Jimmy Page promete que documentário do Led Zeppelin vai “tocar corações”

O documentário que conta a história do Led Zeppelin, Becoming Led Zeppelin, estreou no último sábado (4) no Festival de Veneza, na Itália.

De acordo com o guitarrista Jimmy Page, que participou da première, o filme dirigido por Bernard MacMahon foi aclamado pela crítica e público. Em postagem no Instagram feita nesta quinta-feira (9), o lendário músico escreveu:

Recentemente, retornei do Festival de Cinema de Veneza, onde a estreia mundial de ‘Becoming Led Zeppelin’ foi realizada. Com Bernard MacMahon (o diretor), Allison McGourty (produtora do filme) e acompanhados por Scarlett Sabet, estávamos prestes a sentir o feedback do documentário.

Antes da exibição, segundo Page, houve uma recepção muito carinhosa. Conforme o tempo passou, o carinho virou aplauso, ele relata:

O público deu tanto carinho antes da exibição, foi muito impressionante. À medida que o filme avançava, o entusiasmo se intensificou e algumas sequências foram seguidas de aplausos. O público estava muito conectado e foi interessante testemunhar a comunicação e o entusiasmo que o evento e o filme estavam gerando. Após os créditos finais, o público se levantou e nos deu outra ovação de pé, um agradecimento que não consigo expressar em palavras, mas, cara, eu senti.

Para Jimmy, a imprensa mundial também se mostrou muito receptiva ao documentário:

Eles tiveram uma exibição privada, então, as perguntas eram totalmente relativas ao documentário. O filme claramente tocou os corações do público e da crítica. Obrigado ao Festival de Cinema de Veneza. Obrigado aos fãs. Obrigado por seu apoio leal ao longo dos anos. Só aguardando agora o anúncio do lançamento oficial do filme e o dia em que todos poderemos ver ‘Becoming Led Zeppelin’.

No Twitter, Page postou um vídeo mostrando toda a plateia de pé e aplaudindo a exibição, como você pode ver ao final da matéria. Aí sim, hein?

Led Zeppelin nunca havia autorizado um filme sobre a banda
Esta é a primeira vez em 50 anos que o Led Zeppelin aceita participar de um documentário, dando a MacMahon “acesso irrestrito” para buscar quaisquer materiais.

Além disso, novas entrevistas foram concedidas por Jimmy Page, Robert Plant e John Paul Jones. Também foram disponibilizados arquivos raros com entrevistas do saudoso John Bonham, falecido em 1980.

Becoming Led Zeppelin ainda não ganhou uma data de estreia em circuito comercial, mas esperamos poder conferir em breve!

>> Confira aqui o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=kCCvmdKs7Vo


*Por Gabriel Von Borell

…………………………………………………………………………………………………..
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

Amy Winehouse ganhará cinebiografia sobre últimos dias de vida

Amy Winehouse ganhará uma cinebiografia em breve. De acordo com o site The Hollywood Reporter, a produção será inspirada no livro Saving Amy (2010), da jornalista Daphne Barak.

A obra é baseada em mais de 40 horas de filmagens, fotos exclusivas e notas que Barak acumulou nos últimos três
anos de vida de Winehouse. A cantora morreu de intoxicação alcoólica em julho de 2011, aos 27 anos.

“Nossa equipe está honrada em trabalhar neste projeto”, disse David Ellender, CEO do Halcyon Studio, responsável pelo filme. “Embora a carreira tenha sido muito curta, Amy foi a voz de uma geração e estamos ansiosos para contar sua história da maneira mais comovente possível”, continuou.


*Por Marcos Chapeleta

……………………………………………………………………………………..
*Fonte: ligadoamusica

Documentário Descarte está disponível gratuitamente

Em comemoração ao Mês do Meio Ambiente, o documentário Descarte estará disponível para acesso gratuito e online até o dia 12 de junho, próximo domingo. O filme de Leonardo Brant retrata o drama social do lixo, apresentado a partir de histórias inspiradoras de artistas, designers, artesãos e ativistas que transformam materiais recicláveis com inovação e sensibilidade.

O projeto compreende, além do filme, produção de reportagens, conteúdos digitais e uma ação mobilizadora sobre a questão do lixo no Brasil. O objetivo é deixar um legado conteúdos que vão além do filme e buscam um diálogo aprofundado e constante sobre sete temas relacionados à problemática do lixo no Brasil:

Lixo ou Resíduo?
PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos)
Lixões
Catadores
Logística Reversa
Economia Circular
Lixo Zero

Debate e parceria
Em parceria com a Deusdará Filmes, o Instituto Estre, além de disponibilizar o documentário, vai promover uma conversa com o diretor Leonardo Brant sobre a gestão de resíduos no Brasil.

A live acontece no dia 9 de junho, quarta-feira, às 19h no Instagram do Instituto Estre: @institutoestre.

Para inscrever e ter acesso ao documentário, clique aqui. Após preencher o formulário, você será direcionado/a à página onde encontrará o link e à senha de acesso para o filme.

Chorão: Marginal Alado, documentário sobre a vida e carreira de Chorão, saudoso líder do Charlie Brown Jr., acaba de ganhar seu primeiro trailer.

Com estreia marcada para o dia 8 de abril, o filme narra a trajetória do músico por meio de imagens inéditas e depoimentos de amigos, familiares, funcionários e até mesmo desafetos. Entre as entrevistas estão depoimentos de João Gordo, Marcelo Nova, Zeca Baleiro, Serginho Groisman e Champignon, ex-companheiro de banda.

O documentário é resultado de seis anos de pesquisa e mergulha em todo o acervo familiar de Chorão: “Entreguei 600 horas de material audiovisual bruto para os produtores do documentário com imagens dos shows, as viagens, a banda na estrada, nos camarins, os ensaios, as brigas e brincadeiras”, conta Alexandre Abrão, filho do músico.

Chorão: Marginal Alado venceu em 2019 o prêmio de melhor documentário na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (AQUI). A produção ganhará lançamento simultâneo nos cinemas e nas plataformas NOW, Google Play, Apple TV, Vivo Play, Looke e YouTube.

……………………………………………………………………..
*Fonte: 89radiorock

‘Fake Famous’ explora o mundo dos influenciadores por meio da experiência social

“Mais do que qualquer outra ocupação na Terra, as crianças dizem que querem ser influenciadores famosos”, assim começa o trailer de do novo documentário da HBO.

O filme, dirigido pelo jornalista de tecnologia e correspondente da Vanity Fair, Nick Bilton, explora o culto das celebridades online e das redes sociais por meio de um experimento social. No documentário, três pessoas com poucos seguidores nas redes são escolhidas para se tornarem influenciadores famosos.

Para torná-los “falsos famosos”, uma equipe os ajuda a comprar seguidores e contratar bots para curtir e comentar suas postagens. Eles produzem fotos para parecer que foram tiradas em outro lugar (geralmente mais exótico) e posam em cenários falsos. “O que as pessoas percebem é que na maioria das vezes não é real”, diz uma das fontes especializadas do filme no trailer.

No clipe, vemos o experimento social ganhar força, à medida que as pessoas escolhidas para ser “falsamente famosas” desfrutam de todas as vantagens de ser um influenciador, incluindo ser convidado para eventos de prestígio e ganhar freebies. No entanto, também vemos a luta que inevitavelmente vem com isso – estresse, dissociação e mal-estar – revelando o quão artificiais podem ser os bastidores da vida do influenciador.

No final do trailer, um dos sujeitos está sentado em um cenário feito para parecer um jato particular: “Há tanta coisa que se passa em retratar algo que não está realmente lá”, diz ele. “É um circo completo.”

Fake Famous, estreia na HBO Max e na HBO em 2 de fevereiro.

*Por Julio Moraes

………………………………………………………………………………
*Fonte: updateordie

Filha de Paul McCartney irá dirigir documentário sobre o lendário Abbey Road

Mary McCartney, filha de Paul McCartney, está escalada para um projeto mais do que especial envolvendo o Abbey Road Studios.

A fotógrafa e diretora irá comandar o documentário If These Walls Could Sing (“Se Essas Paredes Pudessem Cantar”) sobre o lendário estúdio que ganhou esse status quase divino ainda na época dos Beatles e segue até hoje como um dos maiores nomes do mundo quando o assunto é música.

O longa será o primeiro do tipo sobre o local e vem com produção de John Battsek (Eric Clapton: Life in 12 Bars) e do Mercury Studios. A CEO do Mercury, Alice Webb, explicou a empolgação de trabalhar com McCartney e Battsek:

O Mercury Studios não podia estar fazendo uma parceria com uma equipe mais apaixonada e visionária do que Mary McCartney e John Battsek para contar a incrível história do Abbey Road Studios em filme pela primeira vez.

Somos apaixonados pela ideia de exibir o trabalho de diretores pioneiros da maior qualidade — é por esse motivo que estamos muito felizes por Mary estar trazendo sua visão criativa a esse projeto.

Já Isabel Garvey, diretora de administração do Abbey Road Studios, deu um gostinho do que vem por aí:

Se essas paredes pudessem cantar. Eu já perdi as contas de quantas vezes eu ouvi isso ser dito no Abbey Road Studios ao longo dos anos. Eu mal posso esperar para que algumas dessas histórias finalmente ganhem vida no que será um documentário atemporal.

Mary McCartney e o Abbey Road

Por fim, claro que não poderia faltar um relato de Mary sobre a sua ligação bem íntima com o estúdio — ela nasceu em Agosto de 1969, poucos dias depois dos Beatles gravarem o disco que levou o nome do local, e naturalmente visitou o Abbey Road diversas vezes com seu pai nos seus primeiros anos de vida:

Algumas das minhas primeiras memórias como uma jovem criança vêm de tempo que passei no Abbey Road. Eu há tempos queria contar a história desse lugar histórico e não poderia estar colaborando com uma equipe melhor do que John e o Mercury Studios para transformar essa ambição criativa em realidade.

*Por Felipe Ernani

……………………………………………………………………………………..
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

‘The Beatles: Get Back’

Peter Jackson lança uma prévia exclusiva de seu próximo documentário “The Beatles: Get Back” para os fãs dos Beatles em todo o mundo.

Hora de deixar os Orcs de lado e apresentar uma das maiores bandas do planeta para uma nova geração, “The Beatles: Get Back” do aclamado cineasta Peter Jackson é uma experiência cinematográfica que quer levar o público de volta ao tempo às sessões de gravação íntimas dos Beatles durante um momento crucial na história da música.

Filmado em janeiro de 1969 e compilado a partir de mais de 60 horas de imagens inéditas e mais de 150 horas de áudio inédito, tudo restaurado de forma brilhante, “The Beatles: Get Back” é a história de como John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr planejam seu primeiro show ao vivo em mais de dois anos e ensaiam 14 novas canções, originalmente destinadas ao lançamento em um álbum ao vivo que o acompanha.

O filme apresenta – pela primeira vez na íntegra – a última apresentação ao vivo dos Beatles como um grupo, o inesquecível concerto no telhado em Savile Row de Londres, bem como outras canções e composições clássicas apresentadas nos dois álbuns finais da banda, “Abbey Road” e “Let Be”.

O doc “The Beatles: Get Back”, é apresentada pela Walt Disney Studios, Apple Corps Ltd. e WingNut Films Productions Ltd., é dirigido por Jackson, produzido por Jackson, Clare Olssen e Jonathan Clyde, com Ken Kamins e Jeff Jones da Apple Corps atuando como produtores executivos. Jabez Olssen é o editor do filme, e a música é mixada por Giles Martin e Sam Okell.

*Por Julio Moraes

………………………………………………………………………………………………………
*Fonte: updateordie

Documentário: A expedição de jipe ​​das Américas em 1978

Este filme cobre a Expedição de Jipe das Américas de 1978 (também conhecida como Expedicion de Las America), uma jornada notável do extremo sul da América do Sul, através da América Central e Darien Gap, e depois pela América do Norte antes de terminar no norte do Alasca .

A jornada levaria os 13 homens a 122 dias no total, cobrindo mais de 21.000 milhas usando uma série de Jeep CJs, um Jeep Wagoneer e uma picape da série J – pode ter havido veículos adicionais, no entanto, o filme é leve em detalhes.

Os CJ7s foram equipados com pneus largos de 31 polegadas, barras de proteção, gaiolas de proteção de 6 pontos, guinchos elétricos e cubos de travamento.

A expedição usou escadas de liga leve para ajudar com vários obstáculos, bem como os guinchos, a maioria do off-road aconteceu quando o grupo cruzou o Darien Gap – uma seção de 200 milhas de pântano e selva tropical na América Central. The Darien Gap ainda até hoje não tem uma estrada através dele, tal é a natureza difícil do terreno.

Os jipes chegaram à Terra do Fogo, no Chile, de navio e depois seguiram pela América do Sul cruzando os Andes três vezes e visitando o Lago Titicaca e Machu Picchu. A equipe então enfrentou Darien Gap, que foi de longe a parte mais desafiadora da jornada.

A expedição foi liderada por Mark Smith, um veterano do off-road com mais de 25 anos de experiência conduzindo viagens off-road em seu nome – principalmente jamborees de jipe ​​nas Américas do Sul e do Norte.

*Por Ben Branch

………………………………………………………………………………..
*Fonte: silodrome

O Filme All-Star do concerto em homenagem a Peter Green será lançado em 2021

No início deste ano, em 25 de fevereiro, Mick Fleetwood ofereceu um concerto de tributo de estrelas para seu ex-companheiro de banda do Fleetwood Mac, Peter Green.

O concerto – que aconteceu no London Palladium – contou com Kirk Hammett, Billy Gibbons, David Gilmour, Pete Townshend, Steven Tyler, Noel Gallagher, Jonny Lang, Bill Wyman, John Mayall, Neil Finn, Andy Fairweather Low, Christine McVie, Zak Starkey e muito mais.

O show ficou ainda mais comovente apenas alguns meses depois, em 25 de julho, quando Green faleceu aos 73 anos.

Agora, um filme e um álbum ao vivo documentando o show – Mick Fleetwood & Friends Celebrate the Music de Peter Green e os primeiros anos do Fleetwood Mac – foram anunciados. O filme será lançado nos cinemas em março de 2021, com exibições selecionadas nos dias 23 e 28 de março.

O álbum ao vivo estará disponível em gatefold 4LP, 2CD / Blu-Ray mediabook e conjuntos de áudio digital, e chegará em 30 de abril de 2021, via BMG.

“O concerto foi uma celebração dos primeiros dias do blues onde todos nós começamos, e é importante reconhecer o profundo impacto que Peter e o primeiro Fleetwood Mac tiveram no mundo da música”, disse Fleetwood em um comunicado.

*Por Jackson Maxwell

…………………………………………………………………………………
*Fonte: guitarplayer

Joe Bonamassa terá história contada no documentário ‘Guitar Man’

Um documentário sobre a trajetória de Joe Bonamassa, um dos grandes guitarristas de blues rock da atualidade, será lançado no próximo dia 8 de dezembro. O filme, chamado ‘Guitar Man’, chega a público por meio da Paramount Home Entertainment.

‘Guitar Man’ focará no trabalho duro e incansável de Joe Bonamassa, um dos guitarristas mais produtivos de seu segmento, desde a juventude até o momento atual.

Em 1989, com apenas 12 anos, Bonamassa foi convidado para abrir 20 shows do rei do blues, B.B. King. A partir daí, sua carreira se desenvolveu – de início, em ritmo mais lento, pois ele precisava concluir os estudos, mas não demorou até que ele se tornasse um músico profissional.

Com 23 anos, em 2000, o guitarrista lançou seu álbum de estreia, ‘A New Day Yesterday’. Desde então, ele lançou dezenas de discos, entre trabalhos de estúdio e ao vivo em carreira solo, parcerias com artistas como Beth Hart e ao lado de bandas como Black Country Communion.

O trailer de ‘Guitar Man’ pode ser assistido a seguir. Não foi informado se o filme terá lançamento específico no Brasil.

*Por Igor Miranda

……………………………………………………………………………………….
*Fonte: guitarload

Novo documentário sobre Jimi Hendrix terá como foco show lendário no pé do vulcão Haleakala

Documentário e disco ao vivo serão lançados em novembro

O show de Jimi Hendrix de 1970 em Maui, Havaí, no pé do vulcão Haleakala, é certamente um dos mais lendários da história da música. A apresentação foi filmada para a produção Rainbow Bridge, mas praticamente não foi usada.

Agora, um novo documentário chamado Music, Money, Madness… Jimi Hendrix In Mauilevará o público aos bastidores daquele dia. Além da obra audiovisual, um disco ao vivo também foi anunciado. As informações são do Consequence of Sound.

Rainbow Bridgebusca apresentar o grandioso sucesso de Hendrix. O empresário, Michael Jeffrey, planejou um filme semi-ficcional que capturaria a essência da contracultura havaiana. Jeffrey, que se encarregou das tarefas de produção, imaginou uma atuação do músico em Maui como a peça central do filme.

Não funcionou assim, porém. Jeffrey desperdiçou o orçamento que foi colocado pela Warner Bros., e apenas 17 minutos de filmagem ao vivo entraram em Rainbow Bridge. A trilha sonora também nunca foi disponibilizada.

Os fãs, contudo, agora terão o disco ao vivo de Hendrix e mais de 17 minutos do grandioso show em Maui. O músico, na verdade, filmou duas apresentações completas nesta ocasião. Music, Money, Madness e o álbum serão lançados em 20 de novembro. A pré-venda já está disponível aqui.

……………………………………………………………………………………
*Fonte: rollingstone

O Dilema das Redes – escancara aspecto manipulador das redes sociais

Como qualquer ferramenta, as redes sociais possuem um lado muito positivo: conectam as pessoas e abrem portas para conteúdos que podem ser interessantes para o usuário. Você, por exemplo, pode ter chegado até aqui porque se interessa por Tecnologia e Inovação, segue o Olhar Digital ou foi sugerido por alguma rede.

Mas existe um lado oculto, que tem a ver com manipulação em massa e a total falta de consideração com o bem estar mental das pessoas. Uma ferramenta não para quem usa, mas para quem a controla – e negocia no mercado uma das “commodities” mais valiosas de todos os tempos: a atenção das pessoas.

O documentário “O Dilema das Redes” (“The Social Dilemma”), que estreou na Netflix no último dia 9, entrevista especialistas em tecnologia do Vale do Silício para mostrar como as redes sociais estão reprogramando a civilização. Ex-funcionários de empresas como Google, Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest contam como os executivos dessas companhias não só sabem disso como manipulam os algoritmos para induzir comportamentos nas pessoas.

Dirigido pelo cineasta Jeff Orlowski, o filme trata não só do aspecto viciante das redes, construídas para manter o usuário constantemente “engajado”, como explica o impacto disso nas novas gerações e porque é mais vantajoso para esse sistema nos manter separados de quem pensa diferente de nós. Ainda deu tempo de contextualizar a pandemia da Covid-19 no meio disso tudo.

Algoritmos desenhados para fazer recomendações personalizadas, por outro lado, usam os dados coletados para prever e influenciar comportamentos – e é esse poder que essas empresas oferecem ao mercado, e por isso dominam a publicidade de uma forma que nenhum outro veículo consegue sobreviver sem aderir a essas regras.

Um dos personagens principais do documentário é Tristan Harris, que trabalhou como especialista em Ética de Design no Google e agora é presidente e cofundador do Center for Humane Technology. Ele conta como percebeu esse potencial negativo das redes e tentou mudar o sistema por dentro, sem sucesso.

“As pessoas acham que o Google é só uma ferramenta de busca, e que o Facebook é só onde vejo meus amigos. Mas elas não percebem que eles estão competindo pela sua atenção”, afirma Harris, lembrando a máxima: “se você não está pagando pelo produto, você é o produto” – é o chamado “capitalismo de vigilância”.

https://www.youtube.com/watch?v=5I1mhTr2fcc

Para Jaron Lanier, considerado um dos “pais” da Realidade Virtual, o produto é “a gradativa, leve e imperceptível mudança em nosso comportamento e percepção”. Outro entrevistado, Roger McNamee, um dos primeiros investidores do Facebook, faz uma revelação que pode ser assustadora para quem não acompanha de perto o setor. Quando elementos externos influenciam em outros países, como por exemplo a Rússia nas eleições dos Estados Unidos, eles não “hackeiam” o Facebook, apenas fazem uso das ferramentas da plataforma.

O documentário funciona muito bem tanto como linha do tempo do desenvolvimento das redes sociais como sinal de alerta para o seu mau uso. Alguns elementos da sociedade, como a atual polarização extremada, que certamente teve influência dos algoritmos do Vale do Silício, porém, acabam simplificadas pela narrativa. Mas dificilmente você não vai sair de “O Dilema das Redes” sem querer dar um tempo do seu smartphone.

*Por Reanto Mota

 

……………………………………………………………..
*Fonte: olhardigital

Novo documentário sobre Jimi Hendrix terá como foco show lendário no pé do vulcão Haleakala

O show de Jimi Hendrix de 1970 em Maui, Havaí, no pé do vulcão Haleakala, é certamente um dos mais lendários da história da música. A apresentação foi filmada para a produção Rainbow Bridge, mas praticamente não foi usada.

Agora, um novo documentário chamado Music, Money, Madness… Jimi Hendrix In Mauilevará o público aos bastidores daquele dia. Além da obra audiovisual, um disco ao vivo também foi anunciado. As informações são do Consequence of Sound.

Rainbow Bridgebusca apresentar o grandioso sucesso de Hendrix. O empresário, Michael Jeffrey, planejou um filme semi-ficcional que capturaria a essência da contracultura havaiana. Jeffrey, que se encarregou das tarefas de produção, imaginou uma atuação do músico em Maui como a peça central do filme.

Não funcionou assim, porém. Jeffrey desperdiçou o orçamento que foi colocado pela Warner Bros., e apenas 17 minutos de filmagem ao vivo entraram em Rainbow Bridge. A trilha sonora também nunca foi disponibilizada.

Os fãs, contudo, agora terão o disco ao vivo de Hendrix e mais de 17 minutos do grandioso show em Maui. O músico, na verdade, filmou duas apresentações completas nesta ocasião. Music, Money, Madness e o álbum serão lançados em 20 de novembro. A pré-venda já está disponível aqui.

……………………………………………………………………….
*Fonte: rollingstone

Phil Lynott: Songs For While I’m Away | Trailer (documentário)

Abaixo trailer sobre o documentário da vida de Phil Lynott:

O filme contará a história de como um jovem negro da classe trabalhadora de Dublin dos anos 1950 se tornou o melhor Rock Star da Irlanda. Como vocalista do Thin Lizzy, Phil Lynott era um compositor, um poeta, um sonhador, um homem selvagem.

Contando extensivamente através das palavras do próprio Phil e focando em algumas de suas canções icônicas, o filme chega ao coração de Philip, o pai, o marido, o amigo, o filho, o ícone do rock, o poeta e o sonhador.

Documentário sobre a guitarra Flying V trará músicos do Metallica, Scorpions e mais

A série ‘Inside Metal’ anunciou a produção de um novo documentário sobre a guitarra Flying V. O modelo foi criado pela Gibson em 1958 com uma proposta “futurística”, junto de outros desenhos, como a Explorer e a Modern.

O documentário será intitulado apenas ‘Flying V’ e tem lançamento marcado para o dia 11 de setembro no exterior. A direção é assinada por Peter Hansen, que co-produz o trabalho junto de Michael Denner, ex-guitarrista do Mercyful Fate.

Relatos de diversos guitarristas são compilados para o filme, que terá 67 minutos de duração. Entre os músicos que toparam falar, estão James Hetfield (Metallica), Dave Mustaine (Megadeth), Kerry King (Slayer), Michael Schenker (UFO, Scorpions, MSG), Michael Denner e Hank Shermann (ambos Mercyful Fate), Wolf Hoffmann (Accept), K.K. Downing (Judas Priest), Matthias Jabs (Scorpions), Richie Faulkner (Judas Priest), entre outros.

*Por Igor Miranda

……………………………………………………………………
*Fonte: guitarload