Andar 5 MINUTOS a cada meia hora sentado evita risco de doenças

Uma pesquisa recém-publicada pela ONG Mayo Clinic reforça a importância de realizar exercícios após longos períodos com o corpo em repouso. Segundo estudos da instituição, cumprir cinco minutos de caminhada a cada 30 minutos sentado evita o risco de maiores complicações ao organismo, incluindo doenças cardiovasculares, aumento da pressão arterial, câncer e outros problemas de saúde.

O projeto se baseou em diversos testes planejados para intervalos distintos entre os exercícios e os momentos de repouso. Para isso, Keith Diaz, professor associado de medicina comportamental na Columbia University Vagelos College of Physicians and Surgeons e coautor da pesquisa, dividiu um grupo de 11 adultos voluntários em cinco baterias distintas: um minuto de caminhada a cada 30 minutos sentado, um minuto após 60 minutos, cinco minutos a cada 30 minutos, cinco minutos a cada 60 minutos e a ausência total de períodos de caminhada.

Cada participante — todos na faixa de 40 a 60 anos e sem sintomas de diabetes ou hipertensão — se sentou em uma cadeira ergonômica por um total de 8h e podiam utilizar esse tempo para ler, trabalhar em um computador pessoal e utilizar telefone, enquanto eram regularmente alimentados e hidratados. Nesse tempo, eles se levantavam apenas para ir ao banheiro ou caminhas por prazos determinados em uma esteira próxima à mesa de escritório.

Dos intervalos estipulados pelo projeto, apenas um resultou em conclusões mais efetivas para a manutenção da saúde do indivíduo: cinco minutos a cada 30 minutos sentado. Esse regime reduziu significativamente a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue em quase 60%, bem como afetou a resposta a grandes refeições. “Se não tivéssemos comparado várias opções e variado a frequência e a duração do exercício, só poderíamos fornecer às pessoas nossos melhores palpites sobre a rotina ideal”, comenta Diaz.

Em relação aos outros períodos, caminhar um minuto a cada 30 minutos resultou em benefícios modestos para os níveis de açúcar no sangue, enquanto um ou cinco minutos a cada 60 minutos sentado não trouxe vantagens nesse aspecto. Já os níveis de pressão arterial apresentaram reduções entre 4 a 5 milímetros de mercúrio (mmHg) em todos os intervalos com caminhada. “Esta é uma redução considerável, comparável à redução que você esperaria de se exercitar diariamente por seis meses”, completa o autor do projeto.

Exercícios também melhoram o humor
A Mayo Clinic também determinou que os exercícios após um tempo de repouso do corpo podem melhorar questões envolvendo fadiga e humor. Isso significa que pessoas que praticam tais rotinas tendem a repetir esses comportamentos pelo simples fato deles fazerem bem e construírem hábitos agradáveis. Níveis de cognição não apresentaram nenhuma variação de resultados nos testes.

“O que sabemos agora é que, para uma saúde ideal, você precisa se movimentar regularmente no trabalho, além de uma rotina diária de exercícios”, disse Diaz. “Embora isso possa parecer impraticável, nossas descobertas mostram que mesmo pequenas caminhadas durante o dia de trabalho podem reduzir significativamente o risco de doenças cardíacas e de outras doenças crônicas.”

Agora, a equipe está testando 25 intervalos diferentes de caminhada e de vários tipos de exercícios em uma quantidade maior de voluntários.

*Por Andre Luis Dias Custodio
…………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

Como genética, personalidade e outros fatores interferem na sua ressaca

Pesquisador compartilha em artigo o que a ciência sabe sobre aspectos pessoais que podem influenciar no seu bem-estar após consumir álcool

Depois de uma boa noitada, você pode não se surpreender ao acordar sentindo-se mal na manhã seguinte. Mas pode ser surpreendente se seus amigos não estiverem da mesma maneira. Alguns podem se sentir pior, alguns melhor e alguns (se tiverem sorte) podem não sentir nenhuma das consequências negativas.

A (falta de) ciência da ressaca
Essa é a variabilidade de uma ressaca. Em pesquisas, as ressacas são medidas em uma escala de 11 pontos (0 significa nenhum efeito e 10 é ressaca extrema). Em minha própria pesquisa, os participantes relataram ressacas nessa escala entre 1 (muito leve) e 8 (grave) – enquanto outro estudo estimou que cerca de 5% das pessoas podem ser resistentes à ressaca .

Então, por que a diferença? Há mais do que simplesmente quanto bebemos. Cientistas agora estão começando a explorar os muitos mecanismos biológicos e psicológicos que podem influenciar nossa experiência durante a ressaca.

Mecanismos biológicos
Algumas pesquisas sugerem que pessoas com uma variação do gene ALDH2 relatam ter ressacas mais severas. Quando consumimos álcool, ele é decomposto pela enzima álcool desidrogenase [ADH] em acetaldeído – proteína importante para o surgimento dos sintomas da ressaca . No entanto, a variante do gene ALDH2 limita a degradação do acetaldeído, levando a um maior acúmulo da proteína – portanto, mais sintomas de ressaca.

A idade e o sexo também podem influenciar a maneira como a ressaca é vivida. Uma pesquisa online recente com 761 consumidores holandeses de álcool descobriu que a gravidade da ressaca diminui com a idade, mesmo quando acomodada para a quantidade de álcool consumida.

Curiosamente, os autores também relataram diferenças na gravidade da ressaca entre homens e mulheres. Essas diferenças sexuais foram maiores em bebedores mais jovens, com homens jovens (18 a 25 anos) tendendo a relatar ressacas mais severas em comparação com jovens bebedoras. No entanto, atualmente não se sabe por que essas diferenças existem.

Fatores psicológicos
Certos traços psicológicos podem estar ligados a como uma ressaca é vivida – incluindo ansiedade, depressão, níveis de estresse e até personalidade.

Anteriormente, pesquisas sugeriam que o neuroticismo, um amplo traço de personalidade que tende a fazer com que as pessoas vejam o mundo de maneira negativa, pode prever a gravidade de uma ressaca. No entanto, recentemente essa ideia foi contestada por outro estudo que não encontrou nenhuma ligação entre ressaca e personalidade .

Isso é um tanto surpreendente, dado que a extroversão (um traço de personalidade geralmente caracterizado por ser sociável e extrovertido) está positivamente associada a comportamentos de consumo excessivo de álcool em estudantes universitários – embora não pareça estar ligada a ressacas piores. Isso ocorre apesar das evidências de que beber muito com mais frequência está ligado a experiências de ressaca mais severas.

Ansiedade, depressão e estresse também estão ligados a ressacas mais graves. Cada um desses humores está associado a um “viés negativo” – uma tendência a interpretar o mundo de forma mais negativa.

Nossas descobertas mostram que as ressacas também tendem a fazer as pessoas interpretarem o mundo de forma mais negativa. Como resultado, as ressacas podem exacerbar esse viés negativo, levando algumas pessoas a se sentirem pior do que outras.

Mecanismos de enfrentamento
É possível que a maneira como lidamos com situações adversas possa estar por trás da variação nas experiências de ressaca. A catastrofização da dor refere-se ao grau em que uma pessoa enfatiza a experiência negativa dessa sensação.

Pesquisas mostram que pessoas com pontuações altas de catastrofização da dor relatam ressacas mais graves – sugerindo que estão se concentrando em seus sintomas negativos e possivelmente os amplificando. Outros estudos também mostraram que pessoas que tendem a lidar com seus problemas ignorando-os ou negando-os tendem a ter ressacas piores .

A regulação emocional é outro mecanismo psicológico importante que nos ajuda a lidar com situações difíceis, gerenciando e respondendo com eficácia às experiências emocionais.

Curiosamente, embora as pessoas que estão de ressaca relatem sentir que é mais difícil regular suas emoções , isso pode não ser o caso – com pesquisas mostrando que os participantes são tão capazes de controlar sua resposta emocional em comparação com aqueles que não estavam de ressaca.

Isso pode significar que as pessoas escolhem estratégias regulatórias mais fáceis (mas menos eficazes) durante uma ressaca – como evitar sentimentos de culpa ou vergonha. Mas isso ainda está para ser determinado.

O que podemos fazer?
Embora pesquisadores possam ter identificado alguns compostos naturais que podem aliviar os sintomas gerais da ressaca, ainda são necessárias mais pesquisas para determinar se eles devem ser recomendados para o tratamento. Enquanto isso, cabe a você determinar a melhor estratégia para aliviar sua ressaca.

Mas um estudo sugere que uma estratégia comumente usada por estudantes para lidar com o sofrimento de uma ressaca – “sofrendo” juntos e se relacionando com suas experiências – pode ser útil para ajudar a aliviar pelo menos alguns dos efeitos emocionais negativos de uma ressaca.

Cuidar do seu próprio bem-estar de forma geral, encontrar melhores estratégias para reduzir os níveis de estresse e adotar melhores mecanismos de enfrentamento também pode ajudar você a lidar com as consequências negativas de uma ressaca.

Embora, é claro, se você realmente deseja evitar uma ressaca, sempre pode escolher alternativas não alcoólicas.

*Craig Gunn é professor de Ciências Psicológicas na Universidade de Bristol, Reino Unido.
………………………………………………………………………………………………………………………………………….
*Fonte: revistagalileu

Mitos e verdades para evitar picadas de mosquito

Pesquisadores descobriram que os mosquitos possuem preferência por tipos de pele. Um artigo publicado na revista científica Cell indica que a variação na concentração de ácido lático e gás carbônico expelidos pelo órgão pode atrair esses insetos. O odor da pele humana é uma mistura desses compostos orgânicos, que podem conter os elementos que chamam a atenção dos mosquitos.

Flávia Virginio, pesquisadora e curadora da coleção entomológica do Instituto Butantã, ressalta que ainda são poucas as comprovações científicas envolvendo tal “preferência” por peles. Para ela, ainda “depende muito da substância que a pessoa libera na pele”, mas tanto o CO2 quanto o ácido lático são substâncias que, atraem as picadas de mosquitos, comprovadamente. Outros fatores, como a temperatura da pele e a presença de vapor de água, também podem atrair esses insetos.

Entre as receitas criadas para impedir a picada desses mosquitos, algumas fazem parte de superstições populares, como a ingestão de vitaminas do complexo B, o uso de vinagre de maçã, a ingestão de limão com cravo. Há também os chamados repelentes naturais, que são a citronela, a lavanda e os óleos naturais.

Mitos e verdades
As vitaminas do complexo B figuram como um dos mitos existentes dentre as substâncias utilizadas para repelir os insetos, já que não há comprovação científica sobre a eficácia delas. A pesquisadora explica que a incerteza da eficácia está justamente na forma como cada organismo irá processar a vitamina: “Muita coisa, quando a gente ingere e é digerida pelo sistema digestivo, não chega até o sangue a ponto de ser expelida pela pele”.

Outros mitos, que envolvem as chamadas receitas caseiras, indo desde o uso de chás e óleos naturais, como a lavanda, melaleuca e a citronela, podem ter sua efetividade variada de acordo com o manejo da planta.

Algumas dessas substâncias até são auxiliadoras na composição dos repelentes industriais comprovadamente efetivos. No entanto, mesmo que sejam auxiliares na produção desses produtos, por não possuírem uma testagem e uma produção padronizada, os repelentes caseiros e in natura não possuem comprovação científica.

No mercado, os repelentes com efetividade comprovada variam desde o uso do princípio ativo de substâncias naturais para a composição de cremes na indústria farmacêutica, como também os encontrados em sprays, os ultrassônicos e as diversas formas mecânicas de dispersão dos insetos.

Flávia destaca, principalmente, os produtos que possuem concentração da substância Deet, a N,N-Dietil-m-toluamida, como potenciais repelentes para os adultos. Já para as crianças maiores de seis meses, o mais indicado por ela é a icaridina. Fatores como idade da pessoa, se é gestante ou não e se possui alguma alergia devem ser considerados ao fazer uso de determinadas substâncias.

Outras formas de evitar as picadas de mosquitos incluem pequenos cuidados cotidianos: aplicação de telas nas janelas; o uso de roupas que cobrem mais regiões do corpo em zonas de mata; a não realização de atividades em períodos específicos, como pela manhã e ao entardecer, período em que os mosquitos são mais ativos.

………………………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

5 dicas para começar do zero e ganhar seu primeiro milhão

Saiba o que fazer para multiplicar seus ganhos, por mais que você não tenha um centavo sequer na sua conta bancária

Chegar ao primeiro milhão é o sonho de muita gente. Por mais que grandes empresas tenham lucros muito superiores a isso, o valor representa uma marca no imaginário das pessoas. Ser chamado de milionário mostra que, de fato, o detentor desse montante conquistou o sucesso. A opinião é de Timothy Sykes, empreendedor e investidor americano.

Em texto originalmente publicado no site da revista “Entrepreneur”, Sykes dá dicas sobre como se tornar um milionário, mesmo que, neste momento, você não tenha um centavo sequer na sua conta.

Confira as lições e aplique em sua vida:

1. Encontre um mentor
É impossível ganhar muito dinheiro sem ter ajuda, segundo Sykes. E o primeiro auxílio que você deve buscar é o de um mentor que, de preferência, saiba como multiplicar seus ganhos. Seu mentor mostrará o que fazer e o que deixar de lado. Além disso, ele provavelmente apresentará você a pessoas que podem tornar seu caminho rumo à riqueza menos tortuoso.

2. Seja dedicado
Sykes afirma que você não deve se martirizar por cometer erros. Todos cometem equívocos. O que não pode faltar nunca é dedicação. Esforce-se ao máximo e aprenda com seus deslizes. Você cometerá menos erros com o passar do tempo.

3. De grão em grão…
São raríssimas, de acordo com Sykes, as ocasiões em que pessoas se tornam milionárias da noite para o dia. Ou seja: você não deve focar em operações que podem render grandes ganhos, mas que são arriscadas. Vá devagar. Seu foco não pode ser atingir sua meta rapidamente. O ideal é que você aproveite a jornada, aprendendo o suficiente para que seu dinheiro não vá para o ralo quando a primeira dificuldade aparecer.

4. Trabalhe mais que todo mundo
Para aumentar seus ganhos devagar, você tem que obter uma fonte de renda maior. Pode ser por meio de uma promoção no seu emprego, por um trabalho freelancer ou com novas estratégias na sua empresa, caso você já tenha o próprio negócio. Para aumentar seu salário, pelo menos no curto prazo, você vai ter que trabalhar mais. Mais que todo mundo. Sykes afirma que você deve parar de pensar em desculpas.

5. Tenha um princípio
Ser um milionário é uma marca importante, mas você não pode ser movido somente por ela. É importante ter um propósito. Descubra por que você precisa desse dinheiro. Você quer ajudar a si mesmo ou sua família ou mudar o mundo? O que realmente interessa é que o dinheiro deve ser apenas uma consequência do trabalho bem feito.

10 Dicas para viajar com pouco dinheiro

Confira maneiras para conhecer novos lugares e fazer amigos sem mexer no bolso

Pois bem, seguem aqui alguns passos que podem ser úteis para quem tem o mesmo problema que eu: muita vontade de viajar e pouco dinheiro no bolso. É mais simples do que parece.

1. Atitude
Há uma matriz de viagem que você deve ter em mente: quanto menos dinheiro, maior precisa ser a sua capacidade de adaptação, flexibilidade e improvisação. Isso de forma alguma quer dizer que você vai ter que passar fome ou pedir esmola; longe disso, apenas você vai ter de utilizar outras formas para além do prosaico método da compra: fazer amigos, sorrir mais, ver no que vai dar.

Se você encarar os imprevistos como parte da viagem, provavelmente vai descobrir que as melhores experiências, aquelas que você vai lembrar para a vida toda, simplesmente costumam vir dos mesmos imprevistos de onde também saem as piores situações. Esteja preparado e desfrute os dois, é tudo parte do mesmo estilo de vida. Viajar é mais do que se deslocar do ponto A ao ponto B. A atitude entre esses dois pontos é o que faz a diferença.

2. Faça amigos e interaja com a população local
Imagine alguém de fora chegando na sua cidade …. Por mais que os guias de viagem e agências de turismo se esforcem, normalmente ninguém saberá melhor do que você como encontrar aqueles lugares que poucos conhecem, ou ter experiências melhores gastando pouco ou mesmo nada. Por que seria diferente quando é com você em outro lugar?

Não subestime o poder da conversa despretensiosa, olhe no olho, pergunte, sorria mais, e dessa base sai todo o restante. Os melhores lugares, que coisas evitar, para onde ir… Você poderia ser antissocial e simplesmente pagar por tudo sem sequer olhar para as pessoas que te servem. Nesse caso, eliminando o dinheiro como forma principal de troca, as relações humanas são de vital importância. Dito isso, podemos ir para itens mais práticos.

3. Coma a comida local
Cozinhe, ou coma a comida local: você vai comer mais, melhor, mais fresco e pagando bem menos. Pergunte aos moradores locais onde eles comem, passeie pelo mercado local, converse. A comida local faz parte da cultura, então não faz sentido ir a outro lugar para buscar apenas o que você já tinha na sua cidade. Claro, nada impede de ocasionalmente buscar aquela pizza, ou ir em um restaurante legal. Nada precisa ser radical.

Cozinhar também ajuda e muito. Opte por hospedagem em um local com cozinha, ou leve um fogareiro no seu acampamento, com o tempo você acostuma com ele. Faça novos amigos e cozinhe com eles. Comer vai além da relação meramente comercial do restaurante, faça disso algo a mais.

4. Busque fontes de água potável
É incrível como se gasta dinheiro com água engarrafada, ainda que seja possível e relativamente simples obter água potável de forma segura e quase grátis. Pastilhas de cloro são encontradas em qualquer farmácia, ou mesmo água sanitária. Dê uma olhada na quantidade indicada por litro para fazer a mistura (costuma ser uma média de 3 gotas por litro).

Note que a quantidade indicada muda de acordo com a fonte da água, se é da bica (já clorada), do poço ou do rio. A água fica segura e com custo praticamente zero, já que você pode simplesmente encher as suas garrafas nas casas por onde passa.

Água gelada faz falta? Não seja por isso! Dá para fazer a sua térmica usando apenas garrafa, fita adesiva, papel-alumínio e jornal, funciona muito bem. Se você dormir num local onde há geladeira, deixe as garrafas congelando e seja feliz durante todo o dia seguinte (claro, lembre-se de não encher a garrafa por completo, afinal o gelo expande e pode estourá-la).

5. Acampe
Acampe ou use aplicativos de hospedagem gratuita. Nas cidades menores, pedir para acampar no quintal é mais simples do que se imagina, e nas cidades grandes há normalmente os tais apps. Para acampar, existe uma abordagem mais amigável e eficiente. Ao perguntar se você pode acampar no quintal da pessoa, dizer “não” pode ser constrangedor e ela pode sentir se invadida com o pedido.

Ao invés disso, pergunte onde você consegue achar um lugar para acampar. Dessa forma, fica implícito o pedido de acampar com a pessoa e ela aceita caso se sinta confortável. Caso ela não ofereça o espaço, certamente vai te indicar um local ou pessoa onde as suas chances serão melhores. Pergunte o nome dessa pessoa.

Chegando no local seguinte, você já vai poder dizer. “O senhor que é o Seu Zé? A Dona Maria ali da esquina disse que o senhor pode ajudar a saber onde posso acampar essa noite!”. A pessoa vai se sentir lisonjeada em ser uma referência de hospitalidade. Caso não funcione, essa pessoa vai te indicar outra pessoa ou lugar, e assim segue o baile, mas não costuma demorar. Sorria, olhe no olho, não use óculos escuros, vá para fazer amigos: esse conjunto tende a gerar uma maior hospitalidade que vai te garantir um lugar para dormir.

Utilize apps de hospedagem
Se for parar em cidades maiores, a hospitalidade com desconhecidos pode ser menor, mas em compensação há os apps de hospedagem gratuita. Basicamente, são redes sociais onde você se inscreve, hospeda (caso queira) e é hospedado, sempre gratuitamente, e assim se forma uma comunidade de ajuda mútua entre viajantes.

Há o clássico Couchsurfing, além de grupos de Facebook (como o “Acampe no meu quintal), entre outros. Para ciclistas, há uma excelente opção, o app Warmshowers, que funciona de maneira semelhante ao Couchsurfing, porém é destinado apenas para ciclistas.

O legal pode ser justamente substituir as relações comerciais por amizade. Ao invés de gastar o dinheiro pagando hospedagem, você pode simplesmente ir ao mercado e comprar comida para que todos cozinhem juntos, ou comprar bebidas. Será mais divertido, barato e te trará mais experiências e amigos.

6. Divirta-se
Você não precisa ser um eremita para viajar gastando pouco. Se há uma coisa que não falha em qualquer lugar do mundo, em qualquer época, é que as pessoas dançam, fazem música e encontram maneiras baratas de se alcoolizarem.

Descubra as bebidas locais, caminhe pela cidade, pesquise se tem algum festival gratuito ou barato rolando, faça amigos locais. Divida uma garrafa de vinho com seus novos amigos, compre mais coisas no mercado, faça piqueniques. Cada lugar tem as suas particularidades. Como descobri-las? Converse, pergunte, isso também te ajuda a se integrar com o lugar.

7. Utilize o transporte local
Acredite, sua perna não cai se você usar outros transportes além do táxi. Caminhe, alugue umabicicleta, use transporte público, as opções são inúmeras e variam de lugar para lugar. Na grande maioria dos lugares no mundo, você não vai ser morto, assaltado ou sequestrado ao fazer isso, ainda que a TV diga o contrário.

Ainda nos locais mais perigosos, o que pode acontecer é que você não possa transitar por todos locais em todos os horários, mas isso é mais raro que parece. Sempre pergunte aos locais sobre isso, a mais de um, inclusive. O táxi pode ser considerado também, mas não como um modal absoluto. Saindo de uma festa de madrugada ou em emergência, por que não? Apenas lembre-se que essa é uma opção entre muitas outras, e que algumas vezes dividir o táxi entre um grupo pode ter o mesmo preço do ônibus.

8. Visite outros locais com transporte urbano
Você vai se surpreender com até onde pode chegar e quanto economiza usando transporte urbano para locomoção intermunicipal, ainda que fazendo alguma baldeação. Use intermodais (conexão entre diferentes transportes públicos tipo ônibus + trem) Entre estados e países, as experiências podem ser incríveis usando ônibus ou trem, ou mesmo carona.

Claro, eu não poderia esquecer do meio que eu mesmo mais utilizo, a bicicleta. De bike é possível se locomover de qualquer lugar para qualquer lugar no mundo, literalmente, com umas pequenas conexões em caso de água.

9. Compre um chip local
Usar o roaming do celular pode ser extremamente caro. Considere comprar um chip local para fazer as chamadas locais. Converse com as pessoas sobre o melhor chip para internet. Você pode se surpreender com a economia que se faz com isso. Dependendo do lugar, há aqueles estabelecimentos que oferecem Wi-Fi, mas disso vocês já devem saber e não pretendo me estender chovendo no molhado.

10. Busque outras formas de financiar a viagem
Trabalhe em troca de lugar para dormir e comida (bares e hostels costumam oferecer essa opção). Isso te dá autonomia para conhecer mais o lugar gastando quase nada, já que esses tipos de trabalho costumam ocupar poucas horas do dia e tendem a ser leves e até divertidos. Vale atentar para permissões e vistos para isso.

Você pode ver formas de exercer a sua profissão em outros lados do mundo, ou até mesmo aprender outras em que isso seja possível. Pode ser rentável e prazeroso. Se você produz conteúdo na viagem e/ou possui uma rede forte, é possível monetizar isso, com Crowdfunding, financiamentos recorrentes, rifas etc.

………………………………………………………………………
*Fonte: aventurasnahistoria

Como congelar e armazenar alimentos corretamente?

O mundo está mudando muito rápido — e as formas de cozinhar, também! Hoje em dia, com uma rotina atarefada, as Air Fryers e os micro-ondas viraram nossos melhores amigos. Imagina chegar em casa, depois de um dia cheio de trabalho, e ainda ter que cozinhar desde o início? Ninguém merece, né?

Dessa forma, os alimentos congelados se tornaram uma mão na roda para quem não tem tempo de cozinhar, quer economizar uma grana, fez comida para um batalhão (e sobrou), ou simplesmente por bater aquela preguicinha de ligar o fogão.
Mas como garantir que os alimentos congelados não percam os sabores e valores nutritivos? Siga essas dicas e se despeça das preocupações com o fogão, as datas de validade e quanto tempo os alimentos podem durar na geladeira!

Evite colocar comidas quentes diretamente no congelador
O gelo é um ótimo isolante. Em alguns casos, a parte externa do alimento congela primeiro e o interior permanece quente por um longo período. Esse efeito pode permitir o crescimento de bactérias nocivas ao alimento e, consequentemente, a você.

Para evitar esse problema, tenha certeza que os alimentos estejam completamente resfriados antes de colocá-los no congelador. Primeiro, deixe-os em temperatura ambiente para que o calor seja dissipado. Depois, leve o alimento para passar uns minutinhos na geladeira e, só depois, coloque no congelador.

Coloque etiquetas nos alimentos com o nome e a data do congelamento
Quantas vezes você já abriu o freezer e se deparou com um congelado sem forma e sem cor, praticamente irreconhecível? Pois então, fique atento: sempre rotule tudo com o nome do prato e a data em que você o está congelando.

Pode parecer um pouco de exagero? Talvez. Mas você vai lembrar da gente quando o prato que você tirou do freezer não se parecer com nada que você cozinhou recentemente!

E, ah: aqui vai mais uma dica! Lembre-se de escrever o nome e a data na etiqueta antes de congelar os alimentos, em temperatura ambiente! Caso contrário, a etiqueta não irá grudar no recipiente.

Se puder, sele os alimentos a vácuo
Se a exposição ao ar é a inimiga dos alimentos congelados, a embalagem selada a vácuo é o super-herói mais importante deles! A natureza hermética dessas embalagens as tornam a opção ideal para o congelamento correto dos alimentos. Mas há um pequeno problema: essa opção requer o investimento de um aparelho de seladora a vácuo. Além disso, essas ferramentas possuem uma largura máxima de 12 polegadas, o que significa que, provavelmente, não dê para selar tortas, bolos ou pães grandes.

Se selar o alimento a vácuo não for uma opção viável, apenas se certifique de selecionar o recipiente reutilizável ou descartável correto. Aqui vai uma dica amiga: os saquinhos plásticos com fecho ziplock são perfeitos para isso!

Congele as frutas separadamente
Você é acostumado a congelar os morangos todos juntos em um recipiente e, ao descongelar, precisa aproveitar todos de uma vez? Para evitar um possível desperdício, uma superdica é colocá-los em uma assadeira, separados, até que endureçam. Depois, você pode reuni-los em um saquinho ziplock ou em uma tupperware. Na hora que quiser uma única unidade, não terá problemas!

Mas fique de olho: as frutas sofrem alteração de textura, aroma, cor e sabor quando congeladas e não são boas para o consumo in natura. Porém, servem para fazer sucos, geleias e recheios deliciosos!

Diga não ao “recongelamento”
Às vezes, calculamos errado a conta da quantidade necessária de alimento congelado para cozinhar e acabamos percebendo que não vamos precisar de tudo. Nessas horas, sempre rola aquela vontade de colocar o alimento no congelador de novo, não é mesmo?

Porém, é melhor pensar duas vezes: a prática não é aconselhável. Isso acontece por duas razões. A primeira é que o alimento pode perder nutrientes nesse processo, já que o freezer não congela ultrarrápido. Além disso, pode haver problemas com a contaminação bacteriana, já falada acima. A parte externa estará em uma temperatura adequada para a proliferação e, ao recongelar, o alimento poderá ter mais bactérias que no início, podendo causar problemas de saúde ao ser ingerido.

*Por Maria Fernanda Coutinho
……………………………………………………………..
*Fonte: megacurioso

Higiene do sono: dicas para dormir melhor

Muitas pessoas acreditam que a quantidade de horas é o que define se dormiu bem ou mal, mas outros fatores, como o ambiente e a preparação, também são importantes

A maioria das pessoas não consegue dormir o suficiente todas as noites. O sono é um importante aliado para as pessoas acordarem com maior disposição para o dia.

Um estudo publicado no Journal of Psychosomatic Research apontou que a qualidade do sono é mais importante que a quantidade para que as pessoas acordem descansadas. No entanto, isso não significa que seja saudável dormir pouco.

A realidade é que cada pessoa precisa de uma quantidade diferente de sono para ser produtiva, já que da mesma forma que dormir pouco pode ser um problema, dormir muito também pode ser prejudicial à saúde.

Como dormir melhor

De acordo com o portal Hypescience, o primeiro passo para dormir bem é encontrar o horário perfeito para isso. Além disso, deve ser controlado qual horário realmente dormimos. Por exemplo, oito horas de sono é inútil se você gastar metade do tempo rolando na cama e dormir apenas quatro horas.

A otimização do sono depende da construção de bons hábitos de sono, do aprimoramento do ambiente em que vamos dormir e de manter uma rotina.

Preparação para dormir

O primeiro passo para ter uma boa noite de sono é construir hábitos que vão te ajudar a dormir mais rápido, com uma duração maior e de forma mais confortável.

Um passo importante da rotina é incluir exercício físico regular. A Fundação Nacional do Sono dos EUA afirma que o exercício no período da tarde pode melhorar o sono à noite. No entanto, exercitar pouco tempo antes de dormir possui o efeito oposto.

Além disso, um despertar suave pode ajudar o momento de acordar mais fácil e natural.

Também é importante eliminar o álcool, cortar a cafeína e largar o cigarro. Um estudo publicado em 1994 apontou que o álcool é prejudicial para o ciclo do sono após ser eliminado do corpo, fazendo com que você acorde com mais frequência do que faria normalmente.

Já a cafeína reduz as fases três e quatro do sono, em que o sono REM e o sonho ocorrem. Enquanto isso, o cigarro, a nicotina em especial, ao ser usado em grande quantidade mantém o indivíduo acordado e impedem o começo do sono.

O Dr. Verma recomenda que seja diminuído o tempo de tela e que sejam desligados os aparelhos pelo menos 1 a 2 horas antes de dormir.

“As telas de tablets, telefones e TVs são tão brilhantes que podem confundir o cérebro. Tanta luz muito tarde da noite pode fazer com que o cérebro pense que são duas da tarde, não duas da manhã. Mesmo se ocorrer o sono, ele não será tão profundo e, portanto, será menos restaurador.”

Também podem ser usados métodos de meditação orientada para dormir. Por fim, o especialista aponta que ter um ritual antes de dormir também ajuda a ter um sono saudável.

Ambiente

Antes de dormir, é preciso se certificar de que seu ambiente está preparado para uma boa noite de sono. Primeiramente é preciso certificar que sua cama é confortável, que possui um bom colchão, travesseiros e lençóis.

Para quem possui central de ar em casa, a recomendação é encontrar a temperatura ideal que lhe faz bem. Além disso, o som do ventilador também pode ajudar a relaxar.

Como citado acima, as luzes das telas de eletrônicos podem causar estrago ao ciclo do sono. No entanto, mesmo quando os eletrônicos estão desativados, certifique-se que as luzes de espera não reflitam em você. Uma dica é investir em uma máscara para dormir.

Também é orientado que sejam cortadas distrações, como as notificações de smartphones.

Rotina

Para ter o melhor sono possível é importante dormir e acordar na mesma hora todos os dias. Como é difícil “repor” sono perdido, o Dr. Verma aponta uma alternativa:

“Uma maneira para as pessoas otimizarem seu sono é acordar na mesma hora todos os dias, ou pelo menos dentro da mesma hora. Ao invés de dormir mais em dias de folga, desperte no mesmo tempo e, em seguida, tire uma soneca que permite o sono extra sem interromper a programação normal de acordar”.

Caso você siga as dicas e continue tendo problemas em relação ao seu sono, é preciso procurar um médico especialista. Isso porque questões de saúde podem interferir na forma como você dorme.

Insônia crônica, apneia do sono, ou alguma outra condição não diagnosticada pode transformar o horário de dormir em apenas um momento de repouso.

*Por Nathalia Matos
…………………………………………………………
*Fonte: fatosdesconhecidos

7 dicas para garantir que seus livros sejam bem preservados

Segundo especialista do Museu Paulista, é importante manter os volumes livres de poeira, luz solar e umidade, entre outras recomendações

Para os bibliófilos, como são chamados os amantes dos livros, existem duas certezas: a de que a pilha de não lidos nunca diminui e a de que a vida é muito curta para ler tudo. Assim, um dos poucos confortos – além, é claro, de terminar uma ótima leitura – é organizar as prateleiras.

Uns buscam o tradicional e utilitário: ordem alfabética do sobrenome do autor, por gênero. Outros buscam a estética e organizam tudo pela escala de cores das lombadas e tamanho. Há os que lançam mão da metalinguagem para organizar sua coleção, como o delegado Espinosa, personagem do escritor brasileiro Luiz Alfredo Garcia Roza, que mantém em casa uma estante de livros feita só de livros (inclusive as prateleiras). E há, ainda, os caóticos, que armazenam os livros com as lombadas viradas para a parede, deixando apenas os miolos à mostra.

O fato é que ninguém precisa ser o italiano Umberto Eco, que tinha em casa uma biblioteca com 30 mil volumes, para saber que cuidar de livros dá trabalho. Eles acumulam poeira, amarelam com o tempo, sofrem com o sol e a umidade.

Pensando em ajudar os bibliófilos, Flávia Urzua, técnica do setor de papel do serviço de conservação do Museu Paulista, em São Paulo, compilou sete dicas para preservar as publicações em boas condições:

1. Na vertical é melhor
Procure guardá-los sempre na vertical com apoio de bibliocantos, exceto livros muito grandes e pesados, e evite que eles fiquem espremidos, para não danificar o miolo e a lombada.

2. Só um paninho
Para tirar a poeira do dia a dia, dê preferência a uma flanela seca. E, a cada seis meses, utilize uma escova de cerdas macias ou aspirador de pó na potência mínima para varrer a parte superior do livro.

3. Lave as mãos
Nada de manuseá-los com as mãos sujas e engorduradas — tampouco faça refeições enquanto lê.

4. Pegue leve
Nunca force para abrir o livro totalmente para não danificar a encadernação e não apoie muito peso ao manuseá-lo.

5. Atenção ao marca-página
Clipes de metal não devem ser usados como marcadores de páginas, pois podem oxidar e deixar marcas de ferrugem permanentes. Evite também marcadores com muito volume para não deformar o livro.

6. Longe do sol
Mantenha-os longe da luz solarl, pois depois de um tempo a exposição pode desbotar as capas e lombadas;

7. Ar fresco
Guarde-os em um local arejado e nada de encapá-los com sacos plásticos, justamente para que eles possam “respirar”.

*Por Marilia Marasciulo
……………………………………………………….
*Fonte: revistagalileu

70 ideias super práticas para simplificar sua vida

Nem sempre é simples…simplificar.

Ter uma “vida simples” (muitas vezes confundida com uma vida humilde) é, na verdade, complicado. É preciso pensar em como fazer isso, mas mais importante ainda é tomar decisões práticas.

Menos blá e mais pá!
Pensando em dar uma forcinha nesse lado de botar a mão na massa, preparei essa lista com 70 dicas para ter uma vida mais simples.

Importante: sim, coisas simples como aprender a dizer não e beber água estão na lista. Vai ser fácil você achar que a lista tem coisas muito singelas. Mas não as subestime porque são justamente as coisas mais banais que costumam ser ignoradas porque fomos doutrinados a achar que o complicado é o que resolve. E hoje em dia, complicar uma coisa que devia ser simples é um negócio altamente lucrativo, como mostram os algoritmos e as pseudo científicas contabilizações e interpretações de todo tipo de coisas, mas isso é outro post.

Não deixe seu preconceito atrapalhar sua leitura e dê uma chance para uma coisa simples mostrar o seu poder 😁

Sugestão – Este é um artigo longo. Leia com calma e quando tiver tempo. Ou salve essa página e leia aos poucos. O ideal é ir checar sua atual situação em cada um desses pontos 😉

Vamos lá, veja como você se sai. E mande o texto pra alguém próximo, pra comparar. Sempre rende um bom papo.

Aprenda a dizer não — Dizer não a compromissos e projetos não só faz você ganhar mais tempo, mas também aumenta seu processamento mental. A internet nos fez esquecer do como é não fazer nada, o “dolce far niente”, do ócio criativo.

Beba água – Essa é óbvia, mas um simples copo de água é bem mais saudável e barato que a maioria dos outros líquidos e é o maior exemplo de coisa ridícula que ninguém leva muito à sério, mas que tem um impacto significativo na saúde e na disposição. Minha dica dentro da dica: SEMPRE tome 2 copos, mesmo que o primeiro já tenha matado a sua sede.

Simplifique suas refeições – muita gente gasta um tempo enorme entre preparar, comer e limpar os pratos/travessas/copos. Planeje suas refeições, prepare a mais e guarde. Aprendi muito sobre isso fazendo jejuns intermitentes e de longa duração porque fica evidente o quanto a vida fica mais simples nesse departamento da cozinha. E aprendi também com o pessoal da musculação, que faz refeições frequentes e sabem como otimizar o tempo gasto para se alimentar (cubinhos de frango no Tupperware, alguém?)

Pessoas? Menos e melhores – Não é que eu não goste de pessoas, mas pessoas vêm e vão nas nossas vidas e é importante editar nosso círculo de amigos regularmente porque eles tem um grande poder de influencia e tem o poder de nos colocar para cima ou para baixo. Não há meio-termo. O tempo é precioso e deve ser gasto com as melhores pessoas possíveis. Dica dentro da dica: preste atenção em como você fica DEPOIS de passar alguns minutos com uma pessoa. Tá com uma energia melhor ou pior? Qual foi o residual? Esse truque eu uso com absolutamente TUDO, sejam pessoas, eventos, projetos, etc.

Torne-se uma família de um carro só – Usar um único carro pode ser difícil para algumas famílias, mas a ideia é simplificar. Reduz drasticamente os custos associados e de quebra serve de desculpa para aquele abençoado confinamento forçado que incentiva a convivência familiar. Um carro cheio de gente querida é uma bolha de trocas inesquecíveis, quase uma terapia de grupo.

Desligue a TV – eu consegui diminuir bastante graças a uma decisão que tomei dois atrás, de não consumir mais telejornais (ainda consumo notícias, mas só proativamente, nunca passivamente). Com isso a TV ficou menos tempo ligada, revi meu pacote de TV a cabo e tenho usado mais os streamings, que são menos impulsivos porque eliminam o efeito de ficar zapeando canais.

Reduza os aplicativos de celular – jogue fora SEM DÓ os aplicativos do seu telefone. Vc sempre poderá baixar de novo, se for o caso. Menos aplicativos significam menos distrações e notificações, uma das dicas mais importantes de toda essa lista e de alto impacto imediato na sua rotina. Faça o teste: jogue fora 80% dos apps, desligue TODAS as notificações e veja o que acontece com a sua vida depois de uma semana.

Limpe sua caixa de entrada – Pratique o “inbox zero” (zere ativamente os e-mails no seu inbox) todos os dias. É algo que dá pra resolver em dois minutos? Faça de imediato. Não dá? De um encaminhamento (lista de afazeres, forward, mova para alguma pasta, sei lá, encaminhe de alguma forma, mas tire do seu inbox)

Cancelar assinatura — Reserve um tempo para cancelar a assinatura de listas de e-mail nas quais você não encontra mais valor. Isso ajudará a reduzir a confusão da caixa de entrada e evitará o trabalho de excluir e-mails indesejados. Como editor, eu recebo de 800 a 1000 emails por dia, com pautas. Com o tempo montei um sofisticado sistema de regras e filtros que tornam possível priorizar as boas fontes e eliminar as não tão boas. Crie um sistema.

Verificar e-mail uma ou duas vez por dia — Essa é uma tarefa difícil para alguns, inclusive para mim, mas ninguém recebia correspondência pelos Correios ininterruptamente 24 horas por dia. Tente reduzir o número de vezes por dia que você verifica seu e-mail. Porque quando você entra… você fica. Armadilha total.

Não atenda o telefone — Você não tem que atender todas as ligações recebidas. Isso é um hábito que herdamos de uma era pré-internet em que telefone tocando precisava sempre ser atendido. Hoje em dia fica claro o quão intrusivo são as ligações telefonicas, não que não sejam justiçadas, mas pela imposição de serem respondidas imediatamente. A maioria das ligações não são importantes e podem ser resolvidas por texto. Telefone é para ser usado com pessoas muito especiais, quando queremos papear sem pressa. Aí sim é ótimo. Mas para coisas do dia-a-dia, prefira mensagens de texto.

Simplifique seu guarda-roupa – Em 2019 eu me livrei de 70% das minhas roupas, achei na época que era quase uma insanidade porque doei um monte de coisas que eu anda gostava muito, mas não usava. Um ano depois, joguei 70% desses 70% fora de novo. É IMPRESSIONANTE o quanto guardamos de coisas que não usamos. Todo mundo sabe que isso é um fato, mas desconfio que nem todo mundo saiba o quanto podemos abrir mão sem prejuízo NENHUM. Eu uso mais ou menos o mesmo estilo de roupa todos os dias. Isso elimina o tempo de decisão do que vestir e economiza muito dinheiro. E ainda pode ajudar pessoas que não tem o que vestir.

Reduza a desordem digital — É muito fácil salvar 1254 fotos no seu computador e ter uma tela cheia de atalhos. Reduza sua desordem digital e arrume seu desktop.

Minimize seus pertences — Coisas e desordem ocupam espaço e requerem manutenção. Menos coisas significam menos para limpar, organizar e reduzir nossa pegada. Manter o essencial e jogar fora o resto pode ajudá-lo a simplificar e ganhar clareza mental .

Reduza o acúmulo de papel — Use o e-mail e o recurso de impressão em PDF em seu computador.

Elimine contas em papel — Receber uma conta pelo correio é coisa do passado. O faturamento sem papel coloca a maioria de suas contas em um só lugar, no seu computador ou na nuvem, exatamente onde você precisa, sem toda a confusão de papel.

Minimize seus processos financeiros — Reduza o número de contas bancárias, cartões de crédito e empréstimos. Quanto mais centralizado, mais fácil de administrar.

Livre-se da culpa — Sentir-se culpado é algo que manifestamos e muitas vezes é desnecessário. Dê a si mesmo uma pausa muito necessária e pare de se sentir culpado.

Julgamento – Há muito julgamento dos outros neste mundo. Muitas vezes julgamos os outros sem ter o contexto adequado da situação. Quando paramos de julgar os outros, nos tornamos mais fortes e mais abertos a novos pensamentos e ideias. Um exemplo prático: eu ficava com muita raiva quando tomava uma cortada de um apressadinho no transito. Hoje eu penso assim: “talvez ele tenha um motivo real para estar com pressa, talvez esteja indo para um hospital”. Dar esse simples benefício da dúvida me tira todo estresse da situação. E hoje vejo o quanto era ridículo se estressar por coisas desse tipo.

Pare de se importar com o que os outros pensam – Nossa, essa é importante hein? Pega um café e pare nesse item para pensar na sua vida com carinho. Quando paramos de nos importar com o que os outros pensam de nossas ações ou da maneira como vivemos nossas vidas, nos tornamos livres. Parei de me importar anos atrás e comecei a viver minha melhor vida. Me tornei uma pessoa muito mais feliz. Dica dentro da dica: faça isso de uma maneira leve, sem aquela atitude “vão ter que me engolir”. A ideia é tirar o peso disso, não simplesmente mudar o erro de direção. Simplesmente viva mais de acordo com as suas regras e valores, é um processo interno. Libere os outros.

Uma casa menor – Uma casa grande e cara significa uma casa grande para limpar e manter. Também significa menos tempo livre e mais trabalho para dar conta das responsabilidades financeiras daquela casa. Considere reduzir o tamanho para uma casa menor e mais acessível. Dica dentro da dica: uma casa boa tem todo um simbolismo para nós e para os outros. Mas gosto de pensar que ocupamos, de fato, um metro quadrado de cada vez. Todos os outros são, em teoria, desnecessários em dado momento. Menos simbolismo e mais funcionalidade são boas coisas para refletirmos.

Trabalhe menos — Se der, claro, considere reduzir as horas de trabalho durante a semana ou mudar para um trabalho com uma demanda menor, se for algo abusivo.

Limpe seu carro – Faça uma limpeza completa no interior e no exterior do seu carro. Limpe a desordem no interior para um ambiente mais tranquilo ao dirigir.

Considere o clima — O clima em que vivemos pode ter um grande efeito em nossa felicidade e também pode complicar nossas vidas. Viver em um clima temperado pode economizar tempo e dinheiro em comparação com um clima com mais extremos. Menos extremos significam menos roupas de inverno e verão, contas de aquecimento e refrigeração, etc. Climas temperados são mais simples e quem não gosta de sol quente?

Superfícies planas e desocupadas – 3 coisas são certas: a morte, os impostos e o fato de que uma superfície plana SERÁ USADA como suporte da sua bagunça. Mantenha as superfícies planas limpas e/ou reduza o número de superfícies planas que você possui. Essa é difícil, eu sei.

Exercício — Você não precisa de equipamentos sofisticados e nem de academia para se exercitar. Há muitas maneiras de se exercitar usando o peso do seu próprio corpo ou acelerando seu coração de alguma forma. Esqueça esse termo “exercício” e troque por “vida em atividade”. Não é um evento chato que você marca na agenda, é um estilo de vida que traz benefícios corporais, mentais e sociais.

Tarefas domésticas — Crie uma programação semanal e diária de quais tarefas domésticas precisam ser realizadas. Atenha-se ao cronograma para uma casa limpa e convidativa.

Aluguel – Considere alugar ou assinar coisas em vez de possuir. Em alguns casos pode ser consideravelmente mais barato do que possuir. Mas também não deixe de criar um patrimônio, com aquisições que podem valorizar. Estude, pesquise e julgue com sabedoria.

Empréstimo — Itens que não são necessários ou são de *uso único* podem ser emprestados. Pegar livros emprestados com amigos em vez de comprar, por exemplo. Ou aquela furadeira. Empreste games, ferramentas ou qualquer outra coisa que você não precise a longo prazo.

Aprenda a preparar uma mala com leveza — Leve apenas o necessário, embalado de um jeito inteligente. Viaje mais leve e com mais fluidez. Dica dentro da dica: aproveite suas viagens para doar roupas e calçados e substituí-los por novos. Assim você substitue itens ao invés de adicionar.

Itens “só por garantia” — 99% das coisas que achamos que podem acontecer nunca acontecem. Mentalidade de escassez, antiga. Se algo realmente acontecer, provavelmente você terá um plano de ação disponível com facilidade.

Tenha menos animais de estimação – não vai ser o item mais popular dessa lista, mas o ponto aqui é o excesso. Você realmente precisa de 2 cães, 4 gatos, o tanque de peixes e aquele periquito? Animais de estimação são amigos pra vida toda, no entanto, o excesso vêm com o preço da complicação.

Pense em dupla finalidade — Itens de dupla finalidade economizam espaço e tempo. Sempre que eliminamos 2 itens por 1, simplificamos.

Re-Propósito – Improvise soluções com as coisas que você tem. Um livrinho no pé da mesa cambaleante pode não ser muito chique mas funciona. E muitos desses quebra-galhos nem ficam visíveis, aprenda a arte da gambiarra do bem (não confundir com a do mal, que pode mesmo trazer péssimas consequências)

Conserte coisas — Quando algo quebra, nossa reação instantânea é jogar o item fora e comprar um novo. No entanto, muitos itens podem ser consertados ou reparados para viver uma vida mais longa. Seja criativo e conserte algumas coisas em vez de sair para comprar novos. Em outros casos, como aquele carregador de celular que parou de funcionar, nem pense: jogue fora sem dó porque se guardar você vai esquecer que ele não funciona.

Reduza os pertences decorativos — Mil almofadas, bibelôs, fotos, chaves de carro com 15 chaveiros pendurados, etc, complicam nossas vidas. Menos é mais.

Álcool e Tabaco – Este é outro item impopular, mas fumar e beber não são as coisas mais saudáveis e podem ser caros. Pare de inalar cancer e reduza a bebida. Sim, o tom é meio dramático, mas diz aí se não é verdade?

Fique quieto – Fique quieto em sua mente e seja autoconsciente. Pense profundamente e reserve um tempo para descobrir o que você quer da vida. Há uma enorme falta de autoconsciência na sociedade de hoje. É importante descobrir o que valorizamos e o que nos faz felizes.

Ignore o “me too” – Pressão dos colegas, pessoas que julgam, a mídia, anunciantes, seus pais. Ignore tudo e faça o que você acha que deve fazer.

Simplifique sua rotina — Seja qual for sua rotina, pense nas etapas envolvidas. Tudo o que você está fazendo para sair de casa pela manhã ou quando chega em casa à noite é realmente essencial? Examine sua rotina diária e corte o que não é essencial.

Estabeleça rotinas se você não as tiver – estragamos a palavra “rotina” quando a transformamos em sinônimo de algo chato e repetitivo. Repetitivo até pode ser, mas chato… não necessariamente. Uma rotina simples e ponderada é importante para funcionarmos melhor e para trazer paz de espírito. Tá passando por um momento meio ruim? Continue seguindo adiante através de uma rotina. A rotina é o que pode trazer você de volta para o trilho, de uma forma prática.

Tenha filhos com consciencia – Esse é um item mais sensível porque é uma decisão totalmente pessoal e dependente de um contexto amplo. Ter filhos é uma decisão de alto impacto na sua vida. Eu sempre sonhei em ser pai e não imagino o que seria da minha vida se eu não tivesse o meu filho. Provavelmente a maior e melhor decisão da minha vida. Mas para algumas pessoas pessoas pode não ser algo tão relevante e não há nada de errado nisso. O que talvez não seja muito certo é ter filhos sem um mínimo de planejamento e sem tratar seu papel no desenvolvimento de um novo ser humano com a devida importância e responsabilidade.

Deixe alguma folga — Simplifique seu tempo deixando folga ou espaço em sua programação diária. Chegue aos seus compromissos com 15 minutos de antecedência e planeje as tarefas que levam mais tempo do que o normal. Criar folga em nossos horários reduz muito o estresse.

Faça uma coisa de cada vez — Multitarefa é fazer várias coisas mal-feitas ao mesmo tempo. Para sermos mais produtivos devemos fazer/terminar uma coisa de cada vez.

Aprenda com um professor de cada vez — A internet está cheia de informações sobre qualquer assunto sobre o qual alguém possa estar tentando aprender. O problema é que essas informações podem ser conflitantes e confusas. Aprenda com um professor de cada vez e implemente o que você aprendeu. Pegue o que funciona para você e descarte o resto. Se você aprendeu tudo o que pode de uma pessoa, passe para outra.

Seja frugal – queira menos, consuma menos e gaste menos.

Viva sem dívidas — Claro, nem sempre é uma opção. Ms quando for, mesmo assim evite. Dívida é escravização e deve ser evitada sempre que possível. “Crédito ou débito?” Débito.

Carregue menos – Carregue menos itens pessoais com você diariamente. Esvazie os bolsos e as bolsas e você se sentirá mais leve.

Passe um tempo sozinho — Passar um tempo sozinho traz muitos benefícios e pode simplificar sua rotina. Converse com você.

Livre-se dos eletrônicos ridículos — não estou falando do seu smartphone ou computador, mas de coisas completamente desnecessárias como aquele abridor de latas elétrico. Itens manuais geralmente ocupam menos espaço, quebram menos e economizam eletricidade.

Reduzir Compromissos — Reduza o número de compromissos sociais que você tem. Não vá a tudo e participe de menos eventos. Assuma menos projetos.

Reduza as mídias sociais — Tente reduzir o número de contas de mídia social que você possui. Fique com uma ou duas e livre-se do resto.

Fique em casa – saiu, gastou. Tempo e dinheiro. Claro que você deve sair bastante, mas também deve encarar um tempo em casa como um belo de um evento.

Pare de comer fora — Evite o restaurante ou o delivery e faça uma refeição simples e saudável em casa.

Ambicione menos — Simplifique suas ambições e sonhos. Escolha um ou dois objetivos alcançáveis ​​e vá atrás deles. Muitas vezes somos pegos lutando por mais do que poderíamos alcançar. Escolha algo que seja realmente importante e esqueça o resto.

Respire – Aproveite o tempo para respirar. Pare e realmente aproveite o processo de respiração. Meditação não é realmente minha praia, mas simplesmente respirar reduz muito estresse.

Digitalizar — Digitalize qualquer coisa que possa ser digitalizada, ocupando atualmente espaço físico. Pense em livros, CDs, filmes, fotos, etc.

Pessoas Tóxicas — Já falamos sobre menos pessoas, mas é importante destacar o fato de que algumas pessoas são simplesmente vampiros de energia. Pessoas cheias de drama, julgamento, opiniões infundadas e impositivas, que são tóxicas para nosso humor e bem-estar devem ser removidas de nossas vidas.

Medicamentos – Parece que toda dor que temos hoje em dia exige algum medicamento. Não parece importar a aflição que temos em um determinado momento e “tem um remédio ótimo para isso”. Tente entender e trabalhar as origens dessas manifestações (geralmente são notificações que o seu corpo está te mandando).

Itens de vaidade — A vaidade é a grande locomotiva do consumo. Talvez pudéssemos pular algumas dessas coisas.

Produtos de Saúde – A saúde é um grande negócio hoje em dia e se você não estiver tomando os suplementos certos e comendo abacate, caramba, você pode morrer. Bom, não sei se você tá sabendo, mas você vai sim morrer. Um dia. Lá pra frente. Simplifique, cuidado com produtos de saúde da moda e fique em forma à moda antiga. Coma de forma saudável e faça algum exercício. É simples assim.

Fins de semana e férias — Nós, como seres humanos, temos esse estranho problema de preencher nosso tempo livre com o máximo de atividade possível. Os fins de semana estão cheios de coisas que precisamos fazer e as férias estão repletas de atividades infinitas.

Estresse — Há um tempo atrás eu fingi um ataque cardíaco. Agora eu realmente não fingi porque pensei que estava tendo um ataque cardíaco de verdade. Fake é apenas um termo que eu uso para brincar sobre isso agora. Eu me refiro a isso como “naquele dia eu fingi um ataque cardíaco para sair do trabalho”. De qualquer forma, no pronto-socorro, depois que a equipe do hospital terminou o protocolo, o cardiologista entrou e me disse alguma coisa. Ela disse: “Eu não acho que você teve um ataque cardíaco, no entanto, se você continuar vivendo do jeito que está vivendo da próxima vez”. Meus amigos que estão lendo isso, deixem o estresse ir embora . Não aguente. Elimine-o e ignore-o. Sou uma pessoa muito mais feliz desde que fingi meu ataque cardíaco.

Seja básico — Não há problema em ser básico. Nem todo mundo nasceu para ser empresário , lenda do esporte ou modelo do Instagram. Apenas seja você mesmo e seja feliz. É assim que você mantém as coisas simples.

Vá devagar – Paciência é algo que todos nós precisamos desenvolver mais. Leve as coisas devagar como o Martinho da Vila e acredite que você vai chegar lá. Aproveite o processo de ser e fazer.
Pensamentos negativos – Pare com os pensamentos negativos e pare de se julgar. Reconheça quando ‘o juiz’ entra em cena na sua mente ou o monstro do ‘pobre de mim’. Se pudermos reconhecer o comportamento, podemos forçá-lo a sair de nossa mente.

Pensamento de Escassez – O mercado está saturado? Tem muita gente fazendo o que você faz ou quer fazer? Calma, tem muita gente nessa bola azul que moramos. Pense em modo abundância e vá encontrando seu nicho e seu público.

Banho – Você está no chuveiro para se lavar ou relaxar? Não importa, os dois motivos são ótimos. Fique atento ao propósito de uma bela ducha ou banheira e otimize ambos os cenários.

Siga as regras — Este é difícil, especialmente para mim, mas siga as regras. Coloque o cinto de segurança e dirija devagar. Não beba e dirija. Estacione apenas onde for permitido. Não traia seu cônjuge, etc. Simplesmente siga as regras e elimine a dor de cabeça de ser pego fazendo algo que não deveria estar fazendo. A vida é muito mais fácil quando não fazemos ondas.

Eliminar – eu salvei este por último, pois é o mais importante. Eliminar desperdício. Tempo perdido, palavras perdidas, tarefas perdidas. Elimine continuamente qualquer coisa considerada desperdício e esteja atento ao que é essencial e ao que não é.

*Por Wagner Brenner
………………………………………………………………………….
*Fonte: updateordie

6 Alimentos que mantém o corpo aquecido em dias frios

Num dia frio, tudo o que queremos é encontrar uma comida saborosa que leve o desconforto para longe. A parte boa é que há uma variedade de alimentos que podem dar aquela força, trazendo não apenas a sensação de satisfação que uma boa refeição proporciona, mas também ajudando a manter o organismo mais saudável e aquecido por mais tempo. Confira 6 alimentos que ajudam a aquecer o corpo nos dias frios:

1. Café
Puro ou com leite, o café é irresistível, é um ótimo aliado para espantar o frio.
Uma das bebidas mais amadas pelo brasileiro vai além de ser uma conhecida fonte de cafeína, pois também ajuda a elevar a temperatura corporal. E se algum dia ela já foi considerada inimiga da pressão arterial, hoje já temos estudos que apontam como o consumo moderado da bebida é benéfico, reduzindo em 20% a chance de desenvolver hipertensão. Sem café, começar o dia pode ser mais difícil, não é mesmo?

2. Chá
Chás e infusões são aliados de quem busca uma dieta mais saudável.
Saboroso e repleto de possibilidades, que vão das infusões às folhas, o chá é uma escolha certa para quem deseja se livrar do frio. Além do conforto imediato que proporciona ao ser ingerida, a bebida possui antioxidantes, reforça o sistema imune e contém uma gama de nutrientes que pode prevenir a ocorrência de várias doenças, como câncer e diabetes.

3. Canela
Além do sabor intenso, a canela possui forte ação anti-inflamatória.
A canela merece destaque por não só por possuir um forte mecanismo anti-inflamatório, como também por estimular o metabolismo do organismo, contribuindo com a elevação da temperatura corporal. Ela pode ser colocada no café ou usada em frutas, deixando as refeições mais saudáveis e com um toque característico. Uma vantagem é que a canela também pode ser usada para adoçar os alimentos, o que auxilia quem deseja reduzir o consumo de açúcar.

4. Carboidratos
Carboidratos também são um tipo de açúcar.
Aqui entra um grupo de alimentos que está presente em boa parte das refeições e por isso é importante falar sobre. Seja uma refeição com batata cozida ou com macarronada, a regra é a mesma: ingestão de carboidratos faz com que o organismo aqueça durante o processo de queimar as calorias. Mas para ter uma dieta equilibrada, a dica é comer em porções, evitando os malefícios provocados pela ingestão em excesso que aumentam a presença de glicose no sangue e também levam ao aumento de peso.

5. Sopa
Com tantas opções de sopas, é muito fácil achar a perfeita para cada ocasião.
E se vamos falar de sopa agora, significa que as instantâneas estão excluídas, viu? A presença de sódio e conservantes tornam o alimento industrializado prejudicial à saúde. O importante é aproveitar a enorme variedade de sopas e preparar uma receita perfeita para os dias mais frios. Uma vantagem é que a abusar dos legumes ajuda a promover a sensação de saciedade, reduzindo a fome ao longo do dia.

6. Amendoim
Amendoim é um alimento rico em gorduras saudáveis.
Rica fonte de fibras e proteínas, o amendoim também é uma ótima escolha para quem precisa se aquecer. Além de estimular o metabolismo, é rico em vitamina B3, responsável por estimular o fluxo sanguíneo. O consumo do alimento promove diversos benefícios para o organismo, atuando na prevenção da anemia e de doenças cardíacas. Ou seja: em qualquer época do ano, é uma excelente escolha!

*Por Mychelle Araujo
………………………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

6 alimentos que não se deve comer à noite

Veja quais comidas e bebidas evitar para conseguir ter um sono de qualidade: nutricionista explica por que açúcar, cafeína e gorduras interferem na hora de dormir

A alimentação tem uma relação direta com uma boa noite de sono, pois diversos alimentos podem influenciar o nosso organismo neste momento do dia. Escolhas inadequadas tanto no jantar quanto na ceia podem também contribuir no processo de ganho de peso e atrapalhar a dieta. Outro ponto importante é estar atento ao horário da última refeição, pois você deve garantir um tempo adequado para o processo de digestão. O ideal é não comer grandes quantidades de alimentos antes de dormir e apostar em opções que sejam mais leves.

Segundo o nutricionista Guilherme Graciano, o indicado é fazer escolhas que sejam saudáveis, que proporcionem maior percepção de saciedade e evitar que as “beliscadas” aconteçam durante a noite. Ele dá quatro dicas básicas:

Evite consumir grandes quantidades de alimentos;

Dê sempre preferência por opções que demandem menor tempo de digestão;


Busque preparações que apresentem menores quantidades de gorduras em sua composição


Refeições muito calóricas demoram mais tempo para serem digeridas, impedindo que o sono apresente melhor qualidade. Busque opções que proporcionem saciedade, mas também que não prejudiquem a qualidade do seu sono.

Veja a seguir alguns alimentos que devemos evitar no período noturno. O nutricionista Guilherme Graciano explica melhor o porquê devemos evitar consumir estes grupos de alimentos e como fazer boas substituições.

1. Café
Bebidas com altas concentrações de cafeína, e o café é o exemplo máximo, são estimulantes do sistema nervoso central. Essas propriedades estimulantes interferem na produção de adenosina, substância química que ajuda a promover a sensação de sonolência e contribui para um sono de melhor qualidade. A cafeína aumenta o estado de alerta e a energia, o que é bem-vindo durante o dia, mas não à noite. O ideal é não tomar café depois das 18h, portanto.

Alternativas:
Suco de maracujá
Leite

2. Mate, chá preto ou chá verde
Um chá quentinho pode ser uma boa opção na hora de se preparar para ir para cama. Mas é importante estar atento se ele não é rico em cafeína, como é o caso destas três opções acima: mate, chá preto e chá verde. Eles caem na mesma questão do café e de outras bebidas com altas concentrações de cafeína, como bebidas à base de cola e energéticos. Lembrando que o chá verde até possui L-teanina, aminoácido que age no cérebro e promove o aumento dos níveis de GABA, dopamina e serotonina, neurotransmissores relacionados com o relaxamento. Mas o ideal é que seu consumo seja feito durante o dia para que ele ajude seu sono horas depois. À noite, é roubada.

Alternativas:
Chá de camomila
Chá de melissa
Chá de erva cidreira
Chá de passiflora
Chá de valeriana
+ 10 chás para dormir melhor: veja lista e como fazer

3. Frituras
As frituras devem ser evitadas em qualquer refeição do dia, já que seu consumo em excesso prejudica a nossa saúde arterial. A gordura saturada de origem animal, quando consumida em grandes quantidades, provoca uma inflamação no hipotálamo, interferindo na sensação de fome e a saciedade Além disso, os alimentos preparado no óleo passam a estimular o acúmulo de gordura abdominal, que é mais nociva para a saúde.

E à noite, especificamente, elas podem atrapalhar seu sono. Isso porque alimentos fritos têm altos níveis de gorduras, que demandam uma digestão mais lenta e provocam desconforto gástrico, gerando azia e sensação de estufamento. Esses sintomas costumam ser maximizados quando se está em posição deitada, atrapalhando a noite de sono.

Alternativas
Alimentos assados: em vez de batata frita, por exemplo, batatinhas e outros legumes assados no forno.

4. Alimentos gordurosos
Alimentos gordurosos tem uma digestão demorada e atrapalham a hora do sono

Mesmo quando não são frituras, refeições mais pesadas e gordurosas também precisam ser evitadas durante o período da noite, pois possuem um tempo de digestão maior. Alguns exemplos são lasanha, feijoada, feijão tropeiro, pizza, pastéis, carne de porco e embutidos, como salsicha, presunto e mortadela e queijos, como cheddar e prato. Estas opções demandam maior tempo de digestão e podem promover a sensação de estufamento e indigestão, que dificultam o início do sono e prejudicam sua qualidade, a exemplo do que acontece com as frituras.

Alternativas:

Caldos de legumes com frango desfiado, como de abóbora
Sanduíche natural
Ovos mexidos
Comida igual à do almoço, mas com atenção à quantidade consumida
Queijos mais magros, como o minas frescal

5. Doces e bebidas açucaradas
Alimentos açucarados podem aumentar a sede e contribuem para o ganho de peso.
Há estudos indicando que alimentos ricos em açúcar, carboidratos simples ou bebidas açucaradas próximos da hora de dormir promovem uma “entrada extra” de energia no organismo, deixando-o mais desperto, o que pode dificultar a hora de dormir. Além disso, um estudo publicado esse ano mostra que, à noite, o aumento dos níveis da melatonina no organismo tem como contrapartida uma redução da secreção de insulina e da tolerância à glicose, aumentando o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, a longo prazo, quando há consumo constante de açucares nesse período do dia. O nutricionista Guilherme também explica que consumir alimentos ricos em açúcar durante à noite faz com que ocorra um aumento da percepção de sede, o que pode contribuir para acordar durante a noite para beber água. Assim, também aumenta a quantidade de idas ao banheiro durante à noite, atrapalhando o ciclo do sono.

Alternativas
Frutas, de preferência cítricas, como laranja ou morango
Mingau de aveia

6. Bebidas alcóolicas
Bebidas alcoólicas afetam a qualidade do sono e também são diuréticas

Beber um pouco de vinho ou até uma cervejinha pode trazer uma sensação de relaxamento, mas as bebidas alcoólicas influenciam na qualidade do sono e fazem com que você acorde com uma sensação de que não descansou corretamente. Isso acontece porque o álcool faz com que o sono fique mais superficial e haja menos sono REM, que é uma fase importantíssima para o relaxamento do corpo, quando acontecem os sonhos. Além disso, o álcool é diurético, exigindo uma maior quantidade de idas ao banheiro durante à noite.

Recentemente, os colunistas do EU Atleta Turibio Barros e Gerseli Angeli explicaram um estudo finlandês que mostra que mesmo “pequenas quantidades, inferiores a 0.25g de álcool/Kg de peso (que equivale a menos de duas doses para homens e menos de uma dose para mulheres), reduzem em 9% a qualidade do sono. Quantidades moderadas, entre 0.25 e 0.7g de álcool/Kg de peso (equivalente a duas doses para homens e uma dose para mulheres), impactam em 24% a qualidade do sono. E grandes quantidades, acima de 0.75g de álcool/Kg de peso (mais de duas doses para homens e mais de uma dose para mulheres), resultam em uma redução de aproximadamente 39% da qualidade do sono”.

Alternativas:
Sucos de frutas cítricas (não coados)
Suco de maracujá
Chás sem cafeína

Outro ponto levantado pelo nutricionista é em relação a quantidade de líquidos em geral consumidos no período noturno. Quanto mais líquidos consumimos, maior será a quantidade de vezes que iremos ao banheiro. Por isso, é importante ter atenção especialmente para as pessoas que apresentam o hábito de acordar durante a noite para ir ao banheiro e apresentam dificuldade para voltar ao sono.

Assim, a hidratação no período da manhã e no início da tarde em quantidade adequada será uma boa forma de atingir as necessidades hídricas durante o dia. Evite ingerir muitos líquidos próximo da hora que você costuma ir deitar e evite alimentos com propriedades diuréticas.

Quais alimentos são uma boa opção?
Para fazer uma boa escolha na alimentação durante a noite, você deve optar por uma refeição leve e nutritiva. O nutricionista Guilherme Graciano comenta que boas opções de refeições para a noite são um prato rico em verduras e legumes, com uma boa porção de proteína, de preferência um pedaço do tamanho da palma da mão e carboidratos de boa qualidade, com atenção à quantidade consumida.

Graciano também sugere um lanche com pão integral, recheado com um pedaço de carne ou ovos mexidos ou hambúrguer vegetal e adicionando uma boa quantidade de verduras, com o objetivo de aumentar a ingestão de fibras na alimentação. Vale destacar também que o arroz e o feijão podem estar presentes neste momento do dia, o mais importante é se atentar à quantidade consumida e o que irá acompanhar os alimentos mais queridos dos brasileiros.

Além disso, sopas ou caldos de legumes também podem ser consumidos, dando preferência por adicionar alimentos que são fonte de proteínas, como é o caso do peito de frango desfiado, carne moída ou soja texturizada, para pessoas vegetarianas. Dessa forma, é possível fazer escolhas que sejam saborosas, práticas, saudáveis e que não atrapalhem o nosso precioso sono.

……………………………………………………

Fonte: GE
Guilherme Fonseca Graciano é nutricionista com graduação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Pós-graduado em Nutrição Clínica e Esportiva, pós-graduando em Oncologia e Geriatria e mestrando em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina da UFMG. Instagram @guigracianonutri

Como desacelerar para dormir rápido e melhor

Muitos de nós não conseguem dormir o suficiente todas as noites. No entanto, o que pouca gente sabe é que, embora seja importante dormir o suficiente, dormir bem é um aliado mais influente para acordar disposto.

Um estudo publicado no Journal of Psychosomatic Research concluiu que a qualidade do sono é mais importante do que a quantidade, no que diz respeito à se sentir descansado e rejuvenescido.

Claro, isso não significa que as pessoas podem dormir apenas três horas por noite. A verdade é que cada um de nós precisa de uma quantidade diferente de sono para ser produtivo, e o lance das “oito horas por noite” é mais uma diretriz do que uma regra. De fato, algumas pesquisas sugerem que dormir demais pode ser tão prejudicial para a sua saúde quanto dormir pouco.

Como as orientações para uma boa noite de sono podem ser confusas, trouxemos aos nossos leitores esse guia, que visa ajudar na melhoria do sono ao ponto de que você precisar dormir menos, e o tempo que você passar dormindo ser verdadeiramente repousante.

Como dormir melhor
Por onde começar
Em primeiro lugar, é preciso começar a controlar o seu sono, e encontrar o seu momento de dormir perfeito.

Oito horas de sono é inútil se você gastar todo esse tempo rolando na cama, e só dormir por cerca de 3 a 4 horas. Tentar corrigir maus hábitos de sono indo para a cama mais cedo é como tentar perder peso gastando mais tempo na academia sem fazer qualquer treino extra.
Otimizar o seu sono depende muito de três coisas: preparação (construção de bons hábitos de sono), ambiente (aprimoramento de seu ambiente de sono ideal) e rotina (dormir quando e quanto você precisa).
As dicas abaixo são do Dr. Nitun Verma, especialista em sono da Universidade de Stanford (EUA) e diretor médico do Centro de Distúrbios do Sono Washington Township, em Fremont (EUA), para ajudá-lo a melhorar a qualidade do seu sono a longo prazo.

Preparação
O primeiro passo é construir hábitos que irão ajudá-lo a adormecer mais rápido, dormir mais e ficar mais confortável enquanto você descansa. Por exemplo:

Exercício físico regular. A Fundação Nacional do Sono dos EUA afirma que exercício no período da tarde pode melhorar o sono à noite. Especificamente, praticar atividades físicas de manhã ou à tarde ajuda a adormecer mais rápido, com menos problemas. Apenas certifique-se de não se exercitar logo antes de dormir, já que isso tem o efeito oposto.
Escolha um despertador suave. Esqueça seu despertador irritante e incrivelmente alto, e tente algo novo que vai tornar seu momento de acordar mais fácil e natural. Aplicativos de despertador podem acordá-lo com músicas ou sons suaves. Você também pode tentar uma luz de alerta que sobe lentamente o nível de iluminação na sala, conforme sua hora de despertar se aproxima.
Elimine o álcool, corte a cafeína e largue o cigarro. Um estudo publicado em 1994 abordou os três temas e concluiu que o álcool pode ser relaxante e ajudá-lo a pegar no sono, mas é prejudicial para o ciclo do sono, uma vez que é liberado do corpo. O resultado final é uma noite agitada em que você acorda com mais frequência do que faria normalmente. A cafeína tem um efeito diferente. Ela alonga a 2ª fase de seu ciclo de sono (quando o cérebro começa a reorganizar-se e processar o dia), o que é ótimo para cochilos, mas não para uma noite de sono profundo. Ainda, a cafeína reduz as fases três e quatro do sono, onde o sono REM e o sonho ocorrem. Cigarros, por outro lado, ou especificamente a nicotina, podem ser relaxantes em pequenas doses, mas em grande quantidade te mantém acordado por mais tempo e impedem o início do sono.
Diminua seu tempo na frente das telinhas. Estudo após estudo apontam que os dispositivos eletrônicos prejudicam nossos ciclos de sono. O Dr. Verma sugere desligar seus aparelhos pelo menos 1 a 2 horas antes de dormir. Duas horas é o melhor, mas é bastante impraticável para muitas pessoas. “As telas de tablets, telefones e TVs são tão brilhantes que podem confundir o cérebro. Tanta luz muito tarde da noite pode fazer com que o cérebro pense que é duas da tarde, não duas da manhã. Mesmo se ocorrer o sono, ele não será tão profundo e, portanto, será menos restaurador”.
Medite antes de dormir. Há muitos métodos de meditação orientada para dormir. Tente visualizar um sonho que você gostaria de ter, ou, se acordar no meio da noite, relaxe, concentre-se em dormir, e tente visualizar onde o seu sonho parou.
Melhore o seu ritual noturno. Ter um ritual à noite é importante. Por exemplo, sempre ir ao banheiro antes de dormir, para não acordar com frequência com vontade de ir ao banheiro, o que pode levar ao sono superficial durante toda a noite. Inicie uma rotina de sono saudável, que começa muito antes de sua cabeça bater no travesseiro.

Ambiente
Antes de se deitar para dormir, você também deve se certificar que seu ambiente está propício para uma boa noite de sono.

Certifique-se de que sua cama é realmente confortável. Como a maioria de nós vai gastar uma média de 24 anos de nossas vidas dormindo, sua cama merece um investimento sério. Compre o colchão certo, escolha bons travesseiros e lençóis. Não subestime o poder de uma cama mais confortável. Isso pode realmente melhorar o seu sono.
Ajuste a temperatura. Alguns estudos têm mostrado que a temperatura ótima de dormir para a maioria dos adultos situa-se entre 15 a 20 graus centígrados. Muito mais quente do que isso pode causar insônia. No entanto, você pode procurar o que lhe faz bem. Se você gosta do calor, durma no calor. Se gosta de ligar o ventilador e se cobrir, faça isso, etc.
Filtre a luz. LEDs e luzes de espera de eletrônicos podem causar tanto estrago ao seu ciclo de sono quanto a luz de um tablet ligado. Mesmo que seus eletrônicos estejam desativados, certifique-se de encobrir a luz pulsante de seu laptop enquanto ele está recarregando, ou a luz de espera da TV, etc. Se você mora em algum lugar iluminado a todas as horas, invista em uma máscara de dormir. Isso pode ajudá-lo a obter um melhor descanso.
Corte as distrações. Crianças te acordam? Você pode não ser capaz de fazer muito sobre isso, mas se o seu telefone está te acordando com notificações de novos e-mails, é hora de desligá-lo. Se o seu bairro é barulhento e o impede de dormir, tente um gerador de ruído branco ou uma música suave para ajudá-lo a descansar.

Rotina
Você já sabe que quanto tempo você dorme é importante, mas para ter o melhor sono possível, você deve dormir e acordar na mesma hora todos os dias.

É difícil “repor” sono perdido. O Dr. Verma sugere uma alternativa: “Uma maneira para as pessoas otimizarem seu sono é acordar na mesma hora todos os dias, ou pelo menos dentro da mesma hora. Ao invés de dormir mais em dias de folga, desperte no mesmo tempo e, em seguida, tire uma soneca que permite o sono extra sem interromper a programação normal de acordar”.

Finalmente, se você está tendo problemas para ter um sono de qualidade, ou mesmo se você dorme por longos períodos e não se sente descansado, pode ser hora de falar com o seu médico.

Pode haver um número de questões médicas causando seus problemas de sono, todas tratáveis. Você pode estar sofrendo de insônia crônica, apneia do sono, ou alguma outra condição não diagnosticada que, uma vez tratada, pode transformar seu sono em verdadeiramente repousante.

Depois de ter seus problemas de sono resolvidos, seja por profissionais ou pelas dicas acima, você pode começar a ajustar a quantidade de sono para o quanto você realmente precisa. Se você dormia nove ou dez horas porque era a única maneira de se sentir descansado, e depois da máscara de dormir e de desligar seus eletrônicos se sente mais relaxado com apenas oito, pode começar a diminuir seu tempo de sono, ganhando horas extras em seu dia para fazer as coisas que você deseja. [LifeHacker]

*Por Natasha Romanzoti
………………………………………………………………………
*Fonte: hypescience

Como saber se você está bebendo muita água?

Beber bastante água é uma das recomendações mais primordiais que recebemos para ter uma boa saúde. Mas você sabia que é possível passar dos limites e ter uma “intoxicação” por água?

Isto pode acontecer, e gera um problema chamado super-hidratação. A grande questão é que não há uma medida exata de quando bebemos água demais, já que isso depende de vários fatores, como situação de saúde, peso, quantidade de exercícios diários, sexo, idade, etc. Mas dá para ter uma noção de quando se está passando da conta.

O problema de tomar água demais
Quando passamos do limite, podemos experimentar um envenenamento por água e uma interrupção das funções cerebrais. A razão pela qual isto acontece é que, quando há muita água em nossas células, elas começam a inchar. E, quando isto acontece nas células do cérebro, há um aumento da pressão no órgão.

Os sintomas de que isto está acontecendo normalmente são confusão mental, sonolência e dores de cabeça. O indivíduo também pode manifestar pressão alta e bradicardia (frequência cardíaca baixa).

O excesso de água também afeta a quantidade de sódio no corpo, causando uma situação chamada hiponatremia. O sódio é um eletrólito fundamental para o equilíbrio dos fluidos no corpo. Então, quando seus níveis caem, os fluidos tendem a entrar nas células e a “inchá-las”, podendo levar a convulsões, coma e até a morte.

Como saber se você está bebendo muita água?
O principal indicador a ser controlado é a cor da urina. A cor do xixi normalmente varia entre um amarelo pálido e uma cor mais próxima à dos chás. Se a urina é frequentemente clara, pode ser um sinal claro que está havendo um consumo excessivo de água em um curto espaço de tempo.

Outro sintoma pode ser a vontade de excessiva de ir ao banheiro. O normal é que as pessoas urinem cerca de 6 a 8 vezes por dia, com margens para cima e para baixo. Mas você tem uma vontade de ir ao banheiro muito maior que isso, também deve prestar atenção.

Há outros indicativos de super-hidratação que podem se manifestar, como náuseas, vômitos e diarreia por excesso de líquidos. Outro fator importante é a dor de cabeça latejante (que também pode ser um sinal de desidratação).

Preste atenção também na cor das mãos, pés e lábios. Quando há um consumo excessivo da água, a pele incha e se descolore, deixando a pessoa mais pálida. Por fim, observe se há excesso de cansaço. Quando se bebe água demais, os rins têm que trabalhar mais para eliminar o excedente, causando fadiga e estresse.

Qual é a quantia certa de água?
Como dissemos, não há uma orientação universal sobre a quantidade ideal de água por dia, uma vez que muitos fatores interferem neste dado. Mas existem algumas diretrizes básicas: mulheres jovens devem beber cerca de 3 litros de água por dia, e homens jovens, cerca de 4 litros.

De todo modo, se você não tem muita ideia do que seria a medida válida para você, vale a pena seguir o conselho popular dos 8 copos por dia que certamente será uma quantidade segura.

*por Maura Martins
………………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

Tabagismo, sedentarismo e consumo de álcool juntos podem reduzir 12 anos de vida

A expectativa de vida tem sido amplamente utilizada como indicador de saúde, mas nos últimos anos tem havido um crescente interesse na quantificação da qualidade dos demais anos de vida.

A expectativa de saúde combina dados sobre mortalidade e morbidade ou incapacidade, como tal, fornece uma estimativa do número restante de anos de vida que se espera viver em estados favoráveis ​​de saúde ou sem incapacidade. Os indicadores de expectativa de saúde têm sido amplamente utilizados para comparar a saúde em diferentes populações, monitorar tendências temporais e explorar as desigualdades na saúde da população.

Pesquisadores da University College London, Inglaterra, publicaram um artigo na Scientific Reports, com o objetivo de analisar fatores envolvidos com a expectativa de vida.

Foram utilizados dados de dois estudos prospectivos de coorte sobre o envelhecimento: o Estudo Longitudinal Inglês do Envelhecimento (ELSA) na Inglaterra e o Estudo de Saúde e Aposentadoria (HRS) nos EUA. Estabelecido 10 anos após o HRS, o ELSA foi projetado para ser comparável em termos de amostragem populacional, periodicidade e conteúdo (incluindo o texto específico das perguntas).

Perguntou-se a todos os participantes se eles tinham dificuldades em realizar atividades da vida diária (por exemplo, vestir-se, atravessar uma sala, tomar banho ou tomar banho, comer, entrar / sair da cama, usar o banheiro) e atividades instrumentais da vida diária (por exemplo, usar um mapa, preparar uma refeição quente, fazer compras, fazer ligações, tomar medicamentos, administrar dinheiro).

Os participantes foram questionados se “algum médico já lhe disse que você tem …”: doença cardíaca coronária acidente vascular cerebral, doença pulmonar (bronquite crônica ou enfisema, câncer, diabetes e artrite. A expectativa de vida livre de doença crônica foi definida como tendo uma ou mais dessas condições.

A obesidade foi definida como índice de massa corporal (IMC) ≥ 30Kg / m2. O status de fumante foi categorizado em “Nunca ou ex-fumante” e “Fumante atual”. A frequência do consumo de álcool foi dicotomizada em “Menos de 5 dias por semana” e “5 a 7 dias por semana”. A atividade física foi definida como sendo “fisicamente ativa” se participando de atividade física vigorosa por mais de 2 dias por semana e “fisicamente inativa” caso contrário.

O indicador de status socioeconômico utilizado nas análises foi a riqueza total das famílias, definida como a soma da riqueza financeira líquida e da riqueza líquida da habitação menos todas as dívidas.

Os principais achados indicaram que fatores de risco comportamentais agrupados estão associados a menor expectativa de vida, bem como a menor expectativa de vida saudável. Nas idades de 50, 60 e 70, homens e mulheres com dois ou mais dos fatores de risco comportamentais (tabagismo, inatividade física, obesidade e consumo de álcool), poderiam esperar viver em média até 12 anos a menos do que aqueles sem risco fatores.

Deste modo, a pesquisa alerta sobre esses hábitos no dia a dia.

*Por Vitor Engracia Valenti
…………………………………………………………..
*Fonte: universoracionalista

6 apps populares que fazem a bateria do seu celular acabar mais rápido

Descubra quais os aplicativos que são os grandes ‘vilões’ do consumo de bateria em celulares com sistemas Android e iOS; confira as dicas para melhorar o problema

A duração da bateria de celulares Android e iPhone (iOS) é um grande problema para usuários, ainda mais quando alguns apps muito usados podem demandar mais dela. O desgaste dos dispositivos ocorre de forma natural, já que os ciclos de carga e descarga diminuem a capacidade do equipamento ao longo do tempo. Porém, certas ações podem acelerar o descarregamento dos smartphones, como manter aplicativos abertos em segundo plano. Por isso, veja, a seguir, seis apps que consomem muita carga e como resolver isso.

1. Facebook
O Facebook, rede social da Meta, é um dos aplicativos que mais gastam a bateria do celular. Isso porque a plataforma opera em segundo plano de várias maneiras, como para conectar acessos de outras redes sociais, como o Messenger e o Instagram; para realizar atualizações, sincronizações de contatos e até mesmo o uso de dados móveis. Assim, ainda que o usuário não perceba, o app realiza uma série de atividades, o que pode culminar em uma queda de bateria.

A boa notícia é que o problema pode ser resolvido sem muito esforço, já que basta colocar um limite de uso para o aplicativo nas configurações internas do smartphone. Além disso, também é possível definir que o serviço não atue em segundo plano e não emita notificações, o que vai diminuir significativamente o consumo do smartphone.

2. Google Maps
O aplicativo de mapas do Google exige muito do celular para poder funcionar corretamente, já que precisa usar dados móveis e o acesso à localização constantemente — funções que gastam bastante a bateria do celular. Isso acontece pois a plataforma precisa de atualizações em tempo real para poder fornecer informações, o que inclui a necessidade de conexão com satélites e a realização de triangulação entre antenas, por exemplo, tecnologias que demandam uma alta operação do aparelho.

Nesse sentido, para garantir que o app continue a funcionar normalmente, mas ainda de modo a preservar sua bateria, uma alternativa é restringir o acesso à localização para “durante o uso do app”. Assim, o serviço só irá realizar os processos quando for realmente necessário.

3. WhatsApp
Não é surpresa que o mensageiro WhatsApp esteja na lista, afinal, ele é um app de uso constante. A plataforma já naturalmente demanda muito da bateria para realizar o envio de mensagens em texto e áudio, ou mesmo chamadas de voz e vídeo. Porém, esse consumo fica ainda maior se o usuário recebe ou envia mídias com frequência, como vídeos, imagens, documentos e figurinhas animadas. Vale lembrar que esses arquivos também podem diminuir o espaço da memória.

Além disso, o WhatsApp possui outros recursos que podem reduzir a carga dos dispositivos mesmo ao não fazer uso direto, como através das notificações. Além de texto, os alertas acompanham sons e vibrações, que também contribuem para a diminuição da bateria. Para mitigar o problema, uma das saídas é fazer uma limpeza de chats a cada semana e desativar notificações.

4. Instagram
O Instagram também pode consumir grande parte da carga devido ao uso contínuo e também pelo fato de que muitos usuários o mantém aberto em segundo plano. Além disso, ao ativar o serviço de localização da rede, ela estará sempre atualizando sua posição e consumindo recursos.

Dessa forma, para diminuir o problema, vá até às configurações do aplicativo e desative o acesso à localização. Além disso, é importante ter atenção de sempre fechar o aplicativo quando ele não estiver em uso.

5. Tinder
Os aplicativos de namoro também não ficam para trás quando o assunto é consumo de energia em celulares iPhone e Android. Além da utilização por si só, o Tinder prejudica a bateria por executar diversas tarefas em segundo plano, além de acessar recursos como galeria de fotos, câmera, localização e outros. Novamente, uma das formas de diminuir o problema é verificar as permissões de acesso às ferramentas do smartphone e alterá-las para funcionarem somente durante o uso do app.

6. TikTok
O aplicativo de vídeos curtos disponível para celulares Android e iPhone (iOS) pode ser viciante, o que por só só já justificaria o alto consumo de bateria. Mas, além dos grandes períodos de utilização da plataforma, o acesso à galeria, à câmera, ao microfone e à caixa de som podem ser os principais causadores da queda de carga. Vale lembrar que as principais funcionalidades do app também necessitam de recursos que demandam alta operação do smartphone, como a gravação de vídeos e o uso de dados móveis.

Uma das alternativas, além da verificação de permissões, pode ser habilitar o uso de internet para o app somente quando for utilizá-lo. Ainda, limpar o cache do serviço nas configurações do celular, também pode ser uma solução.

Dicas para diminuir o consumo de bateria em seu celular
A grande utilidade desses apps no dia a dia torna complicada a desinstalação. Contudo, algumas dicas podem ser usadas para diminuir os efeitos negativos das plataformas. A primeira delas é saber exatamente quais os apps que consomem mais energia no celular. Para isso, vá até as configurações. No iOS, selecione “Bateria”. Já no Android, vá em “Bateria” e em “Uso da bateria”. Assim, você saberá quais apps gastaram mais energia desde a última carga.

Também é possível ativar recursos que irão economizar energia quando a bateria estiver acabando. No iPhone, essa função é chamada de “Modo de baixo consumo” e pode ser ativada em Definições > Bateria. Já no Android, basta ir até Configurações > Bateria para encontrar a opção “Economia de bateria”.

Outras dicas para diminuir o consumo de bateria podem ser diminuir o brilho da tela e usar o modo escuro sempre que possível. Além disso, desligue a internet ou ative o modo avião quando for passar um tempo desconectado para limitar a atividade em segundo plano.

Como checar a saúde de sua bateria no Android e no Iphone?
Tomar todas as precauções para economizar energia pode não ser tão efetivo se a saúde de sua bateria já estiver deteriorada, ou seja, cada vez mais longe dos 100%. Nos celulares Android, não há uma forma nativa de analisar a saúde da bateria, mas, de maneira geral, o usuário pode acessar algumas informações básicas para checar a bateria do dispositivo.

Para isso, vá até “Configurações”, toque em “bateria”, acesse o menu de três pontos na parte superior direita e selecione “Uso da bateria”. Assim, será possível ver quais aplicativos exigiram mais da bateria desde o último ciclo completo de carga. Ainda, no menu seguinte, representado pelos três pontinhos, o usuário vai encontrar a opção “Mostrar o uso completo do dispositivo”, em que outros recursos serão incluídos na análise, como os processos do sistema operacional e a própria tela.

Também é possível verificar a saúde da bateria do Android com o aplicativo AccuBattery, disponível na Google Play Store. Ele é capaz de contar os ciclos da bateria, o que inclui as cargas e descargas ao longo do tempo, mesmo que não sejam totais. Para começar a utilizar, é necessário carregar o aparelho até 80%, o total recomendado pela aplicação para aumentar a vida útil. Para ter acesso aos dados, basta ir até a a aba “Saúde”.

Já nos celulares iPhone, o processo é bem mais fácil. Basta abrir os “Ajustes”, ir até “Bateria” e, depois, em “Saúde da bateria”. Lá, serão exibidos os dados sobre capacidade, desempenho e se é necessário algum tipo de manutenção. Na mesma aba também é possível encontrar funções de análise de consumo, como gráficos de uso da bateria, atividade de aplicativos, atividade com tela ligada e desligada, entre outros.

*Por Julio Cesar Gonsalves
………………………………………………………………
*Fonte: techtudo

Dicas para acabar com o mofo no guarda-roupa

Existem jeitos simples de se evitar o mofo e remover as manchas das roupas mofadas.

Com a umidade nos deparamos com o mofo no guarda-roupas e nas peças guardadas. Resolver essa questão é simples, veja as dicas abaixo e escolha a que se aplicar melhor ao seu caso.

– Sempre que possível, deixe as portas do guarda-roupa abertas para que entre ventilação.

– Coloque as roupas de frio no sol durante o verão ou lave-as.

– Pelo menos uma vez ao mês, tire as roupas e limpe o armário com água e vinagre para evitar fungos e retirar possíveis manchas de mofo.

– Coloque um pote com bicarbonato de sódio, cal ou gesso dentro do guarda-roupa. Troque-o a cada seis meses.

– Coloque pedaços de algodão embebidos em essência de terebintina nos cantos e gavetas.

– Use produtos antimofo durante a faxina.

– Para eliminar a umidade, deixe um pedaço de giz em cada prateleira.

– Faça sachês com cravo-da-índia: basta colocar os cravos em um tecido fino e fechar o saquinho utilizando uma fita. Renove o sachê a cada três meses.

– Uma receita simples e bem conhecida é misturar água com água sanitária ou vinagre branco, na proporção de um para um. Basta passar a composição com um pano nos armários, gavetas, paredes e cômodas.

Roupas já manchadas?
Há inúmeras dicas caseiras para evitar o problema, mas caso a sua roupa já esteja manchada veja duas formas de resolver, de acordo com a cor do tecido:

– Roupas coloridas: Mergulhe tecidos coloridos em leite fervente até a mancha desaparecer.

– Roupas brancas: Deixe o tecido de molho em água quente com sal.

………………………………………………………………

*Fonte: ciclovivo

5 Maneiras simples para nunca mais roncar

Todos nós conhecemos pelo menos uma pessoa que ronca feito um trator quando está dormindo. E se você não conhece, é bem provável que essa pessoa seja você. Esse barulho colossal costuma ser um incomodo para as outras pessoas ou até para nós mesmos — visto que roncar pode ser um sinal de que você não está respirando direito enquanto dorme.

Porém, as pessoas tendem a lidar com o ronco como se fosse algo completamente natural na vida e de que não há nada no mundo que possa ser feito para interromper esse bizarro barulho que sai de nossas narinas. Isso, no entanto, não é verdade. Veja só cinco maneiras simples para interromper de uma vez por todas seu ronco incessante!

1. Dormir de lado
A pior coisa que uma pessoa com problemas de respiração pode fazer é dormir com a barriga apontada para cima ou para baixo. Essas são posições que facilitam o ronco, porque contraem o espaço entre a base da língua e a parte de trás da garganta. Com isso, você produzirá mais vibrações ruidosas durante a noite.

Então, o primeiro passo é sempre buscar pegar no sono virado de lado. Além de ser uma posição excelente para a sua coluna, dormir de lado libera espaço para a passagem citada anteriormente e evita que o ronco apareça mais forte sem a necessidade de qualquer equipamento especial.

2. Reduzir o álcool
Essa pode ser uma medida mais complicada para aqueles que adoram uma noite de bebedeira e brindar com os amigos, mas costuma garantir uma melhora significativa na qualidade do sono. Principalmente para quem ronca mais no fim de semana, a ingestão de álcool costuma ser a principal culpada por tudo.

Beber tende a relaxar os músculos da língua para mais do que o seu estado normal de repouso. Isso faz com que pessoas que possuem até mesmo o sono mais silencioso do mundo se tornem potentes roncadores. Portanto, tente reduzir consideravelmente seu consumo de álcool — sobretudo nas horas antes de dormir.

3. Protetor bucal
O protetor bucal não é só uma ferramenta usada por lutadores, jogadores de futebol americano ou seja lá qual mais modalidade esportiva. Essa ferramenta é outra maneira de manter as passagens de ar limpas enquanto você está em um estado profundo de relaxamento durante o sono.

Um dispositivo desse bem ajustado pode mover a sua mandíbula para frente e ajudar a sua língua a ficar plana. O mais recomendado é conversar com seu dentista para que ele faça um molde personalizado para sua boca. Outra ideia são os chamados dispositivos de estabilização da língua.

4. Travesseiros limpos
Em diversos casos, o ambiente em que você está dormindo pode ser o verdadeiro causador do seus problemas para respirar durante o sono — principalmente para quem é bastante alérgico. Quartos sujos ou muito empoeirados são um problema para as vias aéreas.

Logo, é essencial deixar tudo sempre limpinho. Os travesseiros, inclusive, são as peças mais essenciais já que são neles que você descansa sua cabeça todas as noites. Por esse motivo, é bom que você os lave várias vezes por ano.

5. Tira nasal
Em último dos casos, outra ferramenta que você pode implementar para acabar com o seu ronco são as famosas tiras nasais. Além de ser nem um pouco invasivo, esse procedimento costuma ter altos índices de sucesso.

Basta colocar essa fita adesiva na parte externa do nariz, o que aplicará uma tensão para dilatar as vias nasais. Os dilatadores nasais internos também existem e foram considerados mais eficazes do que os externos. Entretanto, talvez o desconforto de usá-los seja um pouco maior.

*Por Pedro Freitas
…………………………………………………………
*Fonte: megacurioso

Descubra como aumentar a vida útil do seu PC ou notebook

Imprescindíveis nas rotinas de trabalho, estudo ou até mesmo de lazer, os computadores se transformaram em companheiros inseparáveis dos seres humanos e precisam de cuidados para não falharem no momento de maior necessidade. Afinal, imagine ficar na mão logo no dia da entrega daquele projeto que levou meses para ser concluído. Ou atrasar a sua jornada diária em razão de um teclado que parou de funcionar.

Com práticas preventivas, é possível prolongar a vida útil dos equipamentos, além de evitar prejuízos técnicos e financeiros. Quer manter a sua máquina sempre redondinha? Então confira essas dicas imperdíveis!

Evite o uso de notebooks em superfícies inapropriadas
É muito comum que usuários de notebooks apoiem o equipamento em superfícies inadequadas como no colo, na cama ou em cobertores. Esse tipo de uso obstrui as entradas e saídas de ar e causam um superaquecimento da máquina.

“Ao impedir a refrigeração correta do notebook e, consecutivamente, aumentar a temperatura interna do aparelho, o usuário está colocando em risco o funcionamento do computador a curto e longo prazo. O superaquecimento pode reduzir a vida útil dos componentes da máquina e, em casos mais críticos, até ocasionar o mau funcionamento do sistema operacional, causando lentidão ou até mesmo provocando o seu desligando repentino É recomendável que o aparelho esteja sempre posicionado em superfícies planas e duras”, explica Camilo Stefanelli, responsável pela Compaq no Brasil.

Mantenha a limpeza do computador em dia
Higienizar com frequência o computador é essencial para manter seu bom funcionamento, mas é preciso fazer isso da maneira certa, tomando alguns cuidados básicos. Antes de tudo, o usuário deve verificar se a máquina está totalmente desligada e com o cabo de força fora da tomada.

Feito isso, é aconselhável limpá-lo com um pano macio de modo que a poeira não seja empurrada para dentro da máquina.

Além disso, é preciso ter muita atenção com soluções líquidas, que podem danificar partes eletrônicas e até mesmo o acabamento do equipamento.

Antivírus rodando em notebook
Com ataques de hackers e invasões de pessoas mal intencionadas crescendo no Brasil, nada melhor do que sempre manter o sistema com um antivírus atualizado. Imagem: Rawpixel
Mantenha o antivírus atualizado
Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário utilizar softwares de varredura para certos programas e arquivos, já que eles podem trazer outros potenciais riscos à máquina. Nesse caso, o recomendado é sempre utilizar um antivírus completo e atualizado.

O antivírus pode detectar a maioria dos vírus, destruí-los e, em grande parte dos casos, reparar o dano causado. Para fornecer proteção contínua contra ameaças recentemente descobertas, o software deve estar sempre atualizado.

“Um programa de antivírus pode vir pré-instalado no computador, mas o usuário também pode escolher o programa que já está acostumado para proteger o seu sistema”, recomenda o responsável pela Compaq no Brasil.

Faça backups periodicamente
Fazer o backup do sistema é extremamente importante e a melhor forma de evitar a perda de arquivos importantes em caso de pane na máquina. Nesse caso, o recomendado é fazer o processo periodicamente, de acordo com a frequência de uso de cada um.

Atualize os programas e ative recursos de segurança
Manter o sistema operacional e os principais softwares do computador atualizados também é muito importante, já que eles auxiliam na correção de problemas de segurança e a melhorar o desempenho da máquina.

No caso de programas da Microsoft, por exemplo, os usuários recebem um alerta sempre que uma nova atualização está disponível. O ideal é fazer a atualização assim que a notificação chegar.

Outra iniciativa importante sobre segurança, é ativar alguns recursos de proteção à rede wi-fi, já que nem todas oferecem a proteção necessária.

“Se precisar viajar com o computador ou transportá-lo, o ideal é que o usuário faça um backup das informações em uma unidade de armazenamento externo e remova todos os discos e cartões de mídia acoplados, como SD cards, micro SD e pen drives. Ao utilizar transporte aéreo, leve o computador como bagagem de mão e a mídia externa com o backup das informações e arquivos importantes”, conclui Camilo.

*Por Lauro Lam
………………………………………………………………….
*Fonte: olhardigital

Uma dieta anti-inflamatória agora pode proteger seu cérebro da demência mais tarde

Todos os anos, você pode esperar uma série de novos livros de “dieta garantida” para perda de peso, saúde do cérebro, envelhecimento, bem-estar espiritual e estilo de vida geral. Há o vegano, o de carne crua, o de baixo teor de gordura, o de alto teor de gordura, o de suco de frutas colhidas durante a lua cheia, o de tipo sanguíneo e o baseado em sua última leitura de tarô. Torna-se bastante confuso. Os autores confundem um pouco de informação com conhecimento, depois tentam traduzir isso em vendas.

Há muitos fatores a serem levados em consideração para uma dieta adequada. Nutricionistas sérios reconhecem que uma boa saúde requer uma compreensão diferenciada da genética individual, do ambiente e do microbioma intestinal. Depois, há a velocidade com que você consome sua comida, os tipos de açúcar que você come – em sucos ou frutas inteiras, em que a fibra desempenha um papel crítico – depois os tipos de gordura que você digere e os níveis de estresse.

Vamos fazer uma pausa nesse último por um momento, pois o estresse é galopante. Um corpo sobrecarregado é um corpo inflamado. Vale a pena considerar um estudo recente que investiga o papel da inflamação no que diz respeito à saúde do cérebro e à demência . Não é o único fator em uma boa dieta, mas é crucial.

Uma equipe do Centro Médico da Universidade de Columbia, liderada pelo neuropsicólogo e epidemiologista Yian Gu, estudou o desempenho cognitivo de 330 idosos para ver se a dieta mediterrânea – uma das dietas mais duradouras e mais estudadas do mundo – poderia diminuir seu risco de doenças de demência, incluindo Alzheimer. Todos os adultos envolvidos não sofreram de demência durante o estudo.

Gu aponta que vários estudos mostraram que essa dieta, que é rica em peixes e aves, com ênfase em grãos integrais, frutas, azeite, vegetais e ingestão moderada de álcool, oferece proteção contra o desenvolvimento da doença de Alzheimer. Gu queria saber se isso se deve a uma diminuição nos biomarcadores inflamatórios no cérebro do sujeito.

O resultado foi sim, a diminuição dos marcadores inflamatórios foi prevalente naqueles que consumiram essa dieta. Eles também tiveram melhor cognição visuoespacial, graças a nutrientes como vitaminas B1, B2, B5, B6, D e E, além de maior ingestão de ácidos graxos ômega 3, cálcio e folato. Notas de Gu :

“Este estudo sugere que certos nutrientes podem contribuir para os benefícios de saúde observados anteriormente de alguns alimentos, e a anti-inflamação pode ser um dos mecanismos. Esperamos confirmar esses resultados em estudos maiores e com uma gama mais ampla de marcadores inflamatórios.”

Para entender por que a diminuição da inflamação ajuda na saúde geral e no envelhecimento, enviei um e-mail para Drew Ramsey, também da Universidade de Columbia. O psiquiatra, especialista em Big Think e autor de vários livros, incluindo Eat Complete , me disse:

“A inflamação é como nosso corpo lida com o estresse e as lesões. Hoje, a maioria das pessoas faz uma dieta e tem um estilo de vida que promove um estresse incrível por meio do excesso de açúcares, comendo as gorduras erradas e perdendo a sensação de alegria que a comida deveria nos dar. Atualmente, a inflamação é considerada um fator importante no desenvolvimento de depressão, demência e outros distúrbios cerebrais. As pessoas devem se preocupar com a inflamação porque está contribuindo para a degradação de sua saúde.!

Isso é especialmente importante à medida que envelhecemos. Como Gu e sua equipe escrevem no estudo, a doença de Alzheimer é a principal causa de demência em todo o mundo e é o distúrbio neurodegenerativo mais comum. Embora as intervenções médicas nos ajudem a viver mais, isso nem sempre se traduz em mais saúde. Podemos superar o câncer e a cirurgia cardíaca e sobreviver por mais tempo com AIDS e diabetes tipo 2, mas a qualidade de vida fica muito comprometida quando sofremos de demência. A pressão sobre a família e os amigos pode ser esmagadora.

É por isso que é importante iniciar as intervenções mais cedo na vida. A maior parte do que é vendido em embalagens não é comida, mas uma combinação de substâncias semelhantes a alimentos preservadas por uma química impronunciável. Açúcares e gorduras insalubres se escondem, disfarçados por inúmeros nomes, retardando a transformação do nosso microbioma de maneiras que degradam a saúde. E não é apenas a gordura visceral, índice de massa corporal e doenças cardíacas que precisamos nos preocupar. Sem cognição saudável, o próprio conceito de “eu” se desintegra. Os chamados anos dourados são efetivamente sem sentido se você não consegue se lembrar deles.

Enquanto estudos como o de Gu nos lembram do quadro geral, Ramsey sugere que você tome refeição por refeição. Quando pergunto a ele como as pessoas podem implementar mudanças em suas dietas agora, ele expressa ceticismo em considerar o jogo longo. A mudança começa na mesa de jantar esta noite, diz ele.

“As pessoas não são motivadas por “benefícios de longo prazo” ou “redução de riscos”. Temos mais sucesso em nossa clínica quando incentivamos os pacientes a fazer melhores escolhas alimentares na próxima refeição. Descobrimos que há efeitos muito rápidos quando as pessoas mudam de comida ocidental moderna para alimentos integrais densos em nutrientes (que também são alimentos para o cérebro). Claro, comer mais abacate pode diminuir o risco de demência, mas incentivar os pacientes a comer mais torradas de abacate e guacamole é mais atraente quando se trata de mudança comportamental.“

Gu sabe que um estudo não muda um discurso. Mas a combinação de uma melhor compreensão do microbioma e os efeitos da diminuição da inflamação é muito prevalente para negar. A dieta mediterrânea oferece uma lição simples aplicável globalmente, para comer alimentos frescos sazonais e desfrutar de quantidades moderadas de álcool. Tal abordagem funcionou para nossa espécie por milhões de anos até o advento da refrigeração e do processamento industrial. E sabemos que agora funciona. Nós apenas temos que implementá-lo, seja através do reconhecimento do envelhecimento cognitivamente forte ou, como Ramsey sugere, indo ao corredor de produtos para o jantar hoje à noite.

*Por bigthink
………………………………………………………….
*Fonte: saberesaude

Por que não devemos molhar a pasta de dente antes da escovação?

Às vezes simplesmente por hábito equivocados, podemos acabar prejudicando a qualidade de algumas das nossas ações, molhar a pasta de dente antes da escovação um exemplo disso. Esse é um costume que muitas pessoas têm para deixar a boca mais úmida e produzir mais espuma na hora de realizar a higiene bucal, mas a verdade é que isso apenas prejudica a sua limpeza.

Como consequência, você pode acabar desenvolvendo outros tipos de problema na boca com o passar do tempo — tornando-se um hábito nem um pouco recomendável. Pensando nisso, nós nos aprofundaremos sobre o tema e sanaremos todas as suas dúvidas. Olha só!

Recomendações odontológicas
Por mais que molhar a sua escova seja um hábito que você tenha aprendido apenas observando os seus pais ou amigos fazerem o mesmo, isso não significa que seja uma ação acertada. Se você perguntar para um profissional odontológico, provavelmente escutará outras recomendações a respeito dessa prática.

Em geral, os dentistas pedem para que o creme dental não seja umedecido antes de entrar em contato com os dentes, pois poderia colocar a saúde bucal em risco. E isso é ainda pior quando unimos esse problema com o excesso de pasta de dente na escova.

Nesses casos, a quantidade de espuma formada na boca é ainda maior e temos mais dificuldade em visualizar a escovação, podendo deixar algumas áreas esquecidas. No entanto, o maior problema gerado por molhar o creme dental é um só: a diminuição do atrito entre a escova e os dentes.

Perda de atrito
De acordo com especialistas, adicionar água ao creme dental vai fazer com que o produto fique diluído e perca um pouco de sua eficácia. Com isso, podemos ver a formação de mais espuma na boca. Em geral, as pessoas costumam associar esse excesso de espuma com um hábito correto de escovação, mas as coisas não são bem assim.

Isso faz com que a pasta de dente perca suas características iniciais e não realize sua ação total. O mesmo também é válido quando adicionamos um pouco de água no enxaguante bucal para diminuir a sensação de ardência na boca. Portanto, o ideal é usarmos esses produtos de maneira pura.

Quando colocamos o creme dental na boca, a nossa própria saliva fornecerá a umidade necessária para uma boa escovação e, caso você realize os movimentos corretos, seus dentes ficarão mais limpos como nunca. Agora, se você tem umedecido a escova de dente porque tem sentido muito desconforto na hora da escovação, talvez seja o momento de uma mudança.

Caso as cerdas da sua escova estejam machucando, experimente substituí-la por uma de cerdas mais macias. Isso pode trazer mais conforto na hora de realizar a sua higiene bucal e, dessa forma, você não sentirá a necessidade de adicionar água ao seu creme dental para se sentir confortável durante a escovação.

…………………………………………………..
*Fonte: vidaemequilibrio

Consumo de laranja ajuda no combate ao diabetes

Estudo realizado na Universidade de São Paulo (USP) sugere que compostos bioativos existentes na laranja ajudam a modular a taxa de açúcar no sangue, o que pode transformar a fruta em um aliado no combate ao diabetes. Os achados foram divulgados na revista Clinical Nutrition Espen.

A investigação foi conduzida por uma equipe do Centro de Pesquisas de Alimentos da Universidade de São Paulo (Forc), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF-USP).

Participaram 12 voluntários saudáveis, de ambos os sexos, que após uma noite em jejum ingeriram uma refeição rica em gordura e carboidratos, com 1.037 kcal. Eles foram divididos em três grupos: um que bebeu apenas água durante a refeição, outro que tomou suco de laranja e um terceiro que recebeu uma bebida à base de glicose com teor de carboidratos equivalente ao do suco de laranja.

O nível de glicose no sangue dos voluntários foi analisado uma, três e cinco horas após o término do desjejum. Logo na primeira medição, como esperado, os três grupos apresentaram um aumento da glicemia. Curiosamente, os valores de glicemia (taxa de glicose no sangue) e insulinemia (taxa de insulina no sangue) do grupo que tomou suco de laranja não diferiram significativamente daqueles observados no grupo da água em todas as avaliações.

“Se a ingestão de suco de laranja não difere da ingestão de água, podemos concluir que os carboidratos do suco não promoveram aumento significativo da glicemia em nosso modelo experimental, diferentemente do que ocorreu com a bebida à base de glicose”, explica Bruna Jardim Quintanilha, doutoranda em nutrição pela Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP) e primeira autora do artigo.

Segundo Quintanilha, tal resultado sugere que outros componentes presentes no suco, como fibras e compostos bioativos, podem ter contribuído para conter a elevação da taxa glicêmica.

O passo seguinte foi investigar de que forma o suco de laranja teria ajudado a conter o aumento da glicemia. Para isso, os cientistas coletaram amostras de sangue dos voluntários e analisaram a expressão dos chamados microRNAs, um tipo de RNA que tem a função de regular a expressão dos genes por meio de interações com o RNA mensageiro.

“Notamos que o suco de laranja teve ação em especial sobre o microRNA 375 ou miR-375, que é um biomarcador da função das células beta do pâncreas”, explica Franco Lajolo, professor emérito da FCF-USP e integrante do FoRC.

Como explica o pesquisador, as células beta são muito numerosas no órgão e são responsáveis por sintetizar e secretar a insulina – hormônio que permite a entrada da glicose nas células.

Os resultados indicam, portanto, que o suco de laranja pode ter uma ação benéfica sobre a produção de insulina e, por tabela, sobre a modulação da glicemia.

“Nossos resultados apontam o miR-375 como possível responsável por essa ação, mas é algo que ainda precisa ser confirmado. São necessários, por exemplo, estudos com pacientes diabéticos para entender exatamente como esse mecanismo funciona”, afirma Lajolo.

*O artigo Ingestion of orange juice prevents hyperglycemia and increased plasma miR-375 expression pode ser lido AQUI
………………………………………………………………
*Fonte: saberesaude

5 benefícios de tomar banho de sol

A vitamina D é considerada o principal estimulador do sistema imunológico

Mesmo quando estamos em momentos de isolamento ou dentro de casa, não podemos esquecer de nos expor aos raios solares. Todos precisam tomar sol pelo menos uns 20 minutinhos todos os dias – crianças, jovens e idosos.

Sol é vida, é fonte de energia, é sinônimo de saúde e bem- estar!

Alguns dos benefícios do banho de sol

1. Fortalece o sistema imunológico
A luz solar ajuda na produção da vitamina D. Hoje a vitamina D é considerada o principal estimulador do sistema imunológico, podendo prevenir várias doenças e fortalecer o organismo. Saiba mais sobre a vitamina D.

2. Melhora o humor
Quando o corpo recebe a luz solar que chega ao cérebro por meio do nervo óptico, os níveis de serotonina aumentam regulando o humor e gerando a sensação de bem-estar.

3. Regula o sono
A melatonina, hormônio que regula os ciclos do sono é ativado pela luz solar produzindo um efeito sedativo e sensação de calma e tranquilidade.

4. Previne a miopia
A iluminação a que estamos expostos a maior parte do tempo é muito fraca. Dentro de casa varia em torno de 50 lux, assistindo TV na sala, e 500 lux, nos escritórios e salas de aula. Para prevenir a miopia, o nível de luminosidade necessária é de 10.000 lux.

5. Auxilia nas funções cognitivas
Há receptores de vitamina D espalhados por todo o sistema nervoso central e hipocampo. Sabe-se que a luz solar afeta o fluxo sanguíneo no cérebro e este por sua vez interfere nas funções cognitivas.

  • Dicas de como tomar banho de sol

    Para produzir vitamina D deve-se tomar banho de sol de 15 à 20 minutos por dia, sem usar protetor solar. Para pele morena ou negra, esse tempo deve ser maior, pois quanto mais escura a pele, mais difícil é a produção de vitamina D. Não vale tomar sol através da janela fechada pois a radiação UVB é absorvida pelo vidro.

  • Indica-se uma exposição solar de cerca de 30% da superfície do corpo braços, pernas, costas. É aconselhável a proteção do rosto.
  • É recomendado tomar sol entre 10h da manhã e 15h da tarde. Este é o período de maior incidência dos raios ultra violeta B que auxiliam na absorção da vitamina D pelo organismo.
  • Deve-se evitar a exposição prolongada nos horários mais quentes do dia – das 12h às 15hs. A dica é a seguinte: você deve expor a pele por cerca de metade do tempo necessário para que ela comece a bronzear.
  • Lembre-se de beber água, chás, ou sucos após o banho de sol para a reposição de líquidos. Neste momento de tantas incertezas que atravessamos, nada é mais certo e seguro que o sol que nasce a cada dia, trazendo luz e calor.

*Por Ana Lucia Machado
……………………………………………………
*Fonte: ciclovivo