O Guia Definitivo das FRUTAS de CADA ESTAÇÃO

As frutas, além de serem alimentos deliciosos, são ótimas para a nossa saúde e para uma dieta balanceada. No entanto, praticamente todas elas têm uma estação certa para o cultivo, quando se tornam mais resistentes ao clima e não precisam de tantos aditivos químicos para sobreviver ou amadurecer antes da hora.

Frutas de época também desenvolvem um sabor mais acentuado e tornam-se mais baratas do que o normal por conta da grande disponibilidade no mercado. Portanto, é sempre bom fazer algumas contas para estar por dentro das tendências do segmento e conseguir desfrutar dos melhores produtos. Ainda não sabe qual é a estação certeira de cada fruta? Então veja só esse guia de sazonalidade que nós separamos para você!

Verão

O verão é conhecido como a estação mais quente do ano, com temperaturas elevadas e dias mais longos. Nessa época, que dura entre dezembro e março, algumas frutas que apresentam melhores resultados são: abacaxi, ameixa, acerola, melão, melancia e entre outras.

O abacaxi é uma excelente fonte de vitamina C e diversos minerais, ajudando na digestão de proteínas e servindo como desintoxicante. Suas safras apresentam melhor resultado entre dezembro e fevereiro, com quedas significativas nos meses subsequentes.

O melão, por sua vez, possui ação diurética e laxante, com período de safra entre dezembro e março. Porém, essa também é uma fruta com bom rendimento de julho a setembro. Na hora de escolhê-los, é melhor optar por melões com casca firme, cor viva e sem rachaduras.

Outono

O outono é a estação que sucede o verão, caracterizado pela queda gradativa de temperatura e pelo amarelar e início da queda das flores das árvores. No Brasil, essa estação dura de março a junho, tendo abacate, kiwi, pêssego e romã como algumas das frutas características dessa época.

O kiwi é outro alimento bastante rico em vitamina C e com baixo índice glicêmico — sendo uma ótima opção para quem tem diabetes. Além de ser uma fruta muito prática de ser consumida, seu preço é muito mais acessível nos dias de hoje do que quando passou a ficar mais conhecida no Brasil.

A banana, uma das frutas mais populares para os brasileiros, é outra que cresce muito bem no outono. Ela é uma excelente fonte de carboidrato, sem contar que garante a saciedade e é ótima para a dieta de atletas. Porém, vale ressaltar que a banana também é uma fruta bastante versátil e pode ser facilmente usada na confecção de doces.

Inverno

Sendo a estação mais fria do ano, as maiores características do inverno são a queda de temperatura, noites mais longas e clima seco. Logo, também costuma ser a época do ano em que muitas frutas e vegetais possuem mais dificuldades para prosperar. Porém, existem exceções.

Morango, uva, caqui e caju são algumas das opções que desenvolvem melhor durante o inverno — que vai de junho a setembro. O morango é uma das frutas mais emblemáticas do clima frio, sendo extremamente saboroso e aparecendo em abundância nas feiras nessa época do ano. Além disso, é rico em vitamina A, vitamina C e flavonoides.

A uva, por sua vez, carrega uma grande quantidade de antioxidantes naturais e também é uma fruta muito versátil para a cozinha, podendo aparecer na receita de sucos, vitaminas, geleias, doces e por aí vai.

Primavera

Iniciando-se em setembro e terminando em dezembro, a primavera é a época do ano em que a flora da Terra renasce. Destacam-se as temperaturas amenas, o aumento da umidade do ar e o alongamento dos dias — que chega ao seu ápice com a chegada do verão nos meses seguintes.

Nessa estação, algumas das frutas que apresentam melhor desempenho são: amora, jabuticaba, manga, pitanga, maracujá, acerola e por aí vai. Um exemplo bem brasileiro que cresce bastante na primavera é o açaí, rico em carboidratos, lipídios, proteínas, fibras, vitaminas e minerais.

Outra opção ótima para se comprar na primavera é a jaca, uma fruta que carrega carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e ainda possui um efeito antioxidante que protege nosso organismo de doenças causadas por estresse.

*Por Pedro Freitas
………………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

Consumo de laranja ajuda no combate ao diabetes

Estudo realizado na Universidade de São Paulo (USP) sugere que compostos bioativos existentes na laranja ajudam a modular a taxa de açúcar no sangue, o que pode transformar a fruta em um aliado no combate ao diabetes. Os achados foram divulgados na revista Clinical Nutrition Espen.

A investigação foi conduzida por uma equipe do Centro de Pesquisas de Alimentos da Universidade de São Paulo (Forc), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF-USP).

Participaram 12 voluntários saudáveis, de ambos os sexos, que após uma noite em jejum ingeriram uma refeição rica em gordura e carboidratos, com 1.037 kcal. Eles foram divididos em três grupos: um que bebeu apenas água durante a refeição, outro que tomou suco de laranja e um terceiro que recebeu uma bebida à base de glicose com teor de carboidratos equivalente ao do suco de laranja.

O nível de glicose no sangue dos voluntários foi analisado uma, três e cinco horas após o término do desjejum. Logo na primeira medição, como esperado, os três grupos apresentaram um aumento da glicemia. Curiosamente, os valores de glicemia (taxa de glicose no sangue) e insulinemia (taxa de insulina no sangue) do grupo que tomou suco de laranja não diferiram significativamente daqueles observados no grupo da água em todas as avaliações.

“Se a ingestão de suco de laranja não difere da ingestão de água, podemos concluir que os carboidratos do suco não promoveram aumento significativo da glicemia em nosso modelo experimental, diferentemente do que ocorreu com a bebida à base de glicose”, explica Bruna Jardim Quintanilha, doutoranda em nutrição pela Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP) e primeira autora do artigo.

Segundo Quintanilha, tal resultado sugere que outros componentes presentes no suco, como fibras e compostos bioativos, podem ter contribuído para conter a elevação da taxa glicêmica.

O passo seguinte foi investigar de que forma o suco de laranja teria ajudado a conter o aumento da glicemia. Para isso, os cientistas coletaram amostras de sangue dos voluntários e analisaram a expressão dos chamados microRNAs, um tipo de RNA que tem a função de regular a expressão dos genes por meio de interações com o RNA mensageiro.

“Notamos que o suco de laranja teve ação em especial sobre o microRNA 375 ou miR-375, que é um biomarcador da função das células beta do pâncreas”, explica Franco Lajolo, professor emérito da FCF-USP e integrante do FoRC.

Como explica o pesquisador, as células beta são muito numerosas no órgão e são responsáveis por sintetizar e secretar a insulina – hormônio que permite a entrada da glicose nas células.

Os resultados indicam, portanto, que o suco de laranja pode ter uma ação benéfica sobre a produção de insulina e, por tabela, sobre a modulação da glicemia.

“Nossos resultados apontam o miR-375 como possível responsável por essa ação, mas é algo que ainda precisa ser confirmado. São necessários, por exemplo, estudos com pacientes diabéticos para entender exatamente como esse mecanismo funciona”, afirma Lajolo.

*O artigo Ingestion of orange juice prevents hyperglycemia and increased plasma miR-375 expression pode ser lido AQUI
………………………………………………………………
*Fonte: saberesaude

‘Bananapocalipse’: a banana como a conhecemos está caminhando para a extinção

Se você pensa que a banana é a mais extraordinária, saborosa e importante fruta que existe, saiba que, de modo geral, o resto do mundo concorda: trata-se da fruta mais popular e que mais movimenta economias e até mesmo a nutrição em todo o planeta. Enquanto uma população estadunidense consome uma média individual de 12 quilos de banana por ano, fazendo desta a fruta mais consumida no país, em Uganda, por exemplo, esse número se multiplica de forma assombrosa: são cerca de 240 quilos anuais de banana consumida em média pela população. Assim, naturalmente que uma fruta, espécie de símbolo também do Brasil, movimenta economias entre fazendeiros e mesmo nações por todo o planeta – mas o alarme sobre o banana já está soando há alguns anos, pois essa fruta tão incrível estáameaçada de extinção .

Já falamos da banana naturalmente azul e com gosto de sorvete de baunilha?


O problema que ameaça uma banana tão amada é essencialmente genético: uma das primeiras frutas a ser domesticada pelo ser humano, há mais de 7 mil anos, uma banana se reproduz de forma assexuada, e o desenvolvimento de novos tipos é complexo, demorado e não necessariamente irá agradar os consumidores. Uma banana que consumimos hoje, por exemplo, é muito diferente de sua versão original. Até os anos 1950 o tipo mais consumido de banana no mundo era chamado de Gros Michel – uma versão mais longa, delgada e doce do fruto, exportado essencialmente da América Central.Em descrição dos anos 1950, porém, um fungo provocou o chamado Mal do Panamá, dizimando boa parte dos bananais da região: a solução encontrada foi investir em outra variedade, a chamada banana Cavendish, então imune ao mal, que até então era cultivada em um palácio na Inglaterra, e que representa atualmente mais da metade da quantidade da fruta consumida no mundo.

Fungos: o apocalipse das Bananas

No Brasil a banana Cavendish é conhecida como nanica ou d’água – e o restante da produção global (que em 2018 passou das 115 milhões de toneladas globais) fica entre as outras mais de mil variedades da fruta, como a Maçã ou a Prata, plantadas no Brasil porém bastante suscetíveis a outras doenças similares ao Mal do Panamá – que seguem marchando pelo mundo, ameaçando o futuro da fruta. Pois é isso que os produtores vem chamando de ‘bananapocalipse”: a incapacidade de se diversificar, se misturar, torna a fruta especialmente frágil a males e fungos, que não costumam ser tratáveis nem desaparecem do solo, mesmo décadas após a infecção.

Invenção pode evitar desperdício de 250 milhões de bananas por ano

É o caso do Sigatoka-Negra, mal provocado pelo fungo Mycosphaerella fijiensís Var. difformis, que atualmente é visto como a principal ameaça para o cultivo. Além disso, uma variação do Fusasrium, fungo que provoca o Mal do Panamá, também surgiu – e essa afetou as plantações de banana Cavendish. O novo fungo é chamado TR4, e provoca o mesmo mal, fazendo a história se repetir com um nada discreto agravante: não há atualmente alguma variante que seja imune e possa substituir a Cavendish ou os outros tipos também ameaçados. Se as populações mais ricas podem simplesmente substituir o fruto, para muitas pessoas ele é a principal fonte de nutrição e renda – e a ameaça é realmente apocalíptica.

2 a cada 5 espécies de plantas no mundo estão em risco de extinção

Existem, como já foi dito, muitos tipos de banana, mas nem todos são do agrado do público ou mesmo são mais resistentes contra os fungos. Uma solução a curto prazo são como bananas alteradas geneticamente, que já existem e foram testadas em algumas partes do mundo, mas que não costumam ser bem aceitas pelo público em geral. Enquanto isso, fazendeiros e cientistas obtêm tentando desenvolver novos tipos, mais resistentes e adequados para a produção e o consumo – mas o futuro segue incerto. O que se sabe é que depender somente da Cavendish ou de outro tipo de banana atualmente não é uma solução, mas sim uma passagem mais rápida e trágica para uma nova crise sem precedentes envolvendo o fruto mais amado do planeta.

…………………………………………………………………………………….
*Fonte: hypeness

Copenhague vai plantar árvores frutíferas em áreas públicas da cidade

Já pensou em encontrar frutas na sua cidade, para colher livremente? Esta vai ser a realidade dos moradores de Copenhague, capital da Dinamarca. A cidade vai plantar árvores frutíferas em áreas públicas como parques e praças conectando a as pessoas e a natureza.

A prefeitura da cidade aprovou o plantio de árvores frutíferas para garantir que os cidadãos tenham esta oportunidade de um contato mais próximo com a natureza e conheçam o sabor das frutas colhidas no pé – uma ação de bem estar e saúde pública.

Desde a idade média o plantio de frutas e ervas é uma tradição na Dinamarca e é permitido no país que isso corra em áreas públicas, assim como é permitido que qualquer pessoa colha alimentos que estejam nestes locais, mas este era um costume mais forte em áreas rurais.

A ideia agora é fortalecer este costume também na capital do país, fazendo com que os moradores da metrópole resgatem este hábito.

Parte do projeto consiste em um aplicativo chamado Vild Mad, comida selvagem em português, que apresenta a natureza local aos cidadãos e turistas que ainda não conhecem as frutas e árvores nativas. No aplicativo estão as instruções de colheita para frutas e ervas, além de uma série de receitas onde se aproveitam estes ingredientes naturais.

Uma solução simples, que promove a conexão com a natureza, a arborização da cidade e garante uma alimentação saudável e gratuita.

*Por Natasha Olsen

………………………………………………………………………………..
*Fonte: ciclovivo

As melhores frutas quando você tem diabetes

Embora a fruta contenha açúcares que ocorrem naturalmente, ela também é embalada com vitaminas, minerais e fibras valiosas que contêm tantos benefícios à saúde do corpo. Além disso, nem todas as frutas têm o mesmo teor de açúcar: algumas têm mais açúcar do que outras e algumas têm mais fibras que outras, o que ajuda a reduzir o impacto do açúcar nos níveis de glicose no sangue.

Isso torna as frutas muito melhores do que os alimentos processados ​​ou adoçantes artificiais para refrear um dente doce. Portanto, se você está vivendo com diabetes ou quer reduzir a ingestão total de açúcar, aqui está um guia para escolher as melhores frutas para sua dieta:

Frutas para comer frequentemente:

• Frutas vermelhas – Quase todas as bagas têm pontuação baixa na escala do índice glicêmico, o que significa que elas têm um impacto menor nos açúcares do sangue do que em outras opções de frutas. Bagas também são carregadas com vitaminas e antioxidantes. Adicione frutas ao iogurte, farinha de aveia ou misture com um smoothie repleto de proteínas. (Arandos, amora, framboesa, morango, cereja, etc)

• Frutas cítricas – Frutas como toranja e laranjas são ricas em fibras, o que ajuda a manter os níveis constantes de açúcar no sangue. Eles também são embalados com vitamina C, o que ajuda a impulsionar seu sistema imunológico.

• Peras – Uma pera de tamanho médio fornece 6 gramas de fibra – cerca de 24% da quantidade diária recomendada para mulheres com menos de 50 anos. Elas também são um ótimo lanche portátil quando você está em trânsito.

• Maçãs – Essa é outra ótima opção rica em fibras que combina bem com alimentos ricos em proteínas, como nozes, manteiga de amendoim e queijo. Maçãs também são conhecidas por ajudar a alimentar bactérias intestinais saudáveis também.

• Frutas com caroço – Frutas como nectarinas, ameixas e pêssegos geralmente apresentam baixo índice glicêmico quando consumidas frescas. Limite as variedades secas, o que aumenta substancialmente sua carga glicêmica.

• Uvas – Muitas pessoas pensam que precisam evitar as uvas porque são muito doces. No entanto, as uvas também são uma ótima fonte de fibras e vitamina B-6, o que ajuda a apoiar o humor das funções cerebrais. Uma porção de cerca de 15 uvas é tudo o que você precisa para obter esses benefícios à saúde sem exagerar nos carboidratos.

Frutas para comer conscientemente:

Como você pode ver na lista acima, há muitas frutas para escolher que podem ser incorporadas às refeições diariamente. No entanto, ainda existem muitas outras frutas para incluir em sua dieta que podem ter uma carga glicêmica mais alta (ou seja, maior impacto na glicose no sangue), mas ainda hospedam uma abundância de ótimos nutrientes. Algumas dessas frutas incluem:

• Bananas

• Abacaxi

• Manga

• Frutas secas

Você não precisa eliminar completamente esses alimentos da sua dieta para manter níveis saudáveis de glicose no sangue. De fato, a inclusão de uma variedade de frutas em sua dieta permitirá que você obtenha uma gama maior de nutrientes, em vez de apenas comer alguns tipos de frutas.

Como com qualquer fruta, o tamanho das porções e a combinação de alimentos podem ser muito importantes. Sempre mantenha uma porção de frutas por refeição para evitar o consumo excessivo de carboidratos. Isso significa também estar atento a outras fontes de carboidratos em sua refeição. Por exemplo, comer um café da manhã com torradas simples, banana e um copo de suco de frutas é uma maneira infalível de aumentar a glicose no sangue devido às quantidades cumulativas de carboidratos em cada um desses alimentos.

Em vez disso, você pode optar por um iogurte grego simples e de alta proteína com uma porção de abacaxi fatiado ou um smoothie de proteína com manga fresca. Embora o abacaxi e a manga sejam mais altos no índice glicêmico e contenham mais carboidratos por porção do que outras variedades de frutas, a proteína do iogurte grego ou do pó de proteína pode ajudar a equilibrar o impacto do açúcar na corrente sanguínea.

Uma tendência alimentar a ser extremamente cauteloso é o suco. Embora os sucos de frutas geralmente contenham grandes quantidades de vitaminas, minerais e antioxidantes, o processo de sumo elimina completamente a valiosa fibra alimentar desses alimentos, tornando-o mais vulnerável a picos de açúcar no sangue. Também é preciso bastante frutas para produzir uma xícara de suco.

Portanto, enquanto comer uma laranja inteira pode ter um impacto mínimo no açúcar no sangue, beber um copo de suco de laranja feito de várias laranjas pode ter um efeito muito diferente. Se você gosta de suco, tente uma combinação de suco de frutas e vegetais com coisas como maçã, couve, espinafre, pepino, salsa e / ou beterraba. Lembre-se do tamanho da porção – apenas meia xícara de suco é considerada uma porção. Você também pode tentar emparelhar seu suco com uma fonte de proteína ou gordura saudável, como um ovo cozido ou um punhado de nozes, para ajudar a diminuir o impacto no açúcar no sangue.

Obviamente, a melhor maneira de medir o impacto de qualquer fruta na glicose no sangue é verificar seu próprio açúcar no sangue com um glicosímetro após lanches e refeições. Essa ainda é a maneira mais individualizada de garantir que os alimentos que você come sejam os melhores para sua saúde e seu corpo.

*Por Anna Panzarella / Nutricionista dietista

…………………………………………………………………
*Fonte: revistasaberesaude

Beber suco de fruta é realmente saudável?

É difícil resistir a um suco natural, seja no café da manhã, no lanche da tarde ou após exercícios físicos.

Muita gente também acredita que ele ajuda a perder peso ou “desintoxicar” o organismo.

Todas essas suposições movimentam um negócio altamente lucrativo. O mercado global de sucos feitos a partir de frutas, legumes e verduras foi estimado em US$ 154 bilhões em 2016 e deve continuar crescendo.

Mas o suco é realmente tão saudável quanto pensamos?

A princípio, a maioria dos alimentos que contêm frutose – um açúcar natural encontrado em todas as frutas e sucos de frutas – não nos prejudica, desde que, ao consumi-lo, não estejamos excedendo nosso limite de calorias diário. Isso acontece porque a fibra encontrada em frutas inteiras está intacta e esse açúcar pode ser encontrado nas células dela. Nosso sistema digestivo leva um tempo para quebrar essas células e para a frutose entrar na corrente sanguínea.

Para que serve a fibra

“O suco de frutas remove a maior parte da fibra”, diz Emma Elvin, da Diabetes UK. É por isso que, ao contrário da fruta inteira, a frutose nos sucos de frutas conta como ‘açúcares livres’ – que também incluem o mel e os açúcares adicionados aos alimentos. A OMS, a Organização Mundial de Saúde, recomenda que os adultos não consumam mais do que 30g de açúcar adicionado, o equivalente a 150ml de suco de fruta por dia.

O problema é que, após a fibra ser removida, a frutose do suco acaba absorvida mais rapidamente. Picos súbitos de açúcar no sangue fazem com que o pâncreas libere insulina para que ele volte a um nível normal. Com o tempo, esse mecanismo pode se desgastar, aumentando o risco de diabetes tipo 2. Em 2013, pesquisadores analisaram dados de 100 mil pessoas coletados entre 1986 e 2009 e descobriram que o consumo de suco de frutas estava ligado ao aumento do risco de diabetes tipo 2. Eles concluíram que – como os líquidos passam pelo estômago até o intestino mais rápido do que os sólidos – mesmo quando o conteúdo nutricional é semelhante ao das frutas inteiras, o suco de frutas leva a mudanças mais rápidas e maiores nos níveis de glicose e insulina.

Outra pesquisa revelou uma associação direta entre o suco de frutas e o diabetes tipo 2 após acompanhar as dietas e o status de diabetes de mais de 70 mil enfermeiras ao longo de 18 anos. Os pesquisadores explicam que a possível razão para isso pode ter sido, em parte, a falta dos outros componentes encontrados em frutas inteiras, como a fibra.

Sucos contendo legumes e verduras podem fornecer mais nutrientes e menos açúcar do que aqueles feitos apenas de frutas – mas, ainda assim, não têm fibras valiosas. Dietas ricas em fibras têm sido associadas a um menor risco de desenvolvimento de doenças cardíacas, derrame, pressão alta e diabetes. Recomenda-se que adultos consumam 30g de fibras por dia.

Excesso de calorias

Além da ligação com a diabetes tipo 2, muitos estudos mostram que o suco de frutas é prejudicial se contribui para o excesso de ingestão de calorias diárias.

A partir de uma análise de 155 estudos, John Sievenpiper, professor associado do Departamento de Ciências Nutricionais da Universidade de Toronto, no Canadá, investigou se as associações entre refrigerantes com adição de açúcar e saúde – incluindo o risco de diabetes e doenças cardiovasculares – eram aplicáveis aos alimentos e bebidas que consumimos como parte de uma dieta saudável. Ele comparou pesquisas que examinaram os efeitos dos açúcares contendo frutose (incluindo sacarose, xarope de milho com alto teor de frutose, mel e xaropes) com dietas controladas livres ou com redução desses açúcares. Seu objetivo? Isolar os efeitos do consumo de muitas calorias dos efeitos de alimentos contendo diferentes açúcares.

A descoberta de Sievenpiper foi surpreendente. Ele encontrou efeitos negativos nos níveis de açúcar no sangue e insulina em jejum quando os alimentos forneceram calorias em excesso a partir de açúcares, incluindo suco de frutas. No entanto, quando não implicava em exceder o limite diário de calorias, consumir frutas inteiras – e até mesmo suco de frutas – era vantajoso. Sievenpiper chegou à conclusão de que a ingestão recomendada é de um copo de suco de fruta por dia (ou 150 ml).

Segundo a pesquisa realizada por Sievenpiper, os alimentos que contêm frutose podem ter alguns pequenos benefícios para o controle de açúcar no sangue a longo prazo, quando não levam ao consumo excessivo de calorias. Mas quando sua ingestão excede nosso nível de calorias diário, costumam aumentar os níveis de açúcar no sangue e insulina. Isso pode ocorrer porque a frutose tem um IG relativamente baixo, diz Sievenpiper, enquanto as dietas de alto IG estão associadas à resistência à insulina.

“Comer uma fruta inteira é melhor do que tomar um suco de fruta, mas se você usar o suco como um complemento, tudo bem. Não se você estiver tomando o suco para hidratar-se ou bebendo em grandes quantidades”, explica Sievenpiper.

Portanto, embora saibamos que o suco de frutas pode causar diabetes, se ele fizer parte de uma dieta com maior ingestão de calorias, fica menos claro como esse alimento afeta a saúde a longo prazo daqueles que não estão acima do peso.

“Ainda há muita coisa que não entendemos sobre como aumentar o açúcar na dieta sem aumentar o risco de mudança de peso”, diz Heather Ferris, professora-assistente de medicina na Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos. “Por quanto tempo e quão bem o pâncreas pode lidar com o açúcar se deve parte à genética.”

No entanto, temos um risco maior de consumir mais do que o número diário recomendado de calorias (cerca de 2 mil para mulheres e 2,5 mil para homens) nos dias em que tomamos suco, de acordo com a mesma pesquisa. Vários estudos mostraram que beber suco de frutas não nos faz consumir menos alimentos durante o dia.

“Também é fácil consumir grandes quantidades de suco de fruta rapidamente, o que significa calorias extras. E quando as calorias aumentam, isso pode contribuir para o ganho de peso”, diz Elvin.

Otimismo

Mas um estudo publicado no ano passado deu uma espécie de “salvo-conduto” ao suco de fruta. Os pesquisadores usaram um liquidificador ‘extrator de nutrientes’ que, diferente dos tradicionais, extrai toda a fruta, incluindo sementes e pele. Eles mediram os efeitos de um mix de frutas e da manga descascada – ambas com alto índice glicêmico e, portanto, causadoras de um pico de açúcar no sangue – espremido em um extrator de nutrientes, comparado com outro grupo que ingeriu a mesma fruta inteira.

Aqueles que beberam o mix de frutas extraídas com nutrientes tiveram um aumento menor de açúcar no sangue em comparação com o grupo de frutas mistas. Por outro lado, não houve diferenças entre aqueles que beberam o suco de manga e o mix de manga inteira, com casca.

No entanto, esse foi um estudo pequeno, e os pesquisadores não compararam suas descobertas com o suco feito por qualquer outro método, como espremer o suco descartando a pele e as sementes.
Pode ser melhor misturar

Gail Rees, palestrante sênior em nutrição humana na Universidade de Plymouth, no Reino Unido, e uma das responsáveis pelo estudo, diz que os resultados foram provavelmente influenciados pelas sementes de frutas contidas nos sucos. Segundo ela, é difícil chegar a uma recomendação clara a partir das conclusões do estudo.

“Certamente concordaria com a recomendação atual de 150 ml de suco de frutas por dia, mas se você usar um extrator de nutrientes em casa, pode manter os níveis de açúcar no sangue relativamente estáveis”, explica Rees.

Mas, enquanto manter as sementes no suco pode fazer alguma diferença durante a digestão, Ferris argumenta que isso não muda necessariamente o quão incompleto o suco é.

“Quando o suco contém alguma fibra, ele vai diminuir a absorção, mas você ainda tem uma ingestão excessiva de calorias porque é fácil consumi-lo. No entanto, é melhor do que o suco de fruta tradicional”, diz ela.

Outras maneiras de melhorar os efeitos do suco em nossa saúde incluem optar por frutas maduras para reter o máximo de benefícios possíveis, de acordo com Roger Clemens, professor de Ciências Farmacêuticas da Universidade do Sul da Califórnia, no Reino Unido.

Também é importante reconhecer que, dependendo da fruta, métodos diferentes devem ser usados para extrair o suco, acrescenta o especialista. Isso se dá por causa da composição física da fruta. Por exemplo, a maioria dos fitonutrientes das uvas é encontrada na semente, com muito pouco encontrado na polpa. E a maioria dos compostos fenólicos e flavonóides benéficos encontrados nas laranjas estão localizados na casca, que é perdida com o suco tradicional.

Desintoxicação desmascarada

Outra razão para a recente popularidade do suco de frutas é o argumento de que ele pode ajudar a desintoxicar o corpo.

No entanto, o único uso médico reconhecido da palavra ‘desintoxicação’ refere-se à remoção de substâncias nocivas do corpo, incluindo drogas, álcool e veneno.

“Todo o conceito de uma dieta de suco sendo desintoxicante é uma falácia”, diz Clemens. “Consumimos compostos todos os dias que podem ser tóxicos e nossos corpos fazem um trabalho maravilhoso de desintoxicação e eliminação de tudo o que comemos.”

E engana-se quem tome suco apenas com a intenção de absorver mais nutrientes.

“Há muitos nutrientes contidos nas partes das frutas, como nas cascas de maçã, que são descartadas quando você faz o suco de fruta”, diz Ferris. “Você termina com água com açúcar e algumas vitaminas.”

Além do mais, acrescenta ela, beber suco de frutas não é a maneira ideal de ingerir as cinco porções de frutas recomendadas por dia. “As pessoas tentam ingerir cinco porções de frutas, legumes e verduras por dia e não percebem que não se trata apenas de obter vitaminas”, diz ela.

“Trata-se também de reduzir a quantidade de carboidratos, de grãos, proteínas e gorduras em nossa dieta e aumentar a de fibras”, acrescenta.

Dessa forma, ainda que beber suco de fruta seja melhor do que não comer nenhuma fruta, o risco é maior quando consumimos mais de 150ml de açúcares por dia, ou quando acaba contribuindo para uma ingestão de calorias acima da recomendada.

Conclusão: o suco nos proporciona vitaminas – mas tem que ser consumido com bastante moderação.

*Por Jessica Brown

 

………………………………………………………………………
*Fonte: bbc-brasil

Oito dicas para preservar melhor as frutas e prolongar o tempo de consumo

Elas são coloridas, cheirosas e saborosas. São também ricas em vitaminas, minerais e fibras alimentares que, juntas, ajudam a regular o organismo. E se você acha que os benefícios se restringem ao interior do corpo, é importante acrescentar à lista que as frutas possuem ação antioxidante, ou seja, são capazes de combater os radicais livres, moléculas responsáveis pelo envelhecimento das células, permitindo-nos ter uma aparência mais saudável e jovem.

Não é preciso ser fitness para saber que o consumo de frutas no dia a dia é essencial. A melhor opção é consumi-las in natura e, para a rotina acelerada das grandes cidades, a dica é guardá-las já higienizadas para facilitar na hora do consumo. Para conservá-las, Carlos Ribeiro, diretor da Snack Frutas, especializada no delivery de frutas frescas para empresa, separou algumas recomendações que podem ajudar a prolongar o tempo de consumo.

  1. Armazená-las já higienizadas pode ser uma vantagem para quem tem o dia a dia mais corrido. Nesses casos, a dica é remover as partes deterioradas e imergir as frutas em solução clorada por 10 a 15 minutos, seguida de uma lavagem em água corrente.
  2. É primordial que, ao colocar na geladeira, elas estejam todas secas, pois a umidade faz com que amadureçam muito mais rápido.
  3. Estando os hortifrútis totalmente secos (e essa dica vale também para verduras e legumes) é possível, então, acondicioná-los em sacos plásticos ou recipientes com tampas.
  4. As únicas frutas que entram numa lista de exceção são as maçãs e pêras, que, para se manterem mais frescas, podem dispor de um pouco de umidade. O recomendado, depois de borrifar água, é guardar com um guardanapo branco sobre elas.
  5. As maçãs e pêras também devem ser armazenadas separadamente, pois liberam gás etileno, substância que favorece o amadurecimento dos alimentos mais próximos.
  6. Famosas pelos benefícios ao coração, já que reduzem a coagulação sanguínea, as uvas requerem certos cuidados especiais na hora de ser armazenadas. A dica aqui é cortar os cachos em tamanhos menores para favorecer a circulação de ar entre elas e deixá-las secar bem, para evitar, assim, o aparecimento de bolores.
  7. Qualquer alimento ao ser congelado sofre alterações sensoriais, como do paladar e odor. Por isso, o ideal é que as frutas sejam consumidas in natura, a não ser que tenham como finalidade se transformar em geleias, sucos ou vitaminas. Nesses casos, maracujá, acerola e morango, por exemplo, são as que melhor preservam as propriedades.
  8. A banana é a única fruta que não pode ser refrigerada e, para retardar o amadurecimento, é possível enrolar o cabinho com papel alumínio/papel filme ou mantê-las dentro de sacos de papel pardo.

………………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

Disseram a você que é bom beber água morna com limão em jejum? Mas isto não contaram a você!

Você provavelmente já deve ter escutado falar de que água morna com limão em jejum é uma dica maravilhosa para quem quer desintoxicar o corpo.
No entanto, essa não é a única vantagem de se consumir um copo dessa bebida.

Além de fornecer cálcio, potássio, magnésio, ferro, vitaminas A, B, e C, fibras, proteínas e hidratos de carbono, a água com limão ajuda a desintoxicar o nosso organismo.

Separemos os 10 benefícios principais do consumo regular dessa mistura.
Se você não sabe, o ácido cítrico do limão tem propriedades antibacterianas e antivirais, aumentando a imunidade do corpo.
Tudo que você tem que fazer é beber o suco de um limão misturado com um copo de água filtrada morna.
Se desejar, e não tiver diabetes, adicione um pouco de mel puro para deixar o sabor melhor.

1. Melhora a digestão
O limão estimula a produção da bile, que é importantíssima para a boa digestão.
Além disso,  a fruta combate qualquer problema digestivo.

2.  Aumentar a imunidade
Água quente de limão aumenta a absorção de ferro, que por sua vez melhora a função imunológica.
A vitamina C também reforça a capacidade natural do seu corpo para lutar contra gripes e resfriados.

3. Perda de peso saudável
A pectina presente no limão reduz a ansiedade pelo açúcar e acalma o emocional, o que lhe permite controlar a vontade de comer.
A mistura de limão com água morna cria um ambiente alcalino no corpo e, assim, estimula um processo de perda de peso saudável.

4. Limpar a pele
Beber esta mistura todas as manhãs antes do café vai purificar seu sangue e estimular a formação de novas células sanguíneas.

5. Mau hálito
O consumo regular dessa bebida vai estimular o tratamento da halitose.
Ela destrói as bactérias esponsáveis pelo mau hálito e também estimula a secreção de nova saliva.

6. Equilíbrio do pH
Um único copo de água quente de limão vai deixar seu pH equilibrado.
Quem tem o organismo mais ácido, tem mais chances de sofrer com inflamações, mas o ácido cítrico do limão pode resolver o problema.

7. Energia
Uma vez que o limão é rico em vitaminas B e C, fósforo e proteínas, ele é capaz de energizar o corpo, hidratar e refrescar também.

8. infecções de garganta
O limão tem propriedades antibacterianas, como já dissemos, e isso ajuda bastante no combate às infecções.
Beber um copo de água de limão antes de seu café da manhã vai diminuir o risco de infecções na garganta.

9. Hipertensão
Use essa saudável bebida para ajudar a limpar e a hidratar o sistema linfático.
Ela diminui o estresse e melhora a saúde mental, o que é essencial para regular a pressão arterial.

10. Limpe seu aparelho urinário
Água de limão é um diurético poderoso. Ela limpa o sistema urinário e estimula a produção do xixi.
Além disso, pode regular o pH e diminuir o número de bactérias nocivas, reduzindo o risco de infecção urinária.

*Este é um blog de notícias, portanto não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.

*Fonte: curapelanatureza

limao_-_agua_morna