Charles Bradley morre aos 68 anos (soul music)

O cantor americano Charles Bradley, uma lenda do soul, morreu neste sábado aos 68 anos. Ele, que foi diagnosticado com um câncer no estômago no ano passado, se apresentaria no Rock in Rio, no palco Sunset, no dia 16. O show precisou ser cancelado pois a doença chegara ao fígado. Os substitutos foram os brasileiros Rael e Elza Soares.

“É com o coração pesado que anunciamos a passagem de Charles. O senhor Bradley era muito grato pelo carinho que estava recebendo de seus fãs, e esperava que sua mensagem de amor fosse lembrada e passada para as próximas gerações. Obrigado pelos pensamentos positivos e pelas orações durante este período difícil”, escreveu a equipe do cantor.

No começo do mês, Bradley cancelou todos os shows que faria este ano.

“Eu amo todos vocês que fizeram com que meus sonhos se tornassem realidade. Quando voltar, voltarei forte, com o amor de Deus. Com a vontade de Deus, volto logo”, disse o cantor por meio de um comunicado na época.

Nascido em Gainesville, na Flórida, Bradley teve uma infância pobre e trabalhou durante anos em bicos. Tocou em algumas bandas cover — principalment de James Brown —, até que, em 2002, sua carreira solo finalmente decolou.

O primeiro álbum do cantor, “No time for dreaming”, no entanto, só foi lançado em 2011, quando ele tinha 62 anos. Em 2012, ele foi o protagonista do documentário “Soul of America”, exibido pela primeira vez no conceituado festival South by Southwest.

Bradley também ganhou fama por conta da série “Suits”. O cantor fazia parte da trilha sonora do programa, bem como era um dos artistas favoritos do personagem principal, o advogado Harvey Specter.

O último trabalho do artista foi o disco “Changes”, de 2016. A faixa-título é uma inusitada versão da clássica canção do Black Sabbath que conseguiu convencer até fãs mais radicais da banda de heavy metal.

………………………………………………
*Fonte: oglobo

Anúncios

Se você sente arrepio ouvindo música, o seu cérebro pode ser especial

Você já sentiu arrepios ao ouvir uma música?

Aquele tipo de sentimento que faz os pelos do seu braço ficar em pé?
Pois saiba que sentir arrepios ou nó na garganta enquanto escuta música é raro e único.

No ano passado, o graduado em Harvard Matthew Sachs estudou indivíduos que conseguem sentir calafrios ao ouvir determinadas músicas com a intenção de descobrir o que desencadeava o sentimento.

Ok. O que ele descobriu?

A pesquisa examinou o cérebro de 20 estudantes.

O grupo foi dividido em duas partes, sendo que 10 eram pessoas que admitiam ter as sensações descritas acima e os outros 10 não sentiam nada. A descoberta foi que as pessoas que tinham ligação emocional e física com a música apresentavam diferentes estruturas cerebrais do que aqueles que não sentiam nada.

A pesquisa concluiu que o grupo “privilegiado” tem um volume mais denso de fibras, que conectam o córtex auditivo e áreas que processam emoções. Em outras palavras, as regiões do cérebro podem se comunicar melhor.

O estudo de Sachs foi publicado na Oxford Academic e citado na Neuroscience como:
“A ideia é que mais fibras e o aumento da eficiência entre duas regiões significa que você tem um processamento mais eficiente entre elas.”

Ok… Trazendo para dia-a-dia, se você sente arrepios ao ouvir música, é mais provável que você tenha emoções mais fortes e intensas. Ainda, essas sensações podem estar associadas a memórias afetivas, o que não pode ser controlado em laboratório.

Embora o estudo tenha sido realizado com um pequeno número de pessoas, Sachs está conduzindo novas pesquisas para investigar as atividades cerebrais que disparam certas reações quando ouvimos música.

Segundo ele:

“A depressão causa a incapacidade de sentir o prazer das coisas cotidianas. Você poderia usar música como uma terapia para explorar sentimentos”.

Qual música lhe faz arrepiar?

 

 

 

 

………………………………………………
*Fonte: awebic

 

Criador de Beavis & Butt-head lançará série sobre músicos Country e suas histórias

Mike Judge, criador de Beavis and Butt-Head, O Rei do Pedaço e Silicon Valley, lançará no dia 22 de setembro no canal Cinemax a série animada “Mike Judge Presents: Tales from the Tour Bus”, que contará histórias reais de alguns dos nomes mais icônicos da Country Music.

A série terá 8 episódios de meia-hora e conta as aventuras estridentes dos músicos, contadas por aqueles que as conheciam melhor. “Tales from the Tour Bus” apresenta entrevistas animadas com ex-companheiros de banda, amigos e outros associados que compartilham anedotas não censuradas sobre os artistas, com reconstituições animadas, imagens e fotos de arquivo.

O episódio de estréia colocará é sobre Johnny Paycheck, com o resto da temporada cobrindo George Jones e Tammy Wynette (duas partes), Jerry Lee Lewis, Billy Joe Shaver, Waylon Jennings (duas partes) e Blaze Foley.

 

Confira a sinopse dos 4 primeiros episódios:

Episódio # 1: “Johnny Paycheck”

Além de vender 40 milhões de discos e produzir hits como “She’s All I Got” e “Take This Job and Shove It”, o Johnny Paycheck tornou-se notório por viver a parte. Ele era conhecido por sua música, bebedeiras e prisões. No auge da fama de Paycheck, ele atirou em um homem por causa de uma receita de sopa de tartaruga, o que levou a um julgamento, uma pena de prisão e um dos seus maiores sucessos, “Old Violin”.

Escrito por Mike Judge, Dub Cornett, Richard Mullins, Jeff Feuerzeig, Julien Nitzberg; dirigido por Mike Judge.

Episódio # 2: “Jerry Lee Lewis”

Um dos pioneiros do Rock ‘n’ Roll, Jerry Lee Lewis também passou a ser um cantor de Country Music que gostava de se chamar de “The Killer”. Ele fez um nome para si mesmo não apenas como cantor, mas também como um homem selvagem impulsivo e com armas, que provocou rivalidades épicas com Chuck Berry e Elvis Presley. O músico também se casou com sua prima de segundo grau 13 anos de idade, desencadeando um épico escândalo mundial.

Escrito por Mike Judge, Mark Monroe; dirigido por Mike Judge.

Episódio # 3: “George Jones e Tammy Wynette (Parte Um)”

Ele era um menino pobre de uma cidade no Texas. Ela era uma menina do Mississippi que sonhava com o estrelato em Nashville. Juntos, George Jones e Tammy Wynette se tornaram o primeiro grande casal da Country Music. Eles eram perfeitos aos olhos do público, mas seu relacionamento tumultuado foi pontuado pelas aventuras de álcoolicas de George e sua paranoia sobre o passado romântico de Tammy. Ela tentou evitar que o casamento se tornasse tóxico, cantando “Stand By Your Man”, seu maior sucesso, no palco com o marido todas as noites.

Escrito por Mike Judge, Mark Monroe, Jeff Feuerzeig, Julien Nitzberg; dirigido por Mike Judge.

Episódio # 4: “George Jones e Tammy Wynette (Parte Dois)”

Colaborando em 33 músicas de sucesso e nove álbuns de estúdio, George Jones e Tammy Wynette projetaram uma imagem de felicidade conjugal. Nos bastidores, a vida real era mais uma bagunça, destacada pelo tiro real, uma acusação de envenenamento e atos de desaparecimento engenhosos em nome do álcool. O casamento finalmente foi sacrificado, mas a música sobreviveu. Apesar das personalidades divididas de George e da infinita série de homens de Tammy, os dois mantiveram uma parceria artística que resistiu ao teste do tempo e deu-lhes um dos seus maiores sucessos, “Golden Rings”, sobre amor e casamento.

Escrito por Mike Judge, Mark Monroe, Jeff Feuerzeig, Julien Nitzberg; dirigido por Mike Judge.

 

 

 

……………………………………………………..
*Fonte: southernrockbrasil