Analista explica sucesso financeiro do Coringa de Joaquin Phoenix: ‘Alienação, solidão e raiva’

Coringa se tornou um fenômeno de bilheteria, arrecadando cerca de US$ 744 milhões ao redor do mundo pouco depois de um mês de estreia e com grandes chances de se tornar o filme +18 mais lucrativo da história, um feito que parece difícil de se compreender.

Porém, para o analista de mídia sênior em Relações com Expositores Jeff Bock, que falou à Variety, os motivos para o sucesso do Palhaço do Crime são evidentes: “Coringa com certeza está rindo por último”. O primeiro fator do sucesso foi o orçamento conservador, de US$ 62,5 milhões para o filme.

“Não se consegue comprar uma adaptação de quadrinhos por esse preço, ainda assim a Warner Bros. fez funcionar contando uma boa história”, disse Bock. Mesmo ao considerar que publicidade e distribuição aumentaram o orçamento do filme em US$ 100 milhões, o investimento total continua sendo uma fração dos lucros.

O investimento “baixo” se deve aos temas sombrios e conteúdo muito mais perturbador do que a média de filmes de quadrinhos, motivando uma abordagem mais cautelosa da WarnerBros.. E este foi justamente outro ingrediente no sucesso do filme de Joaquin Phoenix.

“Eles fizeram uma aposta e deu certo. Coringa atingiu em cheio o Zeitgeist de hoje e está coletando os frutos disso”, afirmou Bock. “Estamos falando sobre temas universais, de alienação, solidão e raiva que continuam a alimentar a bilheteria desse monstro.”

A forma de representação da violência em Coringa já é algo que dava certo em outros gêneros do cinema também, segundo Bock.

“Públicos mais jovens estão defendendo esse filme de maneira muito parecida com os jovens que assistiram Assassinos Por Natureza [1994], ou Laranja Mecânica [1994] ou Pulp Fiction [1971]. Cada um desses filmes, violentos de maneiras próprias, tinha algo a dizer sobre as falhas da sociedade, tornando-os muito mais interessantes e duradouros.”

Por último, a campanha de marketing do longa dirigido por Todd Phillips merece destaque. Nas semanas anteriores a estreia, Coringa levantou muitas críticas sobre a possível romantização de um assassino em massa, e as famílias das vítimas do massacre na exibição de Cavaleiro das Trevas Ressurge, que aconteceu na cidade de Aurora em 2012, falaram contra o filme.

A Warner então aumentou a divulgação do filme nas redes sociais, numa tentativa de limitar as manchetes bombásticas e, em vez disso, aumentar o diálogo. Essa abordagem deu certo, já que notícias negativas não impactaram as vendas de ingresso, apesar do marketing direcionado ser mais custoso.

Jeff Bock também menciona o formato inovador de Coringa para o gênero, ao falar do futuro da Warner: “Agora eles [Warner Bros.] tem um modelo viável, o qual a Marvel e a Disney tem medo de fazer – adaptações +18 de quadrinhos.”

“Nos últimos anos, a Disney, como uma entidade, não conseguiu reunir de forma bem-sucedida as multidões adultas que gostam de explorar temas sombrios, conhecidos como PG-13 e além”.

 

……………………………………………………………….
*Fonte: revistarollingstone

Incrível animação para fazer as crianças se encantarem com o mundo dos livros

Curta-Metragem vencedor do Oscar mostra o poder que os livros podem ter nas crianças

Uma história bem contada pode mudar a vida de uma criança. Ainda mais se for uma incrível história que mostra a importância que os livros podem ter. Alguns podem encantar e iluminar a vida das pessoas, principalmente das crianças, com sua imaginação. Este é o caso da animação The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore, um curta-metragem de animação ganhador de um Oscar e dirigido por William Joyce e Brandon Oldenburg.

Mostre para seus filhos, filhas, alunos e alunas. Com certeza, eles poderão ter outra relação com os livros depois de ver este curta!

…………………………………………………………
*Fonte: notaterapia

Kidding – trailer

“Kidding” é uma série de comédia dramática. São mais de 10 anos sem Jim Carrey em um papel fixo na TV. E, pelo o que tudo indica, é um daqueles papéis em que o ator empresta todo seu lado emocional/dramático e cheio de nuances como em Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças (de 2004). Carrey é Jeff, um apresentador de TV que surta ao lidar com seus diversos problemas pessoais com família, amigos e carreira. A série será transmitida a partir de 9 de setembro nos Estados Unidos.

…………………………………………………..
*Fonte: updateordie

Bohemian Rhapsody – Trailer

“Bohemian Rhapsody” é oi nome do filme sobre a trajetória da banda Queen sob a ótica do vocalista Freddie Mercury, falecido em 1991. A cinebiografia conta com as atuações de Rami Malek (Freddie Mercury), Gwilym Lee (Brian May), Joseph Mazzello (John Deacon) e Ben Hardy (Roger Taylor). Os próprios Brian May e Roger Taylor trabalham como produtores executivos do filme.