O objetivo na vida deve consistir em ser muito, e não ter muito

O desejo de superar os seus próprios limites fez com que o homem deixasse o solo da Terra para pisar na Lua, descobrisse que o nosso planeta não era o centro do Universo e iniciasse as suas grandes descobertas no campo da ciência. Amparando-se na grande promessa de progresso ilimitado, o ser humano não mediu esforços para revolucionar os diversos campos dos saberes.

Um grande marco deixado pelo homem foi o começo da era industrial. Iniciada no século XVIII, constituiu-se como um momento histórico em que a atividade produtiva artesanal passou a ser substituída pelo emprego das máquinas, sendo esse trabalho conhecido como maquinofatura. Desde então, o cenário mundial ganhou o tom consumista que hoje conhecemos.

Não precisaria ser um gênio para prever que uma estrada trilhada para a produção ilimitada, certamente nos levaria a um consumo sem limites, sendo o consumismo considerado atualmente uma grave doença comportamental que se alastra sem precedentes. Albert Schweitzer ao receber, em 1952, o Prêmio Nobel da Paz em Oslo alertou que o homem, ao aumentar os seus poderes, torna-se cada vez mais pobre e mais desumano. Enquanto a cobiça e o egoísmo guiarem o modo de viver do ser humano, maior será a distância entre ele e a genuína felicidade que visa alcançar.

O problema maior não é o consumo, até porque ele é, até certo ponto, necessário no cotidiano das pessoas. É perfeitamente aceitável o ser humano adquirir coisas a fim de desfrutá-las. A questão se torna preocupante quando o consumo vira uma compulsão, ao ponto de causar prejuízos financeiros e, inclusive, emocionais na vida do indivíduo.

Estudos no campo da neurociência comprovam que o cérebro movido pelo desejo de consumo libera certos neurotransmissores como a dopamina, adrenalina e serotonina que possibilitam uma sensação prazerosa ao organismo após obter a satisfação do seu desejo. A química que se processa no circuito cerebral reduz a ansiedade no ato do consumo. Em contrapartida, após algum tempo, a ansiedade retorna e solicita uma nova aquisição, instalando-se a dependência. A sociedade contemporânea virou uma espécie de consumidora de emoções, a sua meta está totalmente voltada para o desejo de experimentar novos estímulos e a ânsia de adquirir algo inédito.

O foco em si não está no objeto concreto que é alvo do consumo, mas no que ele representa, isto é, no status que confere. Não é a toa que tomando como exemplo a indústria da moda, existem roupas que são projetadas para uma determinada estação do ano e, passado este período, tornam-se facilmente descartáveis. A roupa continua nova, contudo para a próxima estação ela não possui mais o valor social almejado. Aqueles que insistirem em usá-las, correrão o risco de serem considerados “ultrapassados”. Assim como no âmbito da moda, esta visão se estende para os diversos outros meios de consumo.

Ao atribuir um valor ao objeto, o ser humano perde de vista o seu próprio valor. Cada pessoa é singular, a beleza existe em cada ser. Nessa busca desenfreada para incorporar o novo, o homem se afasta daquilo que ele já traz consigo – a sua essência. A ditadura do consumo firma padrões e impõe a sua força para transformar as pessoas em verdadeiras tropas, confinadas em caixas. O desrespeito à individualidade se torna evidente, extinguindo as capacidades criativas e supervalorizando uma cultura massificada. Ninguém precisa procurar fora de si o seu valor, pois ele vem de dentro. Não existe nenhum ser humano vazio, dentro de cada um existe um vasto mundo a espera de ser redescoberto e reinventado.

O consumismo coloca em evidência a necessidade de mudanças essenciais nos valores e atitudes humanas, tais como uma nova ética e uma nova postura para com a natureza. A mudança de estilo de vida e no padrão de consumo deve ser incentivada. Os cidadãos precisam decidir o que devem consumir, não sendo o papel das indústrias e dos meios de publicidade decidirem o que é melhor para a sociedade.

O governo, a indústria e as comunicações de massa querem convencer a todos que o consumismo oferece a porta para a felicidade absoluta e para a liberdade irrestrita. Mas se por meio do consumo o completo bem-estar defendido fosse alcançado, hoje não seria tão evidente na sociedade a presença de indivíduos deprimidos, infelizes, ansiosos, destrutivos e dependentes. Desse modo, constata-se que ter algo não oferece a garantia de uma felicidade plena. Apesar disso, muitos ainda acreditam que o seu valor pessoal é definido pelas suas posses.

Marx ensinava que o objetivo primordial na vida deve consistir em ser muito, e não ter muito. O que verdadeiramente importa na vida não é o quanto se consegue acumular, afinal os bens se desgastam com o passar do tempo e novos desejos a todo o momento surgem. A felicidade sincera não se resguarda, mas sempre se expande, envolvendo aquele que a irradia, bem como todos ao seu redor. A felicidade maior está em espalhar o bem, com o coração aberto, sem olhar a quem.

*Por Saulo de Oliva
…………………………………………………………….
*Fonte: equilibrioemvida

Shikata ga nai: a antiga sabedoria japonesa que pode deixar sua vida muito mais fácil

Talvez muitos, se não todos, fariam bem em trazer um pouco de Shikata ga nai para sua vida cotidiana, para minimizar e torná-la mais consciente ao mesmo tempo. Shikata ga nai é uma expressão típica da cultura japonesa: lembre-se que as coisas são como são e que nem sempre temos controle sobre nossa vida.

Horror? Assombro e descrença porque a verdade introjetada é que “você consegue tudo o que deseja com pensamento positivo, visualização criativa, confiança em você e quão legal você é é medido pelo sucesso que você tem”?

Mais do que compreensível, em nosso mundo ocidental new age e materialista. É por isso que alguém (ou mais do que alguém) poderia ler – no Shikata ga nai – uma posição passiva, submissa, que remete a um pessimismo aniquilado e frustrado, expressa e reforça um desconforto de falta de capacidade de controlar a própria vida, mas, em realidade mais profunda, esse não é o caso.

Há uma sabedoria antiga dentro . De facto, há dois aspectos implícitos que importa sublinhar: o reconhecimento “sereno” da situação (que implica a capacidade de viver o aqui e agora, a aceitação dos desafios que a vida traz mesmo no “desagrado” ) e a consciência de que NEM sempre se pode fazer algo para mudar a realidade, mas muitas vezes sim. É preciso saber apreender a diferença e, assim, ir mais longe, avançar.

Em suma, Shikata ga nai permite dar peso, esforçar-se, empenhar-se, suar, oferecer o melhor de si onde merece, onde faz sentido e é útil, construtivo e ao mesmo tempo oferece a visão sábia de acolher, desapegar , sem resistir, mas fluindo juntos – da melhor maneira possível – em situações que não podem ser mudadas. Não é uma coisa pequena.

Fazer isso, entre outras coisas, evita muito sofrimento desnecessário, culpa ineficiente e persistência dolorosa. E, ao mesmo tempo, torna-se mais forte e mais consciente; focamos na ação em outra direção (não oposta e contrária às situações desagradáveis, mas alternativa, criativa ), na gestão das consequências do aqui e agora, seja ele qual for.

Shikata ga nai é um lembrete; aceitá-la é uma escolha que deve ser repetida, sempre. É claro que também deve ser digerido, elaborado e internalizado na prática, ao longo da vida, mas fazer a escolha automaticamente reduz as tensões e, assim, abre novas possibilidades. Vale a tentativa.

6 passos para praticar Shikata ga nai
Candice Kumai , em seu livro ” A Arte Japonesa de Nutrir Mente, Corpo e Espírito ” (em inglês) sugere seis maneiras de entrar nessa atitude com mais facilidade:

Para respirar profundamente
A respiração profunda, principalmente pelo nariz, ajuda a se sentir mais aterrado, traz de volta à realidade. Ao respirar é importante prestar atenção ao corpo, às tensões: trazer a respiração para essas áreas ajudará a relaxá-las.

Uma consciência: a comparação com os outros nunca ajuda
Comparar sua própria vida com a dos outros é uma prática sem sentido e frustrante. É como se uma rosa se comparasse a um girassol: qual é o significado? Cada um tem sua singularidade, sua história e sua tarefa. Quando você se depara com outra pessoa, é melhor desconectar; reserve um tempo para honrar o que você é, você sabe fazer, o que você fez, suas características pessoais. É diferente, claro, usar a vida dos outros para desenhar ideias e ensinamentos que também podem ser úteis para si mesmo.

Se cuida
Muitas vezes estamos tão orientados a enfrentar os compromissos e ritmos que nos são impostos que já não existimos realmente como pessoas. Estamos apenas com pressa, correndo atrás do relógio para fazer tudo. É importante fazer paradas. Cuide-se de forma séria: do seu corpo (com alimentação saudável, orgânica ou melhor biodinâmica); de suas emoções (dedicando e defendendo seu tempo de afeto, a vida em meio à natureza); da mente (com boa leitura, diversão saudável que beneficia a todos) e do espírito.

Alterar perspectiva
As coisas muitas vezes são como são, mas a capacidade de olhar para elas de outro ponto de vista sempre faz a diferença. Como mudar de perspectiva? Desconectar-se, talvez com uma pequena viagem, poderia ajudar. Mas, mais simplesmente, trata-se de dar a si mesmo a oportunidade de fazer coisas diferentes normalmente. É também um treinamento que pode ser feito todos os dias: pegar novas estradas para chegar a um determinado lugar, mudar de posição para ver a vista de um ponto diferente do habitual, visitar novas cidades, assistir a um documentário, fazer atividades nunca antes feitas antes de. Agarrando os estímulos criativos e construtivos que a vida oferece e nunca havia sido considerado antes.

Sair para a natureza
Passar tempo na natureza é uma nova maneira de praticar shikata ga nai. Caminhar lentamente pela mata, aproveitando o tempo para contemplar e apreciar a beleza e a vida em que está imerso, respirar profundamente o oxigênio fresco, inalar os óleos naturais liberados pelas árvores ajudará a abrir o coração. Entrar em um relacionamento com a natureza pode dar novos insights, consciência e visões.

Saber pedir ajuda
Amigos se vêem em tempos de dificuldade. E em tempos de dificuldade é importante pedir o apoio dos amigos.

Shikata ga nai nem sempre é fácil. É uma “rendição” sábia e ativa. O que pode ser ainda mais sereno e forte para quem ouve ressoar – nos acontecimentos que encontra na vida – a mão do mundo espiritual que – além do que humanamente gostamos ou não – sempre nos traz apenas experiências úteis: para nosso próprio crescimento e a do nosso espírito. Resumindo, a vida continua. Podemos e devemos fazer a diferença seguindo o Seu Jogo. Conscientemente.

………………………………………………………………….
*Fonte: vidaemequilibrio

Não dá para preencher a vida com bares, novela e internet”, diz Monja Coen

Claudia Dias Batista de Souza é o nome de batismo da Monja Coen. Antes de se tornar a mais famosa praticante e líder budista do Brasil, ela foi gente como a gente – talvez até um pouco mais louquinha. Prima de Sergio Dias e Arnaldo Batista, dos Mutantes, Coen foi casada algumas vezes – uma delas, com o iluminador dos shows do Alice Cooper – e acabou presa na Suécia por tráfico de LSD. Foi apenas aos 36 anos que ela começou a meditar. E nunca mais parou. Nessa entrevista, ela fala sobre os caminhos internos para a felicidade, sobre autoconhecimento e transcendência, e sobre como não recomenda mais o uso de drogas para se aproximar de Deus.

Quais são as maiores diferenças no conceito de felicidade na filosofia ocidental e na oriental?
​A palavra felicidade, em português, tem sua origem nas palavras “fertil” e “frutífero”. O que frutifica nos faz bem. Plantas, árvores, ideias, filosofias, trabalho, propostas, casamento e assim por diante – todos esses elementos podem deixar alguém feliz. Tanto no Oriente como no Ocidente, seres humanos – se não despertarem para a mente suprema – podem ser manipulados ou podem acabar manipulando outras pessoas em propósitos egoicos, que só atendem a si mesmas. Eu sinto que sair do eu auto-centrado e se dedicar ao Eu maior é a própria felicidade – e isso tanto no Ocidente quanto no Oriente. Talvez os métodos educacionais sejam diversos: o Ocidente sempre foi mais centrado no eu individual do que o Oriente, que costuma considerar a coletividade em primeiro lugar. Mas isso não quer dizer que um é melhor do que o outro. Não se iluda, tanto no Oriente quanto no Ocidente, a maioria das pessoas atualmente se desgasta em preocupações relacionadas a bens materiais apenas e, quase nunca, encontram a plenitude do Eu Maior.​

Por que, na sua opinião, tantas pessoas procuram o zen-budismo para alcançar uma vida mais “plena”? Qual é o principal apelo dessa filosofia?
​A prática essencial do Zen é a meditação sentada, o conhecer o nosso próprio Eu, ao mesmo tempo em que esquecemos do eu. É a prática de deixar-se iluminar por tudo que existe. Perceber que estamos conectados a toda vida da Terra. Comunhão e encontro com a Verdade​ e o Caminho.​ E isso tem um grande apelo.

Por que, como você acabou de dizer, as pessoas se preocupam tanto com bens materiais? Na sua opinião, por que confundem felicidade com prosperidade financeira?
​Porque há pobreza, carência, miséria, desnutrição, fome. Se as necessidades básicas de sobrevivência não forem atendidas, não somos capazes de nem mesmo orar. Isso é universal. O resultado dessas lógica é que acabamos nos prendendo a essa etapa de auto sustentabilidade e muitas vezes nem percebemos que já estamos com as necessidades básicas atendidas e ainda falta alguma coisa. Tentamos preencher com novelas, programas, amigos, bares, internet, mas continua faltando. Algumas pessoas procuram o caminho do auto conhecimento, que é o conhecimento da vida, da sacralidade da existência, da rede de causas, condições e efeitos. Algumas pessoas procuram pela compreensão do significado da existência. Outras apenas vivem​ ​se distraindo das questões básicas da mente humana, querendo apenas rir, se divertir. Isso faz com que muitas pessoas sofram com essa situação, por não penetrarem no sentido mais íntimo do ser.​

Preocupar-se com felicidade é uma noção válida? Você se preocupa em ser mais feliz?
​Preocupar-se nunca é válido. Ocupar-se sim. Ocupar-se em fazer o seu melhor a cada instante e despertar para a mente de sabedoria perfeita é o caminho do Nirvana, é a felicidade verdadeira. Então, pratico os ensinamentos de Buda, sem me preocupar, mas me ocupando com a verdade e esse caminho.​

Você fala muito da violência que existe ao nosso redor. De onde ela vem? Como ela interfere na nossa felicidade?
A violência existe. Seu oposto, a não-violência também. Dentro e fora de cada ser humano. Quando somos capazes de transformar a raiva em compaixão, tudo cessa. Quando abandonamos um “eu” que precisa ser defendido, que não pode ser magoado​ ​e assim por diante, percebemos que estamos muito além das provocações internas e externas. Mas só conseguimos praticar isso com prática incessante.​ Certa feita, Sua Santidade o XIV Dalailama, disse algo como: “Compaixão nem sempre é visceral. Temos de utilizar a mente para desenvolver a capacidade de compreender a quem nos ofende ou provoca.” Isso tem a ver com as conexões neurais. Todos nós nascemos com todos os neurônios possíveis, mas, se não os estimularmos, eles não se conectam. Se formos treinados a fazer conexões neurais de violência, briga, raiva, rancor, temor e assim por diante, essa trilha se torna uma auto-estrada, uma rodovia. Para fazer novas conexões temos de nos esforçar a conectar com amor, compreensão, ternura, assertividade, destemor e assim por diante.

Você teve diversas profissões antes de se tornar monja (inclusive jornalista como nós). O que diria que tirou de cada uma delas?
​Experiências, questionamentos. Fui repórter do Jornal da Tarde, da editoria de Geral. Isso significa que eu cobria todos os assuntos possíveis por todo o Brasil. Foi uma época de um despertar claro e profundo sobre valores diversos em vários níveis sociais. E de conhecer os seres humanos – dos mais ricos e poderosos aos mais pobres e humildes – procurando a felicidade e a estabilidade física, material, psíquica, espiritual. Depois fui ser professora de Inglês e com isso passei a conhecer melhor a maneira de pensar dos povos de lingua inglesa. É tudo diferente de quem fala português: a lógica, a filosofia, a maneira de ser. Fui também secretária do Banco do Brasil, em Los Angeles, e pude cortar quaisquer resquícios de discriminação preconceituosa que tinha quanto ao fato de ser secretária. Percebi a importância das secretárias nas empresas. Gerentes, diretores não seriam capazes de atuar sem suas/seus secretários. Um governo não funciona sem suas secretarias. Assim, em cada oportunidade pude aprender e transformar conceitos deludidos em experiência pura.

Em que momento – e qual foi a importância deste momento – que você percebeu que deveria se tornar monja?
​Passei a meditar de forma regular, em Los Angeles, onde residia. Percebi que a meditação Zen era o Caminho que eu queria dar ao que restava de minha vida. Tinha 36 anos de idade.​

Você disse em algumas entrevistas que tomou LSD e chegou a experiências religiosas intensas com ele. Você acha que as drogas são uma forma de transcendência? Vê alguma validade nisso?
​Tudo depende de quem as usa e com que propósito. Na minha juventude, eu procurava por Deus. Não procurava por sexo, diversão, brincadeira ou prazer de qualquer espécie mundana. Hoje eu não recomendo uso de drogas​ ​ou de qualquer tipo de substância para alcançar a transcendência. Basta respirar conscientemente. Basta sentar em silêncio, na postura correta, para acessar o Eu além do eu. Podemos ter o encontro com a Natureza Buda – que é talvez o que tradições monoteístas chamam de Deus – através do silêncio, da meditação profunda e da respiração tranquila.​ Mas isso requer persistência, paciência e entrega, e deve ser através de orientação de pessoas que tiveram a experiência sagrada. Não é algo que se possa tentar sozinha. É preciso seguir determinados procedimentos para esse encontro. Da mesma maneira, se combinarmos um encontro com alguém teremos de saber o local, o horário e o caminho para chegar até lá. É preciso ter uma rota. As tradições meditativas, religiosas, espirituais têm sistemas muito antigos e hábeis para conduzir os seres humanos ao verdadeiro Encontro. É preciso escolher uma tradição e seguir seus ensinamentos, sem desistir quando os obstáculos surgirem.

Felicidade é um valor importante? Há outros mais importantes?
​Felicidade, paz, Nirvana, quietude adquirida através da sabedoria perfeita, clareza, transparência, ética, prática incessante da vida iluminada.​

Você se considera uma pessoa feliz?
​Sou feliz.

…………………………………………………………………..
*Fonte: fasdapsicanalise

A lei do Karma: Aquele que desejar o fracasso dos outros, fracassará

A lei do Karma: Aquele que desejar o fracasso dos outros, fracassará

Entenda como funciona a Lei do Karma antes de sair desejando que os outros fracassem!

Quando devo desejar o mal dos outros? Bem, a resposta é: nunca.

Se você fizer isso, você estará, na verdade, convidando essa energia ruim de volta para sua vida de uma forma multiplicada.

A LEI DO KARMA DIZ QUE VOCÊ COLHE, O QUE VOCÊ PLANTA. SEMPRE.

Na verdade, existem várias pessoas que fazem trabalhos espirituais com invocações de danos a outra pessoa.

Toda vez que eu ouço isso – eu estremeço. (Sério, fico em choque!)

Felizmente, meu primeiro contato com a compreensão dessa verdade simples veio de meu avô Reikiano, que me ensinou uma lição muito simples: você nunca deve impor sua vontade a ninguém. Fazer isso é praticar magia negra, e ela sempre voltará a você. Sempre.

Aprendi isso na primeira semana estudando Reiki e começando a descobrir meus próprios dons, mas milênios de história em outras tradições ensinam a mesma mensagem, mais comumente:

FAÇA AOS OUTROS O QUE GOSTARIA QUE FIZESSEM A VOCÊ.

Se você não quer que alguém deseje mal a você, não deseje o mal aos outros. É realmente tão simples.

Talvez, seja mais prático hoje pensar assim:

VOCÊ NÃO PODE LANÇAR UMA REDE NEGATIVA E ESPERAR PEGAR ALGO POSITIVO.

Nada de bom vem de semear ou vomitar veneno ou toxicidade no mundo.

Mesmo que você se sinta bem momentaneamente fazendo isso, acabará por causar mais problemas a longo prazo.

É claro que, a longo prazo você se deparará com uma colheita negativa.

Como dizem, o tempo é o senhor, e o tempo não perdoa quem faz o mal ou deseja o fracasso dos outros.

Você pode sim desabafar, chorar, ficar com raiva e experimentar todas as emoções possíveis caso alguém tenha te feito algum mal, mas revidar não é o melhor a fazer.

Ao desejar que o outro se prejudique você estará desejando isso a si mesmo e não se sentirá melhor pois está enviando a mesma toxicidade a situação.

Ou, como outro grande professor ensinou certa vez: dê a outra face.

O que pode ser traduzido como:

1) permitir-se ser atingido novamente, ou

2) (como eu prefiro) virar e ir embora, afastando-se do drama da outra pessoa e permanecendo fiel a quem você é.

Não há vergonha em se desconectar. A única perda real é quando você escolhe se envolver em algo destrutivo e negativo de um lugar de mágoa ou medo. Isso perpetua o ciclo de dano – um ciclo no qual você está exatamente no meio.

Deixe o mal ir embora, assim como ele veio, e se livre da lei do Karma. Caso você não entenda esse bilhete, você colherá resultados negativos logo mais.

………………………………………………………..
*Fonte: seuamigoguru

Precisamos entender um pouco sobre energia!

A energia que passa a existir em nossa vida com tais mudanças na forma de pensar e de sentir, muda o nosso comportamento, alterando os acontecimentos da nossa vida.

A energia da qual nos alimentamos dita o tipo de vida que levamos.

Não importa o que tenha acontecido em sua vida. As pessoas, na maioria das vezes, focam nos problemas, nas dificuldades, nas dores. Focando no pior desta maneira, elas se lamentam, gastam tempo demais em uma energia negativa que não contribui com absolutamente nada para que saiam da situação, encontrem uma solução e superem momentos difíceis… e isto é muito destrutivo!

Precisamos entender um pouco sobre energia. Lógico que, quando vivenciamos algo ruim, decepções, perdas, etc., nos sentimos mal, e tendemos a nos tornar vulneráveis, muitas vezes nos sentindo injustiçados pela vida.

E é comum nos questionarmos: “Por que isso aconteceu comigo?”.

Independente de possuirmos um seguimento religioso, filosófico, ou não acreditarmos em nada, é importante entendermos um pouco sobre o pensamento, sobre a neurolinguística…o quanto os pensamentos geram emoções, sentimentos, energias (positivas ou negativas), os quais produzem resultados em nossa mente e em nosso corpo físico. Resultados ao redor de nós, em nossa vida, prejudicando-nos ainda mais do que a própria situação ruim que estamos vivenciando.

Quando pensamentos negativos, de teor destrutivo, que comprometem nossos sentimentos, emoções, nos fazem permanecer em estados comportamentais desgastantes, limitantes, repetindo em nosso quadro mental, vivência dolorosa, culpa, acusações, raiva, tristeza, medo ou qualquer outro sentimento que nos dificulte a sair de tal estado, situação, estamos nos prejudicando e também nos destruindo ainda mais.

Quando os pensamentos são mais positivos e geram emoções e sentimentos melhores, mesmo diante de situações desgastantes e acontecimentos ruins da vida, a pessoa começa a enxergar um novo caminho, uma luz, uma nova direção, a criar uma alternativa que a levará a sair de tais situações ou se livrar de sentimentos que foram dolorosos.

Muitas vezes não se consegue isso sozinho(a), é necessário a ajuda de um profissional, terapeuta, médico ou de vários profissionais multidisciplinares e complementares. Pessoas qualificadas que o orientem, que o ajudem a reforçar o seu melhor potencial e a como utilizar o seu melhor para ultrapassar o momento difícil. Que o ajudem a enxergar o quanto determinadas situações que ocorrem na vida e que não têm uma uma explicação lógica podem se tornar pontes, não como imaginávamos: o fundo do poço ou o abismo. São como uma passagem que necessitávamos de alguma forma para fazermos uma transformação em nós.

E assim alcançarmos um portal para um outro lado da nossa própria vida, trazendo outros significados, outros entendimentos de tudo.

Um lado mais amplo, onde não nos sentimos mais vítimas ou culpados, onde não vemos mais um algoz. Para entendermos que somos responsáveis e atuantes em tudo o que vivemos, não deixando mais nossas vidas nas mãos de ninguém.

Deixamos de criar tanta expectativa, e não depositamos em outros seres humanos a responsabilidade de terem super poderes. Começamos a compreender melhor as limitações, vulnerabilidades e fraquezas.

Reiniciamos o nosso caminho muito mais conscientes e investindo totalmente em nós mesmos, em nossos potenciais, na nossa força, nos conhecendo melhor, estudando mais o nosso próprio universo interior, os nossos antagonismos, as nossas deficiências e a nossa beleza…aceitando melhor as nossas idiossincrasias.

Neste momento, fazemos outras perguntas, como os orientais nos propõem diante de situações difíceis. Por exemplo, a corrente filosófica Brahma Kumaris nos propõe não perguntarmos “por quê?” e sim “para que serve tal situação?”, “o que necessito entender que eu ainda não entendi?”, “o que preciso evoluir que ainda não consegui e, por isso, ainda necessitei vivenciar tal situação em minha vida?”.

Desta forma, o panorama muda, as perspectivas mudam e a forma de interagirmos também se transforma.

A energia que passa a existir em nossa vida com tais mudanças na forma de pensar e de sentir, muda o nosso comportamento, alterando os acontecimentos da nossa vida. Parece até que algo mágico está ocorrendo, mas é apenas a mudança da produção daquilo que pensamos sobre nós, sobre o que nos ocorre, sobre os outros, sobre a vida.

Desta maneira, começamos a entender melhor porque tanto se fala em energia positiva, em gratidão, em agradecer a tudo o que nos ocorre e a todos que passam pela nossa vida.

*Por Patrícia Tavares
…………………………………………………………….
*Fonte: osegredo

Se ajudássemos uns aos outros, seríamos uma sociedade menos mesquinha

Se ajudássemos uns aos outros, seríamos uma sociedade menos mesquinha

Hoje para você amanhã para mim. Se todos aplicássemos o altruísmo recíproco, certamente seríamos uma sociedade mais comprometida. Porque cuidando do bem-estar do outro, contribuímos para o bem-estar comum.

O altruísmo recíproco define aquele sacrifício que fazemos por alguém, esperando que em algum momento esse favor nos seja devolvido. Se pensarmos bem, é uma prática que todos nós realizamos.

Pode ser, por exemplo, que em nossa infância mentimos para encobrir a brincadeira de um irmão, supondo que ele também mentiria para nós no futuro.

Isso nos mostra que existem vários tipos de altruísmo e que um deles é claramente interesseiro.

Longe de ser egoísta, cumpre um fim em nosso equilíbrio social e biológico como espécie. De fato, no mundo animal esse tipo de reciprocidade é mais comum do que pensamos. Vemos isso com frequência entre criaturas como morcegos.

Há uma espécie de morcego que, ao ver que um de seus companheiros não comeu o suficiente, regurgita o que contém no estômago para alimentá-lo. Eles sabem que se a mesma coisa acontecer com eles, eles serão ajudados da mesma forma. De fato, se há indivíduos na colônia que não oferecem essas “doações” altruístas, eles são expulsos do grupo.

A maioria de nós humanos e animais entende que para sobreviver é necessário contribuir de tempos em tempos com o cuidado dos outros. Se esses pequenos sacrifícios nos são devolvidos, então alcançamos uma harmonia essencial que conquista a todos.

O altruísmo sempre foi um enigma para as perspectivas darwinianas que assumiam apenas a sobrevivência do mais apto.

O “hoje para você e amanhã para mim” favorece e cuida das nossas relações sociais.

Características do altruísmo recíproco

Vamos admitir, esse tipo de altruísmo altruísta que age sem precisar ou buscar nada em troca é muito bom. De fato, há muitas pessoas que se movem sob esse princípio ético, emocional e moral. No entanto, do ponto de vista biológico e até social, precisamos que todos os esforços feitos em benefício dos outros nos sejam devolvidos quando precisarmos.

De fato, os relacionamentos mais significativos e satisfatórios são aqueles definidos pela reciprocidade real. O “hoje para você e amanhã para mim” nos permite enfrentar as adversidades com maior equilíbrio . Sabemos que quando precisarmos, teremos uma mão amiga, com um suporte para deitarmos mágoas, medos e necessidades. Isso é realmente valioso.

No entanto, o altruísmo recíproco vai um pouco mais longe. É também uma estratégia comportamental em que uma pessoa “sacrifica” ou realiza um ato de coragem por um estranho. Ele faz isso esperando que o comportamento deixe uma marca positiva. Deseja-se que tal deferência seja suficientemente inspiradora para que o comportamento de ajuda se repita.

Investimentos cooperativos e seus benefícios

O altruísmo cooperativo é uma forma de investimento corporativo. Na verdade, é um comportamento social tão complexo e fascinante que biólogos e psicólogos o estudam há anos. É verdade que houve um tempo em que esse tipo de altruísmo colidiu com os esquemas evolutivos darwinianos.

Se a evolução começa com a sobrevivência do mais apto, por que os animais mostram comportamento altruísta? Além disso, essa forma de comportamento aparece mesmo entre diferentes tipos de espécies. Há golfinhos, por exemplo, que ajudaram muitas pessoas que estavam se afogando. Eles foram detidos e levados para a costa. Que sentido têm atos desse tipo?

Além da inteligência do próprio animal, há outro elemento-chave. Foi o Dr. Robert Trivers quem cunhou este termo em 1971 após a publicação de um estudo. O que ele mostrou com sua teoria é que os animais entendem que o custo de ajudar pode ser recompensado. Vale a pena arriscar por outro ser, pois em algum momento você poderá ajudá-lo quando precisar.

Um exemplo de altruísmo recíproco é visto em macacos quando eles se limpam. Quando se realiza esse comportamento, sabe-se que mais tarde os papéis serão invertidos. Da mesma forma, também sabemos que os lobos trazem comida para outros membros após a caça e que os suricatos se revezam entre si para observar a possível chegada de predadores.

Altruísmo recíproco nas sociedades humanas

Sabemos que este tipo de altruísmo está muito presente no mundo animal. Às vezes, vemos até como alguns animais chegam a amamentar outros animais que não são de sua espécie. Há algo de nobre neles, algo que nos emociona e nos inspira. No entanto , o que acontece nas sociedades humanas? Aplicamos esse tipo de reciprocidade da mesma forma?

A verdade é que sim, e isso é algo que tentamos transmitir de geração em geração, com maior ou menor sucesso. Cícero destacou que não há dever mais importante do que retribuir atos de bondade . Porque aquele que esquece o que uma vez foi feito por ele, nunca será confiável.

Com isso, queremos insistir novamente em uma ideia. Esperar por esse esforço e deferência que tivemos para que alguém nos seja devolvido não é um ato de egoísmo. É um ato instintivo, vestígio daquela programação cerebral que favorece a sobrevivência do grupo. É assim que se constrói uma sociedade forte e saudável, na qual seus membros se preocupam uns com os outros.

Os egoístas abundam em excesso

O altruísmo recíproco é um exercício que muitas pessoas não entendem ou praticam. Não podemos dizer que há algo “defeituoso” neles. No entanto, seu comportamento gera desafeto. Portanto, é lícito desconfiar de quem não se esforça para retribuir o que é oferecido, para se importar com o outro, para ser gentil de forma natural e instintiva.

A MESQUINHEZ É ALGO QUE, INFELIZMENTE, MUITAS VEZES VEMOS NO NOSSO DIA A DIA. A NOSSA SOCIEDADE PRECISA ENTENDER A IMPORTÂNCIA DO ALTRUÍSMO.

Enquanto no mundo animal o indivíduo egoísta é expulso do grupo, em nossa sociedade, às vezes, quem menos se importa com os outros é quem tem mais poder. Vamos refletir sobre isso.

…………………………………………………………….
*Fonte: seuamigoguru

Tia Clair

Hoje mais uma vez é uma data com nota triste aqui no blog, é que faleceu uma tia muito querida e isso sempre deixa um certo rastro de tristeza. Sei que de alguma forma ela agora descansou, estava doente, fraquinha e chegou a sua hora de partir. Mas essa despedida não é fácil. De certa forma é óbvio que vou ficar com inúmeras belas lembranças dela, seu senso de humor apurado, sua faceirice e bem sei que foi uma boa mãe e uma ótima esposa. Hoje ao longo do dia me deparei com tantas lembranças. Ah esse tal relógio da vida e do tempo… Já estou com saudades de seu sorriso.
Essa questão também logo nos faz lembrar de que estamos aqui de passagem e a vida é curta sim!
A idade avança, o tempo passa e eu também estou ficando velho, percebo que os mais velhos da família estão se indo e lamento não ter tido mais tempo e oportunidades de ficar junto deles. Uma equação básica da vida que creio ser um tipo de pensamento recorrente que a grande maioria das pessoas logo conclui. Mas não adianta lamentar, a questão é saber curtir cada momento.
Descanse em paz tria Clair. Ah! E mande um forte abraço para o tio.
Nós aqui vamos seguir em frente. Não sei bem como, mas daremos um jeito. Talvez as cores há tempos já não sejam mais as mesmas, mas enfim…

A geração de pessoas que malham o corpo e esquecem de fortalecer a alma

A geração de pessoas que malham o corpo e esquecem de fortalecer a alma

Uma geração onde muitos malham o corpo. Mas esquecem de fortalecer o caráter.

Porque caráter, é uma conquista que requer esforço. É abdicar de falhar com o próximo.

Assim como enriquecer um músculo precisa ser fortalecido para se manter esbelto, o bom caráter necessita de abdicar do erro para se tornar de fato alguém admirável.

O dia em que você entender que não precisa de badalação e ostentação para se sentir feliz, será o mesmo dia em que se encontrará na companhia da solidão e perceberá que não necessita de companhias e salas vãs e vazias, pois finalmente terá construído dentro de si um festival de calmaria.

Só então sua alma encontrará paz. Então, haverá festa dentro de si todos os dias, o ano inteiro.

O barulho até pode ser divertido, mas somente se estiver com um espírito em equilíbrio.

Ame primeiramente seu quarto. Depois estará pronto pra badalar o mundo.

Mais do que uma sessão diária, cujo foco é admiração externa, requer uma série de escolhas, e abnegações do ego.

O foco cobra uma disciplina constante.

Um exercício extrafísico, que refletirá de dentro para forma o quão nobre é sua alma.

NÃO HÁ TREINO MAIS BONITO DO QUE O DE UM ESPÍRITO DETERMINADO A EVOLUIR.

Lembre-se; você tem que ter pressa pra ir de encontro ao seu objetivo. Mas desde que ele seja baseado em boas escolhas. E boas escolhas se baseiam no teste do tempo.

Opte sempre pelo que não se corrói facilmente.

Serve para provisões, profissões, pessoas… Atente aos sinais, tenha prudência para fazer uma boa escolha, por alguém que honre seu coração e sua entrega.

Por alguém que não te vire as costas quando a situação aperta.

Mas esteja ciente de que Ele também irá te preparar para alcançar, seja pelo Amor ou pela Dor, até que atinja o grau de maturidade necessário para receber aquilo que trabalhou em si mesmo para se tornar digno de merecê-lo.

Até estar preparado, você também será constantemente testado. Ninguém disse que seria fácil e não há vitória sem batalha. Mas valerá a pena, afinal, sabedoria vem com o tempo.

Quer ficar realmente grande?

Cresça.

A vida é um bom treinador. Ela te faz ficar mais forte. Seja pelo amor ou pela dor.

Às vezes, a escolha será mútua.

*Por Daniele Abrantes
……………………………………………………….
*Fonte: seuamigoguru

Dia de São Jorge: quem foi o herói que hoje é padroeiro do Rio de Janeiro e da Inglaterra

O Dia de São Jorge é o dia do santo padroeiro da Inglaterra e do Estado do Rio de Janeiro, comemorado no 23 de abril de cada ano. Mas quem era o soldado matador de dragões que se tornou o padroeiro de diversos países, estados e cidades?

“É praticamente certo de que ele era uma figura histórica real — provavelmente um soldado romano cristão chamado Georgios”, diz Michael Carter, historiador da English Heritage.

Ele provavelmente nasceu na Capadócia, na Turquia, por volta de 260 d.C., e morreu como mártir em Nicomédia, ou Lida, atualmente em Israel, na província romana da Palestina em 300 d.C., diz o pesquisador.

O dia do santo guerreiro costuma ser comemorado no Rio com missas em igrejas e na catedral da capital fluminense, além de cerimônias de devotos de São Jorge no mundo da música, especialmente do samba.

Como ele era?
“Ele é um santo glamuroso. Dizem que ele era muito bonito, montado em seu cavalo matando um dragão”, afirma Carter.

“Sua história é algo que cruza culturas e períodos”, acrescenta o historiador. Ele representa honra, coragem e ele tinha associações reais e militares.

“Há muito em sua lenda que reflete os valores ingleses.” Ele realmente é um patrono da Grã-Bretanha moderna, sendo bastante diversificado e internacional.

E quanto ao dragão?
Esta história foi ambientada em Silene, na Líbia, que estava sendo aterrorizada por um feroz dragão do mar, de acordo com Candida Moss, professora de Novo Testamento e Cristianismo Primitivo da Universidade Notre Dame.

“Os habitantes da cidade tinham, sob o comando do rei, dado seus filhos para serem devorados pelo dragão até que finalmente chegasse a hora de a própria filha do rei ser sacrificada”, disse ela à BBC.

“Jorge, no entanto, interveio, prometendo ao rei que, se todos fossem batizados, ele mataria o dragão.” O rei teria atendido o pedido, George matou o dragão e todos foram salvos.

A lenda traz ideias de incorporação do bem e do mal, e combate entre heróis e monstros, explica Carter. “É basicamente um arquétipo, o bem derrota o mal.”

Como Jorge morreu?
Por ordem do imperador romano Diocleciano havia uma perseguição contra cristãos, mas São Jorge teria se recusado a renegar a sua fé e a fazer um sacrifício aos deuses pagãos, conta Carter.

“Algumas histórias dizem que ele foi torturado por sete anos, durante os quais todas as formas de horror foram usadas contra ele”, disse Carter. “Ele foi crucificado, torturado, espancado, fervido vivo e envenenado.”

“A lenda diz que ele morreu três vezes e foi trazido de volta à vida por São Miguel, antes de ser, finalmente, decapitado.”

Por que ele se tornou o santo padroeiro da Inglaterra?
“Logo após sua morte, Jorge foi venerado como um santo, com um dia de festa no dia 23 de abril, o suposto dia do seu martírio”, explica Carter.

Ele também é padroeiro de Aragão, Catalunha, Geórgia, Lituânia, Palestina, Portugal, Alemanha, Grécia, Moscou, Istambul, Gênova e Veneza — atrás de São Marcos na cidade italiana.

Após a Batalha de Agincourt em 1415, o Dia de São Jorge tornou-se um dos dias de festa mais importantes do calendário inglês, afirma Carter.

“E em 1399 sua festa foi elevada a um feriado no mesmo nível do Natal.”

“Mas devido à formação da identidade nacional inglesa após a reforma protestante, os santos caíram em desgraça e não recuperaram a sua importância.”

……………………………………………………………
*Fonte: bbc-brasil

Quando a consciência desperta, os nossos desejos mudam

Quem não se conhece, constantemente se perde ao desejar coisas que, não necessariamente o farão evoluir como pessoa. Quando a consciência desperta, os desejos mudam.

ANTES DE DESEJAR QUALQUER COISA BUSQUE CONHECER QUEM VOCÊ É DE VERDADE.

Desejos e autoconhecimento

A busca pelo autoconhecimento precisa ser desmistificada. Há um enorme abismo quando nos comunicamos a respeito de nós mesmos. Entre o que a gente acha que é, e quem somos de fato.

Alias, o fato, sempre é descartado por muitos que se vitimizam embebidos em suas próprias justificativas, julgamentos e críticas, frutos dos seus altos padrões de exigências internas.

Essas exigências impositivas criam restrições diversas em nossas vidas. São os nãos que constantemente dizemos para nós e para vida. É quando nos negamos um sorriso, um agradecimento, um perdão, um recomeço que somados, geram muitos desconfortos diários.

PERCEBA SE VEM DIZENDO MAIS NÃO DO QUE SIM PARA VIDA.
OS SEUS PENSAMENTOS NÃO SÃO QUEM VOCÊ É!

Se tornar consciente é uma questão de conexão, que se conquista através da “inteligencia espiritual”, função, que não possui nenhum vínculo com religiosidades, mas confere etimologicamente à espiritualidade.

Muitos autores, defendem a existência da espiritualidade inclusive em meio ao ateísmo.

André Comte-Sponville, em seu livro “O espírito do ateísmo: introdução a uma espiritualidade sem Deus”, fala de uma “espiritualidade sem a ideia de um Deus” no sentido de uma abertura para o ilimitado, um reconhecimento de sermos seres relativos, mas abertos para o absoluto.

Seria o reconhecimento da dimensão misteriosa e ilimitada da existência, que não precisaria passar por alguma explicação religiosa; mas que se aplica a uma experiência que vai além do intelecto.

Atualmente, a espiritualidade tem sido bastante estudada no que se refere às suas relações com a saúde física, emocional e espiritual.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) vem aprofundando as investigações sobre a espiritualidade enquanto constituinte do conceito multidimensional de saúde; atualmente, o bem-estar espiritual vem sendo considerado mais uma dimensão do estado de saúde, junto às dimensões corporais, psíquicas e sociais.

É como o próprio nome diz: se trata de desenvolver as habilidades e competências necessárias para que possamos ser capazes de entrar em contato com o nosso eu verdadeiro, com a nossa essência. Se trata também de nos tornar autênticos, íntegros, humildes a ponto de nos desvencilhar de tudo aquilo que achamos que somos, para que possamos ser tudo o que ainda desconhecemos.

Essa essência, quando descoberta, revela os nossos estados essências, de amor, compaixão, fé, empatia, e tantas outras qualidades que nos levam para um belo estado de ser, no sentido de despertar para a convicção da existência de algo maior que a nossa compreensão humana.

O amor por essa versão verdadeira de nós mesmos libera o acesso aos nossos dons e talentos, e ao reconhece-los e honrá-los nos sentimos apaixonados pela vida e passamos a oferece-los ao mundo.

Infelizmente ainda são poucos os que conseguem alcançar uma consciência desperta, livre de sofrimentos e crenças limitantes, dentro das definições limitadas que cultivamos sobre “quem eu sou”.

É tão singular, quase abstrato, mas totalmente tangível para qualquer um de nós.

Essa conexão acontece quando decidimos fazer tudo com amor! A nossa vida muda porque o nosso olhar muda! E o que é mais bonito é que os nossos desejos mudam. Nós paramos de querer tudo, e passamos a nos atentar para o que a gente realmente precisa, para as nossas necessidades reais, e a birra da nossa criança interior, cessa.

A abundância nos alcança sem que a gente tenha que se desgastar, ou corromper por ela. Porque paramos de brigar com a realidade, a aceitamos, e fazemos o melhor que podemos fazer a partir dela.

Descobrimos que somos únicos, distintos, porém, ao mesmo tempo, iguais.

Parece óbvio, mas nos entregamos ao fluxo da vida e aceitamos o processo. Nascemos e morremos, e no meio tempo, crescemos.

COMO O FRUTO QUE CAI DO PÉ E NUTRE A TERRA E OS HOMENS, NÓS SOMOS O QUE NUTRIMOS EM NÓS E NOS OUTROS.

A meditação nos tira do estado de sofrimento, e o @taadashikadomoto me provou isso com as suas meditações às 6h e as 20h, há mais de 100 dias, todos os dias, ao vivo no Instagram.

Nesse meu caminho de busca pelo autoconhecimento e por essa conexão com as inspirações divinas, sem conotações religiosas, me vinculei a muitos “mestres”, que são os meus professores, que iluminaram o caminho para que eu pudesse enxergar tudo mais claro.

Percebi que é sempre mais fácil andar acompanhado do que sozinho. Mesmo sendo esse caminhar regado de solitude. @rhamuche me ensinou isso e muito mais.

Andei por muitos caminhos, percorri estradas desafiadoras que enriqueceram e fortaleceram o meu ponto vital.

Me refiro ao meu coração. Sempre me pergunto: O que mora nele? Por que sofre por situações passadas e se preocupa com o futuro?

Descobri que o cérebro tem igual responsabilidade nesse desvincular dos estados de sofrimento, talvez ele seja o ponto chave para um encontro saudável com o que o nosso coração almeja, no entanto, o caminho mais difícil de se percorrer, e a maior distancia que eu já percorri, mesmo depois de tantos trekkings que já fiz por aí, foi entre o meu cérebro e o meu coração. Isso também aprendi com o @tadashikadomoto.

Essa distancia aparentemente pequena entre o coração e a mente, na verdade, é instigante e desafiadora, são labirintos complicados, muito fáceis de se perder.

O que um dizia para o outro era sempre muito divergente.

Foi praticando meditação que eu entendi que precisava fazer essa conversa convergir, para isso, busquei encontrar coisas que o meu coração e a minha mente tinham em comum, e tracei uma boa comunicação entre eles.

Criei confiança, e aprendi a influencia-los mutualmente. Quando a minha mente me trazia informações do passado, mágoas, recentimentos, raiva, e o meu coração dizia para superar, eu escutava o meu coração e mandava essa informação vinda dele, para a minha mente. Esse exercício passou a ser diário, constante, e exigiu coragem. Mas eu arregacei as mangas e me coloquei a serviço do meu coração, e essa foi a grande sacada.

Passei a ouvir o meu coração e seguir o que ele me dizia, assim, a minha mente passou de CEO para operária da minha empresa interior.

Não é fácil. Exige dedicação, disciplina, perseverança, coragem, consistência, coerência, amor, tanta coisa… Mas vale muito a pena, e digo que não é fácil para que entendam que exige bastante de nós.

É uma escalada íngreme em uma montanha que revela paisagens deslumbrantes. E essas paisagens vão fazendo brotar em nós momentos mágicos todos os dias.

Se permita experimentar essa viagem interior antes de proferir seus desejos por aí.

QUANDO A CONSCIÊNCIA DESPERTA, OS DESEJOS MUDAM.

A mente desperta e a consciência expandida escolhe se alimentar de bons sentimentos, faz o bem para si mesmo e para os outros. E essa dinâmica interna revigorada muda o jogo, e traz para perto elementos que te auxiliam a alcançar desejos mais nobres que não vão de encontro apenas aos seus interesses mesquinhos, mas sobretudo, ajudam a descobrir um propósito maior para a sua vida.

Esse propósito dará sentido a tudo, é a partir desse lugar que você poderá lançar mão dos seus talentos e poderá contribuir para um mundo melhor não só para você, mas para todos ao seu redor.

Depois de muito estudo, pesquisa e aplicação prática, descobri algo que também parece óbvio, mas são as coisas óbvias que habitualmente são as mais difíceis de assimilar.

Descobri o que o cérebro e o coração tem em comum e onde eles se encontravam e trabalhavam perfeitamente juntos: Fazendo o bem!

Todas as vezes que eu me coloca a serviço com amor, doava os meus talentos com gratidão, sem esperar nada em troca, sem criar expectativas ou me vitimizar, os dois trabalham de forma extraordinária juntos.

Quando estão fazendo o bem, coração e mente geram bons sentimentos, e promovem um profundo bem estar. Vários estudos científicos provam isso. Foi esse ponto convergente que abriu as primeiras portas para que eu pudesse chegar cada vez mais perto do meu eu superior.

A primeira conversa honesta que tive comigo mesma foi muito engraçada.

Depois de alguns dias me comunicando com a minha essência, me acolhi, me amei, me senti, ressignifiquei um milhão de coisas, perdoei, honrei, descobri meus pontos fortes, me aproximei de pessoas mais fortes que eu, pedi ajuda, e recebi verdadeiros milagres em forma de sincronicidade.

ME DOEI E ME ENTREGUEI, MAS RECEBI INFINITAMENTE MAIS.

Tudo o que eu recebo hoje, por aceitar a realidade como ela se apresenta, e me entregar amorosamente ao fluxo da vida, é infinitamente melhor do que qualquer pedido que eu já tenha feito para o Universo um dia.

DESCOBRI O QUE MUITOS JÁ SABEM, MAS UM GRANDE PARTE INSISTE EM NÃO DAR ATENÇÃO: QUE A VIDA SE FAZ NO AGORA, E PORTANTO, O QUE EU SINTO HOJE, ESTARÁ MAIOR AMANHA.

Se hoje eu me sinto abundante, próspera e muito amada, amanhã me sentirei ainda mais, é só praticar o bem com coragem, coerencia e consistencia, para se manter em um belo estado interno.

Caso ocorra uma situação desafiadora e as emoções fervilharem, essa inteligencia emocional aplicada não permitirá que eu venha a entrar em estado de sofrimento.

Eu olho para o fato, penso na solução e não no problema. E espero que as inspirações divinas me alcancem, com fé, confiança e aceitação.

EU ESCOLHO NÃO ALIMENTAR O SOFRIMENTO!

Paro, respiro, e completo o meu vazio interior com um amor profundo e com gratidão pelo ensinamento que o momento me trouxe.

ACOLHO O APRENDIZADO, AGRADEÇO E SIGO EM FRENTE.

Posto isso, hoje ofereço a mim mesma um amor imenso todos os dias.

Um amor que antes de descobrir esses meus estados essenciais, simplesmente, eu não conhecia.

Eu pedia, exigia, cobrava e esperava esse “tal amor” dos outros, mas agora, sinto um amor imenso e uma gratidão extraordinária gritando dentro de mim. É como se uma criança estivesse ganhando um brinquedo todos os dias, e entusiasmada, pulasse de alegria.

Você consegue pular de alegria hoje, sem ter um motivo para isso?

Se não consegue pular de alegria, sem se utilizar de medicamentos, álcool ou ilícitos, MEDITE.

Medite todos os dias por pelo menos 20 minutos e depois de poucos dias verá a sua mente se iluminando. Verá a sua fé se renovando aos poucos, liberta de crenças, e ligada apenas a sua essência divina.

Você começará a se perguntar constantemente:

QUEM SOU EU?

Aprenderá a silenciar e respirar conscientemente!

Como Tadashi Kadomoto diz:

“A RESPIRAÇÃO É O CAMINHO PARA DENTRO DE SI.”

Antes de saber exatamente quem é você, antes de sentir esse belo estado de ser, não deseje nada.

Os seus desejos estarão sempre conectados à situações que não te levariam a um crescimento interno, e coisas muito mais desafiadoras acabarão acontecendo para que você aprenda lições que te levem a conhecer essa essência que você insiste em negligenciar.

Primeiro, descubra quem você é, e a partir desse lugar, deseje o que você quer!

Quando a consciência se expande, nossos desejos passam a ser sinônimos de cocriação com a vida, e a isso podemos chamar de sincronicidade.

Sem esse despertar da consciência para quem somos, nossos desejos sempre nos levam a caminhos perigosos, que nos desalinham, nos desconectam e nos levam para um estado de sofrimento quando não os alcançamos.

Aceite a sua realidade! Seja grato por ela! Alimente bons sentimentos! Medite todos os dias!

Faça isso com coragem, dedicação, confiança, e acredite que esse processo é extremamente necessário para que você consiga sentir uma felicidade real dentro de você. Uma felicidade que não pode ser comprada, e que é a fonte de desejo de todos nós, onde devemos todos os dias, depositar as nossas moedas.

Sonhe alto, mas antes, mergulhe bem fundo dentro de você!

*Por Iara Fonseca
…………………………………………………………………………
*Fonte:

6 sinais de que a espiritualidade está tentando entrar em contato com você!

6 sinais de que a espiritualidade está tentando entrar em contato com você!

Muitas vezes, estamos vivendo de forma displicente e nem nos atentamos para as mensagens que a espiritualidade quer nos passar. É nesse momento, de desconexão que nos sentimos perdidos, confusos e começamos a trocar os pés pelas mãos. Quando tudo parece dar errado, a verdade por trás disso é que não estamos dando ouvidos aos sinais.

Por isso, separei aqui 6 possíveis sinais da espiritualidade para que você fique atento e comece a estabelecer uma conexão mais profunda:

1 – Você tem sonhos e, ou visões nítidas durante a meditação.
As pessoas que possuem o hábito de meditar todos os dias, desenvolvem capacidades psiquicas que as outras pessoas não possuem, uma delas é lembrar dos sonhos com mais frequencia que o habitual e outra é começar a enxergar coisas, cores, lugares, ou pessoas, mesmo com os olhos fechados. Essas situações são sinais claros de que a espiritualidade está tentando estabelecer um contato, abrindo o seu “terceiro olho” e pedindo para você confiar na sua intuição.

2 – Seus sentidos são reforçados.
A maioria das pessoas comuns estão ligadas no piloto automático e não costumam dar atenção para os seus pensamentos, sentimentos e emoções. Essa falta de atenção faz com elas acumulem tudo e somatizem as emoç~~oes de uma forma que a percepção da realidade passa a ficar distocida.

No caso das pessoas que estão sendo chamadas ao trabalho de amor e caridade e estão sendo convocadas a vibrar positivamente, os sinais começam a ser percebidos através de sensações físicas e passam pelo crivo da percepção emocional. Essas pessoas começam a viver o presente e passam a perceber a realidade com mais amor. Mesmo diante das situações mais desafiadoras.

3 – Eletrodomésticos começam a quebrar.
Acontece muito de pessoas que estão vibrando em uma frequencia mais baixa, influenciadas por energias negativas, começarem a perceber em seus lares que seus eletrodomésticos, de uma hora para outra, começam a apresentar defeitos. Alguns ligam sozinhos, outros queimam e muitos, passam a entrar em curto. Esses são sinais claros de que a pessoa deve realizar uma limpeza energética, tanto em seu lar, quanto em seu campo espiritual. Essa intereção, nem sempre vem de fontes positivas, mas sim, de fontes malígnas.

4 – Você alcança um inexplicável conhecimento.
Muitas pessoas que buscam iluminar as suas sombras e desenvolver um contado mais seguro com a espiritualidade, contam que, em determinados momentos da vida, alcançaram um conhecimento inexplicável. Em um momento estavam envolvidas em muitos problemas e, bastou um momento de conexão amorosa com a espiritualidade, para encontrarem soluções simples para todos eles, como em um passe de mágica.

5 – Arrepios e calafrios frequentemente.
Pessoas sensitivas, dizem sentir arrepios, calafrios, nojo, ânsia de vômito e até dores de cabeça quando entram em ambientes muito lotados, ou até em lugares vazios.

Esses são alguns sinais de que existe ali, energias densas ou até mesmo, uma vontade de comunicação espiritual, indicando alguma necessidade não atendida.

É preciso estar vigilante para não se tornar uma”esponja” da espiritualidade desasistida, é preciso aprender a não tomar para si, todas as enegias que se aproximam.

Para que isso não se torne uma armadilha em sua vida e a impeça de transitar por todos os lugares, a pessoa necessita vibrar no amor e se conectar com as energias positivas, pensando o bem, fazendo o bem e alimentando sentimentos bons.

6 – Você é guiado por sincronicidade.
Uma pessoa que possui forte conexão com a espiritualidade está sempre sendo guiada pelas sincronicidades da vida. Ela pensa em uma coisa, logo, essa coisa acontece. Ela precisa de algo, logo, esse algo aparece. Alguém precisa dela, logo, ela sente que deve enviar uma mensagem ou fazer uma videochamada.

Caso você tenha se identificado com alguma dessas opções, isso indica que VOCÊ possui uma ligação com a espiritualidade amorosa e, isso é fruto do seu mérito por alimentar bons pensamentos, sentimentos e de sua boa ação diante das provações da vida.

*Por Iara Fonseca
………………………………………………………………….
*Fonte: seuamigoguru

Se você quer ser uma pessoa melhor, antes de falar escute!

Se você quer ser uma pessoa melhor, antes de falar, escute!

Para manter boas relações no ambiente social, trabalho e vida familiar, é fundamental saber escutar. Será que você tem essa capacidade desenvolvida tanto quanto necessita?

Se você parar para pensar, há uma série de provérbios que falam sobre a importância de saber escutar. Nos comunicamos o tempo inteiro, mas poucas pessoas sabem, de fato, escutar.

Isso porque nem sempre é uma tarefa fácil; vai muito além de parar de falar e receber as palavras que estão sendo ditas pela outra pessoa.

ESCUTE MAIS E FALE MENOS, QUANDO VOCÊ ESCUTA, VOCÊ APRENDE, E QUANDO VOCÊ FALA VOCÊ REPETE O QUE VOCÊ JÁ SABE.

O ser humano tende a gostar muito mais de dar opiniões do que de escutá-las. E um dos erros mais habituais é aproveitar o relato de uma pessoa para complementar com uma experiência própria, algo muito distante da definição de “saber escutar”.

Isso acontece com você?

Quantas vezes, enquanto alguém te explicava algo, você estava escutando sua voz interior, pensando na resposta que você daria ou em outras coisas mais importantes para você naquele momento, como a lista da compra ou o que precisava fazer no fim de semana?

Quando você se comporta assim, você só está escutando a si mesmo, tampouco está sabendo escutar.

Lembre-se: saber escutar é fundamental para fortalecer conexões, melhorar a relação com quem nos cerca, crescer pessoal e profissionalmente.

Se você deseja ser uma pessoa melhor, siga esses passos e aprenda a escutar:

1) Ofereça sua atenção integral
Quando você se disponibiliza a escutar alguém é importante que esteja disposto a dedicar toda a sua atenção àquela pessoa durante alguns minutos.

2) Mantenha contato visual
O contato visual é um elemento indispensável para demonstrar atenção e uma postura receptiva.

3) Não interrompa
Para ser um bom ouvinte é fundamental saber que o mais importante é o que está sendo dito, por isso não devem haver interrupções.

4) Não banalize o relato
Cada pessoa tem sua subjetividade, uma forma de estabelecer o que é importante, angustiante, emocionante, fonte de alegria, de nervosismo, etc.

Por isso, não escute tentando interpretar os fatos segundo os seus próprios padrões, porque isso poderia levar você a cometer um dos piores erros: banalizar a história do outro.

5) Evite falar de você

UM BOM OUVINTE SE CENTRA NA EXPERIÊNCIA DO OUTRO, NÃO NA SUA PRÓPRIA.

Absorve a lição e agrega a sua vida o que foi aprendido. Ao fazer isso, ele aprende, e se torna a cada dia que se abre para escutar, ainda mais sábio.

FALAR DEMAIS É SINAL DE IGNORÂNCIA, E ESCUTAR, DE SABEDORIA.

Se você acha muito difícil escutar, e a todo momento, sente que precisa FALAR, expressar a sua opinião, você vive em profundo sofrimento.

Falar demais, sem escutar é sinal de que você sente uma profunda dor, para superar essa dor você precisa de ajuda!

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.
……………………………………………………………………………………..
*Fonte: resilienciamag

Um impactante curta nos brinda com uma das lições mais importantes da vida: saber quando desistir

A vida não é uma corrida de velocidade, mas de resistência. Isso significa que para chegar mais longe e em melhor forma é necessário manter um certo equilíbrio: saber quando é hora de apertar o passo e quando é necessário desacelerar ou mesmo parar para recuperar a força. No entanto, a verdade é que manter esse equilíbrio é difícil, especialmente quando as emoções são mediadas.

A armadilha do “investimento emocional”
Uma das armadilhas mortais em que normalmente caímos está na “inversão emocional”. Na prática, não queremos abandonar um projeto, um relacionamento ou qualquer outra coisa a que nos sentimos amarrados, simplesmente porque investimos tempo, esforço e sentimentos nele.

Na verdade, é uma armadilha muito comum no campo dos negócios. Uma pessoa investiu tanto em uma atividade que, embora não funcione mais e gere perdas, a pessoa se recusa a reconhecê-la e continua investindo em uma barca furada.

No campo dos relacionamentos, isso também acontece. Muitas pessoas pensam que passaram tantos anos juntos que não há como separar. Elas acreditam que perderão esse “investimento emocional”, e ainda estão imersos em um relacionamento que está realmente desgastando e que tira o desejo de viver.

Este curta-metragem mostra-nos, de maneira inequívoca, que às vezes não sabemos quando é hora de parar e permanecemos obcecados com o nosso objetivo, sem perceber que a vida pode ser desperdiçada nele. Também nos mostra a enorme influência que os hábitos podem ter nas decisões que tomamos, então preferimos permanecer ligados a eles, em vez de mudar.


Desistir a tempo não é fracassar

Embora associemos a palavra “desistir” com o fracasso ou falta de vontade, a verdade é que às vezes é a decisão mais inteligente. Você tem que saber quando você pode continuar a investir emocionalmente e quando é hora de parar. Se não formos capazes de reconhecer esse ponto, podemos literalmente arruinar nossas vidas.Felizmente, existem alguns sinais que indicam que talvez tenha chegado a hora de mudar de rumo:

1. Os resultados esperados estão cada vez mais distantes. Se você está dando o seu melhor e tem lutado por um longo tempo, mas os resultados que espera estão cada vez mais longe, talvez seja melhor reavaliar seus objetivos ou o caminho que você tomou.

2. O desgaste que você está sofrendo não vale a pena. Cada objetivo geralmente representa um desafio, para alcançar algo que realmente vale a pena, um certo nível de compromisso e esforço é necessário. No entanto, tudo tem um limite, então se o desgaste que você está sofrendo é muito grande, você pode ter que se perguntar se realmente faz sentido continuar se sacrificando.

3. As circunstâncias mudaram. Às vezes você pode estar tão absorvido em um projeto ou em um relacionamento que você perde de vista o contexto e não percebe que as circunstâncias mudaram, fazendo o seu esforço em vão. Portanto, de vez em quando, é conveniente parar e reavaliar a viabilidade de seus objetivos.

10 coisas que roubam sua energia positiva segundo Dalai Lama

Existem muitas coisas que “roubam” as nossas boas energias ao longo do dia. Sejam pessoas, situações ou mesmo ações que tomamos sem pensar nas consequências.

Para ajudar a guiar as pessoas rumo a um equilíbrio, o atual Dalai Lama (Tenzin Gyatso) enumerou o que chama de os “10 Ladrões da Energia”. Saiba reconhecê-los e proteja a sua positividade!

1. Se afaste das pessoas tóxicas
Deixe ir as pessoas que somente chegam para compartilhar queixas, problemas, histórias desastrosas, medo e julgamentos dos demais. Se alguém busca uma lixeira para deixar seu lixo, não deixe que seja a sua mente.

Dalai Lama

Elas são verdadeiras “vampiras” e irão sugar toda a energia que estiver ao seu redor, até deixá-lo fraco e sem forças.

As “pessoas tóxicas” normalmente são aquelas que vivem reclamando sobre a vida e nunca conseguem enxergar a positividade das situações. Nunca estão felizes ou satisfeitas pelas suas conquistas, mas são as primeiras na hora de apontar todos os defeitos e críticas sobre você e o resto do mundo.

Não existe crucifixo, água benta ou alho contra esses “vampiros de energia”, portanto o nosso melhor conselho é: SE AFASTE!

2. Pague a quem você deve
Pague suas contas a tempo. Ao mesmo tempo, cobre a quem te deve ou escolha deixa-lo ir, se já for impossível cobrar.

Dalai Lama

Sem perceber, você estará “pagando” as suas dívidas com a sua própria energia, pois definitivamente dever alguém é uma das coisas mais desgastantes que há! Honre os seus compromissos e evite se comprometer com responsabilidades que você não garante cumprir.

3. Cumpra suas promessas
Se não cumpriu suas promessas, se pergunte por que tem resistência. Sempre tem direito a mudar de opinião, a se desculpar, a compensar, a renegociar e a oferecer alternativa ante uma promessa não cumprida. Ainda não como de costume. A forma mais fácil de evitar o não cumprir com algo que não quer fazer, é dizer NÃO desde o princípio.

Dalai Lama

Novamente, não prometa algo que você sabe que não poderá cumprir, pois uma das coisas que contribui para baixar drasticamente a sua energia é a quebra de promessas.

Por outro lado, ao cumprir as promessas somos reabastecidos com um sentimento de satisfação que, consequentemente, aumenta a nossa energia positiva.

4. Dedique o seu tempo fazendo algo que goste
Elimine onde é possível e delegue aquelas tarefas que não prefere fazer e dedique seu tempo a fazer as coisas que gosta.

Dalai Lama

Calma, isso não significa que você deve fugir das suas responsabilidades e obrigações. Por vezes, somos obrigados a desempenhar uma atividade, por exemplo, que sabemos não ser de nosso agrado, mas devemos cumpri-la, pois é um dever.

Para não desperdiçar suas boas energias com tarefas que não te dão satisfação, busque construir ao seu redor aquilo que você gosta. Caso sinta que não é capaz de fazer algo, seja verdadeiro e peça para que outra pessoa mais qualificada assuma esse trabalho. Mas atenção, não faça disso uma desculpa para fugir dos desafios ou responsabilidades!

5. Descanse e aja
Se dê permissão para descansar se estiver em um momento no qual necessita e se dê permissão para agir se estiver em um momento de oportunidade.

Dalai Lama

Saber parar e descansar é essencial para garantir que suas energias não se percam por aí. Se não tiver encontrando a resposta que tanto procura, simplesmente pare e tente relaxar. Recarregue as suas forças e, principalmente, as suas energias positivas na companhia de pessoas que você ama. Mas, assim que surgir um novo caminho rumo aos seus objetivos e planos, não perca tempo e saiba agir!

6. Arrume e reorganize
Tire, arrume e organize, nada te toma mais energia que um espaço desordenado e cheio de coisas do passado que já não precisa.

Dalai Lama

Não precisa de muitas explicações, não é mesmo? E é a pura verdade. Quando estamos em um ambiente desorganizado nos sentimos desorientados e desanimados. Tente pôr uma ordem na sua bagunça, e não estamos falando apenas de coisas materiais.

7. Cuide de sua saúde
Dê prioridade a sua Saúde, sem a maquinaria de seu corpo trabalhando ao máximo, não pode fazer muito. Tire alguns momentos para descansar.

Dalai Lama

Não apenas a nossa energia mental e espiritual deve ser preservada, mas principalmente a energia física. Todas estão conectadas, então você deve estar atento a sua saúde e evitar que a falta de vitalidade consuma a sua positividade.

8. Enfrente as situações
Enfrente as situações tóxicas que está tolerando, desde resgatar um amigo ou um familiar, até tolerar ações negativas de um companheiro ou um grupo. Tome a ação necessária.

Dalai Lama

Todos enfrentamos situações tóxicas ao longo da vida. Não deixe que elas te dominem, mas seja você a tomar as rédeas dessas situações!

Você pode ter medo, insegurança ou não saber como agir, mas uma coisa é certa: não pode ficar passivo ao que te faz mau e rouba sua energia e vitalidade. Resista, reivindique e mude todos os cenários que forem tóxicos para a sua vida!

9. Aceite
Aceite. Não é resignação, mas nada te faz perder mais energia que resistir e brigar contra uma situação que não pode mudar.

Dalai Lama

Ter humildade e saber reconhecer aquilo que não podemos mudar. Não somos donos do mundo e nem tudo será do jeito que gostaríamos que fosse. Em muitos momentos a única coisa que nos resta é aceitar a vida como ela é.

10. Perdoe
Perdoe, deixe ir uma situação que esteja causando dor, sempre pode escolher deixar a dor ir embora.

Dalai Lama

O ressentimento, a raiva e o desejo de vingança são sentimentos que consomem muita energia e, definitivamente, não dão espaço para que a sua energia positiva irradie.

……………………………………………………………………………………………….
*Fonte: equilibrioemvida

Algumas pessoas nos fazem sentir que já as conhecemos de outras vidas!

Algumas pessoas nos fazem sentir que já as conhecemos de outras vidas!

Vocês já conheceram alguém e assim que vocês bateram os olhos nela sentiram algo inexplicável? Como se vocês já se conhecem antes ou em outras vidas?

Os sentimentos variam entre paz extraordinária, admiração sem precedentes, paixão arrebatadora e amor à primeira vista ou, até mesmo, um sentimento contrário nasce na gente, uma pontinha injustificável de ódio, quando sentimos que o “santo não bate”.

Esse sentimento a primeira vista pode surgir por um novo colega de trabalho, por um novo membro da família, ou até mesmo por um estranho que cruzou o nosso caminho e nem sequer conhecemos direito.

Geralmente, essas pessoas nos impressionam tanto, que a primeira impressão é a que acaba ficando.

Elas se transformam em grandes amigos, num verdadeiro amor, ou então em um desafeto em potencial.

Mas o melhor mesmo é quando elas se tornam pessoas insubstituíveis por serem pessoas tão especiais e inesquecíveis.

Bom mesmo é quando elas plantam em nós as suas sementes de amor e nos deixam seus legados de afeto.

Bom mesmo é quando elas se tornam um belo exemplo de vida ou prestam uma ajuda espontânea, vão com a nossa cara de graça, e são capazes de agregar um grande valor em nossas vidas.

Existe um imenso mistério nas afinidades da vida, é um verdadeiro encanto o que nos prende ou nos afasta.

Caso à não afinidade aconteça à primeira vista, nesse caso, qualquer tentativa de agradar pode se tornar desgastante e em vão, mas existem exceções à regra, casos extraordinários de pessoas que foram pré-julgadas e após um período de convivência, conseguiram desfazer má impressão do início.

Há, no entanto, a possibilidade de nascer ali uma grande amizade.

Esse sentimento de que já conhecemos aquela pessoa de algum lugar é natural e recorrente, mas existe explicação para isso?

Não conseguimos explicar porque isso acontece, mas sabemos e temos muitos exemplos de pessoas que surgiram do nada em nossa vida e mudaram tudo para melhor, como se já estivessem nela há muito tempo. Chegamos até a pensar que as conhecemos de outra vida, mas não temos como comprovar essa tese, porém, é exatamente o que parece.

Independentemente de a conexão foi de afinidade positiva ou repulsiva, podemos notar que essa sensação interna se manifesta em todos nós intensamente.

A partir dessa sensação, podemos escolher nos aproximar e viver essa dádiva, pode-se escolher viver essa dádiva de exuberante alegria ou recusar quando a intuição alertar sofrimento à vista.

Estudos em psicologia mostram que a primeira impressão é a que fica e esta é dificilmente desfeita.

Se queremos construir boas relações precisamos nos atentar para a impressão que causamos em um contato inicial, e entender que causar uma boa primeira impressão é imprescindível em qualquer área da vida.

Se você deseja causar uma boa impressão por onde for, seja gentil, ouça mais e fale menos, tenha atitudes empáticas, coloque o seu ponto de vista e respeite a opinião do outro, cuide da sua aparência, seja simpático, educado, generoso, pontual e não julgue de modo a parecer inconveniente. Aprenda a se colocar no lugar do outro e seja prestativo, não invasivo.

Psicólogos do mundo todo concordam que apenas 30 segundos bastam para causar um impacto positivo no outro, assim que conhecemos alguém. Especialistas afirmam que este tempo é suficiente para deixar uma emoção ou sentimento psicológico na mente de um ser humano.

É no primeiro contato que passamos credibilidade. A confiança adquirida, ou não, neste primeiro momento será importante para o futuro dessa relação. Essa informação vale para todas as áreas da nossa vida.

Existem pessoas que nos reconhecem no primeiro olhar e que parecem fazer parte da nossa vida e conhecer a nossa história mesmo que não tenhamos dito uma palavra. Mas existem outras que dificilmente conseguimos nos conectar, e a máxima dos 30 segundos precisará ser aplicada a elas.

Por tanto, esteja atento para saber diferenciar uma pessoa da outra, e entenda que essas pessoas que parecemos conhecer de outras vidas são raras!

Valorize essas pessoas, esteja presente na vida delas, e as mantenha sempre por perto. No entanto, não pense que todos te entenderão, todos te aceitaram exatamente como você é. Sempre aparecerão na sua vida aqueles que não conseguem te decifrar, e que irão te julgar a primeira vista.

Tenha cuidado nos primeiros 30 segundos, e redobre o cuidado nas próximas horas para não se deixar levar por falsas aparências.

Se preocupe em mostrar o que você tem de melhor, e se apresente com os seus defeitos de forma autentica, a sua verdade sempre será melhor aceita do que um personagem que você inventar só para ser aceito.

Para encerrar este texto cito a frase de Tom Peters, uma das maiores autoridades no assunto:

“Você nunca terá uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão.”


*Por Idelma da Costa

………………………………………………………………………………….
*Fonte: seuamigoguru

Esse teste japonês vai te ajudar a conhecer as profundezas do seu inconsciente

Esse teste japonês vai te ajudar a conhecer as profundezas do seu inconsciente

Para fazer esse teste, pegue lápis e papel para escrever suas respostas.

Quem é você de verdade? Como você se relaciona com os outros? Quais são as prioridades da sua vida? Com este teste psicológico, você pode entrar nas profundezas do seu inconsciente e descobrir algo novo sobre você.

Teste psicológico japonês:
Agora pegue papel e lápis, eles podem te ajudar. Em seguida, feche os olhos, relaxe e se imagine cruzando um DESERTO.

Ao seu redor, existe uma grande extensão de areia que atinge o horizonte. Acima de você está o céu. Como você descreve esse deserto?

Agora você verá um BALDE na sua frente.

Qual é a aparência do seu balde? É grande, pequeno, largo? Do que é feito? É colorido ou transparente? Está na areia ou no ar?

Lembre-se de escrever as respostas a essas perguntas em sua folha de papel.

Agora imagine uma ESCADA.

A que distância está a escada do balde? Do que é feita? Escreva tudo!

Agora imagine um CAVALO.

Qual é a posição do cavalo em relação ao balde e à escada? O cavalo é manso ou bravo? O que ele faz? Escreva também esses detalhes na folha.

Em algum lugar neste cenário, FLORES aparecem.

Quantas? A que distância você está do balde? E quanto aos outros elementos? Anote também essas informações.

E no final, vem uma TEMPESTADE.

Você consegue ouvir? A que distância estão o balde, a escada, o cavalo e as flores?

A resposta do teste psicológico:
O deserto representa o mundo ao seu redor, ou melhor, como você o vê e o percebe.

O tamanho do balde representa o tamanho do seu ego. A cor ou falta de cor indica o seu nível de satisfação, quão “aberto” você é e quão fácil é para os outros lidar com você. Quanto mais alto for o balde da terra, melhor será a sua opinião sobre si mesmo.

A distância entre o balde e a escada fornece informações sobre sua amizade e simboliza o quão próximo é seu relacionamento com seus amigos. Se a escada estiver perto do balde, significa que seus amigos podem contar com você.

O cavalo representa seu amor. A distância entre o cavalo e o balde representa o seu grau de participação no relacionamento.

Se o cavalo é bravo, indica a necessidade de verificar uma das partes de sua relação.

Se o cavalo é manso, isso significa que você se sente seguro em seu relacionamento.

As flores representam seus filhos ou o desejo de tê-los. Quanto mais perto o balde e as flores estiverem, mais forte será o vínculo com seus filhos ou maior será seu desejo de ter filhos.

A tempestade representa o estresse e sua maneira de lidar com situações estressantes.

Quanto mais terrível e ameaçador for, maior será o medo e a ansiedade em você.

…………………………………………………………………………………….
*Fonte: equilibrioemvida

Almas antigas sofrem para se adaptarem a esse novo mundo!

Almas antigas e a estranheza em se adaptarem a este mundo!

Esse texto é para você, que assim como eu, anda se sentindo cansado, sem forças, desconfortável na própria pele e deslocado no planeta. São tempos estranhos. E nem digo isso somente pela pandemia.

Para mim, o mundo já andava esquisito antes da pandemia de Covid, pois já enfrentávamos outras pandemias, mais silenciosas, porém igualmente mortais, penso eu.

Uma dessas pandemias veladas chega disfarçada de “empoderamento” ou como já ouvi algumas dezenas de vezes: “são os novos tempos” e confesso que essa afirmação me arrepia tanto quando ouvir de algumas pessoas que “ah, todo mundo vai morrer mesmo um dia”.

Por mais que seja uma verdade incontestável, já pensou se todos adotarmos essa frase como lema absoluto de vida?

Poucos de nós passaríamos dos 16 anos, porque já que vamos todos morrer um dia, independente do que façamos, então para que vou me esforçar e sofrer todos os martírios da vida adulta?

Não faz sentido. Assim como não faz sentido arriscar a vida pegando um vírus perigoso só porque um dia vamos morrer mesmo, também não faz sentido usar o empoderamento e o amor próprio para mascarar os sintomas da pandemia do “desapega”, que traz sintomas gravíssimos como falta de empatia, insegurança, autoestima defasada, confusão mental e agressividade.

É uma pandemia do desamor, onde as pessoas lutam para não se apegarem a nada nem ninguém e quanto mais solitário e autossuficiente você aparentar ser, mais status e “seguidores” você ganha.

São tempos estranhos; líquidos. Amores que poderiam ser grandes histórias e histórias que poderiam virar grandes amores, que simplesmente, nem começam. Porque para se começar algo é preciso em primeiro lugar, permitir e em segundo lugar querer e os contaminados pelo vírus do desapego não querem sequer se permitir querer.

Ah…eu ando tão absolutamente nostálgica, especialmente nesse último ano.

Saudade da simplicidade do amor, de quando conhecíamos uma pessoa em um lugar público e nos encantávamos pelo sorriso dela ou pelo jeito tímido com que ela mexia no cabelo. Só isso.

Sem analisarmos seu “feed”, sem sabermos dos seus 180k seguidores, sem tirarmos pré-conclusões baseadas em fotografias, sem escolhermos a mais bonita dentre tantas opções perfeitamente expostas na vitrine da vida, ops, das redes sociais.

Saudade de quando a minha rede social era com meus amigos do colégio, embaixo da escada entre uma aula e outra, combinando na casa de quem seria a baladinha do fim de semana.

Se esses são os novos seres-humanos (multitarefas, multifacetas, multi-relacionamentos e multi-sozinhos), se esses são os “novos tempos”, eu só tenho uma certeza: De que minha alma é velha.

Eu tenho uma alma antiga e sofro por não conseguir me adaptar a este novo formato de mundo. Procuro almas antigas que me compreendam.

Eu tento responder minhas multi-mensagens no whatsapp o mais breve que consigo, mas não gosto, não tenho o menor saco para whatsapp, para lindas fotos pausadas (e posadas) em feeds minuciosamente organizados.

Eu gosto do play! De dar play em uma conversa ao vivo e só parar quando o dia está amanhecendo.

Dar play nas risadas dos amigos, no “mood” fim de semana em plena quarta-feira. Eu gosto de me desconectar das redes para cair no sono em uma rede na sombra, depois do almoço…

EU TENHO UMA GRANDE DIFICULDADE EM ENGATAR
PAPOS CHEIOS DE EMOJIS E SEM EMOÇÃO ALGUMA.

Nesse distanciamento social e afetivo que já acontecia bem antes do Corona chegar.

Minha alma vem de um tempo que não se tinha tanta perversidade explícita e gratuita, onde o egocentrismo não imperava soberbamente, usado como “status” de uma sociedade que emprega o amor-próprio como punição e a liberdade tão batalhada e adquirida ao longo das décadas, como instrumento de tortura.

Onde exigem condutas impecáveis de participantes de um reality show, mas não se para 2 minutos para ajudar um vizinho com as sacolas do supermercado.

Onde perde-se metade de um dia acompanhando a vida de estranhos, mas não se tem 5 minutos para ouvir um parente que está mal…onde a competitividade se tornou desleal e nos matamos para mostrar a mais uma leva de desconhecidos, que provavelmente nunca veremos na vida, que somos invencíveis, incansáveis, imbatíveis.

Ao meu ver, estamos nos tornando impenetráveis; inamoráveis, intolerantes e “invivíveis”. Quase inaptos, para continuar a sermos chamados de “humanidade”.

ALMAS ANTIGAS NÃO COMPACTUAM COM TUDO ISSO
E SE SENTEM FORA DO MUNDO NA MAIORIA DAS VEZES.

Saudade. Ai que saudade de me sentir em casa. De repente, parece que não tem mais lugar pra mim nesse mundo.

Almas antigas sofrem para se adaptarem a esse novo mundo!

*Por Bruna Stamato

…………………………………………………………………………………………………….
*Fonte: seuamigoguru

Seja como o aroma do café para enfrentar os problemas

Você poderia se perguntar, antes de ler esta reflexão, como é que, sendo como o aroma do café, isso pode ajudá-lo a enfrentar os problemas. Mas a resposta vai muito além do que as leis físicas podem explicar. Então, vamos mostrar o que acontece quando você começa a ver as coisas em perspectiva por meio dessa pequena história que quero contar.

Uma filha reclamou com o pai sobre sua vida e como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela não sabia como seguir em frente e acreditava que iria desistir. Eu estava cansado de lutar. Parecia que quando resolvi um problema, outro apareceu. O aroma do café.

Seu pai, um chef de profissão, levou-a ao local de trabalho. Lá ele encheu três recipientes com água e os colocou sobre o fogo. Logo a água de todos estava fervendo. Em uma colocou cenoura, em outra ovos e na última fez café. Ele os deixou ferver sem dizer uma palavra.

A filha esperou impaciente, imaginando o que seu pai estaria fazendo. Vinte minutos depois, o pai apagou o fogo. Tirou as cenouras e colocou-as em uma tigela. Ele removeu os ovos e os colocou em outro prato. Por fim, ele serviu o café, olhando para a filha e disse: – “Minha querida, o que você vê?” – “Cenouras, ovos e café”, foi a sua resposta.

Ele a fez se aproximar e pediu que tocasse nas cenouras. Ela fez e observou que eles eram suaves. Então ele pediu que ela pegasse um ovo e quebrasse. Depois de retirar a casca, ela observou o ovo cozido. Então ele pediu que ela tomasse um gole de café. Ela sorriu enquanto apreciava seu rico perfume. A filha perguntou humildemente: – “O que isso significa, pai?”

Ele explicou que os três elementos enfrentaram a mesma adversidade e problema: água fervente. Mas eles reagiram de maneira muito diferente. A cenoura atingiu a água forte e dura; mas depois de passar pela água fervente, ficou fraco, fácil de desfazer.

O ovo havia chegado frágil à água, sua casca delgada protegia seu interior líquido; mas depois de estar em água fervente, seu interior endureceu. O café, entretanto, era único; depois de estarem em água fervente, eles mudaram para água. “Qual é você?”, Perguntou o pai à filha.

Quando a adversidade bate à sua porta, como você reage? Você é uma cenoura que parece forte, mas quando a adversidade e a dor o tocam, você se torna fraco e perde sua força? Você é um ovo que começa com um coração maleável? Você tinha um espírito fluido, mas depois de uma morte, separação ou dispensa, você se tornou duro e rígido?

Você gosta de café? O café se transforma em água fervente, aquele elemento que causa dor. Quando a água chega ao ponto de ebulição, o café atinge seu melhor sabor e seu aroma torna-se muito requintado. Se você é como o grão de café, quando as coisas pioram, reaja melhor e faça com que as coisas ao seu redor melhorem, não só para o seu bem, mas para todos que se aproximam de você.

E você, qual dos três é você? Como você resolve aquelas situações em que se vê envolvido em tantos problemas? Você está agindo como um café? Nós, cristãos, somos um grão que damos ao mundo o sabor de Cristo, mas devemos ser purificados pelas provas para que nosso sabor permeie o mundo: “Vós sois o sal da terra. Mas se o sal se estraga, com que Não serve mais para nada além de ser jogado fora e pisoteado pelos homens. ” (Mateus 5,13)

……………………………………………………………….
*Fonte: sabervivermais

Oração a São Miguel por proteção contra inimigos espirituais

São Miguel é o arcanjo a quem recorrer ao lutar contra os ataques das forças espirituais demoníacas

Existe uma grande batalha pela nossa alma, e estamos bem no meio dela. Satanás e todos os seus asseclas estão trabalhando incansavelmente para nos derrubar e nos afastar de Deus. Mas a boa notícia é que o poder de Satanás pode ser derrotado, e os anjos são nossos protetores, especialmente São Miguel Arcanjo.

São Paulo escreveu na famosa carta aos Efésios: “Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares” (Efésios 6, 12).

Portanto, aqui está uma oração a São Miguel que pede proteção contra todos os inimigos espirituais.

Glorioso São Miguel, príncipe das hostes celestiais, que estás sempre pronto a dar assistência ao povo de Deus. Tu que lutaste contra o dragão e a velha serpente, expulsando-os dos Céus. Agora defendes valentemente a Igreja de Deus para que as portas do inferno nunca prevaleçam contra ela. Assim, eu imploro sinceramente que tu me ajudes também, no difícil e perigoso conflito que eu tenho enfrentado contra o inimigo.
Esteja comigo ó poderoso Príncipe São Miguel! Para que eu possa lutar corajosamente e derrotar totalmente aquele espírito orgulhoso. Esse inimigo que tu, pelo poder divino, derrotaste tão gloriosamente. E a quem nosso poderoso Rei, Jesus Cristo, em nossa natureza, superou completamente. Isso a fim de que, tendo triunfado sobre o inimigo da minha salvação, eu possa contigo e com os santos anjos louvar a clemência de Deus que, tendo recusado a misericórdia aos anjos rebeldes após sua queda, concedeu arrependimento e perdão ao homem caído. Amém.

Eclipse solar ficará parcialmente visível no Brasil neste dia 14; saiba como acompanhar

Mais um fenômeno astronômico incrível poderá aparecer para os brasileiros na próxima segunda-feira, 14 de dezembro. Por quase 3 horas o sol desaparecerá por completo no céu e moradores da região sul do país terão vista privilegiada.

De acordo com astrônomos, o eclipse iniciará 12h23min (horário de Brasília) e chegará ao seu ápice às 13h51min quando, aos poucos, começará a desaparecer até voltar a forma normal às 15h12min.

“O próximo eclipse do Sol visível em Porto Alegre será em 14 de outubro de 2023, bem menos impressionante que o de agora, pois o obscurecimento máximo será de apenas 17.5%.”, escreveu o astrônomo Luiz Augusto L. da Silva para o portal da Rede Omega Centauri.

Quem não estiver na região sul do Brasil, poderá acompanhar o eclipse em tempo real virtualmente através do perfil oficial do Professor André Lau da Costa. Vale ressaltar que, para quem pretende assistir o fenômeno a olho nú, deve observar apenas com óculos de sol e nunca direcionar os olhos para o sol com qualquer instrumento de aumento de visão.

Se o clima permitir, no dia 21 de dezembro, após o pôr do sol, Júpiter e Saturno parecerão planetas duplos aos nossos olhos. Isso acontecerá porque estes dois astros do Sistema Solar se alinharão e poderão ser vistos a olho nu de qualquer canto da Terra.

Segundo o astrônomo Patrick Hartigan, da Rice University, nos Estados Unidos, o fenômeno acontecerá entre os dias 16 e 25 de dezembro e será mais visível próximo à linha do Equador, no entanto, será possível observá-lo de qualquer canto do mundo com o auxílio de binóculos especialmente após o pôr do sol de 21 de dezembro.

“Na noite de maior aproximação, em 21 de dezembro, eles [Júpiter e Saturno] se parecerão com um planeta duplo, separados por apenas um quinto do diâmetro da lua cheia”, disse ele.

………………………………………………………………………
*Fonte: bonsfluidos

A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar

“A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar”, disse Rubem Alves, sobre o endereço de onde nossa alma ficou e de onde ela não quer sair. É que a alma gosta mesmo é de aconchego, de coisas gostosas, de sensação boa. Ela tem o velho hábito de voltar aonde foi feliz, mesmo que isso tenha sido décadas atrás. A casa da alma é na saudade, onde o “para sempre” sempre encontra seu lugar.

A saudade às vezes é uma avó carinhosa: braços abertos, colo perfumado e macio. E lá a gente pode repousar, com pouca pressa e sorriso bonito, revivendo um pedacinho de história bom demais pra ser esquecido e deixado pra lá.

Saudade parece uma lamparina, que a gente acendeu para procurar uma felicidadezinha que ficou lá no canto, escondidinha, e que agora quer ver de novo, dar mais um abraço e sentir o conforto bom que só aquela memória sabe trazer.

A verdade é que tem coisa feita pra fazer falta. O olhar iluminado da pessoa amada, a primeira amizade de verdade, uma voz no pé do ouvido, algumas pessoas. Aliás, pessoas são nossos maiores motivos. Tem gente que dá uma saudade danada!

Outras vezes, a saudade parece uma dor bem fininha, que dói sem hora marcada e que às vezes dói até sem causa sensata. E ninguém sabe quando vai doer, mas que vai, vai sim. E quando doer, talvez você precise de algumas lágrimas, talvez de um cobertor e uma caneca de chá quentinho. Mas é coisa que logo passa, é coisa de saudade mesmo.

Ou não, talvez nem passe. Talvez ela seja eterna, amarrada no peito e bem presa, pra não correr o risco de ser esquecida. Às vezes ela é permanente, fazer o quê? Acontece também!

Algumas coisas constituem saudade imediata, coisa que o coração mal experimentou e já quer viver de volta. Que remédio poderia haver para essa saudade, não é?

Algumas coisas irão nos fazer falta a vida inteira: saudade das doces vantagens da infância, de quando as nuvens ainda pareciam algodão; saudade do tempo em que a gente ainda não tinha dado adeus pra nada, nem pra ninguém. Que tempo bom foi aquele!

É nesses dias de saudade apertada, que a alma faz suas malas e vai pra casa. Pra casa da saudade, sabe? Porque é lá que a alma encontra sua verdadeira morada.

Ah, Rubem Alves também disse que “aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas porque a gente não esquece. O que a memória ama fica eterno.” Parece mesmo que ele tinha razão. Que agenda, que nada! Tem coisa que fica marcada. Acho que é daí que vem a saudade, afinal.

*Por Alessandra Piassarollo

……………………………………………………………………………………
*Fonte: provocacoesfilosoficas

O que é autoconhecimento?

Conceito, benefícios e a importância dele para a sua vida.

Primeiramente, entender o que é autoconhecimento é fundamental para uma vida feliz e realizada.

Autoconhecimento significa conhecer e entender as nossas emoções e nossa personalidade. Dessa forma, conseguimos prever as nossas reações e posturas diante das decepções naturais da vida.

Ademais, ao enxergarmos a nós mesmos, existe a possibilidade de:

Destruir pensamentos tristes;
Do mesmo modo, acabar com atitudes negativas;
Construir uma vida feliz;

Simultaneamente à busca do autoconhecimento, conseguimos aprender mais sobre inteligência emocional, logo, conseguimos pensar com clareza e de forma positiva diante das dificuldades.

Agimos mais com a razão e menos com a emoção cega. Veja abaixo mais sobre o que é autoconhecimento e como ele pode mudar a sua vida. Confira!

Quais os benefícios do autoconhecimento?
Anteriormente, falamos um pouco sobre o que é autoconhecimento e como ele atua na nossa visão de nós mesmos.

Observe abaixo algumas vantagens em se conhecer e entender a nossa personalidade:

1. Coerência
De antemão, saiba que quem possui autoconhecimento é coerente. Dessa forma, suas palavras e ações sempre andarão de mãos dadas, além disso, o autoconhecimento lhe trará maior clareza sobre quais caminhos você deve seguir.

2. Menos estresse
Sob o mesmo ponto de vista, você terá mais clareza sobre si mesmo e agirá de maneira mais correta, nesse sentido, tomará atitudes coerentes e que lhe trarão menos decepções.

3. Melhores relações interpessoais
Outro ponto positivo do autoconhecimento é que você será uma pessoa mais sociável e segura de si, afinal, suas escolhas serão mais conscientes e as decisões serão estudadas de antemão.

De acordo com essas situações, a convivência contigo será melhor, mais leve e muito saudável, de modo que, o autoconhecimento oferece sinceridade e, de certa forma, libertação.

Em conclusão, esses são alguns benefícios do autoconhecimento, contudo, existem outras vantagens em se conhecer bem.

O que é autoconhecimento na prática?
Em síntese, você quer saber como adquirir o autoconhecimento desde já? Confira algumas dicas simples que podem te ajudar!

Se questione:
Nesse sentido, algumas perguntas são fundamentais para você iniciar o processo de autoconhecimento.

Você pode conversar consigo mesmo e anotar algumas coisas, tais como:

O que eu desejo?
Quais são os meus sonhos?
Quais são minhas emoções positivas/negativas?
O que preciso eliminar do meu dia-a-dia para ser melhor?
Quais metas deixei para trás e quero realizar?

Nesse sentido, você terá a partir dessas respostas algumas dicas que poderão te orientar.

Ou seja, ao se conhecer bem, é possível crescer e desenvolver suas habilidades, dons, emoções e sentimentos. E isso tudo será ótimo para a sua vida pessoal e profissional.

Fique só alguns momentos do dia
Especialistas e psicólogos nos ensinam a sempre ter alguns minutos diários de solidão, afinal, sozinhos e em silêncio temos a oportunidade de olharmos para dentro de nós.

Leia sobre o autoconhecimento
Acreditamos que ler sobre o assunto pode ajudar muito. Como resultado, você terá ideias de como se conhecer, além disso, verá possibilidades reais de melhoria da sua personalidade e vida no geral.

Portanto, agora que você sabe o que é autoconhecimento não perca mais tempo. Comece hoje mesmo a se entender melhor e construir um futuro melhor para você, sua família e seus amigos.

*Por Fátima Cruz

……………………………………………………………………………………
*Fonte: equilibrioemvida

Homem perdeu filho de 3 anos e escreveu 10 regras que todos os pais devem seguir

Os filhos trazem um novo significado para nossas vidas. Depois de sua chegada, encontramos uma nova missão, um novo sentido, e fazemos deles nossa maior prioridade, dedicando-nos para que sejam felizes e prósperos.

O amor que existe entre pais e filhos é tão intenso e verdadeiro, que é difícil explicar em palavras. Nós nos dedicamos tanto ao seu bem e felicidade, que apenas pensar que possam sofrer nos traz muita tristeza!

Infelizmente, muitos pais enfrentam grandes batalhas todos os dias por seus filhos. Doenças e condições de saúde separam muitas famílias, levam as crianças e deixam os pais a procurarem um novo sentido para as próprias vidas, depois da grande perda.

Muitas famílias se perdem completamente depois da partida de um filho, mas alguns pais ainda encontram forças para seguir em frente, e conscientizar outras pessoas sobre a importância da preservação de um relacionamento saudável entre pais e filhos.

Um desses pais é Richard Pringle, que perdeu o filho Hughie, de três anos, em decorrência de hemorragia cerebral ocasionada por uma condição com a qual o menino nasceu.

Richard viveu a sua dor e, um ano depois, compartilhou, em seu Facebook, um ensinamento sobre as 10 coisas mais importantes que ele aprendeu desde que perdeu seu filho.

É uma mensagem emocionante, que nos faz refletir sobre a relação que cultivamos com os nossos filhos e o quanto precisamos valorizar todos os momentos ao seu lado.

Confira abaixo a lista de Richard Pringle e reflita sobre ela:

1 . Todo o amor e beijos em seu filho nunca serão “demais”.

2. Você sempre tem tempo. Pare o que está fazendo, nem que seja por um minuto. Nada é tão importante, que não possa esperar.

3. Tire o máximo de fotos e os filmes que conseguir, porque um dia isso pode ser tudo o que você terá.

4. Não gaste dinheiro, gaste tempo. Você acha que importa com o que você gasta? Não importa! O que importa é o que você faz. Pule em pula-pula, caminhe, nade no mar, construa um acampamento, divirta-se. Isso é tudo o que eles querem. Eu não lembro de nada que comprei para o meu filho, só do que fiz.

5. Cantem juntos. Minhas memórias mais felizes com meu filho são dele nos meus ombros ou no carro, e nós cantando nossas músicas favoritas. Memórias são criadas com música.

6. Aprecie as pequenas coisas. Ficar junto à noite, colocar para dormir, ler histórias, jantares juntos, preguiça de domingo. Aprecie os momentos pequenos. Eles são o que mais me dão saudade. Não os deixem passar despercebidos.

7. Sempre dê um beijo de despedida nas pessoas que você ama. E se você esquecer, volte e as beije novamente. Você nunca sabe quando será a última vez que você terá essa chance.

8. Faça as coisas chatas ficarem divertidas. Seja bobo, conte piadas, ria, sorria e divirtam-se juntos. Elas serão tarefas chatas, apenas se você as fizer assim. A vida é muito curta para não se divertir.

9. Mantenha um diário. Anote tudo o que seu pequeno fizer. As coisas engraçadas que eles falam, as coisas fofas que eles fazem. Nós só fizemos essas coisas depois que Hughie se foi. A gente queria se lembrar de tudo. Agora nós fazemos isso por Hettie, e vamos ter tudo escrito para quando formos mais velhos.

10. Se você tem seu filho com você, dê-lhe um beijo de boa noite. Tome café da manhã com ele, leve-o à escola, à faculdade, assista a eles se casando. Você é abençoado! Nunca se esqueça disso!

A mensagem de Richard tornou-se viral, e muitas pessoas compartilharam a mensagem. É realmente uma lição muito válida. Esperamos que o ajude a olhar para o seu relacionamento com seus filhos com mais atenção, amor e cuidado.

*Por Luiza Fletcher

……………………………………………………………………………….
*Fonte: osegredo

5 hábitos exóticos que irão fazê-lo mais feliz

A vida é basicamente feita de costumes. São poucos os que podem se dar ao luxo de inventar uma rotina diferente a cada dia. No entanto, mesmo em meio aos limites impostos por cada dia, podemos introduzir hábitos exóticos que têm o potencial de enriquecer significativamente nossas vidas.

Quando falamos de hábitos exóticos, não nos referimos a comportamentos estranhos ou fora do normal. São simplesmente costumes que não são comuns, mas não por isso são difíceis de adotar ou de internalizar.

Muitas das coisas que fazemos como rotina são aprendidas sem percebermos. Também não nos ocorre fazer uma análise objetiva e avaliar se esses costumes realmente nos ajudam a viver melhor ou simplesmente se mantêm pela inércia da própria repetição. Este é, então, um convite para revisá-los e também, talvez, para adotar hábitos exóticos que podem ser muito úteis.

“As correntes do hábito costumam ser fracas demais para que as sintamos, até que sejam fortes demais para que possamos quebrá-las.”
-Samuel Johnson-

1. Dormir em posição de capacitação

Pode parecer estranho, mas as posturas corporais que adotamos promovem determinadas atitudes em nós. Às vezes, por exemplo, andamos com a cabeça baixa. Isso é porque nos sentimos angustiados e frágeis. No entanto, ao mesmo tempo, andar assim reforça essas atitudes.

O surpreendente é que isso também se aplica a quando vamos dormir. Se nos enrolarmos em posição fetal, por exemplo, tenderemos a acordar sem muito ânimo e sentindo que o dia nos excede. Por outro lado, se nos esticarmos completamente, nos expandindo, nossa atitude provavelmente será mais positiva quando acordarmos.

2. Ter 3 experiências positivas para cada experiência negativa

É um dos hábitos exóticos que devemos adotar e praticar sem falta. Como o subtítulo diz, trata-se simplesmente de que, para cada experiência negativa, obtenhamos três positivas. Simples assim.

O propósito disso é purificar a mente e a alma dos restos que permanecem depois de viver algo ruim. Uma experiência negativa gera um eco, e isso pode arruinar nosso humor por um dia inteiro, ou mesmo por mais tempo. Ao compensá-la com três experiências positivas, os resíduos do que é ruim são dispersados e conseguimos recuperar o equilíbrio mais facilmente.

3. Fingir que está feliz, um dos hábitos exóticos que funcionam

O cérebro é um órgão misterioso e maravilhoso. É principalmente criativo. Sob certas circunstâncias, deixa de distinguir a linha que separa a realidade da fantasia. Por exemplo, quando vemos um filme muito triste, apesar de sabermos que é uma ilusão, o cérebro sente como se acontecesse na própria pele (neurônios-espelho).

Podemos usar este mecanismo extraordinário a nosso favor. Por exemplo, fingindo ser felizes mesmo que não nos sintamos bem. Podemos nos comportar como atores ou atrizes que devem desempenhar o papel de alguém feliz. Você pode se surpreender ao ver o que acontece depois de alguns dias “atuando” dessa maneira.

4. Enviar e-mails amigáveis ​​sem nenhum motivo

Esse é um dos hábitos exóticos que mais podem fazê-lo feliz. Parece com o anterior, no sentido de que você não precisa se sentir bem para adotar uma atitude positiva. Se o ânimo estiver para baixo, nada melhor do que fazer algo para que os outros se sintam bem. Está comprovado que ajudar os outros é a melhor maneira de ajudar a si mesmo.

Dar essas gratificações do coração engrandece a vida de quem o faz. Neste caso, trata-se simplesmente de adquirir o hábito de enviar mensagens calorosas e positivas para as pessoas que amamos. Não algo pré-projetado, mas uma mensagem criada por você. Isso funciona especialmente em dias difíceis, e muda imediatamente o estado emocional em que nos encontramos.

5. Buscar espaços ao ar livre

A natureza exerce uma forte influência sobre nossas emoções. O efeito é quase imediato. Basta nos aproximarmos de um espaço verde e instantaneamente sentimos seu poder de cura na mente e no corpo. É um dos hábitos exóticos mais saudáveis ​​que podemos adotar.

O melhor é aproveitar essa prática para andar descalço na grama ou deitar um pouco para receber o sol. Se isso não for possível, pelo menos uma caminhada diária ao ar livre vale a pena. Ajuda a organizar as ideias, a relaxar a mente e a recuperar o equilíbrio interno.

Todos esses costumes são hábitos exóticos, porque na realidade não são muitas as pessoas que os adotam. No entanto, vale a pena experimentá-los. São uma maneira de aumentar o significado do seu dia a dia.

…………………………………………………………………………
*Fonte: vidaemequilibrio

Sincronicidades: entenda o que os horários iguais podem significar e quais mensagens o universo está tentando nos transmitir

Visualizar horários iguais com frequência pode significar muito mais do que apenas coincidências

Não são só as pessoas supersticiosas que ficam curiosas quando observam números iguais no relógio com frequência, no entanto, grande parte delas confundem as sincronicidades com a coincidência e deixam de buscar conhecimento sobre o assunto.

Existem diversas teorias, principalmente no campo espiritual, que buscam uma explicação para as sincronicidades do universo e grande parte destas ideias definem que quando alguém se sente perseguido pelas horas e minutos iguais, é sinal de que o universo está tentando transmitir uma mensagem.

Antes de presumir qualquer coisa, é importante distinguir o que define uma coincidência e uma sincronicidade: coincidências podem ser acontecimentos não tão usuais simultâneos sem um motivo específico.

Para alguns esotéricos e numerólogos, sincronicidade é um conceito desenvolvido pelo psiquiatra Carl G. Jung para definir acontecimentos que se relacionam não por relação causual e sim por relação de significado, ou seja, existe um motivo para esses acontecimentos e ele pode fazer parte da ‘dança do universo’ na tentativa de transmitir mensagens.

De acordo com o numerólogo Mestre Artam “o universo, os espíritos, as energias ao seu redor, deixam mensagens que nós, seres humanos encarnados, possamos decodificar”. Ele gravou um vídeo para o canal Metres do Esoterismo e explicou as mensagens que o universo está transmitindo nos seguintes horários:

01:01 – Você precisa de algo novo em sua vida para prosperar
02:02 – Alerta para você ficar mais aberto a novas amizades
03:03 – Cuidado com a sua comunicação
04:04 – Você está sobrecarregado pensando demais em sua vida material
05:05 – Supere a timidez
06:06 – Equilibre seu relacionamento com seus familiares
07:07 – Dedique-se mais ao seu lado espiritual ou se aproxime mais de suas crenças
08:08 – Olhe melhor para suas finanças
09:09 – Dedique-se para finalizar o que começou
10:10 – Começe novos ciclos sem olhar para trás
11:11 – Desenvolva maior consciência espiritual para garantir a proteção de males
12:12 – Equilibre os focos na vida material e espiritual
13:13 – Afaste-se da melancolia
14:14 – Socialize-se mais
15:15 – Pare de se importar com a opinião alheia e viva melhor baseado no que você acredita
16:16 – Foque nos estudos
17:17 – Seja menos ‘dinheirista’ e foque mais em aspectos imateriais como a família e saúde
18:18 – Existem pessoas/ coisas que não te servem mais e você já deveria ter dado um fim
19:19 – Crie projetos para ajudar pessoas
20:20 – Chega de fazer de tudo por qualquer pessoa, se esforce mais por você
21:21 – Seja o ombro amigo de pessoas que necessitam de ajuda
22:22 – Cuide do seu corpo porque este pode ser um sinal de falta de saúde
23:23 – Você não faz ideia do papel que pode exercer no mundo, confie mais em você
00:00 – Você tem muitos poderes espirituais que não faz ideia, mas precisa identifica-los e entende-los sem medo.

………………………………………………………………………
*Fonte: bonsfluidos

Manias BOBAS que cada Signo possui para acabar com o clima do amor!

Todo mundo já sabe que ninguém é perfeito e precisamos admitir que mesmo quando alguém se destaca por ser super legal, existem momentos em que essa pessoa pode se tornar irritante! Isso porque a nossa personalidade se manifesta de diferentes formas de acordo com cada área da vida.

Para servir de exemplo, vamos supor que alguém é super competitivo no ambiente de trabalho e está sempre querendo se sobressair entre os demais. Isso não significa que essa pessoa vai agir da mesma forma nos relacionamentos amorosos ou entre os amigos.

E você, já parou para pensar em alguma mania chata que possui? O zodíaco pode ajudar a entender melhor isso.

Obviamente, apenas a leitura completa do Mapa Astral é capaz de dar detalhes sobre o comportamento dos nativos, mas neste artigo vamos nos basear apenas nos signos solares e em quais manias atrapalham o clima no amor!

Está pronto para descobrir as particularidades inconvenientes dos signos? Então confere a lista a seguir!


MANIAS QUE CADA SIGNO TEM NO AMOR E PODEM IRRITAR OS OUTROS


ÁRIES
Os nativos de Áries são conhecidos por sua impaciência e intolerância com situações bobas. É fácil que esse nativo se irrite e essa atitude pode atrapalhar o clima de romance. Hora de controlar os ânimos, não é mesmo ariano?

Quando está acompanhado, o nativo de Áries pode simplesmente surtar ao ter que esperar o parceiro se arrumar para sair. Outra coisa que o deixa muito irritado é ligar para a pessoa e não ser atendido!


TOURO
Com Touro é uma ciumeira atrás da outra e isso é sem dúvidas o que mais interfere no clima de romance! Por sempre buscar estabilidade, esses nativos enxergam na possibilidade de serem traídos algo assustador! Pra falar a verdade, eles bem que estão certos a não ser que o combinado seja uma relação aberta.

Os taurinos só precisam ter cuidado para isso não se tornar uma possessão. Ninguém é proprietário de ninguém e fica muito difícil de manter a convivência com alguém que encasqueta por qualquer coisa!


GÊMEOS
Esses nativos são ícones da comunicação e por terem a mania de fazer amizades por onde passam, podem ser mal interpretados pelos seus parceiros. Isso porque, aos olhos de uma pessoa ciumenta, não há nada mais difícil do que aturar o seu parceiro sendo o centro das atenções.

Dependendo dos casos, o alto astral geminiano pode ser enxergado como um sinônimo de infidelidade, o que gera uma problemática entre o casal. Ainda que esse comportamento cause descontentamento no amor, a facilidade em se relacionar é um ponto positivo para os geminianos.

CÂNCER
Esses nativos são extremamente emotivos e a mania que mais atrapalha nas relações amorosas é o uso da chantagem emocional para conseguir o que querem. Todos sabemos que cancerianos são uma fonte inesgotável de carinho, mas isso não significa que são passivos o tempo todo.

Quando estão determinados a conseguir algo, eles usam das artimanhas emocionais (que conhecem como ninguém), para influenciar o parceiro a aderir as suas ideias. Por mais que sejam cuidadosos com o parceiro, o preço a se pagar por isso é reconhecimento e principalmente, reciprocidade.


LEÃO
Os leoninos são vaidosos e na maior parte das vezes estão focados em seu próprio bem estar. Esse comportamento pode impedir que percebam as necessidades do seu parceiro e isso acaba atrapalhando o clima de romance.

Sabe aquela comida que Leão ama comer? Ele provavelmente não vai perceber que o parceiro enjoou do tempero. Aquela série que Leão amou assistir? É bem difícil que ele perceba antes do último capítulo que o parceiro não estava muito afim de ver!

VIRGEM
Virgem é um signo do elemento Terra, e costuma enxergar o mundo de forma racional, equilibrada e com os pés no chão. Os virginianos também são reconhecidos pela habilidade de colocar tudo em seu devido lugar e contornar o caos.

Apesar de buscarem soluções práticas e resolverem com agilidade qualquer tipo de problema, no amor os virginianos correm sério risco de transformar tudo em rotina! Isso perpassa o dia a dia, os momentos de lazer e até mesmo o sexo.

LIBRA
Librianos são do tipo de pessoas que todo mundo quer ter por perto. Eles fazem de tudo para agradar e manter a paz, muitas vezes até abrem mão do próprio bem estar para favorecer quem está ao seu lado.

Não seria diferente nos relacionamentos amorosos! O libriano tem a mania de sempre deixar a decisão final para o outro e isso acaba deixando o #crush irritado algumas vezes!

ESCORPIÃO
A mania de deixar tudo nas entrelinhas é o que mais pode atrapalhar os relacionamentos dos escorpianos. Isso porque esses nativos podem prolongar o mal-estar ao ficar guardando seus descontentamentos.

Ainda que isso não seja recorrente, sempre que surgir uma oportunidade, Escorpião vai jogar indiretas para o parceiro. Isso acaba aumentando os problemas pois a pessoa sequer vai entender o motivo do desagrado.

SAGITÁRIO
Os sagitarianos têm o espírito livre e é muito difícil que deem ouvidos as outras pessoas! Isso atrapalha principalmente no amor! Seu dogmatismo o impede de ouvir o lado do parceiro e isso gera barreiras na relação.

Com certeza é muito difícil conviver com pessoas que estão sempre ligadas as outras coisas, não é? Ampliar o diálogo é fundamental para manter a harmonia e garantir longos anos de relacionamento saudável.

CAPRICÓRNIO
Esses nativos podem ser extremamente frios, o que atrapalha o clima com o parceiro! Se você está em uma relação com Capricórnio precisa entender que sua frequência afetiva por muitas vezes pode ser baixa!

AQUÁRIO
Apesar de serem muito leais e ótimos companheiros, os aquarianos são um tanto contra demonstrações extremas de afeto. Esses nativos preferem arriscar uma declaração mais particular e sem floreios.

Na maioria das vezes, aquário demonstra seu afeto através de atitudes e não de palavras e quando o #crush não vibra nessa frequência, pode ser o fim do clima romântico!

PEIXES
Os piscianos são muito distraídos e isso pode ser muito prejudicial as relações amorosas. Os parceiros podem achar que sua distração é falta de interesse ou deboche com as questões do casal.

Apostar no diálogo e externalizar suas contestações de forma clara é a melhor forma de manter a harmonia no amor com Peixes.

*Por Giovanna Souza

………………………………………………………………………………
*Fonte: awebic

Diga onde dói e descubra qual é o seu problema pessoal

Você sabe qual é o nome que se dá quando misturamos medicina e psicologia? Temos algo maravilhoso chamado psicossomática. Este ramo da medicina estuda a influência dos nossos medos, emoções e bloqueios emocionais sobre a saúde do nosso corpo. É provado cientificamente que nossos sentimentos e estresses emocionais resultam em doenças somáticas.

O artigo se refere as dores crônicas. As doenças malignas, congênitas e mentais, não estão entre as chamadas doenças psicossomáticas. Consideramos que esta análise só pode ser válida uma vez que a pessoa fez todos os exames clínicos e de imagens e estes não revelam quaisquer problemas tratáveis com cirurgias ou remédios.
Portanto, o que as dores no seu corpo podem dizer sobre você?

Cabeça

Se você tem dores de cabeça constantes, elas podem ser causadas pelos seus pensamentos, reflexões e até mesmo excesso de informação. Pessoas que são mais intelectuais e racionais, muitas vezes suprimem suas emoções e têm dores de cabeça. Este problema também indica uma baixa autoestima, medo, excesso de autocrítica e alguns problemas ocultos.

Cabelo

Problemas de cabelo, como embranquecimento precoce, perda de cabelo e uma aparência sem brilho, indicam estresse, falta de perspectiva e desespero. O cabelo, especialmente o das mulheres, é um símbolo de vitalidade. Esses problemas podem surgir se uma pessoa vive em constante medo e estresse. Para superá-los, tente ser mais você, acreditar mais em si mesmo e na ajuda lá de cima. Às vezes, os problemas de cabelo são resultados de orgulho, ego enorme e rancor.

Pescoço

O pescoço é a parte que conecta a razão (cabeça) e os sentimentos (corpo). Problemas de pescoço demonstram um conflito entre estas duas partes. Metafisicamente, isso pode ser explicado como uma ponte entre materialidade e espiritualidade. Problemas de pescoço são resultados da rigidez. A pessoa tem medo de virar a cabeça para ouvir a verdade que está atrás dela. Elas ignoram a situação, ao invés de enfrentá-la. Quando você tem dor de garganta, é bom acenar ou balançar a cabeça. Isso indica que você tem dificuldades em dizer “Sim” ou “Não”.

Olhos

Miopia — medo de lidar com o futuro e ignorância.
Hipermetropia — dificuldade de viver o presente. Essa pessoa pensa demais antes de tomar decisões e agir, e não consegue analisar a situação em geral.
Daltonismo — os olhos não conseguem distinguir as cores e veem o mundo em tons cinza. Pode indicar que uma pessoa é incapaz de ver a alegria na vida. Também é importante conhecer o significado da cor que é reprimida pela nossa consciência.
Glaucoma — esse problema pode significar que a pessoa está sofrendo por algo que ocorreu em seu passado — ela não consegue perdoar e aceitar eventos do seu passado.

Dentes

Pessoas indecisas, que não conseguem tomar uma decisão, podem ter dores nos dentes (Ex: acordar sentindo que passou a noite toda travando os dentes). Tudo é decidido por você, e você tem medo de analisar a situação por conta própria. Problemas para mastigar demonstram que você não consegue digerir as circunstâncias. Os dentes na mandíbula superior refletem suas habilidades de tomada de decisão e os da parte inferior estão relacionados à sua responsabilidade. O lado esquerdo está ligado às questões pessoais, e o direito com viagra sans ordonnance questões sociais. Há também quem diga que os problemas no lado esquerdo do corpo refletem questões relacionadas à mãe, enquanto os do lado direito refletem problemas com o pai.

Boca

Problemas na boca, como estomatite, estão associados a uma má conduta. Morder a língua é um castigo por falar demais. Morder as bochechas indica ansiedade e segredos ocultos. A boca é a parte do corpo que está associada com a aceitação de novas ideias, ou seja, qualquer problema nessa região está relacionado a problemas nesta esfera.

Lábios

Os lábios refletem a nossa sensualidade. Alguns de seus problemas internos podem estar somatizados em algumas das seguintes condições:

Fissuras — uma pessoa está presa no meio de sentimentos opostos.
Morder os lábios – autopunição por demonstrar sensualidade.
Herpes — a mesma questão que a de morder os lábios, mas pior.

Costas – Cervical

As costas simbolizam um pilar na vida. Problemas nas costas indicam falta de apoio moral. A pessoa acredita que ninguém a ama com sinceridade e que ela, ainda assim, sem ter o que oferece retribuído precisa ajudar e conviver com o outro por considerar que é o seu dever. Se a pessoa perde a mobilidade em um dos membros por causa das dores nas costas e – se o problema for do lado esquerdo – significa que ela não está enxergando possibilidades de demonstrar seu amor às outras pessoas – ela está sufocada . Se a imobilidade for nos membros do lado direito, essa pessoa não consegue amar e tampouco compreender o mundo tal qual ele se revela.

Parte inferior das costas

A parte inferior das costas está relacionada a conflitos e culpa. Toda a atenção é atraída para o passado. A parte inferior das costas está associada aos bens materiais, dinheiro, parceiro (a), casa, filhos, trabalho, educação e etc. A dor na lombar demonstra que a pessoa necessita possuir algo para ser mais autoconfiante, mas, por algum motivo, simplesmente não consegue confessar isto. Como resultado, ela precisa fazer tudo por conta própria, carregar tudo nas costas.

Articulações

Bursite indica raiva acumulada. A pessoa deseja ser perfeita em tudo e não se permite ficar com raiva, o que acaba se acumulando nas articulações.
Artrite reflete o pensamento de que ninguém te ama… A artrite geralmente ataca as pessoas justas e que são muito críticas sobre si mesmas.
Luxações. Luxações frequentes indicam que a pessoa permite ser manipulada pelas demais.
Problemas no joelho demonstram orgulho, teimosia, medo reprimido e fraqueza.
Músculos e articulações são flexíveis. Seja como eles: procure novas experiências na vida – com responsabilidade.

Sobrepeso

Se uma pessoa não consegue perder peso, ela precisa trabalhar seus problemas internos. O corpo muitas vezes utiliza a gordura extra para se proteger do ambiente hostil ao seu redor. A pessoa se sente indefesa diante da sociedade e da vida em geral. O peso extra também pode significar desejos reprimidos de objetivos não atingidos. Durante a infância e adolescência, as pessoas gordinhas, muitas vezes, sofrem bullying e provocações.

Canelas

Problemas nas canelas indicam conflitos interiores. Você pode ter tido seus ideais destruídos ou talvez você queira algo que não está alinhado com os seus princípios. Dores na canela não nos permitem caminhar ou correr, assim, ela está associada com o futuro e nossa capacidade de seguir em frente.

Estômago

É comprovado clinicamente que a gastrite é frequentemente causada por estresse e emoções negativas. Problemas de estômago significam que sua vida está incerta e muitas vezes você está sobrecarregado por desespero e falta de esperança. A úlcera estomacal está ligada a sentimentos de inferioridade, medo e insegurança. Também é causada pela irritação reprimida — se essas pessoas dissessem tudo o que pensam em voz alta, elas poderiam evitar esses tipos de problemas.

Dores no sacro e cóccix: há situações que precisam ser resolvidas e você está ignorando?
Pense bem.

Dor de cotovelo: outra parte do corpo que está bem relacionada à resistência a mudanças.
Ouse! Se não for possível, pelo menos trabalhe sua mente para se ver livre do que está pressionando.

Dor nos braços: é pesado carregar algo ou alguém com muita carga emocional.
Veja se é necessário mesmo fazer isso. Reflita sobre o assunto.

Dor nas mãos: mostra falta de conexão com as pessoas ao seu redor.
Procure fazer novos amigos e estreitar os laços de amizade com os mais antigos.

Dor nos quadris: se você anda com medo de agir, isso pode resultar em dor nos quadris. Está pensando em novas ideias? Posicione-se! Isso vai lhe dar grande alivio.

Dor nos joelhos: provavelmente seja o orgulho. O que acha de ser humilde e aceitar as diferenças e circunstâncias?
Sabemos que não é fácil. No entanto, é necessário. Você é mortal, como todos os outros – não perca tempo e viva em amor.

Dor no tornozelo: seja mais tolerante com si mesmo(a).
Permita-se ser feliz e não cobre tanto. O que acha que dar um toque especial na vida amorosa?

Dor que causa fadiga: viva novas experiências. Livre-se do tédio!

Dor nos pés: um novo passatempo ou um animalzinho de estimação pode pôr fim à vida deprimida de qualquer pessoa. Não permita pensamentos negativos, e os positivos farão você “voar”.

Dores em várias partes do corpo: nosso corpo é formado por energia.
Se você estiver uma pessoa muito negativa, vai sofrer dores e ter uma queda na imunidade.
Cuidado!

……………………………………………………………………
*Fonte: portalraizes

Santos anjos da guarda, abençoem a nossa vida com milagres divinos!

Anjos da guarda, ajudem a concretizar a vontade de Deus em nossa vida e nos guiem em segurança a cada passo do caminho!

Santos anjos da guarda, que são enviados por Deus para serem os nossos guias e protetores nesta Terra, por favor, estejam ao nosso lado durante os momentos de medo e aflição, e nos conduzam em segurança até o destino que foi preparado para nós.

Caminhem ao nosso lado a cada passo, abram as portas dos milagres divinos em nossos caminhos e nos deem a sabedoria necessária para fazermos as escolhas certas, que resultarão em nossa felicidade e prosperidade.

Anjos da guarda, que escutam cada uma de nossas orações, levem os nossos desejos mais verdadeiros até Deus, intercedam em nosso favor e nos tragam boas notícias e, quando estivermos enfrentando momentos difíceis, iluminem os nossos passos com o seu grande amor e sejam os nossos amigos, mesmo quando todos nos virarem as costas.

Vocês que têm nos acompanhado desde o nosso primeiro dia nesta Terra e conhecem os nossos corações como ninguém, continuem nos abençoando com o seu cuidado e atenção. Conquistamos muitas coisas graças ao seu apoio incondicional, e queremos a sua santa presença em nossas vidas para sempre.


Queridos anjos da guarda, que possuem lealdade única, façam-se presentes em nossas vidas a cada novo dia e nunca permitam que nos percamos e desviemos nossos corações dos caminhos de Deus.

Abençoem-nos com vitórias, quando merecermos, e não deixem de nos castigar quando errarmos, para que aprendamos desde cedo qual é o caminho certo e não nos desviemos mais dele.

Vocês são os nossos amigos mais verdadeiros e dedicados, e ainda que muitas vezes não saibamos reconhecer os seus sacrifícios, continuamos reconhecendo que são fundamentais para que possamos construir uma vida de acordo com a palavra de Deus.

Anjos da guarda, vocês são a prova de que Deus está sempre ao nosso lado e que a todo momento encontra uma maneira de nos mostrar que o Seu amor é incondicional e permanente. Vocês são a prova diária de que a nossa fé é muito forte e todas as nossas orações valem a pena.

Através de seu apoio, nós nos tornamos pessoas mais fortes e estreitamos o nosso relacionamento com Deus, libertando-nos de todas as coisas ruins e construindo vidas muito mais felizes e cheias de sucesso e prosperidade.
Obrigado por sempre estarem ao nosso lado, anjos da guarda, e lhes pedimos que continuem presentes em nossas vidas, pois somos mais fortes ao seu lado. Amém!

*Por Luiza Fletcher

…………………………………………………………………………
*Fonte: osegredo

Essa é a melhor planta para afastar as energias negativas!

Você é um amante de plantas? Então não pode deixar de ter esse espécime em sua casa. Descubra qual é!

As plantas são imprescindíveis na casa de muitas pessoas. Elas trazem mais leveza e pureza a cada ambiente, permitem-nos estar mais perto da natureza e também podem contribuir para o nosso bem-estar e felicidade.

No entanto, os benefícios das plantas podem ir além disso. Se você é uma pessoa mística e que acredita em energias, precisa conhecer uma planta muito especial, que ajuda a tornar o seu lar uma fonte inesgotável de positividade, eliminando tudo aquilo que não contribui positivamente para a sua vida.

Certamente, você já ouviu falar desta planta, mas não conhecia os seus incríveis segredos até agora. O nome dela é Dieffenbachia sp. ou, como conhecemos aqui no Brasil, “comigo ninguém pode”.

Essa é uma planta que carrega consigo muitos segredos e perigos, e precisa ser tratada com muita cautela dentro de nossas casas, mantida longe de crianças e animais.

A Dieffenbachia possui uma substância chamada cristais de oxalato de cálcio, que pode causar intoxicação e alergias na pele e nos olhos, caso ingeridas. Ela também é capaz de provocar inchaços na boca, língua e garganta, até mesmo paralisando as cordas vocais e inibindo a voz.
No entanto, nem tudo é negativo. De fato, essa é uma das plantas mais poderosas contra as energias negativas dentro de casa, e pode nos trazer grandes benefícios espirituais.

A “comigo ninguém pode” é conhecida por seu poderoso efeito contra a inveja, mau-olhado e azar, e é muito recomendada para proteger os nossos lares de todas as energias e intenções negativas. Acredita-se que ela possa até mesmo afastar visitas indesejadas.

Por todos esses benefícios, ela ajuda a atrair boas energias para as nossas casas, que acabam sendo transmitidos para nós também. Essa planta é considerada ideal para aqueles que desejam cultivar coisas boas em suas casas, libertando-se de impulsos negativos.

O ideal é que a planta decorativa fique localizada na porta da frente ou até mesmo no quintal ou jardim, para que combata a negatividade antes mesmo que ela entre em nossas casas.

Essa planta sobrevive melhor em ambientes onde a luminosidade não é alta, por isso mantenha-a longe da incidência direta do sol. Ela não se adapta muito bem ao frio e precisa ser cultivada em um solo rico em nitrogênio. Plante o seu caule em vasos para que cresça da maneira certa e evite regar com muita frequência, apenas quando estiver quase seca.
A “comigo ninguém pode” é uma grande aliada para combater a negatividade em nossas casas, e deve ser aproveitada das melhores maneiras possíveis.

Siga as recomendações antes de levar uma delas para casa, tome cuidado com a exposição exagerada à planta e aproveite todos os seus incríveis benefícios espirituais!

*Por Luiza Fletcher

……………………………………………………………………
*Fonte: osegredo

Somos todos imperfeitos

O poeta Manoel de Barros dizia que para entender a intimidade do mundo era preciso desinventá-lo.

Isso porque antes do alfabeto, das casas, das pessoas, o mundo foi feito de água, luz, árvores e depois lagartixas. Dar importância àquilo que achamos desimportante, talvez seja o primeiro passo para conhecer nossa intimidade e ela, na maioria das vezes, esconde-se em nosso avesso, onde nem tudo é perfeito. A descoberta é que dentro dessa possível imperfeição que somos há espaços vazios, abertos, feito janelas em dia de sol à espera do encontro mais importante de nossas vidas: aquele com nós mesmos.

Riscando sem medo

Foi isso que aconteceu com a Natália. Um dia, ela decidiu riscar sem medo de ferir o papel. Riscar sem medo de não ser aceita. Riscar e descobrir que, dentro da sua imperfeição, existia uma estética que, justamente por não se adequar aos padrões e às necessidades do que é perfeito, aceitou-se plena e imperfeita. Natália Bianchi, artista visual, vem conversar comigo numa manhã cinza e chuvosa. Logo me diz que não vê a chuva, apenas a ouve.

Natália tem uma doença rara que a faz ver apenas em preto e branco, a acromatopsia, além de ter entre 15 ou 20% de visão. Conta que as pessoas perguntam se ela não sente falta de ver o mundo de modo completo. Nessas horas, sorri e devolve a questão: “o que é ver o mundo completo e perfeito?”

Quando era criança, Natália não tinha consciência de que enxergava menos. Via o mundo com suas texturas e volumes. Muito depois, descobriu que não enxergava as formas e as cores. Então foi rotulada como sendo deficiente. “E ter uma deficiência é estar fora do padrão, é ser inútil”, diz ela, enquanto abre uma pasta com suas obras. São riscos, traços em aquarela e nanquim, que trazem para o papel o modo como vê. Suas criações são dotadas de distorções, movimentos e estranhamentos.

Uma experiência visual

Desacomodam o olhar acostumado a ver o mundo com linhas e contornos definidos. As bordas nos contém. “O perfeito encerra um traço que modela a imagem, eu trabalho com o caos e o acaso. Minha obra é mais afetada e afeta mais. Não sei se vejo o mundo diferente, sei que o vejo do meu jeito”. Natália trabalha com a estética da imperfeição e suas obras são uma experiência visual imperfeita. No início da carreira, criava quadros com elementos figurativos, que a maioria das pessoas gostam, porque são conhecidos, mas o problema é que eram desconhecidos para ela. Debatia-se com a questão: “por que dar forma àquilo que não tem forma para mim?”.

Seu segundo desafio na arte foram as cores. “Para uma pessoa que no máximo alcança os tons de cinza, como entender do que se trata a teoria das cores?”, brinca. Para não se apegar às regras, costuma riscar os nomes das cores nos tubos de tinta. Depois espalha pela paleta e pinta, livremente. “As cores nasceram sem nome para mim; por que agora que tenho consciência da minha doença eu iria me importar com isso?”. Da sua imaginação e liberdade brotam vermelhos, amarelos, azuis. Afinal, a visão é também um ato poético do olhar.

Criar pelo avesso

Foi quebrando regras, abandonando moldes e preferindo a desproporção que Ana Júlia Poletto descobriu-se uma ceramista do imperfeito e do “desútil”, termo muito presente na obra do poeta Manoel de Barros. Amassar a argila, não usar o torno e passar para a peça suas emoções e sentimentos a motivam a criar pelo avesso. Ana Júlia faz peças em cerâmica imperfeitas, que lembram as lunações do poeta Herberto Helder, as desutilidades de Manoel de Barros, os desassossegos de Fernando Pessoa, a coragem de Adélia Prado. “É preciso renascer e reconstruir para deixar o avesso à mostra”, diz Ana.

Para ela, o barro é visceral. Ao tocar nele, ela acredita que toca na vida, em si mesma, nos seus medos – e assim aprende a conhecê-los. Suas peças são irregulares, suas formas guardam silêncios e ressonâncias de mundos internos e distantes, suas texturas nos convidam ao toque. “Foi o barro que me ensinou como ele queria ser modelado e continua me ensinando que para aceitar o inacabado, o avesso, o imperfeito, é preciso motivação e intimidade.

Trabalhar com o barro é saber e aceitar que o processo é mais lento, que é preciso criar um vínculo com a matéria-prima e estar presente no momento da criação com mente e essência, sem se preocupar se ficará bonito no final”, acredita a artista, que para aceitar-se imperfeita e inacabada teve, primeiramente, que seguir em direção a si mesma.

Os vazios precisam existir

Para a psicoterapeuta Gilla Bastos, toda pessoa para viver em sociedade, pertencer a grupos e estar dentro dos padrões sociais aceitos acaba por esconder seu lado imperfeito. “Só que ele é a nossa parte mais humana”, afirma. Para ela, aceitar-se incompleto é também deixar os nossos vazios existirem, mas envoltos de afetos, de compreensão e de amor. “É na imperfeição que encontramos a nossa subjetividade. E é nas brechas do imperfeito que há espaço para a existência e o convívio com o outro”.

Aceitar a incompletude, afinal, faz de nós o que somos. Viver é confuso e dá medo dos quartos fechados dentro de nós. O escuro pode ser o nosso avesso. E, diferentemente do que passamos uma vida toda ouvindo, o avesso – ao contrário do lado perfeito e polido – guarda sua plenitude justamente por ser assimétrico e inacabado. A não linearidade abre brechas em que o encontro se torna possível, onde o outro pode se fazer presente. O imperfeito nos ensina a beleza da simplicidade e é ela que nos empurra para a transformação e o crescimento. Parafraseando Manoel de Barros, são os nossos olhos que renovam o mundo.

*Adriana Antunes é jornalista e agradece o universo por conhecer pessoas tão incríveis que a ajudam a aceitar-se como é, imperfeita e incompleta.

………………………………………………………………………
*Fonte: vidasimples

Ser feliz talvez fosse isso: realizar-se dentro do possível, comemorar cada degrau subido, e perdoar o que não foi vivido

Parou na frente do espelho e enxergou a vida inteira até aquele momento. O rímel borrado abaixo dos olhos não ocultava o brilho no olhar. Havia luz, alegria, satisfação. Tinha acabado de encenar o ato final, e antes de remover toda a maquiagem, se permitiu abrir um sorriso e se curvar num gesto sincero de gratidão a si mesma.

Não tinha se tornado médica como a família tanto queria. Também não alcançara sucesso nos palcos como tanto desejou. Mas naquele momento, encerrada a peça que escrevera de próprio punho, percebeu que ser feliz talvez fosse isso: realizar-se dentro do possível, comemorar cada degrau subido, e perdoar o que não foi vivido.

Era uma mulher no meio da ponte. A distância que deixara atrás de si equivalia à distância que teria que percorrer dali pra frente. Nem tudo tinha sido fácil, nem tudo brilhava como desejava, a perfeição brincava de se esconder. Mas agora ela olhava para o espelho e reconhecia que diante das dóceis tragédias que enfrentara, das perdas, ganhos e pequenos arrependimentos, havia motivos para comemorar.

Havia chegado onde chegou do jeito que pôde chegar. E nunca tinha sido tão feliz como agora, equilibrando seus pratos na balança, intercalando a correnteza e o remanso dentro de si, aprendendo a lidar com os “nãos” de cada dia, ouvindo sua voz interior, perdoando as imperfeições da vida e confiando mais no que sua intuição dizia.

Prometera muito a si mesma. E muitas outras promessas foram feitas em seu nome, para que ela cumprisse o combinado quando chegasse a hora. Seguindo o script, não decepcionaria aqueles que ama, mas a perfeição cobraria seu preço. Seguindo seu coração, certamente desapontaria alguns, mas o ganho seria a pele que arrepia, o mergulho profundo sem medo de se estilhaçar, o brilho no olhar, a coragem de se buscar, a ousadia de ser verdadeira sem necessidade de se desculpar.

Ela se perdoava. Dentro de si havia a menina que foi obrigada a engolir o choro, algumas noites mal dormidas e dores pelo corpo de coisas mal resolvidas. Tudo isso ficara para trás, e por isso agora ela sorria para o espelho e agradecia.

Nem tudo tinha sido perfeito, ela sabia. Porém, mesmo com todas as cicatrizes e fissuras, não desejava voltar ao tempo da inocência. Havia descoberto as delícias de ser feliz sem se culpar por isso, não se exigindo de forma sobre-humana em prol de uma perfeição que lhe poupava do risco, mas que também lhe roubava o riso.

Agora ela compreendia. A vida não era o roteiro que ela havia programado, rascunhado e passado a limpo. A vida era, principalmente, o que ficava fora da linha, além dos parágrafos, entre vírgulas e reticências. Era o que acontecia no susto, na surpresa, naquilo que a deixava indefesa. Era o que ficava por dizer, o que a surpreendia distraída, o que embaçava seu olhar e permanecia nas entrelinhas do dia a dia.

Num gesto simbólico, abandonou relógios e calendários. Tinha nascido poesia, mas aos poucos ganhara rigidez e agonia. Agora fazia as pazes com a alegria, não aquela misturada à euforia, mas sim com a graça amistosa e quase serena que agora lhe fazia companhia. Sorria de si para si, e aceitava as pequenas rugas que começavam a se juntar ao redor de seu olhar. Era uma mulher no meio da ponte. Sabia que a vida lhe reservava presentes inesperados pelo caminho, e dessa vez não iria se sentir endividada por aceitar. A vida não estava aí para ser suportada, e sim abraçada e enfrentada…

*Por Fabiola Simões

…………………………………………………………………………
*Fonte: asomadetodosafetos

Viver com menos

Ter menos coisas requer coragem e perseverança, lembre-se que você está tentando fazer algo que não é a norma

Quando se resolve viver com menos, o grande problema que a maioria das pessoas se deparam é a transição para essa vida mais enxuta. Costumo dizer que 10% do conceito equivale ao espaço, porém 90% equivale a atitude das pessoas em relação a essa diminuição. Acredito que temos necessidades diferentes para cada momento de nossa vida, e nossos ambientes podem e devem acompanhar esses movimentos de mudança a fim de contribuir para a busca de nossos objetivos.

Diminuir é um processo trabalhoso que não acontece do dia para noite. Ele precisa começar bem antes de você querer se estabelecer em uma vida mais minimalista. Portanto se preparar para esta transição é essencial. Mas por onde começar?

Livrar-se de tudo que não faz mais sentido ao seu propósito pode ser um bom ponto de partida. Claro que não conseguimos nos livrar de tudo de uma hora para outra, mas pense que para se viver 50% menor, você terá de se livrar pelo menos de 50% de suas coisas.

Porém o objetivo aqui, não é sacrificar as coisas que te dão prazer, mas sim observar que a transição ditará o que é realmente importante manter. Não há sentido em sabotar sua vida, bem como seus espaços permanecendo com as mesmas coisas. Entenda que esta transformação não está tirando algo de você, mas inversamente dando algo para você, significa se livrar das coisas que desviam sua atenção em relação ao seu objetivo. Lembre-se que algumas coisas precisam sair porque estão ocupando o lugar de outras, e isso faz uma grande diferença quando estamos determinados nesta transição.

Ter menos coisas requer coragem

Minimizar nossa casa, nos faz entender o que sentimos por ela em relação ao nosso desejo de viver com menos, além de otimizar o número de itens acumulados a fim de melhorar nossa qualidade de vida trazendo mais liberdade, e vivendo de maneira significativa. Não precisamos ficar achando mais espaço para nossos pertences, precisamos de menos coisas competindo pela nossa atenção. E é bem provável que este acúmulo excessivo de coisas esteja afastando você de sua transição com o propósito de viver com menos.

Como e por que precisamos fazer isso, só dependerá de nós mesmos e da intenção de vida que queremos levar. Todos temos objetivos semelhantes em relação aos nossos espaços. Queremos um lugar que exija menos tempo, dinheiro e estresse para ser mantido, portanto prepare-se! Caminhar nesta direção pode não ser muito fácil, talvez você se sinta desencorajado e com vontade de desistir, porém lembrar dos motivos que te levaram a se permitir ter essa experiência de viver com menos será mais importante neste processo.

Ter menos coisas requer coragem e perseverança, lembre-se que você está tentando fazer algo que não é a norma. Siga seu coração e permita-se a trabalhar nesta transição injetando propósito e potencial com a intenção de viver com menos. Mesmo acompanhado de escolhas difíceis, o desenvolvimento dessa nova habilidade de minimizar se transforma em uma ferramenta que te ajudará a ganhar mais consciência e percepção do que é realmente necessário para se viver.

Reduzimos a casa para ampliar nossos horizontes.

*POR: Clô Azevedo é arquiteta e acredita que a casa é uma extensão das vidas que a habitam. Desenvolve projetos de design de interiores afetivos para conectar pessoas com suas histórias, inspirando a reinventar seu próprio espaço, morar bem e viver melhor. Seu site é designafetivo.com.

……………………………………………………………………..
*Fonte: vidasimples

Os 5 ambientes de casa que mais acumulam energia negativa. Cuide bem deles!

Descubra quais são os ambientes de sua casa que mais precisam de atenção e redobre os cuidados para manter a energia negativa o mais longe possível!

Em algum momento, todas as casas as ficam sujas, seja pela falta de tempo para organizá-las ou pelo volume de pessoas que vivem dentro delas, e isso não necessariamente significa que os moradores são descuidados ou gostam de viver na sujeira, é apenas uma circunstância da vida.

No entanto, precisamos nos esforçar para cuidar de nosso lar e mantê-lo o menos bagunçado e sujo possível, porque isso atrai muitas energias negativas, e pode acabar afetando a nossa qualidade de vida e o relacionamento com a nossa família.

Abaixo listamos os cinco ambientes onde as energias negativas mais se acumulam dentro de casa. Preste muita atenção a eles e faça o possível para que sempre estejam arrumados, pelo seu bem!

1. Corredor
O corredor é o lugar por onde todos transitam, e algumas vezes pode ficar lotado de sapatos, roupas, móveis antigos, brinquedos, entre outros. Muita energia acumula-se nesse local e, se não for cuidado corretamente, pode afetar a todos, tornando a convivência muito difícil. Deixe o seu corredor sempre limpo e organizado, não o encha de móveis, apenas uma planta já é o suficiente para torná-lo agradável e feliz.

2. Banheiro
O banheiro reflete o nosso cuidado com a casa e, se ele estiver sujo, isso indica que toda a casa está com sérios problemas de organização e exposta a diversos tipos de energia negativa. A higiene é muito importante nesse ambiente e, se não estiver presente, não demora muito até que as consequências energéticas cheguem até nós.

3. Cozinha
A cozinha é o coração da casa. Se ela estiver cheia de lixo, latas e garrafas vazias, e louças sujas, virará local ideal para as energias negativas se instalarem e criarem uma onda de estagnação e falta de prosperidade. Mantenha sua cozinha sempre limpa e bem cuidada para que possa lhe trazer benefícios, e não prejuízos.

4. Sala
Este é o ambiente comum da casa, onde recebemos as nossas visitas que nem sempre têm as melhores intenções em seu coração. Por esse motivo, é sempre muito importante que a mantenhamos limpa física e energeticamente, com incensos e plantas, para que nos afastem de sentimentos maldosos e alimentem nossas relações com boas energias e sentimentos.

5. Quarto
Esse é o nosso ambiente pessoal, muito ligado ao nosso sentimento de felicidade. A bagunça no quarto desregula as energias e atrai coisas ruins para as nossas vidas. Ele deve estar sempre limpo e organizado, e tudo o que não pertencer a ele precisa ser eliminado. O quarto deve inspirar pensamentos positivos, paz e amor.

Agora que você descobriu quais são esses ambientes, cuide deles com carinho e dedicação, para que sua casa seja um lar de energias positivas.

Compartilhe as dicas com os amigos!

*Por Luiza Fletcher

……………………………………………………………………….
*Fonte: osegredo

Pessoas intuitivas: 10 características que as diferenciam

A mente intuitiva é um dom sagrado e a mente racional é um servo fiel. Criamos uma sociedade que honra o servo e esquece o presente “. Essas são as palavras de Albert Einstein, que conhecia perfeitamente o poder e a importância da intuição. Infelizmente, a intuição foi praticamente relegada a um nível esotérico, sacrificado no altar da racionalidade. No entanto, somos todos pessoas intuitivas, apenas alguns aprenderam a prestar atenção às mensagens de sua intuição, enquanto outros os ignoram.

O que é intuição?

Antonio Damásio, médico e neurologista, explica o que é a intuição por meio de sua teoria dos marcadores somáticos. Na prática, a intuição seria um mecanismo de pré-seleção que ocorre abaixo do nosso limiar de consciência e é responsável por examinar todas as opções, decidindo quais são os possíveis caminhos entre os quais podemos escolher conscientemente.

A intuição é um procedimento que nos permite inconscientemente valorizar e descartar alternativas, fundamentalmente baseadas em nossas experiências passadas e em nossas emoções. É por isso que é expresso principalmente através de sensações corporais, algumas pessoas indicam que o sentem no estômago ou no peito. Essa é também a razão pela qual estamos inclinados a uma opção e não a outra, mas não somos capazes de explicar a razão, é apenas um sentimento ou um palpite.

O que diferencia as pessoas intuitivas?

1 – Elas ouvem sua voz interior. Pessoas intuitivas têm uma conexão especial com seu inconsciente, de modo que são capazes de ouvir a voz interior que os outros ignoram. Ao prestar atenção a esses palpites ou intuições, elas têm “afinado” cada vez mais esse canal de comunicação, para que possam decifrar melhor as mensagens que sua intuição lhes envia.

2 – Elas passam tempo na solidão. Pessoas intuitivas geralmente valorizam a solidão e aproveitam o tempo que gastam consigo mesmas. Durante esses momentos, aproveitam a oportunidade para se conectar com as emoções e realizar um exercício profundo de introspecção ou simplesmente acalmar a mente, essencial para que a intuição se manifeste.

3 – Elas escutam seu corpo. As pessoas intuitivas têm uma conexão especial com o corpo, de modo que são capazes de captar os sinais que a intuição envia através de sensações como um “nó na garganta”, “borboletas no estômago” ou qualquer outra sensação física que lhe envie esse segundo cérebro. Essas pessoas sentem que algo está errado em seu corpo, têm reações viscerais que sabem interpretar e usar a seu favor ao tomar decisões.

4 – Elas são excelentes observadoras. Pessoas intuitivas são geralmente muito atentas, prestam atenção aos detalhes que outras pessoas não percebem. De fato, uma das armas secretas da intuição é precisamente a capacidade de capturar muitos detalhes, compreendê-los e prever o que pode acontecer. Dessa maneira, elas também descobrem padrões ou coincidências que outros não percebem, mas que mais tarde se tornam a base para tomar outras decisões em suas vidas.

5 – Elas prestam atenção aos seus sonhos. Os sonhos são o canal de comunicação favorito do inconsciente. Em muitas ocasiões, a mente inconsciente escolhe as fantasias dos sonhos para nos enviar uma mensagem que pode nos ajudar a tomar melhores decisões. Pessoas intuitivas prestam atenção ao conteúdo de seus sonhos e tentam descobrir. Obviamente, nem todos os sonhos são mensagens do inconsciente, pessoas intuitivas também são capazes de diferenciá-los.

6 – Elas se conectam emocionalmente com o outro. A empatia é uma das armas secretas da intuição. Pessoas intuitivas são capazes de se conectar com outras pessoas em um nível superior, permitindo-lhes ajudá-las ou perceber que estão passando por um momento ruim.

7 – Elas deixam de lado as emoções “negativas”. Apesar do fato de que a intuição pode gerar sensações desagradáveis, pessoas intuitivas são capazes de gerenciá-las e não permanecem bloqueadas nelas. De fato, elas sabem que emoções como frustração, raiva ou ressentimento obscurecem a intuição. Isso significa que geralmente elas estão muito conscientes de suas emoções e sabem como gerenciá-las com sabedoria.

8 – Elas sabem como fluir. Pessoas intuitivas desenvolvem grande confiança, o que as ajuda a enfrentar as adversidades com uma atitude mais relaxada.
Elas confiam não apenas em suas habilidades para enfrentar obstáculos, mas também em sua vida. Essas pessoas sabem que tudo chega e tudo passa, então aprendem a fluir sem dificuldade, não se apegam a situações, nem positivas nem negativas. Essa sabedoria lhes dá grande tranquilidade e serenidade diante dos contratempos.

9 – Elas mostram grande flexibilidade cognitiva. Pessoas intuitivas não têm um pensamento rígido, são capazes de mudar de ideia rapidamente quando têm um palpite. Isso significa que elas nem se apegam às suas decisões, especialmente quando sentem que estão seguindo o caminho errado. Essa flexibilidade cognitiva lhes permite corrigir o plano e obter melhores resultados.

10 – Elas procuram as respostas lá dentro. Pessoas intuitivas não se isolam do mundo, levam em consideração as circunstâncias e sabem quando o vento sopra a seu favor e quando é contra, mas sempre têm a tendência de procurar dentro de si mesmas para encontrar as respostas. Isso significa que, ao tomar decisões, elas levam em consideração suas expectativas, esperanças e necessidades. Assim, eles alcançam um equilíbrio que lhes permite tomar as melhores decisões.
3 problemas que as pessoas intuitivas enfrentam

Desenvolver muito a intuição também pode ter seus “efeitos adversos”, especialmente em um mundo onde a lógica é superestimada e as emoções são ignoradas.

1 – Não podendo explicar por que elas tomaram uma decisão importante. Pessoas intuitivas geralmente não conseguem explicar racionalmente por que tomaram uma decisão que não faz sentido para os outros. Em muitos casos, a ausência de argumentos lógicos pode levar a discussões e problemas, especialmente quando outras pessoas não as entendem.

2 – Prever finais desastrosos que ninguém mais imagina. Pessoas intuitivas podem prever finais desastrosos, seja em um relacionamento ou em um negócio. Muitas vezes, essa certeza é difícil de suportar, pois nem sempre podem compartilhá-la com outras pessoas ou não prestam atenção a elas. O fato de capturar pequenos detalhes que outros não percebem lhes dá essa habilidade especial, que nem sempre é bem-vinda.

3 – Captar os pensamentos e emoções negativos dos outros. Pessoas intuitivas não leem mentes, mas esse sexto sentido geralmente lhes permite captar pequenos sinais extra-verbais que as ajudam a formar uma idéia do que as outras pessoas estão sentindo ou pensando. Às vezes, perceber que outras pessoas estão fingindo sem poder revelar isso pode ser extremamente frustrante ou irritante.
É conveniente tomar decisões, deixando-se intuir?

“Quando tomamos pequenas decisões, é sempre vantajoso analisar os prós e os contras. No entanto, em questões vitais, como a escolha de um parceiro ou profissão, a decisão deve vir do inconsciente, de um local oculto dentro de nós. Nas decisões realmente importantes da vida, devemos deixar que as necessidades profundas de nossa natureza governem.”

Essas foram as palavras de Sigmund Freud, que se referia àquele sentimento de certo ou errado, de prazer ou rejeição visceral, que sentimos profundamente dentro de nós e que às vezes ignoramos ouvir apenas a razão.

Em Psicologia, existe o que é conhecido como Inteligência Intuitiva , que seria nossa capacidade de resolver problemas, deixando-nos guiar pela intuição. De fato, em uma série de estudos realizados com enfermeiros, médicos e empresários com muitos anos de experiência, verificou-se que sua primeira intuição quase nunca falhava.

Obviamente, a intuição não é um mecanismo infalível, mas pode ser muito útil quando precisamos tomar decisões em uma situação em que não temos muita informação ou é muito caótica. De qualquer forma, é sempre bom saber o que você tem a dizer antes de decidir sobre uma ou outra opção. Portanto, o mais conveniente é aprender a ouvi-lo.

*Artigo de Jennifer Delgado Suárez – Rincón de la Psicología

………………………………………………………………………………
*Fonte: pensarcontemporaneo

Pare de tentar envenenar as pessoas com a sua amargura!

Pare de tentar envenenar as pessoas com a sua amargura! Já tem muita gente fazendo isso.

Você já reparou na diferença de postura de algumas pessoas quando estão tristes ou alegres?

Quando estão tristes, tratam todos à sua volta com desdém. Acessam as redes sociais de amigos, conhecidos e até desconhecidos para criticar, dar indiretas, polemizar, denegrir.
Criam perfis fakes para ofender mais livremente os demais. São extremamente ríspidos nas respostas e fazem questão de deixar claro para todos o quanto estão chateados, aborrecidos, insatisfeitos…
Acreditam que só ficaram bem se todos a sua volta souberem e compartilharem da mesma raiva que estão sentindo.

Mas quando estão alegres… desaparecem.

Dizem que não comentam com ninguém para que “não estraguem” ou “invejem”. Escondem isso à todo custo para que ninguém “roube” isso deles.

Alguns até fingem tristeza para esconder o que realmente está acontecendo.

Fomos doutrinados a compartilhar as coisas ruins e esconder boas em caixas lacradas.
Tanto que, quando alguém compartilha felicidade, saúde, vitórias causa estranheza (e até revolta) em algumas pessoas.
Mas quando fala sobre coisas ruins recebe atenção, incentivo, “apoio” de todos os lados.

A amargura compartilhada!

E quem recebe fica viciada nesta atenção e, à partir de então, começa a se alimentar disso.
Repare em famosos que vez ou outra ressurgem na mídia atacando outro, ou mostrando uma foto polemica, fazendo um vídeo constrangedor… Cinco minutos depois estão em todos os jornais e ganharam milhares de novos seguidores.
E aquela vizinha que some um tempo e, quando reaparece, no primeiro “bom dia” que recebe, tem uma lista de tragédias na família para contar.Tem ainda aquela conhecida que está sempre doente: cabeça, joelho, cotovelo… Todos ficam com dó delas.

Por que é mais fácil espalhar dor que alegrias?

Desde pequenos, escutamos coisas como: “tudo o que é bom dura pouco”; “o que é bom é pecado”; “o sofrimento leva ao paraíso”; “somos pecadores”.

Passamos anos e anos sentindo culpa por ser feliz, ou ter dinheiro, ou por conseguir vencer obstáculos e nos recuperar.
Vendo mérito em fracassar para ganhar um “reino prometido”.
Quando no fundo estamos profundamente infelizes com isso, sentindo que estamos desperdiçando nosso potencial…
Até que um dia entendemos que a culpa nada mais é que a forma mais antiga de manipulação.
E percebemos que somos, sim, responsáveis pelos nossos pensamentos, sentimentos e ações.
Que mudando estes três elementos somos capazes de mudar radicalmente nossas vidas.

Não há nada fora. Está tudo dentro.

Passamos por catarses fortíssimas para limpar os padrões que nos foram impostos por tanto tempo.
E depois começamos a praticar com mais afinco essa nova forma de ver a vida.
Entendemos o verdadeiro sentido da felicidade e perdemos o medo de compartilhar, porque agora sabemos que estamos aqui para ajudar a humanidade, que todos somos um, que o paraíso está dentro de cada um de nós.

A verdadeira felicidade

Quando você é genuinamente feliz sabe que nada externo pode ‘atrapalhar’ isso.
Justamente porque esta felicidade não veio de nada externo.
Ela foi construída, degrau por degrau, com tijolos internos e raízes profundas no seu interior.
Então, se compartilhar desta felicidade, ela não vai diminuir.
Nunca!

Mas pode inspirar, ajudar outra pessoa.

Se uma palavra ruim pode estragar o dia de alguém, imagina um mar de boas palavras?

E o envio de boas vibrações e oração?

E sorrisos?

Recentemente vi um video de uma pessoa que entrava em um trem onde todos estavam sérios e começava a gargalhar.
Pouco tempo depois, boa parte das pessoas à sua volta estava gargalhando também.

A felicidade é contagiante!

Trabalhe em você para ser mais feliz e, quando isso acontecer, vai sim compartilhar voluntariamente este sentimento com o mundo.
Enquanto isso, pare de tentar envenenar as pessoas com amargura.
Já tem muita gente fazendo isso.

“O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã.” Leonardo da Vinci

*Por Kassia Luana

……………………………………………………………………..
*Fonte: seuamigoguru

Comece bem o dia: Dalai Lama publica mensagem de reflexão para enfrentarmos momentos conturbados

Dalai Lama enviou uma mensagem de paz e sabedoria nesta sexta-feira, 14, e provocou reflexão entre seus seguidores e simpatizantes.

A autoridade máxima do budismo tibetano aproveitou o momento de caos vivido pela humanidade nos últimos meses, por conta da pandemia, e usou seu perfil no Twitter para compartilhar mais uma de suas mensagens de sabedoria.

Na mensagem, o líder religioso pediu que façamos o melhor para mudarmos nosso mundo interior, especialmente em momentos em que os problemas do mundo exterior fogem do nosso controle.

“Não podemos remover problemas externos à vontade, mas em termos de nosso mundo interior, podemos desenvolver tolerância, perdão e contentamento”, começou dizendo na publicação.

O chefe de estado do Tibete ainda pediu para permanecermos calmos independentemente das influências negativas vindas de fora: “Se tivermos desenvolvido paz de espírito, podemos permanecer calmos, não importa o que aconteça no mundo exterior”.

Aos 80 anos, Dalai Lama possui uma história de lutas e campanhas pacifistas contra a dominação chinesa no Tibete. Sua trajetória lhe rendeu um Nobel da Paz em 1989 e hoje ele é o principal símbolo vivo do budismo na Ásia.

………………………………………………………………
*Fonte: bonsfluidos

13 maneiras de espantar a energia negativa da sua casa

Sabe aquele sentimento constante de desânimo e um clima pesado no ar? Veja algumas dicas para espantar a energia negativa do seu lar:

1. Abra as portas e janelas
Pode parecer óbvio, mas deixar o ar circular, mesmo que esteja frio lá fora, é o primeiro passo para mandar embora as energias ruins de dentro de casa.

2. Acenda um incenso
O hábito de queimar incensos faz parte de práticas espirituais e de rituais de meditação. Pode ajudar a melhorar a energia do ambiente e criar uma atmosfera mais calma e serena.

3. Livre-se das coisas quebradas
Manter móveis e objetos quebrados pode atrair e manter energias negativas em casa. Mesmo que tenha algum valor sentimental, está na hora de dar um jeito nessas peças: repare-as ou remova-as de casa.

4. Use spray de óleo de laranja
Aquele cheirinho cítrico da laranja remete a um dia ensolarado. O aroma é capaz de espantar a energia negativa do ambiente e melhorar o humor das pessoas. Dilua um pouco óleo de laranja na água e espalhe pela casa.

5. Arrume a bagunça
Em desordem, os objetos são capazes de reter energias que podem nos bloquear fisicamente, mentalmente, emocionalmente e espiritualmente.

6. Use cristais para manter a harmonia
Cada cristal tem uma função. O quartzo rosa, por exemplo, é capaz de facilitar na substituição das emoções e sentimentos negativos por positivos.

7. Pinte uma parede de amarelo
Pode parecer meio radical, mas a cor é capaz de neutralizar as energias ruins do ambiente. Além disso, o amarelo pode fazer com que o ambiente pareça maior.

8. Coloque sal nos cantos
Especialistas dizem que para absorver energias negativas, basta colocar um pouquinho de sal em cada canto de um ambiente e deixar por 48 horas. Depois disso, é só varrer e jogar no lixo.

9. Faça uma boa faxina
A dica é sempre que comprar ou alugar um imóvel novo, antes mesmo de começar a levar as mudanças, dedique um tempo para fazer uma boa faxina. Isso pode ajudar a remover qualquer tipo de energia do morador anterior.

10. Tente reduzir as pontas
Uma das indicações do Feng Shui são os móveis sem pontas. Além de serem mais seguros, caso alguém esbarre neles, a energia gerada pela ponta, que lembra uma flecha, não é aconchegante. A dica é investir em objetos de decoração, como luminárias e vasos redondos, para trazer mais energias positivas.

11. Invista em espelhos
Acredita-se que eles podem atrair ainda mais energias positivas e também ajudar a limpar a mente. Mas não se esqueça de optar pelos de pontas redondas.

12. Opte por cores neutras
Às vezes, cores escuras podem sobrecarregar quando tudo o que você precisa é de um ambiente relaxante.

13. Proteja as entradas
As portas e as janelas são entradas para as energias. Para manter essas áreas purificadas e protegidas, é recomendado limpar as maçanetas e janelas com a mistura de água, sal, vinagre branco e suco de limão.

*Marina Paschoal com Bruna Menegueço

…………………………………………………………………….
*Fonte: casa&jardim

Pessoas intuitivas: 10 características que as diferenciam

A mente intuitiva é um dom sagrado e a mente racional é um servo fiel. Criamos uma sociedade que honra o servo e esquece o presente “. Essas são as palavras de Albert Einstein, que conhecia perfeitamente o poder e a importância da intuição. Infelizmente, a intuição foi praticamente relegada a um nível esotérico, sacrificado no altar da racionalidade. No entanto, somos todos pessoas intuitivas, apenas alguns aprenderam a prestar atenção às mensagens de sua intuição, enquanto outros os ignoram.

O que é intuição?

Antonio Damásio, médico e neurologista, explica o que é a intuição por meio de sua teoria dos marcadores somáticos. Na prática, a intuição seria um mecanismo de pré-seleção que ocorre abaixo do nosso limiar de consciência e é responsável por examinar todas as opções, decidindo quais são os possíveis caminhos entre os quais podemos escolher conscientemente.

A intuição é um procedimento que nos permite inconscientemente valorizar e descartar alternativas, fundamentalmente baseadas em nossas experiências passadas e em nossas emoções. É por isso que é expresso principalmente através de sensações corporais, algumas pessoas indicam que o sentem no estômago ou no peito. Essa é também a razão pela qual estamos inclinados a uma opção e não a outra, mas não somos capazes de explicar a razão, é apenas um sentimento ou um palpite.

O que diferencia as pessoas intuitivas?

1 – Elas ouvem sua voz interior. Pessoas intuitivas têm uma conexão especial com seu inconsciente, de modo que são capazes de ouvir a voz interior que os outros ignoram. Ao prestar atenção a esses palpites ou intuições, elas têm “afinado” cada vez mais esse canal de comunicação, para que possam decifrar melhor as mensagens que sua intuição lhes envia.

2 – Elas passam tempo na solidão. Pessoas intuitivas geralmente valorizam a solidão e aproveitam o tempo que gastam consigo mesmas. Durante esses momentos, aproveitam a oportunidade para se conectar com as emoções e realizar um exercício profundo de introspecção ou simplesmente acalmar a mente, essencial para que a intuição se manifeste.

3 – Elas escutam seu corpo. As pessoas intuitivas têm uma conexão especial com o corpo, de modo que são capazes de captar os sinais que a intuição envia através de sensações como um “nó na garganta”, “borboletas no estômago” ou qualquer outra sensação física que lhe envie esse segundo cérebro. Essas pessoas sentem que algo está errado em seu corpo, têm reações viscerais que sabem interpretar e usar a seu favor ao tomar decisões.

4 – Elas são excelentes observadoras. Pessoas intuitivas são geralmente muito atentas, prestam atenção aos detalhes que outras pessoas não percebem. De fato, uma das armas secretas da intuição é precisamente a capacidade de capturar muitos detalhes, compreendê-los e prever o que pode acontecer. Dessa maneira, elas também descobrem padrões ou coincidências que outros não percebem, mas que mais tarde se tornam a base para tomar outras decisões em suas vidas.

5 – Elas prestam atenção aos seus sonhos. Os sonhos são o canal de comunicação favorito do inconsciente. Em muitas ocasiões, a mente inconsciente escolhe as fantasias dos sonhos para nos enviar uma mensagem que pode nos ajudar a tomar melhores decisões. Pessoas intuitivas prestam atenção ao conteúdo de seus sonhos e tentam descobrir. Obviamente, nem todos os sonhos são mensagens do inconsciente, pessoas intuitivas também são capazes de diferenciá-los.

6 – Elas se conectam emocionalmente com o outro. A empatia é uma das armas secretas da intuição. Pessoas intuitivas são capazes de se conectar com outras pessoas em um nível superior, permitindo-lhes ajudá-las ou perceber que estão passando por um momento ruim.

7 – Elas deixam de lado as emoções “negativas”. Apesar do fato de que a intuição pode gerar sensações desagradáveis, pessoas intuitivas são capazes de gerenciá-las e não permanecem bloqueadas nelas. De fato, elas sabem que emoções como frustração, raiva ou ressentimento obscurecem a intuição. Isso significa que geralmente elas estão muito conscientes de suas emoções e sabem como gerenciá-las com sabedoria.

8 – Elas sabem como fluir. Pessoas intuitivas desenvolvem grande confiança, o que as ajuda a enfrentar as adversidades com uma atitude mais relaxada.
Elas confiam não apenas em suas habilidades para enfrentar obstáculos, mas também em sua vida. Essas pessoas sabem que tudo chega e tudo passa, então aprendem a fluir sem dificuldade, não se apegam a situações, nem positivas nem negativas. Essa sabedoria lhes dá grande tranquilidade e serenidade diante dos contratempos.

9 – Elas mostram grande flexibilidade cognitiva. Pessoas intuitivas não têm um pensamento rígido, são capazes de mudar de ideia rapidamente quando têm um palpite. Isso significa que elas nem se apegam às suas decisões, especialmente quando sentem que estão seguindo o caminho errado. Essa flexibilidade cognitiva lhes permite corrigir o plano e obter melhores resultados.

10 – Elas procuram as respostas lá dentro. Pessoas intuitivas não se isolam do mundo, levam em consideração as circunstâncias e sabem quando o vento sopra a seu favor e quando é contra, mas sempre têm a tendência de procurar dentro de si mesmas para encontrar as respostas. Isso significa que, ao tomar decisões, elas levam em consideração suas expectativas, esperanças e necessidades. Assim, eles alcançam um equilíbrio que lhes permite tomar as melhores decisões.

3 problemas que as pessoas intuitivas enfrentam

Desenvolver muito a intuição também pode ter seus “efeitos adversos”, especialmente em um mundo onde a lógica é superestimada e as emoções são ignoradas.

1 – Não podendo explicar por que elas tomaram uma decisão importante. Pessoas intuitivas geralmente não conseguem explicar racionalmente por que tomaram uma decisão que não faz sentido para os outros. Em muitos casos, a ausência de argumentos lógicos pode levar a discussões e problemas, especialmente quando outras pessoas não as entendem.

2 – Prever finais desastrosos que ninguém mais imagina. Pessoas intuitivas podem prever finais desastrosos, seja em um relacionamento ou em um negócio. Muitas vezes, essa certeza é difícil de suportar, pois nem sempre podem compartilhá-la com outras pessoas ou não prestam atenção a elas. O fato de capturar pequenos detalhes que outros não percebem lhes dá essa habilidade especial, que nem sempre é bem-vinda.

3 – Captar os pensamentos e emoções negativos dos outros. Pessoas intuitivas não leem mentes, mas esse sexto sentido geralmente lhes permite captar pequenos sinais extra-verbais que as ajudam a formar uma idéia do que as outras pessoas estão sentindo ou pensando. Às vezes, perceber que outras pessoas estão fingindo sem poder revelar isso pode ser extremamente frustrante ou irritante.

É conveniente tomar decisões, deixando-se intuir?

“Quando tomamos pequenas decisões, é sempre vantajoso analisar os prós e os contras. No entanto, em questões vitais, como a escolha de um parceiro ou profissão, a decisão deve vir do inconsciente, de um local oculto dentro de nós. Nas decisões realmente importantes da vida, devemos deixar que as necessidades profundas de nossa natureza governem.”

Essas foram as palavras de Sigmund Freud, que se referia àquele sentimento de certo ou errado, de prazer ou rejeição visceral, que sentimos profundamente dentro de nós e que às vezes ignoramos ouvir apenas a razão.

Em Psicologia, existe o que é conhecido como Inteligência Intuitiva , que seria nossa capacidade de resolver problemas, deixando-nos guiar pela intuição. De fato, em uma série de estudos realizados com enfermeiros, médicos e empresários com muitos anos de experiência, verificou-se que sua primeira intuição quase nunca falhava.

Obviamente, a intuição não é um mecanismo infalível, mas pode ser muito útil quando precisamos tomar decisões em uma situação em que não temos muita informação ou é muito caótica. De qualquer forma, é sempre bom saber o que você tem a dizer antes de decidir sobre uma ou outra opção. Portanto, o mais conveniente é aprender a ouvi-lo.

*Por Artigo de Jennifer Delgado Suárez – Rincón de la Psicología

…………………………………………………………………
*Fonte: pensarcontemporaneo

Não tente ser o melhor, apenas seja “bom o suficiente”

Não tente ser o melhor, apenas seja “bom o suficiente”! Colocar demandas impossíveis de nos destacarmos apenas causa estresse e infelicidade!

Você pode optar por cancelar a busca pelo melhor em favor de uma busca por ser bom o suficiente.

Se você estiver cursando um curso universitário, projeto de trabalho ou relacionamento com a intenção de ser o melhor aluno, trabalhador ou parceiro do mundo, considere meu novo herói, Sir Robert Alexander Watson-Watt.

Ele é meu novo herói por causa de sua teoria da imperfeição, que resumiu como:

“Dê a eles o terceiro melhor para continuar; o segundo melhor chega tarde demais, e o melhor nunca chega. ”

Não é o tipo de afirmação que você deve fazer em uma entrevista de emprego – lá, você deve apenas concordar com a fantasia de que todos na sala, incluindo você, são perfeitos.

Mas não é um mau princípio trabalhar com isso.

Watson-Watt foi pioneiro na tecnologia de radar e rádio, particularmente para rastrear aviões inimigos que atacavam a Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial. Seu trabalho ajudou a RAF a vencer a Batalha da Grã-Bretanha e também ajudou a pôr fim ao massacre noturno dos inocentes conhecidos como Blitz.

Se ele estivesse lá, insistindo em encontrar a melhor solução para o problema de detectar aviões inimigos, muitos milhares de vidas, pelo menos, poderiam ter sido perdidas.

Ele teve uma carreira distinta após a guerra. Se você queria um anúncio para o que ele chamou de “o culto do imperfeito”, ele é.

Isso não é um culto à negligência ou à falta de cuidado. É uma questão de não permitir que a melhor busca te impeça de fazer o que você pode fazer nas circunstâncias que se encontra.

Muitos projetos ficam inacabados na busca interminável pela busca constante pelo melhor.

William Babbage, que projetou, mas nunca construiu o que poderia ter sido o primeiro computador há quase 200 anos, desperdiçou uma grande subvenção do governo fazendo infinitas melhorias em uma máquina de calcular anterior que ele nunca terminou. O pobre Babbage disse mais tarde que nunca teve um dia feliz em sua vida. A busca pelo melhor não o fez muito bem.

Depois, há o conceito de “parentalidade boa o suficiente” apresentado pelo psicanalista pioneiro DW Winnicott. Ele acreditava que pais perfeitos seriam ruins para uma criança, cujo desenvolvimento psicológico e emocional seria sufocado. É por isso que é tão triste ver os pais se espancando por não serem perfeitos – seus filhos não estão buscando a perfeição e acabariam se sentindo intimidados por ela.

E que pai ou mãe tem tempo para descobrir a melhor resposta às necessidades da criança? Entrar rapidamente e aplicar a primeira solução disponível geralmente é o melhor possível.

Fonte de infelicidade

Colocar demandas impossíveis sobre nós mesmos há muito tempo é identificado pelos psicólogos, desde Freud, como uma fonte de infelicidade.

Se você está muito estressado como trabalhador, estudante, pai ou filho, esse estresse pode, é claro, ser causado por demandas impossíveis daqueles que estão na autoridade. Mas também pode ser causado por demandas impossíveis impostas a si mesmo.

Se o último for o culpado, você pode optar por cancelar a busca pelo melhor em favor de uma busca pelo bom o suficiente.

Curiosamente, isso não significa padrões ruins. Para dar um exemplo do jornalismo, muitas, talvez a maioria das melhores notícias que você lê são escritas com um padrão “bom o suficiente”. Ninguém tem tempo para escrever a melhor história que poderia ser escrita – isso se chama história.

No entanto, o trabalho “bom o suficiente” dos jornalistas deve atender aos exigentes padrões de precisão, prova de difamação e estilo – se não o fizerem, as consequências podem ser dolorosas, como sabemos.

Quando as pessoas – como o infeliz Babbage – começam a refletir sobre suas vidas até o momento, podem concluir sombriamente que as coisas não saíram tão bem quanto poderiam.

E adivinha? Eles estão certos: em nosso mundo aleatório cercado por numerosas forças conflitantes, uma vida não pode sair tão bem quanto poderia ser.

O mesmo se aplica aos seus projetos, tarefas (se você é estudante), casamento, filhos, pais e tudo mais.

Deixe uma margem para erro e relaxe.

E lembre-se de Robert Alexander Watson-Watt e sua terceira melhor regra.

 

*Por Padraig O’Morain
– Padraig O’Morain (@PadraigOMorain) é credenciado pela Associação Irlandesa de Aconselhamento e Psicoterapia . Seu último livro é Kindfulness. Seu lembrete diário de atenção plena é gratuito por e-mail (pomorain@yahoo.com)

………………………………………………………………………
*Fonte: seuamigoguru