“A vida não pode ser economizada para amanhã.” (Rubem Alves)

Sempre se disse que amanhã pode ser muito tarde. Que é preciso aproveitar o hoje como se fosse uma oportunidade única. E é assim que a vida segue, sem voltar atrás, no ritmo que dermos a ela, no compasso que escolhermos.

Embora, ela não seja tão vaidosa quanto acreditamos. Ela quer ser aproveitada, mas não requer os luxos que atribuímos a ela.

A urgência não está somente no ter, no conseguir, no ganhar.

Existe importância em tudo, nos momentos de descanso, nas risadas, nas brincadeiras de criança, nas rodas de conversa.

Tudo ensina, tudo acrescenta, tudo é capaz de satisfazer.

Vive mais feliz quem aprende a dosar tudo isso.

Quem entende que a vida é um conjunto equilibrado de todas essas coisas; que ela vai muito além da rotina apressada que estabelecemos para nossos dias.

A vida é artigo de primeira necessidade. Não se vive sem, não é óbvio?

Mas, a maior parte do tempo não reparamos nisso, porque temos nos ocupado com muitas coisas ao mesmo tempo. Os dias passam e na maior parte dele, nós apenas pilotamos nosso automático, porque já programamos nossos passos.

O que acontece ao longo do dia passa despercebido. Os abraços, os sorrisos, os encontros, o jardim, a gentileza… tudo fica em segundo plano, porque já temos pressa demais para nos preocupar.

Há um conto muito interessante a esse respeito.

Diz-se que um homem se apresentou a um mestre e disse: Meu mestre anterior faleceu. Ele era um homem santo, capaz de fazer muitos milagres.

Que milagre és capaz de realizar?

E a resposta do mestre foi: Eu quando como, como; quando durmo, durmo.

O homem respondeu, dizendo que isso não era milagre algum, já que ele também era capaz dos mesmos feitos.

Ao que o mestre rebateu: Não! Quando você come, pensa em mil coisas; quando dorme, fantasia e sonha. Eu somente como e durmo. Isto é um milagre.

A verdade é que temos cada vez menos a capacidade de fazer esse milagre. É preciso repensar.

É necessário se reinventar e tornar a viver com mais leveza, rindo e chorando, errando e aprendendo, caindo e levantando e enxergando tudo isso como algo essencial ao processo de viver.

A vida pede compromisso, temos um acordo, o de fazer o nosso melhor a cada dia. Mas com menos pressão do que temos feito sobre nós mesmos. É preciso suavidade, doses menores, menos exageros.

É importante que se aprenda a desfrutar de cada dia, com zelo e com gosto.

É fundamental criar momentos agradáveis todos os dias, ter um pouco de diversão, de calmaria e de descanso.

Por Rubem Alves, “Carpe Diem” quer dizer “colha a vida”. Colha o dia como se fosse um fruto maduro que amanhã estará podre. A vida não pode ser economizada para amanhã. Acontece sempre no presente.”

*Por Alessandra Piassarollo

………………………………………………………………..
*Fonte: seuamigoguru

Para refletir sobre esses dias em que vivemos e o futuro

Um bela reflexão que catei (roubei , mas é por uma boa causa)…
do Instagram do Wander Wildner (@wildnerwander)

………………..

E se as crianças perderem o ano escolar?
E se em vez de aprender matemática aprenderem a cozinhar?
Costurar suas roupas? Limpar? A cultivar uma horta no quintal?
Se aprenderem a cantar músicas para seus avós ou seus irmãos mais novos?
Se aprenderem a cuidar dos seus animais de estimação e a tomar banho?
Se desenvolverem sua imaginação e pintarem um quadro?
Se aprenderem a ser mais responsáveis e conectados com toda a família em casa?
Se nós, os pais, os ensinarmos a serem boas pessoas?
Se aprenderem e souberem que estando juntos e saudáveis é muito melhor.
Talvez isso nos falte, e se eles aprenderem, talvez não perderemos um ano,
talvez ganharemos um tremendo futuro!

12