Chás para ansiedade: conheça os benefícios da melissa, da tília e do mulungu

De acordo com o dicionário, ansiedade significa angústia, aflição, sensação de perturbação gerada pela incerteza. É um sentimento intrínseco à vivência emocional humana, mas, dependendo da situação e da intensidade, é capaz de se tornar até mesmo patológico. Principalmente nos casos em que se sentir ansioso não é um transtorno, muitas pessoas recorrem a tratamentos naturais para aliviar os sintomas, como a ingestão de chás com efeito calmante, sendo o mais famoso deles o de camomila.

Mas essa não é a única infusão eficiente no combate à ansiedade. Abaixo, citamos outras três ervas com ativos relaxantes igualmente poderosos.

Chá de melissa
A melissa tem propriedades calmantes poderosas.

A Melissa officinalis é uma planta com propriedades medicinais poderosas. Ela costuma ser usada para combater os sintomas da ansiedade graças aos flavonoides e ao polifenol ácido rosmarínico, componentes que apresentam capacidade sedativa e calmante, reduzindo o estresse da mente e do corpo. Por esse motivo, é mais eficaz se for consumido a noite.

Além de importante para o tratamento da ansiedade, a melissa também pode ser utilizada para prevenir gripes e resfriados, dores de cabeças, cólicas menstruais, problemas gastrointestinais e infecções virais. Também possui ação antioxidante e melhora a qualidade do sono.

Como preparar o chá de melissa?
Você vai precisar de:
250 ml de água
1 colher de sopa de melissa desidratada

Primeiramente, ferva a água e, depois de um tempo, desligue o fogo. Acrescente a melissa desidratada e abafe o recipiente durante 10 minutos. Por fim, coe o chá, que pode ser servido quente ou gelado. Se preferir um sabor mais forte, é possível combiná-lo com hortelã, flor de laranjeira ou camomila.

Quais são as contraindicações?
O chá de melissa não pode ser tomado por grávidas e lactantes. Quem tem glaucoma ou problemas de tireoide também não deve ingerir a bebida. Já pessoas que sofrem de pressão alta podem beber, mas com bastante moderação.

Chá de tília
A tília também é conhecida como teja, texa, tilha ou tejo.

Também conhecida como teja, texa, tilha ou tejo, a tília é uma planta medicinal de origem europeia. As espécies Tília cordata, Tília platyphyllos e Tília x vulgaris costumam ser as mais utilizadas por quem deseja tratar algum problema de saúde, principalmente a ansiedade. As propriedades da erva conseguem inibir os receptores benzodiazepínicos, reduzindo as atividades do sistema nervoso central e proporcionando uma sensação de relaxamento.

A tília também pode ser usada para aliviar a febre, tratar o estômago e infecções por fungos, reduzir a pressão arterial, a glicose e a retenção. Apesar de não ser comum, algumas pessoas podem apresentar efeitos colaterais ao consumir o chá feito com a planta, como coceira na pele e coriza. Nesses casos, é melhor suspender a ingestão.

Como preparar o chá de tília?
Você vai precisar de:
150 ml de água
1,5 gramas de flores e folhas secas de tília (para crianças de 4 a 12 anos, a quantidade de tília deve ser de 1 grama para cada 150 ml de água)

O primeiro passo é ferver a água, adicionar a tília e tampar o recipiente. Depois de 5 a 10 minutos, coe o chá e espere esfriar um pouco. O ideal é bebê-lo de 2 a 4 vezes por dia.

Quais são as contraindicações?
O chá de tília não deve ser tomado por pessoas que sofrem de problemas relacionados ao coração pois suspeita-se que a planta tenha efeito tóxico sobre o músculo cardíaco. Grávidas, lactantes e crianças menores de 4 anos também devem evitar o consumo da bebida.

Chá de mulungu
Além de calmante, o mulungu também tem ação anti-inflamatória.

O mulungu, que atende pelo nome científico de Erythrina mulungu, também é conhecido como bico-de-papagaio, canivete, árvore-de-coral ou corticeira. Como possui propriedade calmante e anticonvulsivante, é amplamente usada para tratar insônia e ansiedade, além de diversas alterações do sistema nervoso.

A erva também tem ação analgésica, antitérmica, hipotensiva e anti-inflamatória. É capaz de tratar ainda ataques de pânico, histeria, estresse pós-traumático, depressão, epilepsia, enxaqueca e pressão alta. Efeitos colaterais são raros, mas em caso de sonolência, sedação ou paralisia muscular, é preciso suspender a ingestão imediatamente.

Como preparar o chá de tília?
Você vai precisar de:
1 xícara de água
4 a 6 gramas de casca de mulungu

Em um recipiente, ferva a água junto do mulungu durante 15 minutos. Em seguida, coe a bebida e espere amornar. O conselho é tomá-la de 2 a 3 vezes ao dia e evitar fazer isso por mais de três dias corridos.

Quais são as contraindicações?
Grávidas, lactantes e crianças menores de 5 anos não devem ingerir chá de mulungu. A bebida também precisa ser evitada por pessoas que tomam remédios antidepressivos ou anti-hipertensivos sem supervisão médica.

*Por Roanna Azevedo
……………………………………………………………………
*Fonte: hypeness

4 chás para acelerar o metabolismo no inverno

Para muita gente, o inverno é um momento em que comemos mais e podemos até engordar. Mas, para a nutricionista Viviane Scheifer é justamente o contrário: a estação é ideal para queimar gordura. Para aquecer o corpo, o organismo gasta mais energia e isso contribui para acelerar o metabolismo.

Mesmo com a “funcionalidade” natural do corpo, a nutricionista explica que é possível potencializar essa ação com algumas receitas de chás termogênicos, que auxiliam na queima de gordura.

“Existem excelentes opções para diminuir excessos de radicais livres, melhorar o rendimento durante a atividade física e, principalmente, ativar o metabolismo”, explica Viviane. A especialista sugere quatro receitas de chás gostosos e funcionais!

Chá para auxiliar na queima de gordura
1/2 maçã picada
1/4 de pêssego
Casca de tangerina
Romã
Faça infusão durante 15 minutos em 250 ml de água. Esse chá é termogênico, anti-inflamatório e antioxidante. É uma ótima bebida para ser consumida no pré-treino e pós-treino. É excelente para modular a dislipidemia (desequilíbrio de lipoproteínas LDL e HDL, além de triglicerídeos) e uma boa estratégia para diminuir excessos de radicais livres produzidos diariamente.

Chá para produção de óxido nítrico
1 colher (chá) chá verde em folhas
2 folhas de hortelã
1 colher (café) coco ralado grosso e sem açúcar
1 colher (café) de nibs de cacau
Ferva durante oito minutos com 250 ml de água. Aumenta a produção de óxido nítrico e melhora o rendimento durante a atividade física.

Chá Termogênico
1 pedaço pequeno de gengibre
1 pedaço de canela em rama (cerca de três centímetros)
4 cravos
Casca de meia laranja
Misture em 250 ml de água e ferver durante oito minutos. Ativa o metabolismo com a ajuda do gengibre.

Chá termogênico para diminuir a vontade por doces
1 colher (sopa) de hibiscus
1 colher (sopa) de chá matte
1 pedaço de gengibre (cerca de três centímetros)
1/2 limão siciliano
Ferva o gengibre ralado durante oito minutos em 250 ml de água, após esse tempo desligue o fogo e acrescente hibiscus e o chá matte. Deixe tampado durante cinco minutos. Só na hora de ingerir, esprema o limão. Se necessário adoçar com mel.

*Por Mayra Rosa
……………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

Insônia X tratamentos naturais: usufrua do poder dos fitoterápicos, dos Florais de Bach e dos óleos essenciais

Difícil quem nos dias de hoje não sofre com ela: a insônia!

De acordo com estudo realizado antes do quadro da pandemia pela Associação Brasileira do Sono cerca de 73 milhões de brasileiros tinham dificuldade para dormir, imagine agora…

Mas antes de falarmos sobre a “querida” insônia, precisamos entendê-la! Ela pode ocorrer de duas formas: pela dificuldade em começar a dormir ou pela dificuldade em manter-se dormindo. E qual a maior consequência? Com certeza o cansaço ao longo do dia e todas as suas vertentes: irritação, falta de atenção e até mesmo depressão.

Toda pessoa tem seu ritmo biológico e qualquer quebra nesse ciclo pode desregular o hormônio indutor do sono: a melatonina.

Primeiramente é importante saber que algumas pessoas naturalmente dormem menos que outras, mas nem por isso quer dizer que ela sofra de insônia. Algumas criaturas não dormem porque são ansiosas, estressadas por natureza, outras porque fazem uso de medicamentos que interferem diretamente no sono (como por exemplo os inibidores de apetite, infelizmente tão comuns no nosso país), outros porque sofrem com barulho, seja da obra interminável acontecendo na frente da sua casa, ou pelo vizinho no andar de cima que parece caminhar com tamanco de madeira em plena madrugada, ou mesmo porque o colchão é uma porcaria, ou porque sentem dor ou então porque tem muita claridade no quarto, ou porque perdeu um ente querido, está cheio de dívidas, rompeu um relacionamento, desempregado… Enfim, os motivos podem ser muitos e qualquer um dos citados acima pode ser o estopim para a insônia, mas mesmo assim são mais simples de se resolver porque se sabe o motivo!

Mas se você não se encaixa em nenhum desses acima, ou seja, sua falta de sono não tem causa definida, é hora de buscar ajuda de um profissional!

Para se livrar do problema, a saída mais rápida tem sido as medicações alopáticas conhecidas por serem ‘tarja preta’ que, a curto prazo, podem ser mesmo funcionais, principalmente quando há um fator de estresse muito grande que a desencadeia. O problema ocorre quando se acostuma com a droga inserida na rotina sem interrupções, e o organismo começa a entender que não há necessidade de produzir naturalmente os hormônios indutores sono – já que os mesmos já virão através da medicação, criando um ciclo vicioso que pode ser perigoso… Um caminho sem volta.

Para não cair na dependência dos tarjas preta — ou para fugir dela, os tratamentos naturais podem ser até mais eficazes, além de muito mais seguros a longo prazo e podem tratar diferentes fases e etapas da vida, com nenhuma ou pouquíssimas contra-indicações e sem deixar o organismo “preguiçoso”.

MAS ANTES…

O que indico antes de fazer uso desses é praticar o que chamamos de “Higiene do Sono”, que é: nada mais, nada menos, que uma série de dicas práticas que você pode introduzir no seu dia a dia que pode fazer toda a diferença na hora de colocar em prática a contagem dos carneirinhos.

1- Tente manter regularidade nos horários de deitar e levantar da cama, mas somente vá para a cama quando já estiver com sono. Não fique na cama sem dormir. Fazer isso pode gerar mais estresse e piora o quadro da insônia!

2- Cama é local sagrado, foi feita para dormir, embora outras atividades bem interessantes possam ser exercidas… Cama não é lugar para exercitar a mente com leitura, assim como não é lugar para alimentar-se ou ver televisão!

3- Crie um ritual de relaxamento antes de se deitar: um banho quente, um chá calmante ou leite morno, diminua a luminosidade do ambiente, pingue algumas gotas de óleos essenciais relaxantes no quarto… Crie toda uma atmosfera!

4- Evite alimentar-se antes de dormir, assim como consumir bebidas álcoolicas e de cafeína pelo menos 6 horas antes do seu horário de sono.

5- Embora seja difícil evitar, tente cortar os cochilos durante o dia, procurando manter seu dia bem ocupado; os cochilos atrapalham seu sono à noite.

6- Pratique atividades físicas regularmente, isso vale não só para a insônia, mas para todos os seus primos: ansiedade, irritação, depressão…

7- Tenha cuidado com o jantar: Escolha fazer uma boa e leve refeição após às 18h evitando alimentos gordurosos que podem atrasar o processo digestivo.

FITOTERÁPICOS

Depois de reeducar-se com essa nova e nada fácil “postura higiênica”, caso ainda não tenha ajustado os seus ponteiros, alguns fitoterápicos como Valeriana, Camomila, Passiflora e Melissa podem te ajudar, podendo ser consumidos em infusões das folhas, ou mesmo manipuladas em cápsulas, ou na forma de extrato fluído ou tintura. Lembrando que mesmo sendo naturais possuem algumas contra-indicações, por exemplo, a valeriana e a passiflora não são indicadas para gestantes, e a melissa em caso de hipotireoidismo ou de tratamento com hormônios tireoidianos. Ela aumenta o efeito desses hormônios, portanto, nesses casos, deve ser evitada.

Não gosta de plantas? Você ainda tem outras opções:

Florais de Bach: As essências Florais de Bach são extratos líquidos naturais e altamente diluídos obtido de flores, que se destinam ao equilíbrio dos problemas emocionais, operando em níveis vibratórios sutis e harmonizando a pessoa no meio em que vive. O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções, buscando a consciência plena do seu mundo interior e exterior.

Óleos essenciais: Quando inalados, os óleos essenciais chegam ao hipotálamo, região do cérebro que controla as emoções. Para usá-los, basta pingar duas gotas em um recipiente com água fervendo e deixá-lo no quarto de dormir. Os óleos mais utilizados para o tratamento da insônia:

• Lavanda: possui ação sedativa, que ajuda a relaxar a mente e o corpo;
• Bergamota: atua no sistema nervoso central, controlando o estresse e a ansiedade;
• Camomila: tem propriedades calmantes, para manter a mente relaxada;
• Manjerona: sua ação sedativa dá conforto e tranquiliza o corpo;
• Vetiver: age relaxando a mente, diminuindo o estresse e a insônia.

As opções de tratamento natural para insônia são muitas. É impossível você não encontrar alguma que te ajudará nesse processo. De qualquer forma, na próxima vez que ela chegar não mais a convide para uma xícara de café!

Boa noite!

*Por Tejard

………………………………………………………………………………
*Fonte: bonsfluidos

Chás para curar a ressaca

A ressaca é uma consequência considerada comum depois de uma noite de bebedeira. Ela é, na verdade, uma intoxicação que ocorre quando bebemos álcool além da conta; essa intoxicação acontece porque quando ingerimos muita bebida alcoólica, o nosso organismo fica sobrecarregado ao tentar absorver e metabolizar tanto álcool. Os órgãos envolvidos nesse processo acabam sofrendo com isso, principalmente o fígado, pois é dele a responsabilidade de produzir enzimas que absorvem o etanol. O fígado passa tanto tempo processando o álcool além da conta que quando não há mais nada para processar, ele pede “mais”, gerando um desequilíbrio que desorganiza todo o nosso metabolismo – com a “ajuda” do sistema nervoso, que também entra nessa abstinência. As consequências desse desequilíbrio são: dor de cabeça, desidratação, cansaço extremo, enjoo e diarreia.

Não há nada que cure a ressaca num piscar de olhos, mas existem medidas que podem ser tomadas para acelerar o processo de absorção e eliminação do álcool: beber mais líquidos (que não contenham álcool, obviamente), como água de coco, sucos, água, refrigerantes e isotônicos; analgésicos, antiácidos e histamínicos podem ajudar a diminuir o mal-estar; comer doce, para repor o açúcar perdido. Mas existe outra medida que pode ser adotada e é eficiente e natural: tomar algum chá. Confira alguns que podem te ajudar a espantar a ressaca.
Chás para quem está de ressaca

. Chá de camomila: Adoçado, para repor o açúcar do sangue é a melhor opção. Ele irá proporcionar melhoras na digestão e combater náuseas.

. Chá de hortelã: Este delicioso chá irá ajudar no processo digestivo e desintoxicando o corpo.

. Chá de gengibre: Possui ação anti-inflamatória e desintoxicante, que atuando em conjunto favorecem a eliminação do álcool do nosso organismo, curando a ressaca com mais rapidez.

Como preparar o chá corretamente: Use sempre água fria e pura; não deixe a água fervendo por muito tempo, para não perder oxigênio; o chá deve ser colocado na água assim que a fervura começar; o repouso para a infusão deve ser de, no máximo, 5 minutos; mexa apenas uma vez; não use detergente para lavar os bules; antes de servir o chá, escalde a xícara a ser usada em água quente; evite usar tampa ou abafador, eles fazem o chá ficar mais forte.

E lembre-se: a melhor prevenção para não ter ressaca é evitar beber excessivamente. Maneire no álcool se não deseja ter ressaca no dia seguinte. Mas se ainda assim ela ocorrer, faça um chá e repouse.

…………….

*Fonte/texto: http://chabeneficios.com.br/chas-para-aliviar-a-ressaca/

ressaca3