas análises são:

Nova pontuação de zoom baseada em testes extensivos em múltiplas distâncias focais
Nova pontuação de boke baseada em testes realizados externos e em laboratório
Testes em ambientes com pouca luz reduzidos para até 1 lux
Testes de cenas em movimento para avaliação mais precisa do desempenho da câmera e de técnicas de processamento em situações reais

Um novo líder

Com esses novos critérios, o HTC U11, um dos mais recentes testes realizados pelo DxOMark, perdeu o posto de líder para ninguém menos do que o Google Pixel. Até então, o smartphone da Google ocupava a segunda colocação no ranking da plataforma, justamente a posição para a qual caiu o dispositivo da HTC.

Quem mais caiu com a mudança foi o Galaxy S6 Edge, que até então ocupava a terceira posição e agora está em quinto, atrás do iPhone 7 Plus e do iPhone 7. Vale lembrar que nem todos os dispositivos foram reavaliados com base nos novos critérios, mas apenas os de maior destaque em testes realizados pelo veículo até então.

Com dispositivos como LG V30, Galaxy Note 8 e iPhone X saindo do forno, é possível que essa tabela seja reformulada muito em breve.

………………………………………………..
*Fonte: tecmundo

Golpe feito pelo Facebook Messenger já atinge usuários brasileiros

Um novo malware está atingindo usuários do Facebook Messenger na América Latina, incluindo o Brasil. Descoberto pela Kaspersky, o vírus infecta o usuário com adware e se espalha pelo serviço de mensagens do Facebook.

Tudo começa quando um contato é infectado e envia uma mensagem para o usuário com um link. Ao clicar no link, o usuário é direcionado a um documento do Google Docs com uma foto do perfil da vítima, que cria um link para um suposto vídeo. Mas quando a pessoa tenta reproduzir o vídeo, é enviada para diversos sites que roubam informações sobre o computador do usuário, além de algumas informações pessoais.

O malware atua diferente dependendo de qual for o navegador usado pela vítima. No Firefox e no Safari, ele exibe uma mensagem de atualização falsa do Flash. No Chrome, o usuário é direcionado a uma versão falsa do YouTube que pede a instalação de uma extensão para o Chrome.

A Kaspersky diz que a investigação do ataque não sugere que algum trojan ou exploit seja baixado para dispositivos, mas eles lembram que cibercriminosos já devem ganhar dinheiro com o golpe a partir da publicidade exibida em sites falsos e o acesso a diversas contas do Facebook.

Como sempre, a melhor forma de se manter seguro na internet é tomar bastante cuidado com os links que você clica – se for algo suspeito demais, é bom evitar.

……………………………………………..
*Fonte: olhardigital

Boss lança afinador em formato app

A Boss anunciou o lançamento de um afinador em formato app. Volto para guitarra, baixo e outros instrumentos de corda, o Boss Tuner App é compatível com sistemas Android e iOS, além de apresentar a estética do pedal original TU-3.

O download é gratuito. Acesse os links abaixo para baixar:

https://itunes.apple.com/app/boss-tuner/id1113473319
https://play.google.com/store/apps/details?id=jp.co.roland.bosstuner

 

Boss-Tuner-App

 

 

 

 

 

 

*Fonte: guitarload

8 dicas para poupar a bateria do seu smartphone

Além da fragilidade das telas, outro grande problema que atinge praticamente todos os smartphones do mercado – mesmo os tops de linha – é a duração da bateria. São raros os dispositivos que conseguem tranquilamente chegar ao fim de um dia de uso mais intenso, e praticamente nenhum consegue manter esse ritmo após alguns meses de uso.

No futuro, as baterias de íons de lítio usada nos smartphones hoje em dia poderão ser substituídas por baterias de íons de sódio, mais econômicas. Enquanto isso, contudo, é necessário achar maneiras de economizar. Esse foi um dos motivos que levou a Baidu Brasil a citar algumas dicas sobre como cuidar da bateria do seu smartphone, para maximizar sua duração e prolongar sua vida útil. Confira abaixo:

1 – Reduza o brilho da tela
Essa talvez seja a dica mais óbvia, mas é bastante valiosa. Segundo o Baidu, a tela é a parte do dispositivo que mais consome energia, e reduzir a intensidade de sua iluminação faz com que a bateria do smartphone dure por mais tempo

2 – Desligue conexões
Se você precisar economizar energia, vá desligando todas as conexões que não está utilizando: NFC, Bluetooth, WiFi, 4G e GPS. Se for urgente guardar bateria para mais tarde, vale até colocar o celular em “modo avião” para economizar.

3 – Desative notificações
Outra medida que ajuda a bateria a render mais é desabilitar notificações que não sejam absolutamente necessárias. cada vez que você recebe uma notificação do WhatsApp, por exemplo, seu smartphone vibra e faz barulho, o que gasta bateria. Desabilitar essas notificações, por exemplo, não lhe impede de abrir o aplicativo, e pode nem fazer muita diferença – especialmente se você já costuma olhar o celular uma vez por minuto de qualquer maneira.

4 – Diminua o tempo de bloqueio da tela
Fazer com que a tela se trave mais rapidamente após ficar sem uso ajuda a otimizar o uso da bateria também, pois reduz o uso da tela. Além disso, caso você esqueça o celular destravado em algum lugar, a chance de ele ser invadido por uma pessoa indevida é menor se a tela travar mais rápido.

5 – Feche os aplicativos que não estiver usando
Por mais que você não esteja usando um aplicativo, pode ser que ele ainda esteja aberto – e gastando bateria. Vale a pena acessar o gerenciador de aplicativos de seu dispositivo de vez em quando e fechar os que não estiverem sendo usados.

6 – Use um aplicativo de economia de bateria
Como se trata de um problema bastante comum, existe uma série de aplicativos que ajudam a estender a duração da bateria do seu smartphone. O Olhar Digital já fez uma lista com alguns dos mais úteis para Android. Confira-a aqui.

7 – Use antes de recarregar
Por mais que dê vontade de ser sempre 100% de bateria, colocar o celular pra carregar logo que ver uma tomada não é uma boa ideia. Para estender a vida útil da bateria, o ideal é carregá-la apenas quando ela estiver com menos de 50% da carga.

8 – Evite calor
Não é à toa que os manuais de instruções dos smartphones recomendam que eles sejam mantidos em temperatura ambiente. O calor é um grande inimigo da vida útil das baterias. Por isso, tome cuidado para nunca deixar o aparelho exposto ao sol, ou mesmo em locais com temperaturas muito elevadas.

*Fonte: OlharDigital

batcel1