Harley-Davidson surpreende com alta nos lucros, bom sinal para suas motos elétricas

Após vários anos de queda nos relatórios financeiros, a Harley-Davidson publicou relatório com números surpreendentes que mostram que a marca está em uma posição melhor do que os analistas esperavam. E os resultados podem ser uma boa notícia para o foco da empresa na produção de motocicletas (motos) elétricas.

De acordo com um comunicado oficial, a Harley-Davidson gerou um lucro ajustado por ação (LPA) de US$ 1,68 durante o primeiro trimestre de 2020, quase o dobro aguardado pelos analistas. A marca também registrou alta na receita de motocicletas este ano para algo entre 30% e 35%, 10% a mais do que previsto pela empresa.

Com a publicação dos resultados, o preço das ações da Harley-Davidson subiu 9,85%.

E como o crescimento de receita pode ajudar a “marca mais famosa de motos” com a produção de veículos elétricos? A Harley-Davidson anunciou recentemente um plano ambicioso de cinco anos, que inclui foco em motocicletas elétricas e a ressurreição da empresa depois de ter lutado financeiramente nos últimos tempos.

Em março, um novo diretor de veículos elétricos foi nomeado pela empresa, reforçando ainda mais o compromisso da marca com o desenvolvimento de motos da categoria.

E mesmo com o foco atual, a Harley-Davidson já é uma dos primeiras fabricantes a se comprometer com o desenvolvimento de um modelo de duas rodas elétrico. Em 2014, o projeto da LiveWire teve início, e a primeira moto da Harley-Davidson elétrica chegou nas estradas cinco anos depois. Inclusive, de acordo com a empresa, o veículo é a motocicleta do gênero mais vendida da América do Norte atualmente.

Como parte do plano, foram divulgados esboços de design e detalhes adicionais sobre até quatro novos modelos elétricos, incluindo uma nova moto da Harley-Davidson elétrica mais barata e até bicicletas. Esperava-se que alguns desses modelos se juntassem ao LiveWire em 2022, mas a pandemia de covid-19 afetou os planos da empresa.

Então, graças ao seu início precoce no desenvolvimento de motocicletas elétricas e aos bons resultados recentes, a Harley-Davidson tem uma vantagem de muitos anos sobre seus concorrentes no espaço. Se a empresa for capaz de capitalizar esse proveito, pode dar à empresa a garantia necessária para reconstruir suas vendas e reviver a marca.

*Por Arthur Henrique

……………………………………………………………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

5º Harley’s Day – Carlos Barbosa (RS)

Então finalmente chegou o tão esperado dia do ano em que realmente eu curto participar de um encontro de motociclistas, é claro que estou falando do Harley’s Day, em Carlos Barbosa. Talvez seja o maior e bem provavelmente o mais “bacana” evento da Harley Davidson aqui no Rio Grande do Sul. Esse já é o 5º evento e sem dúvida, cada vez está melhor e maior. Tudo bem, já mencionei aqui várias vezes que não desses paga pau para a “marca” HD, mas é que esse encontro não tem aquela chalaça de carinha cortando giro, queimando pneu e fazendo treta – pagando vale de machão das duas rodas. Então a coisa fica melhor, sem essa bagunça e com cara de realmente um belo encontro de motociclistas. Sem falar ainda na visão incrível que é percorrer os estacionamentos e ver as inúmeras motos (bem, isso é só para quem curte mesmo e me entende!).

Dessa vez o amigo Pretto não pode ir, mas fui com o Rafa e o Morsh, aliás a primeira vez dos dois nesse evento. Um belo dia de sol e com promessa de fazer bastante calor. Sobre a viagem de ida, tudo tranquilo, somente um pequeno trecho de asfalto sendo recapeado no trajeto de Lajeado. Chegamos em Carlos Barbosa por volta das 11h30 e encontramos logo de cara o Vladi e um amigo de POA. Como de costume demos um rolê pelo ambiente, que é a praça central da cidade (uma antiga estação de trem). Cara, como gosto dessa cidade. Sério! Meus amigos sabem disso, não me canso de falar. Ah! A cidade é famosa por se orgulhar de não terem sinaleiras. Boa essa. Gosto disso.

Sempre tem show de bandas ao vivo, o tempo todo, e garanto – via de regra são boas bandas! Muitos truck foods para saciar a fome também e várias lojinhas de acessórios, camisetas e afins. Um evento bem organizado e que cada vez me parece melhor. Só me cabe aqui elogiar. Porque é sincero isso.

Ainda encontramos alguns amigos daqui de VenâncioAires por lá também, como o caso do Professor, Bolinha, Gauer e o Nelsis Poeta.

Valeu! E como.
E desde já na contagem regressiva para o próximo!

*Abaixo algumas fotos da chalaça de hoje:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sabadão de verão, desde cedo na estrada

O rolê de moto de hoje teve um motivo diferenciado, acompanhei o Pretto até a IESA, em Porto Alegre, que é a revenda oficial da Harley Davidson aqui no Rio Grande do Sul, onde ele foi comprar uma peça para a sua moto. E diga-se foi tipo uma peregrinação! Eu não tinha ido até lá ainda apesar de ter uma HD (a minha foi comprada usada), portanto não tive nenhum contado com a IESA até então.

Sim, sei que existe toda uma mística nesse lance do poder da marca Harley Davidson e algumas pessoas até exageram nessa “veneração”, no meu ponto de vista. Mas daí é problema ou solução (como queiram) de cada um, eu respeito o gosto dos meus amigos, que aliás, vários deles possuem motos de outras marcas e modelos. Eu tenho o meu gosto e fiz a minha escolha e sou muito bem ciente das qualidades e defeitos do produto que estava adquirindo em termos de moto. Eu gosto da cultura e do universo das motos custom. Nada muito sofisticado. É isso. Simples assim! Sem mais explicações.

A trip começou cedo, o Pretto queria estar em POA logo na manhã e pegar a revenda ainda aberta. Saímos por volta das 7h30, tentando assim curtir mais a viagem de ida e assim fugir do calor que viria logo mais, perto do meio dia. Foi uam boa opção! Fizemos uma parada no caminho para um café, esticar as pernas, trocar uma ideia numa boa conversa e em seguida seguimos novamente rumo a estrada do Parque, que por consequência nos leva até em frente ao santuário da Arena Tricolor (dá-lhe Grêmio!!!), que era parte do trajeto até o nosso ponte de destino em POA.

Chegando lá, demos de cara com aquela vibe de café da manhã / encontro para os clientes e amigos da revenda, com direito a música ao vivo e várias belas motos no pátio. Muito bom!
Ah! Preciso aquio mencionar que os dois caras que estavam tocando lá eram MUITO BONS. Ótimas vozes, bons músicos e um belo repertório, que aliás, tinha tudo a ver com o clima estradeiro rock-country-southern da Harley Davidson, mas sem ser aquela coisa chata ou clichê, como habitualmente tende a ser nos encontros de motociclistas. E isso foi um dos pontos forte dessa manhã.

Claro que enquanto o meu chapa estava lá na lida de encontrar a sua tal peça de moto, eu por outro lado, estava de bobeira, então fiquei “zanzando” pelo loja, primeiro vendo as motos zero KM em exposição, babando e sonhando de um dia ter esse ou aquele modelo, dessa ou daquela cor…rsrsrssr. E depois vendo na lojinha as camisas, jaquetas, bonés, casacos e o escambau. Não comprei nada! Só olhei. Já disse, não tenho esse “fetiche” harleyano de ostentação da marca e tal.

Conversamos com o pessoal, peça encontrada, feito o brique, resolvemos voltar. O Vladi, nosso amigo de POA não estava na capital, ele teria sido o nosso guia pela cidade para outras prováveis aventuras, mas isso fica para uma próxima vez. Resolvemos tomar o rumo de casa então, mas antes iríamos parar junto ao monumento do “Laçador”, um dos símbolos da cidade de Porto Alegre e também do Rio Grande do Sul. Ficava no caminho e o Pretto queria conhecer de perto, mas  confesso que também jamais havia parado ali, desde que mudaram a sua localização para mais perto do aeroporto Salgado Filho. Feito o momento turistão, com direito até a fotos de avião chegando sobre nossas cabeças, seguimos pelo caminho antigo que se fazia de POA para V. Aires, ou seja, por Canos e não pela Rodovia do Parque, como agora costumeiramente se procura fazer. Aliás, há muitos anos eu não fazia esse percurso via Canos (RS). Vamu-lá!

Mas agora o destino era outro. Combinamos de paramos no caminho para comermos um churrasco em algum restaurante de posto de gasolina!
Encontramos um que parecia ser sensato, um pit-stop para almoço, mix, gasolina e  seguimos novamente em frente para casa. Opa! Não foi bem assim.
De última hora optamos fazer uma mudança de planos. Em vez de virmos direto para V. Aires, resolvemos seguir pela 386 por Lajeado-RS. A esperança de encontramos a cervejaria Salva “aberta” era forte, mas não foi o suficiente.
passamos por lá mas ainda era cedo para estarem abertos na tarde (já deixo aqui o aviso – isso acontece depois das 15h), mas passamos por lá, bem antes disso.

Uma tradicional passada pela CNG, aproveitamos para esticar as pernas junto à sombra de algumas árvores, calor pegando no começo da tarde, quando então de surpresa cruzam por nós alguns amigos do clube do Fusca de Venâncio Aires. Estavam indo para um encontro de Fuscas que acontecia à duas quadras de distância do local onde estávamos parados. Pimba! Lá vamos nós conferir o tal encontro de Fuscas de Lajeado.

Entrada grátis, aquele bate papo com a galera dos Fuscas e claro, um rolê pelo ginásio onde estavam os carros em exposição, com diversas peças e traquitanas para colecionadores desses veículos. Enfim, uma festinha/evento supimpa. Pelo calor e também por se tratar de um período de férias/verão/praia, a coisa não estava lá muito movimentada, é verdade, mas era legal, posso garantir. Feita a função, novamente era hora de voltarmos para casa e dessa vez, sem rodeios.

Mas antes ainda uma última parada! Enfim o momento tão aguardado, depois dessa jornada toda de muito asfalto, sol e calor… era hora de tomarmos aquela gelada! Báh!

Um belo sábado, vou te dizer.
Grato Pretto pela trip e a parceria.
Valeu!

*Abaixo algumas imagens dessa tal trip de hoje.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Harley’s Day em Carlos Barbosa (RS)

Então finalmente chegou o dia do esperado Harley’s Day (ao menos para mim), em Carlos Barbosa / RS. O evento já era para ter acontecido há duas semanas atrás, mas teve de ser transferido para a data de hoje em função de uma “chuvarada” que ocorreu naquela vez. Creio que foi mesmo melhor assim, afinal o cara fica aguardando esse baita evento que acontece apenas uma vez por ano, então tem mesmo que ser realizado em um dia viável, sem chuva ao menos.

E por falar nisso, hoje foi um belo dia. Apesar de ter amanhecido com um tímido solzinho e somente depois até tomou ares do que poderia ser um belo dia de sol sem chuva. Uma breve conferida no clima/tempo do celular e – nah! Nada de marcar chuva para hoje. Eu e o Pretto já havíamos combinado de sair por volta das 10h da manhã, foi uma viagem tranquila pela Rota do Sol até Carlos Barbosa. Ah! Teve bocaberta num caminhão, perto de Lajeado, que propositalmente nos cortou a frente por duas vezes, mas OK (não vou aqui entrar em detalhes desse perrengue), relevamos essa palhaçada e seguimos de boa, sempre em frente.

Chegamos cedo no evento, por volta das 11h e cada vez mais gente ia chegando de moto. Tudo que é tipo de HD. Uma incrível festa.

Sou suspeito em comentar isso, mas curto bastante esse evento do Harley’s Day em Carlos Barbosa – essa foi a 4ª edição e a minha terceira participação (não pude comparecer na primeira edição). Como de costume, trata-se de um evento muito bem organizado pelos “gringos” locais. Estão de parabéns!!! E sem dúvida me parece que está cada vez melhor. O local é sensacional, tem um belo e grande espaço na praça central da cidade, que é muito bem aproveitado pelo o público. Conta com um boa estrutura, várias tendas de alimentação e também de outras coisas relacionadas ao mundo HD e das motos custom. Tem um gramado bacanudo e boas bandas de rock tocando o tempo todo e o melhor, muita mulher bonita!
Tá…. Também tem motos Harley Davidson bonitaças (é claro), em um grande estacionamento ao redor da praça, o que sem dúvida alguma rende um belo e demorado passeio de observação – para quem curte motos.

Não tenho muito mais o que comentar, é sempre um dia muito bem aproveitado, é de encher os olhos com tantas coisas boas e bonitas. Vale a viagem.

*Abaixo algumas imgs da empreitada de hoje

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Trump apoia boicote contra Harley Davidson em disputa tarifária

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apoiou neste domingo um boicote contra a fabricante norte-americana de motocicletas Harley Davidson, no mais recente episódio da disputa entre a companhia e Trump sobre as tarifas do aço.

A fabricante de motocicletas de Wisconsin anunciou um plano no início deste ano para transferir a produção de motocicletas para o mercado da União Europeia dos Estados Unidos para o exterior, com o objetivo de evitar as tarifas impostas pelo bloco comercial em retaliação às tarifas de Trump sobre as importações de aço e alumínio.

Em resposta, Trump criticou a Harley Davidson, pedindo impostos mais altos e ameaçando atrair produtores estrangeiros para os Estados Unidos para aumentar a concorrência.

“Muitos proprietários do @harleydavidson planejam boicotar a empresa se a produção mudar para o exterior. Ótimo! A maioria das outras empresas está vindo em nossa direção, incluindo concorrentes da Harley. Uma medida realmente ruim! Os EUA terão em breve condições de igualdade”, disse Trump em um post no Twitter.

A Harley Davidson se recusou várias vezes a comentar as observações de Trump ao longo da disputa. A empresa não pôde ser imediatamente contactada para comentar o assunto neste domingo.

A Harley prevê que as tarifas da UE custariam à empresa entre 30 milhões e 45 milhões de dólares para o restante de 2018 e entre 90 milhões e 100 milhões de dólares para o ano inteiro.

Trump se encontrou no sábado com um grupo de motociclistas que o apoiam, posando para fotos com cerca de 180 motociclistas em seu resort de golfe em Bedminster, Nova Jersey, onde ele está de férias.

Fabricantes de motocicletas baseadas fora dos Estados Unidos incluem as japonesas Honda Motor e Yamaha , as europeias BMW e Ducati, bem como as indianas Hero MotoCorp Ltd e Bajaj Auto, entre outras.

 

 

 

 

……………………………………………………
*Fonte: epocanegocios

A Harley Davidson anuncia novos modelos para 2020

Plano “More Roads to Harley-Davidson” terá ainda novas custom e uma naked streetfighter

A Harley-Davidson surpreendeu e anunciou nesta segunda-feira (30) os planos da marca até 2022, incluindo a chegada de motos para explorar segmentos inéditos para a empresa. Trata-se do plano “More Roads to Harley-Davidson”, que tem como objetivo revigorar os negócios nos EUA e também acelerar o ritmo de crescimento internacional.

“As ações ousadas que estamos anunciando hoje alavancam as vastas capacidades e o poder de fogo competitivo da Harley-Davidson – nossa excelência no desenvolvimento e fabricação de produtos, o apelo global da marca e, claro, nossa grande rede de concessionárias”, disse Matt Levatich, Presidente e CEO da Harley-Davidson Inc.

Num mundo em rápida mudança e com novas demandas do consumidor, essas ações apoiam os objetivos da marca até 2027, incluindo novos produtos, acesso mais amplo dos clientes à marca e concessionárias mais fortes.
Harley-Davidson 2020 Harley-Davidson 2020

Entre as novas motos, o destaque fica para uma inédita plataforma modular para modelos de 500 cc a 1.250 cc, que dará origem à primeira big trail da Harley, a Pan America 1.250 (foto de abertura), além de uma naked Streetfighter 975 cc (acima à esquerda) e mais uma custom 1.250 cc (acima à direta), todas planejadas para lançamento a partir de 2020. Outras motos virão até 2022.

Já para os mercados emergentes, a Harley-Davidson anuncia uma aliança estratégica com uma fabricante da Ásia. A princípio, esta nova moto de baixa cilindrada (entre 250 a 500 cc) será desenvolvida somente para o mercado indiano, além de outros países asiáticos.

Por fim, a marca norte-americana segue com o plano de lançar em 2019 a LiveWire, a primeira Harley-Davidson elétrica. Ela será seguida por modelos adicionais até 2022, fazendo com que a H-D seja líder também na eletrificação de motocicletas.

2020 Harley-Davidson Pan America Adventure-Tourer

 

 

 

 

 

 

 

Harley-Davidson cooled 975cc Streetfighter

 

 

 

 

 

 

Harley Davidson 1250 Custom

 

 

 

 

 

 

Harley-Davidson LiveWire (moto elétrica)

 

 

 

 

 

 

…………………………………………………….
*Fonte: motor1

 

Rolê até Carlos Barbosa – 3º Harley’s Day

Hoje foi dia de subir a serra (ao menos para nós e a nossa direção) até Carlos Barbosa (RS), no 3º Harley’s Day. Evento anual que cada vez mais está maior e melhor e creio que ainda vai crescer mais. Anote aí… Acredito que seja um dos encontros mais legais aqui do estado. Mas enfim, isso é apenas a minha opinião.

Saimos cedo, eu e o Pretto, ainda pela manhã e com a ideia de almoçarmos por lá mesmo. Já havíamos marcado com o Vladi e a Fabi de nos encontrarmos no evento. Ainda no posto de gasolina, quando fui abastecer a moto encontrei o Thiago N., que também estava indo ao mesmo lugar, aguardei ele também abastecer e seguimos em frente. Fomos até Lajeado, depois pegamos a Rota do Sol e daí era somente rodar em frente. Sempre em frente! No trajeto o Thiago ficou um tanto para trás da gente, ele ainda é novato mas é guerreiro. Acabamos fazendo uma parada no posto do pedágio para aguardá-lo e nisso chega um casal de Roca Sales, numa HD zero km e pedem para se juntar ao nosso grupo e seguirmos juntos até Carlos Barbosa. Isso é justamente uma das coisas legais  desse universo da motocicleta – o constante ato de se fazer “novas amizades” na estrada. O Thiago não demorou a se juntar ao grupo, que agora com a mandada toda reunida, seguiu viagem.

Uma viagem boa e tranquila. Aliás, dia bonito fez hoje! Tudo bem, fez um calor e tanto mas na real não atrapalhou em nada. O evento foi tão bom quanto o do ano passado. Muita gente, muita Harley Davidson na prça central da cidade, que aliás, cada vez parece menor para receber tanta gente/moto. E bonito ver tantas HDs reunidas assim, estacionadas uma ao lado da outra. E olha, não contei, mas são centenas…

Assim que chegamos encontramos o pessoal, daí aquela chalaça de sempre quando se encontra com os amigos de longa data. Demos uma boa volta por todo o lugar, curtimos as bandas que se apresentaram ao longo do dia – muito rock (boas bandas!), almoçamos lá mesmo (haviam várias tendas de alimentação), conseguimos uma boa sombra na grama para ser o nosso QG e o resto foi curtição. Também havia um estande da HD – IESA, algumas tendas vendendo camisetas, capacetes, jaquetas e outros tantos acessórios para moto e piloto. Até fica difícil dizer de alguma moto que achei a mais bonita, eram tantas, de encher os olhos para quem curte uma Harley Davidson. Muitos modelos customizados, outras antigas bem cuidadas e até modelos da nova geração de motores 2018. Muito bom.

O dia assim nessa toada passou rápido e lá pelas tantas já era hora de voltarmos. É claro que também encontramos ainda outros amigos e conhecidos. Nos despedimos do Vladi e da Fabi (sempre uma bela parceria), eles iriam seguir para POA, já o Thiago (o novato), ficou por lá mesmo, já tinha saído de casa com o equipamento p/ camping na bagagem. A volta foi tranquila, é trajeto que conhecemos muito bem, então foi normal. Fizemos ainda uma clássica breve parada no posto predileto do caminho (não vou aqui fazer propaganda), e tudo blz.

Taí mais um bom dia bem aproveitado com os amigos e a moto na estrada.

*Confira abaixo algumas imgs de nossa trip e do evento:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lajeado – Harley Weekend 2017

Hoje foi dia de juntar a rapaziada, pegar as motos  e ir conferir o Harley Weekend em Lajeado, encontro de motociclistas em frente ao Lendário Pub. O dia também ajudou, um sol meio tímido mas bacanudo para espantar o frio. Nos encontramos no local decostume só que um pouco mais tarde dessa vez, até porque o evento começaria às 13h, então não tinha porque termos pressa de chegar lá.

Reunida a galera (eu, o Professor Jeff, Pretto e o Bolinha), seguimos para Lajeado. Um porém é que minhas pastilhas de freio (dianteiro) “se fueran”, então como aqui no sul as peças de moto Harley não se encontra em cada esquina, ainda vai demorar alguns dias para resolver esse problema. Mesmo assim seguimos o combinado, tive é claro de termais atenção na pilotagem e usar somente o freio traseiro, que aliás é uma merda. Eu particularmente uso muito mais o dianteiro para parar, o traseiro é mais apenas para uma dose de diminuição da velocidade. Mas enfim, tudo certo tanto na ida como na volta.

O encontro foi em frente o Lendário Pub, tinham algumas tendas de cerveja Salva, truck food, barbeiros, motos em exposição de uma revenda e uma lonão para show de rock que teve a banda The Waynes. Aliás, muito boa a banda e também a sonorização do evento. De parabéns! Era rock claro, mas o legal é que nem por isso ficou naquela coisa de sempre, de só tocar “Born to Be Wild” ou bandas como AC/DC e Creedence o tempo todo, saca!? O clichezão master de todo encontro de motociclistas…rsrsrsrsrs

Chegamos ainda cedo, não estava cheio mas aos poucos a galera das Harleys começaram a chegar dos diversos cantos da região aqui do estado. Só posso dizer que foi uma evento muito bom, espero que aconteça mais vezes. Não tinha aquela zoeira de neguinho cortando giro na moto, borrachão e cara querendo se aparecer. Foi tudo de boa, muita gente legal, mulheres bonitas, cerveja gelada, ótimo show, deu até para encontrar alguns amigos que não via há um bom tempo e colocar a conversa em dia. E sem duvida, muita moto bacana para dar uma conferida bem de perto. Aliás, talvez o principal, se é que você me entende.

A tarde assim passou voando e segundo dizem, isso acontece quando a coisa tá boa. E foi muito boa!
A final da tarde já era hora de começarmos a  nos preparar para a volta, mas ainda no final tivemos de esperar o Jeff dar um trato no cabelo e na sua barba. A volta foi tranquila (ainda mesmo que sem poder frear com a dianteira…rsrsr), tudo normal, tudo de boa. Uma parada final para um chopp e conversar mais um pouco com os parceiros.

Valeu e com certeza o dia rendeu nessa função de hoje. bons momentos com os amigos. Já esperando pela próxima.

Abaixo algumas fotos do evento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje começa o seriado – “Harley and the Davidsons”

A história do nascimento da Harley é muito mais complexa do que costuma se contar por aí, com diversas reviravoltas pelo caminho. Felizmente estréia hoje “Harley-Davidson: a série”, às 22h10, no bloco Sexta de Motores do Discovery Channel. Serão 3 episódios, com duas horas de duração cada, contando as origens de uma das marcas mais lendárias de todos os tempos.

Harley-Davidson: a série.
Discovery Channel
Primeiro episódio nesta sexta-feira, 23 de setembro às 22h10.

…………….
*Fonte: olddogcycles

Harley and the Davidsons – Trailer

Em setembro (nos EUA), no Discovery Channel terá  a minissérie Davidsons, que vai contar a história por trás da Harley-Davidson Motorcycle Company, como nunca foi contada antes.

O drama histórico irá fornecer um raro vislumbre dos primeiros anos da Harley-Davidson Motorcycle Company, mostrando como fundadores Walter e Arthur Davidson e Bill Harley formaram seu negócio a partir de um galpão em Milwaukee e que mais tarde veio a se tornar a marca de motocicleta mais emblemática do mundo.