Como aliviar o CALOR sem SEM AR-CONDICIONADO? Confira 5 DICAS

O verão brasileiro não poupa ninguém, de norte a sul do país, com temperaturas por volta dos 40 °C — isso quando não somos atingidos por ondas de calor.

Quem vive no litoral ainda pode contar com a brisa do mar para aliviar o calor, outras pessoas recorrem aos aparelhos de ar-condicionado. Contudo, a maioria de nós tem que “se virar” para sofrer menos com as altas temperaturas, que fazem a gente suar e atrapalham até as tarefas mais comuns — como dormir. Difícil, não é?

A boa notícia é que existem mudanças simples que você pode fazer na decoração da sua casa para diminuir a temperatura nos cômodos. Confira cinco dicas para isso, a seguir.

1. Decoração minimalista
Tapetes e almofadas valorizam a decoração da sua sala, mas também retém calor, ainda mais se forem feitos de tecidos quentes, como veludo. Então, guarde todos esses itens em um armário e deixe sua casa mais minimalista.

Onde a decoração for indispensável — como as cortinas nas janelas —, troque os modelos de tecidos pesados por outros mais leves, como algodão. Além disso, escolha itens em cores mais claras, que refletem a luz e o calor, ao invés de retê-los.

2. Invista no algodão
Falando no algodão, ele também é a melhor escolha para os lençóis da sua cama, no verão. O cetim e a seda podem parecer mais fresquinhos, pelo toque gelado, mas eles esquentam mais, na prática. Já o algodão permite que seu corpo respire, além de contribuir para a circulação de ar no ambiente, por ser uma fibra natural.

Outra dica interessante para conseguir dormir no calor é colocar seus lençóis na geladeira — envoltos em um saco plástico, é claro. A sensação fresquinha não dura a noite toda, mas deve ser o suficiente para você relaxar e pegar no sono.

3. Abre e fecha
Durante o dia, você pode fechar as cortinas e persianas, para evitar a incidência de sol nos cômodos — ainda mais se você passa o dia todo trabalhando fora. Porém, à noite, abra todas as portas e janelas possíveis para estimular a ventilação cruzada.

Falando em ventilação, uma dica simples para aliviar o calor é colocar uma garrafa de água congelada na frente do ventilador, para que ele sopre um ventinho mais fresco. Outra ideia é: se você tiver um ventilador de teto, coloque-o na função exaustor e coloque o ventilador de mesa virado para fora — assim, o bafo quente sairá pela janela e o quarto ficará confortável.

4. Floresta em casa
Você curte cuidar de plantas? Então saiba que elas podem ser ótimas aliadas na luta contra o calor em casa, pois ajudam a refrescar o ambiente. Espalhe-as pela decoração e observe como sua casa ficará mais confortável.

Outra dica interessante, nesse sentido, é umidificar o ar dos ambientes. Para isso, você pode usar aparelhos umidificadores ou improvisar, espalhando baldes de água ou toalhas molhadas pelo chão. Vale tudo para aliviar o calor.

5. Evite aumentar o calor
Tudo que você mais quer, no verão, é aliviar o calor — e não aumentá-lo. Mas há várias coisas que fazemos para piorar essa situação, sem perceber. As luzes, por exemplo: troque lâmpadas em cores quentes por luzes frias, como fitas de LED.

Além disso, desligue o máximo de eletrônicos que puder, já que eles concentram calor mesmo quando não estão sendo usados. Também evite usar fornos — aproveite para fazer uma salada fria ou faça refeições que possam ser preparadas no micro-ondas.

Por fim, se o seu problema é dormir no calor, vale a pena testar outros locais — que não a sua cama. Experimente colocar um colchão no chão, já que o ar frio costuma ficar embaixo. Outra ótima ideia é dormir na rede, ainda mais se você colocá-la na varanda.

*Por Evandro Voltolini
………………………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

14 dicas para se tornar minimalista

Fumio Sasaki transformou sua vida quando adotou o minimalismo e decidiu compartilhar o que aprendeu

Fumio Sasaki é um japonês que vivia estressado no trabalho, inseguro e constantemente estava comparando sua vida com a dos outros. Até que um dia ele decidiu jogar fora tudo o que realmente não precisava e tudo mudou.

Sasaki hoje é adepto do minimalismo. Sua mudança de vida é compartilhada em seu livro “Goodbye, Things”, mas algumas dicas você pode ver abaixo. Esse é talvez o empurrão que falta para quem quer viver com menos e ter uma vida menos complicada.

1. Se livre da ideia de que você não pode descartar suas coisas
Pensamos que somos incapazes de “abandonar” nossas posses, mas todos nós somos capazes, só precisamos tomar consciência das razões pelas quais não conseguimos fazer isso até agora.

Você certamente não é culpado. Você é simplesmente inexperiente. A questão é aprender algumas técnicas e desenvolver um hábito de se livrar do excesso.

2. Quando você descarta algo, você ganha mais do que você perde
Há mais coisas a ganhar com a eliminação do excesso do que você imagina: tempo, espaço, liberdade e energia, por exemplo.

3. Pergunte a si mesmo por que você não pode se separar de suas coisas
Da mesma maneira que devemos nos perguntar se realmente precisamos de alguma coisa antes de comprá-la, podemos repetir esta pergunta para aquilo que já temos. Nem sempre o que nos serviu em algum momento, vai continuar nos servindo. O motivo de algo ter entrado na nossa casa não é definitivo.

4. Há limites para a capacidade de seu cérebro, sua energia e seu tempo
Muitas vezes nos perguntamos se iremos dar conta de fazer tudo o que precisamos ou conseguir tudo o que queremos. Mas nos esquecemos que nossas escolhas definem estas “tarefas”. Na hora de decidir o que vai fazer e o que quer ter, lembre-se que para isso vai precisar dedicar seu tempo e energia, que são limitados.

5. Descarte algo agora
Achamos que não podemos nos tornar minimalistas até que nossas vidas tenham ganham certa estabilidade. Mas, na verdade, é o contrário: Nós não seremos capazes de nos acalmar até vivermos uma vida minimalista. É questão de prática. Comece praticando hoje.

6. Não há um único item que você vai se arrepender de ter jogando fora
Depois que você joga alto fora, isso deixa de fazer parte da sua rotina e abre espaços novos. E, se em algum momento precisar daquilo que se foi, lembre-se que é uma necessidade momentânea. Você pode pegar emprestado, alugar, pedir de volta por um dia caso tenha doado e depois devolver.

7. Comece com coisas que são claramente lixo
Começar a desapegar daquilo que guardamos não é sempre fácil. Uma dica é fazer um ranking das coisas, pelo grau de apreço e utilidade e começar a descartar aquilo que faz menos sentido para você.

8. Minimize qualquer coisa que você tem em múltiplos
É mais fácil reduzir o que você sabe que tem a mais. Pode ser a mesma blusa em cores diferentes ou quem sabe dois ou três pares de tesoura encostados na gaveta. Separe aquilo que você tem de similar e guarde as coisas preferidas.

9. Se livre do que você não usou em um ano
Aquilo que você não usou no último ano provavelmente não vai ser usado no próximo. Muito provavelmente não te serve mais, talvez em mais de um sentido. Se estiver na dúvida sobre se desfazer de alguma coisa pergunte-se quando foi a útlima vez que usou. Se foi há mais de um ano, tchau!

10. Diferencie as coisas que você quer e as coisas que você precisa
Em um mundo que nos estimula o tempo todo a desejar coisas, diferenciar vontade e necessidade é fundamental. A publicidade nos chega de formas cada vez mais variadas e nos leva a pensar que precisamos de coisas que não nos faziam falta há um mês atrás. Saber o que realmente é necessário para você vai te poupar muita energia e dinheiro.

11. Tire fotos dos itens que são difíceis de jogar fora e guarde lembranças
Não existe problema nenhum em gostar do que temos. Aliás se temos alguma coisa devemos aproveitar ao máximo. Mas, se algo que você gosta não está mais sendo usado como deveria, doe para alguém que vai aproveitar mais. Uma foto do meomento da entrega é uma boa lembrança, assim como fotos de quando o item era importante.

12. Organizar não é minimizar
Em vez de confiar em técnicas da organização, você deve primeiramente se focar em diminuir a quantidade de coisas que você tem. Depois de fazer isso, seu espaço naturalmente se tornará menos confuso e o ciclo de bagunça será quebrado. Organizar é muito mais fácil e rápido depois de minimizar.

13. Substitua ninhos de bagunça por espaços vazios
Identifique locais onde o acumulo de coisas começa a se transformar em bagunça e escolha o que deve ficar e o que pode ir embora. Depois de abrir espaço, mantenha este espaço vazio. Não caia na armadilha de preencher com novas coisas, que em breve se tornam uma nova bagunça.

14. Diga adeus a quem você costumava ser
Ao descartar qualquer coisa, é importante considerar se é algo que você precisa agora. As suas necessidade mudam, de acorod com as suas mudanças pessoais.

Agarrar-se às coisas do passado é o mesmo que apegar-se a uma imagem de si que já mudou. Se você busca mudanças pessoais, comece a ter coragem de deixar as coisas irem e fluírem. Guarde com você apenas o que faz sentido no momento presente.

*Por Marcia Sousa
……………………………………………………………………………..
*Fonte: ciclovivo

Esses 4 alimentos parecem saudáveis mas não são

Nos dias atuais, a busca por um estilo de vida mais saudável e hábitos alimentares positivos é o que a maioria das pessoas está querendo. Aumentar a expectativa de vida e se preocupar com o ‘como’ viverá os anos seguintes é quase regra atualmente.

E todos sabem que uma boa alimentação pode influenciar na nossa saúde e na disposição que temos para enfrentar o dia a dia. O segredo não está em apenas comer frutas e legumes. Mas sim fazer uma dieta equilibrada com todos os alimentos em quantidades certas. Isso porque o nosso corpo precisa de um pouco de cada alimento para que se tenha uma vida saudável.

Nessa busca, existem algumas armadilhas alimentares. Elas são os alimentos que parecem ser saudáveis mas, na realidade, não são. Por mais que se saiba que as melhores opções são sempre os ingredientes naturais, como frutas, legumes, vegetais e carnes magras, parar com o hábitos ruins nem sempre é fácil.

Claro que às vezes, alguns produtos industrializados podem ser consumidos sem que isso atrapalhe muito no objetivo da pessoa. Seja ele emagrecer, ganhar massa muscular ou melhorar a saúde. Contudo, é preciso sempre estar atento a essas armadilhas.

Segundo a nutricionista Aline Huguenin, alguns alimentos devem ser ignorados por ter muito açúcar, gordura, sal e aditivos, e não ter nenhum valor nutricional. Mostramos aqui quais são essas principais armadilhas alimentares.

1 – Suco de caixinha
Os sucos são bons para a saúde. Mas os sucos de caixinha não são necessariamente naturais. Eles podem ter conservantes, corantes e grandes quantidades de açúcar, até mesmo mais do que alguns refrigerantes. Por conta disso, Huguenin diz que o ideal é substituí-los pelos sucos naturais.

2 – Barrinhas de cereal
Claro que se pode encontrar barrinhas de cereal que sejam saudáveis, ricas em fibras, com baixo teor de açúcar e poucos aditivos químicos. Contudo, em alguns casos a embalagem pode ser mais convidativa do que a nutrição do produto. Por isso é importante ficar atento e ver se elas não tem altos níveis de glicose, conservantes, gorduras e corantes.

3 – Peito de peru
Substituir presunto, salame e mortadela pelo peito de peru pode até ser menos agressivo para o organismo, mas isso não quer dizer que seja mais saudável. Até porque, todos eles são da mesma família de embutidos. “Tem grande quantidade de sódio e aditivos como o nitrato”, ressaltou Huguenin.

4 – Chocolate diet
Da mesma maneira que qualquer outro produto diet, ele não é necessariamente mais saudável e nem menos calórico. “Próprio para pessoas diabéticas e não para quem procura perder peso ou ter uma alimentação saudável, pois contém maior quantidade de gorduras”, pontuou a nutricionista.

5 – Olhar rótulos
A última dica é mais geral. Para ficar bem atento aos rótulos dos produtos e saber interpretá-los. “Perca nem que seja um minutinho olhando a lista de ingredientes. E quando for abrir uma exceção e comer coisas não tão saudáveis (o que pode e deve ser feito, às vezes, sim), faça com consciência, bom senso e com o que realmente vale a pena”, recomendou a endocrinologista e metabologista Paula Pires.

*Por Bruno Dias
………………………………………………………………………………..
Fonte: fatosdesconhecidos

Como usar borra de café nas plantas?

Quem não aprecia um café fresquinho pela manhã, não é? Além de nos ajudar a despertar para o dia, o café ainda é um ótimo aliado no cuidado das plantas. Aquela sobra que fica no filtro depois que passamos o café é chamada de borra e não precisa ser jogada fora. Ela pode ser aproveitada como um fertilizante natural em sua horta ou jardim.

Borra de café como fertilizante
O fertilizante ajuda a repor nutrientes essenciais para o crescimento saudável das plantas enquanto os solos produzem a maioria dos elementos naturais necessários à sobrevivência das espécies vegetais. Porém, por diversas razões, esse sistema pode ficar desequilibrado e por isso é preciso intervir para dar uma ajudinha à planta nesse processo.

A borra de café é rica em nitrogênio, um dos três principais macronutrientes de que as plantas precisam (nitrogênio, fósforo e potássio). Contudo, não é indicado aplicar a borra diretamente na terra, nem fazer uma camada muito grossa, já que isso pode impedir a absorção de água depois das regas.

Você pode misturar a borra do café com cascas de ovos moídas, por exemplo, e aplicar uma pequena quantidade em torno das plantas. A casca de ovo é rica em cálcio e contém potássio, outros dois nutrientes importantíssimos para a adubação e a fertilização do solo.

É possível também misturar a borra com cascas de frutas e legumes para depositar ao redor das plantas. Se usado com parcimônia, o café é um grande aliado na manutenção de hortas e jardins.

Outra maneira de usar o pó de café é diluir uma pequena quantidade em água e borrifar de vez em quando sobre as plantas. Isso ajuda a afastar insetos e pragas indesejadas, que não fazem bem às plantinhas. Você pode armazenar a borra que sobra no dia a dia em uma caixa fechada e guardá-la na geladeira para evitar o aparecimento de fungos ou outros microrganismos que possam afetar o fertilizante.

Agora você já sabe: o pó que sobra daquele café delicioso não precisa ser descartado. Ele pode ajudar a fortalecer suas plantas para que elas cresçam belas e saudáveis.

*Por Mariana Bordignon
…………………………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

Você esfrega os olhos? Ressonância magnética mostra que você não deveria

Depois de ver esta ressonância magnética, vai querer parar de esfregar os olhos o mais rápido possível.

Daniel Gatinel, um oftalmologista da Fundação Rothschild, fez uma ressonância magnética de um paciente saudável esfregando os olhos para ver se isso poderia causar certos problemas oculares. O resultado foi horrível.

É exatamente isso que você viu no vídeo. Quando esfrega os olhos, eles se comprimem em seu crânio.

A ressonância magnética foi realizada como parte da pesquisa de Gatinel sobre como esfregar os olhos afeta a saúde geral dos olhos.

Os efeitos descobertos podem ser muito mais prejudiciais do que se imaginava. Por exemplo, esfregar os olhos pode causar o “ceratocone”, uma condição que faz com que a córnea salte para fora.

“Pela primeira vez, a ressonância magnética dinâmica objetiva o efeito de esfregar os olhos na córnea e nas estruturas orbitais adjacentes”, escreveu Gatinel na descrição do vídeo da ressonância magnética no YouTube . “Este material fornece outra evidência de que o ceratocone (e possivelmente outras doenças oculares) é causado pelo esfregar excessivo dos olhos.”

Esfregar os olhos e ceratocone
As descobertas de Gatinel são revisadas por 24 estudos sobre se esfregar os olhos está relacionado ao ceratocone. De acordo com a revisão, esfregar os olhos causou “o afinamento do ceratócito”, o que pode levar à doença.

O ceratocone é uma condição debilitante e medidas devem ser tomadas para evitá-lo a todo custo, segundo Johns Hopkins Medicine.
Ele não só causa visão turva e sensibilidade à luz, como também casos graves que podem exigir transplantes de córnea, que é uma cirurgia arriscada e séria.

Então, o que fazer se der vontade de coçar os olhos?
A melhor aposta é tratar a causa do problema, e não o sintoma. Então, isso pode ser qualquer coisa, desde o uso de colírios recomendados pelo médico até evitar irritantes oculares, como lentes de contato.

Caso sinta vontade de esfregar, é só se lembrar da ressonância magnética que induz pesadelos. E, caso os sintomas persistirem, busque um especialista.

*Por Wellington Reis 
……………………………………………………………………….
*Fonte: socientifica

Confira 3 dicas para deixar o café feito em casa mais gostoso

O preparo do café em casa faz parte da rotina diária de muitas pessoas. Porém, algumas dicas podem deixar o cafezinho caseiro ainda mais gostoso.

As formas de preparo para deixar a bebida ainda mais saborosa são do blog Coffee & Joy. Assim, o texto de Débora Reis mostra alguns cuidados básicos e fáceis que podem ser tomados em casa para que o café do dia a dia fique melhor ainda. Isto independente se o preparo é no filtro de papel, de pano, na prensa francesa ou qualquer outro método.

Confira as dicas para fazer um bom café:

1. A água do café: ferver ou não ferver?
A água é um ingrediente fundamental no preparo do café, já que cerca de 90% do café é composto por água. Portanto, o ideal é utilizar sempre água filtrada ou mineral, que não tenha um gosto excessivo de cloro.

“Evite usar água direto da torneira, já que, em alguns lugares, essa água tem muitos minerais com sabores fortes, inclusive o cloro”, indica o Coffee & Joy.

O ideal é que a água seja retirada do fogo assim que ferver. “Logo que a água ferver, use uma parte dessa água imediatamente para escaldar os equipamentos. Isso vai ajudar a limpar, tirar resquícios de papel ou pano, se estiver usando coador ou filtro.”

Lembre-se de descartar em seguida a água que usou para escaldar.

“Fazendo este processo bem rápido e não ultrapassando 1 minuto, o tempo entre a fervura da água e a limpeza dos equipamentos será suficiente para que o restante da água da chaleira fique em uma boa temperatura para usar no café.”

2. Como escolher o café e qual a proporção correta
Segundo o Coffee & Joy, um café de qualidade demanda um árduo trabalho no campo. Saber a origem e o produtor responsável fazem toda a diferença.

“Dessa maneira, é possível ter a garantia de estar consumindo algo de qualidade e também beneficiando o trabalho dedicado que foi realizado pelo produtor, o principal responsável pelo café. Optar por uma torra fresca e bem feita garante que as características aromáticas e de sabor de um grão estejam acentuadas. Isso não significa que o café torrado há muito tempo fique impróprio para consumo.”

Com um café de qualidade em mãos, outra dica importante é moer o café na hora.

Observe as proporções. O equilíbrio é o segredo para ter um café saboroso. Nem muito concentrado e nem muito ralo. Por isso, é importante acertar as medidas na hora de preparar o café.

Para não errar mais, uma colher de sopa muito cheia possui cerca de 13 a 15 gramas de café. Um copo americano cheio, até a marca da linha antes do topo, possui 130ml de água.

Para cafés especiais, um bom ponto de partida é usar 10g de café para cada 100ml. Mas é só uma recomendação.

O importante é ir experimentando e encontrar a medida ideal que atenda ao gosto pessoal de quem vai tomar o café.

3. Como guardar o café
Se a embalagem original não for adequada ou se preferir colocar em outro utensílio, não utilize potes transparentes. Prefira os vidros marrons e potes escuros.

Também certifique-se de que o pote esteja bem tampado para não entrar ar e evitar o processo de oxidação.

Não guarde o café na geladeira. A mudança de temperatura e o aroma de outros alimentos que ficam na geladeira afetam o sabor do café.

……………………………………………………………………………….
Fonte: huddocafe

Estudo: consumo de álcool pode causar distúrbio imediato no ritmo cardíaco

Uma pesquisa da UC San Francisco revelou que o consumo de álcool aumenta significativamente a chance de ocorrer distúrbio do ritmo cardíaco em poucas horas após sua ingestão. Segundo os autores, a descoberta é a primeira evidência que vai contra a antiga – e dividida – percepção de que o álcool pode ser “cardioprotetor.”

De acordo com o artigo, publicado na revista Annals of Internal Medicine, uma única taça de vinho pode rapidamente causar a chamada fibrilação atrial (FA), “ao contrário da crença comum de que a FA está associada ao consumo excessivo de álcool, parece que mesmo uma bebida alcoólica [em pouca quantidade] pode ser suficiente para aumentar o risco”, explicou Gregory Marcus, professor de medicina na Divisão de Cardiologia da UCSF.

“Nossos resultados mostram que a ocorrência de fibrilação atrial pode não ser aleatória nem imprevisível”, acrescentou ele. “Em vez disso, pode haver maneiras identificáveis ​​e modificáveis ​​de prevenir um episódio agudo de arritmia cardíaca.”

Estudo: consumo de álcool pode causar distúrbio imediato no ritmo cardíaco. Imagem: Shutterstock
Foram observados 100 pacientes com FA documentada que consumiram pelo menos uma dose de bebida alcoólica por mês. Com um monitor de eletrocardiograma (ECG) e um sensor de álcool de registro contínuo foi possível acompanhar cada ingestão de álcool dos participantes, que acionavam um botão toda vez que bebiam álcool. Os voluntários consumiram em média uma bebida por dia durante todo o período.

Os resultados apontaram que um episódio de FA já estava associado a chances duas vezes maiores ao ingerir uma dose de bebida alcoólica, e três vezes maiores com duas ou mais doses dentro de quarto horas. Episódios de FA também foram associados a um aumento na concentração de álcool no sangue.

“Os efeitos parecem ser bastante lineares: quanto mais álcool consumido, maior o risco de um evento agudo de FA”, disse Marcus. “Essas observações refletem o que foi relatado por pacientes por décadas, mas esta é a primeira evidência objetiva e mensurável de que uma exposição modificável pode influenciar agudamente a chance de ocorrer um episódio de FA”.

Segundo informações do Medical Xpress, a FA pode levar à perda de qualidade de vida, custos significativos de saúde, derrame e morte, no entanto, as pesquisas feitas até agora se concentravam apenas nos fatores de risco para o desenvolvimento da doença e nas terapias para tratá-la, em vez de fatores que determinassem quando e onde um episódio poderia ocorrer.

Os autores admitiram algumas limitações do estudo, levando em consideração que os pacientes podem não ter registrado o consumo ao apertar o botão, seja por esquecimento ou por constrangimento. Além disso o levantamento considerou apenas pacientes com FA registrada e não a população geral.

*Por Tamires Ferreira
………………………………………………………………………………………….
*Fonte: olhardigital

Segredo de uma vida rica pode estar escondido nas coisas ‘inúteis’

Todos nós temos passatempos que às vezes consideramos caprichos aos quais podemos renunciar. Mas essas ‘inutilidades’ podem levar ao desenvolvimento pessoal

Foi em Stanford, em 2005. Steve Jobs pronunciou um discurso que uma década depois é considerado um clássico do desenvolvimento pessoal. Um pequeno manual de filosofia prática no qual, em apenas 15 minutos, fala do amor, dos sonhos, da perda, da morte ou da importância de manter o inconformismo. O discurso começa enfatizando a importância de ligar os pontos, a importância do tesouro oculto que existe em todas aquelas coisas que aparentemente não servem para nada. Jobs nos confessa como essas coisas insignificantes transformaram sua vida e, em certa medida, a da informática. Quando deixou a universidade, decidiu frequentar um curso de caligrafia. Não tinha nenhuma razão para isso; simplesmente gostava da ideia, achava-a interessante e sutilmente bela, explicou. Na época, não pensou que a decisão fosse ter a menor incidência em sua vida. Mas anos mais tarde, quando desenhou o primeiro computador, tudo o que tinha aprendido permitiu que revolucionasse o aspecto dos aparelhos. Como ele mesmo afirmou: “Se nunca tivesse largado aquele curso na universidade, o Mac jamais teria tido múltiplas tipografias nem caracteres com espaçamento proporcional”.


Faça as pequenas coisas com muito amor

Madre Teresa de Calcuta

Acabamos de narrar uma experiência particular de ligar os pontos. Mas não é a única; cada um pode encontrar a sua. Há exemplos ilustres. De Mick Jagger e seus estudos de finanças, que ajudaram os Rolling Stones a se consolidar e a rentabilizar a carreira mais bem-sucedida da história do rock, até as artes marciais que servem para Zlatan Ibrahimovic marcar gols impossíveis usando técnicas de caratê. Mas também podemos encontrar casos anônimos de transformação, seja o de uma pessoa que combina a paixão por contos infantis com o marketing e se torna um especialista da narrativa, ou quem usa tudo o que aprendeu nas aulas de dança de salão para negociar com seus fornecedores. Dá no mesmo quais forem: cada um tem seus pontos. O importante é combinar e ligá-los no nosso dia a dia para ter uma vida mais rica, mágica e surpreendente.

Princípios que ajudam a ligar os pontos
Por distantes que pareçam dois pontos, eles podem ser ligados. O realmente importante é ter vários deles. Quantos mais os possuamos, mais possibilidades de ligação haverá. E quem pensa que não tem interesses especiais na vida pode começar por estes três princípios:

– Reconectar-se com antigos interesses. Se formos sinceros conosco mesmos, encontraremos ao nosso interior motivações que fomos abandonando com o passar dos dias. As rotinas e a espiral das obrigações diárias fazem com que deixemos de lado esses passatempos que aparentemente não servem para nada. Talvez seja tocar violão, pintar ou montar miniaturas de aviões. É importante estabelecer novas conexões com afetos que, como os primeiros amores, provocam uma sensação especial quando recordamos deles. Voltemos a eles e, certamente, aconteça o que for, nos produzirão uma experiência enriquecedora.

– Ter curiosidade pelos interesses dos outros é uma boa maneira de incorporar novos pontos em nossas vidas; interesses que talvez não tivéssemos descoberto por nós mesmos. Além disso, quando nos mantemos abertos aos hobbies alheios e escutamos com atenção as pessoas que nos rodeiam, nossas relações melhoram e acontece o milagre do enriquecimento mútuo.

– Fazer sem pensar. Uma vez que restabelecemos as conexões com nossos afetos e adotamos uma atitude de interesse em relação às pessoas que nos rodeiam, chega o momento mais complicado: agir. Devemos fazê-lo sem pensar muito se tal coisa servirá para isto ou para aquilo. Sem pensar se estamos ou não perdendo tempo. Porque se pensarmos muito nisso, não o faremos. E se não o fizermos, certamente estaremos perdendo algo.

Devemos trabalhar nossos afetos com paixão, amor e interesse enquanto durar o que estivermos fazendo. Voltemos uma vez mais ao discurso de Steve Jobs. “Não se pode ligar os pontos para adiante, só se pode fazê-lo para trás. Assim, você tem de acreditar que eles se ligarão alguma vez no futuro. É preciso acreditar em algo: no seu instinto, no destino, na vida, no carma, no que for”, afirmou então.

Lazer em 3Ds
O tempo é o principal inconveniente com o qual nos deparamos para preencher nossa vida de pontos para ligar. Todos nós temos essa frustrante sensação de que as horas nos escapam, os dias se diluem e, quando queremos nos dar conta, várias semanas passaram sem termos feito o que nos tínhamos proposto. Apesar de vivermos, supostamente, imersos na cultura do lazer. E exatamente aí está a chave. Cada vez são mais numerosas as vozes que nos alertam que os lazeres não são iguais e que nem todos têm os mesmos benefícios. Podemos diferenciar dois grandes grupos:

Lazer passivo. É o tipo de entretenimento do qual recebemos os estímulos, mas não interagimos de forma ativa com ele. O mais claro exemplo é a televisão, embora hoje em dia isso possa ser comparado com assistir vídeos no YouTube, observar as vidas alheias no Facebook ou consumir manchetes de poucos caracteres no Twitter, como se comêssemos um pacote de batatas fritas. O lazer passivo nos deixa, como esse pacote de batatas, eternamente insatisfeitos e com a sensação de termos perdido tempo. Esse tipo de entretenimento é uma espécie de desaguadouro pelo qual o tempo nos escapa. Segundo diversos estudos, o tempo que dedicamos ao lazer passivo não para de aumentar ao nosso redor. É um tipo de passatempo que não somente nos distancia de preencher nossa vida de pontos interessantes, mas que se tornou a principal causa do sedentarismo, uma das grandes epidemias que pairam sobre a nossa sociedade.

O sábio uso do lazer é um produto da civilização e da educação
Bertrand Russell

Lazer ativo. Quando praticamos esse tipo de entretenimento, nos tornamos receptores e emissores de estímulos positivos. Fazemos parte da própria ação. Antes falávamos de tocar violão, pintar ou montar miniaturas. Mas esses pontos podem incluir também estudar algo que sempre nos interessou ou caminhar pela montanha. Definitivamente, tudo aquilo que implique em nos manter vivos e conectados conosco mesmos.

Esse tipo de lazer existe em três dimensões e permite, por seu lado, que avancemos em nosso desenvolvimento pessoal:

– Descanso. Porque é praticado no nosso tempo livre e nos permite desconectar das obrigações da rotina.

– Diversão. Como é uma atividade escolhida, nos entretém, nos interessa e nos dá prazer. Se não for assim, é que não estamos fazendo bem alguma coisa ou não é a atividade da qual necessitamos.

– Desenvolvimento. O lazer ativo, além disso, permite que progridamos como pessoas, assim como cultivar outro tipo de relações sociais. Estas, por sua vez, enriquecerão e nos produzirão essa sensação de descanso que provoca o fato de desconectar da rotina.

O círculo virtuoso dos 3Ds do lazer ativo nos permitirá encher a nossa vida de pontos. Se conseguirmos minimizar os momentos de descanso passivo, descobriremos que contamos com mais tempo para encher nossa vida de coisas interessantes, renunciando às inércias do entretenimento imóvel. Vamos imaginar que somos uma horta. Temos de nos cultivar, nos cuidar e nos mimar. Além disso, devemos procurar não ser uma plantação somente de tomates, mas de muitas e muito variadas hortaliças. Dessa maneira, nossos pratos serão mais saborosos, mais variados, mais interessantes e terão mais matizes. E tudo começa com uma pequena semente, com esses pontos que devemos ligar em nossa vida. O mágico é que podemos começar a cultivar a partir de agora mesmo.

PARA SABER MAIS
Canção
Aquellas pequenas coisas
Joan Manuel Serrat

Livros
Steve Jobs: A Biografia
Walter Isaacson (Companhia das Letras)
Uma das figuras mais geniais e inspiradoras dos últimos tempos.
Amor em minúscula
Francesc Miralles (Editoria Record)
Um canto aos pequenos afetos e detalhes que tornam grande a nossa vida.

*Por Gabriel Garcia de Oro
………………………………………………………………………………………
*Fonte: brasil-elpais

Estudo revela quanto se exercitar para compensar as horas sentado

Muitos empregos exigem horas a fio de trabalho sentado em frente ao computador. Com a pandemia e o aumento do home office, muitos trabalhadores passaram a ficar ainda mais tempo em casa: da cadeira do escritório para o sofá, do sofá para a cama. Um ciclo sedentário altamente prejudicial à saúde. Mas, o que é possível fazer para amenizar esta questão? Um novo estudo revela que é possível “neutralizar” o tempo sentado com exercícios físicos.

Publicado no jornal acadêmico British Journal of Sports Medicine, que cobre ciência e medicina esportiva, o estudo aponta especificamente que é preciso de 30 a 40 minutos de atividade física moderada a vigorosa. Incluir essa mudança na rotina pode prolongar a expectativa de vida.

A pesquisa buscou examinar a associação entre atividade física, tempo sedentário e mortalidade. Para isso, realizou uma meta-análise de nove estudos anteriores de quatro países. Foram acompanhados 44.370 homens e mulheres, de quatro a 14 anos, sendo que 3.451 participantes morreram ao longo deste tempo.

Todos os indivíduos registraram suas atividades em rastreadores de condicionamento físico, eliminando parte do risco de parcialidade ou erros por meio de autorrelato. Em todos os dados, a atividade moderada a vigorosa foi inversamente correlacionada com o risco de morte para aqueles que levaram uma vida mais sedentária. Ou seja, este é mais um estudo que confirma que pessoas que se exercitam menos correm mais risco de morte.

“Maior tempo de sedentarismo está associado a maior mortalidade em indivíduos menos ativos. Cerca de 30 a 40 minutos por dia atenuam a associação entre o tempo sedentário e o risco de morte, que é menor do que as estimativas anteriores”, conclui o estudo.


Mais tempo em casa = mais sedentarismo

O home office eliminou uma parte importante do trabalho no escritório: levantar para tomar um café, uma água e até bater papo com o colega. Entretanto, tem contribuído para trabalhadores se manterem seguros em casa, em meio à pandemia, sem perderem suas fontes de renda. De forma que a melhor alternativa é buscar o equilíbrio. Fazer paradas ao longo do trabalho para se movimentar é importante assim como encaixar na rotina um tempo para se exercitar fora de casa, seja andando de bicicleta, corrida ou mesmo uma simples caminhada. Dentro de casa, as tarefas domésticas de limpeza e o cuidado com a horta também contam como atividades. Além da saúde do corpo, a atividade física é essencial para a saúde mental.

Segundo a OMS, até 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas se a população em todo o mundo fosse mais ativa. “A atividade física regular é fundamental para prevenir e controlar doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer, bem como para reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, reduzir o declínio cognitivo, melhorar a memória e exercitar a saúde do cérebro”, afirma o órgão da ONU.

Atenta aos efeitos da população passar mais tempo em casa, a OMS lançou em 2020 novas diretrizes sobre atividade física. A recomendação é de pelo menos 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada a vigorosa por semana para todos os adultos e uma média de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

*Por Marcia Sousa
……………………………………………………………………………………………..
*Fonte: ciclovivo

Estudo afirma que “esticar” baterias pode aumentar sua vida útil; entenda

Cientistas da Universidade do Sul da Califórnia, junto da Universidade Brown, publicaram um estudo onde afirmam que, literalmente, “esticar” componentes de baterias de íon-lítio pode ampliar a sua vida útil, permitindo o seu uso por mais tempo sem degradação.

As baterias de íon-lítio permeiam praticamente todos os aspectos da vida moderna: de smartphones a relógios, dispositivos remotos como chaves de carro com trava eletrônica, sistemas de backup em dispositivos fora da tomada, elas fornecem energia para quase tudo o que nossos olhos enxergam. Mas elas se degradam com o tempo e uso, nos obrigando a trocá-las por modelos novos – um processo ao mesmo tempo caro e custoso ao meio ambiente.

Segundo Delin Zhang, candidata ao Ph.D pela Universidade do Sul da Califórnia, essa degradação ocorre porque uma bateria comum funciona por meio de um ciclo de inserir e extrair íons-lítio de eletrodos. Esse processo expande e contrai as grades condutoras internas da bateria, criando micro rachaduras.

“Essas micro rachaduras no componente da bateria levam à degradação estrutural, o que reduz a capacidade dela até que, finalmente,uma nova bateria terá que ser inserida em troca da antiga”, disse a cientista, que estuda materiais intercalados, usados na confecção dos eletrodos das baterias de íon-lítio.

Para prevenir isso, Zhang e sua equipe estipularam um método para, literalmente, esticar os eletrodos das baterias antes do tempo de degradação. Ao fazer isso, o resultado é uma regulação diferente na voltagem transmitida por eles, tornando-os mais resistentes aos efeitos da “amorfização” – ou seja, a sua alteração estrutural.

Zhang diz que a repetição frequente do processo de recarga da bateria pode acelerar o processo de degradação dos eletrodos, fazendo com que a sua carga dure menos e levando você a carregar mais vezes um aparelho, em um ciclo. Pense na “bateria vazada” do seu smartphone, comparando quanto tempo ele durava quando você o comprou versus quanto tempo ele dura agora.

“Ao esticar os eletrodos antes de recarregar a bateria, nós estamos mudando o ambiente de energia pelo qual os eletrodos passam do estado carregado para o descarregado”, disse Zhang. “Esse estresse inicial nos permite reduzir a barreira energética para essas transformações e prevenir deformações que levam à falha do material, protegendo a sustentabilidade e capacidade de armazenamento de carga da bateria”.

De acordo com Ananya Renuka-Balakrishna, professora e co-autora do estudo, um benefício adicional de esticar eletrodos de baterias, é fazer com que elas operem com uma amplitude de voltagem maior, permitindo maior eficiência no armazenamento de carga energética.

A descoberta ajuda a comunidade a ser mais eficiente na produção de baterias novas, ao mesmo tempo em que busca novos meios de transmissão energética para elas. Hoje, uma das maiores preocupações dos especialistas do setor é se distanciar do uso de líquidos inflamáveis nos eletrodos, adotando um modelo de materiais sólidos para transmitir energia de um ponto a outro.

Na prática, porém, isso é mais complicado: materiais sólidos se degradam e “trincam” com o tempo e com o uso, gerando um problema de mecânica básica. Se uma fissura ou falha se fizer presente, a energia não passa do ponto A para o ponto B, gerando inconsistência. Imagine que você tem dois lados de um penhasco, ligados por uma ponte. Agora remova a ponte: como você chega ao outro lado?

Por essa razão, o processo desenvolvido por Zhang e Renuka-Balakrishna é, ao mesmo tempo, simples e engenhoso: elas conseguiram desenvolver um método que pode servir de ponte para a busca de novos materiais, ao mesmo tempo em que resolve um problema mecânico que pode vir dessa mudança.

*Por Rafael Arbulu
………………………………………………………………………………………..
*Fonte: olhardigital

WhatsApp clonado: o que fazer, como resolver e aumentar a segurança

O WhatsApp se tornou um prato cheio para tentativas de golpes virtuais. Só em 2020, o Brasil registrou mais de 5 milhões de contas clonadas do app. Em posse dos perfis, os golpistas pedem dinheiro para os contatos se fingindo passar pela vítima da clonagem.

Como saber se aconteceu com você? E como agir se você for vítima? Confira a seguir algumas dicas reunidas por Tilt para evitar se tornar cair em armadilhas e aumentar a segurança no aplicativo.

Como saber se minha conta no WhatsApp foi clonada?
O WhatsApp tem algumas configurações para aumentar a segurança (como colocar senha e desbloqueio com biometria), mas a plataforma não está isenta de tentativas de fraude.

Caso alguém consiga entrar na sua conta por outro aparelho, você perderá o acesso no seu dispositivo. Isso já é um sinal de alerta de possível clonagem.

Se algo assim ocorrer, você receberá a seguinte mensagem ao abrir o aplicativo: “Não foi possível verificar este telefone. Provavelmente, porque você registrou seu número de telefone no WhatsApp em outro aparelho.”

Se você continua com acesso ao seu perfil e acredita que alguém está utilizando sua conta na versão do WhatsApp para computador (web ou desktop), existe um jeito também para verificar quais equipamentos estão conectados.

No Android:

Abra o app e clique nos três pontinhos no canto superior da tela;
Selecione a opção “WhatsApp Web”;
Veja os itens que estão conectados e, caso não reconheça algum, desconecte-o.

No iOS:
Clique em “Configurações” na sua conta no WhatsApp;
Vá no item “Aparelhos conectados” e confira se existem conexões que você não reconhece;
Clique em cima de cada item e selecione “Desconectar” se achar necessário.

Meu WhatsApp foi clonado: o que fazer?
Tente imediatamente cadastrar de novo a sua conta do WhatsApp em um celular (no seu ou em um aparelho que possa pedir emprestado e que seja de alguém de confiança) — siga o passo a passo detalhado na resposta da pergunta abaixo

Avise seus conhecidos o mais rápido possível que você perdeu acesso ao seu número — muita gente costuma fazer isso pelas redes sociais. Assim, você ajuda a evitar a sequência do golpe, que é, por exemplo, pedir dinheiro usando seu nome.

Como recuperar o WhatsApp clonado?
Insira o número de telefone associado ao seu perfil do WhatsApp em um aparelho e aguarde o recebimento do código de seis dígitos que o app enviará por SMS para o seu celular. Ele é código de autenticação que serve para liberar o acesso da conta apenas a quem possuí-lo

Assim que você digitar essa combinação, a conexão do golpista será desconectada. Nunca compartilhe esse código de registro do WhatsApp com outras pessoas.

Se a confirmação em duas etapas estiver habilitada na sua conta, será necessário informar ainda PIN, uma senha numérica com seis dígitos. Se você não se lembrar ou não souber, vai ser preciso aguardar sete dias para usar o serviço novamente, mas o criminoso já estará sem acesso à sua conta.

Fiz tudo isso, mas não consegui recuperar a minha conta. E agora?
Se não for possível reconectar o número ao aplicativo após a clonagem, entre em contato com o suporte do WhatsApp pelo site oficial explicando o que aconteceu.

Forneça as informações necessárias solicitadas na tela e selecione em qual dispositivo você usa o WhatsApp. Insira sua mensagem no campo destinado e clique em “enviar pergunta”.

Você também deve enviar um email para support@whatsapp.com com a seguinte frase no assunto e no corpo do texto: “Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta”. Inclua também o seu telefone no formato internacional: +55 (código do Brasil), o DDD de sua área e o número do celular.

Esse processo pode demorar alguns dias. Sua conta será desativada e você terá 30 dias para reativá-la.

WhatsApp foi clonado e agora pede um PIN para reconectar: como resolver?
Isso acontece quando a autenticação de duas etapas está ativada. O criminoso pode ter feito isso após a clonagem, e por isso o PIN é solicitado.

Será necessário entrar em contato com o suporte do WhatsApp para tentar recuperar o seu perfil (siga o passo a passo acima).

Conversas antigas poderão ser acessadas?
O serviço do WhatsApp é protegido com criptografia de ponta a ponta e as mensagens são armazenadas no próprio celular. Se a conta for acessada de outro dispositivo que não o seu, conversas antigas não poderão ser lidas.

Da mesma forma, não será possível saber se o golpista conversou com alguém enquanto usou sua conta.

Como deixar o WhatsApp mais seguro?
Ativar a confirmação de duas etapas com a criação de uma senha extra é uma das maneiras. O PIN é uma combinação composta por seis dígitos e será exigido quando o login for feito em um novo aparelho.

Mesmo que o criminoso tenha acesso ao código de autenticação do WhatsApp) enviado via SMS), ele não conseguirá acessar o seu perfil se não souber essa nova senha.

Além disso, o WhatsApp pode pedir ocasionalmente que você digite o número do PIN enquanto estiver usando o serviço para confirmar que você é você mesmo.

No Android:

Clique nos três pontinhos no canto superior da tela;
Selecione a opção “Configurações”;
Clique em “Conta”;
Aperte “Confirmação em duas etapas”;
Cadastre uma senha numérica com seis dígitos.

No iOS:

Clique em “Configurações”;
Vá até o menu “Conta”;
Selecione a opção “Confirmação em duas etapas”;
Cadastre uma senha numérica com seis dígitos.
Um endereço de email pode ser cadastro para a recuperação do código PIN, caso você o esqueça.

Como evitar a clonagem?
Além de habilitar a confirmação em duas etapas, sempre desconfie de mensagens estranhas e telefonemas com pedidos para enviar um código de seis dígitos recebido por SMS.

Os golpistas costumam ter alto poder de persuasão e usam as mais variadas desculpas como: “você ganhou um prêmio”, “estou fazendo uma pesquisa para o Ministério da Saúde sobre covid-19” e “temos promoções em nossa loja”.

Ao usar o serviço no PC, cuidado com páginas falsas, que vão usar um QR Code falso para acessar sua conta.

Como bloquear uma suspeita de clonagem?
Ao receber uma mensagem suspeita, você pode bloquear o remetente diretamente no WhatsApp. É só clicar no nome do perfil para ver os dados, rolar até o final da tela e acionar “bloquear contato”.

O número pode ainda ser denunciado ao WhatsApp, clicando em “denunciar contato”. Assim, as últimas mensagens serão encaminhadas para o serviço, que poderá desativar a conta suspeita.

Recebi uma mensagem de um número clonado. Como agir?
Se você suspeita que a mensagem veio de um número clonado, tente ligar e falar com a pessoa. Outra opção é fazer contato pelas redes sociais.

Em último caso, peça para a pessoa confirmar algo que só vocês sabem se é verdade ou não, eliminando dúvidas sobre quem está do lado de lá da linha.

*Por Vinícius de Oliveira (Colaboração para Tilt)
………………………………………………………………………………………………..
*Fonte: uoltilt

4 dicas saborosas para fazer pizzas vegetarianas

O chef Henrique Campos ensina como alcançar sabores intensos nas pizzas sem carne.

Atualmente estima-se que 30 milhões de brasileiros são vegetarianos, ou seja, não comem nenhum tipo de carne ou ingrediente de origem animal. Esse é, portanto, um mercado em expansão para os chefs de cozinha, que inovam para criar pratos saborosos extraindo o melhor de frutas, legumes, verduras e oleaginosas.

O chef Henrique Campos é especialista em gastronomia italiana e notou a necessidade de incluir pratos vegetarianos e veganos no cardápio do seu restaurante, o Figurate Italian Food, principalmente nos sabores das pizzas. “Cada vez mais os pedidos sem carne crescem e é preciso estar atento à demanda. O grande segredo de uma pizza vegetariana ou vegana gostosa de verdade é testar ingredientes e combinações até extrair o máximo de sabor das combinações”, afirma.

Com pizzas vegetarianas e veganas em seu cardápio, a operação gastronômica que atende por delivery em Curitiba, o chef Henrique Campos elenca dicas para quem deseja fazer uma deliciosa pizza sem carne. Anote:

1. Explore queijos diferentes
Existem centenas de receitas de queijos feitos com ingredientes de origem vegetal disponíveis na internet, todas muito, mas muito saborosas. Para quem acha que o gosto é diferente, não se engane, fica muito similar, inclusive com a textura parecida. Os mais comuns são com oleaginosas, como amêndoas e castanhas, mas existem receitas até com grão de bico e mandioca.

“A dica é testar, eu gosto muito dos queijos com castanha, ficam semelhantes a um queijo feito de leite, combina muito com pizza e são mais fáceis de encontrar”, diz o chef.


2. Capriche no molho de tomate

A receita tradicional do molho de tomate é vegana, já parou para pensar nisso? É cebola, alho, tomate e temperos à gosto, fácil e rápido.

“O molho de tomate faz toda a diferença na pizza, por isso aconselho caprichar nessa etapa, escolhendo bem os tomates e temperando com atenção. Isso vai fazer toda a diferença”, ressalta.


3. Aposte na abobrinha

A abobrinha é um ingrediente versátil, rápido de fazer e que a maioria das pessoas aprova. Seja em lasanhas, salgados, empadões, a abobrinha harmoniza fácil com outros ingredientes. Uma pizza com queijo e abobrinha temperada pode ser um bom início para quem está começando a preparar ou consumir pizzas vegetarianas e veganas.

4. Cogumelos sempre
Os cogumelos são um clássico da culinária internacional e o funghi é, inclusive, um dos ingredientes mais queridos da gastronomia italiana. Está presente em massas, risotos, sopas e, claro, pizzas. Que tal experimentar em sua próxima

“Cogumelos são saborosos e trazem uma textura interessante para a pizza, além do valor protéico. Vale a pena investir”, finaliza o chef.

…………………………………………………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

Consumo regular de café traz benefícios à saúde, afirmam cientistas

Acordar com o cheirinho do café passando, fazer uma pausa no meio do dia para uma xícara de café, se sentar para um café com pessoas queridas… O café faz parte do nosso dia a dia e normalmente é associado a bons momentos.

Mas esta bebida que é uma das preferidas no Brasil também está associada a benefícios para a saúde. Estudos recentes relacionam o consumo regular de café a diminuição de riscos de doenças e aumento do bem estar físico e mental.

Pesquisadores das Universidades de Southampton e Edimburgo, publicaram na BMC Public Health, um estudo que revela que beber qualquer de três a quatro xícaras de café por dia reduziu o risco de desenvolver e morrer de doença hepática crônica. E os benefícios aparecem com o consumo de diversos tipos de café.

Quase meio milhão de pessoas com níveis conhecidos de consumo de café foram examinados por meio de dados do UK Biobank. De todos os participantes incluídos no estudo, 78% (384.818) consumiam café moído ou instantâneo com cafeína ou descafeinado, enquanto 22% (109.767) não bebiam nenhum tipo de café. Durante o período do estudo, houve 3.600 casos de doença hepática crônica, incluindo 301 mortes.

Em comparação com os que não bebiam café, os que bebiam café tiveram um risco reduzido de cerca de 21% de desenvolver doença hepática crônica ou gordurosa e um risco reduzido de 49% de morte por doença hepática crônica.

O benefício máximo foi observado no grupo que bebeu café moído, que contém altos níveis dos ingredientes kahweol e cafestol, que se mostraram benéficos contra doenças crônicas do fígado em animais.

Durante muito tempo, o café esteve na lista de possíveis carcinógenos da Organização Mundial da Saúde. Apenas em 2016, a OMS o retirou da lista, mas, mesmo assim, em 2018, a Califórnia aprovou uma lei exigindo que os produtores de café coloquem rótulos de advertência de câncer em seus produtos.

No entanto, descobriu-se que o café realmente ajuda na prevenção de certos tipos de câncer, como o câncer de pele e de próstata.

A “descoberta” do café
Em um programa de história do rádio da BBC, historiadores detalham que o primeiro registro de uso e consumo de grãos de café veio do Iêmen, região que a maioria das pessoas não associa à planta. Segundo os historiadores, um pastor suspeitou dos grãos ao notar suas cabras comendo-o e exibindo hiperatividade.

Depois de consumir os grãos, ele escreveu conseguia ficar acordado a noite inteira orando – uma descoberta pela qual muitos estudantes universitários poderiam ter empatia.

Em alguns grãos de café podem ser encontrados cerca de mil componentes químicos diferentes, e os cientistas muitas vezes lutam para descobrir quais compostos são responsáveis ​​pelos muitos benefícios observados.


Café e saúde

Um estudo da Universidade de Harvard detalha que “há evidências consistentes de estudos epidemiológicos de que o maior consumo de cafeína está associado a um risco menor de desenvolver a doença de Parkinson – 24% por 300 mg de cafeína.

Uma meta análise com mais de 330 mil participantes também identificou a redução de 24% do risco de desenvolver depressão com o consumo de café. Mais uma vez, quanto maior o número de xícaras consumidas, menor o risco. A mesma lógica se aplica para outra análise de estudos que avaliou a relação entre o café e o risco de suicídio – 53% menor para aqueles que beberam 4 ou mais xícaras, 45% menor para aqueles que beberam 2-3 xícaras.

Também vem da Universidade de Harvard uma pesquisa que relatou evidências de que o café pode ajudar a prevenir diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, Alzheimer e até cálculos biliares.

Apesar do café estar associado à agitação e frequência cardíaca elevada, estudos com milhares de pessoas demonstraram repetidamente riscos mais baixos para várias doenças cardíacas e eventos como acidente vascular cerebral, geralmente com um limite inferior de 11% encontrado com café descafeinado e 25% para cafeinado.

Um estudo publicado pela Nature, em 2019, revelou que o café estimula um tipo de produção de gordura que neutraliza o tipo que leva à obesidade. Descobriu-se que as células in vitro têm estimulação imediata na produção de gordura marrom, um tipo de célula de gordura usada para gerar calor corporal em contraste com a gordura branca, que armazena calorias como energia.

Os resultados, de que o café estimula a produção de gordura marrom, foram replicados em humanos, levando os pesquisadores da Universidade de Nottingham a concluir que o café tem um papel no combate à epidemia de obesidade.

Com todos esses benefícios comprovados pela ciência, temos mais motivos para uma boa xícara de café. Mas é sempre bom lembrar sempre que os excessos podem trazem riscos e que é sempre importante consultar um profissional de saúde para saber os tipos de alimentos mais indicados para o nosso corpo.

*Por Natasha Olsen
…………………………………………………………………………………………
Fontre: ciclovivo

Alguns fatos sobre a gordura da barriga que é bom saber

Um fato sobre a gordura estomacal que você deve saber é o seguinte: não é apenas aquela camada macia logo abaixo da pele – o tipo que você pega para ver se consegue “beliscar”. Gordura visceral é o nome do tipo que fica no fundo do seu torso. Ele se acumula ao redor de seus intestinos, fígado e estômago. Ele também pode alinhar suas artérias. E pode ser arriscado para sua saúde. Mas você não precisa de dietas ou exercícios especiais para perdê-la – apenas hábitos saudáveis.

Quais são os riscos para a saúde?
Não se trata apenas do número na escala. Os pesquisadores acham que a quantidade de gordura profunda ao redor da cintura é uma medida melhor para saber se você está sob risco de ter sérios problemas de saúde do que seu peso ou IMC (índice de massa corporal). Não só a gordura da barriga pode deixar seus jeans muito apertados, mas muito disso pode significar que você tem mais probabilidade de obter:

• Diabetes
• Doença hepática gordurosa
• Doença cardíaca
• Colesterol alto
• Câncer de mama

O que significam as medidas da cintura
Você não pode dizer quanta gordura visceral você tem apenas medindo sua cintura. Isso ocorre porque a gordura próxima à superfície da pele (chamada de gordura subcutânea) também faz parte da sua circunferência. Mas sua fita métrica pode lhe dar uma dica se você pode acabar tendo problemas de saúde relacionados à gordura da barriga. Para as mulheres, medidas de cintura acima de 35 polegadas podem levantar uma bandeira vermelha. Para os homens, é de 40 polegadas.

É a primeira gordura a ir
Aqui está um fato feliz: a gordura visceral é o primeiro tipo que você perde. E para fazer isso, você precisa se mover. Seu treino não precisa ser complicado. Você pode caminhar rapidamente por uma hora por dia. Em uma esteira, você pode definir a inclinação mais alta para aumentar o metabolismo. Se você se sentar muito, encontre maneiras de se mover. Defina um cronômetro em seu telefone para lembrá-lo de se levantar a cada meia hora ou assim. Ou experimente uma mesa em pé e agache-se enquanto trabalha.

Contagens inquietantes
Você fala com as mãos? Toque seus pés para melodias? As pessoas acham que você é um pouco hiperativo? Tudo bom. Ficar inquieto pode não ser um “exercício” e não vai construir músculos ou resistência. Mas conta como atividade e queima calorias. Então, da próxima vez que alguém disser que você se inquieta demais, você pode dizer que está queimando a gordura da barriga.

Vinagre de maçã não ajuda
O vinagre de maçã tem muitos usos inteligentes. Reduzir a gordura da barriga provavelmente não é uma delas, embora as dietas da moda possam dizer isso. O líquido picante vem de maçãs que são esmagadas, destiladas e fermentadas. Algumas pessoas pensam que o ácido acético que contém pode melhorar a saúde de algumas maneiras. Estudos em animais mostraram um vislumbre de esperança de que isso possa ajudar a queimar a gordura visceral. Mas não há evidência científica de que tenha o mesmo efeito nas pessoas.

Não culpe a cerveja
A cerveja muitas vezes leva a marca de uma barriga atarracada – daí o termo “barriga de cerveja”. Estudos sugerem que é um pouco mais complicado do que isso. O material espumoso tem muitas calorias. Portanto, pode fazer você ganhar peso. Mas isso não faz necessariamente com que a gordura se acumule em sua cintura. Um culpado mais provável? Refrigerantes e outras bebidas adoçadas. Algumas pesquisas sugerem que o açúcar pode aumentar a gordura da barriga.

Troque refrigerante por chá verde
Para reduzir a gordura da barriga, seja esperto quanto à sua dieta – coma porções razoáveis, muitos vegetais e pouca comida lixo. E em vez de refrigerante, considere o chá verde. Alguns estudos sugeriram que as catequinas, antioxidantes encontrados no chá verde, podem ajudar (um pouco) a queimar a gordura visceral. Os resultados estão longe de ser certos. Mas uma coisa é certa: substituir o chá por bebidas açucaradas economiza calorias. Só não carregue com mel ou açúcar.

Óleo de peixe não ajuda
O óleo de peixe há muito é considerado um suplemento saudável para o coração. O FDA aprovou recentemente um medicamento feito de óleo de peixe para ajudar a controlar os triglicerídeos, uma gordura encontrada no sangue. Mas, serve para secar a gordura da barriga? Não muito. Um estudo com homens com sobrepeso que tomaram suplementos de óleo de peixe não encontrou nenhuma mudança na gordura do estômago.

Gordura da barriga e seus ossos
Por muito tempo, os médicos pensaram que o peso extra poderia ajudar a manter seus ossos fortes e protegê-lo de fraturas. Mas pesquisas mostram que isso não é necessariamente verdade, pelo menos no que diz respeito à gordura visceral. Um estudo descobriu que homens com mais gordura na barriga tinham ossos mais fracos. Outro estudo analisou mulheres que ainda não haviam passado pela menopausa. Ele descobriu que aqueles com mais gordura abdominal tinham densidade óssea menor, um sinal de alerta de osteoporose.

………………………………………………………………………………………
*Fonte: saberesaude

Gravidade da apneia do sono reduzida pela reutilização de medicamentos existentes

Uma nova pesquisa publicada no The Journal of Physiology mostra que os pesquisadores reaproveitaram com sucesso dois medicamentos existentes para reduzir a gravidade da apnéia do sono em pessoas em pelo menos 30 por cento.

A apnéia do sono é uma condição em que as vias aéreas superiores da parte de trás do nariz até a garganta se fecham repetidamente durante o sono, restringindo a ingestão de oxigênio e fazendo com que as pessoas acordem 100 vezes ou mais por hora.

Aqueles com apneia do sono não tratada têm maior probabilidade de desenvolver doenças cardiovasculares, demência e depressão, e duas a quatro vezes mais probabilidade de bater um carro do que a população em geral.

Apesar de quase trinta anos de pesquisa, não existem medicamentos aprovados para tratar a doença.

O professor Danny Eckert, principal cientista-pesquisador da NeuRA e professor e diretor do Adelaide Institute for Sleep Health da Flinders University, aproximou os cientistas ao reaproveitar dois medicamentos existentes para testar sua eficácia em pessoas com apnéia do sono.

Pesquisas anteriores mostraram que duas classes de medicamentos, reboxetina e butilbromida, eram capazes de manter os músculos ativos durante o sono em pessoas sem apnéia do sono e auxiliar sua capacidade de respirar.

Ao reaproveitar os medicamentos, os pesquisadores usaram uma infinidade de instrumentos de registro para medir se a reboxetina e o brometo de butil poderiam atingir com sucesso as principais causas da apnéia do sono.

Isso incluiu o equilíbrio da atividade elétrica dos músculos ao redor das vias aéreas, evitando o colapso da garganta enquanto as pessoas dormiam e melhorando a regulação do dióxido de carbono e da respiração durante o sono.

Os resultados do estudo mostraram que esses medicamentos de fato aumentaram a atividade muscular ao redor das vias aéreas dos participantes, com os medicamentos reduzindo a gravidade da apnéia do sono dos participantes em até um terço.

Quase todas as pessoas que estudamos tiveram alguma melhora na apnéia do sono. A ingestão de oxigênio das pessoas melhorou, o número de paradas respiratórias foi um terço ou mais menos.

Essas novas descobertas permitem aos pesquisadores refinar ainda mais esses tipos de medicamentos para que tenham um benefício ainda maior do que o que foi encontrado atualmente.

Comentando sobre o estudo, o professor Eckert disse:

“Ficamos emocionados porque as opções atuais de tratamento para pessoas com apnéia do sono são limitadas e podem ser uma jornada dolorosa para muitos”, disse ele. A seguir, veremos os efeitos desses e de medicamentos semelhantes em longo prazo. Avaliaremos se podemos aproveitar os benefícios de um medicamento sem precisar usar os dois. “

” Da mesma forma, testaremos se esses tratamentos podem ser combinados com outros medicamentos existentes para ver se podemos melhorar ainda mais sua eficácia “, continuou ele.

Até agora, a principal terapia para apneia do sono envolve o uso de uma máscara para dormir, ou Terapia de Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP), que beneficia milhões. No entanto, muitas pessoas acham isso desconfortável e metade das pessoas que tentam acham difícil de tolerar .

Além disso, a eficácia das terapias de segunda linha, como protetores bucais colocados por dentistas, pode ser imprevisível e cara.

Fonte: The Physiological Society

………………………………………………………………………………..
*Fonte: revistasabersaude

Veja como carregar seu celular de forma rápida e segura

“Há diferença alguma entre recarregar o celular em uma tomada de 110 ou 220 volts?”
A resposta é não. Isso porque os celulares não trabalham com essa tensão. O que os carregadores fazem é converter os 110 ou 220 volts em corrrente alternada que chegam pela tomada em cerca de 5 volts em corrente contínua, que são adequados para alimentar as baterias dos celulares. E essa tensão de saída é independente da entrada.


“Usar o celular enquanto ele carrega é seguro?”
Sim, embora isso possa aumentar o tempo de recarga já que o aparelho está em uso, com a tela ligada e o processador trabalhando mais, consome mais do que um aparelho em repouso, por exemplo.

“É perigoso viciar a bateria se o celular ficar ligado à tomada durante a noite toda?”
Não. O celular usa um software inteligente para gerenciar o processo de carregamento com base no perfil do usuário, para evitar a redução da vida útil da bateria.


“Usar um carregador mais potente faz diferença?”
Sim, mas “depende”. Um carregador USB básico de 5 Watts entrega uma tensão de 5 volts a 1 ampére, mas um carregador rápido de 20 Watts, por exemplo, entrega 9 volts a 2 ampéres. Ou seja, mais tensão e mais corrente.


“Posso usar um carregador de uma marca para carregar um celular de outra”?
Sim, não há problemas. O que pode acontecer é que em alguns casos os sistemas de carga não sejam compatíveis, é o celular carregar no modo mais lento.


“É verdade que carregadores piratas podem estragar o celular?”

Evite carregadores piratas a todo custo. Eles podem, sim, danificar seu celular e até mesmo te colocar em risco de ferimentos ou morte.

“Carregar o celular no modo avião é mesmo mais rápido”?
Sim, essa é uma dica que funciona de verdade. Isso porque nesse modo os rádios (Bluetooth, Wi-Fi, GPS) são desligados, e eles estão entre os componentes que tem maior consumo de energia em um celular.


“É normal o celular esquentar enquanto carrega?”
Sim. Calor é um “subproduto” da reação química que ocorre dentro das baterias quando elas são carregadas.

*Por Ademilson Ramos
………………………………………………………………………………………
*Fonte: engenhariae

O exercício simples que você pode fazer em casa para turbinar seu cérebro

Você quer entrar em forma e aumentar sua capacidade intelectual?

Se você escolher seu exercício com cuidado, poderá obter o melhor dos dois mundos.

Novas pesquisas sobre os benefícios dos exercícios de resistência mostram um imenso impacto positivo para nossos músculos, coração e cérebro.

Dois deles são bastante simples, e muitos podem fazê-lo agora, em casa: a flexão e o agachamento.

Flexões e seu coração

As flexões são ótimos exercícios porque treinam o corpo todo, não requerem nenhum equipamento e podem ser feitas facilmente em qualquer lugar e a qualquer hora.

Um estudo recente nos EUA envolvendo mais de 1.100 bombeiros e com duração de mais de dez anos descobriu que as flexões eram uma das melhores formas de prever o risco de doença cardíaca – acima e além de outros tipos de exercícios de peso corporal.

Aqueles que conseguiam fazer 40 flexões ou mais de uma vez só quando tinham 30 e poucos anos tinham muito menos chance de sofrer um infarto nos dez anos seguintes do que aqueles que não conseguiam chegar a dez flexões.

Embora os mecanismos exatos ainda não estejam claros, as flexões parecem particularmente adequadas para dar ao seu sistema cardiovascular um bom treino.

Como com qualquer exercício, é fundamental começar de maneira gradual para não se machucar. Dá para começar fazendo de joelhos. Se você tiver algum problema de saúde relacionado às costas, fale com seu médico antes de adicionar o exercício na sua rotina.

Além das flexões, há um outro exercício que você pode (e deve) adicionar ao seu dia: o agachamento.

Os agachamentos são usados ​​repetidamente por treinadores como uma ótima maneira de melhorar a força e a estabilidade.

Eles trabalham vários grupos musculares, das panturrilhas e quadríceps aos abdominais e glúteos. Mas pesquisas recentes sugerem que eles podem ter outro benefício mais surpreendente…

Agachamento e seu cérebro

O agachamento é um dos melhores exercícios para melhorar a função cerebral.

“Você não precisa ficar bufando e se esforçando muito na academia para atingir certas partes do cérebro”, explica o professor Damian Bailey, professor de fisiologia e bioquímica da Universidade de South Wales, no País de Gales (Reino Unido).

“Você pode fazer alguns pequenos exercícios legais que realmente não fazem parecer que você está se exercitando e que estimulam o cérebro de forma notável. É uma forma de se exercitar de maneira inteligente.”

Bailey descobriu que apenas três a cinco minutos, três vezes por semana, podem ser ainda melhores para o cérebro do que 30 minutos de exercícios como corrida ou caminhada.

Em um experimento, Bailey conectou um equipamento de medição de fluxo sanguíneo aos cérebros dos participantes enquanto faziam agachamentos.

Ele diz que o som do fluxo sanguíneo foi a primeira pista de por que os agachamentos podem estar tendo um efeito tão grande no cérebro.

“Eles não pareciam estar fazendo muito, mas era possível ouvir uma enorme quantidade de sangue movendo-se para o cérebro.”

Ao agachar, você move a cabeça para cima e para baixo contra a gravidade. Seus vasos sanguíneos tentam atenuar as mudanças na pressão sanguínea e agem como amortecedores para o cérebro.

Conforme você sobe e desce, o fluxo sanguíneo aumenta e diminui drasticamente. “É realmente notável”, declara Bailey.

Ele descobriu que esse tipo único de fluxo sanguíneo no cérebro era o responsável pelos benefícios.

O agachamento aumenta o fluxo sanguíneo para diferentes partes do cérebro, incluindo o hipocampo. Quando envelhecemos, o fluxo sanguíneo para o hipocampo diminui, e isso está ligado ao declínio cognitivo.

Libere os “bons soldados”

Os vasos sanguíneos estão longes de ser tubos inertes ou um tipo de encanamento.

Cada vaso sanguíneo tem sua própria camada interna viva que responde a mudanças a coisas como o fluxo sanguíneo e libera uma grande quantidade de produtos químicos.

À medida que seus vasos trabalham duro para manter o cérebro bem suprido de oxigênio, as células do revestimento interno vivo liberam boas moléculas que agem como fertilizantes para o cérebro.

Esses “bons soldados”, como Bailey os chama, se movem para o tecido cerebral e estimulam novas conexões, novos neurônios, novas células, trabalhando em última instância para torná-lo um pouco mais inteligente.

Em outras palavras, como diz Bailey, “os agachamentos podem levar ao crescimento de novas células cerebrais”.

Ao adicionar mais agachamentos em sua rotina, você pode maximizar a liberação desses bons soldados e levar ao crescimento de novas células cerebrais.

Nunca é tarde para começar

Se você não tem feito muito exercício, não se preocupe, porque aqueles que não estão em forma obtêm os maiores benefícios para o cérebro com esse exercício.

Isso porque seus cérebros não estão tão acostumados a amortecer as mudanças no fluxo sanguíneo. Quanto mais flutuações no fluxo sanguíneo, mais substâncias químicas boas são liberadas.

E há mais uma coisa que você pode fazer se quiser dar um passo adiante e realmente colocar esses bons soldados em ação…

Ouvir música, ler, concentrar-se em um podcast ou mesmo assistir TV enquanto faz os agachamentos pode otimizar o ganho.

“É o golpe duplo” – a mistura perfeita para manter os bons soldados em ação.

Então, tente adicionar algumas flexões ou agachamentos à sua rotina diária.

Para Bailey, a combinação perfeita são exercícios aeróbicos com exercícios de resistência.

Enquanto estiver fazendo isso, por que não tentar ouvir um podcast ou ler um livro? Seu cérebro certamente agradecerá por isso.

*Por Michael Mosley
………………………………………………………………………………………………..
*Fonte: bbc-Brasil

Quanto tempo cada alimento dura na geladeira?

Inegavelmente, a geladeira foi uma invenção do ser humano que revolucionou a forma como armazenamos comida. Até por isso, tornou-se bastante comum que as pessoas acabem esquecendo certos alimentos dentro desses eletrodomésticos e continuarem achando que eles estão em boas condições apenas por estarem sendo mantidos em baixas temperaturas.

O problema, entretanto, é que na prática as coisas não funcionam bem assim. Laticínios, carnes, vegetais e qualquer outro tipo de alimento estão sujeitos a sofrer deterioração e possuem um tempo estimado para serem consumidos de maneira segura e é sobre isso que falaremos nesse texto.

Atenção no mercado

O primeiro passo para evitar com que os alimentos estraguem na geladeira começa ainda dentro do mercado. Mantenha-se sempre atento na hora das compras e busque por sinais que mostrem que o produto adquirido permanece próprio para consumo após sair das prateleiras.

No caso de vegetais, frutas, saladas e produtos não industrializados, o ideal é ficar de olho na aparência. Veja se nenhum deles já está estragado ou amassado. Sobretudo, as cascas desses alimentos devem estar sempre intactas para assegurar a integridade. Já para carnes embaladas à vácuo, escolha sempre aquelas sem sinais de bolhas de ar, com aspecto liso e de cor avermelhada.

Por fim, outro ponto essencial para prestar atenção são os rótulos dos produtos industrializados. Além das tradicionais informações sobre data de fabricação e data de validade, alguns rótulos trazem dados importantes sobre a maneira como cada alimento deve ser conservado e sobre o tempo máximo de consumo após aberto.

Tempo de consumo

Pensando na segurança dos consumidores brasileiros, o Serviço Social do Comércio (Sesc) desenvolveu uma série de cartilhas educativas do programa “Mesa Brasil – Segurança Alimentar e Nutricional” para estabelecer a temperatura e o tempo máximo de armazenamento de produtos refrigerados. Então, atente-se para os seguintes detalhes na sua geladeira após estes produtos serem abertos:

Leites e derivados: 5 dias a 7?°C
Ovos: 7 dias a 10?°C
Carnes: 3 dias a 4?°C
Frutas, verduras e legumes: 3 dias a 5?°C
Produtos de panificação e confeitaria: 5 dias a 5?°C
Frios e embutidos: 3 dias a 4?°C
Sobremesas e preparações com laticínios: 3 dias a 4?°C
Maionese: 2 dias a 4?°C

*OBS: Vale ressaltar que o consumo de alimentos impróprios pode resultar em diarreia, cólicas abdominais, náuseas, vômitos e perda de apetite. Em caso de um desses sintomas, busque ajuda médica imediatamente.


*Por Pedro Freitas

…………………………………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

Purificar o fígado: 13 remédios naturais caseiros

O fígado é um órgão importante para o funcionamento adequado de todo o organismo. Purificar o fígado melhora as funções digestivas e o funcionamento dos intestinos; ajuda na absorção dos nutrientes dos alimentos e fortalece o sistema imunológico.

Se o fígado funciona bem, toda a digestão prossegue sem problemas e o corpo consegue se liberar das toxinas e substâncias indesejadas.

Há muitos remédios naturais que ajudam a purificar o fígado, para iniciar um programa de desintoxicação dedicado a todo o organismo.

Damos aqui algumas sugestões úteis para cuidar deste órgão vital, mas procure um médico ou um fitoterapeuta para obter mais informações ou para seguir um tratamento personalizado.

Água e limão
Beber um copo de água morna com limão em jejum na parte da manhã é considerado um remédio natural para purificar o fígado. Além disso, esta mistura ajuda a regular o intestino e a expulsar as toxinas através das fezes.

A água morna, ou quente, é usada para neutralizar o possível efeito adstringente do limão.

Este é praticamente um remédio sem receita e sem contraindicação. Basta misturar o suco de um limão, ou metade se for grande, adicionar à água morna e beber em jejum toda manhã. Experimente e acompanhe a melhora

Dente-de-leão
O dente-de-leão também é usado como remédio natural para a purificação do fígado. É uma das ervas amargas e selvagens consideradas ótimas para promover o bom funcionamento deste órgão.

A planta pode ser usada na preparação de infusões e é fácil encontrar em lojas de produtos naturais.

Teu fígado vai agradecer se você fizer um chá de dente-de-leão de vez em quando. A receita é fácil: basta colocar um punhado da planta seca em água quente e deixar esfriar para beber morno.

Já para tomar cápsulas, comprimidos ou extratos, é recomendável consultar um médico ou fitoterapeuta antes, para não errar na dose e para fazer uso seguro da planta principalmente se estiver tomando algum medicamento.

Florais de Bach
O floral de Bach chamado Crab Apple é considerado útil para a purificação do fígado, e em geral de todo o organismo.

Este floral, no nível emocional, é recomendado para pessoas que têm vergonha de sua aparência física e são propensas a se considerarem “tóxicas”.

Crab Apple é recomendado para aqueles que querem começar um período de desintoxicação.

Cardo-de-leite
O cardo-de-leite (Silybum marianum) também conhecido como cardo-mariano ou cardo-de-santa-maria, é uma planta selvagem de origem mediterrânea.

Seus frutos são ricos em um antioxidante chamado silimarina, que é um conjunto de flavonóides de atividade hepatoprotetora que ajudam também na regeneração dos hepatócitos (células do fígado).

O uso pode ser em forma de chá (3 ou 4 xícaras por dia) ou em capsulas ou comprimidos (1 a 5 gr/dia).

Mas de um modo ou de outro, o recomendável é pedir indicação médica para as doses seguras.

Grama de cevada
A cevada é considerada uma verdadeira panaceia para desintoxicar o corpo por meio da purificação do fígado. É muito rica em clorofila, que tem um reconhecido poder desintoxicante, antibacteriano, imunoestimulante e alcalinizante.

O pó da grama de cevada pode ser usado na preparação de bebidas para purificar e remineralizar o organismo, simplesmente adicionando-o aos sucos ou em outras preparações como bolos, pães.

Suco de cenoura
O suco de cenoura é considerado ótimo para purificar o fígado. Suco de cenoura com alecrim estimula as funções deste órgão. Experimente combinar as cenouras com algumas agulhas de alecrim na preparação de seus sucos caseiros. Além de gostos

Bardana
A bardana é utilizada na preparação de infusões boas para a purificação do fígado. A bardana é purificante, hipoglicemiante e ajuda a controlar o colesterol.

Para a preparação do chá utilize as raízes da bardana. A receita é usar uma colher de sopa de bardana em 300 ml de água para preparar um chá para duas doses.

Extrato ou chá de alcachofra
O extrato de alcachofra é utilizado em fitoterapia para ajudar a purificar o fígado, especialmente no caso de problemas digestivos, níveis elevados de colesterol e fígado gordo.

O extrato hidroalcoólico, ou tintura, é usado para preservar e explorar as propriedades das plantas, e recomendado em casos de distúrbios agudos, para se obter bons resultados num curto espaço de tempo.

O uso do extrato porém deve ser recomendado por um médico ou fitoterapeuta, já o chá de alcachofra pode ser facilmente preparado em casa usando as folhas e folhas secas, conforme recomendado na embalagem, ou o saquinho do chá pronto para imersão em água quente.

Seiva de bétula
A seiva de bétula é um remédio antigo sazonal usado principalmente na primavera para purificar o corpo após o inverno, a época do ano em que tendemos a comer alimentos mais pesados e a digestão pode se sobrecarregar, repercutindo sobre o fígado.

Recomenda-se tomar uma colher de chá em jejum por 3 semanas seguidas, mas é melhor consultar um médico ou fitoterapeuta para recomendar a dose adequada para cada pessoa.

Suco de Aloe Vera
O suco de Aloe Vera é utilizado na preparação de bebidas depurativas concebidas para promover um trânsito intestinal regular e melhorar as funções digestiva e hepática.

Este suco, juntamente com uma dieta leve, rica em frutas e vegetais, pode ser parte de um programa de desintoxicação que irá beneficiar todo o organismo.

Boldo-do-Chile
Esse é um remédio ótimo para curar o fígado rapidamente. Se você tiver a planta em casa, amasse as folhas em um pilão, coloque em um copo com água e beba.

Outra opção é colocar algumas folhas em uma garrafa d’água, deixá-la na geladeira e ir bebendo aos poucos durante o dia.

Também pode fazer o chá de boldo-do-chile, as folhas secas são fáceis de encontrar no mercado, ou os saquinhos prontos nos supermercados.

Este é o remédio caseiro mais famoso contra males do fígado.

Jurubeba
Falou em jurubeba falou em problema de fígado. Junto com o boldo estar é uma outra planta super conhecida para tratar problemas hepáticos.

Você pode fazer um chá com esta planta levando para ferver 1 litro de água e juntando 2 colheres de sopa da erva picada. Abafe, coe e tome até 3 xícaras ao dia.

Carqueja
Amarga que só ela, e como toda erva amarga, a carqueja é ótima para o fígado, depurativa, desintoxicante e hepatoprotetora.

Fácil de achar nos mercados e supermercados da vida, aqui vai mais esta opção de remédio natural e caseiro para curar males do fígado: coloque um litro de água para ferver, quando estiver quase fervendo, desligue o fogo. Acrescente uma colher de sopa cheia da planta seca, abafe por 10 minutos e beba ao longo do dia.

Exagerou na festa? Veja o que fazer!

Casamento, aniversário, formatura, bodas, Natal e Ano Novo…. quem é que não exagera? Depois das festas, depois de beber e comer como se o mundo fosse acabar, é hora de se purificar, dando particular atenção ao fígado e aos rins.

De acordo com especialistas, chás de ervas e suplementos podem ser pouco se o exagero foi muito. É preciso realmente começar a seguir uma dieta mais leve depois dos comes e bebes, principalmente das festas de fim de ano, quando dias após dias ficamos ali, no exagero.

De acordo com uma associação de nutricionistas italianos, a Andid, as repetidas refeições demasiadamente ricas em gorduras, típicas do período natalício e das festas do Ano Novo, podem exigir demais do nosso fígado e dos nossos rins, irritarem o intestino, mas também aumentarem o colesterol e os triglicérides.

Não se trata portanto somente de perder uns quilinhos a mais, mas de melhorar a própria alimentação para poder se purificar.

Assim, os especialistas recomendam uma dieta saudável baseada em frutas, vegetais e alimentos pouco temperados. A dieta leve deve ainda ser acompanhada de atividade física.

Os especialistas da Andid sugerem de usarmos como tempero apenas o azeite de oliva cru e de reduzirmos, o tanto quanto possível, a gordura para iniciar um período de desintoxicação em que devemos também beber muita água.

Devemos também reduzir os açúcares simples e o consumo das bebidas alcoólicas. Os especialistas aconselham introduzirmos mais grãos integrais e fontes de proteínas vegetais como as leguminosas em vez de comer carnes e queijos.

Sim para os vegetais crus, cozidos em água ou a vapor, e não às verduras fritas ou demasiadamente cozidas com óleo.

Para recuperar o equilíbrio alimentar após as festas então, bastaria considerar estas poucas dicas, seguindo uma dieta mais saudável e fazendo algum movimento físico, inclusive dançando.

Além disso, vários líquidos, desde água, aos chás gelados, passando pelos centrifugados e sucos especiais para ajudar na desintoxicação.

…………………………………………………………………………………….
*Fonte: greenme

Como tirar mofo da parede: 5 soluções práticas e caseiras

Saiba como combater o mofo nas paredes com soluções que você mesmo pode fazer em casa
Por decorfacil – 1 de fevereiro de 2021

O mofo é uma espécie de fungo que se desenvolve por meio de esporos que ficam circulando no ar. Eles encontram ambiente propício para se desenvolver em locais quentes e úmidos onde não há boa circulação de ar ou onde há pouca luminosidade.

Esses fungos podem cobrir diversos tipos de superfícies como móveis, roupas, calçados, livros, objetos de decoração e até mesmo as paredes. E são muitos os motivos que fazem com que as paredes possam ficar cobertas de mofo: vazamentos do encanamento na parte interna ou externa, tubulação de ar condicionado ou excesso de umidade que não foi isolada corretamente.

Riscos para a saúde

O mofo e o bolor (outro tipo de fungo) são grandes inimigos da saúde. Os esporos produzidos por ele se propagam pelo ar e podem agravar casos de asma, causar alergias respiratórias e transmitir bactérias que causam infecções graves.

Idosos, crianças e gestantes sofrem ainda mais ao viver num ambiente que tenha mofo e bolor, pois muitas vezes ele não só agrava problemas já existentes como pode causar problemas mais sérios como pneumonia e anemia severa.

Sintomas como dores de cabeça, fadiga e variações de humor frequentes podem ser sinais de que o mofo está causando problemas de saúde nos moradores da casa. Para evitar esse tipo de situação é preciso acabar com os pontos de mofo tão logo eles surjam.

Como combater o mofo nas paredes

Dependendo da gravidade do problema e da origem do fungo, pode ser que você precise da ajuda de um profissional capacitado. Se eles estiver se formando por conta de um vazamento no encanamento, por exemplo, de nada vai adiantar limpar a parede, pois os pontos de bolor vão voltar com certeza.

Para saber se as manchas que se formaram na parede são realmente causadas por fungos, faça um teste simples: aplique um pouco de alvejante sobre os pontos escuros, se a mancha clarear rapidamente, você tem mofo na parede. Se não clarear, é apenas sujeira.

Se você já sabe que não se trata de uma infiltração ou problema que requeira um ajuste realizado por profissional especializado, então basta seguir as nossas dicas para tirar os pontos de mofo e bolor da sua parede.

Como tirar mofo da parede: materiais necessários

Se o problema estiver localizado em uma área restrita, utilize os seguintes materiais:

Luvas de borracha;
Escova de cerdas duras ou esponja;
Pano úmido;
Balde;
Solução de água e água sanitária.

Passo a passo para limpar os pontos de bolor das paredes

Passo a passo para limpar bolor nas paredes:

Abra bem as janelas para ventilar o ambiente e deixar a luz entrar;
Coloque itens de proteção como luvas de borracha, óculos e máscara, pois a água sanitária tem odor forte e pode causar alergias ou problemas respiratórios;
Dentro do balde faça uma mistura de água com água sanitária, sendo que a proporção deve ser de 1/3 de água sanitária para uma parte de água;
Com a escova ou a esponja espalhe e esfregue a solução na parede sobre os pontos mofados;
Para finalizar, enxágue com um pano úmido e depois seque bem para retirar a umidade;

Outras soluções caseiras

Não é só a água sanitária que é eficaz no combate ao mofo instalado em paredes. Confira os truques caseiros que permitem que você remova as manchas facilmente de qualquer ambiente:

1. Vinagre branco

O vinagre branco é um coringa na limpeza da casa. Tenha sempre um frasco de vinagre na dispensa para eliminar odores e tirar manchas difíceis. Ele tem propriedades antibacterianas e antifúngicas. Coloque um copo de vinagre branco em um borrifador, sem diluir em água e aplique sobre as paredes manchadas. Deixe agir por alguns minutos e depois limpe com um pano úmido. Repita o processo até que todo o mofo tenha sido removido.

2. Água oxigenada

A água oxigenada, por ter propriedades antibacterianas e clareadoras é uma ótima opção para tirar manchas de mofo das paredes. Use o produto sem diluir, aplicando diretamente nos pontos escuros da parede e deixe agir por 15 minutos. Esfregue com uma escova de cerdas duras ou esponja e repita o processo até que todo o mofo tenha sido removido.

3. Álcool

O álcool também é um produto poderoso contra os fungos e você pode usar tanto a versão em líquido quanto em gel. Espalhe uma boa quantidade nas paredes manchadas e deixe agir por 10 minutos. Esfregue com uma esponja ou pano úmido e repita o processo até que toda a parede esteja limpa.

4. Bórax

O bórax é um produto que não emite gases tóxicos e que funciona também como desodorizador, além de ser antifúngico. Misture 2 colheres de sopa de bórax, ¼ de xícara de vinagre e 2 xícaras de água quente em um borrifador e aplique nas áreas afetadas. Esfregue com um pano úmido ou esponja e seque bem a parede.

Em alguns casos limpar não é suficiente. Se o mofo estiver bastante impregnado na parede ou se a tinta estiver descascando, vai ser necessário raspar para remover toda a área afetada, lixar e preparar a parede para uma nova pintura. Nesse caso, use uma tinta com fórmula especial que seja à prova d´água ou anti-mofo para evitar que o problema volte a aparecer.
Cuidados extras

Cuidados extras

Faça sempre a limpeza do mofo assim que você notar o seu aparecimento, pois isso evita que ele aumente e afete uma área maior, gerando riscos à sua saúde e da sua família;
Ao fazer uma das fórmulas caseiras descritas acima, sempre teste a solução de limpeza em uma pequena área para ter certeza de que ela não vai danificar a pintura ou o material da sua parede;
Procure sempre encontrar a origem do mofo antes de limpar, pois é preciso resolver o problema pela raiz ou as manchas vão voltar a aparecer;
Nunca passe tinta diretamente sobre o mofo sem limpar, pois ele vai atravessar a camada de tinta nova e vai manchar a parede novamente.

A limpeza do mofo é essencial para garantir não só a beleza do ambiente em que você mora, mas também para evitar possíveis problemas de saúde em quem vive nesse ambiente, portanto não deixe o problema piorar, ataque o mofo de todas as formas possíveis.

…………………………………………………………………….
*Fonte: decorfacil

5 benefícios de tomar banho de sol

Neste período de isolamento social em casa não podemos esquecer de nos expor aos raios solares. Todos precisam tomar sol pelo menos uns 20 minutinhos todos os dias – crianças, jovens e idosos. Sol é vida, é fonte de energia, é sinônimo de saúde e bem- estar.

Alguns dos benefícios do banho de sol

Fortalece o sistema imunológico
A luz solar ajuda na produção da vitamina D. Hoje a vitamina D é considerada o principal estimulador do sistema imunológico, podendo prevenir várias doenças e fortalecer o organismo. Saiba mais sobre a vitamina D.

Melhora o humor
Quando o corpo recebe a luz solar que chega ao cérebro por meio do nervo óptico, os níveis de serotonina aumentam regulando o humor e gerando a sensação de bem-estar.

Regula o sono
A melatonina, hormônio que regula os ciclos do sono é ativado pela luz solar produzindo um efeito sedativo e sensação de calma e tranquilidade.

Previne a miopia
A iluminação a que estamos expostos a maior parte do tempo é muito fraca. Dentro de casa varia em torno de 50 lux, assistindo TV na sala, e 500 lux, nos escritórios e salas de aula. Para prevenir a miopia, o nível de luminosidade necessária é de 10.000 lux.

Auxilia nas funções cognitivas
Há receptores de vitamina D espalhados por todo o sistema nervoso central e hipocampo. Sabe-se que a luz solar afeta o fluxo sanguíneo no cérebro e este por sua vez interfere nas funções cognitivas.

Dicas de como tomar sol

. Para produzir vitamina D deve-se tomar banho de sol de 15 à 20 minutos por dia, sem usar protetor solar. Para pele morena ou negra, esse tempo deve ser maior, pois quanto mais escura a pele, mais difícil é a produção de vitamina D. Não vale tomar sol através da janela fechada pois a radiação UVB é absorvida pelo vidro.
. Indica-se uma exposição solar de cerca de 30% da superfície do corpo braços, pernas, costas. É aconselhável a proteção do rosto.
. É recomendado tomar sol entre 10h da manhã e 15h da tarde. Este é o período de maior incidência dos raios ultra violeta B que auxiliam na absorção da vitamina D pelo organismo.
. Deve-se evitar a exposição prolongada nos horários mais quentes do dia – das 12h às 15hs. A dica é a seguinte: você deve expor a pele por cerca de metade do tempo necessário para que ela comece a bronzear.
. Lembre-se de beber água, chás, ou sucos após o banho de sol para a reposição de líquidos. Neste momento de tantas incertezas que atravessamos, nada é mais certo e seguro que o sol que nasce a cada dia, trazendo luz e calor.

*Por Ana Lucia Machado

……………………………………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

Contato com a natureza previne ansiedade, depressão e estresse

O agito dos grandes centros urbanos prejudica a saúde física e mental. As poluições sonora, visual e atmosférica somadas ao enclausuramento do dia a dia contribuem com o desencadeamento de problemas pulmonares, cardíacos e emocionais. Diante deste contexto, a ciência vem mostrando que praticar atividades ao ar livre, em contato com a natureza, é o que precisa ser incorporado na rotina das pessoas como forma de tratamento preventivo.

Pesquisadores da Universidade de Chiba, no Japão, reuniram 168 voluntários e colocaram metade para passear em florestas e o grupo restante para andar nos centros urbanos. As pessoas que tiveram contato com a natureza mostraram em geral uma diminuição de 16% no cortisol (hormônio do estresse), 4% na frequência cardíaca e 2% na pressão arterial.

Para o neurologista e psicoterapeuta cognitivo Mário Negrão, é possível notar uma melhora significativa no aparelho digestivo, nas alergias e na resistência à bactérias e infecções, mas o mais importante é a sensação de bem-estar. “Quando você coloca um indivíduo em uma cidade sem muita natureza, você está colocando-o em um ecossistema hostil, onde tudo que o rodeia é artificial. É comprovado que isso gera um impacto imenso na saúde”, relata.

Na Austrália, um estudo produzido na Universidade Deakin mostra que a natureza oferece às pessoas momentos de liberdade e relaxamento, impactando positivamente o estado mental dos indivíduos e reduzindo sintomas de ansiedade e depressão. Na Holanda, pesquisadores do Centro Médico Universitário de Amsterdã constataram que pessoas que vivem próximas da natureza reduzem em 21% as chances de desenvolverem depressão. Os benefícios também envolvem uma melhora na qualidade do sono, no desenvolvimento cognitivo, na imunidade, nos problemas cardíacos e pulmonares, além de uma redução na ansiedade, na tensão muscular e na possibilidade de desenvolver doenças como obesidade e diabetes.

Para a doutora em Ciências Florestais e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, Teresa Magro, a sensação de bem-estar está relacionada também ao que fazemos no ambiente natural. “Só o fato de olhar uma paisagem, fazer um passeio em um parque ou em uma área com menos barulho, já nos dá uma sensação de relaxamento”, afirma.

No país com a mais rica biodiversidade do mundo, o contato com a natureza pode ocorrer em diferentes espaços, como parques, praças, cachoeiras e ambientes costeiros e marinhos. “Os benefícios fornecidos pela natureza – como ar puro, água, regulação microclimática, redução de partículas poluentes, relaxamento mental e físico, entre outros – e sua conexão com a saúde das pessoas devem ser vistos pela sociedade e pelo poder público como uma prioridade. Ter espaços verdes acessíveis e bem cuidados próximos da população estimula a visitação e a prática de atividades, o que resulta em indivíduos mais relaxados e produtivos”, completa a gerente de Conservação da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Leide Takahashi.

Sobre a Rede de Especialistas

A Rede de Especialistas de Conservação da Natureza é uma reunião de profissionais, de referência nacional e internacional, que atuam em áreas relacionadas à proteção da biodiversidade e assuntos correlatos, com o objetivo de estimular a divulgação de posicionamentos em defesa da conservação da natureza brasileira. A Rede foi constituída em 2014, por iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

………………………………………………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

No Dia Mundial da Água – 9 dicas para economizar água em casa

A Organização das Nações Unidas estima que cada pessoa precise de cerca de 110 litros de água por dia para as necessidades básicas de consumo e higiene. Mas, muitas pessoas não têm acesso a este recursos essencial à vida e, quem tem, nem sempre usa com sabedoria.

No Brasil, um país em que a desigualdade no acesso a água também é enorme, o consumo médio chega a 200 litros ao dia por pessoa, mostrando que em muitos lugares é possível poupar água, sem abrir mão da qualidade de vida.

Separamos algumas dicas de como é possível economizar este recurso tão precioso em diferentes situações e lugares da nossa vida doméstica.

Tomar banho
O banho pode ser rápido. Em cinco minutos dá para limpar bem o corpo. A economia é ainda maior se, ao se ensaboar, você fechar o registro.

Banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se você fechar o registro ao se ensaboar, e reduzir o tempo do banho para 5 minutos, seu consumo cai para 45 litros. A redução é de 90 litros de água, o equivalente a 360 copos de água com 250 ml.
Cantar no chuveiro? Só se for uma música bem curtinha, enquanto ensaboa ou com a água desligada.

Escovar os dentes
Feche a torneira enquanto estiver escovando os dentes. Aquela não é usada e água não precisa ir para o ralo. Calcula-se que em 5 minutos com a torneira não muito aberta, são gastos 12 litros de água. Se usar a água apenas para molhar a escova e enxaguar a boca, o consumo cai para meio litro.

Lavar o rosto e barbear
Ao lavar o rosto em 1 minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros de água. A dica é não demorar! O mesmo vale para o barbear: em 5 minutos gastam-se 12 litros de água. Com economia, o consumo cai para 2 a 3 litros. A redução é de 10 litros de água, suficiente para manter-se hidratado por pelo menos 5 dias!

Dar descarga
Muitas das oportunidades de economia de água estão no banheiro. Foto: Pixabay

Nunca use o vaso sanitário como lixo. Cada vez que acionamos a descarga, usamos muita água. Não jogar o papel higiênico no vaso é outra dica que ajuda a evitar o uso de mais água ou possíveis entupimentos.Em apenas 6 segundos, um vaso sanitário com válvula acionada gasta 12 litros de água e esse volume pode chegar a 30 litros se a válvula estiver com problemas. Manter a válvula regulada e prestar atenção em possíveis vazamentos são outros cuidados importantes.

Alternativas mais sustentáveis
Já estão no mercado vasos sanitários que gastam 6 litros de água por descarga, e opções com caixas acopladas que gastam entre 3 e 6 litros por descarga, dependendo da finalidade de sua utilização. O gasto na substituição do modelo convencional por estas alternativas acaba sendo compensado pela redução no consumo e conta de água.

Lavar a louça
Com um guardanapo ou papel absorvente, limpe os restos de comida da louça e panelas. Depois molhe as peças e lave com água e sabão ou detergente. Outro hábito importante é ensaboar tudo o que vai ser lavado para só depois abrir a torneira de novo e começar a enxaguar.

Numa casa, lavando louça com a torneira meio aberta, em 15 minutos são utilizados 117 litros de água. Com o modo de lavar indicado acima, o consumo pode chegar a 20 litros – redução de 97 litros de água. Para quem tem máquina de lavar louça a dica é usar só quando ela estiver cheia.

Limpar alimentos
alface Para lavar alimentos, deixe de molho em potes ou até baldes.

Na higienização de frutas e verduras deve-se deixá-las durante 15 minutos numa vasilha com água e cloro, ou água sanitária de uso geral, na proporção de uma colher de sopa desses produtos para um litro de água. Depois, as frutas e verduras devem ser deixadas durante 10 minutos numa vasilha com vinagre, na proporção de duas colheres de sopa de vinagre para um litro de água.

Ao invés de usar água corrente. Separe potes e vasilhas grandes para fazer estes molhos em água. Dessa maneira dá para limpar bem os alimentos e economizar o máximo de água possível.

Lavar roupas
Junte bastante roupa suja e não ligue a máquina para lavar poucas peças. Quem lava roupa no tanque, deve deixar as roupas de molho e usar a mesma água para esfregar e ensaboar – água nova só para o enxague. Dá ainda para reaproveitar a água da roupa para limpar o quintal ou a área de serviço.

No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. A máquina de lavar roupa com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros por lavagem. O ideal é usá-la somente com a capacidade total.

Cuidar do jardim
Para molhar as plantas, prefira o regador ao invés da mangueira. Molhar as plantas durante 10 minutos com a mangueira pode consumir até 186 litros. Para economizar, a rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã. Quando precisar usar a mangueira, pode optar pelo esguicho-revólver, que ajuda a economizar cerca de 96 litros por dia.
O uso do regador economiza e ajuda a dosar a quantidade de água em cada planta.

Limpar a calçada e o carro
Não faz sentido usar a mangueira e desperdiçar água para limpar a calçada se dá para varrer e não gastar nenhum litro. O mesmo vale para o quintal. Em 15 minutos de mangueira ligada para lavar a calçada, são desperdiçados 279 litros de água. Mesmo quando for preciso usar água para lavar partes mais sujas, antes varra toda a sujeira que puder. Se houver uma sujeira localizada, use a técnica do pano umedecido com água de enxágue da roupa ou da louça.

O carro não deve ser lavado em épocas de estiagem, meses do ano m que chove menos. Na época das chuvas, se necessário, use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira.

*Por Natasha Olsen

……………………………………………………………………………………………..
*Fonte: ciclovivo

Tomar sol no quarto, com janela aberta, é suficiente para repor vitamina D

Com recordes diários de mortes por Covid, diversas cidades brasileiras voltaram a aplicar medidas restritivas. A dica de especialistas para este momento é manter a exposição solar: tomar sol no quarto, com a janela aberta ou em uma área aberta do condomínio ou quintal, já irá repor esta vitamina tão importante para o corpo.

Apesar de estar presente em alguns alimentos, de 80% a 90% da produção de vitamina D é obtida a partir da exposição solar, pois os raios ultravioleta ativam sua produção. O médico Arnaldo Lichtenstein, diretor técnico do Serviço de Clínica Geral do Hospital das Clínicas, explica que “10 minutos diários de exposição ao sol são o suficiente para uma pessoa de pele clara, e não do corpo inteiro, só uma parte, como braços ou colo. Não se deve usar o protetor solar ou ter o bloqueio de uma janela de vidro.” Importante ressaltar que quanto mais escura a pele, mais difícil é a produção de vitamina D – por isso o tempo de exposição deve ser maior.

Confira: 5 benefícios de tomar banho de sol.

País solar

A localização geográfica da população também contribui para que as pessoas tenham mais ou menos oportunidades de ativar a produção da vitamina. Os brasileiros são privilegiados, uma vez que moram em um país tropical, onde há sol durante todo o ano, em maior ou menor intensidade.

Lichtenstein explica que “o nível de vitamina D varia conforme a época do ano e onde você está. Quem mora em países da América do Norte ou da Europa do Norte, durante o inverno, não tem exposição solar”. Ele também explica que “repor a vitamina D, simplesmente por repor, não tem grandes implicações médicas. Não vale a pena e o excesso ingerido por complexos vitamínicos é eliminado do corpo”.

*Por Marcia Sousa

……………………………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

Como limpar seus discos de vinil? Veja soluções!

Além de prestar atenção na hora de escolher o toca-discos que vai reproduzir as suas canções preferidas, o cuidado ao guardar os discos é essencial. Afinal, para que você possa ouvir plenamente cada uma das obras enfileiradas na sua estante, elas precisam estar limpas. A poeira acumulada, além de dificultar a experiência de ouvir o disco sem que as faixas “pulem”, também aumenta a pressão no braço do toca-discos — e isso impacta a vida útil do produto que você, com certeza, investiu um dinheiro para comprar.

Por isso, ao longo dos anos, vários métodos, que prometem milagrosamente resolver o problema, foram inventados: desde lavar o disco com álcool — o que pode deixá-lo ressecado e frágil — até arriscar a limpeza com cola de madeira. A última técnica, embora seja muito arriscada, tem seus seguidores. Mas, para longe das polêmicas e teorias, a Noize se concentrou em separar apenas as formas mais eficazes de lavar o seu disco, sem prejudicá-lo futuramente. Colecionadores, podem comemorar!

Primeiramente, antes de qualquer coisa, sempre limpe a poeira dos LPs usando uma escova de fibra de carbono. Caso esse cuidado não seja feito, há risco do pó entrar ainda mais nas ranhuras do disco quando a limpeza úmida for realizada. Com a escova nas mãos, retire a poeira que possa estar presente na superfície do disco — e também do toca-discos — todas as vezes em que ele for reproduzido. Antes e depois. Assim, o acúmulo de poeira é reduzido e isso mantém a vida útil dos produtos.

Depois de retirar o excesso, o método mais eficaz é a utilização de uma máquina de limpeza. Apesar de serem caras, os valores podem variar entre R$120 a R$990, as máquinas sugam toda a sujeira, não fazem barulho, e economizam muito tempo para quem tem grandes coleções. Mais um investimento (que vale muito a pena) na conta.

Agora, a técnica mais simples e prática de todas: detergente neutro de lavar louça e água fria. Em uma bacia plástica, coloque os dois componentes e mexa bem. Na sequência, molhe o LP com a mistura (com cuidado para que o rótulo não molhe) por alguns minutos. Depois, com as mãos bem limpas, esfregue suavemente o disco no sentido horário, do exterior para o meio. Na hora do enxague, coloque o disco delicadamente sob água abundante para que todos os resíduos de detergente sejam retirados, ainda com atenção ao rótulo. Para secar, o deixe em um aparador de plástico na sombra. Sem esquecer que o detergente precisa ser neutro devido ao corante, adicionais de cheiro e aditivos químicos presente nos outros produtos disponíveis no mercado.

Outro método que funciona — mas é bastante popular em outro ramo, o das joalherias —, é a limpeza ultrassônica. Com ondas sonoras de pressão em alta frequência, mini bolhas de líquido se formam e ajudam suavemente a limpar toda a sujeira presente na superfície dos LPs. Ainda que não seja tão acessível quanto uma escova de fibra de carbono ou água fria e detergente neutro, a técnica segue como uma opção que cumpre perfeitamente a limpeza.

*Por Nicolle Cabral

…………………………………………………………………………..
*Fonte: noize