10 coisas cientificamente comprovadas que deixam você feliz

Como diria a música da propaganda: o que faz você feliz? Viajar? Rever os amigos? Diz uma pesquisa britânica que são as coisas simples da vida. Simples, mas sempre ligadas ao dinheiro.

E pra saber quais são essas “coisas”, os pesquisadores entrevistaram 2 mil adultos do Reino Unido. Cada um deles recebeu uma lista de bons acontecimentos e precisou colocar, em ordem de importância, quais eram os mais felizes, aqueles que realmente eram capazes de deixá-los de bom humor. Dá uma olhada nas 10 situações mais votadas:

1. Descobrir 50 reais esquecido no bolso de um casaco – com 59% dos votos

2. Ganhar uma competição que você nem lembrava mais que tinha entrado (tipo um bolão) – 46%

3. Receber um reembolso ou desconto que você nem sabia existir – 41%

4. Economizar dinheiro nas contas de casa – 31%

5. Encontrar um bilhete de loteria premiado de 30 reais – 28%

6. Ir até a loja comprar um produto e descobrir que o preço caiu – 26%

7. Emagrecer 200 gramas – 18% (sério, gente? São só 200 gramas…)

8. Encontrar dinheiro num caixa automático – 13%

9. Não acordar com ressaca depois de encher a cara na noite anterior – 5%

10. Encontrar um assento no trem no caminho para o trabalho – 3% (se for às 8h ou às 18h, em SP, é pra ficar de bom humor mesmo)

 

Só que as pessoas ficam tão felizes com o dinheiro inesperado que nem ligam se não for delas. Na segunda parte do estudo, os pesquisadores fizeram uma parceria com uma lavanderia. Pediram aos funcionários que entregassem 50 reais aos clientes que supostamente haviam encontrado no bolso do paletó. Era mentira, claro, mas ninguém devolveu a nota.

De qualquer forma, o segredo da felicidade é ter surpresas positivas. Mas essa lista é dos ingleses – e, provavelmente, os pesquisadores não deram a eles outras opções. Então conta pra gente: o que mais te deixa feliz, que muda seu humor de uma hora para outra?

 

 

 

 

…………………………………………………..
*Fonte: superinteressante

8 citações de Buda que vão acalmar sua mente e tranquilizar sua alma

Há muitas lições valiosas de vida por aí, e muitos professores. Mas nenhum tão sábio quanto Buda. Aqui estão 8 citações de Buda que irão te ajudar a acalmar sua mente e tranquilizar sua alma.

1. “O caminho não está no céu. O caminho está no coração “
Quando sentimos que precisamos de algo mais em nossas vidas, tendemos a procurar em todos os lugares, exceto onde devemos – em nosso coração. Nosso coração nos diz para seguir nossos sonhos, e para tornar esta jornada satisfatória. Ouça seu coração – ele conhece você.

2. “Ninguém nos salva senão nós mesmos. Ninguém pode e ninguém irá. Nós mesmos devemos trilhar o nosso caminho
Pedimos ajuda de nossos amigos, e está tudo bem. Nossos amigos podem nos guiar e nos dar conselhos úteis, mas quando se trata de mudar ou melhorar nossas vidas, só nós podemos fazer isso. Ninguém é o culpado pelo caminho que escolhemos, e ninguém pode nos salvar de nossas escolhas, exceto nós.

3. “No céu, não há distinção de leste e oeste; as pessoas criam distinções em suas próprias mentes e então acreditam que elas são verdadeiras
A beleza que está em todo o lado, o céu, não tem limites e não tem distinção. Simplesmente é. Às vezes, nós humanos complicamos as coisas rotulando e separando. Tomamos coisas inteiras e sentimos a necessidade de dissecá-las até que possamos colocá-las em uma categoria. Mas nós inventamos todas as categorias. Em vez disso, devemos aprender a aceitar pessoas e situações tal como são – sem a necessidade de classificação.

4. “Tem que existir o mal para que o bem possa provar sua pureza acima disso”
A vida é equilíbrio. Yin e yang. Há maldade no mundo, sim. Mas talvez tenha que estar lá para que possamos também ver claramente o bem.

5. “É fácil ver as falhas dos outros, mas é difícil ver quando as falhas são nossas”
Nós tendemos a ver os outros com um microscópio mais forte do que o que usamos em nós mesmos. O julgamento de retenção é bom, mesmo em relação a nós mesmos.

6. “Somos moldados por nossos pensamentos, nos tornarmos o que pensamos.
Quando a mente é pura, a alegria segue como uma sombra que nunca vai embora”

Isso é verdade. Quando nossos pensamentos são felizes, somos mais produtivos e nossas vidas são mais alegres. Quando as coisas ficam difíceis, não afunde na tristeza, mas direcione sua linha de pensamento para um tom mais positivo.

7. “Trabalhe em sua própria salvação. Não dependa dos outros.”
Só você pode determinar o destino de sua vida e as respostas aos seus problemas.

8. “Todo ser humano é o autor de sua própria saúde ou doença.”
Você toma as decisões em sua vida e, portanto, você colhe os benefícios e as consequências.

……………………………………………………………
*Fonte: osegredo

O que podemos aprender com os gatos?

“O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado” – trecho retirado do texto O Gato e a Espiritualidade. << (clique para ler)

Com a divulgação massiva da crescente adoção dos gatos como pets de milhares de casas, superando até a adoção de cães, temos atualmente uma maior compreensão desse bichano em nossas vidas. Por muitos anos, os gatos foram alvos de preconceitos e, até, de questões religiosas, gerando nas pessoas uma forte aversão aos felinos.

Atualmente, o cenário já está consideravelmente melhor, embora ainda haja muito o que ser melhorado. Quem se abre a convivência com os gatos, consegue facilmente perceber e sentir que há um mistério por trás daqueles belos olhos. Quem me conhece sabe que sou suspeita para falar desse assunto, afinal os gatos estão entre as minhas maiores paixões e tenho 3 amorosos representantes da raça ao meu lado, diariamente, em minha casa.

A questão é que não é mais tão segredo para todos que a espiritualidade está intimamente ligada ao gato, conforme podemos conferir no texto citado no início. Há algo de místico e ancestral nos gatos e sabemos que nos povos antigos, como no Egito, o animal era cultuado pelas pessoas. Os gatos não entram em nossa vida por acaso e assumem uma posição de uma intensa e verdadeira relação conosco, sendo capazes de nos transformar profundamente. Como eu mesma digo: não subestime o amor de um gato, você pode se apaixonar.

Em minhas experiências com os meus 3 filhos felinos que tenho em casa, já vivi intensas e transformadoras situações. A primeira delas, e extremamente significativa, foi a adoção do vegetarianismo como alimentação, estilo e filosofia de vida. Digo, sem vergonha nenhuma que, ao conviver com esses incríveis animais diariamente, meu amor e sensibilidade aumentaram tanto que eu quis estender esses e outros diversos sentimentos a todas as espécies. Outros momentos intensos que tive a bênção de vivenciar foram: ao estar em contato com alguma prática energética e relaxante, como uma meditação ou auto aplicação de Reiki e, ao despertar, perceber um dos meus gatos me olhando (Joey, meu menino)… mas no fundo dos meus olhos, tão fundo, que eu tinha a nítida sensação de que ele podia ver toda a minha alma… e, assim, eu transbordei em lágrimas… mas não de tristeza, não de alegria… no momento, embora não conseguindo descrever concretamente, eu sentia que estava recebendo uma profunda e amorosa limpeza e purificação.

Momentos impagáveis!

Entre ronrons, carinhos, amorosidade e tudo mais de bom que envolve esses peludos de 4 patas, os gatos são capazes de tornar a nossa vida e as energias nossas e de nossas casas muito melhores. Os gatos têm a capacidade de absorver e transmutar energias nocivas no lar, proporcionando limpeza e purificação no ambiente. Além disso, os gatos protegem os donos contra essas energias, seja transmutando o que o dono está carregando em sua aura, seja protegendo o dono quando estiver na presença de pessoas que possam vir a prejudicá-lo. Caso uma visita chegue a casa e o gato sinta e perceba que essa pessoa possui energias prejudiciais, o gato irá circundar o dono, ficar perto dele, para poder protegê-lo.

Há diversas questões que podemos abordar que tenha o gato como centralidade. Mas o que quero trazer aqui hoje são as percepções de certas maneiras felinas e o que podemos aprender com elas para nos tornarmos pessoas melhores e, consequentemente, tornar a nossa vida muito melhor (embora o gatinho já faça isso, por si só, em uma grande porcentagem.

O QUE PODEMOS APRENDER COM UM GATO?

– Gatos permitem-se ser quem são:

O gato simplesmente é. Ao observar um gato, podemos perceber algo de verdadeiro, original e essencial em suas maneiras e atitudes. O gato não finge, não disfarça e sabe o que deve fazer, e seguramente o faz, para garantir que seus desejos sejam notados, se apenas mais uns grãos de ração, se um colo quentinho ou para entrar em um lugar novo para ele. A beleza e o mistério por trás da imagem do gato devem-se, principalmente, pela sua maneira 100% autêntica de ser e agir.

Na vida, temos que lutar por nossos direitos e sonhos, sem medos de preconceitos ou pressões, e jamais hesitar em sermos verdadeiros e originais com aquilo que realmente somos. Quanto desgaste emocional, psicológico e espiritual há em fingir e atuar um papel de alguém que não somos, apenas para agradar ou mudar a nossa imagem… esta que está projetada apenas em nossa mente. Muitas vezes, as pessoas agem de acordo com uma imagem a zelar, e mal percebem que essa imagem é criada por si mesmo, apenas para os outros.

É maravilhoso ver um animal, porque um animal não tem qualquer opinião de si próprio, ele simplesmente é! (Eckhart Tolle)

– Gatos sabem a importância de se cuidarem:

É só parar alguns momentos do dia para perceber quantas horas o gato passa cuidando de si mesmo. O gato sabe da importância de se manter limpo, de manter o seu conforto, de dar aquela boa espreguiçada e alongar todas as partes do corpo. O gato sabe da imensa importância que há em dormir as horas necessárias por dia e se dedica a isso… se entrega aos braços acalentadores e repousantes de um sono profundo, pacífico e relaxante. Ao contemplar o sono do gatinho, estamos contemplando a materialização da paz.

A vida “humana” é tão acelerada, intensa e preocupante, que as pessoas mal reservam um tempo no seu dia para um verdadeiro descanso. E, quando reservam – o momento de dormir, por exemplo – não o fazem por completo, com entrega, não conseguindo desligar-se dos problemas, preocupações e ansiedades do dia a dia. As pessoas não se preparam para descansar e não têm consciência da importância e necessidade de um descanso na sua concepção mais original.

– Gatos sabem a importância de terem um momento somente seu:

O gato não é egoísta e individualista, como muitos taxam. O que o gato sabe, e o faz com confiança, é estar na sua própria companhia. O gato aprecia a solitude (diferente de solidão) tanto quanto aprecia a companhia de seu dono. O gato não tem medo de estar confrontado com o “vazio”, pois no seu mundo essa palavra não existe. O gato sabe da importância da sua essência e a valoriza, permitindo-se ter momentos totalmente dedicados a si mesmo, como uma boa soneca, um bom “auto” banho, uma apreciação da natureza… sem pressa, sem apegos, sem pressão… com respeito. O gato se respeita.

Na vida “humana”, claramente detectamos o quanto as pessoas têm medo de estarem na companhia do “nada”. A vida cotidiana foi preparada para que estejamos sempre na companhia de algo…seja de um smartphone, de uma televisão, do computador, etc. Muitas pessoas têm medo da própria companhia, por puro receio de adentrar nas profundezas do seu ser e se confrontar com tudo que está “mal” cuidado ali. Tirar um momento pra si é tão importante e essencial quanto comer, dormir e tomar banho, entre outras atividades.

“Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não topa com o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério”.

O gato é uma companhia riquíssima de afeto, ensinamentos, introspecção e reflexão.

*Por: blog da Ju Xavier

 

………………………………………………………….
*Fonte: osegredo

Sabe a história de que quem bebe uma taça de vinho por dia vive mais? É mentira

Nos últimos anos, temos sido bombardeados pela mídia comercial com “estudos” que comprovariam os benefícios para a saúde de consumir pequenas quantidades de bebidas alcoólicas, como o vinho. E se você descobrisse que, na verdade, esses pseudoestudos foram patrocinados pela indústria do álcool e que, na verdade, tomar um copo de bebida alcoólica toda noite encurta sua vida? E que apenas meio copo diário de álcool aumenta o risco de uma mulher ter câncer de mama?

Um estudo feito pela Universidade de Cambridge e divulgado pela revista científica The Lancet na semana passada enterra de vez a lenda urbana de que a bebida pode trazer algum bem, mesmo em pequenas quantidades. O consumo superior a 12,5 unidades de álcool por semana, o equivalente a cinco canecas de cerveja ou cinco taças de vinho semanais, ajuda a diminuir seus dias na Terra. Ou seja, o álcool encurta a expectativa de vida em vez de prolongá-la.

Ciência ou lobby da indústria?

“A mensagem central de nosso trabalho é que, se uma pessoa já consome álcool, beber menos a ajudará a viver mais e a ter um menor risco de contrair doenças cardiovasculares graves”, disse Angela Wood, diretora da pesquisa. E isso inclui rum, cerveja, vinho ou qualquer outra bebida. Todas elas estão associadas a um maior risco de AVC, aneurisma fatal, insuficiência cardíaca e morte.

O consumo de cinco canecas de cerveja ou cinco taças de vinho semanais ajuda a diminuir seus dias na Terra. Ou seja, o álcool encurta a expectativa de vida em vez de prolongá-la

Em um comunicado, os pesquisadores comentaram que sua descoberta desafia justamente a crença implantada pelo lobby da indústria de bebidas de que o consumo moderado de álcool seja benéfico ao coração e ao sistema circulatório.

Os autores analisaram o histórico clínico de 600 mil adultos de 19 países do mundo que não se definiam como “abstêmios”. E descobriram que consumir 25 ou mais unidades de álcool por semana reduz a esperança de vida em um ou dois anos. Beber 18 canecas de cerveja ou vinho por semana reduziria a esperança de vida entre quatro e cinco anos.

Na última semana, a revista Mother Jones publicou uma profunda investigação sobre a relação entre o consumo de álcool e o câncer de mama, a partir da experiência vivida pela própria autora, Stephanie Mencimer. Aos 47, Stephanie não estava no grupo de risco (amamentou suas crianças, fazia exercícios regularmente), não tinha histórico familiar nem estava acima do peso quando descobriu ter câncer. A repórter bebia regularmente, e ficou espantada que nenhum médico tivesse feito a associação entre o hábito e a doença.

Mulheres que bebem mais de dois drinques por dia têm 15% de chances a mais de ter câncer de mama, 25% a mais do que as que não bebem

Os números a que Stephanie chegou são espantosos: mulheres que bebem acima de dois drinques por dia têm 15% de chances a mais de ter câncer de mama, 25% a mais do que as que não bebem. “Enquanto os médicos frequentemente me advertiram a não pôr creme no meu café para não entupir minhas artérias –uma correlação que já foi bastante rebatida– nem uma só vez algum deles sugeriu que eu teria um risco maior de câncer se não cortasse o álcool. Preenchi dezenas de formulários médicos durante anos perguntando quanto eu bebia por semana, e a resposta sempre foi: ‘então você bebe socialmente’”, relata.

A repórter descobriu que, em 1988, a OMS já havia colocado o álcool no grupo 1 dos elementos cancerígenos, o que significa que está provado que causa câncer. Não há dose segura de álcool em humanos, segundo a entidade da ONU, e ele está associado a pelo menos sete tipos de câncer, mas mata mais mulheres de câncer nos seios do que qualquer outro. A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer estima que para cada drinque bebido diariamente, o risco de câncer de mama cresce 7%.

Ao mesmo tempo, ao longo dos anos, o dinheiro utilizado nos EUA pela indústria da bebida para fazer lobby só aumentou, gerando os tais “estudos” afirmando que o álcool em quantias moderadas pode fazer “bem”. Também aumentou a utilização de mulheres na propaganda para vender bebidas, mesmo com o álcool associado ao câncer de mama. No Brasil, por exemplo, a “gostosa”, a “boa” da cerveja já virou lugar comum, em que pesem os protestos feministas.

Os gastos da indústria de bebidas com lobby. Fonte: OpenSecrets

A conclusão da repórter, óbvio, é que não tem como saber se foi realmente o álcool quem a levou a ter câncer no seio. Mas ela gostaria de ter sido informada dos riscos que corria, como acontece com os fumantes. “Pelo menos eles tiveram uma escolha, sabiam dos riscos que estavam correndo. Como muitas mulheres, eu não tive essa escolha, e uma indústria poderosa trabalhou para que as coisas continuassem assim.”

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte:

Sentar é nocivo para o cérebro também, e não apenas para o metabolismo e o coração

Sentar-se demais está ligado a mudanças em uma parte do cérebro que é crítica para a memória, de acordo com um estudo preliminar feito por pesquisadores da UCLA de pessoas de meia-idade e idosos.

Estudos mostram que sentar-se demais, como fumar, aumenta o risco de doenças cardíacas, diabetes e morte prematura. Os pesquisadores queriam ver como o comportamento sedentário influencia a saúde do cérebro, especialmente as regiões do cérebro que são críticas para a formação da memória.

Os pesquisadores da UCLA recrutaram 35 pessoas com idades entre 45 e 75 anos e perguntaram sobre seus níveis de atividade física e o número médio de horas por dia que passaram sentados na semana anterior. Cada participante fez uma ressonância magnética de alta resolução, que fornece uma visão detalhada do lobo temporal medial, ou MTL na sigla em inglês, uma região do cérebro envolvida na formação de novas memórias.

Os pesquisadores descobriram que o comportamento sedentário é um preditor significativo de afinamento do lobo temporal medial e que a atividade física, mesmo em níveis elevados, é insuficiente para compensar os efeitos nocivos de se sentar por períodos prolongados.

Este estudo não prova que sentar demais causa estruturas cerebrais mais finas, mas sim que mais horas gastas sentadas estão associadas a regiões mais finas, disseram os pesquisadores. Além disso, os pesquisadores se concentraram nas horas passadas sentadas, mas não perguntaram aos participantes se faziam intervalos durante esse período.

O próximo passo dos pesquisadores é seguir um grupo de pessoas por um período mais longo para determinar se a sentar causa o afinamento e qual o papel que o gênero, a raça e o peso podem ter na saúde cerebral relacionada à capacidade de se sentar.

O afinamento do lobo temporal medial pode ser um precursor do declínio cognitivo e da demência em adultos de meia-idade e idosos. Reduzir o comportamento sedentário pode ser um alvo possível para intervenções destinadas a melhorar a saúde do cérebro em pessoas com risco de doença de Alzheimer, disseram os pesquisadores.

 

…………………………………………………………………..
*Fonte: sociedadecientifica

Startup australiana organiza corrida de carros voadores no deserto

Fórmula 1, caminhão, moto, bicicleta, rolimã… Tem corrida de tudo quanto é coisa, basta essa coisa se mexer. Mas nessa a startup australiana Alauda se superou: ela já está organizando o racha entre carros que ainda nem existem direito: os voadores.

A primeira corrida de quadricópteros pode acontecer em 2019, e no deserto. A empresa começou nesta semana a levantar dinheiro pelo Kickstarter para financiar a empreitada e transformar em realidade não apenas o evento, mas o carro voador em si. Por enquanto, a máquina é um protótipo em tamanho reduzido e ganhou o nome de Mark 1 Airspeeder.

Esse tipo de veículo é nada mais que um drone gigante, com decolagem e pouso na vertical. Por questões de segurança, logística e custo, especialistas têm avaliado esses carros como pouco viáveis em larga escala num futuro próximo, mas o CEO da Alauda, Matt Pearson, discorda. Para ele, colocar esses brinquedos para correr vai empurrar o desenvolvimento da tecnologia, assim como acontece em outras categorias de competição a motor.

O Alauda Mark 1 é um carro elétrico de baixa altitude com formato de veículo de corrida – um Fórmula 1 dos ares, no melhor estilo pod do Star Wars. Ele carrega apenas uma pessoa e chega à velocidade de 200 km/h.

Nos últimos dois anos, a companhia esteve trabalhando às escondidas, mas agora ela acredita que a novidade está madura o suficiente para os primeiros testes sérios. Um voo demonstrativo com piloto já está previsto para acontecer em janeiro de 2018.

Mais do que entrar no circo da velocidade, a Alauda quer chamar a atenção e vencer a corrida pelo mercado. Concorrentes como Airbus e Uber já estão trabalhando em veículos parecidos, mas não têm previsão de quando a tecnologia estará no dia a dia das pessoas.

……………………………………………………..
*Fonte: storia

Comparação do preço da gasolina no Brasil e no Mundo

Um estudo da Bloomberg confirma o que nós brasileiros já sabemos: o Brasil é uma das grandes potências em recursos naturais do mundo e mesmo assim os combustíveis aqui (gasolina, etanol, gás natural, diesel e agora o gás de cozinha), cada mês antingem valores records. E o pior é que o brasileiro aceita e paga calado.

Neste vídeo eu faço uma comparação do preço da gasolina em vários estados brasileiros e depois mostro que, em relação à renda, o brasileiro é um dos povos que paga mais caro pelo combustível. Porque isto acontece? impostos, incompetência e corrupção fazem com que o preço da gasolina no brasil seja um dos mais altos do mundo.

…………………………………………………
*Fonte: viagemdemoto

Quem era o Herbert Richers da abertura dos filmes e desenhos?

Quando o narrador diz “versão brasileira”, ele está anunciando que o programa foi dublado da língua original para o português. E Herbert Richers foi o cara que fundou, em 1950, o principal estúdio de produção e dublagem de filmes da América Latina.

Conversando com o próprio Walt Disney (Herbert era bem relacionado), ele teve a ideia de dublar filmes estrangeiros, já que naquela época os brasileiros tinham o estranho hábito de só dublarem a própria voz. Em seus 60 anos de funcionamento, o estúdio foi responsável pela produção de quase 80 filmes. E ainda lançou Renato Aragão no cinema. As versões brasileiras de novelas mexicanas como A Usurpadora, apesar de terem o anúncio (VERSÃO BRASILEIRA HERBERT RICHERS) proibido por Sílvio Santos, também foram obra do magnata, responsável pela tradução de aproximadamente 4.000 produtos – filmes, novelas, minisséries e desenhos.

O super-homem da dublagem chegou a deter, nos tempos áureos, entre 90% e 100% de tudo o que ia para os cinemas no país.

Mas o bordão está em extinção. Isso porque após a morte do dono em 2009 e a falência da empresa em 2012, o prédio foi – pasme – atingido por um incêndio que destruiu todos os originais. Ainda bem que antes do final derradeiro o senhor das dublagens ainda teve tempo de confiar ao jornalista Gonçalo Junior a sua biografia: Versão Brasileira Herbert Richers, lançada em maio deste ano.

E quem faz o anúncio de “versão brasileira Herbert Richers” antes de cada episódio do seu desenho favorito? Segundo Gonçalo, não é a mesma pessoa toda vez. Cada época teve o seu dublador, geralmente um diretor que assumia a função depois de uma longa carreira na empresa.

Curiosidade: na virada de ano de 1959, quando saiu para pescar na Baía de Guanabara, Herbert viu um avião caindo. Como era medalista do Campeonato Sulamericano de nado e treinava frequentemente com Roberto Marinho – sim, o dono da Rede Globo – se atirou na água e conseguiu resgatar oito pessoas, inclusive duas irmãs gêmeas.

 

 

 

 

…………………………………………………
*Fonte: superinteressante

6 maneiras de treinar seu cérebro para lidar com a ansiedade, mal que afeta 13 milhões de brasileiros

Sofrer com a ansiedade é mais comum do que muitos imaginam: somente no Brasil, cerca de 13,3 milhões de pessoas têm distúrbios de ansiedade, doença que atrapalha relacionamentos, desempenho profissional e o bem-estar físico e emocional do indivíduo.

No ano passado, 6,4% da população brasileira sofria com transtornos do tipo, bem mais que a média global, de 3,9%, de acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Mas o que é um transtorno de ansiedade e como diferenciá-lo da ansiedade natural? De acordo com Olivia Remes, doutoranda e pesquisadora do Departamento de Saúde Pública e Cuidados Primários da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, transtornos de ansiedade generalizada são caracterizados por sensações frequentes de medo, inquietação, e de “sentir-se no limite”.

“Quando uma pessoa tem um prazo apertado ou uma emergência no trabalho, ela se sente ansiosa e isso é normal. Mas há pessoas que se preocupam com cada ponto de suas vidas e não conseguem se livrar disso”, explica. “Pessoas com esse transtorno se preocupam muito mais frequentemente e com mais intensidade que aquelas com uma boa saúde mental.”

‘Abalou minha fé na humanidade’: foto de rinoceronte morto para roubo de chifre vence concurso
Como falar com as crianças sobre sexo e relacionamento: as dicas de psicólogos

Apesar dos distúrbios de ansiedade serem um problema sério, que muitas vezes demanda acompanhamento com especialistas, é possível desenvolver habilidades para lidar com o transtorno.

Abaixo, Remes compartilha diferentes estratégias para enfrentar o problema, com base em um estudo recente que liderou.

1. Monitore os seus pensamentos

Quem sofre com transtornos de ansiedade geralmente se vê tomado por pensamentos negativos que invadem a mente sem aviso. “Pessoas com transtornos de ansiedade são pessimistas. Elas acreditam que algo ruim está prestes a acontecer, mesmo que não haja nenhuma evidência que aponte para isso. Elas temem o futuro e acham muito difícil evitar esse tipo de preocupação”, descreve a pesquisadora.

Para contornar tal situação corriqueira aos ansiosos, Remes sugere não lutar contra os pensamentos negativos, mas escolher uma hora do dia como o “momento da preocupação” e se permitir um período limitado de tempo para ruminar. Como exemplo, Remes recomenda designar o horário das 16h para as preocupações e dar a si mesmo 20 minutos para preocupar-se.

“A literatura psicológica mostra que nossos pensamentos murcham se não os alimentamos com energia. Ao empurrar esses pensamentos para um outro momento do dia, quando você chegar no momento designado para a preocupação, eles talvez não pareçam tão confusos ou preocupantes como pareciam quando brotaram em sua mente pela primeira vez”, explica Remes.

2. Faça atividades físicas e pratique meditação

A famosa citação latina “uma mente sã num corpo são” não é gratuita. Saúde mental e física são codependentes, afirma Remes, e a prática de exercícios físicos é um aliado essencial para o bem-estar psíquico. Em conjunto com exercícios regulares, a meditação consciente também pode ajudar mentes ansiosas.

Um estudo da Universidade de Nova Jersey, publicado recentemente na revista Nature, mostrou que apenas duas sessões semanais de meditação e atividades físicas, de 30 minutos cada, reduziram drasticamente sintomas depressivos nos 52 participantes da pesquisa. Os pesquisadores concluíram que, ao cabo de oito semanas, além de auxiliar aqueles com depressão, a prática também poderia ser útil para aqueles que tendem a ruminar pensamentos, algo comum entre os ansiosos.

“Eu realmente fiquei muito surpresa com esse estudo, com o quanto essas mudanças de hábito podem ter um impacto tão grande”, afirma Remes. “Quando você se exercita, você diminui seus níveis de ansiedade e você tem mais energia. Você simplesmente se sente melhor como um todo”, aponta.

3. Encontre um propósito – nem que seja cuidar de seu animal de estimação

Em 1946, o médico austríaco Viktor Frankl publicou o livro Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração, no qual narrou suas experiências como prisioneiro em Auschwitz. Frankl também analisa a resposta psicológica de diferentes prisioneiros expostos ao campo de concentração nazista e argumenta que encontrar sentido no cotidiano é uma forma de lidar com a adversidade.
Image caption Estudo de Remes notou que pessoas com senso de coesão, de propósito e que enxergavam sentido em suas vidas, tinham menos distúrbios de ansiedade

De acordo com Remes, pessoas com distúrbios de ansiedade muitas vezes não conseguem identificar um propósito claro em suas vidas e nem sempre acreditam que vale a pena investir esforços para endereçar os desafios que encontram. Em seu estudo recente sobre níveis de ansiedade em mulheres que vivem em situações de privação econômica, Remes encontrou que aquelas que tinham senso de coesão, de propósito e que enxergavam sentido em suas vidas, tinham menos distúrbios de ansiedade, mesmo vivendo situações difíceis.

Para a pesquisadora, as lições de Frankl, mesmo extraídas de uma experiência dramática, são um mecanismo útil para aqueles que sofrem com ansiedade. “Nos relatos de Frankl, um traço de personalidade que diferenciava os prisioneiros eram aqueles que conseguiam manter um propósito mesmo naquela situação. Para um era saber que sua filha o aguardava, então ele precisava sobreviver para ela e isso lhe deu esperança. Para outra, era saber que ela tinha um trabalho importante para finalizar”, afirma.

No cotidiano, ter a sensação de que você é necessário para a vida de outra pessoa ou para uma atividade específica auxilia na construção de propósito. Tal senso de conexão pode ser traduzido em atividades de voluntariado, em cuidados com um familiar enfermo, na educação de uma criança ou mesmo nos cuidados com um animal de estimação, aponta Remes.

“Quando você coloca seu foco em algo além de você, esse ato te ajuda a dar um tempo de si mesmo”, explica. “Ter outras pessoas em mente é muito importante, porque torna um pouco menos penoso passar pelos momentos mais difíceis.”

4. Veja o lado bom da vida (por mais que isso seja desafiador)

Por mais clichê que possa soar, adotar uma atitude positiva perante à vida, com foco nos aspectos bons ao invés dos ruins, é essencial para lidar com a ansiedade. Para domar a mente e espantar os pensamentos negativos, Remes recomenda olhar para elementos que te dão prazer, ao invés daqueles que te irritam ou que te deprimem.

Embora controlar quais pensamentos te veem à mente seja impossível, é possível dialogar com eles uma vez que se fazem presente. Se, ao chegar em um ambiente, algo negativo te chamar a atenção, busque encontrar algo que seja positivo. Se no caminho para o trabalho o trânsito estiver estressante, busque ouvir uma música que te conforte – ou mesmo mude a maneira de se deslocar ao trabalho. Essa atitude positiva perante os pequenos momentos da vida tendem a reverberar também no bem estar emocional do indivíduo, aponta Remes.

Nas situações em que pensamentos negativos intensos invadem a mente, focar em outras atividades do corpo, como a respiração, também é uma forma de amenizar seus efeitos. “Reconheça que esses pensamentos catastróficos que vêm à mente, que te fazem se sentir péssimo, são apenas eventos mentais que irão passar”, diz Remes.

5. Viva no presente

A prática de ruminar pensamentos e ser constantemente tragado por memórias do passado tende a alimentar a ansiedade. Preocupar-se com o que pode ocorrer no futuro também pode deixar o indivíduo mais ansioso. Embora muitas vezes esses pensamentos sejam difíceis de controlar, Remes aponta que é importante manter um foco constante no que você está fazendo agora.

“Estudos mostram que, quando nós vivemos no passado, revivendo memórias antigas, essa atitude nos deixa depressivos e menos felizes. Na verdade, ficamos mais felizes quando vivemos no momento presente. Se você está trabalhando, simplesmente foque naquilo que você está fazendo. Simplesmente viva no presente”, diz.

6. Busque terapia

Nem sempre é possível lidar sozinho com distúrbios de ansiedade, e a terapia é uma grande aliada para melhorar a saúde mental. Em casos assim, uma possibilidade é a terapia cognitivo-comportamental, cujo princípio básico é buscar uma postura construtiva do paciente.

Nesse sistema de psicoterapia, a hipótese central aponta que a forma como entendemos eventos internos e externos – e não o evento em si – é que determina nossas respostas emocionais e comportamentais.

De acordo com Remes, a solução é preferencial ao consumo de medicamentos, quando for possível optar. “Em muitos casos, medicamentos não funcionam, ou funcionam apenas no curto prazo e os problemas retornam depois de um tempo”, aponta. Para a pesquisadora, trabalhar para desenvolver habilidades de enfrentamento à ansiedade e buscar terapia são as melhores formas de lidar com o transtorno.

…………………………………………………………….
*Fonte: bbc

Tire o tablet do seu filho e dê a ele um instrumento musical!

Os pais têm cada vez menos tempo para os filhos, devido a rotina de trabalho muitos pais tentam calar os filhos ou mantê-los sossegados, dando-lhes um tablet ou um smartphone etc.

Porém essa atitude causa muitos prejuízos aos filhos.

Segundo Álvaro Bilbao, neuropsicólogo espanhol, autor do livro “O cérebro da criança explicado aos pais”, diz que, se querem ter filhos mais inteligentes, têm que lhes tirar o iPad e dar-lhes um instrumento musical nas mãos.

De acordo com Álvaro, que foi citado em uma edição online do jornal El País, as aulas de música estimulam a capacidade de raciocínio das crianças mais do que a tecnologia.

Um estudo publicado na revista Psiquiatria Molecular, 50% da inteligência é determinada pelos genes mas os restantes 50% dependem dos estímulos que a criança recebe.

“Sem os pais, o potencial intelectual da criança não se desenvolve”, assegura Álvaro Bilbao.

A chave do desenvolvimento potencial do cérebro da criança está na sua relação com os pais.

Mesmo que a genética tenha um peso importante, sem essa relação com os pais o desenvolvimento não se materializará, assegura o especialista.

“Uma criança pode ter potencial genético para atingir 1,90 metros mas, se os pais não o alimentarem bem, nunca chegará lá”, exemplifica o neuropsicólogo, ele garante que os seis primeiros anos de vida são fundamentais para o processo.

Além de reforçar condutas positivas e de brincar mais com os filhos, no chão, se for caso, como recomenda Álvaro Bilbao, os pais devem promover a socialização em detrimento do isolamento, o que implica desligar a televisão à mesa, além de incentivar a criança a fazer um esporte e a experimentar novas atividades.

“A criança deve sentir que tem pais que se preocupam com ela”, defende também o pediatra Maximino Fernández Pérez.

As últimas investigações internacionais sugerem:

Estudos e os especialistas defendem algumas estratégias:

Estudar música

Durante um ano, crianças de 6 anos foram divididas em três grupos que estudaram, separadamente, aulas de canto, piano e expressão dramática.

Segundo o estudo da Universidade de Toronto, publicado na revista Psychological Sciencem, as crianças que aprenderam música revelaram padrões de inteligência maiores no final.

Não ver televisão

Há uns anos, estava na moda os filmes de desenhos animados em DVD que aliavam figuras desenhadas à música clássica de compositores como Mozart e Beethoven.

Muitos especialistas afirmavam que estimulavam a inteligência de bebês e crianças, uma teoria que muitos estudos internacionais desmentiram. A Associação Americana de Pediatria diz mesmo que as crianças com menos de dois anos não devem ver televisão.

Evitar programa de desenvolvimento cerebral

Na última década, surgiram muitos jogos em tablet, celulares e computadores que estimulam a memória e treinam o cérebro.

A verdade é que não existe qualquer base científica que as comprove.

Ver filmes em outros idiomas

As crianças que veem filmes em outro idioma tendem a adaptar-se mais facilmente a outros vocábulos e a outros sons.

De acordo com um estudo europeu sobre competência linguística, levado a cabo pelo Ministerio de Educación, Cultura y Deporte de Espanha, os espanhóis têm dificuldade em compreender e em falar inglês porque, ao contrário dos portugueses, veem tudo dobrado.

Ler a duas vozes antes de ir para a cama

As histórias que os pais leem aos filhos para os adormecer devem ser lidas você e a criança.

O pai lê uma página e a criança lê a seguinte e por aí afora… Um estudo realizado no Canadá garante que este método permite melhorar a capacidade de aprendizagem da criança.

…………………………………………………………………
*Fonte: bmm

Os dois lados da Muralha

A China possui atualmente uma das economias que mais crescem no mundo, embora tenha apresentado uma desaceleração nos últimos anos, a média de crescimento econômico deste país é de quase 7,5% nos últimos anos.

A China possui uma taxa superior à das maiores economias mundiais, representando atualmente cerca de 15% da economia mundial, onde o Produto Interno Bruto (PIB) atingiu, em valores correntes, US$ 10,46 trilhões ou 72,2 trilhões de iuanes em 2016 (com crescimento de 6,7%), fazendo deste país a segunda maior economia do mundo (fica apenas atrás dos Estados Unidos).

Por outro lado, a China vem enfrentando dificuldades neste caminho, dentre elas grande parte da população ainda vive em situação de pobreza, principalmente no campo, e a utilização em larga escala de combustíveis fósseis tem gerado um grande nível de poluição do ar e seus rios vêm apresentando altos índices de poluição.

Mesmo assim, o crescimento chinês apresenta um ritmo alucinante, podendo transformar este país, nas próximas décadas, na maior economia do mundo. Porém, o que este crescimento “poderá” representar de impactos para o mundo caso algumas das hipóteses abaixo se torne realidade?

Somente nas últimas três décadas, um terço dos recursos naturais da terra foi consumido e pelas previsões da Organização das Nações Unidas, a população mundial vai crescer 53% e chegará a 11,2 bilhões em 2100. Isso chega a ser assustador! Temos recursos para tantos? Seremos capazes de criar novos modelos que deem a sustentabilidade necessária para acomodarmos tantos seres humanos?

De acordo com Worldwatch Institute e a Universidade Livre da Mata Atlântica, trago alguns números sobre os possíveis impactos globais somente com o crescimento Chinês. Vamos ver?

Com quase 1,3 bilhões de pessoas, a China está distendendo a história, demonstrando o que acontece quando um grande número de pessoas pobres se torna repentinamente mais abastada.

À medida que a renda cresceu na China, também o consumo aumentou. Eles já alcançaram os americanos no consumo per capita de carne suína e agora concentram suas energias em aumentar a produção da carne bovina.

Para suprir esta nova demanda de consumo per capita da carne bovina aos níveis do americano médio serão necessários 49 milhões de toneladas adicionais de produção.

Se tudo isto fosse produzido com gado confinado, no estilo americano, seriam necessárias 343 milhões de toneladas anuais de grãos, um volume igual a toda a colheita dos Estados Unidos.

Hipoteticamente, caso a China, com uma população muitas vezes superior à do Japão, siga o mesmo caminho de buscar sua proteína animal pelo pescado, precisará de 100 milhões de toneladas de produtos do mar, ou seja, todo o pescado mundial para suprir esta demanda.

Em 1994, o governo chinês decidiu que o país desenvolveria um sistema de transportes centrado no automóvel e que a indústria automotiva seria um dos impulsionadores do futuro crescimento econômico.

Imaginem se isso se concretizasse e cada chinês possuísse um ou dois carros em cada garagem e consumisse petróleo no ritmo dos Estados Unidos! A China necessitaria de mais de 80 milhões de barris de petróleo ao dia, ligeiramente superior aos 74 milhões de barris diários que o mundo produz atualmente.

Em consequência, a fim de oferecer as vias e estacionamentos necessários, precisaria também pavimentar cerca de 16 milhões de hectares de terra, uma área equivalente à metade dos 31 milhões de hectares de terra atualmente, produzindo a safra anual de 132 milhões de toneladas de arroz, seu alimento básico.

Caso o consumo anual de papel na China, de 35 quilos per capita, aumentasse para o nível dos Estados Unidos, de 342 quilos, a China necessitaria de mais papel do que o mundo produz atualmente.

Estamos aprendendo que o modelo de desenvolvimento industrial do ocidente não é viável para a China, simplesmente porque não há recursos suficientes para tal.

Os recursos globais de terra e água não poderão atender às necessidades crescentes de grãos da China, caso continue seguindo o caminho atual de desenvolvimento econômico.

Como também a economia energética baseada em combustíveis fósseis não irá fornecer a energia necessária, simplesmente porque a produção mundial de petróleo não está projetada a crescer muito acima dos níveis atuais nos anos futuros.

Além da disponibilidade de petróleo, se as emissões per capita de carbono na China alcançarem o nível dos Estados Unidos, só isso duplicará as emissões globais, acelerando o aumento da concentração atmosférica do CO2.

A concepção de uma estratégia de desenvolvimento é um gigantesco desafio para a China em vista da sua densidade populacional e a adoção do modelo econômico ocidental para a China está sendo contestada internamente.

Se a economia do descarte, baseada no combustível fóssil e centrada no automóvel, não funcionar na China, então não funcionará para 01 bilhão de pessoas na Índia ou para outros 02 bilhões de pessoas no mundo em desenvolvimento.

Estamos num impasse global! A China está demonstrando que o mundo não poderá continuar mais seguindo o caminho econômico atual. Está enfatizando a urgência para reestruturar a economia global, construindo uma nova economia, uma economia projetada para o planeta Terra.

*Por Ricardo Cancela

 

 

 

 

……………………………………………………..
*Fonte: storia

7 mitos e verdades sobre o vegetarianismo

De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira, toda semana 2 mil pessoas se tornam vegetarianas. Seja em busca de um estilo de vida mais saudável ou por questões éticas, mais pessoas estão buscando informações e notícias sobre a vida vegetariana.

Para te ajudar a tirar suas dúvidas e saber como tirar o melhor proveito de frutas, verduras e legumes, a Pede Sabores, delivery de frutas, verdura e legumes de São Paulo, assume o tema Alimentação Saudável no Storia. Toda semana, você vai conferir novos textos com dicas sobre estilo de vida vegetariano, alimentos saudáveis e receitas fáceis e deliciosas. Para começar, uma lista sobre mitos e verdades que envolvem a alimentação de vegetarianos.

1. Vegetariano é só quem não come carne

Parcialmente verdade. De maneira geral, vegetariano é aquele que não come carne nem nenhum alimento derivado de origem animal (incluindo leite e ovos). Mas vale a pena lembrar que existem algumas classificações internas que se referem às variadas dietas que estão enquadradas dentro do vegetarianismo.

O ovolactovegetariano, por exemplo, mantém ovos e leite e derivados na alimentação. No lactovegetarianismo, a pessoa consome alimentos de origem vegetal e leite e seus derivados. No ovovegetarianismo, é o ovo que permanece na alimentação. Já o vegetarianismo restrito mantém apenas alimentos de origem vegetal no cardápio.

Existe também o veganismo que, além de adotar o vegetarianismo restrito, também optam por não utilizar outros produtos de origem animal, como cosméticos que incluam substâncias derivadas ou tenham sido testados em animais, roupas e acessórios, produtos de higiene e limpeza, entre outros.

2. Vegetariano não come a quantidade certa de proteína

Mito. Seja vegetariano ou onívoro, ingerir a quantidade certa de nutrientes como proteínas, vitaminas ou sais minerais tem mais a ver com uma alimentação planejada e equilibrada do que com a fonte do nutriente em si.

É verdade que a proteína de origem animal contém todos aminoácidos necessários para o corpo humano e que verduras e legumes têm quantidades limitadas. Mas isso pode ser resolvido de maneira satisfatória com a combinação de vários grupos alimentares de origem vegetal.

Combinar oleaginosas, leguminosas, cereais e verduras em um cardápio diário, na quantidade certa, já vai suprir suas necessidades diárias de proteína. Para isso, procure um profissional da saúde, como nutricionista ou nutrólogo, para montar o seu cardápio.

3. Vegetarianos possuem mais chance de ter anemia

Mito. O raciocínio é o mesmo das proteínas: é tudo uma questão de planejamento alimentar bem feito e a combinação de vários alimentos ricos em ferro. Existe uma diferença entre o ferro de origem animal e o ferro de origem animal. O de origem animal possui um agrupamento chamado de “heme” que já está pronto para ser absorvido pelo organismo.

Já o ferro de origem vegetal, que não possui esse agrupamento, precisa ser transformado no organismo antes de ser absorvido. Isso pode ser equilibrado com uma ingestão adequada de vitamina C, por exemplo, que aumenta em 3 a 4 vezes a absorção do ferro. Alimentos ricos em fibras, betacaroteno e vitamina A também estimulam a transformação do ferro vegetal no grupamento heme.

4. Todos os vegetarianos precisam fazer suplementação de vitaminas

Parcialmente verdade. Dois fatores devem ser considerados aqui: a fase da vida do vegetariano e o tipo de vegetarianismo adotado. Uma das principais vitaminas que precisam ser suplementadas é a vitamina B12, indispensável para mulheres grávidas, lactantes ou crianças.

Pessoas que não fazem uso regular de ovos, leite e laticínios também podem fazer suplementação de vitamina B12 de maneira preventiva. Mas atenção: não faça suplementação sozinho, só com acompanhamento médico.

Quanto ao cálcio e ao ferro, com um planejamento alimentar bem feito e uma alimentação alimentar adequada, os vegetarianos conseguem suprir suas necessidades diárias desses nutrientes sem precisar de suplementação artificial.

5. Vegetarianos não engordam

Mito. O simples fato de ter uma alimentação baseada em alimentos de origem vegetal não garante uma alimentação saudável. Se a pessoa corta carnes, mas continua consumindo frituras, massas e alimentos ricos em açúcares refinados como refrigerantes e sucos industrializados, ela vai engordar. Sem falar nos riscos para a saúde, como colesterol, pressão alta, entre outros.

Quando a pessoa corta as carnes, tende a compensar com a ingestão maior de carboidratos. É aí que entra o nutricionista para promover um cardápio mais equilibrado, com uma inserção de carboidratos de baixo índice glicêmico, que proporcionam a saciedade, são menos calóricos e possuem mais fibras.

6. Vegetarianos não podem praticar exercícios físicos de alta intensidade

Mito. Existem vários atletas famosos de alto rendimento que seguem uma dieta vegetariana e conseguem resultados acima da média no esporte. O mesmo acontece com fisiculturistas, que precisam de uma alimentação rica em proteínas e carboidratos.

Alguns atletas de renome internacional que são vegetarianos (ou veganos): Serena Williams, a atual número 1 do tênis mundial; Nate Diaz, lutador de MMA no UFC; Fiona Oakes, campeã internacional de maratona e Patrick J. Neshek, um dos jogadores de beisebol mais famosos dos Estados Unidos.

Tudo depende de como o cardápio é planejado e se precisa ou não de suplementação. O acompanhamento de um profissional da nutrição vai garantir uma alimentação balanceada, com a quantidade certa de todos os grupos vegetais, como verduras, legumes, frutas, sementes e oleaginosas.

7. Vegetarianos têm menos chances de desenvolver problemas cardíacos

Parcialmente verdade. Uma alimentação vegetariana pura (sem o consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras saturadas, industrializados ou refinados) ajuda a diminuir as chances do desenvolvimento de doenças crônicas como a obesidade, alguns tipos de diabetes e a hipertensão. Manter uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes diminui os níveis de colesterol ruim do sangue, diminui o acúmulo de gordura visceral e o entupimento das veias e artérias.

Vale lembrar: mesmo quem não é vegetariano precisa comer uma boa quantidade de frutas, verduras, legumes e outros alimentos naturais para suprir as necessidades diárias certas de nutrientes.

…………………………………………………………………
*Fonte: storia

A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma

O resfriado acomete quando o corpo não chora. A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições. O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.

O diabetes invade quando a solidão dói. O corpo engorda quando a insatisfação aperta. A dor de cabeça oprime quando as duvidas aumentam. O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar. A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.

O peito aperta quando o orgulho escraviza. A pressão sobe quando o medo aprisiona. As neuroses afastam as pessoas de nós quando a “criança interna” emudece. A sensação de febre surge quando as autodefesas da negatividade detonam as fronteiras da imunidade. Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra. O câncer mata quando não se é capaz de perdoar, quando não se é perdoado e/ou quando se cansa de viver.

E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?

A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção. O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos. Existem semáforos chamados Amigos. Lanternas de alerta de chamadas Família. Um kit de Primeiros Socorros chamado Decisão. Um potente motor chamado Boa Vontade Para Consigo Mesmo. Um bom seguro chamado Determinação.

Um combustível inesgotável chamado Paciência. E um maravilhoso Condutor chamado Poder Superior: evoque-o.

*Autor desconhecido.

 

 

 

…………………………………………………
*Fonte: portalraizes

Atenção: Acabaram de descobrir que o Facebook salva suas ligações telefônicas e SMSs

O Facebook está vivendo uma das maiores crises de credibilidade de sua história. Ao lado da empresa Cambridge Analytica, a rede social está no centro de uma polêmica sobre violação do direito de privacidade de seus usuários e que já rendeu perdas de 50 bilhões de dólares, mais de R$ 165 bi.

A denúncia ganha agora novos capítulos, apontando uma das formas usadas pela empresa para coletar dados dos usuários, o arquivamento de mensagens de texto, registro de duração de ligações e até o registro de telefonemas não atendidos.

Com escândalos, Mark Zuckerberg já perdeu mais de R$ 160 bi

“Você gostaria de fazer o download de uma cópia de suas informações do Facebook?”

De acordo com o jornal britânico The Guardian, a partir desta pergunta foi possível descobrir a tática usada pelo Facebook de coletar informações confidenciais. Ao oferecer a opção desativar em detrimento de excluir a conta, a rede social acomoda os dados de cada usuário em uma espécie de “lixeira”, que foi descoberta a partir do download do conteúdo privado.

No Twitter, o usuário Dylan McKay disse que entre outubro de 2016 e julho de 2017, o Facebook detinha os metadados de todas as ligações feitas em seu telefone celular. Incluindo datas e duração de cada chamada. Outras pessoas também reportaram violações de sigilo, como informações sobre dia do aniversário, contatos na agenda telefônica e por aí vai.

Em comunicado, um porta-voz do Facebook justificou a coleta das informações. “A parte mais importante dos aplicativos e serviços facilitam as conexões e a busca por pessoas interessantes. Portanto, na primeira vez que você faz o login pelo celular em um aplicativo de mensagens ou uma rede social, é comum que haja o upload dos seus contatos pessoas”, disse Harry Davies, que apontou ainda que o armazenamento de dados pelo Facebook é opcional.

“As pessoas são alertadas se querem dar permissão ou não para o upload dos dados de seus telefones. É possível deletar ou visualizar as informações a qualquer momento, com o auxílio da ferramenta Download You Information Tool”, encerrou.

Os fatos comprovam o grande valor de informações vistas como banais. No atual cenário de guerra virtual, o gosto, a posição política, os hábitos e cultura das pessoas decidem eleições e rendem grandes quantias para consultoras.

O exemplo mais emblemático é o da Cambridge Analytica, acusada de utilizar dados confidenciais para aplicar em eventos como a eleição presidencial nos Estados Unidos e o Brexit, que optou por desligar o Reino Unido da União Europeia. Steve Bannon, ex-estrategista-chefe do do governo Trump, trabalhou como executivo na empresa.

Investigações apontam o uso de dados confidenciais nas eleições dos EUA

A possível fragilidade do Facebook no controle de informações vem criando uma onda crescente de exclusão de perfis, como a campanha #deletefacebook, que dá corpo para o debate sobre a continuidade da relevância da rede social, especialmente em tempos onde a disseminação de boatos se torna uma ferramenta cada vez mais expressiva.

Em tempo, até um dos fundadores do WhatsApp, Brian Acton, entrou na campanha #deletefacebook em sua conta no Twitter. “É hora deletar o Facebook”. A postagem gerou mais de 35 mil curtidas.

…………………………………………………………..
*Fonte: hypeness

Estudo associa consumo de cerveja e café à longevidade

Beber cerveja ou café pode te ajudar a passar dos 90 anos, aponta estudo que acompanhou a rotina e o estilo de vida de mais de 1.800 pacientes
Todo mundo sabe que levar um estilo de vida saudável e fazer exercícios regularmente é a chave para a longevidade. Agora, um novo estudo sugere que o café e o álcool merecem também atenção. De acordo com o UCI MIND (UC Irvine Institute for Memory Impairments and Neurological Disorders), tomar estas duas bebidas moderadamente pode te ajudar a viver mais e melhor.

O estudo chamado “The 90+” acompanhou o estilo de vida e hábitos alimentares de mais de 1.800 pessoas. A cada seis meses, os participantes eram submetidos a diversos testes neurológicos, cognitivos e físicos. Os pesquisadores coletaram informações sobre suas dietas, estilos de vida, histórico médico, entre outras informações sobre saúde.

A descoberta surpreendeu a todos: justamente dois dos hábitos que ajudaram os pacientes a viverem mais foram beber álcool e café todos os dias. Aqueles que tinham o hábito de beber quantidade moderada de álcool ou café diariamente provavelmente viveriam mais do que aqueles que se abstiveram.

Os participantes que bebiam diariamente dois copos de cerveja ou duas taças de vinho eram 18% mais propensos a viverem mais, enquanto os amantes de café tinham 10% mais probabilidade de viverem mais tempo do que aqueles que não tinham o mesmo hábito.

“Eu não tenho uma explicação exata para isso“, admitiu a doutora Claudia Kawas, coordenadora do estudo. “Mas eu realmente acredito que beber moderadamente ajuda a longevidade.”

A pesquisa, porém, não é uma carta branca para você aumentar seu consumo de álcool ou café.

“Muitos dos estudos relacionados ao consumo de álcool, incluindo o The 90+ Study, são observacionais, então nós só podemos dizer que alguma substância na bebida está associada à saúde e longevidade. Me deixa curiosa saber se os consumidores de álcool e café compartilham outros importantes hábitos e estilos de vida que poderiam ser a verdadeira chave para a longevidade“, ponderou a nutricionista americana Jennifer Markowitz, ao The Daily Meal.

Para especialistas, na dúvida, ainda a melhor sugestão é a moderação.

 

 

 

 

…………………………………………………..
*Fonte: pragmatismopolitico

As aves incendiárias que usam o fogo para facilitar a caça

A Austrália é o lar de inúmeras espécies perigosas: de crocodilos a cobras, de aranhas a águas-vivas venenosas.

Três animais aparentemente inofensivos foram acrescentados à lista, de acordo com um novo estudo baseado em diversas observações.

São três espécies de aves de rapina, descritas pelos pesquisadores como “incendiárias”.

Segundo Bob Gosford, ornitologista do Central Land Council (um dos conselhos comunitários que se organizam por região no país, neste caso no Território do Norte) e coautor da pesquisa, as aves são o milhafre-preto (Milvus migrans), o milhafre-assobiador (Haliastur sphenurus) e o falcão-marrom (Falco berigora), que ampliam deliberadamente os incêndios florestais para forçar os animais que moram na floresta a fugir das chamas e, assim, caçá-los com mais facilidade.

Para fazer isso, as aves pegam um galho em chamas com o bico ou com as garras e o deixam cair em uma área ainda não atingida pelo fogo.

Além disso, dizem os pesquisadores, as aves podem ter aprendido a controlar e a usar o fogo a seu favor antes mesmo dos humanos.

O estudo foi publicado na revista científica Journal of Ethnobiology.

Forte evidência

A crença de que essas aves têm a capacidade de espalhar as chamas vem de longa data – e inclusive celebrada em antigas danças cerimoniais nas culturas aborígenes do país.
Image caption Com seu bico ou garras, o falcão-marrom carrega galho em chamas e o deixa em cair área da floresta ainda não atingida pelo fogo para facilitar sua caça

No entanto, quando Gosford publicou o resultado de suas observações iniciais em 2016, muitos especialistas em comportamento de aves reagiram com ceticismo.

Agora, com 20 novos depoimentos, Gosford conseguiu convencer os cientistas que chegaram a questionar as evidências.

Um desses depoimentos é de Dick Eussen, fotojornalista, ex-bombeiro e coautor do estudo, que observou esse comportamento ao tentar apagar um incêndio no Território do Norte, nos anos 1980.

Um dos episódios mais recentes ocorreu em março de 2017, na mesma região, mas os milhafres não alcançaram seu objetivo.

Aves antes dos humanos

Ainda não está claro o quão comum é esse comportamento, mas, de acordo com as evidências, essas aves só recorrem a essa metodologia de caça se o incêndio atingiu seu limite de expansão e ameaça se apagar.

Para saber a frequência e se esta técnica é exclusiva dessas espécies, tanto na Austrália como no resto do mundo, os pesquisadores planejam fazer experimentos em condições controladas.

Outro ângulo interessante que surge das observações é que é bem possível que as aves de rapina tenham aprendido a controlar incêndios antes de nós.

A evidência confirmada mais antiga do uso do fogo por humanos é de 400 mil anos atrás.

No entanto, aves de rapina estiveram no planeta milhões de anos antes, então elas podem ter descoberto antes dos humanos, disse Alex Kacelnik, o especialista em inteligência de pássaros da Universidade de Oxford, no Reino Unido, à revista New Scientist.

……………………………………………………………….
*Fonte: bbc-brasil

Verdade e Integridade: Não existem pela metade!

“Não é a força, mas a constância dos bons sentimentos que conduz os homens à felicidade”.

(Friedrich Nietzsche).

Homens e mulheres têm uma enorme predisposição em subornar a realidade para garantir seus desejos egoístas sem admitir os julgamentos ou censuras. O extrapolar desse comportamento desencadeia o mau-caráter. No amor, não se encontra meios viáveis para aqueles que querem manter um relacionamento estável, porém não querem abrir mão da liberdade e/ou libertinagem — o que quase sempre acaba em destruição. Melhor dizendo, à tragédia no relacionamento.

O psicanalista inglês Wilfred R. Bion (1897-1979) questionou se era possível analisar um mentiroso – um dilema que diz respeito também ao amor: é possível relacionar-se com uma pessoa que desliza nos enredos sinuosos da mentira? Então, se nós, psicanalistas temos como objetivo “desvendar os enigmas da conduta humana”, como fazê-lo se o sujeito foge às escondidas na dissimulação. Não raro, uma similar reflexão se aplica ao relacionamento, que cria laços e nos atravessa pelos afetos, mas em alguns casos as pessoas só se permitem ser atravessadas pelos afetos quando vivenciam o trágico. (Além do sexo que pode se tornar vazio e invasivo). Dessa maneira é conturbado confiar um no outro, pois a reciprocidade é contraditória com a prática da dissimulação. Por isso, cabe questionar-se: o amor a uma pessoa dissimulada ou entre duas pessoas compactuando da mesma realidade é realmente amor ou hipocrisia? Na mentira, procura-se estabelecer um acordo, porém sem êxito, entre amor e liberdade.

É confuso conviver com uma pessoa dissimulada quando se tem consciência disso e quando não se tem também. Assim, a dúvida é constante, se o parceiro fala a verdade, desconfia-se até nos momentos que fala a verdade, pois uma vez detectado como mentiroso não consegue passar confiança. A relação torna-se um transtorno, quase uma tortura. Já quando não se tem consciência de que o companheiro é dissimulado-mentiroso, a pessoa é tomada por uma sensação complexa de estar sendo manipulada e iludida.

É comum a pessoa se entristecer, podendo entrar em depressão e adoecer, logo, este é o preço inconsciente que paga por não admitir sua dúvida ou não verificar e confrontar sua desconfiança. O assunto é ainda mais complexo, pois nem sempre quem mente o faz apenas para o outro, mas também para si mesmo.

A noção de má-fé pela ideia de uma mentira sem mentiroso permite entender que uma pessoa pode ser alvo da própria mentira inconscientemente, sendo, ao mesmo tempo, o enganador e o enganado. Quem será realmente enganado: o traidor e/ou o traído? Mas não dá para isentar-se do “delito” ainda que o equivoco seja de origem inconsciente: somos responsáveis pelos nossos atos como um todo. Vale ressaltar a máxima: não adianta ser fiel, é preciso parecer fiel. Qual será a necessidade que o mentiroso tem de se repetir nas suas mentiras. É questionável.

A mentira é o que os seres humanos dissimulam para valer-se do desejo egoísta e cômodo de ficar sãos e salvos, ou seja, dissimular e seduzir o outro, especialmente na amizade e no amor. Essa tendência começa durante a infância e pode perdurar na vida adulta, desencadear, no limite, o mau-caráter. Como escreveu Guimarães Rosa: viver é perigoso.

……………………………………………………….
*Fonte: osegredo

Dormir pouco pode causar doenças mentais

Quem tem dificuldade para pegar no sono sabe que os efeitos de uma noite mal dormida não acabam quando o dia começa. Olheiras, fadiga, olhos secos, dificuldade de se concentrar e irritação são algumas das respostas do corpo à privação de sono. A qualidade do sono impacta diretamente nossa saúde física e mental. A insônia, inclusive, é um sintoma comum em pacientes que sofrem de ansiedade, depressão, esquizofrenia, bipolaridade e distúrbios de atenção.

A psicóloga Jo Abbott, da Universidade Tecnológica de Swinburne, na Austrália, defende que a insônia e doenças mentais estão bastante interligadas — elas se retroalimentam. Segundo ela, cerca de 50% dos adultos com insônia têm problemas mentais e 90% das pessoas com depressão sofrem para dormir. O pior dessa relação insônia versus depressão é que quem não dorme bem responde pior ao tratamento da depressão e está mais propenso a ter picos de tristeza.

Dormir pouco pode ferrar seu cérebro

O professor Peter Franzen, da Universidade de Medicina de Pittsburgh, nos Estados Unidos, concorda com Abbott sobre a correlação entre insônia e doenças mentais. Em seu estudo sobre como a insônia pode causar disfunções no circuito cerebral responsável pelas emoções, ele explica que o sono e os sentimentos são o produto de interações entre várias regiões comuns do cérebro, hormônios e neurotransmissores. Então, anormalidades em alguns deles causam impactos nos outros. Inclusive, há evidências de que doenças mentais podem surgir de problemas dentro de circuitos cerebrais sobrepostos por circuitos que regulam nosso relógio biológico e o sono.

A culpa da sua tristeza são as poucas horas de sono

Pense nas principais reações de uma criança cansada: choro, birra e manha. Com você, acontece o mesmo, a diferença é que não pega bem se você se atirar no chão.

Um outro estudo conduzido pelo professor Franzen com pupilografia (a pupila é um bom indicador para perceber se o cérebro está ou não processando informações afetivas e cognitivas) comprovou que a privação de sono altera nossas reações emocionais.

Adultos saudáveis foram expostos a imagens positivas, negativas e neutras. Metade deles tinha dormido bem, a outra metade não havia pregado o olho a noite toda — as pupilas desse último grupo ficaram muito maiores ao olhar imagens negativas do que quando viram os outros tipos de imagens.

Ou seja, quando dormimos pouco exageramos nas nossas reações frente a situações negativas. Além de mais mal-humorados, a falta de sono pode nos deixa mais vulneráveis a ter doenças psiquiátricas desencadeadas por distúrbios do sono.

 

 

 

 

…………………………………………………..
*Fonte: superabril

Antes de morrer, Stephen Hawking revelou notícias terríveis sobre a Terra

As previsões sobre o fim do mundo vêm de todas as partes: astecas, Testemunhas de Jeová e fanáticos do apocalipse de vários cantos do mundo. Com tantas previsões chegando a todo instante fica difícil levar tudo isso a sério. Alguém se lembra do 21 de dezembro de 2012? Esse foi o dia em que foi finalizado o calendário maia. Neste dia gastei toneladas de dinheiro em comida, vi meu filme favorito e disse a todos os meus amigos e familiares o quanto os amava, por precaução. Para minha surpresa, acordei na manhã do dia 22 de dezembro com uma torre de pratos sujos e a conta bancária vazia…

Meu primeiro erro foi colocar tanta fé em uma civilização antiga, mas é melhor prevenir do que se arrepender. No entanto, a pergunta continua sendo: se alguém lhe diz que o mundo vai acabar, você acredita? Eu acho que tudo depende da credibilidade da fonte. Mas desde que Stephen Hawking entrou na conversa, talvez seja o momento de começar a entrar em pânico. O físico teórico, cosmólogo e gênio, antes de sua morte, determinou uma data de expiração do nosso amado planeta Terra.

Nossos dias na terra estão contados, de acordo com o professor Stephen Hawking.

O físico de fama mundial emitiu previamente algumas advertências para o mundo alegando que os robôs poderão pôr fim à humanidade e que abandonar a Terra é a nossa única esperança. Agora, em um novo livro, intitulado “Como fazer uma nave espacial”, o físico alertou que o nosso planeta está se tornando um lugar perigoso devido às inúmeras ameaças de guerra e doenças.

O livro, escrito pelo jornalista Julian Guthrie, contém um posposição do físico. O professor descreveu seus pontos de vista sobre o futuro das viagens espaciais.

“Eu acho que a vida na Terra corre um risco cada vez maior de ser destruída por uma catástrofe, como uma súbita guerra nuclear, um vírus geneticamente modificado ou outros perigos”, disse ele. “Acredito que a raça humana não terá um futuro se não formos para o espaço”. Hawking fez alguns comentários semelhantes no início do ano passado, durante a gravação das conferências anuais de 7 de Janeiro.

Quando perguntado sobre como seria o final do mundo, supostamente, Hawking disse que cada vez mais a maioria das ameaças que a humanidade enfrenta vem do progresso da tecnologia. O cientista, aos 74 anos, disse que as ameaças incluem uma guerra nuclear, um aquecimento global catastrófico e alguns vírus geneticamente modificados.

“Não vamos parar de progredir, mas devemos reconhecer os perigos e controlá-los”. Para evitar todas estas ameaças, a humanidade teria que colonizar outros planetas, que, segundo suas palavras, levaria mais de um século.

“Não vamos estabelecer colônias autossustentáveis no espaço, pelo menos até os próximos cem anos, por isso temos que ter muito cuidado durante este período”, disse Hawking. As pesquisas sobre o envio de seres humanos ao espaço ainda são bastante intensas. Recentemente, o Senado dos Estados Unidos apresentou um projeto de lei bipartidário que autoriza um novo orçamento de 19,5 milhões de dólares para que a NASA envie uma tripulação ao planeta vermelho, Marte, algo que poderia ocorrer durante os próximos 25 anos.

O professor Hawking também já explicou anteriormente o risco de que a inteligência artificial seja poderosa o suficiente para causar a queda da humanidade. Em julho, o professor e o fundador da marca Tesla, Elon Musk, levaram até 1.000 especialistas em robótica, uma carta aberta, alertando que “armas autônomas se transformarão nos Kalashnikov de amanhã. A sobrevivência da civilização humana será muito mais provável se formos uma espécie multi planetária, em comparação a uma espécie de um único planeta”.

“Se formos uma espécie de um único planeta, acontecerá algum evento de extinção de maneira progressiva”, disse Musk. Sua empresa SpaceX está trabalhando para enviar seres humanos ao espaço. Recentemente, a empresa, em dados concretos, lançou um dos seus novos motores de transporte interplanetário, o “Raptor”, e irá utilizá-lo provavelmente para levar astronautas a Marte. O motor do foguete é três vezes mais potente do que os modelos Falcon 9. Em última análise, será utilizado para lançar a nave espacial tripulada para fora do nosso planeta.

Quando o empresário milionário, Elon Musk, fundou a SpaceX, em 2002, colocou o seu olhar no objetivo final de colonizar Marte. Mas agora, o ambicioso fundador da empresa insinuou que pode ter outros planos mais audazes que vão muito além do planeta vermelho. Ele disse que o veículo que sua empresa tem desenvolvido para levar seres humanos a Marte também poderia ser utilizado para transportar astronautas além do sistema solar. O que você acha?

No passado, Musk foi muito reservado sobre seus planos para a SpaceX, mas no final deste mês apresentará parte de sua visão para a empresa no Congresso Internacional de Astronáutica, em Guadalajara, México. Será verdade tudo o que Hawking prevê? Pelo andar da carruagem, não é de se estranhar que a Terra esteja cada vez pior, com uma contaminação generalizada em ascensão, imensos desmatamentos florestais e aumento da substituição da mão de obra humana por máquinas. Ocorrerá uma guerra contra as máquinas, no mais puro estilo Skynet, de “O Exterminador do Futuro”?

…………………………………………………………
*Fonte: paraoscuriosos

Cientistas israelenses desenvolvem colírio que repara córneas e cura miopia

Imagina se todas as pessoas que sofressem de miopia ou de algum problema na córnea pudesse tratá-los apenas pingando um colírio, sem precisar fazer uma operação?

Daqui a muito pouco tempo isso será possível, já que uma equipe de cientistas israelenses desenvolveram este colírio que já foi patenteado e chama “nanodrops”. A inovação foi desenvolvida por oftalmologistas da Universidade Bar-Ilan e do Centro Médico Shaare Zedeke promete corrigir a miopia e curar córneas danificadas aos poucos, conforme o uso.

O “nanodrops” já foi testado em porcos e o resultado foi positivo, agora é aguardar até o final do ano para que ele possa ser testado em seres humanos também. E a inovação não para aí! O colírio também vai ajudar quem precisa usar óculos multifocais, pois eles também vão poder curar este tipo de problema de visão. O funcionamento seria mais ou menos assim: os pacientes abrem um aplicativo em seu smartphone, medem a refração dos olhos em casa, criam um padrão de laser e um padrão óptico na superfície corneana de seus olhos, para depois começarem o tratamento com o colírio.

Um dos médicos envolvidos nesta pesquisa, Dr. David Smadja, disse que ainda não sabem ao certo quanto tempo de uso é necessário para que ele corrija os problemas de visão, mas que se for comprovada sua eficácia o tratamento será um método revolucionário para melhorar a visão das pessoas. Ele, inclusive deu uma palestra em uma conferência médica, em Jerusalém, que contou com a presença de mais de 350 pessoas, entre médicos e enfermeiros, da qual salientou a importância dessa inovação, se for aprovada para ser feita em seres humanos. Nós torcemos para que sim!

 

 

 

 

……………………………………………………..
*Fonte:  terra

Como não ser espionado pelo Google e pelo Facebook – em 3 passos simples

O caso Facebook/Cambridge Analytica deixou todo mundo meio preocupado com a própria privacidade. E não é para menos: Google e Facebook coletam uma enorme quantidade de dados sobre as pessoas. Mas, fazendo algumas configurações bem simples (e que pouca gente conhece) você pode reduzir muito a sua exposição. É superfácil, leva menos de cinco minutos. E realmente vale a pena. Vamos lá:

1. Desligue o “Google Location History”

O Google monitora a localização do seu celular – e registra, minuto a minuto, todos os lugares onde você esteve, durante toda a sua vida. Ele diz usar essa informação para fornecer “melhores pesquisas de mapas” e alimentar a inteligência do Google Assistant. Mas a verdade é que, na prática, você não ganha praticamente nada com isso – a menos que aprecie ser vigiado como um ratinho de laboratório.

Para desabilitar o monitoramento, basta acessar o Google Location History. Na tela que será exibida, clique em Gerenciar Histórico de Localização. Aí é só virar a chavinha para desligar o recurso.

Se você quiser, também pode deletar a lista de lugares que o Google já registrou (é só clicar em Gerenciar Histórico, Configurações e Excluir todo o histórico de localização). O Google Maps continuará funcionando normalmente, como sempre. Mas você não será mais monitorado.

2. Desligue o monitoramento do Google Chrome

Tanto no computador quanto no celular, a maioria das pessoas usa o navegador Chrome. Ele é ótimo. Mas tem um detalhe bem ruim: monitora todos os seus passos na internet, e envia para o Google. “Não tenho nada a esconder”, você dirá. Ok. Mas você também não ganha nada se deixando monitorar – só ajuda a aumentar o já enorme prontuário que o Google possui a seu respeito.

Por isso, vale a pena desativar o monitoramento do Chrome. É bem fácil. Basta entrar nos Controles de Atividade do Google. Na tela que será exibida, é só desligar a chavinha “Atividade da Web e de apps”.

Se você quiser, também pode deletar a navegação que o Google já gravou (clique em Gerenciar Histórico para fazer isso). As mudanças não afetam, em nada, o funcionamento normal do Google Chrome. Você continua tendo o seu histórico salvo localmente, no seu celular ou desktop, inclusive. A diferença é que ele não é mais enviado para o Google.

3. Acabe com a vigilância do Facebook

Sabe quando você pesquisa algum produto na internet -um colchão, por exemplo-, e aí fica um tempão recebendo anúncios dele na sua timeline? Isso acontece porque o Facebook monitora a sua navegação na internet. Sabe aqueles botõezinhos azuis, que existem em praticamente todos os sites e servem para você compartilhar no Face a página que está vendo? Eles também funcionam como “trackers”, ou seja, contam ao Facebook que você acessou aquele site (mesmo se você não clicar no maldito botão).

O Facebook ganha muito com isso, mas você não. Vale a pena bloquear o rastreamento. É só instalar o Disconnect, um plugin que bloqueia os trackers do Facebook. Ele é grátis e automático, ou seja, você não precisa fazer nada.

O Disconnect só funciona no computador. No celular, a melhor opção é instalar o navegador Ghostery Privacy Browser, que já vem com bloqueador de trackers e tem versões para Android e para iOS. Ele é bem parecido com o Chrome (usa o mesmo motor de renderização de páginas, inclusive), mas bloqueia automaticamente as tentativas de monitoramento.

* * *

Pronto. Agora é bola para frente, vida normal. Você pode continuar usando todos os serviços do Google e do Facebook, com todos os recursos que eles oferecem, sem ser monitorado (dentro da internet e fora dela). Repasse este guia aos seus amigos.

…………………………………………………………….
*Fonte: superabril

10 alimentos que o seu fígado mais gosta

O fígado é um dos órgãos mais importantes do corpo humano, e seu funcionamento está diretamente ligado aos alimentos que ingerimos diariamente.

Você sabe quais são os alimentos preferidos do seu fígado? Eles podem auxiliá-lo em suas funções e fazer com que nosso organismo também se sinta melhor em geral.

A seguir, iremos explicar quais são os dez principais alimentos que ajudam no bom funcionamento do fígado.

Faça uso dessa informação e, sempre que possível, inclua-os na dieta para viver com muito mais saúde e bem estar

Alho
O alho é rico em alicina e selênio, dois nutrientes importantíssimos para o funcionamento do fígado. Eles ajudam a aumentar os níveis de imunidade e contribuem para o processo de desintoxicação do organismo. O alho ainda é capaz de ativar algumas enzimas que ajudam a eliminar resíduos e toxinas com mais facilidade, ajudando também no processo de digestão.

Limão
O limão é um excelente alimento para “limpar” o organismo, e por isso é um dos preferidos do fígado. É rico em antioxidantes, vitamina C, e ajuda o fígado a produzir mais enzimas, contribuindo para a boa digestão dos alimentos e para a obtenção de mais energia. Por último, o limão ainda atua aumentando a alcalinidade do corpo, ajudando a neutralizar toxinas e eliminar resíduos.

Abacate
O abacate é riquíssimo em gorduras saudáveis e oferece uma enorme variedade de benefícios para a saúde do organismo. Carregado de nutrientes, ele nos ajuda a cuidar do fígado principalmente por conter glutationa, um antioxidante muito poderoso que nos auxilia no processo de desintoxicação e limpeza do organismo.

Cebola
Assim como o alho, a cebola é rica em alicina, muito importante para as funções do fígado por ajudar na digestão e na eliminação de toxinas. Além disso, ela também é carregada de minerais, como o potássio, fibras, fitonutrientes e flavonoides, atuando como aliada na manutenção de uma imunidade alta capaz de evitar gripes, resfriados e outras doenças.

Vegetais crucíferos são ótimos para o fígado
Incluindo vegetais como o brócolis, a couve-flor e a couve manteiga, esses “amigos” de cor verde-escura podem fazer maravilhas pelo funcionamento do fígado. São riquíssimos em antioxidantes e em glucosinolatos, substâncias que ajudam o fígado a produzir enzimas e, assim, melhorar o processo digestivo e a eliminação de resíduos e toxinas.

Lentilha
A lentilha é extremamente nutritiva e oferece vários benefícios para a saúde. Ela auxilia no processo de limpeza do organismo e é uma das melhores fontes vegetais de proteína. O consumo excessivo de proteína pode ser prejudicial para o fígado e atrapalhar seu bom funcionamento, mas a lentilha oferece a quantidade ideal deste nutriente. Além disso, é um dos legumes de mais fácil digestão.

Maçã
As maçãs são ricas em pectina, uma fibra solúvel que ajuda a reduzir o colesterol e eliminar toxinas. Trata-se, portanto, de uma grande ajuda para o fígado. Ela ainda contém ácido málico, um nutriente naturalmente desintoxicante que remove elementos cancerígenos e outras substâncias prejudiciais da corrente sanguínea. Além de tudo isso, são carregadas de antioxidantes.

Beterraba
Aumentar o consumo de beterraba irá contribuir para limpar e purificar o sangue, contribuindo para a produção de nutrientes no organismo e para o bom funcionamento do fígado. Ela também é rica em antioxidantes e contém ácido fólico, fibras, ferro e outros nutrientes que ajudam a eliminar as toxinas que ficam armazenadas no fígado, para que não sejam reabsorvidas pela corrente sanguínea.

Nozes
As nozes são uma excelente fonte de ácidos graxos ômega 3, do aminoácido arginina e de glutationa. Este último elemento é indispensável para que o fígado possa desempenhar suas funções de limpeza e desintoxicação de forma adequada.

Batata doce
Um de seus maiores benefícios é a presença de betacaroteno, um anti-inflamatório natural fundamental para a saúde do organismo. Após a sua ingestão, o betacaroteno é convertido em vitamina A no fígado, permitindo assim que o corpo faça uso deste importante nutriente. Além disso, a batata doce ainda contém fibras e vitamina C, contribuindo para aumentar a imunidade. Outros legumes, como cenoura e abóbora oferecem alguns dos mesmos benefícios.

Gostou? Agora que você já conhece os melhores alimentos para o fígado, inclua-os na dieta e aproveite os diversos benefícios que eles têm a oferecer para o seu dia a dia.

…………………………………………………………
*Fonte: osegredo

Por que sonhamos – e por que os sonhos se repetem?

Você está no prédio de uma multinacional. Entra na sala do conselho, onde se depara com o diretor executivo rodeado de outros empresários. Estão todos prontos para entrevistar você para uma vaga de emprego. Mas logo você se dá conta de que se esqueceu de colocar a roupa e está completamente nu.

Calma, foi só um sonho. E se há algo que os seres humanos têm em comum são as experiências oníricas – e as tentativas de interpretá-las ao acordar.

Mas afinal, por que sonhamos? E por que os sonhos se repetem?

O questionamento foi feito por Mila O’Dea, de 9 anos, que mora em Gamboa, no Panamá. Ela enviou a pergunta ao programa de rádioThe Curious Cases of Rutherford & Fry (“Casos Curiosos de Rutherford & Fry”), apresentado pelos cientistas Adam Weir Rufherford e Hannah Fry, na BBC Radio 4.

De fato, trata-se de um mundo fascinante. Os seres humanos compartilham várias temáticas de sonhos, como dente mole ou caindo. Reparar que está nu em um lugar público também é recorrente, assim como fazer uma prova final na faculdade e perceber que não assistiu a nenhuma aula.

Mas além desse tipo de sonho, que pode refletir preocupação ou medo, há outros que podem ser divertidos, como ser capaz de voar. E existem aqueles que são definitivamente estranhos – e que talvez chamem mais atenção pelo surrealismo.

Será por isso que Salvador Dalí costumava comer ouriços do mar cobertos de chocolate antes de dormir na tentativa de estimular os sonhos que inspirariam sua arte?

Essa história pode ser verdade ou pura lenda, mas conhecendo sua obra, parece que há um fundo de verdade.

Temas e situações

Especulações à parte, cientistas em diferentes partes do mundo têm tentado desvendar o imaginário mundo dos sonhos em busca de suas causas e funções.

Bill Domhoff, um dos pioneiros na pesquisa de sonhos, coletou mais de 20 mil relatos de pessoas ao redor do mundo para estudar os padrões existentes e formular teorias. O levantamento deu origem a um “banco de sonhos” online.

“Os sonhos dramatizam nossas preocupações e, muitas vezes, encenam o pior dos cenários. Como ser reprovado em uma prova ou esquecer o diálogo em uma peça de teatro”, diz Domhoff.

“Eles não só abraçam nossos desejos, mas nossas preocupações, nossos medos e nossos interesses. Se eu compilasse cem sonhos seus ao longo de várias semanas ou meses, encontraria vários temas e consistências.”

Embora haja temas específicos para cada indivíduo, alguns preocupam a todos, como homens desconhecidos. Estranhos representam perigo nos sonhos para homens e mulheres, afirma o pesquisador.

Esse tipo de sonho é comum a diversas pessoas, mas constituem menos de 1% de todos os sonhos que temos, embora sejam aqueles que costumamos lembrar.

Mas o que acontece no nosso cérebro quando sonhamos?

Sonho MOR

Essa questão começou a ser respondida pelo fisiologista Eugene Aserisnky, da Universidade de Chicago, em dezembro de 1951.

Aserinsky conectou seu filho de 8 anos a um eletroencefalograma para analisar as ondas cerebrais produzidas durante o sono da criança.

A princípio, ele não percebeu muita atividade até que, de repente, as agulhas do aparelho começaram a se mover rapidamente.

O cientista achou que o filho tivesse acordado, mas ao entrar no quarto ficou surpreso ao ver que ele ainda estava dormindo. O monitor mostrava que os olhos e o cérebro da criança estavam bastante ativos.

Aserinsky chamou essa fase do sono de REM (Rapid Eye Movement), também conhecida pelo acrônimo MOR (Movimento Ocular Rápido),

Os ciclos MOR acontecem mais ou menos a cada 90 minutos e podem durar até meia hora. Em adultos, constituem um quarto do sonho.

Foi constatado que, quando as pessoas acordam após passar por uma fase MOR, geralmente relatam ter sonhado.

No entanto, agora sabemos que os sonhos podem ocorrer durante outras fases do sono, quando nosso cérebro está muito menos ativo.

O cérebro pode ficar bastante ativo durante o sono, mas o que acontece com nosso corpo é bem diferente.

“Quando dormimos, o tônus ​​muscular do corpo começa a diminuir e desaparece completamente ao entrar em MOR. Na verdade, os únicos músculos que estão trabalhando são o diafragma (para expandir os pulmões) e o coração”, explica o pesquisador Mark Balgrove, da Universidade de Swansea, no País de Gales.

“Essa perda de tônus pode acontecer para que a gente não aja fisicamente em toda cena que ocorre durante o sonho, que muitas vezes envolve movimento. Pode ser perigoso agir quando você está dormindo”, adverte Balgrove.

Teorias

Diversos estudos e observações produziram uma série de teorias sobre a função dos sonhos:

– Simulação de ameaça: essa teoria sustenta que as pessoas praticam nos sonhos como lidar com ameaças. Neles, o indivíduo pode lutar contra leões, escapar de uma gangue ou responder com firmeza quando é humilhado. São simulacros, diz Balgrove: “Essa prática, embora você não consiga se lembrar ao acordar, ajuda você a se manter em forma durante as horas de consciência”.

– Consolidação da memória: essa teoria afirma que à noite o cérebro está trabalhando na compilação de lembranças. Assim, o estranhamento que às vezes se manifesta nos sonhos pode ser resultado da tentativa do cérebro de vincular duas coisas que normalmente existem de forma independente, mas precisam se relacionar.

– Redução do medo: essa teoria diz que aprendemos ou acumulamos muitos medos quando estamos acordados, e ao dormir, reduzimos as preocupações ao sonhar com nossos temores, mas possivelmente em um contexto diferente. Isso ajudaria a eliminar ou reduzir o medo. Mas Balgrove adverte: “Existe a possibilidade de o sonho falhar. Neste caso, se transforma em pesadelo e dá medo”.

Além disso, há quem acredite que os sonhos sejam premonitórios – boa parte da literatura universal dialoga com essa ideia.

Um jornal britânico decidiu fazer um teste em 1970. Convidou os leitores a registrarem seus sonhos e, nos 15 anos seguintes, tentou relacionar os relatos com as notícias mundiais.

O resultado? O mesmo que se tivessem sido relacionados ao acaso.

De qualquer forma, há uma escola de pensamento que afirma que os sonhos não têm função evolutiva.

Bill Domhoff, criador do “banco de sonhos”, argumenta que eles são um efeito colateral acidental da evolução de nossas habilidades intelectuais desenvolvidas ao longo de milhões de anos. Uma conjuntura entre um estado de sono ativo misturada com grande capacidade cerebral.

“Acredito que os sonhos têm um significado psicológico, mas não acho que tenham um papel adaptativo”, continua.

“Se eu tivesse acesso a 50 sonhos seus, teria uma boa ideia das suas preocupações, dos seus interesses, de quem você gosta ou não. Nesse sentido, eles não são sandices aleatórias, são retratos psicológicos, pegadas digitais da sua mente.”

‘Zona quente’

Cientistas da Universidade de Lausanne, na Suíça, foram além para tentar esclarecer a situação.

Os pesquisadores monitoraram e registraram a atividade cerebral de pacientes voluntários durante o sono. No procedimento, os participantes eram despertados regularmente e questionados se recordavam do sonho.

A diretora do estudo, Francesca Siclari, conta como eles encontraram uma área extremamente vigilante do cérebro “sonhador”, a qual chamaram de “zona quente”.

“Descobrimos que quando os pacientes relatam um sonho, a atividade cerebral muda nessa parte, que é uma região do cérebro que engloba áreas visuais e também outras que ajudam a integrar várias experiências sensoriais”, diz Siclari.

Os cientistas perceberam que essa área ficava mais desperta quando os pacientes sonhavam – a atividade cerebral era mais rápida, semelhante ao estado consciente. Quando não sonhavam, a atividade era lenta.

Isso se tornou um sinal para tentar prever quando alguém estava sonhando.

“Nós observamos a zona quente do cérebro em tempo real e tentamos prever com base nessa atividade se a pessoa estava sonhando ou não. Então, acordávamos o paciente para ver se nossa previsão estava correta – e acertamos em 90% dos casos”, afirmou Francesca Siclari.

Segundo Mark Blaygrove, o estudo mostra que uma região do cérebro está ligada às fases do sono e opera como um interruptor.

“Se conseguíssemos descobrir o que ativa o interruptor, o que faz com que ele ligue e desligue, poderíamos saber por que o sonho começa de repente ou acaba”, diz.

A resposta poderia explicar por que os sonhos são úteis e se, de alguma forma, podemos controlá-los.

Mas essa é outra história.

………………………………………………………………..
*Fonte: bbc

Cochilos durante o dia melhoram sua saúde. Aqui vai como saber aproveitá-los bem

Se a ciência é capaz de descobrir segredos inimagináveis sobre nossa natureza e existência, outras vezes ela funciona para somente reafirmar aquilo que, na prática, o conhecimento popular já sabe há séculos.

Artigo da Associação Nacional do Sono, dos EUA, confirma não só o evidente bem à saúde que uma plena noite de sono oferece, mas também que aquele cochilo no meio do dia pode melhorar seu ânimo, sua atenção e muito mais – e ainda oferece algumas dicas sobre como tirar a soneca perfeita para sua saúde.

Segundo o artigo, existem três tipos de “bons” cochilos: o preparatório, que se tira quando se sabe que, por algum motivo, você terá que ficar acordado até mais tarde do que o usual; o cochilo de emergência, quando se está subitamente tão cansado que não será possível continuar com segurança certa atividade (ideal para motoristas, por exemplo), e o cochilo habitual, que se tira todos os dias, no mesmo horário, como por exemplo as siestas depois das refeições. Se você se identificou em algum ou mais tipos de cochilos, não se preocupe, pois você é um mamífero, e 85% desse tipo de animal dormem por curtos períodos de tempo durante o dia.

E essa é a primeira dica do estudo: mantenha seu cochilo curto. Um sono com entre 10 a 30 minutos de duração é o ideal para aumentar sua atenção e performance sem te deixar grogue nem prejudicar o sono da noite. Lembre-se também de tirar o cochilo em um local confortável como um todo, sem barulho, com temperatura agradável, e com pouca luz. Outra dica importante é tentar concentrar os cochilos no meio do dia, e não na parte da noite, para que não atrapalhe o sono de fato.

Além dos efeitos impactantes sobre a atenção e a performance, o cochilo provoca melhorias psicológicas, através da sensação de relaxamento e rejuvenescimento – segundo o estudo, um cochilo no meio do dia é como “um luxo, uma miniférias”. Se o cochilo for mais longo, porém, os efeitos podem não ser todos positivos, prejudicando a hora de dormir de fato, assim como deixando a pessoa inerte e ineficaz.

Portanto, preste atenção sobre os efeitos específicos que tal hábito pode provocar no seu corpo, mas esqueça os estigmas: cochilos não são somente para crianças e idosos, nem para preguiçosos, muito pelo contrário: são justamente para quem quer produzir ainda mais e melhor ao longo do seu dia.

 

 

 

 

 

……………………………………………….
*Fonte: hypeness

Estudo diz que quem bebe cerveja ou café tem mais chance de passar dos 90 anos

Ao mesmo tempo que não há dúvidas de que viver uma vida saudável, fazer exercícios regularmente e se alimentar direito são algumas das mais importantes chaves para uma vida longa, sabemos que há vida é um tanto misteriosa e até mesmo aleatória – e algumas pesquisas científicas provam o quanto é difícil realmente mensurar o segredo para uma boa e longa vida.

Um novo estudo realizado pelo instituto americano UCI MIND afirma que o uso moderado de café e álcool podem ajudar significativamente para que alcancemos com saúde os 90 anos de idade.

O estudo acompanhou a vida e os hábitos de mais de 1800 pessoas, com diversos testes realizados a cada seis meses. Seus históricos médicos, estilos de vida e, é claro, suas dietas, foram monitoradas com atenção – e uma das conclusões a que o estudo chega é que aqueles bebem café e álcool todos os dias possuem mais chances de viver mais do que os que não o fazem.

Dois copos de cerveja ou duas taças de vinho diárias, segundo a pesquisa, crescem em 18% as chances de uma vida mais longa. Já o café diário aumenta em 10% as probabilidades contra quem não toma.

Os médicos do instituto não sabem exatamente o motivo para tal descoberta, mas realmente concluíram que beber moderadamente ajuda a longevidade. Trata-se, no entanto, de um estudo observacional, que liga tais substâncias à longevidade, mas não revelam ou apontam outros hábitos que podem, esses sim, serem a chave para a longevidade.

Não se trata de uma autorização para que bebamos todo dia, mas sim de uma afirmação ainda em estudo sobre nossos hábitos – e sobre a possível benesse que esses deliciosos hábitos podem nos trazer.

O uso moderado de ambas as bebidas é ligado também à prevenção de diversas doenças.

 

 

 

 

……………………………………………………..
*Fonte: hypeness

6 frases que podem mudar sua vida

O poder das palavras é inestimável. Graças a elas você pode experimentar emoções, desejos e sentimentos imensuráveis. Elas são capazes de fazer você rir alto e chorar amargamente. Formam frases que podem mudar sua vida, dando-lhe um sentido até então incerto.

Há frases que colocam um fim a guerras; outras, que as começam. Muitas delas determinam o destino de uma pessoa, afundando-a na lama ou incentivando-a a dar o seu melhor. Estas últimas são os que se transformam no motor do mundo.

As frases que podem mudar sua vida são aquelas que promovem a coragem, a honestidade e a nobreza. Elas incentivam você a dar o melhor de si mesmo, a não esquecer quem você é e nem o que quer. Elas podem parecer banais no início, mas têm valores fundamentais para o desenvolvimento do ser humano.

6 frases que podem mudar sua vida

1. Ninguém pode fazer você se sentir inferior sem o seu consentimento

Esta frase irônica e sábia pertence à política e escritora norte-americana Eleanor Roosevelt. Como ela mesmo disse, ninguém tem o poder de fazer você se sentir inferior, a menos que você lhe dê esse poder.

Não deixe que ninguém pise em você. Nenhuma pessoa tem o direito de humilhar os outros, e quem faz isso demonstra muito pouca educação e respeito pelo próximo. Se você não permitir que os comentários maldosos o afetem, eles perderão todo o seu poder malicioso.

2. O pior na vida não é acabar sozinho, mas acabar com alguém que faz você se sentir sozinho

Robin Williams é o arquiteto desta triste apreciação. Atualmente, vivemos em uma sociedade que nos diz que não ter um parceiro ideal é sinônimo de fracasso. Somos feitos para acreditar que precisamos estar com outra pessoa, mesmo que isso nos faça infelizes, porque, de outra forma, não estamos completos. Mas isso é completamente falso.

É necessário aprender a estar sozinho, porque assim podemos evitar a dependência emocional e os consequentes relacionamentos nocivos. Estar com alguém deve ser uma questão de escolha, nunca de necessidade.

3. Errar é aprender

Muitas pessoas são incapazes de aceitar seus erros. Elas acreditam que errar é para os fracos, quando realmente é para os sábios. As crianças pequenas precisam cair mais que uma vez até aprender a andar. O mesmo acontece com os adultos. Um erro também é uma oportunidade.

Se você não erra, é porque você não tentou. Para avançar, é preciso aprender a cair e a aceitar as derrotas.

“O erro do passado é a sabedoria e o êxito do futuro.”
-Dale Turner-

4. Amar a si mesmo é o princípio de uma história de amor eterna

Ame-se. Ame-se como você amaria o amor da sua vida, porque no final das contas, esse alguém é você. Oscar Wilde defendia que é necessário tratar a si mesmo com respeito e compreensão. Cuide do seu corpo e da sua alma, e não permita que ninguém diga que você não tem valor.

Amar a si mesmo significa também eliminar da sua vida aqueles hábitos e pessoas que só fazem mal. Pense que você tem que velar pelo seu bem-estar, e o que não for benéfico, jogue fora.

5. Encontre o que você ama e deixe que isso o mate

Essa frase do escritor Charles Bukowski é um canto à motivação. Encontre algo que te inspire, que faça você se sentir apaixonado pela vida. Mergulhe nisso de cabeça e dê o melhor de si mesmo. Trabalhe duro e se apaixone pelo que você está fazendo.

Não se esqueça que também não é bom ficar obcecado. Sentir-se motivado é algo muito benéfico, mas existem outras vertentes da sua vida que também precisam da sua atenção; não as ignore.

6. Se você não tem inimigos, significa que você nunca lutou por nada

Winston Churchill sabia que certas decisões podiam lhe render muitas inimizades. Ainda assim, ele escolheu agir conforme seus princípios, pois considerava que era o correto.

Lute por aquilo que você considera necessário. Haverá pessoas que vão te encorajar e outras que não vão concordar com você. Respeite essas últimas, mas não permita que elas interfiram em seus propósitos se considerar que eles são nobres.

A autoestima é o valor fundamental que estas frases promovem, e que pode mudar sua vida. Ame e respeite a si mesmo, lute por aquilo que te faz feliz e não permita que os outros decidam a sua vida por você. A luta pela felicidade não é isenta de fracassos, mas o importante é continuar caminhando.

……………………………………………………………….
*Fonte: amenteemaravilhosa

Beber água emagrece

Sabe aquela dieta que você vai, com toda certeza, começar amanhã, ou na próxima segunda-feira? Bom, tem uma maneira de dar esse início agora mesmo. São só três passos: 1) levante; 2) pegue um copo d’água; 3) beba. Fim. De acordo com um estudo da Universidade de Illinois, beber água, mesmo que nem seja tanta água assim, ajuda você a perder peso.

O estudo foi feito com mais de 18 mil americanos, divididos entre quatro fases que ocorreram entre 2005 e 2012. Para realizar o estudo, os pesquisadores pediram que os participantes filmassem absolutamente tudo que ingeriam (sólido ou líquido) durante dois dias não consecutivos. Com as imagens, os cientistas calculavam a quantidade de água presente nos alimentos e bebidas consumidos. Os dados revelaram que um aumento, ainda que de apenas 1%, na ingestão de água estava relacionado a reduções significativas nas quantidades de calorias, sódio, colesterol e açúcar.

Quando o consumo era de até três copos d’água a mais, havia uma diminuição de até 205 calorias ingeridas, o açúcar chegava a diminuir 18 gramas, o colesterol abaixava até 21 gramas, e o sódio alcançava uma diminuição de impressionantes 235 gramas. Ou seja, pessoas que bebem mais água consomem muito menos comida.

O estudo aponta que não houve diferenças significativas nos resultados, quando se comparavam cor, gênero, peso, altura, classe social, ou nível de educação — beber água melhora a dieta de qualquer um. “Essa descoberta sugere que deveríamos promover uma intervenção nutricional universal, com campanhas educacionais para promover o consumo de água no lugar de bebidas calóricas”, afirmou em comunicado Ruopeng An, cinesiologista (especialista em movimentos humanos) da Universidade de Illinois e responsável pela pesquisa.

…………………………………………………………………
*Fonte: superinteressante