A cultura da NASCAR é um exemplo do que poderíamos oferecer aos fãs” – diz Nelson Piquet Jr. sobre a Fórmula-E

O piloto da Panasonic Jaguar Racing diz que a categoria ainda tem uma barreira alta demais entre piloto e aficcionado

A organização da Fórmula-E, até pelo caráter inovador da coisa, tenta ser próxima do público. É onde pessoas como eu e você podem ver o futuro do motor elétrico sendo levado ao seu extremo, afinal, e onde fabricantes apostam suas fichas para desenvolver tecnologias que estarão rodando nas ruas e estradas nos próximos anos. Mas para Nelson Piquet Jr., sobra espaço para melhoras na relação com os fãs. “NASCAR hoje em dia ainda é mais acessível que a Fórmula-E, você pode comprar a credencial de 20, 25 dólares e passar pelo paddock”, comenta o piloto em entrevista coletiva para jornalistas nesta sexta-feira (02). Acesso similar no F-E, aponta Piquet Jr., não sai por menos de 2 mil euros. “De certa forma ainda tem uma barreira maior que acho que poderia ter”, diz.

A categoria toma uma série de decisões nas quais a proximidade com o fã é item de grande importância. O preço mais amigável do ingresso padrão em comparação com a Fórmula 1 é um exemplo. Outro é o fato de que toda prova de Fórmula-E acontece não em autódromos, mas em pistas montadas na própria cidade, quase sempre no centro, como é o caso da corrida que acontece este sábado (03) no coração de Santiago, no Chile.

Ao mesmo tempo, todas as etapas da disputa acontecem no mesmo dia. Não é um programa que toma o fim de semana todo como a F-1, nem mesmo para os aficcionados. Mesmo assim, há alguma dificuldade: “O motivo porque muitos pilotos não querem falar com fãs (no dia da corrida) é que é tudo muito apressado”, lamenta Piquet Jr. “Você está sempre muito nervoso, pensando sobre treino e qualificatória; sinceramente, a única hora que dá para relaxar um pouco é depois dela, aí dá pra tirar 50% do peso das costas, mas até lá são nervos à flor da pele”.

É uma limitação particularmente delicada para a categoria high-tech, que está há apenas quatro anos na estrada: “É tão nova, que de certo modo você tem que se abrir pras pessoas para que elas descubram sobre”, comenta o piloto.

Uma ajudinha dos fãs

Um dos tópicos mais curiosos da Fórmula-E – em especial para quem não acompanha – é o Fan Boost. Na véspera de toda prova, e durante o início da corrida, os fãs podem eleger em redes sociais o piloto que receberá uma injeção de potência no motor elétrico (10 a 20kW em média), vantagem que pode ser usada após o pit stop – que é quando o piloto troca um carro com a bateria zerada por um novo em folha. Essa “mãozinha” do público é uma ideia com a qual até a Stock Car anda flertando nos últimos tempos.

Mas, entre pilotos e fãs, a opinião é que essa função ainda não se provou essencial e harmoniosa. “Hoje o Fan Boost faz bem menos diferença”, diz Nelsinho Piquet, “mesmo os caras que o ganham muitas vezes não usam”. Além de ter tido sua utilidade reduzida com o fim da pontuação por tempo de volta, o Boost traz desvantagens táticas: ele aquece o motor e representa um pico de consumo de energia. Potencialmente fatal em uma categoria em que uso eficiente de bateria é tudo. “Sim, a gente tenta puxar um pouco de tudo: o Fan Boost e toda vantagem que a gente possa conseguir” comenta, “mas há outras prioridades acima de investir tempo em pedir votos”.

…………………………………………………………
*Fonte: GQ

Martin Truex Jr. campeão da NASCAR 2017

Ontem na pista de Homestead-Miami Speedway, o piloto Martin Truex Jr. (Forniture Row/Toyota – #78) sagrou-se campeão da categoria principal da NASCAR em 2017. Muito merecido este título, sendo que foi o piloto que mais venceu provas e liderou o maior número de voltas na temporada. Campeão inconteste. Já dava pinta de que merecia o título muito antes mesmo das provas finais que no sistema atual de playoffs da NASCAR, na última prova 4 pilotos disputam o título, levando que chegar na frente dentre eles.

Parabéns Truex!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dale Earnhardt Jr. anuncia aposentadoria da NASCAR ao fim de 2017

Considerado o piloto mais popular da NASCAR na atualidade, Dale Earnhardt Jr deixará a categoria ao término da temporada de 2017, anunciou sua equipe, a Hendrick Motorsports, na manhã desta terça-feira (25).

Earnhardt, que completará 43 anos em outubro, afirmou no início da temporada que gostaria de esperar por alguns meses para decidir se renovaria seu contrato ou não.

Ele perdeu a segunda metade da temporada de 2016 enquanto se recuperava de sintomas de concussão. Em sua 18ª temporada na divisão principal da NASCAR, ele completou 600 largadas em março, na etapa de Fontana.

Dale Jr fará sua última prova na Cup no dia 19 de novembro, no encerramento da temporada, em Homestead, em Miami. Em comunicado, a Hendrick Motorsports afirmou que anunciará seus pilotos para 2018, incluindo o substituto de Earnhardt, em uma data posterior.

Nascido em Kannapolis, na Carolina do Norte, Dale Jr conquistou 26 vitórias na principal divisão da NASCAR, incluindo duas conquistas nas 500 Milhas de Daytona, em 2004 e 2014. Ele também possui 13 pole positions e oito vitórias em provas que não contabilizam pontos para o campeonato.

Earnhardt conquistou o prêmio de “piloto mais popular da NASCAR” por 14 temporadas consecutivas. Ele nunca venceu o título da série principal, mas foi duas vezes campeão da categoria que hoje é conhecida como Xfinity Series. Desde a criação dos playoffs, Dale Jr se classificou por oito vezes.

O piloto seguiu o caminho de seu lendário pai, Dale Earnhardt, que conquistou sete títulos e venceu 76 corridas, e de seu avô, Ralph Earnhardt – ambos os pilotos foram incluídos na lista de 50 maiores pilotos da história da NASCAR.

 

…………………………………………………………….
*Fonte: brmotorsport

 

Audi anuncia retirada da Le Mans e Porsche dá resposta sensacional

Há 3 anos, a Audi resolveu dar as boas vindas a Porsche, fazendo um borrachão na frente da sede da empresa, para recebê-los de volta a Le Mans.
Agora, após 18 anos de sucesso da Audi na Le Mans, a empresa resolveu se retirar da competição e ganhou uma resposta da Porsche!

Pode parecer algo de rivalidade, mas as empresas fizeram isso realmente como forma de boas vindas e agradecimento.

 

………………………………….
*Fonte: uhull

Super Petty 43

Este é “ô” carro, mas também pudera, foi pilotado por aquele que é considerado um mito na NASCAR – Richard Petty (Plymouth Superbird – 43). Pilotou outros carros, mas este é um dos mais clássicos.

*Nascido em 2 de julho de 1937, Richard Petty é um famoso piloto americano da Nascar.
Foi 7 vezes campeão da Nascar e é considerado pelos americanos o melhor piloto de todos os tempos, não é por nada que por muitos é conhecido pelo apelido “The King”. Obteve em sua carreira 200 vitórias em corridas após 1184 corridas em 3 décadas.