Arquivo da tag: criancas

Verdade

frases_criancascel


Está comprovado: 20 nomes que pertencem à lista a crianças mais rebeldes

O estudo destinado a explicação dos nomes próprios recebe o nome de onomástica, que é um dos ramos da linguística que se inclui a Antroponímia  (estudo dos nomes das pessoas).

A pesquisa foi realizada na School Stickers USA em 10 mil escolas num sistema de recompensa chamado “School Stickers”.  Os instrutores pediram a 60.000 crianças para arquivarem os seus adesivos que receberam na escola pelo bom comportamento.

E depois de monitorar o comportamento dessas crianças e, com base nos seus próprios registros das etiquetas de bom comportamento na escola, os pesquisadores analisaram e divulgaram os “nomes dos danadinhos”. Ou seja, daquelas crianças com a maior probabilidade de se comportarem rebeldia.

É importante ressaltar que rebeldia não significa um ponto de ênfase negativa. Lembremos que, historicamente, as grandes invenções foram realizadas por pessoas portadoras de um espírito muito inquieto. Se vivêssemos em mundo só com pessoas de espírito manso, não teríamos grandes avanços em termos gerais. Pois o espírito sereno se harmoniza com tudo ao seu redor e convive bem com pouco. Mas o “rebelde” – por assim dizer – é aquele que não se conforma com o panglossianismo do “melhor dos mundos possíveis”. Certamente foi um desses espíritos rebeldes que inventaram a roda.

É certo que pesquisa alguma é uma ciência exata. Trata-se daquela experiência com 60 mil crianças e, é claro, que fora dela existem exceções. Há nomes de crianças que estão na lista de levados que são verdadeiros anjinhos. Bem como há nomes na lista dos bonzinhos que são de crianças bem levadas. Como dizemos, são probabilidades e não regras.

A lista apresenta os nomes das crianças que se mostraram mais rebeldes durante a pesquisa. Isso está provado nesta pesquisa realizada em escolas dos Estados Unidos.

Como o estudo não foi realizado no Brasil e os nomes não correspondem, precisamente, fizemos uma lista com base nos estudos da especialista em onomástica (estudo dos nomes próprios) e antroponímia (o estudo dos nomes de pessoas), Maria Vicentina do Amaral Dick, da Universidade de São Paulo. Vamos lá:

 

Top 10 das meninas danadinhas:

    1. Alice

A origem do nome Alice é Grego e significa verídica, autêntica, a verdadeira

    2. Sofia

A origem do nome Sofia é Grego e significa sabedoria

    3. Beatriz

A origem do nome Beatriz é Latim. Significa bem-aventurada ou aquela que faz os outros felizes.

    4. Laura

A origem do nome Laura é Latim. Significa coroa de folhas de louro.

    5. Júlia

A origem do nome Julia é italiana. Significa cheia de juventude.

    6. Ágata

O nome Ágata significa Bem.

    7. Gabriela

A origem do nome Gabriela é Hebraico e significa enviada de Deus, força de Deus

    8. Rafaela

A origem do nome Rafaela é Hebraico e significa curada por Deus.

    9. Sara

A origem do nome Sara é do Hebraico Sarah e significa princesa.

    10. Ana

A origem do nome Ana é Hebraico. Significa cheia de graça, que tem compaixão, clemência.

 

Top 10 dos meninos danadinhos:

    1. Victor

A origem do nome Victor é Latim e significa vitorioso.
    2. Artur

A origem do nome Artur é Celta. Arth-wr, o nobre, o generoso.

    3. Gabriel

A origem do nome Gabriel é Hebraico. Significa enviado de Deus ou força de Deus.

    4. Bernardo

A origem do nome Bernardo é Teutônico. Significa forte como um urso.

    5. Guilherme

A origem do nome Guilherme é Teutônico. Significa o que protege, o protetor.

    6. Pedro

A origem do nome Pedro é Aramaico. Significa Pedra ou Rocha firme.

    7. Miguel

A origem do nome Miguel é Hebraico. Significa aquele parecido, mas não igual a Deus.

    8. Gustavo

A origem do nome Gustavo é Sueco e significa bastão de combate ou cetro do rei.

    9. Henrique

A origem do nome Henrique é do Teutônico Heinrik, que significa príncipe poderoso ou senhor do lar

    10. Rafael

A origem do nome Rafael é do Hebraico Rephael que significa curado por Deus ou Deus curou.

 

Top 10 das meninas bem-comportadas:

    1. Bruna

A origem do nome Bruna é Teutônico e significa morena, escura.

    2. Isabel

A origem do nome Isabel é do Hebraico Izebel ou uma derivação de Elizabete do Hebraico Elishebba. No Francês Isabelle e no Espanhol Isabel. Significa a casta, a pura ou aquela que cumpre com as promessas.

    3. Mariana

A origem do nome Mariana é a combinação de dois nomes bem comuns: Maria e Ana. Maria é Hebraico e significa senhora soberana, pura e vidente. Ana é Hebraico. Significa cheia de graça, que tem compaixão, clemência.

    4. Juliana

A origem do nome Juliana é Latim. Significa cheia de juventude ou na mitologia grega filha de Júpiter

    5. Diana

A origem do nome Diana é Latim. Significa Brilhante, a divina. Nome da deusa da caça.

    6. Débora

A origem do nome Débora é do Hebraico Debhoráh e significa a abelha laboriosa.

    7. Jessica

O nome Jéssica é feminino e de origem hebraica Yiskah. Significa olhar para frente ou a observadora.

    8. Raquel

A origem do nome Raquel é Hebraico. Significa Calma como uma ovelha.

    9. Joana

A origem do nome Joana é Latim. Significa Deus é cheio de bênçãos.

    10. Érica

O nome Érica significa governante da Lei.

 

Top 10 dos meninos bem-comportados

    1. David

A origem do nome Davi é do  hebraico David e significa Amado, Predileto, Respeitado

    2. Nuno

A origem do nome Nuno é Latim. Do latim pai, avô, peixe.

    3. Daniel

A origem do nome Daniel é Hebraico Daniyyel. Significa Deus é meu juiz.

    4. Eduardo

A origem do nome Eduardo é do Anglo-Saxão Eadward, que significa guardião das riquezas.

    5. Bruno

A origem do nome Bruno é Teutônico. Significa moreno, escuro ou do germânico luminoso, brilhante.

    6. Tiago

A origem do nome Tiago é Hebraico. Variante de Tiago que significa O que suplantou.

    7. João

O nome João significa Javé é gracioso ou agraciado por Deus.

    8. Samuel

A origem do nome Samuel é Hebraico e significa aquele a quem Deus ouve ou ouvido por Deus.

    9. Diogo

A origem do nome Diogo é Latim. Do latim Didacus, que significa instruído, belo. O conselheiro.

    10. Hugo

A origem do nome Hugo é Teutônico. Ajuizado. Do alemão pensamento, espírito, razão.

………………………………………………………….
Fonte: portalraizes/ Clara


11 livros infantojuvenis que todos deveriam ler ao longo da vida

1 – O Mundo de Sofia, Jostein Gaarder:
“Nenhum outro livro explica aos jovens de forma tão simples as principais linhas de pensamentos filosóficos. Sem contar que o enredo da história de Sofia prender o leitor até o final, que é arrasador!”

2 – Ponte para Terabítia, Katherine Paterson:
“Porque a vida pode ser simples, nossa imaginação pode ser incrível e também porque nem sempre os finais são felizes”.

3 – O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry:
“É um lindo clássico”.

4 – O Mágico de Oz, L. Frank Baum:
“É indispensável”.

5 – Desventuras em Série, Lemony Snicket:
“É uma série de treze volumes, então podem ser lidos aos poucos ao longo da vida.”

6 – Ei! Tem Alguém Ai?, Jostein Gaarder:
“Livro que abre reflexões, distrai e ainda pode mudar suas percepções da vida com simplicidades”.

7 – Meu Pé de Laranja Lima, José Mauro de Vasconcelos:
“O livro narra a visão de uma criança sobre os problemas sociais que a cercam. A pureza é contrastada pela dureza da vida. É uma imersão nos valores humanos através da perspectiva de alguém jovem e com quem podemos nos identificar de imediato”.

8 – Alice no País das Maravilhas, Lewis Carroll:
“É uma das obras primas de toda cultura pop, servindo de inspiração/referência para inúmeras obras posteriores. Logo, conhecer esta obra é conseguir intertextualizar com muitas outras (desde Matrix a Batman v Superman). É um texto de várias camadas, podemos interpretar tudo como apenas uma viagem de imaginação ou teoria de multiversos, visto que Lewis Carroll era matemático também. Ou mesmo relevando esta parte matemática, é uma bela história que deixa o antropocentrismo de lado e mostra outro mundo!”.

9 – O Senhor dos Aneis, J. R.R. Tolkien:
“Eu li quando era adolescente e me apaixonei. Tem gente que leu quando adulto e discorda. Mas acho que a ficção encanta a todos”.

10 – Aruá, o Boi Encantado, Luís Jardim:
“Um livro maravilhoso que traz uma reflexão linda sobre ser humilde”.

11 – Harry Potter, J.K. Rowling:
“Além dos exemplos morais seu estilo é leve, fluido e viciante enquanto inocula sua poesia vibrante e mágica”.

 

…………………………………………………………….
*Fonte: revistagalileu


Fita adesiva para “tunnar” LEGO


Crianças que acampam vão melhor na escola, diz estudo

Um estudo realizado pelo Instituto de Educação da Universidade de Plymouth, no Reino Unido, identificou que crianças que acampam pelo menos uma vez ao ano são mais saudáveis, felizes e têm melhor desempenho escolar. Os benefícios foram observados pelos próprios pais.

Para a pesquisa, o Instituto contou com o apoio da organização Camping and Caravanning Club, que conta com mais de 500 mil membros. Na análise, a professora Sue Waite descobriu que quatro em cada cinco pais entrevistados consideram que os acampamentos exercem um efeito positivo sobre a educação formal de seus filhos.

Entre os questionamentos, foi descoberto que: 98% dos pais consideram que os filhos apreciam e se conectam mais com a natureza após acamparem; 95% disseram que os filhos ficam mais felizes durante os acampamentos; 93% disseram sentir que a atividade fornece habilidade úteis para a vida mais tarde.

Como é evidente, o ato de acampar também exerce influência sobre o uso da tecnologia pelas crianças. Este ponto foi, inclusive, lembrado pelos pais, com 15% deles considerando positivo o distanciamento das crianças dos aparelhos eletrônicos.

Acampar ainda proporciona sensação de liberdade, independência e confiança aos filhos (item citado por 20% dos pais), e ajuda as crianças a gostarem mais de aprender na sala de aula, de acordo com 68% dos pais participantes. Segundo eles, as crianças apreciam o fato de poder compartilhar suas experiências e aventuras, além de poderem visitar locais históricos ou que foram estudados na escola.

 

“Curiosamente, os pais entrevistados acreditavam que o campismo apoiou as disciplinas curriculares fundamentais, como geografia, história e ciências”, explicou a pesquisadora Sue Waite.

 

A professora ainda esclareceu que as crianças também foram ouvidas no estudo. Ao serem indagadas sobre o que mais gostavam nos acampamentos, os assuntos mais comuns foram: fazer novas amizades, se divertir e aprender novas habilidades.

*Clique [ AQUI ]  para mais informações sobre o estudo.

 

……………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

acampamento_120


Natal Solidário Tutaloko 2016

Hoje foi dia do Natal Solidário Tutaloko. Esse evento que acontece já há vários anos em Venâncio Aires, perto do dia de Natal, quando o grupo de Trilheiros Tutaloko percorre várias regiões do interior do município entregando presentes de Natal para as crianças carentes e alguns ranchos para famílias pobres das localidades. Uma forma de carinho, atenção e sobretudo de respeito para com aqueles que vivem na região onde os trilehiros comumente circulam durante o ano.

A função começa geralmente num sábado bem cedo, por volta das 7 horas, quando o grupo se reúne junto com professores em frente ao Colégio Gaspar Silveira Martins. A saída ocorre descendo a rua central da cidade e depois seguindo em direção a escolas pré determinadas (alunos pequenops esperando – muitas vezes com cartinhas e encenações para o Papai Noel) e ainda várias localidades distantes e muitas até, de difícil acesso, onde residem pessoas pobres e carentes do interior do município de Venâncio Aires (RS). Isso sempre ocorre nessa época de muito calor, final de ano e dá um baita cansaço. Mas sem dúvida é esforço que vale muito a pena.

Este ano, mais uma vez pude participar do evento e mesmo que já fazem dois anos que não tenho mais moto de trilha, já particiepei das últimas 5 ou 6 vezes. Afinal – “Uma vez Tutaloko – Sempre Tutaloko”. Um amigo me oferece a sua moto emprestada, porque ele tem de trabalhar nos sábados de manhã e não consegue participar, então sobra prá mim e vamu-qui-vamu. – Valeu Klerio (#49)!

Não quero aqui ficar fazendo proselitismo, então o que digo é que para mim e para o grupo todo, é um grande prazer prestar esse “pequeno” favor a estas pessoas do interior. Sei que isso não resolve o problema de suas vidas, mas ao menos é uma carinho e felicidade para a criançada e o idosos. E se vocês vissem a alegria dessas crianças com o Papai Noel chegando de moto na porta de suas casas, báh!!!!

Mas enfim, é isso ae. Eu que via de regra faço fotos de tudo que empreitada envolvendo motos, dessa vez me dei mal. Levei minha câmera fotográfica mas esqueci de verificar antes de sair, se ela estava com a bateria carregada. Adivinha?
Sim, já na primeira foto que fui fazer a coisa arregou. Só lamento.

*Mas consegui algumas imgs que amigos fizeram, só para ilustrar um pouquinho doe vento.

img_5883

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_5891pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_5890pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_5887pp

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_5886pp

 


Documentário – Criança, a alma do negócio


Quem já não teve vontade de fazer isso antes?

anuncio-22


Pesquisa mostra que, além de não ser engraçado, palhaço dá medo nas crianças

Se você acha que palhaços são criaturas macabras, saiba que não está só: uma pesquisa inglesa feita com 250 crianças mostrou que todas elas têm medo dos ditos-cujos. O estudo, feito pela Universidade de Sheffield, pode ter como resultado o fim das figuras de palhaços nas paredes dos hospitais públicos britânicos.

Para representantes da categoria, o governo está de palhaçada quando fala em remover as pinturas. “Vivemos num mundo em que tudo é proibido. Isso já perdeu a graça”, disse ao jornal The Daily Telegraph Tony Eldrifge, secretário da Clowns International, o mais antigo sindicato de comediantes circenses da Inglaterra.

O medo de palhaço tem até nome clínico: coulrofobia. Ao deparar-se com cidadãos de cara pintada e sapatos exageradamente grandes, os portadores dessa fobia têm ataques de pânico, perda de fôlego, arritmia cardíaca, suores e náusea.

Mais fobias bizarras

• Ablutofobia – Medo de tomar banho.

• Alectorofobia – Medo de galinhas.

• Automatonofobia – Medo de bonecos de ventríloquos.

• Caliginefobia – Medo de mulheres bonitas.

• Catisofobia – Medo de sentar.

• Hipopotomonstrosesquipedaliofobia – Medo de falar palavras grandes ou complicadas.

• Catagelofobia – Medo de passar ridículo.

• Papafobia – Medo do papa.

• Penterofobia – Medo de sogra.

• Pogonofobia – Medo de barbas e pessoas barbadas.

 

palhaçosmedo_18pp

 

 

 

 

 

 

*Fonte/Texto: superinteressante


Crianças que não brincam na natureza, não se preocupam em protegê-la

Os ativistas ambientais costumam ser pessoas que passaram a infância imersos na natureza.

Se um futuro melhor depende das gerações que ainda estão por vir, então algumas coisas precisam mudar. Em artigo escrito por George Monbiot no jornal britânico The Guardian, o autor coloca em cheque as consequências da falta de contato das crianças atuais com a natureza.

A cada ano que passa, as crianças estão mais presas dentro de suas casas. Segundo Monbiot, no Reino Unido, apenas uma em cada dez crianças têm o hábito de praticar atividades ao ar livre em ambiente natural. Em contrapartida, os adolescentes que têm entre 11 e 15 anos gastam metade do dia em frente a uma tela, seja ela de computador, televisão ou smartphone. A situação é semelhante em diversas partes do mundo.

O autor cita várias hipóteses para essa mudança. Enquanto nas décadas passadas as crianças tinham mais autonomia para brincar na rua e até mesmo se deslocarem sozinhas, hoje os pais têm que lidar com o medo da violência, do trânsito e de pessoas estranhas. Assim, ficar dentro de casa é a opção mais prática, mas não a melhor delas.

Monbiot coloca esse novo hábito “doméstico” como algo perigoso, principalmente para a saúde. A inatividade dos jovens resulta em doenças como diabetes, obesidade, raquitismo e declínio das habilidades cardio-respiratórias. Muitos desses problemas seriam evitados se as brincadeiras em meio à natureza fossem mantidas, como é possível concluir em um estudo conduzido pela Universidade de Illinois, nos EUA. A pesquisa sugere que brincar na grama, entre árvores, ajuda até mesmo a reduzir os sintomas do déficit de atenção e dos problemas de hiperatividade.
Além da saúde, a falta de contato das novas gerações com a natureza pode se transformar em um problema muito maior. Como ter cuidado ou se preocupar com algo que você não conhece e não tem intimidade? Esta é a questão levantada pelo britânico. Para ele, os ativistas ambientais costumam ser pessoas que passaram a infância imersos na natureza. “Sem um sentimento pelo mundo natural e sua função, sem uma intensidade de envolvimento nas experiências da infância, as pessoas não vão dedicar suas vidas à proteção”, conclui o artigo.

>> Fonte / Imagem / Leia mais aqui:  CicloVivo

criancasnatureza


Na boa vei…