Há 49 anos, Jimi Hendrix subia ao palco para último show da vida dele

Com 27 anos, Jimi Hendrix fazia o último show da vida dele no dia 16 de setembro de 1970. O palco era no Ronnie Scott’s Jazz Club em Londres. Hendrixtocou com o amigo Eric Burdon e a banda War algumas músicas famosas, como “Mother Earth” e “Tobacco Road”. Dois dias depois da apresentação, no dia 18 de setembro, o músico morreu por asfixia.

Na biografia de Burdon, Don’t Let Me Be Misunderstood, ele lembrou a performance do colega: “Hendrix entrou durante o segundo set. Eu apresentei Jimi ao público…aquela típica audiência do jazz de Londres tentou mostrar indiferença quando ele subiu no palco, mas uma onda de aplausos cumprimentou o maior guitarrista do mundo”. Burdon ainda afirma que o músico “estava voando” durante a apresentação.

Depois do show, Hendrix ainda parou e conversou com o jornalista Roy Carr da revista britânica NME. O artista foi questionado sobre possíveis músicas futuras e ele respondeu: “Talvez não seja jazz…. talvez seja”. Na saída, foi para a casa da namorada Monika Dannemann e dois dias depois morreu por asfixia.

Considerado o instrumentista mais influente da história do rock, pelo Hall da Fama e do Rock’n’roll, Jimi Hendrix foi um revolucionário e sua maior companheira era uma guitarra Fender Stratocaster. Um ano antes de morrer, Jimi Hendrix foi o principal nome da música a se apresentar no Woodstock Festival em 1969. Tocou como headliner e fez história ao apresentar o hino nacional dos EUA, “Star Spangled Banner”.

 

 

 

 

…………………………………………………………………
*Fonte: rollingstone

As Sessões de Blues Perdidas de Jimi Hendrix

Stephen Stills se lembra muito bem daquele dia. Era o final de 1969 quando ele visitou o estúdio Record Plant, em Nova York, para curtir algumas horas de diversão musical com o amigo Jimi Hendrix, que topou tudo – a certa altura, pegou um baixo para acompanhá-lo em uma versão animada de “Woodstock”, de Joni Mitchell. Stills foi embora revigorado. “Vê-lo tocar era como acompanhar o melhor atleta que você já viu – como Muhammad Ali”, diz. “Ele me ensinou a parar de pensar e deixar acontecer.”

Essa versão de “Woodstock” aparece em Both Sides of the Sky, lançado no dia 9 de março, pela Sony Legacy Recordings, em diversos formatos, incluindo CD, digital e uma edição limitada de vinil duplo de 180g. Trata-se de um álbum de gravações inéditas de estúdio que Hendrix fez nos dois últimos anos de vida, enquanto acumulava fitas para lançar depois de resolver uma disputa contratual. É o último trabalho de uma trilogia que começou com Valleys of Neptune, de 2010, depois que a Sony chegou a um acordo com a irmã do guitarrista, Janie, para liberar as músicas.

Alguns notáveis colaboradores aparecem no set, incluindo, além de Stills, Johnny Winter e o vocalista/saxofonista Lonnie Youngblood (companheiro de Hendrix antes da fama na banda Curtis Knight & the Squires). Stills aparece em duas faixas gravadas em setembro de 1969: a cover de “Woodstock”, de Joni Mitchell (meses antes da famosa regravação do Crosby, Stills, Nash & Young), e uma original, “$20 Fine”. Winter surge em uma versão completa e remixada de “Things I Used to Do”, do Guitar Slim.

Both Sides of the Sky pesa a mão no blues, mas capta a diversão que Stills descreve: há uma poderosa “Mannish Boy”, com Hendrix cantando em falsete acompanhando a guitarra incendiária; durante “Lover Man”, uma favorita nos shows, ele executa espontaneamente a música-tema de Batman. “Quando tudo desmoronava, ele começava a tocar o tema de Batman ou do seriado Peter Gunn”, conta o engenheiro de Hendrix, Eddie Kramer, que trabalhou no projeto. “Ele queria manter tudo leve.” Kramer dá como exemplo “Cherokee Mist”, uma faixa instrumental maluca e hipnótica de sete minutos com Hendrix na guitarra e no sítar. “Soa como um animal selvagem à solta no estúdio”, diz. Revisitando as músicas, ele lembrou a alegria de trabalhar com Hendrix, que mixava as próprias partes enquanto Kramer mexia na mesa diminuindo e aumentando os outros instrumentos ao mesmo tempo. “Depois de terminar, caíamos na risada.”

Será que esta é a última palavra sobre o trabalho em estúdio de Hendrix? “É difícil dizer”, afirma o coprodutor John McDermott. “Com Jimi, sempre há esperança de que exista uma pilha de fitas realmente ótimas por aí. Ele amava gravar e criar.”

>> Tracklist de Jimi Hendrix – Both Sides of the Sky Track

1 – “Mannish Boy” (inédita)
2 – “Lover Man” (inédita)
3 – “Hear My Train A Comin'” (inédita)
4 – “Stepping Stone” (inédita)
5 – “$20 Fine” (inédita, com Stephen Stills)
6 – “Power Of Soul” (versão estendida inédita)
7 – “Jungle” (inédita)
8 – “Things I Used to Do” (com Johnny Winter)
9 – “Georgia Blues” (com Lonnie Youngblood)
10 – “Sweet Angel” (inédita)
11 – “Woodstock” (inédita, com Stephen Stills)
12 – “Send My Love To Linda” (inédita)
13 – “Cherokee Mist” (inédita)

*por Kory Grow

…………………………………………………………………….

>> Uma palinha de cada música do álbum:

…………………………………………………………………….
*Fonte: rollingstone

Rock, sempre o rock…

Alguns rockers famosos ilustrados pelo traçado do artista italiano Ivan de Lorenzo.

*Confira abaixo a sua versão para: Jimi Hendrix, Dire Straits, Slash, Ozzy, Lemmy, Eddie Wedder, Jaco Pastorius.