Nando Reis vira personagem de “Mundo Bita” em clipe para celebrar sucesso do desenho

O desenho Mundo Bita completou dez anos e resolveu comemorar mais um aniversário de uma forma bastante especial.

Compositor e um dos criadores da animação, Chaps Melo se juntou ao cantor Nando Reis para gravar a música “O Morcego (Me Perdoe a Hora)” em celebração à data marcante.

No vídeo, o amigo morcego festeja ao lado de Flora, Nando e Bita, enquanto Lila, Dan e Tito estão dormindo.

Nando Reis em Mundo Bita
Nando é avô de Gal, de três anos, e foi através da menina que o músico conheceu o universo do popular desenho. Em comunicado à imprensa, ele fala:

Bita é um artista reconhecido, quem não sabe cantar Fazendinha, um dos hits mais tocados no Brasil? Eu estou exultante com esse lançamento, fazer parte de um desenho animado presente no imaginário das crianças. A Gal vai pirar quando vir o vô no desenho.

Para Chaps, o ex-integrante dos Titãs possui uma característica muito própria e única que casa com a singularidade de estilo percebida no Mundo Bita. “Para nós, é uma parceria que engrandece o acervo e nos enche de orgulho”, comentou.

Assim como Nando Reis, outros cantores já viraram personagens do Mundo Bita, como Milton Nascimento, Ivete Sangalo, Lulu Santos e Alceu Valença.

Uma década de sucesso do Mundo Bita
Criado há dez anos no Recife (PE), nos estúdios da Mr. Plot, o Mundo Bita foi indicado ao 19º Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum Infantil, em 2018. Intitulado Bita e os Animais, o trabalho ganhou disco de diamante pela Sony Music.

Além deste, o desenho acumula um disco de platina duplo e três de platina. Assista abaixo ao clipe de “O Morcego (Me Perdoe a Hora)”!

*Por Gabriel von Borell
…………………………………………………………………………………………
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

Fábio Massari divide comando do HEAVY LERO com Gastão Moreira e Clemente Nascimento

Após uma parada durante a pandemia de Covid-19, o programa HEAVY LERO, o mais querido do canal Kazagastão no YouTube, retornará turbinado. A estreia está prevista dia 16 de agosto AQUI.

O programa terá um power trio, ou seja, ao invés de dois, três apresentadores. A novidade é a presença do escritor e radialista Fábio Massari, que dividirá o comando da atração com Gastão Moreira e Clemente Nascimento (Plebe Rude/Inocentes). Amigos há mais de três décadas, juntos eles somam mais de 180 anos de rock.

O formato será um podcast totalmente fora da curva, com foco em música e cultura pop, e transmitido pelo YouTube.

O HEAVY LERO vai ao ar quinzenalmente no Kazagastão. A primeira temporada, com três meses de duração, terá seis programas. A realização será da KZG Produções.

Ao longo dos sete anos no ar, o Kazagastão tornou-se uma referência para quem gosta de boa música. Distante dos canais popularescos, o canal conquistou 237 mil inscritos fiéis no país do sertanejo e do funk, sem apelação, sem concessões, com boas entrevistas e programas variados.

……………………………………………………………………………………….
*Fonte: aradiorock

Site recomenda bandas novas a partir das que você ama e odeia

Um novo site chamado Sage usa seu gosto musical para recomendar bandas e artistas novos, mas de uma forma diferente.

Isso porque a inteligência artificial te pergunta não só o que você gosta, mas também o que não gosta para saber o que evitar. O site, que é um projeto do fotógrafo Sunny Singh, já está no ar para você experimentar.

Por aqui, só para testar, colocamos as bandas Hole e Foo Fighters como parte do nosso gosto musical, já U2 e Pantera como artistas que não ouvimos. As primeiras recomendações do Sage foram Breeders (60,7%), Ex Hex (52.2%) e Seven Mary Three (50.3%).

Descubra bandas novas com o Sage
De acordo com a descrição do serviço, o site analisa dados chamados “graph embeddings” através de vetores de escuta. Com isso, o programa se “baseia em princípios” para poder indicar sugestões que mais combinam com aquelas apresentadas.

Interessante, hein? Você pode acessar o Sage clicando neste link.

*Por Sthephanie Hahne
……………………………………………………………………………………….
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

Votação popular de revista elege os 50 melhores riffs da história

Não há virtualmente nada mais emblemático no Rock do que os riffs de guitarra. Muitas vezes, eles servem como a introdução ou a parte mais marcante de grandes clássicos da música, e é natural que alguns tenham sido imortalizados com o tempo.

Justamente por isso, é uma tarefa quase impossível selecionar apenas 50 para serem os maiores da história. Por isso, a revista Guitar World — especializada em guitarras, como o nome diz — resolveu convocar seus leitores para escolher essa lista democraticamente.

A partir de 125 sugestões da própria publicação e limitando a apenas um riff por artista, o resultado final pode ser visto abaixo em formato de lista e, clicando aqui, você confere a matéria original onde os editores da revista falam um pouco mais sobre cada uma das composições.

Os 50 melhores riffs da história:

50. Opeth – “Heir Apparent” (2008)
49. The Beatles – “Ticket to Ride” (1965)
48. Free – “All Right Now” (1970)
47. Polyphia – “G.O.A.T.” (2018)
46. não consta na lista
45. Queens of the Stone Age – “No One Knows” (2002)
44. Red Hot Chili Peppers – “Can’t Stop” (2002)
43. Eagles – “Life in the Fast Lane” (1976)
42. The Police – “Message in a Bottle” (1979)
41. Rainbow – “Stargazer” (1976)
40. Pearl Jam – “Alive” (1991)
39. Steppenwolf – “Born to Be Wild” (1968)
38. Slipknot – “Psychosocial” (2008)
37. Stevie Ray Vaughan & Double Trouble – “Scuttle Buttin’” (1984)
36. Mountain – “Mississippi Queen” (1970)
35. Guns N’ Roses – “Sweet Child O’ Mine” (1987)
34. Alice in Chains – “Man in the Box” (1990)
33. The Kinks – “You Really Got Me” (1964)
32. Thin Lizzy – “The Boys Are Back in Town” (1976)
31. Tool – “Lateralus” (2001)
30. The White Stripes – “Seven Nation Army” (2003)
29. Rush – “The Spirit of Radio” (1980)
28. Blue Öyster Cult – “(Don’t Fear) The Reaper” (1976)
27. Heart – “Barracuda” (1977)
26. Judas Priest – “Breaking the Law” (1980)
25. Aerosmith – “Walk This Way” (1975)
24. Iron Maiden – “2 Minutes to Midnight” (1984)
23. Michael Jackson – “Beat It” (1982)
22. Motörhead – “Ace of Spades” (1980)
21. Pink Floyd – “Money” (1973)
20. The Rolling Stones – “I Can’t Get No (Satisfaction)” (1965)
19. Lynyrd Skynyrd – “Sweet Home Alabama” (1974)
18. Slayer – “Angel of Death” (1986)
17. Nirvana – “Smells Like Teen Spirit” (1991)
16. Rage Against the Machine – “Killing in the Name” (1991)
15. Megadeth – “Symphony of Destruction” (1992)
14. Cream – “Sunshine of Your Love” (1967)
13. Dire Straits – “Money for Nothing” (1985)
12. Chuck Berry – “Johnny B. Goode” (1958)
11. Derek & the Dominos – “Layla” (1970)
10. The Jimi Hendrix Experience – “Purple Haze” (1967)
9. ZZ Top – “La Grange” (1973)
8. Pantera – “Walk” (1992)
7. Black Sabbath – “Iron Man” (1970)
6. Metallica – “Enter Sandman” (1991)
5. Van Halen – “Ain’t Talkin’ ‘Bout Love” (1978)
4. Deep Purple – “Smoke on the Water” (1972)
3. AC/DC – “Back in Black” (1980)
2. Ozzy Osbourne – “Crazy Train” (1980)
1. Led Zeppelin – “Whole Lotta Love” (1969)

*Por Felipe Ernani
……………………………………………………………………………………….
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

Dusty Hill (ZZ Top) R.I.P.

Hoje faleceu o baixista Dusty Hill (72 anos), da banda ZZ Top, uma das bandas preferidas de todos os tempos e que sempre foram uma grande referência musical para mim. Rock básico, direto e sempre com um feeling danado, calcado nas raízes do blues, o que sempre acaba por me fisgar. Triste isso, já que significa que num mundo pós pandemia – sendo que já haviam anunciado recentemente nos EUA uma tournê – de que não poderemos mais assistir ao ZZ Top ao vivo, em sua formação clássica – aliás, única!
Se a banda vai seguir em frente ou encerrar, não se sabe. Ainda é muito cedo para tais especulações. Billy Gibbons lançou não faz muito tempo um álbum solo, mas já haviam rumores de que a banda estaria selecionando alguns materiais para um novo álbum. Vamos aguardar e ver o que acontece.

Na lembrança fica o excelente show que assisti ao vivo da banda em Porto Alegre (RS) / 2010. Thanks God!

Descanse em paz Dusty Hill. Grato mestre!