7 maneiras de acabar com qualquer argumento rapidamente

Há quem acredite que quando duas pessoas se amam, esse relacionamento não vai ter momentos difíceis na qual os dois brigarão e surgirão argumentos. Infelizmente, isso não é verdade. O fato é que, passar seus dias com outra pessoa, nunca é uma tarefa fácil e discussões e conflitos são coisas que acontecem naturalmente.

A verdade é que o amor traz intensidade em praticamente todos os sentimentos. E entender o porquê das brigas acontecerem pode ajudar o casal a evitá-las e saber o que fazer quando elas surgirem. Estar junto com uma pessoa pode ser uma das coisas mais maravilhosas do mundo, mas desde que lembrando que nada é perfeito. Muitos casais brigam frequentemente, arrumam confusão por coisas desnecessárias e às vezes acabam falando coisas que não deveriam. É preciso ter muita paciência e compreensão para conseguir viver com uma pessoa e não brigar com ela.

Mas também para um relacionamento ser bom, ele precisa de algumas discussões. Quem foi que disse que um relacionamento perfeito não tem brigas? Não que isso precise ser uma regra universal, mas todo relacionamento tem suas desavenças, e às vezes, é até necessário. Pode ser que uma briguinha até faça bem, principalmente para matar aquela saudade gostosa na reconciliação.

O que não se pode deixar acontecer, ou pelo menos deve-se tentar evitar, é que esses argumentos entre as duas partes durem muito. O prolongamento de uma discussão pode levar a um resultado bastante ruim. Por isso, resolvemos mostrar aqui como resolver conflitos para que nenhuma das partes se arrependa depois das coisas que foram ditas.

1 – Não critique

Críticas em geral já não são muito bem vistas, ainda mais se elas não tiverem nenhum propósito construtivo. E criticar a personalidade do seu parceiro, irá apenas deixar a situação ainda pior. Não insulte o seu parceiro, ao invés disso, fale a ele das coisas que te incomodam.

2 – Não desconsidere sentimentos

Guardar coisas para nós mesmos sempre é ruim. A outra pessoa não é capaz de adivinhar o que você está sentindo se não for falado a ela. Então, fale com seu parceiro sobre os seus sentimentos e mostre também interesse em saber como ele está emocionalmente.

3 – Não crie paranoias

Nossa mente é capaz de criar os mais variados cenários, que muitas das vezes podem não ser o cenário real. Acreditar que o seu parceiro está mais feliz quando está longe de você, não é um comportamento saudável. Além de poder desencadear uma briga futuramente. É sempre bom esclarecer com o parceiro as suas dúvidas.

4 – Não se sinta superior

Em uma relação, é preciso entender que vocês estão no mesmo barco e caminhando juntos. Nenhum está acima do outro ou é mais importante que o outro. Se você se demonstrar superior ao seu parceiro, ele não se sentirá bom o suficiente para você. Trabalhem na solução do problema em conjunto.

5 – Não procure culpar alguém

Em uma briga ou situação que não está boa, sempre procuramos alguém para culpar. Mas debater quem é culpado é uma coisa desnecessária, visto que a situação já aconteceu. Gaste seu tempo procurando soluções para sair daquela situação ruim e não tentando achar como você chegou nela.

6 – Não reviva brigas

Na hora da briga, uma das piores coisas a se fazer é trazer de volta brigas antigas, As situações do passado não mudarão, elas só trarão mais uma discussão à tona. O melhor a se fazer é se discutir o que está incomodando no momento. E depois que ela for resolvida, não retome a discussão.

7 – Outro ponto de vista

Toda a história tem dois lados, dois pontos de vista. São duas pessoas envolvidas no relacionamento e ter uma flexibilidade é melhor na hora da discussão. Os argumentos virão dos dois lados e saber ponderá-los é o que vai fazer a discussão ir embora mais rápido.

*Por Bruno Dias

 

……………………………………………………………
*Fonte: fatosdesconhecidos

Não existe o que não podemos discutir, mas existem pessoas com quem não devemos discutir

Não há quem não sinta dificuldade em conversar sobre assuntos vários, sem que seja contrariado de forma agressiva ou sarcástica. Isso tanto em rodas de amigos quanto nas redes sociais. Muitas pessoas querem defender suas opiniões a qualquer custo, qualquer mesmo, não se importando minimamente com os sentimentos alheios, ou com a fundamentação que utilizam para sustentar o que pregam.

Opinar sobre determinadas questões requer um conhecimento mínimo do assunto. O setor educacional, por exemplo, é bombardeado por recomendações e críticas de pessoas que nunca leram um texto pedagógico na vida. Lembremos o que recentes questionamentos à necessidade de vacinação provocaram, entre muitos outros exemplos de intromissão desnecessária em questões importantes. Opiniões leigas são admissíveis em conversas de botequim; na vida real e prática, podem ser um perigo.

Além disso, é preciso ter a consciência de que, quando se emitem pontos de vista, eles nunca serão unanimidade e, por isso mesmo, encontrarão discordâncias pelo caminho. A discordância é saudável, afinal, quando conhecemos outros lados, outras visões de mundo, poderemos ampliar e melhorar ainda mais nosso entendimento, reelaborando o que sentimos e como sentimos a vida. É no confronto que crescemos, deixando de lado o que não serve e abraçando o novo, o mais coerente.

No entanto, mesmo que seja difícil haver discussões sem alguma manifestação mais efusiva, pois o calor das emoções se eleva muito nessas horas, o respeito, sobretudo, deverá permanecer. Não podemos levar para o lado pessoal questões que tratam de assuntos lá de fora, tampouco deveremos nos sentir ofendidos por discordarem de nós. A forma como reagimos quando somos contrariados e a forma como o outro reage quando discorda de nós revelam a educação – e, muitas vezes, o caráter – de ambas as partes.

Cabe-nos, enfim, evitar entrar em discussões sem serventia, com pessoas que não ouvem ninguém além de si próprias. Nosso tempo é precioso demais para gastá-lo com o que não acrescenta, não enriquece, não leva a lugar algum. Tempo não se acha no lixo. Portanto, não existem assuntos que não podem ser discutidos, mas existem pessoas com quem não devemos discutir. Jamais.

*Por Marcel Camargo

………………………………………………………….
*Fonte: revistapazes

Quem discute muito para provar sua sabedoria demonstra sua ignorância

Quem discute muito tentando provar sua sabedoria ou sua verdade universal, na maior parte das vezes só demonstra a sua ignorância. Porque inteligente não é quem ganha as discussões, inteligente é quem não as provoca e quem, por sua vez, sabe a hora de se afastar quando toma consciência de que há batalhas que não valem a pena.

Portanto, fica claro que a arte de discutir tem muito a ver com a própria personalidade. Além disso, a maneira através da qual nós realizamos este processo também se relaciona com a educação recebida e com as dinâmicas familiares em que crescemos. Nestes micro-universos tão variados e ao mesmo tempo complexos, muitas vezes as pessoas acabam integrando a crença de que quem grita mais alto é quem leva a razão.

“Conserve a calma nas discussões, porque se exaltar pode converter o erro em culpa e a verdade em falta de cortesia.”
-Herbert Spencer-

Quem discute, poucas vezes o faz para mostrar posições diferentes. A pessoa procura desarmar, ouve para responder e não para entender, ampliando, assim, mal-entendidos até criar um ambiente marcado de negatividade e tensões. Se desde crianças vimos nossos pais protagonizarem verdadeiras disputas baseadas apenas na troca de rancores, entenderemos por que este tipo de dinâmica se cristaliza de geração em geração.

Sem dúvida não há ninguém para nos apresentar à arte das boas discussões. Tudo isso faz com que não seja nada fácil gerir essas situações se a pessoa diante de nós é o nosso parceiro ou um familiar próximo. Porque quanto maior for a proximidade emocional, maiores serão os efeitos colaterais e mais nocivos serão os arsenais de repreensão.

A teoria dos 5% nas discussões entre casais

Todos sabemos que as discussões mais complexas são as que ocorrem entre os casais. É um cenário complicado, amargo e intenso onde as emoções ficam à flor da pele. Apesar disso, a obstinação de impor o nosso ponto de vista ao mesmo tempo em que sentimos a necessidade – um tanto desesperada – de sermos compreendidos, faz com que os nossos argumentos não sejam sempre tão claros ou construtivos como gostaríamos que fossem.

Na terapia de casais existe uma teoria que nunca falha no que se refere a discussões. É a regra dos 5%. Dentro de todo esse emaranhado de tensões e diferenças desmedidas existe sempre um pequeno canto em que podemos confluir. Reconhecer esses 5% onde ambos estamos de acordo não significa em absoluto que devemos abandonar a nossa posição em relação aos outros 95%.

É, por assim dizer, uma “ilha de refúgio”, onde o casal pode se sentar para chegar a acordos. Não podemos esquecer que o objetivo final nas nossas discussões com o nosso parceiro não é “ganhar”, mas sim “construir”. Algo que só pode ser realizado através de uma inteligência emocional adequada, do respeito e do princípio da reciprocidade.

“Eu tenho consciência de que as nossas dificuldades financeiras preocupam a nós os dois, mas acho que você deveria compartilhar comigo os seus pensamentos e não se fechar dessa forma. Seu isolamento me deixa de mau humor, e você também acaba ficando. Ambos alimentamos um círculo vicioso que tem que terminar”.

 

Quem discute para ter razão perde tudo

Certamente alguma vez você já agitou uma garrafa de refrigerante. Quando retiramos a tampa, o líquido do interior vai estourar, derramando tudo. É exatamente isso que acontece nessas discussões acaloradas, onde em apenas cinco segundos podemos perder tudo. Nos deixarmos levar por um momento de raiva pode nos custar uma vida de arrependimento.

As emoções são como o refrigerante. Se as retemos um dia após o outro ao beber e calar, ao baixar o rosto e engolir, chegará o dia em que, simplesmente, iremos explodir no pior momento. Reagir a algo no mesmo segundo traz efeitos colaterais. Calar-se e aguentar também não é uma boa opção.

Propomos que você reflita a seguir sobre as estratégias que podemos utilizar para gerir um pouco melhor as nossas discussões.

A arte de discutir com serenidade e inteligência

Uma pessoa pode tentar manter a calma e dizer aquilo que não vale a pena dizer. No entanto, todos temos um “botão de alarme” que gere o nosso sistema límbico. Trata-se de uma estrutura cerebral que rege a nossa essência mais instintiva e nos sussurra a mensagem “reaja, você está diante de uma ameaça”.

A chave para discutir com inteligência é não permitir que nos levem até essa fase. Devemos evitar essa etapa em que a nossa vontade fica sob as rédeas do sistema límbico. Porque é o momento em que vai surgir a raiva, o desespero e a falta de controle.

Não deixe que as discussões fiquem acaloradas. Alargue os tempos de resposta, visualize uma sala de luz branca e serena onde pode entrar de vez em quando para tomar distância, para continuar vendo as coisas com clareza.

No momento em que deixam de existir argumentos válidos para dar lugar às queixas, é hora de parar. Nesta fase, toda a discussão deixa de ter sentido para se transformar em um campo de batalha.

Quem discute com calma, inteligência e construtividade esconde, na verdade, toda uma aprendizagem prévia. É alguém que gere as suas emoções e que, acima de tudo, tem um bom autoconhecimento e uma plena segurança na sua pessoa.

Sabemos que no nosso idioma a palavra “discutir” tem uma conotação negativa. No entanto, há discussões que vale a pena ter se com elas, mediante o respeito e a atenção, for possível chegar a acordos. Algo assim só é possível se ambas as partes investirem em um aspecto essencial: a boa vontade.

……………………………………………………………..
*Fonte: psicologiasdobrasil

5 expressões para cortar uma discussão pela raiz

Enquanto alguns consideram que “a discussão é a morte do diálogo”, como é o caso de Emil Ludwig, outros acreditam que não apenas é inevitável, mas que também pode ser positiva. Será verdade? Vamos tentar encontrar as respostas.

O professor Javier Escrivá Ivars, diretor do Mestrado em Casamento e Família da Universidade de Navarra e docente da Universidade de Valencia, na Espanha, considera que discutir é bom, mas brigar é destrutivo. Isto é, na discussão não deveríamos quebrar certas leis, se não quisermos que a troca de opiniões se transforme em algo destrutivo. E para isso, existem frases que podem ser muito úteis.

“Às vezes o confronto é necessário, e eu gosto disso.”
-Louis Bourgeois-

Expressões que podem cortar uma discussão pela raiz

A seguir, apresentamos uma série de expressões que podem cortar uma discussão pela raiz, antes que se transforme em uma briga. Mas, evidentemente, não são varinhas mágicas. Portanto, não se esqueça, se a conversa esquentar, como diz o professor Escrivá Ivars, procure colocar um ponto a mais de humildade e generosidade, e não se esqueça da empatia. São ferramentas indispensáveis se você deseja melhorar a sua vida, seu convívio e suas discussões. Caso contrário, uma conversa inicialmente tranquila pode se transformar em um inferno.

 

“Você tem razão no que diz…”

Esta é uma frase que expressa a capacidade individual de reconhecer pontos em comum com a outra pessoa. Assim, durante uma discussão, no momento em que surgir um conflito, não estaremos potencializando o distanciamento, e sim o acordo.

De qualquer forma, recomendo que você só use esta frase quando realmente estiver de acordo com o que irá destacar a seguir. Como diz Escrivá, não atire feito maluco para ver se você acerta, pois dessa forma não surtirá efeito, ou pelo menos não o efeito desejado. Cheque se você realmente concorda com os argumentos que aponta e aceite humildemente seus erros para encontrar pontos de concordância verdadeiros.

“Me sinto (assim) quando você diz isso…”

A maior parte das discussões que temos em nossas vidas acontece com pessoas próximas. Sendo assim, e pela importância que têm para nós, estes momentos de falta de entendimento produzem inquietude e sentimentos opostos. Por que não dizer isso com toda a sinceridade?

Durante uma discussão é importante dizer para o outro como nos sentimos. Se alguma coisa machuca e dói daquilo que ouvimos, é preciso comunicar isso para conversar de forma positiva e não deixar que o assunto saia de controle.

Esta declaração durante uma discussão nos permite ser responsáveis e conscientes do nosso estado emocional. Contudo, é preciso cuidar para não responsabilizar as outras partes. É possível expressar o mal-estar sem aprofundar naquilo que cria distância.

“Sinto muito se isso o incomodou. Me diga como você se sente para que eu possa compreendê-lo melhor…”

Outra frase que pode ser um ponto de inflexão em uma discussão. Talvez a posição do seu interlocutor lhe pareça absurda, mas se você começar a ridicularizá-lo, por exemplo, fará mais mal do que bem.

Por outro lado, se você tentar criar empatia e racionalizar os sentimentos da pessoa com quem está discutindo, talvez visualize um pano de fundo que antes não enxergava. Assim, você pode analisar a situação com mais profundidade e entender perfeitamente o que está acontecendo, onde surge o mal-estar e como encontrar soluções em comum.

“Lembre-se de que cada discussão tem pelo menos três pontos de vista: o seu, o do outro, e o das outras pessoas.”
-Napoleón Hill-

“Por que não procuramos nos apoiar?”

Outra expressão útil em cenários de discussão. Às vezes é melhor priorizar os pontos em comum e deixar de lado as diferenças. Desta forma, o seu interlocutor percebe que você é uma pessoa sincera que na verdade busca um entendimento, não uma briga.

Neste caso mostra-se bom ânimo por ser positivo e não por insistir nos pontos que separam aqueles que discutem. De fato, esta expressão é muito útil para transformar uma briga verbal em um relacionamento cooperativo.

“Errei e sou muito consciente disso”

Não existe a pessoa perfeita. Assim, como seres imperfeitos que somos, todos erramos. Sem dúvida, uma discussão é o momento ideal para reconhecê-lo, especialmente se temos parte da culpa da situação que se gerou.

Assim, a melhor coisa a fazer é usar a sinceridade e a humildade, não há dúvida de que a outra pessoa agradecerá. Contudo, não é fácil reconhecer os erros, pior ainda em momentos muito fervorosos. Contudo, o resultado fará o esforço valer a pena.

O seu companheiro ou a sua família estão em constante discussão? Você não gosta de discutir ou acha que poderia tornar o relacionamento mais leve? Ouse colocar em prática estas frases, mas faça-o de verdade, com o coração. Certamente, com o tempo e a prática, a sua situação irá melhorar.

 

……………………………………………………………….
*Fonte: amenteemaravilhosa