Como se proteger contra os raios UV da cabeça aos pés

O sol desempenha um papel importante para a saúde do organismo. Ele é quem nos ajuda a sintetizar vitamina D, nutriente fundamental para o fortalecimento dos ossos e do sistema autoimune, dentre outros benefícios. Por outro lado, a exposição solar desprotegida pode acarretar danos em curto, médio e longo prazo, que merecem nossa atenção. Um deles é o câncer de pele, que pode ser prevenido com alguns cuidados diários básicos.

“O excesso pode levar a uma alteração na parte imunológica local e queimaduras. Essa parte imunológica favorece, por exemplo, o aparecimento de herpes, manchas de pele e envelhecimento precoce. Para quem tem maior exposição solar durante a infância, com queimadura importante, surge o risco de desenvolvimento de câncer de pele melanoma, que é mais agressivo”, explica a dermatologista Mayra Tosta, da clínica OrtoDerm.

Além do risco de lesões cancerígenas, como observa a especialista, o sol é responsável por danos de fotoenvelhecimento que costumam ser sentidos em longo prazo, como manchas, sardas, rugas, linhas finas, pigmentação irregular e outros sinais de fotoenvelhecimento. Isso porque a radiação ultravioleta emitida pelo sol não atinge apenas a superfície, com as queimaduras e os raios UVB; ela também chega às camadas mais profundas da pele, devido à ação dos raios UVA, que têm comprimento de onda maior.

Olhos e pálpebras: todo o cuidado é pouco

Para poder aproveitar o verão e os benefícios que o sol oferece para a saúde, é preciso pensar na proteção adequada de cada parte do corpo. Além da pele, por exemplo, os olhos merecem um cuidado especial, que nem todos se lembram com frequência. De acordo com a oftalmologista Leticia Sant?Ana, da Cia. da Consulta, os olhos também estão expostos à radiação solar e sujeitos a danos muitas vezes irreversíveis.

“Um dano muito conhecido é a catarata, cujo desenvolvimento é acelerado pela exposição solar. O pterígio é outra doença comum na população em áreas de trópicos, também relacionada com o sol. Outra doença é a degeneração macular relacionada à idade, que em muitos países desenvolvidos é a principal causa de cegueira. Aqui no Brasil não é a principal, mas a vemos muito em pessoas de pele mais clara, é algo que tem relação com a exposição aos raios ultravioleta”, explica Leticia Sant’Ana.

Além dos olhos, a oftalmologista alerta para outra parte da mesma região que deve ser protegida: as pálpebras. De acordo com Leticia, a pele das pálpebras é extremamente sensível e pode sofrer com queimaduras e até desenvolvimento de câncer, em caso de exposição solar excessiva. “É mais frequente encontrarmos tumores de pálpebra do que o ocular, então, é importante proteger”, afirma.

Como se proteger corretamente

Basta aplicar um pouco de protetor, vestir a roupa de banho e correr para o mar, sem nenhuma preocupação? Nada disso. É preciso ter ao alcance uma combinação de itens que garantem maior proteção solar em áreas de alta exposição, como praia e piscina. Além do protetor solar, com um valor de FPS a partir de 30, é interessante contar com chapéus ou bonés de aba larga e óculos escuros com proteção UVA e UVB – vale o mesmo cuidado para usuários de lente de contato.

“Para quem usa este tipo de acessório, é interessante juntar as duas coisas, os óculos e as lentes de contato com proteção UV. As lentes, sozinhas, não protegem as pálpebras. Também é importante se certificar de que as lentes dos óculos tenham filtros mais escuros e sejam confiáveis”, alerta Leticia Sant’Ana. Vale lembrar que que o cuidado deve ser redobrado no caso de banhos de piscina e de mar; o recomendado é optar pelas lentes de descarte diário, cujo risco de contaminação é menor.

No caso das pálpebras, a dermatologista Mayra Tosta comenta que há o risco de dermatite ou hipersensibilidade por parte de alguns pacientes com a utilização de protetor solar na área. Para reduzir os riscos, a dica da especialista é investir em chapéus com aba larga, além dos óculos escuros, e diminuir a exposição durante o horário mais crítico do sol, que costuma ser entre 10h e 16h.

Para o restante do corpo, vale redobrar o cuidado com a aplicação do protetor solar e usar barreiras de proteção física, como camisetas, cangas, saídas de praia e outros acessórios. No caso do protetor, Mayra recomenda a aplicação no corpo todo, inclusive em regiões que costumam ser “esquecidas” pelas pessoas, como a parte de trás do pescoço e orelhas.

“Também é muito importante a quantidade utilizada nessa hora. Quando você passa o protetor solar, não pode economizar. Muitas pessoas não gostam da sensação da pele mais pegajosa, então, acabam usando uma camada mais fina do produto, e é isso que diminui a proteção. É por isso que utilizamos um FPS maior. Já a reaplicação deve ser feita a cada 2h, se a exposição for mais intensa e após entrar no mar ou na piscina”, reforça.

Ainda assim, a dermatologista ressalta que todas as etapas de proteção não são muito eficazes no período mais crítico do sol, citado anteriormente, que começa às 10h e termina às 16h. Se você pretende aproveitar o verão sem arrependimentos, lembre-se de tomar cuidado esse intervalo e de combinar todas as frentes de proteção solar possíveis.

………………………………………………………………………
*Fonte:

Que alimentos deixam nosso pum mais fedido?

Não adianta: quando comemos, sempre engolimos um pouco de ar sempre, e a digestão em si também é um processo que resulta na produção de gazes que, mais cedo ou mais tarde, são liberados e às vezes provocam um cheiro bastante desagradável.

Felizmente, alguns alimentos podem ajudar a aliviar as coisas, e um estudo promovido por pesquisadores da Universidade de Monash, na Austrália, pode ajudar quem é conhecido por poluir ambientes inteiros.

Os cientistas fizeram um grande levantamento para descobrir como diversos tipos de alimentos afetam a quantidade de sulfeto de hidrogênio produzido pelas bactérias do intestino. Os puns são compostos por vários tipos de gases – oxigênio, nitrogênio, metano, dióxido de carbono e hidrogênio –, mas o responsável pelo futum é o sulfeto de hidrogênio.

Eita!

Os testes realizados não foram os mais divertidos de todos. Basicamente, os pesquisadores analisaram amostras de cocô de sete pessoas consideradas saudáveis. As fezes delas foram misturadas a componentes comuns em carnes, massas e alimentos naturais, com a intenção de descobrir o que produziria o gás mais fétido.

Os resultados revelaram que a cisteína, um aminoácido encontrado em alimentos ricos em proteína, como carne e ovo, é capaz de aumentar a quantidade de sulfeto de hidrogênio em sete vezes. Por outro lado, resíduos de frutas são capazes de diminuir a produção do gás fedido em 75%.

Ou seja: se você quer evitar produzir puns muito fedidos, o jeito é incrementar sua dieta com alimentos como bananas, batatas, trigo, alcachofra e aspargos. Agora, se exagerou muito na carne, é melhor não sacanear a galera do escritório e ir ao banheiro quando o pum quiser sair do seu corpo.

………………………………………………………………
*Fonte: megacurioso

Abandone 10 hábitos que favorecem a má digestão

Azia, gases, sensação de estômago pesado e sonolência são sintomas que já acometeram todos nós pelo menos uma vez. Apesar de serem comuns a pessoas com condições crônicas, como a doença do refluxo gastroesofágico, esses males podem surgir em qualquer um que exagerou no prato ou não tomou os devidos cuidados na refeição – mesmo aqueles que seguem uma dieta equilibrada. Confira os conselhos dos especialistas e fique atento aos deslizes que podem causar má digestão:

Comer muito rápido

Ao comer rapidamente, cometemos dois erros cruciais – não mastigamos direito e não damos tempo suficiente ao nosso cérebro para perceber que estamos comendo. “Quando começamos a mastigar, nosso organismo libera uma enzima que facilita a quebra do alimento, iniciando o processo de digestão”, explica o nutrólogo Fernando Bahdur Chueire, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Desta maneira, é fundamental triturar bem os alimentos antes de engolir, para que a enzima tenha tempo de agir, facilitando o trabalho do estômago e evitando que o órgão fique sobrecarregado – fator que deixaria a digestão mais lenta. Além disso, cada refeição deve ter duração de pelo menos 20 minutos. “Esse é o tempo médio que leva para o intestino liberar o hormônio que ativa o centro de saciedade do cérebro depois que começamos a nos alimentar”, explica. Almoçar em menos tempo que isso não irá proporcionar a sensação de saciedade, fazendo que com a ingestão seja exagerada, dificultando a digestão e favorecendo problemas como refluxo. “Comer demais também torna o processo de digestão mais demorado, causando sensação de mal estar”, alerta o nutrólogo. De acordo com o profissional, o ideal é comer até sentir-se bem e não até ficar “cheio”.

Manias à mesa

A gastroenterologista Mara Rita Salum, da Unifesp, explica que os órgãos do sistema digestivo se localizam na caixa torácica e, dependendo da forma como nos posicionamos, eles se comprimem, dificultando o processo digestivo, culminando na má digestão. Por isso, atitudes como comer deitado ou em qualquer posição que não seja ereta afeta diretamente a digestão. Outra mania comum é falar enquanto comemos – isso pode aumentar a ingestão de ar durante a refeição, favorecendo problemas relacionados a gases.

Líquidos durante a refeição

“Quando alguém bebe muito líquido enquanto come, o estômago enche mais, podendo causar mal estar devido ao maior tempo de digestão necessário para esvaziar o órgão”, aponta a gastroenterologista Mara. Tomar um copo de suco de até 150 ml, no entanto, não interfere de forma significativa na digestão e pode até facilitar o processo de mastigação. Mas a ressalva fica para as bebidas gaseificadas: elas provocam a dilatação do estômago, levando a uma maior ingestão de comida e prejudicando o processo digestivo. “Acompanhar a refeição com qualquer tipo de bebida não é recomendado apenas para quem sofre de doença do refluxo gastroesofágico, pois aumenta o risco de azia.”

Jejum prolongado

Para entender porque o jejum prolongado interfere na digestão, é preciso conhecer o mecanismo do corpo que causa a azia. Na ligação do nosso esôfago com o estômago, temos um órgão chamado esfíncter esofágico inferior, uma espécie de anel responsável por permitir a passagem de comida e se manter fechado quando não estamos fazendo uma refeição. “Ele se abre para o alimento passar do esôfago para o estômago e, em seguida, deve se fechar para reter o que foi ingerido e impedir que os sucos gástricos atuantes na digestão subam para o esôfago, causando a azia”, explica o gastroenterologista Ricardo Blanc, da Sociedade Brasileira de Gastroenterologia. Quando uma pessoa fica sem comer, o ácido gástrico produzido normalmente pelo estômago se acumula e pode refluir, irritando o final do esôfago e causando a azia. “Comer a cada três horas mantém o sistema digestivo em funcionamento, sem sobrecarga na produção de ácido gástrico”, explica o gastroenterologista Luiz Eduardo Rossi Campedelli, do Hospital Albert Einstein.

Boca seca

Ficar com água na boca não indica apenas que você está com fome – a saliva é parte importante do processo de digestão, pois é ela quem inicia esse processo. É pela saliva que são liberada as primeiras enzimas que ajudam na trituração dos alimentos. Além disso, a saliva ajuda na eliminação de bactérias da cavidade bucal, prevenindo contra cáries e outras doenças. Dessa forma, pessoas que tem a boca mais seca podem ter o processo digestivo prejudicado, já que a saliva não será suficiente. Segundo os especialistas, o uso de determinados medicamentos – entre anti-histamínicos, descongestionantes, analgésicos, diuréticos e remédios para pressão alta e depressão -, tabagismo, abuso de álcool, menopausa e doenças que afetam as glândulas salivares, como diabetes, Parkinson e HIV, são causadores de secura na boca. Ela também pode surgir uma vez ou outra, sem qualquer relação com esses problemas, mas se persistir o ideal é procurar um médico. Algumas dicas para evitar a secura na boca são beber bastante água, mascar gomas ou chupar balas sem açúcar e evitar bebidas com cafeína.

Fumo e álcool

Você deve estar se perguntando por que o cigarro iria interferir na digestão, já que a fumaça se deposita nos pulmões. A resposta é simples: a nicotina, quando entra na corrente sanguínea, também vai para o sistema digestivo, e lá provoca a diminuição da contração do estômago, dificultando a digestão. “O uso contínuo do cigarro também enfraquece o esfíncter esofágico inferior, aumentando o contato do ácido gástrico com a mucosa esofágica e causando azia”, diz o gastroenterologista Luiz Eduardo. Além disso, o tabaco altera o paladar e induz a produção de ácido clorídrico pelo estômago, o que facilita a infecção pelas bactérias Helicobacter pylori, causadoras da úlcera gástrica. Segundo o especialista, o cigarro ainda estimula a ida de sais biliares do intestino para o estômago, tornando suco gástrico mais nocivo ao organismo e intensificando o aparecimento de úlceras.

Com o álcool não é diferente. Quando ingerimos alguma bebida alcoólica, a substância logo é absorvida pelo nosso sistema gastrointestinal, irritando as mucosas do esôfago e do estômago e alterando as membranas do intestino, prejudicando a absorção de nutrientes. “Os resultados podem ser esofagite, gastrite e até diarreia”, explica o gastroenterologista Ricardo Blanc. Já no fígado, o álcool vai alterar a produção de enzimas, sobrecarregando o órgão. “Ele passa a produzir mais enzimas para metabolizar o etanol, levando a uma inflamação crônica ou hepatite alcoólica, podendo evoluir para cirrose”, completa. Outro órgão afetado pelo excesso de bebidas alcoólicas é o pâncreas, responsável pela fabricação de insulina e de enzimas digestivas. O álcool pode causar uma inflamação no pâncreas, e essa inflamação pode evoluir para uma pancreatite.

Sono inadequado

Descansar após as refeições, tirando um cochilo leve, pode ajudar na digestão porque está relacionada, sobretudo, ao repouso. “Dando um tempo das atividades pesadas, o fluxo sanguíneo permanece focado nos órgãos envolvidos na digestão sem qualquer problema”, afirma o nutrólogo Fernando. Além disso, o ideal é repousar com a cabeça levemente inclinada para cima, pois isso ajuda na descida dos alimentos. “Ficar completamente deitado pode favorecer o refluxo ou mesmo atrapalhar a digestão”, explica o especialista. A soneca, entretanto, deve durar apenas alguns minutos, pois ao entrarmos em sono profundo, o metabolismo fica lento, dificultando o processo de digestão. Caso queira dormir mais profundamente, espere de duas a três horas após a refeição.

Respirar pela boca ou sorver alimentos

É comum pessoas com alergias respiratórias passarem a maior parte do tempo com as narinas entupidas, precisando respirar pela boca. Nesse cenário, ela acaba respirando pela boca também enquanto come, levando mais ar para o estômago e causando gases. O mesmo acontece quanto usamos canudinho ou sorvemos alimentos, como uma colher cheia de sopa. O ato de sugar a bebida ou o alimento também traz mais ar para dentro do corpo, podendo causar má digestão ou então intensificando um problema que a pessoa já tenha normalmente, como refluxo ou azia.

Erros ao fazer exercícios

“Logo depois que você se alimenta, o organismo direciona maior fluxo sanguíneo para os órgãos envolvidos na digestão para que, dessa maneira, o processo seja realizado mais rapidamente”, aponta o nutrólogo Fernando. Quando fazemos exercícios, por outro lado, quem solicita maior fluxo sanguíneo são os músculos. Assim, é fundamental esperar a digestão completa da refeição – que leva cerca de duas horas – para treinar, pois, do contrário, nenhuma atividade será bem realizada. Segundo o nutrólogo, a diminuição do fluxo sanguíneo ocorre até mesmo no cérebro e, por isso, é normal sentirmos preguiça, cansaço ou dificuldade de concentração logo após comer. O ideal, portanto, é esperar cerca de 15 minutos para voltar a trabalhar, estudar ou realizar outra atividade que exija atenção.

Roupas ou cintos apertados

Usar calças ou saias com elásticos apertados, bem como abusar dos cintos, pode apertar o estômago e obrigar a comida a retroceder para o esôfago. Após as refeições, seu estômago dilata por conta da produção de ácidos gástricos, e a pressão das roupas pode fazer com que esses ácidos retornem para o esôfago, causando azia e refluxo. Esse problema é mais intenso em pessoas que estão acima do peso, pois a obesidade aumenta ainda mais a pressão no estômago. Essa pressão pode empurrar o conteúdo do estômago para dentro do esôfago, causando azia.

………………………………………………………….
*Fonte: minhavida

Tremor nas pálpebras é sinal de que é preciso desacelerar, dizem médicos

O tremor aparece porque liberamos hormônios ligados ao estresse que vão para o sistema nervoso autônomo; ele é um dos primeiros sinais de que algo não vai bem e que é preciso relaxar.
Quem nunca sentiu aquele famoso tremor nas pálpebras? Algo tão irritante quanto impossível de ser controlado. Pior: pode durar dias, com direito a curtos intervalos. Mas por que isso é tão comum e, ao mesmo tempo, difícil de ser evitado?

A oftalmologista Andrea Lima Barbosa, diretora médica da Clínica dos Olhos São Francisco de Assis (RJ), conta que é extremamente comum pessoas chegarem a seu consultório com essa queixa.

“É sempre preocupante para a pessoa e o correto é procurar um especialista, mesmo. Esse tremor palpebral em episódios é uma luz vermelha avisando que algo não vai bem não só no seu corpo, mas em sua vida”, alerta a médica.

Ela conta que o tremor é um sinal de que a pessoa pode estar no auge do estresse. “Pode ser fadiga, ansiedade, resultado de noites mal dormidas ou problemas pessoais , por exemplo”.

SAIBA AS CAUSAS E COMO TENTAR EVITAR:

Como as causas são diversas, para evitar o tremor involuntário das pálpebras deve-se identificar a mais importante e agir nela:- Fadiga: pode ser causada pelo uso contínuo de computadores ou monitores (síndrome da visão do computador). Nestes casos há necessidade de se intercalar períodos de trabalho com períodos de descanso dos olhos, ou seja, a mudança de foco durante 15 minutos, antes de prosseguir no uso;- Estresse: deve-se tentar evitar ou resolver as condições ou as situações do ambiente de trabalho ou familiar que estejam ligadas ao aumento da ansiedade; pode-se tentar a utilização de medicação relaxante muscular leve, sob indicação médica;- Secura nos olhos: também pode estar relacionada ao uso contínuo de computadores. Usar colírios lubrificantes preventivamente é indicado, assim como aumentar a umidificação do ambiente de trabalho;

– Cafeína: se a causa for associada ao consumo excessivo de cafeína, de bebidas energéticas ou de cigarro, deve-se reduzir ou suspender seu consumo;

– Não identificadas: sugere-se a consulta oftalmológica completa com objetivo de se avaliar a função muscular das pálpebras, a superfície ocular, erros refracionais ou fundo de olho.

Fonte: Norma Allemann, Professora Adjunta do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de Medicina – UNIFESP.

Estresse

Barbosa explica que o tremor, quase sempre unilateral, aparece porque liberamos hormônios ligados ao estresse que vão para o sistema nervoso autônomo. Estes hormônios levam estímulos para as pálpebras, que passam a ter contrações involuntárias, ou seja, impossíveis de se controlar.

Com ela concorda o oftalmologista Luiz Carlos Portes, ex-presidente e membro do conselho consultivo da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. Ele acrescenta alguns outros fatores que podem desencadear o problema: ingestão excessiva de cafeína, carência de vitaminas, idade avançada, excesso de horas em frente ao computador etc.

Ambos enfatizam que o oftalmologista deve ser consultado para descartar qualquer doença, mas o comum é mesmo que tudo não passe de estresse. Porém, se for algo além disso, o paciente será encaminhado para um neurologista, por exemplo.

Portes, porém, avisa que algumas doenças como conjuntivite e olho seco também podem provocar os espasmos. Isso sem contar que pessoas com mal de Parkinson e Síndrome de Tourette (desordem neurológica ou neuroquímica caracterizada por tiques, reações rápidas, movimentos repentinos ou vocalizações que ocorrem repetidamente) também sofrem com esses espasmos.

Procurar o médico

“Por isso é importante consultar um oftalmologista”, enfatiza o médico. Porém, como na maioria dos casos o problema advém mesmo do estresse, ele comenta: “Há pessoas que ao ficarem estressadas, sentem azia. Outras têm dor nas costas e algumas têm este tremor. É difícil, mas é preciso achar um caminho para não sentir tudo isso”.

“Você tem de se perguntar: o que vai fazer da sua vida? Como anda o trabalho e os relacionamentos. Eu indico relaxamento, ioga, meditação, algo para acalmar mesmo. E, na medida do possível, evitar se estressar”, alerta Barbosa.

A médica insiste que é preciso tomar cuidado porque, se a pessoa não se cuidar, poderá desenvolver doenças cardíacas, depressão, ansiedade ou hipertensão, por exemplo.

“É preciso mesmo repensar a vida”, ressalta, acrescentando que ela própria já passou por isso: “Quando eu fazia plantão médico, eu mesma tinha isso com frequência. Era uma época bem estressante para mim”. Portes também já teve o mesmo problema, quando se preparava para o vestibular: “Eram menos opções de faculdades e a pressão era ainda maior. Estudava muito!”.

Como fazer parar?

Uma receita caseira dá conta de que compressas de chá de camomila ajudariam a parar o tremor. “Melhor tomar o chá”, brinca a médica. Porém, ela ensina que gelo é bom, porque anestesia a musculatura.

Já o médico conta que indica ao paciente um relaxante muscular, mas também aconselha a pessoa a ir ao cinema, praticar exercícios e descansar, pois o comum é que o tremor passe quando ela conseguir relaxar. “Se notamos que é algo de ordem pessoal ou depressão mesmo, o correto é encaminhar a um psicólogo ou psiquiatra”

Botox

Se a pessoa tiver o tremor de forma crônica, pode ser algo mais grave. “Existe a doença do espasmo essencial, blefarospasmo, que é rara. É o famoso tique nervoso, a pálpebra fica tremendo o tempo todo. Daí é preciso tratamento com um neuro-oftalmologista que usará injeções de Botox”, conta a médica. A indicação ocorre porque a toxina botulínica paralisa o músculo.

Norma Allemann, professora adjunta do Departamento de Oftalmologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), conta que, em alguns desses casos, após diagnóstico diferencial adequado com doenças neurológicas que podem estar associadas, a toxina botulínica é aplicada em forma de injeções e tem duração variável de efeito, entre três e seis meses. “O blefarospasmo é uma condição rara, um tipo de distonia facial, geralmente bilateral e associado a contraturas de outros músculos da face e caracterizado pela impossibilidade de controle voluntário. Pode ser um sintoma de doenças neurológicas e deve ser acompanhado de consulta especializada para diagnóstico”, encerra.

*Por Carmen Guaresemin

…………………………………………………………………
*Fonte: contioutra

Eduque o seu filho para ser feliz e não para ser perfeito

Quando se busca a perfeição, a felicidade fica em segundo plano e não se aproveita a vida. Apenas se busca um fantasma que não existe, uma perfeição que nunca chega. Se uma criança é educada na perfeição, em vez de ser feliz, ela irá se tornar uma pequena pessoa triste, frustrada e insegura.

A importância de encontrar o equilíbrio
Alguns pais exigentes apenas irão conseguir com que seus filhos sintam ansiedade por não satisfazê-los. Mas não vão encontrar a satisfação pessoal de fazer as coisas bem feitas. Eles estarão roubando a oportunidade de aprender com os erros, de sentir essa maravilhosa sensação de que se você errar, nada acontece.

Um erro nos ensina nossas fraquezas e nos permite ver o caminho para alcançar os nossos pontos fortes. Nesse sentido, temos de encontrar um equilíbrio em que a criança seja capaz de cometer erros e aprender com eles. Mas não para buscar a perfeição, e sim para superar a si mesma a cada dia um pouco mais.


A perfeição do imperfeito

Se eu tivesse que escolher a perfeição na vida, eu iria escolher o imperfeito. Porque o imperfeito faz nos sentirmos livres, nos faz ver quem somos e como somos, ajuda a nos conhecer melhor e a conhecer as outras pessoas. O imperfeito é sinônimo de respeito e também de diversidade. O imperfeito é visto com bons olhos. Sem dúvida, é o mais maravilhoso e perfeito que pode existir nas crianças.

Uma criança não deve ser educada para tirar dez em todos as suas provas. Uma criança deve ser educada para se esforçar dentro de suas possibilidades e tentar se superar sempre, sem levar em conta as notas, que são apenas um número… uma classificação. A perfeição da imperfeição está em estudar, tirar uma nota de acordo com o que foi estudado e perceber que pode fazer mais e melhor… e se superar.

No imperfeito, nos encontramos com pais que não castigam seus filhos se eles não conseguirem fazer uma prova ou se não são os melhores no jogo de basquete. Mas pais que proporcionam ferramentas para fazer melhor da próxima vez. E eles conseguem. É a imperfeição do perfeito, porque para poder se superar deve ser imperfeito, e também amar uns aos outros. Sem comparações, sem rótulos.


A felicidade está no agora

É necessário educar as crianças para que saibam que sua felicidade não deve depender das notas de uma prova, ou se ela está em uma posição melhor em uma carreira ou se ela ganha ou não ganha um prêmio no recital de música. É essencial educar as crianças para que elas saibam que a felicidade está no agora, em viver o momento presente, em saborear o que está acontecendo, o que fazem, o que sentem.

Porque a felicidade não é uma meta, é um caminho. É importante que as crianças entendam que para serem felizes devemos amar uns aos outros, nos respeitar e aprender que errar não é algo ruim. Os erros nos ensinam o caminho e devemos ser humildes para vê-lo e segui-lo porque é assim que se chega ao sucesso.


Educar para ser feliz

Educar para ser feliz significa viver em um mundo onde as emoções são as protagonistas. Um mundo onde a empatia e assertividade devem estar andando de mãos dadas, onde as crianças saibam se colocar no lugar dos outros. Mas, primeiro, deverão conhecer a si mesmas, se valorizar e se respeitar. Um caminho em que a disciplina positiva irá ajudar a alcançar tudo isso.

Como pais, devemos deixar de lado a competitividade que essa sociedade tenta nos introduzir. Em vez disso, devemos permitir que nossos filhos decidam, errem, chorem, tomem decisões, aprendam, sintam frustração e também satisfação… porque para ser feliz, temos que ser imperfeitos.

…………………………………………………………….
*Fonte: revistapazes

6 formas naturais de manter os mosquitos longe de você

Mosquitos transmitem doenças e podem ser extremamente incômodos. Quem nunca perdeu uma noite de sono por conta de um mosquito que insistia em passar perto do seu ouvido? Com essas dicas, você pode se livrar dos mosquitos com mais facilidade.

1. Plantas naturais
Os repelentes químicos não são os únicos produtos eficazes quando se trata de mosquitos – diferentes plantas e ervas naturais também podem ajudar. Você pode embelezar seu quintal ou jardim com algumas plantas úteis. Dessa forma, você protegerá a si e seus animais de estimação dos mosquitos ao mesmo tempo.

Então, quais são as plantas e ervas que podem nos ajudar a evitar esses mosquitos desagradáveis? Existem vários tipos que você pode escolher de acordo com o seu gosto: manjericão, alecrim, alho, lavanda, grama de citronela, calêndula, entre outros.

2. Spray de lavanda e óleo corporal
Mosquitos odeiam lavanda. Você pode fazer um spray corporal com óleo essencial ou apenas aplicá-lo em gotas em sua pele. Sprays desse tipo também são muito saudáveis para o seu corpo.

3. Velas de citronela
Se você não pode ter plantas repelentes em casa ou se você é alérgico a elas, as velas de citronela podem ser uma ótima solução. Citronela é um repelente de insetos natural popular que foi aprovado por várias pesquisas científicas. Não tem efeitos colaterais, sua casa cheira bem e você não será perturbado por insetos. Para aqueles que gostam de itens artesanais, você pode fazer velas de citronela com por conta própria.

4. Vinagre de maçã
É incrível como o vinagre de maçã pode ser útil. A maioria das pessoas tem algumas garrafas de vinagre de maçã em casa, por isso, se o seu local for subitamente atacado por mosquitos, faça o seu próprio spray repelente com vinagre. Você também pode adicionar um pouco de óleo de citronela para um efeito adicional. Aplique este spray em locais onde os insetos normalmente se reúnem e espere pelos resultados.

5. Água com sabão
Se você passa muito tempo em seu quintal durante jantares em família ou apenas para ler livros do lado de fora, coloque um prato com água e sabão nas proximidades. Depois de algum tempo, você verá que os mosquitos serão atraídos para essa água e ficarão presos.

6. Alho
Segundo alguns estudos, comer alho ajuda a manter os mosquitos afastados. Este remédio é uma boa notícia para os amantes do alho, mas se você realmente o odeia, não há necessidade de comê-lo em quantidades enormes. Apenas ferva e pulverize a mistura em lugares onde os mosquitos se juntam.

…………………………………………………………………………
*Fonte: casosinteressantes

Oito dicas para preservar melhor as frutas e prolongar o tempo de consumo

Elas são coloridas, cheirosas e saborosas. São também ricas em vitaminas, minerais e fibras alimentares que, juntas, ajudam a regular o organismo. E se você acha que os benefícios se restringem ao interior do corpo, é importante acrescentar à lista que as frutas possuem ação antioxidante, ou seja, são capazes de combater os radicais livres, moléculas responsáveis pelo envelhecimento das células, permitindo-nos ter uma aparência mais saudável e jovem.

Não é preciso ser fitness para saber que o consumo de frutas no dia a dia é essencial. A melhor opção é consumi-las in natura e, para a rotina acelerada das grandes cidades, a dica é guardá-las já higienizadas para facilitar na hora do consumo. Para conservá-las, Carlos Ribeiro, diretor da Snack Frutas, especializada no delivery de frutas frescas para empresa, separou algumas recomendações que podem ajudar a prolongar o tempo de consumo.

  1. Armazená-las já higienizadas pode ser uma vantagem para quem tem o dia a dia mais corrido. Nesses casos, a dica é remover as partes deterioradas e imergir as frutas em solução clorada por 10 a 15 minutos, seguida de uma lavagem em água corrente.
  2. É primordial que, ao colocar na geladeira, elas estejam todas secas, pois a umidade faz com que amadureçam muito mais rápido.
  3. Estando os hortifrútis totalmente secos (e essa dica vale também para verduras e legumes) é possível, então, acondicioná-los em sacos plásticos ou recipientes com tampas.
  4. As únicas frutas que entram numa lista de exceção são as maçãs e pêras, que, para se manterem mais frescas, podem dispor de um pouco de umidade. O recomendado, depois de borrifar água, é guardar com um guardanapo branco sobre elas.
  5. As maçãs e pêras também devem ser armazenadas separadamente, pois liberam gás etileno, substância que favorece o amadurecimento dos alimentos mais próximos.
  6. Famosas pelos benefícios ao coração, já que reduzem a coagulação sanguínea, as uvas requerem certos cuidados especiais na hora de ser armazenadas. A dica aqui é cortar os cachos em tamanhos menores para favorecer a circulação de ar entre elas e deixá-las secar bem, para evitar, assim, o aparecimento de bolores.
  7. Qualquer alimento ao ser congelado sofre alterações sensoriais, como do paladar e odor. Por isso, o ideal é que as frutas sejam consumidas in natura, a não ser que tenham como finalidade se transformar em geleias, sucos ou vitaminas. Nesses casos, maracujá, acerola e morango, por exemplo, são as que melhor preservam as propriedades.
  8. A banana é a única fruta que não pode ser refrigerada e, para retardar o amadurecimento, é possível enrolar o cabinho com papel alumínio/papel filme ou mantê-las dentro de sacos de papel pardo.

………………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

Estudo prova que ser “esquecido” é, na verdade, um sinal de inteligência acima da média

Ter uma falha de memória é algo que não dá jeito nenhum na escola, quando estamos a realizar multiplicações matemáticas complicadas de cabeça… Pode também ser algo bastante útil quando estamos no local de trabalho, e nos tentamos recordar do nome de um colega…

Dito isto, esquecermo-nos de nomes, ou termos pequenos lapsos de memória é algo que acontece aos melhores!

Contudo, quando nos acontece, sentimo-nos sempre um pouco atordoados. Afinal de contas, não há nada pior do que nos deslocarmos ao supermercado ou à mercearia com um propósito e esquecermo-nos do que fomos lá fazer. Se, como todos nós, também tu te questionas porque te esqueces de pequenas coisas, a resposta é muito simples: não há nada de errado contigo.

Na verdade, um estudo divulgado, recentemente, pelo jornal científico Neuron Journal sugere que o esquecimento é um processo natural do cérebro que pode, até, tornar-nos mais inteligentes no final do dia!

O estudo, conduzido por um professor da Universidade de Toronto concluiu que ter uma memória perfeita não está, em nada, relacionado com o facto de ter mais ou menos inteligência. Na verdade, esquecermo-nos de pequenas coisas é algo que vai ajudar-nos a tornarmo-nos mais inteligentes.

Tradicionalmente falando, a pessoa que lembra sempre de tudo e que tem uma memória sem falhas, é tida como uma pessoa mais inteligente. O estudo, no entanto, conclui o contrário: as pessoas que têm pequenas falhas de memórias podem, a longo prazo, tornar-se mais inteligentes.

Os nossos cérebros são, na realidade, muito mais complexos do que pensamos. O hipocampo (a zona onde guardamos a memória), por exemplo, precisa de ser ‘limpo’, de vez em quando. Na verdade, como a CNN colocou a questão pode ajudar-te a entender:

“Devemos agarrar-nos ao que é importante e deixar fora o que não é.” Isto faz sentido quando pensamos, por exemplo, em como é importante lembrarmo-nos do rosto de uma pessoa, em detrimento do seu nome. Claro que, em contexto social serão sempre os dois importantes, mas se falarmos num contexto animal, o rosto será fundamental à sobrevivência e o nome não.

Portanto, o cérebro não só filtra o que é importante, como descarta o que não é, substituindo-o por memórias novas. Quando o cérebro está demasiado cheio de memórias, o mais provável é que entre em conflito na altura da tomada eficiente de decisões.

Reter grandes memórias está a tornar-se para nós, humanos, cada vez mais complicado, resultado do uso cada vez mais frequente das novas tecnologias e do acesso à informação. É mais útil para nós sabermos como se escreve no Google a expressão para procurar como se faz uma instalação de banheira do que é recordar como se fazia há 20 anos.

Portanto, não há qualquer problema ter pequenas falhas de memórias. Da próxima vez que te esqueceres de alguma coisa, lembra-te: é perfeitamente normal, é o cérebro a fazer apenas o seu trabalho!

…………………………………………………………
*Fonte: fasdapsicanalise

Um em cada dois brasileiros não se exercita o suficiente, diz OMS

Estudo Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgado nesta terça-feira confirma que o brasileiro – apesar do fenômeno das “musas fitness” e da rápida expansão das academias nas médias e grandes cidades – se exercita menos do que deveria.

O levantamento, feito com dados coletados nos últimos 15 anos, revela que praticamente uma em cada duas pessoas em idade adulta (47%) no país não pratica atividades físicas suficientemente.

Entre as mulheres, a ociosidade é ainda maior que a média, 53,3%, enquanto a prevalência de inatividade entre os homens é de 40.4%.

No mundo todo, 1,4 bilhão de pessoas que correm risco de saúde por causa da ociosidade, que pode aumentar a propensão ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, por exemplo, diabetes do tipo 2, demência e de alguns tipos de câncer.

Para chegar à estimativa, o órgão da ONU computou dados de 168 países e revisou 358 pesquisas populacionais feitas entre 2001 e 2016, sondando 1,9 milhão de pessoas.

No contexto global, o Brasil se encontra no grupo de países onde há maior ociosidade, superando nações como os Estados Unidos (40%), o Reino Unido (36%).

O estudo define como “atividade física insuficiente” o descumprimento da recomendação padrão da OMS, que aconselha que seja praticado pelo menos duas horas e meia de esforço moderado por semana ou 75 minutos de atividade intensa.

Em nível mundial, a falta de exercícios é um mal que atinge 32% das mulheres e 23% dos homens adultos.

Essa discrepância entre os sexos é um problema cultural, segundo os médicos da OMS, e revela uma questão de desigualdade. “Mulheres enfrentam mais barreiras sociais e culturais para participar de atividades físicas, particularmente nas horas de lazer”, afirma Melody Ding, da Universidade de Sydney, na Austrália, coautora do estudo.

As tendências foram organizadas por regiões e, no caso da América Latina e Caribe, o estudo concluiu que houve uma piora significativa no intervalo de 15 anos pesquisado.

De 2001 a 2016, a parcela ociosa da população saltou de 33,4% para 39,1%.

A Oceania, onde apenas 16,3% da população se exercita pouco, foi a região mais bem colocada. Só foi registrada melhora, contudo, no leste e sudeste da Ásia, onde a proporção de pessoas inativas caiu de 26% em 2001 para 17% 15 anos depois. A boa notícia se deve principalmente à popularização do hábito de se exercitar entre os chineses.

Os países ocidentais ricos, de maneira geral, apresentaram piora nos níveis de sedentarismo, que passou de 30,9% em 2001 para 36,8% em 2016.

Inatividade física e dinâmica de desenvolvimento

“Diferentemente de outros grandes riscos à saúde, os níveis insuficientes de atividade física não estão diminuindo mundialmente. Na média, um quarto dos adultos não está alcançando os níveis de atividade física recomendados para uma boa saúde”, alertou a principal autora do estudo, a médica Regina Guthold.

Citado no estudo da OMS, o pesquisador brasileiro e reitor da Universidade Federal de Pelotas, Pedro Hallal, acredita que o conceito de “atividade física insuficiente” não é a melhor forma de tentar expressar o nível de ociosidade física em uma determinada população.

Ele avalia que o mais correto seria falar em “inatividade física”, e questiona as conclusões do estudo, que classifica como redundantes quando confrontados com levantamentos anteriores feitos pelo professor James F. Sallis, da Universidade da Califórnia em San Diego.

Hallal reconhece, porém, que o documento da OMS tem o mérito de destacar que “efetivamente não estamos conseguindo lidar com a pandemia de inatividade física”.

“A população não está se tornando mais ativa com o passar do tempo, e isso é extremamente preocupante, ainda mais pelo fato de que 5,3 milhões de mortes por ano no mundo são causadas pela inatividade física”, disse à BBC News Brasil, citando estudo de I-Min Lee, de Harvard, publicado na revista The Lancet em 2012.

O pesquisador gaúcho observa que há um contraste entre países muito pobres e ricos. Nos primeiros, os indivíduos são fisicamente ativos em suas tarefas diárias, fazendo deslocamentos a pé ou de bicicleta para o trabalho e se engajando em tarefas domésticas intensas.

Já em boa parte dos países mais desenvolvidos, os hábitos de transporte estão relacionados ao uso de veículos motorizados e o trabalho não envolve esforço. Isso leva a uma situação de sedentarismo que, se não for compensada com a prática de esportes, resulta em problemas de saúde.

“Quando os países começam a se desenvolver, essas atividades físicas que são mais obrigatórias do que voluntárias diminuem, e permanece apenas a atividade física de lazer. Acontece que a atividade de lazer ainda é procurada por muito pouca gente no mundo”, diz.

“Por isso a tendência é que esses dados piorem ao longo dos anos, porque, quando as pessoas dos países pobres começarem a ter mais recursos financeiros, elas vão sair da ocupação que exige atividade”.

Hallal pondera, porém, que elas não adotarão necessariamente a prática da atividade recreacional se não houver um incentivo a isso.

Políticas públicas e norma cultural

A OMS teme que o objetivo global de reduzir os níveis de inatividade em 10% até 2025 não será atingido se novas medidas não forem implementadas – políticas públicas para a promoção de atividade física regular, por exemplo, que impulsionem mudanças de hábitos.

“A gente precisa que a população incorpore a prática no seu cotidiano, e não como uma coisa pontual, só antes do verão”, diz Hallal. “Não adianta dizer: ‘eu jogo futebol com meus amigos às terças-feiras’. Isso não é ser ativo fisicamente”, critica.

“Precisamos que as pessoas incorporem o hábito de fazer atividade regularmente. Esse é o grande desafio da população brasileira nesse sentido. As grandes medidas que têm eficácia para aumentar o nível de atividade física são estruturais e ambientais”, afirma o reitor.

A construção de parques, academias populares, calçadões de orla e ciclovias são alguns exemplos de políticas públicas citados por Hallal como medidas que comprovadamente trazem resultados.

“Não vamos resolver o problema da inatividade física com academias privadas. Isso vai melhorar a vida dos 5% mais ricos da população. Para atingir os 95% restantes, precisamos mesmo é de políticas coletivas, especialmente as que atingem a questão do meio em que vivemos”.

A brasileira Fabiana Rodrigues de Sousa Mast, doutora em ciências esportivas pela Universidade de Basileia, pesquisou o uso desse tipo de infraestrutura pelas mulheres na comunidade da Cidade de Deus no Rio de Janeiro.

Ela concluiu que instalações públicas, ainda que em condições precárias, nitidamente favorecem uma maior prática de exercícios e melhoram a qualidade de vida da população.

“Precisamos focar em construir um ambiente, particularmente em áreas sociais vulneráveis, se quisermos atingir os níveis de atividade física necessários para conquistar indicadores de saúde desejáveis”, diz Sousa Mast.

“Quando falamos da promoção de atividade física na esfera global, falamos de política pública e de norma cultural. É como no caso de Amsterdã, por exemplo. Hoje a norma cultural em Amsterdã é andar de bicicleta. No dia que a gente chegar a um estágio onde a atividade está incorporada na rotina, o problema já vai ter diminuído consideravelmente”, conclui Hallal.

*Por Marina Wentzel

 

 

 

 

……………………………………………………..
*Fonte: bbc/brasil

12 alimentos que você compra e replanta pra sempre

Você já pensou em ter seus alimentos à disposição sempre que precisar? Ou em consumir alimentos sem agrotóxicos e químicas?

Então você vai adorar essa dica! E além de fácil e simples, você ainda economiza dinheiro, e tem seus alimentos preferidos na cozinha de sua casa!

Você só vai precisar de um pouco de terra e alguns vasinhos.Veja a lista de 12 alimentos que você pode cultivar em sua própria casa:

Cebola
Coloque a cebola em um recipiente com água, e espera até que as raízes e as hastes comecem a aparecer. Assim que as raízes e as folhas tiverem com um tamanho satisfatório (5 ou 10cm), você poderá replantá-las em um vaso grande e com terra preparada, em um local que receba bastante luz solar.

Erva Cidreira
Coloque uns 5 talos e deixe em um recipiente com água até criar raízes. Depois disso, passe para um vaso com terra preparada. Ela suporta bastante Sol, e pode ser regada normalmente.

Alho-poró
Corte no talo (5cm) e coloque em um recipiente com água, mas não muito fundo. Coloque palitos como mostra na imagem, pra que ele fique quase boiando, e nunca deixa a água evaporar. Se for verão, você poderá plantá-lo assim que tiver bastante raízes, e claro, em um local que receba luz solar.

Acelga
Corte no talo (5cm) e coloque em um recipiente com água por alguns dias. Depois, é só plantar em um vaso grande com furos em baixo pra drenar a água.

Aipo (salsão)
Corte-o no talo (5 cm) e deixe em um vasilha com água. Umedeça a parte de cima da planta para não secar. Deixe em um local ensolarado, e logo as folhas amarelas começarão a brotar. Depois, as folhas ficarão verdes. Depois de ter novas folhas, aguarde uma semana para plantar em um vaso com furos em baixo. Em breve terá talos de salsão o ano todo!

 

 

 

 

 

 

Alface romana
Basta pegar a cabeça do alface e colocá-la num recipiente com água em um local que receba luz solar. Esse é bem fácil!

Cenouras
Assim como mostra na imagem, você usará a cabeça da cenoura que geralmente tem algumas folhas. Coloque-as num recipiente com água, onde receba luz do Sol. Depois das folhas terem crescido, você pode plantar em um vaso grande. Mas lembre-se sempre de cobrir toda a cenoura, deixando pra fora somente as folhas.

Alho
Basta escolher alguns dentes de alho e colocá-los em um copo com água.Assim que nascer os brotos, espere até que ele atinjam um tamanho de aproximadamente 10 cm. Se preferir, pode mantê-los na água mesmo, ou então, plantá-los em um vaso. Misture um pouco de areia com a terra, e cubra toda a cabeça do alho, deixando pra fora apenas as hastes. O cultivo do alho diretamente na água é mais fácil, mas aí vai de cada um. Logo você terá alhos sempre que desejar!

Alecrim
Separe umas três hastes e corte com uns 10 ou 15 centímetros. Retire flores caso tenha, e coloque em um copo de vidro com água, e deixe em um local que receba luz do Sol, trocando a água a cada dois dias. Quando as raízes tiverem com tamanho de aproximadamente 2 centímetros, você deverá plantar em um vaso com furos em baixo. De preferência, use uma mistura de 2/3 de areia grossa e 1/3 de terra musgo. Essa planta não gosta de muita água. Essa mesma técnica pode ser usada com outras plantas, como o coentro.

Hortelã
Separe umas três hastes e corte com uns 10 ou 15 centímetros. Retire flores caso tenha, e coloque em um copo de vidro com água, e deixe em um local que receba luz do Sol, trocando a água a cada dois dias. Quando as raízes tiverem com tamanho de aproximadamente 2 centímetros, você deverá plantar em um vaso grande, com furos em baixo, pois não pode encharcá-lo, mas também a terra não pode ficar seca em momento algum.

Manjericão
Separe umas três hastes e corte com uns 10 ou 15 centímetros. Retire flores caso tenha, e coloque em um copo de vidro com água, e deixe em um local que receba luz do Sol, trocando a água a cada dois dias. Quando as raízes tiverem com tamanho de aproximadamente 2 centímetros, você deverá plantar em um vaso médio, pois ele precisa de espaço e Sol. Depois disso, você terá manjericão sempre que precisar!

Cebolinha
Separe aquela parte branca com um pedaço do cabinho verde. Coloque em um copo com água, cobrindo a parte branca em cerca de 2,5 centímetros e deixe em um local que receba luz do Sol. Logo você terá cebolinhas sempre que precisar Se desejar, após fazer o primeiro processo, você pode plantá-las em um pequeno vaso.

…………………………………………………………
*Fonte: curtoecurioso

Guia do test-drive: tudo o que você precisa saber antes de fazer um

Essa “degustação” ao volante é a principal ferramenta para analisar razão e emoção: hora de descobrir qual modelo combina com seus desejos e necessidades

Quando você vai comprar um imóvel, obviamente não dá para dormir nele ou se acomodar na sala para assistir a TV antes de fechar o negócio.

Mas dá para visitar, tirar as medidas para ver se seus móveis cabem nos cômodos, imaginar a decoração, checar a qualidade da construção, ver em que horário bate sol, verificar se há muito barulho na vizinhança, entre outras precauções.

E com o carro, que geralmente é o segundo maior investimento de uma pessoa? Também dá para analisar uma série de aspectos de forma estática, e ainda fazer o mais importante, que é dirigir antes de tomar uma decisão.
Dirigir o carro é essencial para garantir uma boa compra

Dirigir o carro é essencial para garantir uma boa compra.

Portanto, é possível fazer uma compra com nível de segurança ainda maior do que se tem com um imóvel.

Mas para isso é preciso ter atenção a muitos detalhes que serão decisivos para sua satisfação com o produto. QUATRO RODAS e Fiat criaram um guia para o test-drive perfeito, para que você capriche não só na pesquisa, antes da compra, mas também na análise estática e nas impressões ao volante.

Afinal, a escolha de um automóvel envolve uma boa dose de emoção e isso faz parte desse momento prazeroso. Mas o componente racional é fundamental para garantir a plena satisfação da sua compra quando chegar em casa. Portanto, teste bem para comprar melhor.

 

 

 

 

 

 

 

O começo de tudo

Antes de ir para a rua, já é possível avaliar o carro, ainda dentro da concessionária. Deixe o test-drive para focar principalmente nas características dinâmicas. Saiba como uma boa olhada por dentro e por fora permite checar as qualidades construtivas do automóvel

1 – Entrar no veículo é a primeira oportunidade de testar o conforto e posição de dirigir, avaliando como ajustar bancos e volante.

2 – Viu se o porta-malastem o volume de que você precisa? Verifique a qualidade do revestimento e o ângulo de abertura da tampa.

3 – Se você tem filhos menores, leve sua cadeirinha e veja como ela se adapta ao cinto ou ao Isofix e como é o seu acesso à criança.

4 – Avalie o ângulo de abertura das portas. Um bom ângulo é importante para a entrada de idosos ou para pais colocarem e tirarem o bebê da cadeirinha.

5 – Ainda nas portas, vale bater de leve todas elas, para saber se fecham com facilidade ou necessitam de mais força.

6 – Confira o acabamento: toque nas partes para sentir a maciez dos materiais e cheque tamanho dos vãos e alinhamento das peças – isso vale também para a lataria

7 – Descubra onde ficam todos os porta-objetos e se eles são adequados para o seu celular, a sua carteira e outros itens que costuma levar no carro.

………………………………………………………………….
*Fonte: quatrorodas

5 dicas para você aprender a montar um cubo mágico

Já faz mais de quatro décadas desde que o professor húngaro Ernő Rubik, do Departamento de Desenho de Interiores da Academia de Artes e Trabalhos Manuais aplicados de Budapeste (Hungria), criou um brinquedo para ensinar seus alunos conceitos de tridimensionalidade: o cubo mágico.

O pequeno objeto colorido saiu das salas de aulas, entrou nos lares domésticos e conquistou multidões, virando até tema de competição globais, como, por exemplo, o torneio Red Bull Rubik’s Cube World Championship.

O evento, criado pela Red Bull em 2017, teve sua etapa nacional no Brasil em maio de 2017, em que foram selecionados quatro brasileiros vencedores para participar da final em Boston, nos EUA, em setembro.

O pernambucano e estudante de física Iuri Grangeiro, 20 anos, é um deles. O jovem foi vencedor na categoria mista Fastest Hand (quem resolve o cubo primeiro utilizando apenas uma mão), cumprindo o desafio em 32.780 segundos. Ele é também o recordista sul-americano de cubo mágico com uma mão só, já que mantém o recorde de 11.405 segundos.

……………………………………………………
*Fonte: revistagalileu

Café requentado faz mal?

Apesar de ser um prática bem comum de algumas pessoas, requentar o café não é nada recomendado. Seja qual for o método de preparo – coado, espresso, prensado ou filtrado – o café requentado pode trazer uma série de malefícios à saúde, como azia, dor de cabeça, enjoo e dor de estômago. Isso sem contar aquele sabor amargo que fica na boca o resto do dia.

Segundo os especialistas italianos, requentar café no microondas ou deixá-lo na ‘chapa’ da cafeteira destrói qualquer aroma desde que se preparou o café pela primeira vez. E como o aroma do café é responsável por tudo que lhe dá sabor, romper os aromas significa romper o sabor. Isso porque, quando esquentamos novamente o café já feito, ocorre a degradação das substâncias (óleos, cafeína etc.) que dão sabor e aroma à bebida, deixando então aquele gosto ruim de queimado.

Também é comum que o café seja colocado em garrafas térmicas. Mas, se por um lado a garrafa mantém o líquido aquecido por um bom tempo, por outro também é preciso lembrar o processo acelerado de oxidação do café – sobretudo se o café já estiver adoçado. Portanto, guardar pra mais tarde o que sobrou do café quentinho que você bebeu de manhã ou então tomar café requentado não vale a pena!

Esse conselho tem como fundamento o fato de que os processos de oxidação do café duplicam de velocidade a cada 10°C acima da temperatura ambiente, que gira em torno de 25°C. Dessa forma, dentro da garrafa, a cerca de 50°C, a oxidação do café vai acontecer cerca de duas vezes mais rápido.

Além disso, uma vez preparado, o café começa seu processo de oxidação após 20 minutos. Guardado na garrafa térmica, estima-se que o café estará oxidado em cerca de uma hora. O processo de oxidação, sobretudo na presença de açúcar, destrói os compostos responsáveis pelo sabor típico do café fresquinho, além do seu aroma característico. A consequência é que queda da qualidade da bebida sob influência dessa reação química com perda de aroma e alteração no sabor. Assim, você até pode usar a garrafa térmica, mas que seja por poucos minutos após o preparo.

Agora tomar café requentado, nem pensar. Até porque, café bom é café preparado na hora. Para aproveitar todos os benefícios que o café traz a saúde, é preciso:

– usar grãos de boa qualidade;
– utilizar sempre café o mais fresco possível;
– manter o pó ou o grão bem armazenado;
– preparar de forma correta, independente do método de extração utilizado;
– beber assim que terminar de preparar.

Como diz um ditado popular: “Café cru tem anos de vida. Café torrado, em grãos, algumas semanas. Café moído, no máximo horas. Depois de passado, o café é pra ser servido no mesmo instante”.

 

………………………………………………………..
*Fonte: brasitaliacafe

Café: 5 erros ao preparar esta deliciosa bebida

Não tem nada mais gostoso do que tomar um bom café, não é mesmo? Para você não errar mais na mão, perceba que erros pode estar cometendo e evite-os!

Os erros mais comuns ao preparar café
Se você gosta de um cafezinho logo de manhã e não sabe onde anda errando ao prepará-lo, confira estas dicas!

Para começar a manhã com o pé direito e bom humor, não tem nada melhor do que se deliciar com aquele café quentinho, não é mesmo? O café da manhã fica ainda mais agradável e consegue te dar o ânimo de que você precisa para começar o dia! Para muitos, preparar café é moleza, mas com certeza muita gente já errou o passo a passo do preparo dele. Se você está no segundo grupo, veja os principais erros que você pode cometer e se prepare para tomar um café delicioso sempre.

Não se importar com a água utilizada
A falta de critério com a água utilizada é um dos principais erros. Para você não passar mais por isso, utilize sempre água filtrada ou mineral na hora de fazer o café, porque se você for utilizar água da torneira e ela tiver impurezas ou excesso de cloro, pode influenciar diretamente no sabor e no resultado final.

Adicionar o açúcar à água
Esta é uma das manias mais comuns: colocar açúcar diretamente na água na hora da preparação da bebida. No entanto, este é um grande erro, pois pode alterar o sabor do café. Além disso, quem toma café sem açúcar ou com adoçante, acaba sendo “obrigado” a beber a bebida com açúcar, então evite fazer isso.
você não vai mais precisar beber café ruim.

Manter os grãos de café na geladeira
Normalmente, os grãos de café são armazenados na geladeira ou no congelador para mantê-los frescos até a hora da utilização. Porém, isso é um erro, afinal eles podem absorver o cheiro de outros alimentos guardados e ainda absorvem a umidade do lugar. Quando for guardar os grãos de café, deposite-os em um pote fechado e deixe-os em um lugar seco, com a temperatura ambiente. Desta forma, você não correrá nenhum risco de comprometer o sabor da bebida.

Utilizar a água fervente no preparo da bebida
Quando você estiver esquentando a água, não deixe ela chegar ao ponto de fervura. Acredite: ao juntar a água ao pó, o sabor do café será alterado, ficando mais amargo e com um gosto levemente ácido. Então, se a água chegar neste estado, aguarde alguns minutos para despejá-la.

Mexer no café enquanto despeja a água quente
Um dos erros comuns ocorre exatamente no momento de despejar a água sobre o pó de café: misturar o líquido com uma colher. Esta prática faz o aroma da bebida se perder. Por isso, evite este hábito e tenha a chance de sentir o aroma maravilhoso que essa bebida oferece para você!

 

…………………………………………………………….
*Fonte: tudogostoso

5 dicas de como economizar água e energia no banheiro da casa

Você já parou para pensar qual o lugar da casa em que o consumo de água e energia é maior? Acertou quem falou que é o banheiro! Por isso, se você ou seu cliente notaram alguma diferença no valor das contas, talvez esteja na hora de começar a economizar água e energia nesse cômodo.

É verdade que maioria dos moradores passem mais tempo em outros lugares da casa do que no banheiro. No entanto, hábitos incorretos durante alguns minutos nesse local são os responsáveis por um aumento expressivo no consumo de toda a residência.

1. Faça a manutenção preventiva

Uma pequena bucha gasta pode fazer com que uma torneira ou o chuveiro fiquem pingando por dias. Um detalhe que pode ser evitado com a manutenção preventiva. Ainda, o chuveiro deve ser limpo periodicamente, assim como os ralos, evitando vazamentos e infiltrações e, consequentemente, desperdício de água.

E, claro, sempre recomende ao seu cliente um check-up do estado dos canos e da fiação do banheiro.

2. Feche a torneira quando não estiver usando

É muito comum deixar a torneira aberta enquanto ensaboa o rosto ou escova os dentes, não é mesmo? O problema é que esse hábito corriqueiro pode desperdiçar até 12 litros de água durante alguns minutos de escovação. É muito coisa! Agora, multiplique essa quantidade por 30 dias ao mês? São 360 litros e alguns bons reais a mais nas contas.

Por isso, é preciso fechar a torneira sempre que não estiver utilizando o fluxo de água.

3. Regule o chuveiro e não desperdice água

Outras práticas comuns são: esperar o chuveiro esquentar enquanto a água escoa para o ralo, e tomar longos banhos com a água quente — o que também não faz bem para a pele.

Para ajudar a economizar água e energia nesses casos, a dica é deixar um balde abaixo do chuveiro enquanto a água fria sai, depois é só usar a água para molhar as plantas ou em outras tarefas. Deixar o balde dentro do box, para não esquecer de utilizá-lo, é uma ótima ideia.

Programar a temperatura do chuveiro de acordo com a estação do ano, assim como regular a saída de água fria e quente também são ações que ajudam a poupar energia.

E o mais importante é praticar um tempo de banho curto. De acordo com a Organização das Nações Unidas (OMS), cinco minutos são suficientes. Lembre-se também de sempre fechar o chuveiro quando for ensaboar o corpo e os cabelos.

4. Utilize equipamentos que consumam menos

Já existem muitas opções de torneiras e descargas mais econômicas disponíveis no mercado. Mas também é possível incluir, em um projeto para economizar água e energia, o uso das lâmpadas de LED que, em comparação com uma lâmpada convencional, pode poupar até 80% a mais.

Recomenda-se também as placas de aquecimento solar, que são sustentáveis, reduzem o uso de energia e ainda garantem água quente por toda a casa.

5. Reutilize água sempre que possível

Além da água que é possível captar do chuveiro enquanto ele aquece, uma outra forma de reaproveitamento é utilizar a água das fases da máquina de lavar para limpar o banheiro.

São mudanças simples — individuais e coletivas — que podem fazer uma grande diferença. Praticar e orientar seus clientes sobre essas atitudes também contribui para mostrar que você é um profissional consciente e responsável. Afinal, além da economia financeira, o meio ambiente é poupado e valorizado com essas ações.

……………………………………………………….
*Fonte: amigoconstrutor

Tom Morello, John 5 e mais confirmam shows gratuitos em Porto Alegre

Segurem essa, meus amigos: vai ter Tom Morello, John 5 e mais de graça em São Paulo e Porto Alegre em Setembro!

Os guitarristas vêm ao Brasil como parte do projeto Samsung Best of Blues, que vai fazer um festival ao ar livre com muita música boa. Na capital gaúcha, no dia 15, o evento rola no Anfiteatro Por do Sol, já na capital paulista, no dia 16, a festa acontece no Auditório Ibirapuera.

Ao lado destes dois ícones da guitarra estão também os brasileiros do Camarones Orquestra Guitarrística. A banda formada por Ana Morena (baixo), Anderson Foca (guitarra), Yves Fernandes (bateria) e Alexandre Capilé (guitarra) é conhecida por seu rock dançante instrumental e já tem seis álbuns na bagagem.

Fechando este baita line-up está Isa Nielsen, guitarrista brasileira que já tocou com o Detonator e agora faz parte do Metalmania, banda de Robertinho do Recife.

Tom Morello, que fez história com o Rage Against The Machine e agora com o Prophets Of Rage, vem ao país divulgar seu novo álbum solo, The Atlas Underground. O trabalho chega no dia 12 de Outubro e já falamos dele por aqui.

Já John 5, também conhecido como John Lowery, fez parte do grupo de Marilyn Manson e tem uma extensa carreira solo. O cara já colaborou com nomes como Slipknot, Steve Vai e Rob Zombie.

 

Tom Morello no Brasil

15/09 (sábado) – Porto Alegre – Anfiteatro Por do Sol
16/09 (domingo) – São Paulo – Auditório Ibiraquera
Horários: a definir
Entrada: os shows serão gratuitos e ao ar livre

 

 

 

 

 

 

 

 

………………………………………………………………..
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

5 motivos que te convencerão a trabalhar em pé

Listamos cinco razões para deixar a preguiça de lado e considerar fazer este esforço.

1. Quanto mais tempo sentado, mais vontade de sentar

Um estudo de 2012 da Sociedade Britânica de Psicologia mostrou que as pessoas gastam em média cinco horas e 41 minutos sentadas — próximas das sete horas usadas para dormir. E o pior é que, quanto mais tempo se passa sentado no trabalho, mais tempo se quer sentar fora dele. Esta preguiça reforça uma série de efeitos negativos.

Quando ficamos sentados por longos períodos de tempo, sofremos de uma série de problemas e alterações metabólicas, diminuindo a produção de substâncias químicas que ajudam a processar açúcares e gorduras, e quem sofre com isso é a nossa circulação e o sistema cardiovascular!

Além disso, nosso esqueleto e músculos formam um quadro reativo para o nosso corpo, que precisa mudar e responder às forças externas. Assim, nossos músculos não ficam tão contraturados ou travados, e podem ser mais alongados e flexionados regularmente, diminuindo futuras dores musculares.

2. Ficar mais tempo em pé reduz risco de obesidade

James Levine é um endocrinologista da Mayo Clinic, nos Estados Unidos, que deu uma entrevista de bastante repercussão este ano ao New York Times.

Ele queria saber por que alguns indivíduos engordam mais do que outros e começou a estudar a respeito.

O pesquisador juntou um grupo de funcionários de um mesmo escritório e os deu dietas idênticas, com 1.000 ou mais calorias do que costumavam ingerir, e os proibiu de aumentar a carga de exercícios.

A ideia era ver por que alguns engordariam e outros, não. Com sensores em cada um desses homens, Levine notou que permaneceu magro quem ficava de pé, parado ou andando, por mais de duas horas por dia.

Podemos ver então que a mudança de hábito e um estilo de vida saudável é um dos mais importantes fatores para a redução da obesidade.

3. Levantar-se previne diabetes tipo 2 e outras doenças

Do mesmo modo que tempo demais sentado gera obesidade, aparecem doenças como diabetes tipo 2. O problema, percebeu Levine, é que este comportamento está correlacionado à redução dos níveis de glicose no sangue, parte de uma síndrome chamada metabólica, que aumenta dramaticamente a chance de ter este tipo de diabetes.

Outro benefício de trabalhar em pé é de queimar mais calorias durante o dia, ajudando na perda de peso ou mantendo um peso saudável, o que diminui a chance de desenvolver diabetes!

Assim, enquanto trabalha, você queima um terço a mais de calorias do que ficar sentado, podendo queimar mais de 500 calorias a mais no dia só por trabalhar em pé.

4. Fugir da cadeira reduz o risco de doenças cardiovasculares

Esta descoberta é bem velha. Já na década de 1950, pesquisadores britânicos compararam motoristas de carros (que dirigem sentados) e de ônibus (que dirigem em pé).

Eles souberam, já naquela época, que o primeiro grupo teve mais ataques do coração e outros problemas cardiovasculares do que o segundo, algo confirmado por cientistas nas décadas seguintes.

Outros estudos demonstraram que quem fica muito tempo sentado tem 54% mais risco de desenvolver um ataque cardíaco.

Homens que ficam mais de 6 horas sentados por dia têm uma mortalidade 20% maior, enquanto as mulheres têm uma taxa 40% maior! Só isso já deveria ser argumento suficiente para você se levantar de sua cadeira para trabalhar.

5. Trabalhar em pé aumenta a expectativa de vida

Ao diminuir o risco de ficar obeso, ter diabetes e problemas metabólicos e sofrer doenças cardiovasculares, como se pode concluir, aumenta a expectativa de vida.

Especificamente, uma pesquisa de 2012 feita nos Estados Unidos apontou que, se americanos reduzissem o tempo diário sentados para três horas ao dia, a expectativa de viver subiria em dois anos.

Estudos também demonstram que o exercício regular e trabalhar em pé reduzem o impacto negativo dessas complicações.

 

 

 

 

 

 

…………………………………………………..
*Fonte: contioutra

7 truques envolvendo linguagem corporal que te ajudarão em diversas situações

A linguagem corporal é uma forma de comunicação não-verbal muito importante pois fornece uma incrível quantidade de informações. Através dela, é possível comunicar qualquer mensagem utilizando expressões faciais, movimentos com as mãos e gestos corporais.

Em muitas situações importantes que passamos, como uma entrevista de emprego ou uma conversa importante, a linguagem corporal pode ser usada a nosso favor. No entanto, se você não souber utilizá-la de forma correta, ela poderá te atrapalhar e sua mensagem não será captada.

1 – Dê um aperto de mão firme
Muitas mensagens positivas podem ser transmitidas através de um aperto de mão firme. Através do gesto você consegue demonstrar confiança e honestidade. As impressões negativas criadas no primeiro contato com uma pessoa, podem ser totalmente modificadas através de um aperto de mão. Lembre-se que o gesto não pode ser nem muito delicado e nem forte demais.

2 – Olhe diretamente para a pessoa que você está conversando
O contato visual é de extrema importância em todas as situações de nossas vidas. Mudar a direção do olhar para o relógio ou para o pé por exemplo, pode causar a impressão de que você não está tão interessado no assunto ou não está levando a sério aquela pessoa ou situação.

3 – Evite cruzar as pernas
É recomendado que os dois pés fiquem apoiados no chão quando estamos conversando com alguém ou até mesmo aguardando alguma pessoa. Quando ficamos com as pernas cruzadas por muito tempo, acabamos cansando e descruzamos com frequência. Ao fazermos isso, podemos causar uma impressão de inquietação. Não é essa imagem que você deseja passar, certo?

4 – Sente-se em linha reta
Uma boa postura é fundamental em qualquer situação pois transmite coragem, confiança e capacidade de liderança. Mesmo estando em pé ou sentado, é necessário manter as costas retas e o peito aberto, da forma mais natural possível.

5 – Sinta-se à vontade para sorrir quando apropriado
Um sorriso pode abrir muitas portas. Além de ser um gesto de simpatia, ele pode gerar interações, boas conversas e quem sabe iniciar grandes amizades. Com ele, a mensagem que está sendo transmitida, é recebida com mais disposição. É importante ressaltar que existem situações que não cabem um sorriso, mas quando apropriado é interessante usar esse truque.

6 – Varie seus padrões de voz
Falar de forma monótona pode cansar as pessoas a sua volta. Mudar os padrões de voz pode lhe ajudar a deixar uma conversa ou um momento menos cansativo. A dica é falar usando uma variedade de tons pois através desses, é possível manifestar melhor suas emoções.

7 – Use gestos para enquadrar suas palavras, mas não exagere
É fato que os humanos são atraídos pelo movimento. Usar as mãos para enquadrar uma palavra pode ser um truque bastante útil para demonstrar positividade e sensatez. Quando você afirma algo como uma capacidade sua por exemplo, ao falar e gesticular ao mesmo tempo, é bem provável que as pessoas que estão te ouvindo levarão você mais a sério. Contudo, exagerar nos gestos pode parecer que você está tentando chamar a atenção das pessoas de forma bastante forçada. Usá-los com equilíbrio é o grande segredo.

 

 

 

 

…………………………………………………
*Fonte:

Já ouviu falar na Síndrome da Bunda Morta? Ela é mais comum do que você pensa e você pode ter!

A esta altura da vida você já deve saber que não é saudável passar longos períodos sentados. O gesto já foi associado a doenças cardíacas, obesidade, diabetes e até câncer. Porém, há outro risco envolvido, um que a maioria das pessoas desconhece: a Síndrome da Bunda Morta.

Embora soe como piada, a síndrome, também conhecida como Amnésia Glútea, não é brincadeira. De acordo com o quiropraxista Andrew Bang, do Instituto do Bem-Estar da Cleveland Clinic, nos EUA, trata-se de uma lesão comum que ocorre em graus variados.

A síndrome se desenvolve quando o glúteo médio – um dos três principais músculos do espólio – para de funcionar corretamente, o que pode acontecer quando você passa muito tempo sentado. No entanto, conforme explicou a fisioterapeuta Kristen Schuyten, da Michigan Medicine, também pode acometer pessoas muito ativas que não trabalham os músculos do glúteo o suficiente.

Uma vez que o glúteo médio normalmente ajuda a estabilizar a pelve, a Amnésia Glútea pode provocar dores lombares e no quadril, além de problemas no joelho e tornozelo, já que o corpo tenta compensar o desequilíbrio.

A síndrome está relacionada a inibição recíproca, um processo que descreve a relação de “dar e receber” entre os músculos de cada lado de uma articulação. Conforme explicado por Bang, quando um músculo se contrai, um sinal nervoso é enviado para o músculo oposto para relaxar. Então, quando gastamos horas em uma posição sentada, nossos flexores do quadril se contraem, enquanto os glúteos descansam. “Basicamente, estamos treinando nossos glúteos para serem fracos”, analisou o especialista.

Esse mesmo tipo de desequilíbrio muscular pode ocorrer em pessoas altamente ativas, que têm músculos muito fortes ou isquiotibiais. Bang, por exemplo, afirmou ter visto diversos casos em maratonistas.

Diagnóstico

Uma das maneiras pela qual é pronunciada a “morte” de um bumbum é através do famoso Teste de Trendelenburg, um exame físico no qual uma pessoa levanta uma perna na frente da outra enquanto está em pé. Assim, se a pélvis se inclina para o lado do corpo em que a perna está levantada, isso indica fraqueza do glúteo médio no lado oposto, de acordo com Bang.

A curvatura nas costas também pode sugerir Amnésia Glútea. Embora a lombar normalmente forme um S, uma curvatura mais extrema pode sinalizar que os flexores do quadril estão tão espremidos que passaram a puxar a coluna para a frente.

Como prevenir?

Se você costuma trabalhar sentado, tente fazer pausas frequentes ao longo do dia. Levante-se e caminhe ou faça alguns alongamentos em sua mesa. Experimente colocar lembretes de hora em hora em seu telefone, para que você movimente os músculos do bumbum em intervalos regulares.

E quando for se exercitar, não se esqueça de malhar esse espólio. Faça agachamentos, pontes e eleve as pernas enquanto estiver deitado. A melhor maneira de evitar a “morte” do bumbum é melhorar sua rotina diária. Sente-se em uma bola de exercícios, passe algum tempo em pé, trabalhe em uma bancada alta. “Faça o que fizer, apenas não permita que seu corpo entre em um ciclo repetitivo”, aconselhou Bang.

………………………………………………………..
*Fonte: jornalciencia

7 mitos da musculação que você precisa parar de acreditar

Exercícios físicos são de extrema importância para nosso corpo e organismo. Os ganhos através de exercícios como a musculação são significativos para nossa qualidade de vida, porém, é preciso entender que a prática saudável dos exercícios se faz necessária e que nosso organismo reage aos estímulos de maneira diferente, variando de pessoa para pessoa.

Aqui na Fatos Desconhecidos já escrevemos sobre 7 exercícios eficazes que você pode fazer em qualquer lugar e sobre o que acontece com o seu corpo quando você fica 14 dias sem fazer exercícios físicos. Hoje, listamos para vocês alguns mitos que circulam por aí sobre a musculação e que as pessoas definitivamente precisam parar de acreditar. Confira!

1 – Vou ficar muito grande só com a musculação

A musculação ira gradualmente aumentar o volume do tecido muscular, porém, o tecido de gordura é mais volumoso que o muscular. Dessa forma, é comum que um praticante de musculação veja suas medidas diminuírem a medida que seus treinos evoluem. Por exemplo, uma pessoa que pratica musculação com 90 quilos pode ter um volume corporal menor do que uma pessoa sedentária de mesma altura e peso.

2 – Musculação não emagrece

A redução do peso também acontece através da musculação, uma vez que o aumento do volume muscular proporciona um aumento do metabolismo, especialmente durante o repouso, e isso faz com que haja uma potencialização do gasto calórico e consequentemente, uma redução do peso.

3 – Se você não sente dor no dia seguinte de nada valeu o treino

A dor que geralmente ocorre após os treinos é uma resposta do organismo à inflamação dos músculo, o que pode desaparecer a medida que seu corpo se acostuma. Portanto, a dor não é um marco de progresso.

4 – Musculação é treino para homem

Força muscular e massa são indicados para qualquer pessoa, independente de gênero e idade. Exercícios que geram sobrecarga óssea são indispensáveis para as mulheres, para evitar a perda de massa óssea que começa a ocorrer por volta dos 30 anos de idade e se acentua após a menopausa.

5 – Ganhar massa sem anabolizantes é impossível

Um treino adequado, aliado a uma dieta rica em proteínas e carboidratos, especialmente os de baixa carga glicêmica, podem sim gerar ganhos de massa muscular sem o uso de esteroides anabolizantes. A grande questão é a falta de paciência e disciplina necessários para respeitar o tempo para que isso aconteça. O que faz com que muitas pessoas recorram a métodos não aprovados e que podem comprometer seriamente a saúde.

6 – Se eu parar de me exercitar vou perder tudo

Isso não é necessariamente verdade. O que acontece é que quando você treina utilizando pesos, sua musculatura vai respondendo e alterando a forma do seu corpo. Se você para de se exercitar, seu corpo vai voltando para o que era antes, uma vez que o estímulo dos exercícios cessou e os pesos vão deixar de fazer efeito sobre os músculos.

7 – Não posso fazer musculação porque estou grávida

A musculação pode ser praticada por gestantes, se a prática de exercícios físicos já ocorresse antes da gestação. A musculação pode contribuir para um trabalho de parto mais seguro, prevenindo dores lombares, auxiliando no ganho de peso ideal e na recuperação pós parto. Porém, é importante que a futura mamãe consulte seu médico e verifique sua liberação para a prática.

 

 

 

 

……………………………………………….
*Fonte: fatoscuriosos

Essas 11 dicas vão soltar o freio de mão da sua vida

1. A rotina pode e deve ser sua aliada.
Saber que existe uma rotina simples, mas com detalhes que te agradam e confortam, ajuda muito a diminuir a ansiedade e aumentar a segurança para lidar com todos os obstáculos que possam surgir no dia a dia. Desde pegar um caminho que passa por flores que você goste ou ler algo durante o café da manhã, qualquer pequeno detalhe pode fazer muita diferença.

Saber que existe uma rotina simples, mas com detalhes que te agradam e confortam, ajuda muito a diminuir a ansiedade e aumentar a segurança para lidar com todos os obstáculos que possam surgir no dia a dia. Desde pegar um caminho que passa por flores que você goste ou ler algo durante o café da manhã, qualquer pequeno detalhe pode fazer muita diferença.

2. Na educação financeira, sinceridade é a primeira lição.
Sem papo furado, descubra qual a quantia de dinheiro ideal para cobrir todas as suas despesas básicas. Assim, ficará muito mais fácil organizar o resto do seu dinheiro para todo os outros gastos. Quer dar mais rolês? Separe a grana deles. Prefere gastar em brusinhas? Então organize o dinheiro delas. Seu orçamento precisa estar alinhado ao que é prioridade na sua vida, mas sem comprometer seu orçamento básico.

Sem papo furado, descubra qual a quantia de dinheiro ideal para cobrir todas as suas despesas básicas. Assim, ficará muito mais fácil organizar o resto do seu dinheiro para todo os outros gastos. Quer dar mais rolês? Separe a grana deles. Prefere gastar em brusinhas? Então organize o dinheiro delas. Seu orçamento precisa estar alinhado ao que é prioridade na sua vida, mas sem comprometer seu orçamento básico.

3. Anote ai: anote tudo.
É fácil falar que é preciso se organizar, mas começar a fazê-lo é muito difícil. Por isso, inicie com esse passo: Anote tudo. Deve comprar algo? Anote. Tem que pagar uma conta? Anote. Precisa anotar algo? Anote. Fazendo isso, você consegue lidar com todos aqueles pequenos problemas que só te fazem procrastinar, sobrando mais dia no seu dia e menos problemas na sua cabeça.

É fácil falar que é preciso se organizar, mas começar a fazê-lo é muito difícil. Por isso, inicie com esse passo: Anote tudo. Deve comprar algo? Anote. Tem que pagar uma conta? Anote. Precisa anotar algo? Anote. Fazendo isso, você consegue lidar com todos aqueles pequenos problemas que só te fazem procrastinar, sobrando mais dia no seu dia e menos problemas na sua cabeça.

4. Procrastinar é produtivo.
Não se engane, fazer vários nadas não é assim tão ruim. Você não tem que estar o tempo todo fazendo algo, você precisa é gastar seu tempo de maneira inteligente. A procrastinação te ajudar a focar em outras informações que antes você não via pois estava com a cabeça enterrada em problemas. "Enrolar" te ajuda a criar novas soluções para problemas antigos. Só cuidado para não procrastinar até ter um problema de prazo.

Não se engane, fazer vários nadas não é assim tão ruim. Você não tem que estar o tempo todo fazendo algo, você precisa é gastar seu tempo de maneira inteligente. A procrastinação te ajudar a focar em outras informações que antes você não via pois estava com a cabeça enterrada em problemas. “Enrolar” te ajuda a criar novas soluções para problemas antigos. Só cuidado para não procrastinar até ter um problema de prazo.

5. Deixe pra trás o que não te leva pra frente.
Desapego é a palavra. Às vezes mantemos coisas nas nossas vidas pelo simples pensamento de que mais pra frente precisaremos delas, mas se já passou dias, meses e anos e você nunca mais lembrou delas, então é hora de dar tchau. Além de ocupar espaço, te impedem de conhecer coisas novas. E sim, aqui estamos falando de roupas, objetos, sentimentos e pessoas. #ficaadica

Desapego é a palavra. Às vezes mantemos coisas nas nossas vidas pelo simples pensamento de que mais pra frente precisaremos delas, mas se já passou dias, meses e anos e você nunca mais lembrou delas, então é hora de dar tchau. Além de ocupar espaço, te impedem de conhecer coisas novas. E sim, aqui estamos falando de roupas, objetos, sentimentos e pessoas. #ficaadica

6. Sair da zona de conforto é ruim, mas é bom.
Ninguém gosta de mudanças. Mas é um fato que uma vez fora da zona de conforto, você se sente muito melhor. Dê uma chance para aquele estilo musical que você não costumava ouvir, ou para aquela comida que você sempre teve medo de não gostar ou aquela pessoa com quem você sempre teve um crush de amizade. O mundo fora da zona de conforto é lindo.

Ninguém gosta de mudanças. Mas é um fato que uma vez fora da zona de conforto, você se sente muito melhor. Dê uma chance para aquele estilo musical que você não costumava ouvir, ou para aquela comida que você sempre teve medo de não gostar ou aquela pessoa com quem você sempre teve um crush de amizade. O mundo fora da zona de conforto é lindo.

7. Conheça seu bairro e descubra a si mesmo.
Tire 10 -15 minutos na semana para passear pela sua vizinhança. Além de conhecer e descobrir as mais diversas coisas que a rotina esconde, o passeio ainda ajuda a se concentrar em si mesmo e nas suas escolhas.

Tire 10 -15 minutos na semana para passear pela sua vizinhança. Além de conhecer e descobrir as mais diversas coisas que a rotina esconde, o passeio ainda ajuda a se concentrar em si mesmo e nas suas escolhas.

8. Ouça mais e fale menos.
Você criará laços verdadeiros com as pessoas, aprenderá a aceitar as diferenças e conhecerá diversas visões de realidade. E qual vantagem disso? Não importa. Empatia é a maturidade de deixar a si mesmo de lado e é essa maturidade que fará as pessoas se sentirem confortáveis e seguras com a sua presença.

Você criará laços verdadeiros com as pessoas, aprenderá a aceitar as diferenças e conhecerá diversas visões de realidade. E qual vantagem disso? Não importa. Empatia é a maturidade de deixar a si mesmo de lado e é essa maturidade que fará as pessoas se sentirem confortáveis e seguras com a sua presença.

9. Tenha medo.
O bom do medo é que ele te deixa alerta as possibilidades e consequências de tudo o que você faz. É tendo medo que você descobre a coragem para ir além do que você imaginou que seria capaz. Tenha medo sim, mas não deixe o medo te freiar, use ele de incentivo para estar sempre se superando.

O bom do medo é que ele te deixa alerta as possibilidades e consequências de tudo o que você faz. É tendo medo que você descobre a coragem para ir além do que você imaginou que seria capaz. Tenha medo sim, mas não deixe o medo te freiar, use ele de incentivo para estar sempre se superando.

10. Mude o seu referencial.
Se cerque daquilo que te inspira. Siga pessoas que você admira, busque referências naquilo que você faz, curta postagens que te entusiasmem e livre-se daquilo que for tóxico. São esses bons exemplos que vão te fazer driblar a falta de incentivo e evitar que você desanime dos seus objetivos. Se inspire e respire. 😉

Se cerque daquilo que te inspira. Siga pessoas que você admira, busque referências naquilo que você faz, curta postagens que te entusiasmem e livre-se daquilo que for tóxico. São esses bons exemplos que vão te fazer driblar a falta de incentivo e evitar que você desanime dos seus objetivos. Se inspire e respire. 😉

11. Dizer “sim” é bom, mas já experimentou dizer “não”?
O "não" é libertador. Dizer "não" é ter clareza dos seus objetivos e do que precisa -ou não- ser feito para alcançá-los. E saber o que se quer é o primeiro passo para não deixar que as outras pessoas tomem as decisões da sua vida por você. Camarão que só diz sim, a onda leva.

O “não” é libertador. Dizer “não” é ter clareza dos seus objetivos e do que precisa -ou não- ser feito para alcançá-los. E saber o que se quer é o primeiro passo para não deixar que as outras pessoas tomem as decisões da sua vida por você. Camarão que só diz sim, a onda leva.
🙂

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte: buzzfeed

Por que 13 de julho é Dia Mundial do Rock?

Por que o “Dia Mundial do Rock” foi escolhido 13 de julho e é comemorado desde o ano de 1985?

É que foi neste dia, em 1985 que ocorreu o festival Live Aid, em Londres e na Filadélfia. Na ocasião, Phill Collins, da banda Genesis, que participou dos dois shows, declarou aquele como o “Dia do Rock”.

Mas a data não é tão mundial assim.

“Nem os americanos nem os ingleses levaram a sério. Só brasileiros e as rádios rock do Brasil, desde aquela época, passaram a considerar esse o Dia do Rock”, explica o cantor, radialista, compositor ícone oitentista e jornalista Kid Vinil, autor do livro Almanaque do Rock.

O festival foi organizado pelo escocês Midge Ure e pelo vocalista da banca Boomtown Rats, Bob Geldof, que se comoveu com a crise humanitária na Etiópia e resolveu fazer um megaevento com o objetivo de arrecadar fundos para a causa. O show na Filadélfia ocorreu no estádio JFK e reuniu nomes como The Cars, Tom Petty, Madonna, Duran Duran, Led Zeppelin e Bob Dylan. Na Inglaterra, o concerto ocorreu no estádio Wembley e contou com U2, Paul McCartney, The Who e Queen. Tipo só pouca coisa.

No mesmo dia, shows em outros países, como Austrália e Alemanha, foram feitos para apoiar a causa. As apresentações foram transmitidas para cerca de 150 países e alcançaram aproximadamente 2 bilhões de espectadores. Segundo Kid Vinil, as rádios rock brasileiras passaram a celebrar a data em meados de 1987, ano também conhecido como o do nascimento da SUPER. A partir daí, mais eventos acabaram acontecendo para comemorar, e a coisa foi se espalhando.

“Para os gringos, o Dia do Rock é todo o dia. Aqui tinha que ter um dia, pois infelizmente não somos o país do rock”. – Kid Vinil.

 

 

 

 

 

 

……………………………………………………
*Fonte: superinteressante

Como o Chile reduziu em 22% a ingestão de bebidas açucaradas em quatro anos

Os chilenos diminuíram em 21,6% o consumo de bebidas açucaradas desde 2014, segundo um recente estudo publicado pela Universidade do Chile. Um fator-chave foi a implementação de uma lei que criou impostos especiais para esse tipo de produto.

Segundo o professor Cristóbal Cuadrado — líder da pesquisa, realizada em 2.900 domicílios —, um terço dos açúcares livres que os chilenos consomem vem de bebidas gaseificadas, sucos e águas saborizadas, o que faz do país sul-americano um dos maiores consumidores de calorias provenientes desses produtos. Cifras oficiais apontam que 31,2% da população tem obesidade e que 470.000 pessoas (3,2% do total) têm obesidade mórbida.

As estimativas do grupo de especialistas liderados por Cuadrado indicam que, desde 2014, cada chileno reduziu em 700 mililitros o seu consumo mensal de bebidas açucaradas. Ou seja: cada pessoa ingere 3,5 litros desses líquidos por mês atualmente. O estudo não registrou variações significativas em relação às bebidas com baixo teor de açúcar.

A história do aumento de impostos remonta a 2014, quando a então presidenta Michelle Bachelet incluiu a modificação na reforma tributária que realizou para financiar o programa de ensino universitário gratuito. Na época, ficou determinado que todas as bebidas não alcoólicas contendo colorantes, aromatizantes ou edulcorantes seriam taxadas com o chamado Imposto Adicional às Bebidas Açucaradas (IABA). Com sua aprovação, criaram-se duas categorias: a das bebidas com adição de 6,25 gramas ou mais de açúcar para cada 100 ml, que devem pagar 18% de imposto; e a das que têm menos concentração de açúcar, que pagam 10%. Antes da lei, todas as bebidas pagavam 13%.

Cuadrado diz que “embora tenha sido de pequena magnitude, o imposto conseguiu gerar uma modificação no consumo das famílias, o que mostra o potencial positivo desse tipo de medida”. Tal como ocorreu no Chile, impactos positivos de leis similares têm sido vistos no México e na Califórnia (EUA).

Além do hábito dos consumidores, o imposto teve um efeito na indústria. Em setembro de 2017, a filial local da Coca-Cola anunciou uma redução no teor de açúcar de dois de seus principais produtos: Sprite e Fanta, que ficaram com 4,9 gramas para cada 100 ml, ou seja, debaixo do limite imposto pela lei.
O país onde não existe Kinder Ovo

Há vários anos, o Chile trava uma batalha contra os alimentos considerados poucos saudáveis. Um projeto iniciado no primeiro mandato de Sebastián Piñera (2010-2014) levou a uma lei rigorosa sobre a publicidade de alimentos e cuja implementação teve início no último Governo de Bachelet. A norma introduziu medidas como o uso de carimbos de advertência para os alimentos com alto teor de nutrientes críticos, incluindo calorias, sódio, gorduras saturadas e açúcar. Desde 2016, os alimentos com esse carimbo não podem fazer propaganda para menores de 14 anos.

Tampouco é permitido fazer promoções para essa faixa etária com a utilização de brindes e concursos. A lei determinou o desaparecimento de mascotes como o Tigre Tony, exibido nos pacotes dos Sucrilhos, da Kellogg’s. Também tirou do mercado o ovo de chocolate Kinder Surpresa, que no mundo todo vem com um brinquedo em seu interior.

Enquanto as medidas continuam sendo avaliadas, a chamada lei do rótulo de alimentos entrou em junho numa nova etapa. Desde então, os parâmetros para que um produto seja obrigado a exibir o carimbo foram endurecidos. A previsão é que, nos próximos meses, sejam cada vez mais os produtos que estampem na embalagem um octógono preto (similar ao da placa de “Pare”) com os dizeres: “Alto teor de”.

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte: elpais

Brasileiros precisarão de autorização de viagem para entrar na Europa a partir de 2021

O Parlamento Europeu aprovou nesta quinta-feira (5) um novo sistema de autorização de viagens para turistas de países que não precisam de visto para entrar nos países da União Europeia (UE), entre eles o Brasil. A autorização prévia à viagem passará a ser exigida a partir de 2021.

O sistema, conhecido como Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (ETIAS, na sigla original em inglês), foi aprovado por 494 votos a favor, 115 contra e 30 abstenções. Agora a lei precisa ser adotada formalmente pelo Conselho de Ministros, que já tinha entrado em um acordo sobre ela. Depois, será publicada no Diário Oficial.

O países que aplicarão o ETIAS são os do Tratado de Schengen, que inclui 22 nações do bloco europeu, e mais quatro países da UE: Romênia, Bulgária, Croácia e Chipre (veja o mapa abaixo). O Reino Unido não exigirá a autorização, já que está entre os que não fazem parte do Tratado de Schengen.

Antes de viajar à Europa, os turistas terão de preencher um formulário eletrônico com dados pessoais, informações do documento de viagem e o país em que entrará. Além dos brasileiros, turistas de outras 60 nacionalidades serão afetados, como canadenses, americanos, australianos e latino-americanos.

A autorização será válida por três anos e vai custar 7 euros (cerca de R$ 32), a não ser para viajantes menores de 18 anos ou maiores de 70 anos, para quem será gratuita.

Mas a decisão final para entrar na União Europeia continua com a segurança de fronteira de cada país.

Por que uma autorização prévia?

O objetivo é comparar as informações proporcionadas por cada cidadão com as de distintas bases de dados europeus para identificar, antes de sua saída, as pessoas que apresentem “um risco de migração irregular ou de segurança”.

Com esse sistema automatizado, inspirado no formulário ESTA, um dispositivo em vigor nos Estados Unidos, a UE pretende proteger melhor suas fronteiras exteriores, detectando antes de sua saída para a Europa alguns indivíduos potencialmente perigosos.

O que acontece se for detectado um risco?

Os pedidos serão processados automaticamente e é esperado que o sistema ETIAS aprove a grande maioria das autorizações quase imediatamente.

Mas se o cruzamento de dados detectar alguma informação relevante para o risco de segurança, o pedido será processado manualmente. A decisão de aprovar ou não a autorização deverá ser feita em até 4 semanas. As recusas devem ser justificadas e o solicitante tem o direito de recorrer.

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte: g1

Adesivo para tratamento de Alzheimer já está disponível pelo SUS

Uma nova forma de tratamento para o Alzheimer está disponível no SUS. O remédio rivastigmina, já disponibilizado em comprimido e solução oral, agora também é disponibilizado em forma de adesivo transdérmico.

A rivastigmina faz com que ocorra um aumento de uma substância chamada acetilcolina, que está reduzida no cérebro de quem tem Alzheimer, mas a medicação pode causar sintomas gastrointestinais como náuseas e diarreia, diminuição do apetite e dor de cabeça.

A adição do adesivo à lista de remédios do SUS representa uma melhoria na qualidade de vida de alguns pacientes. Por ser colocado na pele, a absorção do remédio se dá ao longo do dia e por isso tem menos efeitos colaterais, especialmente no sistema digestivo.

Segundo Rodrigo Schultz, presidente da Associação Brasileira de Alzheimer, o adesivo também garante que não haja flutuação da dose: “Sendo por via transdérmica, há uma liberação contínua e regular ao longo das 24h, impedindo a ocorrência de flutuação de dose, ou seja, aumentos e reduções da medicação no organismo conforme ela segue sendo metabolizada.”

Além disso, de acordo com Schultz, muito pacientes se recusam a fazer uso de remédios via oral e muitas vezes tiram o medicamento da própria boca após a administração.

“Com o adesivo ele não consegue fazer isso. Além disso, como a absorção é por via cutânea, há uma redução sensível na possibilidade da existência de efeitos colaterais, principalmente gastrointestinais”, explica.

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa, causada pela morte progressiva de células do cérebro, prejudicando funções como memória, atenção e orientação e linguagem, o que gera graves consequências para qualidade de vida dos pacientes. A doença não tem cura.

No Brasil, segundo dados de 2017, estima-se que haja 1,1 milhão de pessoas com a doença.

Quem pode usar?

Qualquer paciente com Alzheimer que faça uso da rivastigmina pode usar o medicamento em versão adesiva: “Há uma população que se beneficia mais que seria aquela com dificuldades para engolir ou que apresenta efeitos colaterais, sejam eles com qualquer medicação para essa finalidade”, explica Schultz.

O adesivo também pode ser usado no banho e deve ser retirado 24 horas após o uso. Por ser colocado na pele, o adesivo pode trazer esporadicamente algumas reações no local da sua colocação e por isso é recomendado um rodízio no local de uso do adesivo.

“Em caso de falta, podem ser usados comprimidos ou solução oral na dose correspondente sem problema algum. Sem qualquer risco”, diz Schultz.

Como ter acesso

Segundo o Ministério da Saúde, o medicamento já está disponível nas unidades de saúde responsáveis pela distribuição deste tipo de remédio.

Ainda de acordo com o ministério, os pacientes devem atender aos critérios de elegibilidade dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas e apresentar os seguintes documentos em um estabelecimento de saúde designado:

Cópia do Cartão Nacional de Saúde (CNS);
Cópia de documento de identidade, cabendo ao responsável pelo recebimento da solicitação atestar a autenticidade de acordo com o documento original de identificação;
Laudo para Solicitação, Avaliação e Autorização de Medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (LME), adequadamente preenchido;
Prescrição médica devidamente preenchida;
Documentos exigidos nos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas publicados na versão final pelo Ministério da Saúde, conforme a doença e o medicamento solicitado;
e cópia do comprovante de residência.

Além da rivastigmina, o SUS também disponibiliza outros medicamentos para o tratamento de Alzheimer: Donepezila, Galantamina e a Memantina.

O ministério explica que a adição da versão adesiva do medicamento à lista disponibilizada pelo SUS se dá por causa dos menores efeitos colaterais e da facilidade de aplicação.

“A rivastigmina já era oferecida por via oral, porém tinha o inconveniente de causar alguns desconfortos gastrointestinais no paciente, como náusea, vômito e diarreia. Para tentar diminuir esses efeitos indesejáveis, foi incorporada essa nova apresentação, que será indicada pelo médico que acompanha o paciente. Além disso, os pacientes com Alzheimer, podem tomar mais medicamentos ou menos que a quantidade prescrita, devido ao esquecimento”, diz nota do Ministério da Saúde.

………………………………………………………..
*Fonte: G1

Sete dicas para uma viagem de carro confortável de verdade

Viajar de carro é uma ótima oportunidade para conhecer lugares diferentes, que talvez não pudessem ser alcançados com outros meios de transporte, e viver experiências típicas das estradas: conhecer um caminho novo, passar por cidades pequenas, curtir rotas cênicas e mirantes que pedem por uma paradinha para fotos.

Mas, especialmente para quem viaja em família, um carro com pouco espaço também pode significar desconforto e uma boa dose de desgaste depois de algumas horas. Separamos algumas dicas que vão ajudar a transformar o veículo em um aliado – e não inimigo – na hora de pegar a estrada. Confira:

1. Faça uma lista

Com antecedência, anote tudo o que você vai levar. Se tiver filhos, envolva as crianças, peça para que elas separem brinquedos e roupas. Para evitar contratempos de última hora, é bom fechar as malas na véspera.

“É importante fazer tudo com calma, pensando no destino, no número de dias, no total de passageiros e no espaço interno do veículo”, explica a organizadora profissional Luciana Pinto Oliveira.

2. Monte o quebra-cabeças

Com toda a bagagem arrumada, chegou a hora de colocá-la dentro do carro. Por onde começar? Pelo porta-malas. O ideal é que quase tudo caiba dentro dele – por isso, o ideal é viajar em carros com bagageiros robustos.

Procure começar pelas malas maiores, que podem ficar no centro e no fundo. As malas mais resistentes precisam ficar abaixo das mais maleáveis. Os objetos menores vão ao redor. “Malas menores e flexíveis são melhores, porque se encaixam com mais facilidade”, diz Luciana.

3. Separe o essencial

Na frente do carro, é importante levar apenas o que for muito necessário. Objetos mais frágeis, por exemplo, ou alimentos – no caso de bebidas, dê preferência para garrafas plásticas com tampas ou caixas com canudos.

Faça uso dos porta-objetos do carro, eles são pensados justamente para deixar tudo à mão, mas sem atrapalhar.

4. Tudo no lugar

Um dos maiores motivos de desconforto e falta de segurança durante o trajeto está nas bolsas e nos objetos soltos no carro. Qualquer movimento mais brusco e eles podem ser arremessados contra os passageiros.

Além disso, não há nada pior do que travesseiros ou malas que cobrem a visão do espelho retrovisor interno. O melhor local para colocar objetos avulsos é embaixo dos bancos. Se precisar levar uma mala maior, o ideal é que ela fique no banco de trás, presa pelo cinto de segurança, como se fosse um passageiro.

5. Nada de colo!

Dentro de um automóvel, o conforto precisa andar de mãos dadas com a segurança. Crianças no colo, por exemplo, nem pensar: elas devem usar o bebê-conforto até os 4 anos, a cadeirinha entre os 4 e os 7 e o assento de elevação até os 10 anos.

6. Use o bagageiro

Para levar mais malas do que o carro comporta ou então objetos maiores, como bicicletas, os bagageiros são uma ótima opção. O importante é instalá-los corretamente e evitar colocar peso em excesso sobre eles.

É bom lembrar que os bagageiros alteram a aerodinâmica do veículo, o que vai exigir que o motorista mude um pouco a maneira de dirigir.

7. Valorize o espaço interno

Na hora de trocar de carro, quem viaja com muita frequência ou tem muitos filhos (ou amigos) precisa levar em conta o tamanho do espaço interno. Agora é só escolher a rota e pegar a estrada!

…………………………………………………………
*Fonte: viagemeturismo

Aplicativo indica as 3 falhas mais comuns nos carros

São Paulo — Se você tem um carro, provavelmente já teve que fazer manutenção para permitir seu pleno funcionamento. No final do ano passado, a Engie chegou ao Brasil e começou a vender um dispositivo Bluetooth para veículos, que se comunica com um aplicativo para smartphones Android e iPhones. Seu objetivo é fazer um check-up no automóvel para descobrir problemas e talvez até evitar que o motorista seja enganado por mecânicos.

Agora, a empresa divulgou um relatório que mostra as principais falhas dos carros no Brasil entre aqueles que foram avaliados com sua tecnologia nos últimos meses.

Um dos principais problemas é no conversor catalítico, que tende a ficar com a eficiência abaixo do limite requerido. Ele ajuda a reduzir a emissão de poluentes ao transformar os gases mais nocivos ao menos ambiente em poluentes mais brandos. Buracos ou lombadas altas demais na via e gasolina de baixa qualidade podem ocasionar o problema.

Outro comum nos carros dos brasileiros é a falha na ignição do motor nos cilindros. Isso pode acarretar problemas de desempenho e fazer o motor rodar de maneira áspera. O motivo disso é um problema na vela de ignição eletrônica que pode ser ocasionada por falha da faísca que gera a combustão para o motor ou pela mistura indevida de ar e combustível nos cilindros.

A terceira falha apontada no relatório é no sistema que controla os níveis de ar e combustível no motor do carro. Seu impacto também é no controle de emissões de gases poluentes.

Valdir Gomes de Lima Júnior, mecânico de carros, afirma que os problemas são comuns em carros flex, que usam álcool e gasolina, e ocasionados pelos combustíveis que tenham algum tipo de mistura. Júnior estima que o custo do conserto de cada uma das falhas tenha custo entre 200 e 400 reais, considerando valores para carros populares. Ele afirma ainda que o reparo com um processo de descarbonização pode tornar o carro mais eficiente e econômico.

Fabio Country Manager da Engie para o Brasil, baseado em Israel, conta em entrevista a EXAME que a Engie App tem mais de 25 mil carros conectados com seus dispositivos no país, marca atingida em cerca de seis meses. O executivo diz ainda que a maior parte dos usuários têm smartphones com sistema Android, apesar de a parcela de usuários de iPhones ser significativa.

A estratégia da empresa é fazer parcerias com oficinas e empresas de manutenção que poderão estar listadas no aplicativo para celulares. Por enquanto, as companhias parceiras não pagam nada à plataforma digital para estarem facilmente visíveis aos usuários do dispositivo Engie.

O aparelho Bluetooth é compatível com todos os carros que tenham a porta OBDII, comum na grande maioria dos carros no Brasil, e faz o diagnóstico do veículo em poucos segundos. Além disso, o aplicativo também tem um campo que mostra o consumo de combustível do automóvel. Os preços sugeridos do dispositivo Bluetooth variam entre 115 e 125 reais.

 

 

 

 

…………………………………………….
*Fonte: exame

O futuro dos empregos depende de uma criatividade que ainda não existe

“A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada,
ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.”
ALBERT EINSTEIN

Se todas as profecias dizem que, em breve, não haverá mais empregos, e que teremos terríveis abalos em toda a estrutura econômica do mundo, o que pode ser feito para mudar esse fatídico destino?

A criatividade que “criou” esse mundo o fez sob os auspícios do conhecimento acumulado até aqui. Infelizmente, parece que deu algo errado. As consequências de se ter uma sociedade como a de hoje exige um tipo de imaginação disruptiva, que se reinventa à medida que a realidade se descortina logo à sua frente. Claro, muitos diriam que a velocidade de transição está cada vez mais acelerada, mas apenas dizer isso não fará o mecanismo desacelerar. O mundo parece rápido porque, talvez, ainda estejamos presos a modelos e formatos de aprendizado de um tempo há muito ultrapassado.

Consumimos o entretenimento atual com imensa facilidade. Então, por que não aprendemos com a mesma facilidade? Por que a educação não é tão divertida, mesmo com toda a tecnologia disponível?

Gosto muito de uma das cenas de Ex Machina, na qual vemos uma das questões mais enigmáticas do filme, o que resume bem o drama e os dilemas vividos hoje em dia: “será que no futuro as máquinas vão olhar para nós como olhamos para os dinossauros?”. O modelo de mundo que conhecemos bem é esse em que pagamos impostos para que o governo cuide de nós; em que pagamos escolas incumbidas de preparar nossos filhos para o mercado de trabalho e, assim, continuarem a pagar impostos, mantendo a roda girando.

Não é comum vermos pessoas autônomas, totalmente livres para dar asas às suas ideias.

Felizmente, uma sociedade alternativa está surgindo das cinzas deixadas por esse modelo antigo, na qual se vê a necessidade de repensar urgentemente todos os métodos de aprendizado. Conhecimentos dinâmicos e contextualizados, úteis a um mercado de constante inovação, onde não há mais ortodoxia, padrões e nem mesmo previsibilidade.

As mudanças estão acontecendo e, de muitas e inevitáveis formas, teremos que enfrentar transições que vão nos cobrar uma conta muito alta.

Imagine governos totalmente guiados por IA’s, quando a maioria dos mecanismos estatais forem administrados por sistemas digitais. Uma massa de gente que trabalha em setores burocráticos será demitida. E esse é só um pequeno exemplo. O desemprego vai colocar muita gente na rua. Infelizmente, o modelo educacional que possuímos hoje, dificilmente se dedica a propor métodos colaborativos. Ainda vemos claro o poder da competição como mote central da cultura escolar.

Em um mundo sem emprego, com milhões de pessoas à beira do caminho, e sem uma noção clara e objetiva do valor da colaboração e do empreendedorismo, correremos sérios riscos.

A criatividade que já foi concebida historicamente como um dogma, restrita a seres escolhidos por uma força maior, começa a perder suas vestes sagradas e se despir, mostrando a sua verdadeira vergonha, ou seja, a de que jamais deveria ter sido elevada a nenhuma altura. Seu lugar sempre foi ao alcance de todos os mortais. Agora, com a sobrevivência de um mundo inteiro em risco, nos resta resgatar a nossa própria humanidade na qual reflete o poder da criatividade, enquanto, ironicamente, construímos máquinas sofisticadas o bastante para, talvez, tornar isso desnecessário.

Eis o dilema.

Em artigo para o Fórum Econômico Mundial, Joanna Cea e Jess Rimington, ambos ligados ao Stanford University Global Projects Center, falam da exclusão da maior parte do que chamamos de engenhosidade no mundo e seus enormes custos. “Estamos sufocando a inovação que uma comunidade agregada e integrada poderia oferecer. Há consequências imensuráveis por não ouvir a maioria das pessoas do mundo – em nosso país ou nas cidades. Se não prestarmos atenção, se não houver inclusão e engajamento de um maior volume de vozes, não apenas obteremos resultados mais fracos e também cometeremos erros evitáveis, mas também inventaremos um futuro de trabalho codificado com as mesmas patologias sociais profundas e sistêmicas”, afirmam. Para eles, a manutenção de um sistema ultrapassado nos manterá alinhados com o status quo que reforça ativamente tristes valores como o racismo sistêmico, a guerra, as mudanças climáticas, o sexismo e o feminicídio.

Os autores afirmam que para criar uma existência próspera, bela e mais justa, precisamos inverter os paradigmas que institucionalizaram a exclusão da dignidade, da engenhosidade, da criatividade e da liderança na maior parte do mundo. Para Scott Rosenberg, uma vez que mundos inteiros podem ser simulados para os sentidos, “a única maneira de assegurar a integridade da imaginação do público seria tirar esse poder das mãos de uma elite e colocá-lo ao alcance de todos”, defende.

Em uma sociedade livre para se valer de suas ideias, sem barreiras, conectada e consciente do poder de suas capacidades, empenhadas no trabalho colaborativo, será muito mais fácil lidar com os problemas que batem à nossa porta. Caso contrário, os resultados serão complicados, colocando a humanidade cada vez mais perto de algum tipo de risco de extinção. Imagina só!

*Por William Barter

 

 

 

 

…………………………………………………..
*Fonte: updateordie

Tomar cafeína antes de fazer exercícios pode prejudicar saúde

Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) estão de olho nos seus hábitos diários. Depois de mostrarem como a música instrumental pode melhorar os efeitos de remédios para hipertensão, os cientistas voltaram para avaliar como uma dose de cafeína antes de se exercitar pode afetar a sua recuperação após o esforço físico.

Para o estudo, 32 homens saudáveis e ativos de 18 a 25 anos foram acompanhados pela equipe, que registrou durante três dias como eles se recuperavam ao final de meia hora de corrida. No primeiro dia, os voluntários fizeram um teste de esforço máximo para que os pesquisadores identificassem qual era o limite de cada um. No segundo e terceiro dia, eles correram em intensidade moderada e, alternadamente, tomaram uma cápsula de cafeína e outra placebo — sem saber distinguir qual estavam ingerindo.

Ao final dos exercícios, os fisioterapeutas perceberam que, quando os voluntários tomavam a dose de cafeína (que era de 300mg, equivalente a 1,5 xícara de café), a atividade cardíaca deles demorava mais para voltar aos parâmetros de quando estavam em repouso.

“Quando isso ocorre, nós dizemos que há um aumento do risco de acontecer alguma complicação cardiovascular”, afirma Vitor Valenti, professor da Unesp e orientador do estudo. “Ficamos preocupados com o resultado, porque, se isso acontece com jovens saudáveis, talvez possa haver uma reação um pouco mais intensa em pessoas sedentárias e obesas, por exemplo.”

Este efeito foi observado porque a cafeína ativa receptores de adenosina, que liberam catecolaminas, substâncias envolvidas na aceleração do coração e no aumento da pressão arterial.

“As duas catecolaminas mais conhecidas são a adrenalina e noradrenalina. Com o aumento da liberação dessas catecolaminas, elas ativam os vasos sanguíneos e podem causar vasoconstrição”, explica Valenti.

Vale lembrar que não foram registradas alterações na pressão arterial dos voluntários e que o efeito foi observado apenas a curto prazo. “A literatura já tem fortes evidências de que, a longo prazo, tomar café pode colaborar para uma série de benefícios”, diz o professor.

Estudos a longo prazo

Em um estudo com mais de 185 mil participantes, foi observado ao longo de 16 anos que aqueles que tomavam pelo menos uma xícara de café por dia, tinham 12% menos chances de morrer por doenças cardíacas ou respiratórias, câncer, derrame, Parkinson, diabetes e outras doenças crônicas. Por isso, aponta o estudo, a expectativa de vida pode aumentar de acordo com a frequência e a quantidade de café que você consome.

No ano passado, pesquisadores britânicos mostraram que pessoas que têm o hábito de beber uma xícara de café por dia têm 20% menos chances de desenvolver câncer de fígado. Outro estudo concluiu que tomar três copos de café por dia reduz riscos de morte prematura.

 

 

 

 

………………………………………………….
*Fonte: revistagalileu

Cozinhar e guardar arroz para comer mais tarde pode cultivar bactéria mortal

Um prato de arroz cozido não faz mal para ninguém, não é mesmo? A resposta para essa pergunta depende da forma de armazenamento. Aparentemente, este grão inocente tão presente no dia a dia dos brasileiros pode fazer bastante mal se não for guardado corretamente.

De acordo com Benjamin Chapman, especialista em segurança alimentar da Universidade do Estado da Carolina do Norte, nos EUA, cozinhar o arroz não necessariamente mata todos os patógenos que podem estar à espreita.

“O problema é que um patógeno, o Bacillus cereus, é bastante prevalente no arroz seco, provavelmente como esporo. Os esporos podem sobreviver ao cozimento. Se o arroz cozido for subsequentemente mantido à temperatura ambiente, os esporos podem sair da sua forma protetora, germinar e as formas vegetativas se multiplicam. O ambiente de arroz cozido fornece uma grande quantidade de água e nutrientes para o crescimento. Como um subproduto do crescimento, eles criam um par de toxinas, incluindo uma estável ao calor”.

Embora não esteja claro exatamente por quantos casos de intoxicação alimentar o Bacillus cereus é responsável, um estudo estimou uma incidência de 63.623 casos por ano. Felizmente, colocar qualquer sobra de arroz na geladeira depois que você aproveitou seu prato deve manter todo mundo seguro.

De acordo com um artigo da Epidemiology and Infection, o arroz cozido deve “ser mantido quente” (acima de 63°C) ou “resfriado rapidamente e transferido para uma geladeira dentro de 2 horas depois de ser cozido”. Na verdade, a zona de temperatura mais perigosa é o intervalo entre a “temperatura ambiente e o aquecimento” (entre 15 e 50°C).

Além de refrigerar qualquer arroz caseiro, um senso de vigilância é útil quando jantar fora. De acordo com o cientista de alimentos Donald Schaffner, da Universidade Rutgers, também nos EUA, alguns restaurantes “cozinham um grande lote de arroz e o mantém à temperatura ambiente durante todo o dia” e, em seguida, pegam porções deste lote, conforme necessário.

“Uma vez que o Bacillus faz uma toxina estável do calor, esta não é uma boa prática, que já conduziu a surtos no passado”, explica ele. “Estável ao calor” significa que a toxina pode sobreviver à ebulição e, uma vez que o alimento é refrigerado na “zona de perigo” de 15 a 50°C, as bactérias podem se multiplicar, produzindo ainda mais da toxina. Arroz de sushi, Schaffner observa, não deve ser um problema, já que vinagre é adicionado para diminuir o pH, permitindo que ele seja mantido em segurança à temperatura ambiente.

Em suma, a melhor maneira de manter a si e seus entes queridos seguros do Bacillus cereus e do estrago que ele pode causar é refrigerar quaisquer restos dentro de duas horas depois de cozinhar e verificar como seus restaurantes favoritos preparam e armazenam cada lote de arroz.

………………………………………………………………
*Fonte: gooru

Comprovada a ligação Intestino x Cérebro

Isso vem se falando há muito tempo e no campo das Neurociências já há estudos e confirmação científica suficiente para se começar a tratar do cérebro cuidando do intestino.

Vejam só. Deve ser por isso que temos tanta gente fazendo “asneiras” por aí. Descobriu-se que nos intestinos existem conexões nervosas e químicas, com neurotransmissores e até possibilidade de sinapses, como ocorre no nosso cérebro.

Por isso um estudo publicado dia 19 de Maio na revista Cell Reports mostram que antibióticos fortes o suficiente para matar as bactérias do intestino também podem parar o crescimento de novas células cerebrais no hipocampo, uma parte do cérebro associada à memória.

Os investigadores também descobriram que um tipo de células brancas do sangue parecem agir como um comunicador entre o cérebro, o sistema imunitário, e o intestino. “Descobrimos que um tratamento prolongado com antibióticos pode afetar o funcionamento do cérebro,” diz a autora do estudo, Susanne Asu Wolf do Max-Delbrueck – Centro de Medicina Molecular, em Berlim, Alemanha.

“Mas, por sorte, probióticos e exercícios podem equilibrar a plasticidade do cérebro e deve ser considerada como uma opção de tratamento real junto com os antibióticos” complementou.

Wolf viu pela primeira vez essas pistas que o sistema imunológico poderia influenciar a saúde e o crescimento de células cerebrais através da investigação em células T, quase 10 anos atrás.

Mas haviam poucos estudos que encontrassem uma ligação a partir do cérebro para o sistema imunológico e de volta para o intestino. No novo estudo, os pesquisadores deram a um grupo de ratos antibióticos suficientes para que eles eliminassem quase toda a flora intestinal.

Em comparação com ratos não tratados com antibióticos, os ratos que perderam suas bactérias intestinais saudáveis tiveram um pior desempenho em testes de memória e mostrou uma perda da neurogênese (capacidade de criação de novas células) em uma seção de seu hipocampo, região onde normalmente novas células cerebrais são produzidas ao longo da vida de um indivíduo.

Ao mesmo tempo que os ratos experimentaram perda de memória e da neurogênese, a equipe de pesquisa detectou um nível mais baixo de células brancas do sangue (especificamente monócitos) marcados com Ly6Chi no cérebro, sangue e medula óssea.

Assim, os pesquisadores testaram e confirmaram que foi a perda dos monócitos Ly6Chi que estavam por trás das mudanças na neurogênese e memória.

Em outro experimento, a equipe de pesquisa comparou ratos não tratados com ratos que tinham níveis de bactérias intestinais saudáveis quer devido à genética ou devido ao tratamento com anticorpos. Em ambos os casos, os ratos com níveis baixos de células Ly6Chi mostraram as mesmas deficiências de memória e neurogênese que os ratinhos que tinham perdido as bactérias do intestino na outra experiência com antibióticos

Assim que os níveis de Ly6Chi foram repostos nos ratos tratados com antibióticos, a memória e a capacidade de criar novas células foi restabelecida.

” Para nós foi impressionante encontrar essas células Ly6Chi que viajam da periferia para o cérebro, e se encontra algo de errado no microbioma , as Ly6Chi atuam como uma célula de comunicação “, diz Wolf.

Felizmente, os efeitos secundários adversos dos antibióticos pode ser revertida. Os ratos que receberam probióticos ou que se exercitaram em uma roda após ter recebido antibióticos, tiveram a memória e a neurogênese recuperadas.

“A magnitude da ação dos probióticos sobre as células Ly6Chi , neurogênese e cognição me impressionaram “, diz ela .

“No futuro , os pesquisadores esperam ver mais ensaios clínicos que investiguem se os tratamentos com probióticos irá melhorar os sintomas em pacientes com doenças neurodegenerativas e distúrbios psiquiátricos . “Poderíamos medir o resultado de humor, sintomas psiquiátricos , a composição do microbioma e a função imune celular antes e após o tratamento com probióticos “, diz Wolf.

Agora já podemos perdoar os “enfezados”. Se a cabeça não anda boa, melhor cuidar dos intestinos e evitar antibióticos. Se não tiver jeito, probióticos e malhação para recuperar a capacidade de lembrar das coisas.

Sugiro a leitura de um outro artigo publicado aqui, onde fala dos benefícios e da criação de novas redes neuronais através dos exercícios físicos….já pra esteira!!!

*Por Genaldo Vargas

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte: fasdapsicanalise

10 explicações que você não deve a ninguém

Por que sentimos a necessidade de sempre dar explicações?
Ser um membro ativo da sociedade pode enchê-lo com todos os tipos de pressão e estresse.

Determinadas situações fazem-no sentir como você devesse responder de uma determinada maneira ou agir de uma forma específica. E sim, algumas pessoas pensam que sabem o que é melhor para você e seu sustento.

Independentemente de todas essas coisas, você deve lembrar que você não deve a ninguém uma explicação para:

1. Sua situação em casa.
A forma como você vive a sua vida em casa não é da conta de ninguém, só da sua conta. Não importa se você tem colegas de quarto, vive sozinho, vive solteiro ou com um parceiro, ou se você ainda vive com seu ex.

2. Suas prioridades de vida.
Sonho de abrir um restaurante? Quer se tornar um pastor na sua igreja? Tem um desejo de vender todos os seus pertences e viajar para o Peru? Vá em frente! E lembre-se, você nunca precisa explicar suas prioridades para ninguém, porque são suas prioridades, e não estão lá para impressionar as pessoas.

3. Precisar de um tempo sozinho.
Se você precisar de um tempo sozinho em sua vida, você não está sendo rude, introvertido, ou hostil, apesar do que os outros possam pensar. Só precisa de tempo para ficar sozinho. Todos precisamos de tempo para encontrar o nosso centro e nos reorientarmos.

4. Sua aparência física.
Todos nós passamos por mudanças com nossos corpos. Perder peso, ganhar peso, um novo penteado, crescer uma barba ou fazer qualquer coisa diferente com sua aparência física não requer uma explicação. Eles vão ter que lidar com o seu cabelo roxo.

5. Suas preferências alimentares.
Nem todo mundo é fã de pizzas e hambúrgueres. Algumas pessoas gostam de sanduíches de banana e bacon ou preferem espaguete com manteiga, em vez de molho de tomate. Todos nós temos gostos diferentes, quando se trata de comida. Se alguém tentar julgá-lo, não ligue para isso. Basta ir em frente e mergulhe suas batatas fritas no seu sorvete.

6. Sua vida romântica.
Este é um acéfalo. É uma parte muito pessoal da sua vida e se a sua vida romântica existe ou não, não é da conta de ninguém. Haverá sempre alguém que vai julgá-lo porque você está ou não está com alguém mesmo. Mas, novamente, a opinião deles não importa.

7. Sua carreira ou escolhas pessoais.
Vá na direção que você quer ir e siga o caminho de sua escolha. Se você é um artista talentoso que deseja trabalhar no seu campo, siga seu coração. Se ser advogado é o seu sonho, vá em frente. Aqueles que realmente se preocupam com você vão apoiar a sua decisão.

8. Suas opiniões religiosas ou políticas.
Nestes dias, é fácil comprar uma briga, basta perguntar a alguém qual a sua afiliação política ou religiosa e logo começa a discussão. Em quem você votou nas últimas eleições, se é católico ou protestante, é a sua escolha e só sua, e você nunca precisa defender suas crenças (desde que elas não prejudiquem ninguém). Naturalmente, se alguém quer ter uma discussão madura, sincera com você sobre o tópico, isso sempre será uma boa experiência, vá em frente. Trocar ideias e pontos de vista pode expandir a mente e é benéfico para ambas as partes.

9. Ser solteiro.
Não obstante, se você está solteiro há uma semana ou há um ano, você, provavelmente, está confortável com a decisão neste momento em sua vida. Se as pessoas estão pressionando você para encontrar alguém, ou para se casar e se estabelecer, diga-lhes para se importar apenas consigo mesmos. Ser solteiro pode ser ótimo!

10. Suas escolhas dentro de um relacionamento.
Sua ex-mulher pediu para que retornassem e você aceitou? Você perdoou aquele que o traiu? Você recusaria uma proposta de casamento? Bem, adivinhem? Todas estas decisões foram feitas por você e pelas suas próprias razões. Seguiu o seu coração e foi o que achou melhor e, novamente, você não deve a ninguém uma explicação por isso.

A vida pode ser complicada, e as pessoas ao nosso redor podem tornar as coisas mais difíceis, ou podem aliviar seus fardos, apoiando suas escolhas.

Você não tem que dar explicações para tudo!

 

 

 

…………………………………………
*Fonte: osegredo

Descubra o que é Phishing, Vírus, Malware e outros tipos de ciberataques

Existem mais armadilhas na internet do que você imagina. Phishing, Malware, Vírus e Ransomware são só alguns exemplos e eles podem causar diversos prejuízos, inclusive financeiros. Somente em 2017, mais de 190 milhões de ciberataques foram detectados pelo dfndr lab, laboratório de segurança digital. Mas com tantos tipos, às vezes fica difícil de entender o que são e como funciona cada um deles. Você já se perguntou, por exemplo, o que é Phishing ou qual a diferença entre Vírus e Malware?

Pensando nisso, os especialistas em segurança do dfndr lab, listaram os principais tipos e diferenças de fraudes virtuais, o número de detecções das três maiores em 2017 e, também, deram valiosas dicas de como se proteger dessas ameaças.
Entenda o que é Phishing e outras armadilhas virtuais

PHISHING: sites e aplicativos que se passam por empresas ou pessoas famosas, com o intuito de enganar os usuários para obter informações confidenciais, como senhas bancárias, de e-mail e redes sociais ou, então, tentam persuadir o usuário a realizar determinadas ações, como instalar um app infectado por vírus. No último ano, o Phishing foi o ciberataque mais comum e recorrente, correspondendo a mais de 50% de todas as detecções realizadas pelo dfndr lab. Os dois tipos mais comuns de Phishing são:

Phishing via aplicativo de mensagens: tipo de golpe que induz a vítima a fornecer dados e, nesse caso, a compartilhar algum link perigoso com seus contatos. Geralmente, usa como isca falsas promoções, descontos e vagas de emprego.
Phishing bancário: Sites falsos iguais às páginas de instituições bancárias criados para enganar os usuários e roubar suas credenciais do banco, como tokens, senha, número da conta, dados de cartão de crédito etc.

PUBLICIDADE SUSPEITA: páginas ou notificações com avisos falsos sobre o funcionamento do celular, induzindo o usuário a instalar um aplicativo ou redirecionando a outro link malicioso. Esta modalidade ficou em segundo lugar no ranking do dfndr lab, somando mais de 60 milhões detecções do dfndr lab em 2017.

GOLPE DO SMS PAGO: sites que cadastram automaticamente ou induzem o usuário a se cadastrar em um serviço pago de SMS. O golpe do SMS pago somou, em 2017, mais de 20 milhões de detecções, ficando em terceiro lugar no ranking do dfndr lab.

PERFIL FALSO: são criados com o objetivo de aplicar golpes de estelionato ou espalhar notícias falsas. No caso de estelionato, os perfis falsos se passam por marcas famosas e induzem o usuário a acessar páginas falsas que roubam credenciais bancárias. Existem também os Scammers, que são pessoas que se passam por terceiros para conquistar a confiança de suas vitimas e depois aplicar golpes.

FAKE NEWS (Notícias Falsas): conteúdos falsos produzidos com a intenção de levar os usuários da internet a uma determinada página, para visualizar anúncios publicados ali. Os temas, geralmente absurdos e sensacionalistas, também podem ser criados com o intuito de manipular a opinião pública.

MALWARE: todo e qualquer arquivo ou aplicativo que apresenta comportamentos maliciosos e nocivos para o usuário. O Malware se divide em algumas subcategorias, que são:

Vírus: tipo de malware que infecta outros arquivos, alterando seu conteúdo, de forma que eles passem a ter códigos maliciosos.
Ransomware: outro tipo de malware que “sequestra” algum dado sigiloso do usuário ou bloqueia a celular da vítima e, posteriormente, cobra pelo “resgate” dessas informações ou desbloqueio do aparelho.
Worm: ao invés de infectar outros arquivos, este tipo de malware procura se espalhar para outros dispositivos, através de e-mail e mensagens via app de mensagens, por exemplo.

Ciberataques lucrativos para hackers

Agora que você já sabe o que é phishing e todas as principais fraudes virtuais, você pode se perguntar: “Mas por que que estes golpes existem?” ou até “O que os hackers ganham com isso”? Segundo Emilio Simoni, Diretor do dfndr lab, os cibercriminosos podem obter diferentes retornos sobre cada tipo de fraude digital.

“Não dá para generalizar o lucro dos criminosos, pois ele pode variar muito. No Ransomware, por exemplo, o hacker cobra dinheiro da vítima para devolver os dados sequestrados ou para realizar o desbloqueio do celular. Os demais tipos de ciberataques podem levar ao download de apps perigosos, o registro do telefone da vítima em serviços de SMS pago e, outra prática comum, é o celular do usuário passar a receber dezenas de propagandas diárias. A cada visualização de publicidade, download de apps maliciosos e assinaturas de SMS pago, o hacker ganha dinheiro”, explica Simoni.
Proteger-se é preciso

Navegar seguro é possível. As melhores e principais dicas de segurança são simples de seguir e o melhor: são de graça. Simoni explica como se proteger em 4 passos:

1 – Baixe aplicativos apenas pelas lojas oficiais Play Store e Apple Store. Assim, você evita o risco de fazer downloads de arquivos maliciosos;

2 – Crie o hábito de duvidar das informações compartilhadas na internet, principalmente quando se tratar de supostas promoções, brindes, descontos ou até promessas de emprego. Procure checar a veracidade das informações nas páginas e sites oficiais das marcas;

3 – Na dúvida, você pode checar se uma página ou site é seguro na Análise de Links do dfndr lab. A ferramenta é gratuita e pode ser usada por usuários de Android e IOS gratuitamente;

4 – É importante, também, manter um bom antivírus instalado no celular. O dfndr security, por exemplo, é o único app de segurança para o sistema Android que oferece proteção em tempo real contra ataques dentro do WhatsApp, SMS e Messenger. Ele detecta e avisa se um link é perigoso assim que você recebe uma mensagem maliciosa. Para baixar o app, é só clicar aqui.

 

 

 

……………………………………………..
*Fonte: psafeblog