Banjogirl Julho de 2017

Para esquentar as coisas por aqui nesse clima de inverno a escolhida do mês como a Banjogirl de julho foi a atriz americana Brooke Langton. Tudo se deve ao fato de que esses dias assisti a uma reprise do filme “Virando o Jogo” (The Replacements), onde devido a uma greve de jogadores de futebol americano, um time contrata uma série de jogadores que estão encostados em outros times. aí é que aparece a bela Brooke, que no filme atua com Keanu Reeves. A história é simples e até bem previsível, mas não deixa de ser um filme com algumas tiradas engraçadas para quem curte o tal mundo do futebol americano. Filme dos anos 2000 que eu curto e por pura curiosidade resolvi pesquisar sobre a atriz, que aliás, é muito bonita. Por isso mesmo leva a faixa de Banjogirl de Julho de 2017 – Brooke Langton!

*Confira abaixo a sua filmografia:

Televisão:

2008 Friday Night Lights como Jackie Miller
2007 Life como Constance Griffith
2006 Monk como Terri
2005 Weeds como Sharon
1999 The Net como Angela Bennett
1998 Melrose Place como Samantha Reilly
1996 Sliders como Daelin Richards
1995 Extreme como Sarah Bowen
1995 Party of Five como Courtney
1995 The Single Guy como Amanda
1995 Chicago Hope como Sandra Keyes
1992 California Dreams como Kimbely Blanchard
1992 Beverly Hills, 90210 como Suds Lipton
1992 Freshman Dorm como Nikki
1992 Baywatch como Tanya

Cinema:

2007 The Kingdom como Glenda Manner
2007 Primeval como Aviva Masters
2006 Beautiful Dreamer como Claire
2006 The Benchwarmers como Kathy Dobson
2005 Partners como Lucy
2002 Kiss the Bride como Nicoletta Sposato
2000 The Replacements como Annabelle Farrell
2000 Playing Mona Lisa como Sabrina
1998 Reach the Rock como Lise
1997 Mixed Signals como Judy
1996 Listen como Sarah Ross
1996 Swingers como Nikki
1995 Beach House como Caitlin

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sábado de sol em plena semana de uma grande friaca

Depois de uma semana de muito frio aqui no sul, o sábado foi um mais generoso apesar de começar o dia com uma neblina que somente sumiu por voltas das 10h da manhã. Semana passada não teve rolê de moto com a rapaziada apesar do dia incrivelmente bacanudo. teve sim, mas foi coisa pequena. Então a moto ficou meio que de canto a semana toda no meio dessa friaca e hoje pela manhã, quando fui ligá-la… pffffffff. Ninguém em casa. Por causa do frio a bateria não deu conta do recado e isso quando estava começando a dar uma ajeitada nas coisas e um confere na moto para o rolê de logo mais. Mas ainda havia tempo de resolver essa parada. Tudo de boa.

Liguei para o Pretto que veio em seguida, demos mais umas “tentiadas” e nada. Então resolvemos chamar o nosso mecânico de confiança, que veio e fez uma direta com uma outra bateria e tudo ok. Depois levei a moto até a sua oficina e a deixei lá “tomando uma generosa carga” até a hora de sairmos, que seria depois do meio-dia.

Mas ainda havia um problema, a minha moto negou fogo por causa da friaca e resolvemos, mas e a do Pretto? Claro que também fomos dar um confere e tudo ok. No horário combinado nos encontramos no local de costume para abastecermos e sairmos, ainda apareceu o “Professor” Jeferson e partimos em formação de power trio rumo à São Sebastião do Caí.

Já mencionei que o dia estava muito bom, com um sol bacanudo e o frio meio que de cantinho, sem incomodar muito. Assim saímos em direção de Montenegro, só que quando estávamos quase lá, mas ainda na 287, a moto do Professor repentinamente mudou o seu ronco. Percebemos isso e paramos para conferir o que havia acontecido. Logo descobrimos o motivo do ronco forte, era o abafador de uma das duas ponteiras dos canos da motos dele que havia simplesmente “caído”no caminho. Claro que em função da trepidação e tal. Resolvemos seguir em frente até um posto de gasolina, para darmos uma melhor olhada na situação.

Em Montenegro paramos num posto de gasolina e demos então uma boa olhada na moto. Conseguimos algumas ferramentas emprestadas e a situação era então a de sacar fora o outro abafador também, para assim moto não ficar “descompensada”. Mas o cano estava muito quente, o miolo dilatado nessa função de calor e assim ficou difícil de conseguir sacá-lo fora em pouco tempo e naquela situação. A solução foi deixar por isso mesmo e seguirmos em frente assim mesmo.

O rolê prosseguiu tranquilo e nada mais de anormal aconteceu. A moto do Professor reagiu bem e assim foi. Chegamos em São Sebastião do Caí, passamos ainda por umas 3 pontes antigas que permitem a passagem de carros em somente um sentido por vez (não cabem dois carros lado a lado) e demos uma volta pela cidade. Depois seguimos em frente em busca de uma famosa lancheria temática de visual rockabilly 50’s, que fica em um posto de gasolina às margens da RS 122 (que estrada boa de andar).

Fizemos um pit-stop para um lanche, tivemos tempo de curtir o lugar, uma boa conversa, boas risadas, aquelas coisas de sempre. Com isso a tarde passou rapidamente (quando a coisa é boa, o tempo voa) e já era hora de começarmos o trajeto de volta para casa. A ideia era chegarmos antes de escurecer, mas não rolou. Chegamos quando já estava escuro e o frio deu as caras novamente. Então dessa vez nada do tradicional chopp no final de rolê.

Cara, na boa, outro sabadão incrível em duas rodas e com os amigos. Só tenho a agradecer por esses momentos mágicos. Muita coisa não tem como descrever aqui e nem tampouco as imagens fazem jus ao que acontece ou as coisa que vemos pelo caminho. Aliás, cada vez mais acredito naquela coisa de que a viagem e tudo que acontece em sua função, é mais importante do que o destino em si.

Thanks!

*Algumas imagens do rolê de hoje: