Uma nova análise genética finalmente revela a identidade de Jack, o Estripador?

Testes genéticos apontam para Aaron Kosminski, um barbeiro polonês de 23 anos e um dos principais suspeitos da polícia na época. Mas os críticos dizem que a evidência não é forte o suficiente para declarar o caso encerrado.
Uma imagem histórica da polícia descobrindo uma vítima de assassinato de Jack, o Estripador.

Os resultados vêm de um exame forense de um xale de seda manchado que os investigadores disseram ter sido encontrado ao lado do corpo mutilado de Catherine Eddowes, a quarta vítima do assassino, em 1888. O xale é salpicado com o que se diz ser sangue e sêmen. Acredita-se que seja do assassino. Quatro outras mulheres em Londres também foram assassinadas em uma onda de 3 meses e o culpado nunca foi confirmado.

Esta não é a primeira vez que Kosminski está ligado aos crimes. Mas é a primeira vez que a evidência de DNA de apoio foi publicada em um periódico revisado por pares. Os primeiros testes genéticos em amostras de xale foram realizados há vários anos por Jari Louhelainen, um bioquímico da Universidade John Moores, no Reino Unido, mas ele disse que queria esperar que o barulho diminuísse antes de apresentar os resultados. O autor Russell Edwards, que comprou o xale em 2007 e deu a Louhelainen, usou os resultados inéditos dos testes para identificar Kosminski como o assassino em um livro de 2014 chamado Naming Jack the Ripper. Mas os geneticistas reclamaram na época que era impossível avaliar as alegações porque poucos detalhes técnicos sobre a análise de amostras genéticas do xale estavam disponíveis.

O novo artigo expõe isso, até certo ponto. No que Louhelainen e seu colega David Miller, um especialista em reprodução e esperma na Universidade de Leeds, no Reino Unido, afirmam ser “a análise genética mais sistemática e avançada até agora em relação aos assassinatos de Jack, o Estripador”, eles descrevem. Os testes compararam fragmentos de DNA mitocondrial – a porção do DNA herdada apenas da mãe – recuperados do xale com amostras retiradas de descendentes vivos de Eddowes e Kosminski. O DNA coincide com o de um parente vivo do Kosminki , eles concluem no Journal of Forensic Sciences .

A análise também sugere que o assassino tinha cabelos castanhos e olhos castanhos, o que concorda com as evidências de uma testemunha ocular. “Essas características certamente não são únicas”, admitem os autores em seu artigo. Mas os olhos azuis são agora mais comuns do que marrons na Inglaterra, observam os pesquisadores.

É improvável que os resultados satisfaçam os críticos. Detalhes importantes sobre as variantes genéticas específicas identificadas e comparadas entre as amostras de DNA não estão incluídos no artigo.

Os autores afirmam em seu artigo que o Data Protection Act, uma lei do Reino Unido destinada a proteger a privacidade dos indivíduos, os impede de publicar as sequências genéticas dos parentes vivos de Eddowes e Kosminski. O gráfico do artigo, dizem eles, é mais fácil para os não-cientistas entenderem, especialmente “os interessados ​​no verdadeiro crime”.

Walther Parson, um cientista forense do Instituto de Medicina Legal da Universidade de Innsbruck, na Áustria, diz que as sequências de DNA mitocondrial não representam risco de privacidade e os autores deveriam tê-las incluído no artigo. “Caso contrário, o leitor não pode julgar o resultado. Eu me pergunto para onde a ciência e a pesquisa estão indo quando começamos a evitar mostrar resultados.”

Hansi Weissensteiner, especialista em DNA mitocondrial também em Innsbruck, também discorda da análise do DNA mitocondrial, que, segundo ele, só pode mostrar com segurança que pessoas – ou duas amostras de DNA – não estão relacionadas. “Com base no DNA mitocondrial, só se pode excluir um suspeito”. Em outras palavras, o DNA mitocondrial do xale pode ser de Kosminski, mas provavelmente também pode ter vindo de milhares de pessoas que moravam em Londres na época.

Outros críticos da teoria de Kosminsky apontaram que não há evidência de que o xale estivesse na cena do crime. Também poderia ter sido contaminado ao longo dos anos, dizem eles.

Os novos testes não são a primeira tentativa de identificar Jack, o Estripador, do DNA. Vários anos atrás, a autora norte-americana de crimes Patricia Cornwell pediu a outros cientistas que analisassem qualquer DNA em amostras retiradas de cartas supostamente enviadas pelo serial killer para a polícia. Com base nessa análise de DNA e em outras pistas, ela disse que o assassino era o pintor Walter Sickert, embora muitos especialistas acreditem que essas letras sejam falsas. Outra análise genética das cartas dizia que o assassino poderia ser uma mulher. [Science]

 

………………………………………………………………….
*Fonte: socientifica

Piratas: 5 mistérios que nunca foram resolvidos

Há uma infinidade de histórias em torno do mundo pirata, mas algumas que deixam a gente com uma pulga atrás da orelha.

1. Poço do tesouro: Em 1795, na ilha canadense de Oak Island, Daniel McGinns encontrou um poço coberto por uma pedra enorme. De acordo com as inscrições gravadas, há debaixo dela um grande tesouro oculto. Por mais de dois séculos, muita gente tentou achá-lo e sete pessoas morreram na tentativa. Acredita-se que o suposto tesouro teria sido escondido pelo Capitão Kidd, um pirata que atuava na costa leste do Canadá.

2. O Kraken: Trata-se do monstro marinho mais temido da antiguidade, dotado de tentáculos gigantes e capazes de capturar barcos de qualquer tamanho. Embora nunca tenha sido encontrada nenhuma evidência sobre seu paradeiro, diz-se que até o pirata mais destemido tremia de medo ao ouvir suas histórias.

3. Piratolândia: Há uma lenda que afirma a existência de uma ilha chamada Libertalia, lugar de retiro para os piratas do mar. Lá, companheiros de todo o mundo conviviam em harmonia depois de abandonar a atividade. Acredita-se que ela estaria localizada nas proximidades de Madagascar e que o único requisito para habitá-la era ser pirata.

4. Túneis piratas: De acordo com a lenda, nos túneis subterrâneos da cidade de Savannah, na Geórgia, EUA, piratas contrabandistas armazenavam suas mercadorias. Atravessando uma série de corredores labirínticos, chegava-se até águas não muito profundas, onde os barcos aguardavam para sair de viagem. O desmoronamento desses túneis dificultou a pesquisa sobre a veracidade da história.

5. Piratas de Nova York: Outra lenda conta que o lago Ronkonkoma, em Nova York, esconde, debaixo de suas águas, alguns dos maiores tesouros piratas da história, além de vários restos humanos. Segundo esse mito, o lago já esteve ligado ao mar e foi aproveitado por muitos piratas.

……………………………………………………………
*Fonte: history

Navio na Indonésia: tripulação inteira teria morrido assustada com algo…o quê?

As terríveis mortes de toda a tripulação do cargueiro holandês SS Ourang Medan despertam várias teorias em torno do que teria ocorrido no interior deste navio fantasma.

Acredita-se que o acidente com o cargueiro ocorreu entre junho de 1947 e fevereiro de 1948. Pouco se sabe sobre as circunstâncias do incidente – muitos dizem que não passa de uma lenda dos mares -, mas conta-se que duas embarcações norte-americanas que navegavam pelo estreito de Malaca, entre a Indonésia e a Malásia, receberam um pedido de socorro, em código Morse, do navio holandês. A mensagem não era clara, mas uma parte assustadora foi compreendida com exatidão: “eu” e “morrendo”.

Um dos navios que recebeu a mensagem, o Silver Star, se dirigiu ao Ourang Medan para prestar socorro. Assim que chegaram perto do cargueiro holandês, marinheiros da embarcação norte-americana não notaram avarias ou problemas aparentes. Os tripulantes decidiram subir a bordo para procurar pela tripulação que pediu socorro. Foi então que presenciaram um cenário terrível.

Todas as pessoas dentro do Ourang Medan estavam mortas, com as bocas abertas e os olhos arregalados, como se estivessem muito assustadas. Alguns até pareciam estar apontando para alguma coisa, como se estivessem aterrorizados. O capitão do Silver Star decidiu rebocar o navio até o porto mais próximo, solicitando a ajuda de sua tripulação. Enquanto isso, uma explosão violenta ocorreu no compartimento de cargas do Ourang Medan. Foi o suficiente para que o navio holandês fosse abandonado. Minutos depois, o cargueiro foi para o fundo do mar, levando todos os seus segredos às profundezas.

Teorias

Enquanto muitas pessoas acreditam que tudo não passa de uma lenda dos mares, há teorias que apontam que a morte da tripulação foi causada por piratas. Mas como não foram encontrados sinais de luta ou machucados nos corpos, essa hipótese foi descartada.

Uma possível explicação é que o Ourang Medan estaria carregado com produtos químicos. Um vazamento destas substâncias poderia ter, de alguma maneira, levado toda à tripualação à asfixia. Mais tarde, com o balanço do navio, os produtos poderiam ter reagido e causado a explosão no compartimento de cargas. O envenenamento por monóxido de carbono a partir da caldeira do navio é outra teoria.

Fenômenos paranormais

Há ainda algumas teorias que creditam o terrível incidente a seres extraterrestres, fantastamas e forças sobrenaturais. Afinal, o que seria capaz de deixar as pessoas tão aterrorizadas assim? De qualquer maneira, o certo é que dificilmente alguém saberá a resposta do que realmente aconteceu dentro daquele navio.

………………………………..
*Fonte: history

navio-fantasma

8 sons misteriosos em alto-mar que a ciência ainda não explicou

Esses ruídos captados em mar aberto viraram um mistério científico e ganharam até nome.

 

Pato, sapo ou lula?
NOME DO SOM Quacker
ONDE Atlântico Norte e Ártico

Durante a 2ª Guerra Mundial, umsubmarinosoviético registrou estranhos ruídos descritos pelos tripulantes como “quacking” – a onomatopeia que os russos usam para representar o coaxar de umsapo. Mas os sonares não detectaram nada! A melhor hipótese dos cientistas era que se tratava de umalula-gigante, que não foi captada no sonar por não ter ossos. O mistério perdura…


Abalou geral

NOME DO SOM Bloop
ONDE Oceano Pacífico

Foi registrado uma única vez, em 1997, pela NOAA, mas fascinou pelo seu alcance gigantesco: mais de 5 km! Muitos acharam que era um monstro marinho. Entretanto, pesquisadores garantiram que nenhum animal poderia produzir um som tão intenso. Hoje, supõe-se que foi um “icequake” (uma rachadura gigante num iceberg) que aconteceu na Antártida


Quase parando

NOME DO SOM Slow Down
ONDE Pacífico

Também de 1997, ganhou esse nome (“desacelerar”, em inglês) porque sua frequência diminuiu lentamente por cerca de sete minutos. Era alto o suficiente para ser captado a uma distância de 2 km, mas nunca mais foi ouvido. A ciência recorreu a duas hipóteses tradicionais: primeiro, pensou-se numa lula-gigante; agora acham que era um iceberg que foi freado bruscamente pelo leito marítimo


Engole o choro!

NOME DO SOM Julia
ONDE Pacífico Equatorial

Em 1º de março de 1999, hidrofones autônomos gravaram algo bem estranho. Parecia… uma pessoa choramingando? Ele teve duração de cerca de 15 segundos, com frequência entre 0 e 50 hertz. Cientistas da NOAA acham que era um iceberg gigante da Antártida arrastando-se no fundo do oceano


Thor está furioso

NOME DO SOM Mistpouffers
ONDE EUA, Bangladesh e Japão

Descritos como rajadas decanhõesdisparadas a distância, esses estrondos foram testemunhados em vários locais, como o lago Seneca, em Nova York. Por isso, também ficou conhecido como “Armas do Seneca”. Gases submersos cujas bolhas estouram na superfície poderiam criar algo assim, mas não tão alto. Na falta de explicações, já teve até gente dizendo que era martelada dodeus nórdicoThor


Baleia paramédica

NOME DO SOM Upsweep
ONDE Pacífico Sul

Quando esse efeito sonoro foi gravado, em agosto de 1991, as primeiras suspeitas recaíram sobre asbaleias. Mas sons emitidos por seres vivos têm variação no tom. Esse estranho ruído não tinha – ele apenas lembrava uma sirene deambulância. A dúvida continua até hoje. Uma hipótese recente diz que pode ter sido causado pela evaporação de água em contato com a lava ultraquente de erupções vulcânicas submarinas


Meio século de dúvidas

NOME DO SOM Biopato
ONDE Oceano Antártico

Desde a década de 60 um estranho som intrigava os pesquisadores do NOAA. Ele parecia umpatograsnando e costumava ser captado por submarinos durante o inverno e a primavera. Mistério resolvido em 2014: não era um pato, e sim baleias-minke se comunicando entre si quando vinham à superfície. A descoberta deve ajudar a ciência a entender melhor o comportamento desse bicho


A pleno vapor

NOME DO SOM Train e Whistle
ONDE Pacífico Equatorial

Dois sons ouvidos em 1997 (sim, 1997 de novo!) lembravam o de vapor sendo expelido com grande força. O primeiro, em março, soava como uma locomotiva. A teoria mais aceita é a de que seja resultado do atrito de um iceberg com o fundo do mar. O segundo, em julho, remetia a uma chaleira. O mais provável é que esteja ligado avulcõesem atividade nas profundidades marinhas

 

…………………………………….
*Fonte: mundoestranho

 

Médicos que descobriram substância cancerosa nas vacinas morrem misteriosamente nos EUA

Um mistério está chamando a atenção dos adeptos de medicina natural nos Estados Unidos.

Nos últimos meses, cinco médicos com fortes inclinações para a medicina natural morreram misteriosamente ou foram mortos intencionalmente, e outros cinco desapareceram inexplicavelmente. A maioria deles era da Flórida, EUA.

Os médicos de que estamos falando tinham uma coisa em comum: eles descobriram que a proteína nagalase estava presente em vacinas consideradas seguras para uso em seres humanos.

Nagalase é conhecida por impedir que seu corpo produza vitamina D.
A vitamina D é um nutriente muito importante para matar as células cancerosas naturalmente.
Nagalase é uma proteína.

Em crianças autistas esta proteína está presente em concentrações muito elevadas. Não só isso: todo o tipo de célula cancerosa produz essa proteína.

Como se sente ao saber que isso está presente em vacinas que você já deve ter tomado?

Nagalase efetivamente desativa o sistema imunitário. E também  está associada ao diabetes tipo 2.
E o que esses médicos que foram mortos tinham a ver com essa perigosa substância presente nas vacinas?
Tudo!

É que os resultados de uma investigação científica desses médicos haviam produzido provas de que as vacinas que estão sendo injetadas são, na verdade, a causa do súbito aumento nas taxas de câncer e também do aumento das taxas de autismo.
E muito provavelmente isso, segundo esses médicos, deve-se à proteína nagalase.

medicos_am

Os médicos que foram mortos na Flórida tinham trabalhado juntos e estavam se preparando para ir a público para divulgar o resultado de suas pesquisas.
Mas foi então que foram “calados”…

O dr Ted Broer concedeu uma entrevista sobre os médicos mortos. Ele concedeu essa entrevista ao programa de rádio Hagmann & Hagmann) explicando os motivos da morte.

O Dr Broer chegou a dizer, na entrevista, a seguinte frase: “Eu estou me suicidando falando essas informações”.
Ele estava supernervoso ao dizer essas informações publicamente.

Assista ao vídeo no qual ele nos conta sobre suas descobertas. É um vídeo de 19 minutos, porém a informação mais importante é dita nos primeiros dez minutos.

*Se você sabe inglês, vale apena assistir e escutar com atenção o que o médico/cientista americano disse.
Se não sabe ingles, ative as legendas, pois mesmo com a precária tradução automática dá para absorver alguma informação.

 

Neste outro vídeo, um repórter entrevista a ativista americana de medicina natural Erin Elizabeth.

Infelizmente, o vídeo não está traduzido, mas você também pode ativar as legendas para ver a tradução automática.

Erin Elizabeth tenta explicar o que pode ter ocorrido com os médicos mortos misteriosamente.

 

 

E você, qual a sua opinião?

O que pode ter ocorrido?

As mortes foram apenas coincidência?

Eles se suicidaram, como estão dizendo?

Ou foi algo planejado para impedir o que esses médicos queriam dizem a toda a sociedade?

*Fonte/texto: curapelanatureza

 

Formigas em estranho círculo ao redor de celular

Tem tudo a ver com as forças magnéticas invisíveis da Terra que informam aos cães onde defecar e as formigas ao encontrar seu caminho de casa, o entomologista australiano Nigel Andrew, da Universidade de New England, disse à imprensa esta semana. Quando o telefone começa a tocar, as ondas de rádio bagunçam o senso de direção dos insetos. “Um monte de formigas usa o magnetismo para se orientar. [Elas] têm receptores magnéticos em suas antenas”, disse ele. “Se elas estão viajando longas distâncias, elas usam sinais magnéticos da Terra para saber se estão indo para o norte, leste, sul ou oeste.”

Mas mesmo se a vibração do telefone tocando parece irritar as formigas um pouco mais do que o habitual, formar círculos bem-organizados não é tão estranho quando se trata de organismos como este.

“Há muitas formigas que realmente começam a se formar em um círculo sem um telefone tocando”, disse ele. “É uma consequência inevitável de seus sistemas de comunicação. O telefone pode ter algo a ver com isso e a vibração pode deixá-las um pouco mais desnorteadas, mas um monte de formigas fazem isso, mesmo sem o telefone.”

 

Você pode ver uma similar – mas muito mais sinistra – exibição de círculos de formigas, também conhecido como “espiral da morte”. Quando formigas, que são naturalmente cegas, perdem a noção do perfume feromônio que as mantém em contato, elas começam a seguir umas as outras, formando um círculo que gira continuamente. Com nenhuma outra sugestão diz-lhes o que fazer, elas vão continuar nesse círculo até que morram de exaustão. [ScienceAlert]

 

*Fonte / Veja mais aqui: MistériosDoMundo