Google mostra óculos inteligente capaz de traduzir conversas em tempo real

Além de ferramentas para diversos serviços e novos smartphones, o Google também mostrou como pensa que seus óculos inteligentes podem e devem ser. Em uma apresentação bastante curta no Google I/O, sem detalhes e recheada de animações feitas por computador, o gigante das buscas uniu o antigo Google Glass e o Tradutor em um só produto.

O Google já vem trabalhando em um óculos inteligente há bastante tempo e o Google Glass chegou a ser lançado em 2013, mas não exatamente para todo mundo e foi aposentado dois anos depois. O produto claramente era um protótipo e exibia as informações em uma pequena tela, por cima da lente e em um ambiente de realidade aumentada.

Agora, nove anos depois, o gigante das buscas utilizou um pequeno espaço dentro da sua principal apresentação no Google I/O para mostrar ao público a quantas anda o desenvolvimento deste produto. Na imagem ele é um…óculos como qualquer outro e o principal uso é o de traduzir textos.

Óculos inteligente insere “legendas” no mundo
A ideia do Google é colocar legendas no mundo, permitindo que pessoas falando idiomas completamente diferentes continuem o papo. A ferramenta lembra um recurso muito parecido para o Android, onde o sistema operacional analisa o som do ambiente justamente para criar um texto e assim escrever o conteúdo falado.

Não existem informações sobre como tudo isso funciona neste novo projeto, qual é o hardware e nem mesmo quanto tempo a bateria segura todo o sistema. Como o vídeo divulgado pela empresa claramente mostrava montagem com texto animado, é possível acreditar que ainda estamos longe de ter um produto como estes na prateleira.

O movimento do gigante das buscas para um novo Google Glass pode também fomentar o desenvolvimento em outras empresas, como Apple e Meta (Facebook). Estas duas já receberam diversos rumores sobre possíveis óculos inteligentes no passado, com boatos apontando algum lançamento já para o ano que vem.

*Por Andre Fogaça
………………………………………………………
*Fonte: olhardigital

Engenheiros da Citroën finalmente criaram uma solução para quem sofre de enjoo durante viagens

Qual a pior afronta que um engenheiro de carros pode sofrer? Que um passageiro vomite dentro de sua obra-prima, claro. Por isso, engenheiros da Citroën desenvolveram armações malucas para os olhos que prometem não deixar seu usuário ficar com enjoo quando está em viagem.

Uma em cada três pessoas no mundo sofre com náuseas quando está viajando. Isso significa que 2,3 bilhões de pessoas no mundo não conseguem matar tempo com atividades visuais enquanto sacolejam pelas estradas, céus e águas deste planeta. Elas não conseguem trabalhar no laptop ou smartphone, não conseguem assistir a um filme no tablet e também não conseguem curtir um bom livro ou jornal.

Para resolver este problema que atormenta a humanidade desde os tempos da carroça, engenheiros da Citröen parecem ter deixado para trás o design refinado de seus carros para criar esta engenhoca. A invenção foi apelidada de Seetroën, um trocadilho que poderia ser traduzido como “enxergue-troën”.

A empresa garante que qualquer enjoo por movimentação acaba em até dez minutos depois de começar a usar a armação.

Esse tipo de enjoo acontece quando o cérebro recebe informações conflitantes sobre a movimentação da pessoa. Enquanto o líquido do ouvido informa ao cérebro que o corpo está em movimento, os olhos passam a informação de inércia quando a pessoa está olhando para um livro ou tela dentro do veículo. Esse enjoo tende a passar quando a pessoa olha para fora do veículo, e o cérebro recebe as duas informações alinhadas de que o corpo está, sim, em movimento.

Como esses “óculos” sem lente resolvem o problema? Eles têm uma tecnologia muito simples chamada Boarding Ring (“anel de embarque”), desenvolvida por uma empresa francesa chamada Boarding Glasses. A tecnologia é descrita como “anéis preenchidos por líquido azulado que está livre para se movimentar dentro do tubo”.

As armações da Citroën possuem quatro “anéis” com uma pequena quantidade de líquido colorido que, graças à gravidade, simulam o ângulo e movimentos do horizonte. Assim, enquanto a sua visão central está ocupada vendo algum objeto de entretenimento bem próximo ao seu rosto, sua visão periférica registra a movimentação do líquido azul, e envia essa informação para o cérebro.

Com a tal invenção, a informação visual de movimento e a informação que vem dos ouvidos são compatíveis. O cérebro fica satisfeito com esses dados e não te faz suar frio, ficar tonto, ter dores de cabeça e vomitar.

O melhor de tudo é que os passageiros não precisam usar esse dispositivo durante toda a viagem.

Assim que a pessoa coloca os óculos e fica olhando para um objeto parado dentro do veículo, o cérebro leva entre 10 e 12 minutos para resolver o conflito de informações, e a náusea vai embora até o fim da viagem. Os cientistas por trás dessa invenção dizem que 95% das pessoas só precisam usar os óculos por esse curto período de tempo.

A Citroën deve colocar o Seetroën à venda em breve, por US$115 (R$443).

 

 

 

………………………………………………………
*Fonte: engenhariae