10 Pênaltis Mais Humilhantes Na História Do Futebol

Anúncios

Grêmio 2017

Valeu GRÊMIO! Tivemos um ótimo ano de 2017, com um grande desempenho para um time de futebol. Sou grato pelos tantos momentos de alegrias e vitórias. E aquela história, com as derrotas a gente sempre tem algo a aprender.

Valeu Renato Portaluppi.
Valeu time.
E orgulhoso dessa grande torcida tricolor!

Ah! Só para lembrar…
SOMOS TRI CAMPEÕES DA AMÉRICA!

Grêmio passa para a final do Mundial de Clubes

Em jogo que disputava uma vaga para a final do Mundial de Clubes 2017 nos Emirados Árabes Unidos, o Grêmio venceu ao Patchuca (México) por 1×0 na prorrogação.

Agora o Grêmio precisa aguardar o jogo desta quarta-feira entre Real Madrid x Al-
Jazira, que definirá o seu adversário do jogo da decisão, que acontecerá neste sábado às 15h.

Vamu-vamu-Grêmio!

 

 

 

 

 

 

 

……………………………………

 

Grêmio – 3 vezes CAMPEÃO da AMÉRICA

Ontem foi dia de jogo decisivo da copa Libertadores da América de 2017, onde o time do Grêmio sagrou-se campeão diante do argentino do Lanús, pelo placar de 2×1. Já havia vencido na rodada anterior em casa por 1×0.

O time do eterno ídolo tricolor Renato Gaúcho jogava então apenas por um empate para ser campeão, mas o título veio de forma natural, com um time dominante, de forte pegada e marcação já no campo adversário, mesmo jogando fora de casa e em um estádio menor, portanto um ambiente mais arredio para uma final. O Lanús sentiu o golpe já no início da partida, quando não conseguiu se projetar ao ataque com tanta eloquência como em jogos anteriores, quando jogando em casa reverteu largos placares diante de seus adversários. Dessa vez não!

Com um gol Fernandinho depois de uma bela arranca de mais de meio campo, o Grêmio abriu o placar. Isso já serviu para aclamar um tanto os ânimos dos torcedores diante da pressão de um jogo de final fora de casa. Pouco tempo depois e ainda no primeiro tempo do jogo, o craque Luan numa jogada de muita inteligência, calma e sutileza, encobre em um simples toque o goleiro adversário. Goooool.

Com 2×0 no placar no intervalo da partida, mais o placar agregado da primeira partida da final, delineava uma situação favorável para o time já se imaginar com uma das mãos na taça. Mas calma, era apenas o intervalo e ainda restavam mais 45min de bola rolando. No final do primeiro tempo o meio campista Arthur se lesiona, volta no começo do segundo tempo mas não dá mais.  A partir daí confesso que nem assisti mais direito ao jogo, só queria que o meu time chutasse prá longe e prá frente o mais distante possível, afinal – “final de campeonato, bola pro mato”.

Tomamos um gol de pênalti ainda, é verdade, mas isso nem importa, a própria história vai esquecer esse pequeno detalhe e o que ficará com certeza desse dia maravilhoso é o toque sensacional do Luan encobrindo o goleiro adversário tipo em câmera lenta, saca? Uma pintura. O segundo tempo passou e foi um jogo feio sim, até tivemos uma nova chance com o Luan de marcar mais outro gol, mas OK, já estava bom e justo assim o placar. Deixa o tempo correr e esperar pelo apito final do juiz para assim soltar o grito de – é campeão!

E assim foi.

Valeu Grêmio! Serei eternamente grato por mais essa alegria, afinal o futebol é feito desse eterno ciclo de altos e baixo na história. Agora estamos bem, campeões e tal, mas amanhã ninguém sabe. então simbora aproveitar essa fase e alegria que ainda teima em ficar no ar desde a noite mágica dessa inesquecível quarta-feira – (29 de novembro de 2017). que venha o mundial, mas sei lá, nem me preocupo com isso, queria mesmo era ser Campeão da América! Sério.

Também sou grato pelas inúmeras felicitações de amigos torcedores do rival Internacional. Até porque o que seria do Grêmio sem o Inter? Essa dualidade de forças aqui no sul é que movimenta toda uma longa e histórica paixão local pelo futebol. Uma rivalidade interessante (desde que sem brigas é claro). Um forçando o outro a ser sempre melhor, se superar, a eterna roda – onde um está bem e o outro está mal. Faz parte da vida e do esporte. Gracias amigos!

Com esse título o Grêmio soma agora 3 Libertadores da América (1983 /1995 e 2017). Gracias Renato (#7) – campeão como jogador e agora como técnico do mesmo time. Valeu presidente Romildo Bolzan, meta alcançada e com louvor.

É CAMPEÃO! É CAMPEÃO! É CAMPEÃO!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Camisetas do Grêmio para 2017

O time do Grêmio apresentou hoje a sua nova linha de camisetas da marca esportiva Umbro, para 2017. A apresentação foi no modo hard mesmo, ou seja, já com o time entrando em campo fardado com o novo uniforme em seu primeiro jogo pela Libertadores da América contra o Zamora, lá mesmo na Venezuela.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Valeu Chape – #forcachape

Logo pela manhã a primeira mensagem no celular que recebo (notícia ruim sempre anda muito rápido) é de que o avião do time de futebol da Chapecoense havia caído. Uma frase simples, direta assim mesmo e sem maiores detalhes. Claro, como de costume achei que se tratava apenas de uma dessas brincadeiras de mal gosto sobre o futebol e que em seguida viria uma outra mensagem com alguma resposta, imagem, memes ou algo do tipo, tripudiando o Inter ou a decisão com o Grêmio, coisa bem típica aqui do sul.

Na real nem dei muita atenção. Quando chego no trabalho comentam sobre o fato novamente e foi então quando caiu a ficha de que era verdade. O promissor time da Chapecoense em uma escalada maravilhosa como time de futebol de cidade pequena, mas que conta com o apoio de uma torcida local fanática, apresentando um bom nível de jogo e agora rumo a uma decisão de um importante título da América do Sul, termina sua trajetória assim. Muito triste!

Fatos como esse de acidentes trágicos com celebridades televisivas, atores, músicos (artistas em geral) e esportistas, pessoas de grande “visibilidade” e que despertam nossa atenção na mídia, causam essa espécie de transtorno, uma forte comoção de tristeza em grande rede. As notícias e informações chegam aos poucos, em drágeas e parecendo então que prolonga ainda mais o sofrimento também.

De certa forma também me emociono porque gosto de futebol, estava contente com o desempenho e rendimento da “Chape”, inclusive um dos goleiros* do time (3º reserva), é ex-cunhado de um grande amigo. Aliás, conheço-o pessoalmente. Foi melancólico escutá-lo numa entrevista para um canal esportivo hoje ao meio dia (ele não viajou com a equipe, não estava relacionado para este jogo). Outro membro da comissão técnica também é daqui da minha cidade de Venâncio Aires (RS), o “Cadu” – como carinhosamente é conhecido (faleceu no acidente). Além de que vários atletas da Chape que tem ou tiveram já algum vínculo com os dois grandes times gaúchos, o Inter e o Grêmio.

Para morrer, basta estar vivo.

Uma frase bem comum, meio boba até, mas de grande valor. Creio que nos cabe a lição de aproveitarmos bem cada dia dessa vida. Não na porralouquice, no exagero, digo aqui, no sentido de amar e ser amado pelos seus parentes, amigos de verdade, colegas e viver mais de boa aproveitando melhor cada minuto. Não foi somente um time de futebol que eventualmente seria ou não campeão, não importa, tinha também a tripulação e demais passageiros. Uma vida não supera a perda de outra.

Bonitas as tantas homenagens prestadas no mundo todo, até mesmo o reconhecimento do time adversário, o Atlético Nacional (Colômbia), que fez a emocionante declaração: “De nuestra parte, y para siempre, Chapecoense Campeón de la Copa Sudamericana 2016”.

Também os demais times brasileiros e do exterior, que se oferecem de diversas maneiras para ajudarem, desde de se disporem a emprestar jogadores, utilizarem a camisa da Chape em seus próximos jogos, luzes verdes em seus estádios ou até, sugerindo alterarem as regras do Brasileirão do ano que vem, para assim facilitar o prosseguimento do time em suas atividades esportivas. Tudo muito nobre, válido e de bom tom. Fairplay até nessa hora.

Enfim, é muita coisa nesse momento sobre o assunto.  Só me resta dar meus pêsames, prestar solidariedade e desejar que descansem em paz todos aqueles que nos deixaram nessa tragédia. Espero que seus familiares e amigos encontrem conforto e superação neste triste momento.

*Nivaldo M. Constant (goleiro da Chapecoense)- atualmente é o terceiro goleiro, mais por causa de sua idade do que por sua capacidade técnica. É um grande goleiro, está na Chape há anos e ajudou muito nessa trajetória vitoriosa de ascensão do time, das divisões menores até a principal. É um ídolo local e deve permanecer no clube.

 

>> Para SABER MAIS sobre o acidente:
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/11/aviao-com-equipe-da-chapecoense-sofre-acidente-na-colombia.html

> http://dc.clicrbs.com.br/sc/esportes/chapecoense/ultimas-noticias/

chape_5

Sobre o triste fato de hoje com o time da Chapecoense na Colômbia

O sonho era trazer uma estrela pra coroar o manto da Chape. Acordamos com o céu cheio de novas estrelas.
Aos que dizem, “é apenas futebol”. “Desliga a TV.” “É apenas futebol, vai se divertir e esquece o resultado.” “É apenas um jogo.”
Não, amigos!
Futebol vai muito além de camisa, de hino, de torcida. É amor e admiração pelo esporte e aqueles que fazem acontecer.
Independente de ser da torcida amiga, meus sentimentos aos familiares dos envolvidos nessa tragédia.
Quanta tristeza!
Não vai rolar final da Copa amanhã, por motivos óbvios, mas cito aqui nosso campeão mundial de 83, Mário Sérgio e devem ser lembrados Anderson Paixão, Mateus Biteco, Denner, Willian Thiego… O Venâncio-airense Cadú Preuss…
Todos.

#forcachape #forcachapecoense #lutonofutebol
Rita C. M. Ellert

………………………….

*Fonte: Texto gentilmente cedido pela autora, quando suas belas palavras também me representam nesse momento triste para a história, o futebol, os esportes em geral, para uma cidade inteira e enfim, para todo nós.

chape2

O Capitão – Carlos Alberto Torres

Nota triste fica por conta do Capitão do tricampeonato da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970, o ex-lateral Carlos Alberto Torres, que morreu aos 72 anos nesta terça-feira. O ex-jogador, que atualmente trabalhava como comentarista da Sportv, sofreu um infarto fulminante.

Fica aqui o agradecimento por todos os seus grandes feitos nos gramados da bola.

Muito obrigado Capitão! Descanse em paz.

*Para registro, um de seus mais clássicos lances/jogadas no futebol – seu gol contra a seleção italiana na final da Copa do Mundo no México (1970), uma verdadeira “pintura” de gol.

 

UEFA Euro 2016

Parabéns para a seleção de Portugal que venceu hoje o jogo da final da EURO 2016, sem o seu capitão Cristiano Ronaldo, que saiu lesionado com pouco tempo de jogo, no início da partida. Portugal venceu a seleção da França, por 1×0, na prorrogação!

eurocopa2016_04

 

 

 

 

 

 

eurocopa2016_02

 

 

 

 

 

 

eurocopa2016_05

 

 

 

 

 

 

 

eurocopa2016_01

 

 

 

 

 

 

eurocopa2016_03

 

 

A minha Seleção Brasileira de futebol

. Usavam chuteiras pretas
. Camisa para dentro do calção
. Sem tatuagens
. Cabelos normais
. Sem muito marketing
. Sem selfies
. E com futebol de sobra

Esses caras nos davam orgulho, metiam medo em TODOS os adversários antes mesmo do jogo começar e acima de tudo, honravam a camisa amarelinha.
Bons tempos foram aqueles…

 

selecaoBRASILEIRA1970pp

 

 

 

 

 

 

Brazil 1974

 

 

 

 

 

 

selecao-brasil-78

 

 

 

 

 

 

selecaoBRASILEIRA1982pp

 

Johan Cruyff

Hoje faleceu um dos maiores e mais inteligentes jogadores de futebol da história deste esporte, Johan Cruyff, o craque holandês perdeu a batalha para um câncer pulmonar aos 68 anos de idade.

Um talento fora do comum, jogador que defendeu o Ajax, Barcelona e foi um ícone da seleção Holandesa na época da chamada “Laranja Mecânica” (Copa do Mundo de 1974), quando a disciplina tática e um inventivo esquema de jogo revolucionaram para sempre a história do futebol e serve de referência até os dias atuais.

Cruyff foi escolhido pelo IFFHS o maior jogador europeu do século XX, e o segundo maior do mundo, atrás somente de Pelé. Para o colunista Maurício Barros, da ESPN Brasil, Cruyff é o maior da história do futebol na soma jogador-treinador, mesmo sem ter ganho nenhuma Copa do Mundo.

 

Muitas de minhas tarde de futebol no pátio de casa quando bem piá, era movido por cenas imaginárias de dribles e mais dribles em função do futebol da seleção Brasileira, mencionando nomes a cada jogada como os de Zico, Sócrates, Éder, Reinaldo, Edinho, Gerson, Jairzinho, Rivelino e tal, mas estranhamente a seleção da Holanda e seu diferentão uniforme “Adidas” laranja com listras pretas, sempre me fascinaram. E aquele craque da camisa 14. Um time esquisito, com uma numeração fora do comum como estávamos sempre acostumados a ver quando mencionávamos a escalação de nossos times com posições fixas de 1 à 11. Você que é mais novo jamais vai compreender isso, uma situação que invertia toda uma lógica a qual estávamos acostumados sobre futebol. Isso sim foi uma revolução num esporte que é tão “tradicional” e avesso a mudanças nas suas regras. Se não se pode mudar, então que tal inventar algo novo, para dar uma dinâmica totalmente diferente. Foi isso que a seleção Holandesa de Rinus Michel fez. Uma chinelada na cara do mundo todo. E quem era o maestro, o capitão de braçadeira e o número 14 nas costas?

Sim, ele mesmo, Johan Cruyff.

E tem mais, Cruyff foi o cara que se recusou usar o uniforme oficial da seleção de seu país, jogou a Copa do Mundo de 1974. Com uma camisa diferente da de seus colegas, não aceitava o patrocínio da Adidas. Confira cenas dos jogos de seu time na Copa e perceba que na sua camisa não há logo e nem as tradicionais 3 listras foram reduzida para somente duas. Compreenda que isso foi na década de 70, numa época em que qualquer “porrinhola” que tivesse essa marca esportiva valia ouro.
Ele também se recusou a vir jogar na Copa do Mundo da Argentina em 1978, por questões políticas. Não queria vir participar de jogos num país em que militares comandavam a política, torturas e assassinatos. Tempos difícieis aqueles 70’s na América Latina.

Outro, dentre vários de meus heróis e referências, que se vai.
Descanse em paz Cruyff! Valeu e muito obrigado por tornar o futebol algo mais vibrante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

johan-cruijff_06

 

 

 

 

 

 

 

 

johan-cruijff_01

 

 

 

 

 

 

 

 

johan-cruijff_05

 

 

 

 

 

 

 

 

 

johan-cruijff_07

johan-cruijff_08

Boa garoto!

Murtaza Ahmadi, de 5 anos, fã de Leo Messi, ficou famoso nas redes sociais por usar uma sacola plástica como se fosse a camisa do craque argentino! A Federação Afegã de Futebol encontrou o garoto e o presenteou com um uniforme oficial do clube catalão.

messiafegao